Projetos APTA em todas as unidades, todos os centros

Página Inicial / Busca de Projetos

389 projetos ativos encontrados - pág. 1 de 13

Dinâmica do setor sucroenergético

n° SGP 2409

A pesquisa tem o propósito de acompanhar e avaliar a evolução da produção de cana-de-açúcar e de seus principais produtos: açúcar, etanol, bem como a produção de energia elétrica, subproduto do processamento, no Estado de São Paulo e Federação.  Propõe também observar o comportamento da cadeia e as mudanças que vem ocorrendo, tanto por parte do consumidor (interno e externo) que cada vez mais impõe suas necessidades em relação ao impacto ambiental e a qualidade de vida e do produto, quanto nas empresas que atuam no setor. A realização do acompanhamento da cadeia permitirá identificar as mudanças no sistema bem como as tendências e a adoção de inovação, seja ela organizacional ou tecnológica. 

As inovações organizacionais referem-se à implementação de novos métodos de organização e gestão das práticas de negócio da empresa, na própria empresa ou com os atores externos, e as inovações tecnológicas estão relacionadas a introdução de produtos/serviços ou processos produtivos tecnologicamente novos e melhorias significativas em produtos e processos existentes (Fuck e Vilha, 2011). Ainda segundo os autores as inovações tecnológicas podem ser incrementais ou radicais, a primeira pode ser entendida como aperfeiçoamento contínuo e gradual do produto, e a segunda corresponde a introdução produtos, serviços ou processos totalmente novos no mercado e está relacionada a atividade de P&D.

A proposta justifica-se com base na importância do setor para a economia do Estado, sua representatividade em relação à produção nacional e ainda por abrigar o principal parque agroindustrial. O estado também tem destaque no desenvolvimento de tecnologias e pesquisas no setor sucroenergético, conta com os principais centros de pesquisa privado e público localizado próximo às regiões produtivas.

O Brasil será responsável pela produção estimada de 16% do açúcar produzido no mundo na safra 2019/2020 (USDA, 2019), nos últimos 15 anos, até o ano de 2017 o pais foi o principal exportador do produto, e o estado tem grande participação na produção nacional. Além do açúcar o setor é responsável pela produção de etanol e energia elétrica.  

O estado, principal produtor de etanol, tem papel fundamental para o desenvolvimento e expansão de forma sustentável dos biocombustíveis avançados de baixo carbono na matriz energética global e na bioeconomia, além da expressiva quantidade de açúcar produzida que atende à demanda interna e externa (UNICA, 2018).  A Bioeconomia pode ser entendida como uma atividade econômica provenientes da inovação no campo das ciências biológicas, que culminam no desenvolvimento de produtos, processos e serviços mais sustentáveis, por meio da biotecnologia, de acordo com a Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico (CNI, 2013; BRASIL, 2016), e pode contribuir na produção de alimento, energia e biocombustível com possibilidade de proporcionar maior vantagem competitiva para o setor.

Nesse sentido, é de fundamental importância o acompanhamento de evolução da produção no estado e principais regiões produtoras, com o intuito de ter a dimensão da demanda interna e externa e gerar informações que possam subsidiar o setor e o governo do estado de São Paulo em consonância com as diretrizes de política públicas denominadas “Cidadania no Campo 2030”.

O estudo propõe ainda a identificação das mudanças que vem ocorrendo no sistema de produção e a adoção de tecnologia, tanto no campo como na indústria, com o intuito de avaliar a evolução de produção e produtos (açúcar, etanol e energia), bem como a utilização de seus subprodutos como palha, torta de filtro e vinhaça.

Ver detalhes do projeto

  Katia Nachiluk      IEA

Aproveitamento inteligente da farinha de girassol visando uma tecnologia sustentável para recuperação integral e simultânea das proteínas, fibras e compostos fenólicos.

n° SGP 2404

O Brasil se destaca por sua diversidade agrícola e produção de óleos, levando às indústrias a necessidade de adequação na produção, seguindo as tendências mundiais. Neste contexto, as matrizes oleaginosas quando aproveitadas em sua integralidade agregam sustentabilidade e valor a cadeia de produção agroindustrial. A proposta do SmartProSun é desenvolver um processo integrado de reciclagem dos ingredientes da farinha desengordurada de girassol, resultando em concentrado com teores de proteína acima de 75% e altamente solúveis (frações ricas em albumina e globulina), concentrado de fibras alimentares bioativas, bem como a recuperação de componentes valiosos dos efluentes, tais como polifenóis e açúcares. Para alcançar esse objetivo serão utilizados diferentes pHs, temperaturas, salinidades de soluções, assim como, alguns agentes que previnem interações entre proteínas e polifenóis (por exemplo, cisteína). Para separar os polifenóis das proteínas, diferentes opções de filtração por membrana ultrafiltração, nanofiltração juntamente com a diafiltração. As frações obtidas serão avaliadas quanto às propriedades funcionais tecnológicas, bioativas e sensoriais. A bioatividade será explorada para atividade anti-hipertensiva, antidiabética, antimicrobiana e antioxidante. Os produtos elaborados serão adaptados para atender às necessidades específicas de bebidas, nutrição esportiva, substitutos de gordura e outros produtos com apelos diferenciados. O projeto será apoiado por vários parceiros da indústria, os procedimentos baseados em conhecimento científico de estudos anteriores e orientado para diversos segmentos do mercado. Na expectativa de sucesso, os resultados serão transferidos para novos locais de produção na Europa e no Brasil criando novas oportunidades sociais/econômicas, com geração de emprego no crescente mercado de proteínas vegetais.

Ver detalhes do projeto

  Maria Teresa Bertoldo Pacheco      ITAL

Produção de café brasileiro sob a visão ambiental

n° SGP 2397

Os sistemas de produção de alimentos tradicionais foram substituídos por métodos intensivos com a finalidade de atender a uma demanda crescente de alimentos por uma população também crescente. Porém, o aumento da consciência ecológica dos consumidores tem feito com que os tomadores de decisão e os produtores busquem informações científicas sobre os sistemas de produção agrícola. Aplicações de estudos de ACV de produtos alimentícios e na indústria de alimentos vêm crescendo em resposta ao anseio dos consumidores sobre os aspectos ambientais dos alimentos que eles compram e consomem, enquanto que no caso do produtor a ACV é um instrumento de gestão para melhoria contínua. Os artigos de ACV de produtos agrícolas disponíveis na literatura referem-se a 14 produtos de cultura perene: maçã, banana, laranja e outros citrus, cacau, coco, café, uva, óleo de Jatropha, kiwi, óleo de dendê, azeitona, pêra e cana-de-açúcar. Porém, ainda são necessárias pesquisas adicionais, bem como o desenvolvimento de metodologias para continuar melhorando os estudos de ACV de produtos agrícolas de cultura perene com foco em sistemas agrícolas tropicais, cuja alta diversidade contrasta com a reduzida disponibilidade de dados, ou porque estes dados não existem ou porque não foram publicados. Assim, neste projeto é proposta a aplicação da ACV para a cadeia de produção de café arábica no Brasil, produto estratégico para o mercado de exportação brasileiro. A partir deste estudo serão elaborados quatro inventários do ciclo de vida – ICVs, a saber: café arábica grão verde convencional, café arábica grão verde orgânico (produtos de exportação), café torrado em grãos e café torrado e moído (produtos do mercado nacional). Estes ICVs deverão ser inseridos no banco de dados SICV Brasil e permitirão a estimativa da pegada de carbono, a pegada hídrica, o consumo de energia e outros parâmetros ambientais destes produtos, os quais serão importantes para a promoção do café brasileiro nos mercados externo e interno por meio de auto-declarações ambientais, alavancando suas vendas para consumidores conscientes. Além disso, a cadeia produtiva será beneficiada com as possíveis melhorias que serão elaboradas a partir dos dados levantados neste estudo.

Ver detalhes do projeto

  Leda Coltro      ITAL

Análise da evolução tecnológica e competitiva do sistema agroindustrial do amendoim no estado de São Paulo

n° SGP 2396

Este projeto tem por objetivo analisar a evolução tecnológica na produção agrícola e as interações competitivas para o sistema agroindustrial do amendoim paulista. Para tanto, busca apoio nas construções teóricas das trajetórias tecnológicas para identificar mudanças tecnológicas a partir de informações censitárias reunidas no LUPA safras 2007/08 e 2016/17 e seus recortes regionais e por categorias, associadas a outras séries estatísticas e informações qualitativas. Os resultados serão capazes de discutir as características da adoção tecnológica na cultura do amendoim e suas interações com aspectos socioeconômicos, a exemplo, da produtividade, qualidade, renda e mercados, constituindo informações importantes para a tomada de decisão das organizações públicas e privadas que participam do sistema agroindustrial.

Ver detalhes do projeto

  Renata Martins Sampaio      IEA

PRODUTIVIDADE DE BATATA-DOCE E PROPRIEDADES FÍSICAS E QUÍMICAS DE SOLO EM FUNÇÃO DE USO DE COMPOSTO ORGÂNICO

n° SGP 2394

A batata-doce é uma planta originada da América Latina e suas raízes tuberosas correspondem ao sexto mais importante alimento produzido no mundo, sendo que em países em desenvolvimento é o principal alimento. A cultura produz grande quantidade de alimento por unidade de área e de tempo, aproveitando curtos períodos chuvosos e resistindo a períodos de seca, além de produzir em solos com baixa fertilidade. A região abrangida pelo Polo Regional Alta Sorocabana é região com maior produção de batata-doce do Estado de São Paulo, que é o 2º maior produtor da raiz tuberosa no Brasil. A cultura apresenta importância econômica e social na região, sendo necessária a realização de estudos pelo Polo Regional Alta Sorocabana. A Empresa Rousselot possui resíduo industrial que, devidamente compostado, pode tornar-se uma importante fonte de fertilizante orgânico com fácil distribuição na região. Dessa forma, avaliar possíveis benefícios da utilização do composto no solo e na produção da batata-doce é relevante, pois pode confirmar seu uso na agricultura.

Assim, o objetivo do projeto é identificar a dose de fertilizante orgânico que resulte em maior produtividade de raízes tuberosas de batata-doce e melhores benefícios sobre as propriedades físicas e químicas do solo. Os objetivos específicos são:

1.         avaliar a influência do uso de fertilizante orgânico, obtido a partir da compostagem de resíduo industrial, sobre as produtividades total e comercial da cultura da batata-doce, e

2.         avaliar a influência do uso de fertilizante orgânico, obtido a partir da compostagem de resíduo industrial, sobre as sobre propriedades físicas e químicas do solo.

Ver detalhes do projeto

  Amarílis Beraldo Rós      Apta Regional / IAC

Correlação entre altura do dossel e interceptação luminosa para novos híbridos de Brachiaria.

n° SGP 2393

A altura do dossel forrageiro é determinante para os padrões de interceptação luminosa (IL) pelas plantas e, provavelmente, uma das características mais importantes da interface planta-animal. Dessa forma, pequenas diferenças em altura podem ter grandes efeitos na competição por luz, pois uma diferença pequena é suficiente para urna folha se sobrepor a outra. Assim, a correlação entre altura e a IL são parâmetros que quando analisados em conjunto, fornecem informações sobre a estrutura do dossel de plantas forrageiras, permitindo que uma medida científica (interceptação de luz pelo dossel forrageiro) seja transformada em uma medida prática (altura do dossel forrageiro), por sua alta correlação. O objetivo deste estudo é entender a correlação entre as variáveis alturas do dossel e IL para novos híbridos de Brachiaria da Empresa Tropical Seeds do Brasil Ltda., o que permitirá definição de estratégia de manejo dos materiais com base na altura do dossel forrageiro, permitindo maior produção e aproveitamento de forragem, além de desempenho animal.

Ver detalhes do projeto

  Waldssimiler Teixeira de Mattos      IZ

Impacto ambiental dos dejetos de suínos na fase de terminação usando farelo de soja submetido a 30 kGy de irradiação gama

n° SGP 2387

Estudos e investimentos na suinocultura, principalmente nas áreas de genética, nutrição e manejo, resultaram na melhoria da produtividade, no peso ao abate e nas características da carcaça e da carne, colocando o Brasil em quarto lugar no ranking de produção e exportação mundial de carne suína. Alguns elementos como sanidade, nutrição, melhoramento genético, bom manejo da granja, produção integrada e, principalmente, aprimoramento gerencial dos produtores, contribuíram para aumentar a oferta interna e colocar o País em destaque no cenário mundial (MAPA, 2015; ABCS, 2014; ABPA, 2018).

O sistema de produção atual concentra grande quantidade de animais em pequenas propriedades e áreas, muitas vezes em terrenos acidentados, e limita a utilização agrícola desses dejetos por falta de área. A criação intensiva trabalha com animais geneticamente melhorados para alta capacidade de deposição muscular, por isso busca trabalhar com formulações balanceadas, que proporcionem o melhor aproveitamento possível dos nutrientes. Portanto, junto com o crescimento do setor cresce a preocupação com o meio ambiente, devido ao potencial poluidor dos dejetos gerados pela suinocultura que podem provocar degradação do ar, recursos hídricos e do solo e, o lançamento de dejetos na natureza sem tratamento prévio pode causar desequilíbrio ambiental, com a possibilidade de contaminação de águas subterrâneas pelos efluentes oriundo da criação de suínos (GIRÔTTO JUNIOR, 2013; SERAFIM;GUIMARÃES FILHO, 2012; ANAMI et al., 2008; MIYAZAWA et al., 2009; KUNZ; HIGARASHI; OLIVEIRA, 2005; PERDOMO, 2001).

Os nutrientes que possuem maior capacidade poluente, em função das altas concentrações nos efluentes da suinocultura e que tem correlação direta com a quantidade fornecida na da dieta dos suínos em crescimento e terminação são o fósforo (P), o nitrogênio (N), o zinco (Zn) e o cobre (Cu). De acordo com NRC (1988), aproximadamente 45 a 60% do nitrogênio, 50 a 80% do fósforo e do cálcio e, 70 a 95% do cobre e zinco consumidos são excretados pelos suínos.  

As grandes quantidades destes nutrientes no ambiente provocam danos severos. O processo de escoamento superficial auxilia no carreamento do fósforo, para os corpos hídricos, onde ocasionam o crescimento excessivo das algas, processo chamado de eutrofização, que pode ser definido como um aumento da quantidade de nutrientes num ecossistema aquático, resultando no decréscimo na qualidade da água fresca (TUNDISI, 2003; MERTEN; MINELLA, 2002; VALENTE; PADILHA; SILVA, 1997). A decomposição dessas algas diminui a quantidade de oxigênio dissolvido na água, havendo também a liberação de toxinas produzidas por algumas espécies de algas e aumentando a concentração de matéria orgânica (morte das algas e plantas aquáticas) criando, assim, um meio inadequado para os peixes e outros animais aquáticos e inviabilizando o uso da água para abastecimento doméstico (NOVAIS et., 2007; TUNDISI, 2003; CROMWELL et al., 1993; CORREL, 1998).

Serão avaliados 48 suínos (24 machos e 24 fêmeas) dos 60 aos 110 Kg de peso vivo em 03 tratamentos. Será adotado o delineamento experimental em blocos ao acaso, de acordo com peso e sexo dos animais, em arranjo fatorial 3×2, composto de farelo de soja submetido a duas irradiações gama (15;30 kGy) nas dietas e o tratamento controle (farelo de soja sem irradiação). A unidade experimental será o suíno, com oito repetições por tratamento. Serão fornecidas as dietas:  T1: Dieta Controle (sem irradiação); T2: Dieta com Farelo de soja submetido a 15 kGy de irradiação gama; T3:Dieta com Farelo de soja submetido a 30 kGy de irradiação gama. O consumo de ração diário (CRD) e o ganho diário de peso (GDP) serão calculados pelas diferenças entre a quantidade de ração oferecida e não consumida (sobras nos comedouros e ração desperdiçada) e entre o peso final e inicial dos animais. Com os resultados de ganho de peso e consumo de ração será calculada a conversão alimentar dos animais. No frigorífico, os animais serão insensibilizados por eletronarcose, abatidos por sangria, escaldados, depilados, eviscerados, as carcaças serão divididas ao meio longitudinalmente e colocados em câmara fria.   As meias carcaças serão pesadas imediatamente após abate, para obtenção do peso da carcaça quente. Relacionando-se os pesos vivos dos animais antes do abate e os pesos das carcaças será calculado o rendimento de carcaça. O pH do músculo longissimus dorsi será mensurado na carcaça quente, 45 minutos após o abate e na carcaça resfriada, mantida na câmara fria (1 a 2 °C) por 24 horas, utilizando um medidor de pH portátil digital. Após o resfriamento serão mensurados o peso e o comprimento de carcaça, as espessuras de toicinho média e no ponto P2, a profundidade de lombo, as áreas de olho de lombo e de gordura. O comprimento de carcaça será medido do bordo cranial da sínfise pubiana até o bordo crânio ventral do atlas, com auxílio de fita métrica. As medidas de espessura de toicinho para o cálculo da espessura de toicinho média serão realizadas perpendicularmente à linha dorso-lombar, com auxílio de um paquímetro, em três pontos: na altura da primeira costela, na altura da última costela e na altura da última vértebra lombar, na região de inserção da última vértebra torácica com a primeira lombar. Para as determinações de espessura de toicinho no ponto P2, profundidade de lombo, e áreas de olho de lombo e de gordura será efetuado corte na altura da última costela, região de inserção da última vértebra torácica com a primeira lombar, de modo a expor o músculo longissimus dorsi. Para a caracterização bromatológicas dos dejetos será usado o delineamento será um fatorial 3 x 2 (três dietas x 2 sexos), com 3 tratamentos e 03 repetições para caracterização dos dejetos, sendo que semanalmente serão coletadas amostras de ração, dejetos bruto, líquido e sólido, congeladas e armazenadas para posterior análise. Serão determinadas as quantidades de proteína bruta (PB), fósforo (P), zinco (Zn) e cobre (Cu) nas dietas e nos dejetos bruto, sólido e líquido e será obtido o custo por kg de ganho de peso, em reais por quilograma (R$/kg) que será calculado dividindo-se o custo total (R$) com alimentação por animal, pelo ganho de peso total (kg) de cada animal durante o período de fornecimento da dieta  

Ver detalhes do projeto

  SIMONE RAYMUNDO DE OLIVEIRA      IZ

Avaliação econômica da cultura do milho com cultivares convencionais e transgênicos na região Norte do Estado de São Paulo.

n° SGP 2379

Predomina o emprego de cultivares transgênicos de milho por serem resistentes à lagarta-do-cartucho e/ou ao herbicida glifosato, facilitando o manejo de pragas e plantas daninhas na lavoura. Mas em decorrência do alto custo das sementes do milho transgênico, em comparação ao convencional, e ao rápido processo de resistência da lagarta ao milho Bt, as vantagens econômicas do seu uso são questionáveis. O objetivo é comparar o custo, a receita e a lucratividade da produção dos dois tipos de cultivares, tanto na safra como na safrinha (inclui-se tolerância a doenças e déficit hídrico). Para tanto, serão utilizados experimentos da rede de avaliação IAC/APTA/CATI/Empresas no estado de São Paulo, instalados no verão (safra) em Colina e na safrinha em Guaíra. O delineamento experimental é o de blocos ao acaso com aproximadamente 30 cultivares, sendo 1/3 convencionais e 2/3 transgênicos. Para o cálculo da receita, será utilizada a média dos híbridos convencionais e a média dos transgênicos, excluindo as variedades convencionais devido ao menor potencial produtivo. No cálculo do custo, serão considerados como diferenciais o preço médio das sementes e o manejo de pragas, visto que o número de aplicações de inseticidas é menor nos transgênicos. O manejo de plantas daninhas e doenças será similar em todas as cultivares. Será calculado o lucro por hectare e por unidade de milho produzida.

Ver detalhes do projeto

  Fernando Bergantini Miguel      Apta Regional / DGE

ASSOCIAÇÃO ENTRE VARIAÇÕES NO NÚMERO DE CÓPIAS DE SEGMENTOS DE DNA NO GENOMA DE OVINOS SANTA INÊS COM CARACTERÍSTICAS DE RESISTÊNCIA A ENDOPARASITAS

n° SGP 2376

A ovinocultura está em crescente expansão no Brasil, porém o país ainda não é autossuficiente para atender a demanda do mercado interno, recorrendo às importações. A sanidade é um dos principais fatores que dificultam a eficiência na produção, visto que o manejo adotado em sua maioria é inadequado, destinado a subsistência, em sistema extensivo e sem investimentos em tecnologia, aumentando a susceptibilidade de ovinos a parasitas gastrintestinais. Outro ponto, é o uso excessivo de anti-helmínticos que contribuiu para o aumento de nematoides resistentes, tornando necessário encontrar meios alternativos de controle. Os métodos utilizados para a identificação de animais com infecções causadas por helmintos, estão os registros fenotípicos: contagem de ovos por grama de fezes (OPG), coloração da conjuntiva ocular (CCO), volume globular (VG), proteína plasmática total (PPT) e coprocultura (%H) para identificação dos parasitas. Neste projeto foram genotipados 1150 ovinos da raça Santa Inês com o Ovine SNP50 Genotyping BeadChip (Illumina) para a identificação de regiões com variações no número de cópias nos segmentos de DNA (CNVs) associadas às características de resistência parasitária. A identificação das CNVs será realizada por meio do software PennCNV e amostras com call rate inferior a 95% serão descartadas. SNPs com frequência menor que 90%, mapeados em cromossomos sexuais ou sem posição no genoma referência Oar_v3.1 também serão excluídos. O objetivo para a detecção das regiões de CNV é a seleção de animais com características de resistência a endoparasitas gastrintestinais utilizando informações genômicas, visando diminuir os custos com medicamentos e as perdas no sistema de produção.

Ver detalhes do projeto

  CLAUDIA CRISTINA PARO DE PAZ      IZ

LEVANTAMENTO CENSITÁRIO DE UNIDADES DE PRODUÇÃO AGROPECUÁRIA - Projeto LUPA 2016/2017

n° SGP 2374

O Censo Agropecuário paulista constitui base de dados indispensável à obtenção de estatísticas agrícolas e informações para fins de planejamento em todos os níveis da estrutura da Secretaria da Agricultura e Abastecimento (em especial atender a Lei 8.510, de 29-12-1993, com respeito ao fornecimento da área cultivada homogênea como critério no cálculo do ICMS) e de outras instâncias da administração pública e privada, vinculadas ou não à pesquisa no meio rural. As inovações técnicas deste LUPA, que é o terceiro da série iniciada em 1995/96 são: coleta de dados realizada por PDA (Personal Digital Assistant), acompanhamento do levantamento pela Sala de Situação e Sistema de Depuração.

Ver detalhes do projeto

  Denise Viani Caser      IEA

Estrutura e dinâmica da atividade pesqueira na calha do rio Doce, nos estados de Minas Gerais e Espírito Santo.

n° SGP 2371

O Projeto tem como objetivo central a avaliação da evolução da interferência do rompimento da Barragem de Fundão em Mariana, Estado de Minas Gerais, ocorrido em novembro de 2015, sobre a atividade pesqueira, que inclui a pesca artesanal profissional e de subsistência, e a aquicultura (piscicultura). A avaliação abrangerá o ambiente continental do Rio Doce nos Estados de Minas Gerais e Espírito Santo. A princípio serão cobertos nove municípios, ao longo da calha do rio Doce. A avaliação proposta será realizada a partir de informações pretéritas obtidas na literatura e em bases de dados disponíveis (dados secundários), e de dados provenientes de programas de monitoramento e caracterização socioeconômica participativa a serem executados. O levantamento do monitoramento da pesca extrativa e da aquicultura ao longo da calha do rio Doce terá duração de 24 meses, no entanto, a duração total do projeto será de 32 meses sendo os quatro meses iniciais voltados para a criação da estrutura necessária para sua execução, levantamento bibliográfico, mobilização e treinamento da equipe, identificação de possíveis parceiros locais e para comunicação social. Após a fase de mobilização será executada a coleta de dados pesqueiros por 24 meses e a análise final dos dados coletados será realizada nos restantes quatro meses. O referido projeto envolverá um (a) bolsista pós-doc que atuará diretamente no levantamento de dados secundários, nas análises e avaliações dos dados obtidos no monitoramento pesqueiro continental (dados primários), ficando lotado no Centro de Pesquisas de Recursos Hídricos - CPRH, no Laboratório de Ecologia e Pesca Continental (LabEcoPesca) do Instituto de Pesca, sob a minha coordenação. 

Ver detalhes do projeto

  Paula Maria Gênova de Castro Campanha      IP

Utilização da aquaponia como instrumento didático

n° SGP 2368

O presente projeto tem como objetivo principal a viabilização da instalação e condução de um sistema aquapônico em uma escola pública coma finalidade de servir como ferramenta didática, utilizando a metodologia de aprendizagem por projeto aplicado às disciplinas de física, química, biologia, ciências, matemática, artes, português e educação física, envolvendo os alunos a partir do 6º ensino básico e a totalidade das classes de ensino médio. Espera-se ainda que a execução do projeto traga oportunidades para incrementar a interação entre os professores e alunos da EE Bairro Francisco de Castilho e os pesquisadores da APTA/SAA  e desse modo, despertar o interesse dos alunos para o engajamento em atividades profissionais relacionadas à pesquisa científica e tecnológica. As metas a serem alcançadas são: Condução de 10 ciclos de produção de hortaliças; Condução de 2 ciclos de produção de peixes; Realização de 8 ações pedagógicas; Engajamento de 100%dos alunos do ensino médio e 50%dos alunos do ensino básico nas ações pedagógicas relacionadas coma aquaponia

Ver detalhes do projeto

  Fernando André Salles      IZ

AVALIAÇÃO DA QUALIDADE GLOBAL DA BEBIDA DE CAFÉ BASEADA NA OLFATOMETRIA E GC-MS/MS

n° SGP 2355

A classificação da bebida do café a partir da análise sensorial, requisito das Resoluções SAA 30 e 31 (2007) e SAA 19 (2010), do estado de São Paulo, é uma importante ferramenta para negociação de cafés comerciais. Porém, a capacitação de laboratórios para realizar esta análise demanda tempo e treino de todas as pessoas envolvidas para que o viés subjetivo por influência de fatores psicológicos, fisiológicos, emocionais, dentre outros, não influenciem o resultado da análise. Nesse sentido, a busca de parâmetros físicos e químicos que sejam correlacionáveis com a classificação da bebida do café quanto à qualidade sensorial faz-se imprescindível para atender a demanda de análises e fiscalização destes cafés. A cromatografia gasosa (CG) acoplada a espectrometria de massas (EM) tem sido ferramenta fundamental para identificação e quantificação de compostos voláteis. Muitos desses compostos são responsáveis pelo aroma característico do café e impactam diretamente na qualidade global da bebida. Por outro lado, já é conhecido que nem todo composto volátil tem potencial olfativo. Em virtude disso, a utilização de um olfatômetro simultaneamente com um EM tem se tornado um recurso fundamental na identificação dos compostos voláteis de alimentos que possuem um perfil aromático complexo, como o café. Estudos recentes demonstram que é possível correlacionar dados de análises químicas de cafés em grãos com as características sensoriais da bebida café utilizados métodos quimiométricos. Muitos desses estudos são utilizados para classificação dos produtos, mas não prediziam a qualidade geral da bebida. Diante disso, o objetivo deste estudo será avaliar a qualidade global de cafés comerciais, utilizando a cromatografia gasosa acoplada a espectrometria de massas e a olfatometria. Os dados serão correlacionados utilizando métodos quimiométricos de calibração multivariada com intuito de obter-se modelos práticos que permitam avaliar a qualidade geral dos produtos. A aplicabilidade dos dados será ratificada pela análise sensorial recomendada pelas resoluções vigentes Secretaria de Agricultura e Abastecimento (SAA) para café tradicional, superior e gourmet.

Ver detalhes do projeto

  Aline de Oliveira Garcia      ITAL

AVALIAÇÃO DAS CONDIÇÕES DE AMBIÊNCIA, COMPORTAMENTO, MANEJO E BEM-ESTAR ANIMAL DO PLANTEL DE ANIMAIS SILVESTRES (MANTIDOS EX-SITU) DO ZOOLÓGICO BOSQUE DOS JEQUITIBÁS

n° SGP 2320

Zoológicos são instituições mantenedoras de fauna silvestre (IBAMA, 2015). Essas instituições se modificaram ao longo do tempo, passando de coleções apreciativas e exibições de poder das classes ricas às concepções atuais, que compreendem princípios de conservação e uma preocupação com o bem-estar dos animais cativos (Saad et al., 2011; Farah, 2017; Azevedo et al., 2018). O mundo enfrenta problemas ambientais decorrentes das ações antrópicas com ação direta, afetando negativamente a diversidade biológica, colocando os animais silvestres em situações de conflito com a população humana (Azevedo et al. 2018). Assim, conforme a legislação IN nº23 do ICMBio, esses espécimes são destinados as autoridades competentes, como o CETAS (Centro de Triagem de Animais Silvestres) que, por meio de protocolos técnicos de avaliações física e comportamental dos animais estabelece uma destinação para esses organismos, sendo o cativeiro uma alternativa provável (ICMBio, 2014). Os prejuízos ambientais incluem a exploração de espécies, a destruição, fragmentação e degradação de habitats e a introdução de espécies exóticas, bem como a funcionalidade ecológica dos ecossistemas é prejudicada (Verdade 2004; Ricklefs 2013).

Em razão desses fatores, a fauna silvestre perde seu habitat e muitos espécimes são privados da possibilidade de retornar ao ambiente natural, pois até em programas de soltura existem problemáticas que tornam inviável o retorno desses animais à natureza. Assim os jardins zoológicos, com seu papel educativo, capaz de tornar o público sensível, de forma a modificar positivamente seu comportamento, o que auxilia os esforços de conservação da biodiversidade (Barongi 2015). Atualmente, essas instituições contemplam ações de compromisso com o bem-estar animal.

O estresse crônico e as estereotipias, por exemplo, apontam para graus mais pobres de bem-estar (Broom e Molento 2004; Azevedo et al. 2018). Para realizar essas análises é importante entender a biologia do animal e considerar individualmente cada espécime para então determinar o nível de bem-estar correspondente(Broom e Molento 2004). A aplicação do enriquecimento ambiental é dinâmica na mudança do ambiente, podendo ser do tipo física, alimentar, sensorial, cognitiva e social (Pizzutto 2003; 2014). De acordo com essas informações é essencial estabelecer um programa de observações comportamentais que conte com a amostragem e registro de dados condizentes, a fim de quantificar e realizar uma análise coerente (Del-Claro 2010). É imprescindível a elaboração do etograma em estudos comportamentais, uma vez que ele corresponde ao repertório comportamental completo do animal e sua descrição (Del-Claro 2010; Ferraz 2011).

A equipe do Bosque dos Jequitibás, instituição mantenedora de fauna a mais de um século, precisa quantificar suas ações e seguir os preceitos do bem-estar animal, de forma científica, por esta razão nos procurou a realizar parceria técnico/científica; estando também em respeito ao que a sociedade preconiza e também a AZAB – Associação de Zoológicos e Aquários do Brasil em  concordância com Wild Welfare (WAZA). 

Ver detalhes do projeto

  José Evandro de Moraes      IZ

AVALIACAO DO USO DE BIOCOMPOSTO DE DEJETOS BOVINOS COMO ADUBO PARA PRODUCAO DE VOLUMOSO PARA VACAS LEITEIRAS

n° SGP 2319

A intensificação da atividade leiteira tem dentre os vários resultados o aumento de resíduos gerados pelo sistema de produção. Devido seu acúmulo e maneiras incorretas de descarte, estes resíduos podem tornar-se fontes de poluição e contaminação ao meio-ambiente, causando vários problemas como: presença de moscas e/ou outros insetos, presença de roedores, problemas sanitários, contaminação de recursos hídricos, disseminação de doenças tanto humanas quanto aos rebanhos. Frente a esse quadro, há a necessidade de buscar maneiras para a destinação e/ou tratamento destes resíduos, diminuindo estes impactos negativos e promovendo recursos para ganhos ao sistema e ao produtor. Paralelamente, o mercado consumidor, hoje, busca produtos que valorizem a sustentabilidade dos sistemas de produção. Dentro desta inferência, o tratamento dos dejetos/resíduos da produção leiteira na geração de biocompostos torna-se uma alternativa interessante tanto no ponto de vista de sustentabilidade ambiental, bem como sustentabilidade do sistema produtivo. O biocomposto pode ser utilizado na adubação de lavouras para o rebanho, sistemas de pastagens, ou mesmo comercializado pelo produtor de leite como uma renda adicional à sua atividade. Desta maneira, este estudo objetiva testar a eficiência do uso de biocompostos no plantio de milho, de uma capineira e uma forrageira de inverno, como fontes de volumosos para o rebanho. Para tanto, serão realizados ensaios através de plantios em vasos utilizando diferentes porcentagens de biocomposto como substrato para cada cultura (0%, 25%, 50%, 75% e 100%) durante um ano, respeitando-se o ano agrícola de cada uma. Será analisada a composição de cada substrato utilizado nos vasos, bem como serão realizadas avaliações de desenvolvimento e produção para cada cultura, de maneira encontrar a melhor interação da composição de substrato com a produtividade das plantas, servindo de inferência para orientação ao produtor de leite. Com isso, esta proposta visa incrementar a produção leiteira criando condições de sustentabilidade à atividade, bem como conservando o meio ambiente, diminuindo os problemas de doenças no rebanho e, junto, aumentando a lucratividade do sistema.

Ver detalhes do projeto

  Weber Vilas Boas Soares      IZ

AVALIAÇÃO DE GRAMÍNEAS FORRAGEIRAS SUBMETIDAS À APLICAÇÃO DE BIOESTIMULANTE DO CRESCIMENTO

n° SGP 2315

O presente projeto tem por objetivo avaliar o efeito da aplicação de bioestimulante de crescimento da Empresa FERTILÁQUA, em parcelas de gramíneas forrageiras, já estabelecidas. O experimento será instalado em área experimental pertencente ao Instituto de Zootecnia, localizado no município de Nova Odessa/SP, a 528 m de altitude, 22o42’ latitude Sul e 47o18’ longitude Oeste. Será realizada análise do solo da área experimental, para descrever suas características químicas (pH, teores de matéria orgânica, hidrogênio, alumínio, fósforo, magnésio, enxofre e potássio) e físicas (textura do solo), para que sejam feitas as correções necessárias (de acordo com Boletim 100). Os dados climáticos do período experimental serão registrados no posto metereológico do Instituto de Zootecnia, Nova Odessa-SP. A área experimental será constituída de 20 parcelas com 10 m2 (5 x 2 m) cada, eliminando-se 1,0 m de bordadura de cada lado, com duas repetições na mesma parcela. Cada parcela de gramínea forrageira será dividida ao meio com e sem a aplicação do bioestimulante, e será adotado um espaçamento de 1,0 metro entre as parcelas. A instalação deverá ocorrer em setembro/outubro de 2019. Serão avaliadas a massa seca total e de folhas, em kg ha-1, a relação folha/colmo, a composição químico-bromatológicas da matéria seca total e de folhas das amostras para a determinação dos teores de macro e micronutrientes, proteína bruta, fibra em detergente neutro (FDN) e digestibilidade “in vitro” da matéria seca (DIVMS) e o teor de clorofila.Os dados serão analisados por meio da análise multivariada, utilizando-se, a análise de componentes principais e análise de agrupamento.

Ver detalhes do projeto

  Waldssimiler Teixeira de Mattos      IZ

Bem estar associado ao controle parasitário através da mineralização lúdica de bovinos leiteiros

n° SGP 2314

O objetivo do projeto será avaliar a associação do enriquecimento ambiental com a mineralização de bezerras da raça Holandesa, com idades de 9 a 10 meses, com peso médio esperado de 200 kg. O projeto contará com 3 tratamentos, contendo seis animais por tratamento, e o período experimental terá duração de 180 dias, no período de novembro de 2020 a abril de 2021. Os tratamentos serão 1. suplementação mineral fornecida no concentrado; 2. suplementação mineral através de bloco mineral suspenso e 3. suplementação mineral através de bloco mineral suspenso confeccionado com antiparasitário (produto Nutrimed®). A cada 28 dias, durante o período experimental, serão realizados os procedimentos de pesagem dos animais, medida da circunferência torácica e altura de cernelha, contagem de carrapatos e moscas e ingestão de suplemento mineral. Será avaliado o comportamento animal por meio de observação visual dos animais durante período de 12 horas. O delineamento será inteiramente casualizado e as análises estatísticas realizadas pelo software SAS.

Ver detalhes do projeto

  Gabriela Aferri      IZ

Estudo da transferência de calor em sistemas alimentícios particulados acondicionados em embalagens metálicas e flexíveis, submetidos à esterilização em uma autoclave piloto operada no modo estático e agitado

n° SGP 2313

A determinação da real intensidade do tratamento térmico, submetido à um alimento de baixa acidez mantido a temperatura ambiente é fator determinante para a garantia de segurança de saúde pública. Essa intensidade, a letalidade, é consequência do histórico tempo/temperatura ao qual o produto é submetido, medido no ponto de aquecimento mais lento da embalagem, que é função das características condutivas/convectivas de transferência de calor do alimento.  Os ensaios propostos neste projeto visam estudar e avaliar a transferência de calor e, consequente, checagem do ponto de aquecimento de sistemas alimentícios complexos com características convectiva/condutiva em de embalagens metálicas e flexíveis, submetidos ao tratamento térmico de esterilização com autoclave em cascata operando no modo estático, rotativo e/ou com agitação longitudinal. Além de estudar a influência do modo operacional da autoclave no processo de transferência de calor, o projeto visa identificar e avaliar outros fatores que influenciam nesse comportamento, como, por exemplo: composição do alimento quanto à suas propriedades condutiva/convectiva, espaço livre, condições de enchimento, dentre outros. O esclarecimento destas informações é salutar e de aplicação direta na avaliação e dimensionamento da intensidade do processamento térmico para a produção de alimentos seguros em relação à segurança de saúde pública.

Ver detalhes do projeto

  Maria Isabel Berto      ITAL

Perspectivas para a atividade pesqueira na Bacia do Rio Doce em decorrência do rompimento da barragem de Fundão, Mariana - Minas Gerais: Compartimento Marinho

n° SGP 2310

O Projeto faz parte do estudo o “Perspectivas para a atividade pesqueira na Bacia do Rio Doce em decorrência do rompimento da barragem de Fundão, Mariana - Minas Gerais” A avaliação abrangerá o ambiente marinho sob influência do Rio Doce no Estado do Espírito Santo. A avaliação pre tem como objetivo central a avaliação da evolução da interferência do rompimento da Barragem de Fundão em Mariana, Estado de Minas Gerais, ocorrido em novembro de 2015, sobre a atividade pesqueira marinha, que inclui tanto a pesca extrativa quanto a aquicultura. oposta será realizada a partir de informações pretéritas obtidas na literatura e em bases de dados disponíveis, e de dados provenientes da caracterização socioeconômica de forma participativa a serem executados. O Projeto terá a duração de 32 meses sendo os quatro meses iniciais voltados para a criação da estrutura necessária para sua execução, levantamento bibliográfico, mobilização e treinamento da equipe, identificação de possíveis parceiros locais e para comunicação social. Após a fase de mobilização será executada por 24 meses a coleta e a análise de dados. Os quatro meses finais serão empregados para a conclusão das análises, para a elaboração dos produtos finais e para a divulgação dos resultados obtidos. Cabe ressaltar que em face da atual pandemia os cronogramas de trabalho podem ser afetados até a normalização e possibilidade de atividade de campo. O objetivo da Caracterização Socioeconômica das comunidades pesqueiras é medir os impactos sofridos pelo acidente, para construção de cenários futuros para a promoção da sustentabilidade na atividade pesqueira objetivará estimar o número de pescadores artesanais e aquicultores na região de interesse, identificar os locais de descarga e de cultivo de pescado na área de abrangência do projeto, diagnosticar o perfil socioeconômico dos pescadores e aquicultores, avaliar os aspectos socioeconômicos do uso dos recursos pesqueiros e identificar as interações dessas atividades com outras atividades antrópicas. A Caracterização será realizada de forma intensiva ao longo dos primeiros de 12 meses de execução do Projeto. Após esta fase os dados serão complementados e atualizados através do trabalho de Monitoramento da Atividade Pesqueira.

Ver detalhes do projeto

  Jocemar Tomasino Mendonça      IP

Avaliação da qualidade de leite de bufalas de propriedades na região Sudoeste do Estado de São Paulo em relação as características do sistema de produção.

n° SGP 2309

O leite de búfala ocupa a segunda posição em produção, sendo superado apenas pelo leite bovino. Devido à suas características, é um produto de grande interesse para a indústria láctea, que tem na muçarela de búfala o seu principal produto. Grande parte de sua produção no Brasil é realizada por produtores em âmbito familiar, pois é considerada uma boa fonte de renda mensal, mas os grandes desafios desta produção são a sustentabilidade e melhoria da qualidade do leite. Acredita-se que a transferência de conhecimento através de tecnologias e treinamento são os pilares para a resolução desses desafios. Sendo assim, o presente estudo tem como objetivo identificar características de higiene que influenciam a melhoria da qualidade do leite através da assistência técnica. Para isso, serão utilizadas 18 propriedades rurais na região de Itapetininga - SP, que participam da Cooperativa dos Produtores de Leite e Demais Produtos da Agricultura Familiar do município de Sarapuí e Região (COLAF) e serão avaliadas quanto a qualidade do leite antes e depois do acompanhamento pela assistência técnica. A qualidade do leite será monitorada nos meses de outubro a março de dois anos consecutivos e entre esse período, a assistência técnica será oferecida mensalmente para todos os produtores. Além do monitoramento da qualidade do leite, todos os produtores preencherão questionários específicos de características higiênicas na produção de leite. Com os dados de qualidade e os questionários será realizada análise estatística para relacionar quais propriedades obtiveram maiores ganhos em qualidade em resposta a assistência técnica, e quais as características dessas propriedades em relação as que tiveram menor ganho em qualidade. Com isso espera-se que o presente trabalho possa contribuir para identificar quais características estão mais relacionadas com a melhoria da qualidade higiênica do leite do leite de búfala e assistência técnica de propriedades familiares.

Ver detalhes do projeto

  Luiz Carlos Roma Junior      IZ

Dinamica de suplementação de oleo essencial de tomilho para controle estrategico de mastite bovina

n° SGP 2308

O aumento da demanda por produção de leite tem sido reconhecido nos últimos anos, principalmente no Brasil, viabilizando sua inserção no mercado externo. No entanto, a qualidade do leite tem importante efeito sobre as importações do produto e para tal, é necessário controlar as células somáticas, que são indicativas da ocorrência de mastite, uma das doenças que mais afetam a produção de leite e sua comercialização. A busca pela redução da contagem de células somáticas torna-se fundamental, em especial técnicas sem uso de antibiótico, sem descarte de leite, fácil aplicação e que seja economicamente viável. Uma das técnicas para controle da células somáticas é a fitoterapia, baseada no uso de plantas medicinais em dietas de vacas em lactação. Com isso, o objetivo do presente estudo será avaliar o uso de fitoterápico de tomilho na dieta de vacas em lactação ao longo de quatro etapas: Ensaio 1) Avaliação da farmacocinética do óleo essencial de tomilho em amostras de leite e sangue de vacas em lactação; Ensaio 2) Determinação in vitro da atividade antimicrobiana do óleo essencial de Tomilho (OET) e do timol; Ensaio 3) Eficiência do OET em casos de mastite clínica e subclínica; Ensaio 4) Verificar efeitos do fitoterápico e da pasteurização no leite fluído e iogurte natural ao longo do tempo de armazenamento refrigerado. Com isso, será possível adquirir mais conhecimento para desenvolvimento de produto fitoterápico para controle estratégico de mastite bovina em alternativa ao uso de antibióticos.

Ver detalhes do projeto

  Luiz Carlos Roma Junior      IZ

Encapsulação de componentes bioativos e probióticos por método combinado para desenvolvimento de bebidas funcionais à base de frutas e soro de leite

n° SGP 2307

O consumo de bebidas funcionas vem crescendo devido à procura da população por agentes de promoção da saúde ou prevenção de doenças. Os componentes que conferem as propriedades bioativas podem ser divididos em moléculas bioativas e células vivas bioativas (probióticos). Essas bebidas com adição de probióticos, vitaminas e compostos bioativos (antioxidantes) com funções benéficas ao organismo humano estão cada vez mais populares e vão impulsionar o crescimento do mercado nos próximos anos. O Brasil é um dos maiores produtores mundiais de frutas, além de ser um dos maiores geradores de soro de leite, sendo estes, amplamente utilizados na obtenção de bebidas nutritivas. Sucos de frutas e bebidas à base de soro de leite e de frutas são boas opções para a adição de componentes funcionais como probióticos e carotenoides, que contribuiriam no aumento do valor dessas bebidas em termos de saúde e bem-estar. Os carotenoides são precursores da vitamina A e estão envolvidos em processos anti-inflamatórios e anti-carcinogênicos, e os probióticos são microrganismos que conferem diversos benefícios à saúde. Entretanto, esses bioativos são facilmente degradados na presença de oxigênio, luz, calor e casos específicos apresentam baixa biodisponibilidade no trato gastrointestinal. Diante destes desafios, são necessárias técnicas que promovam a proteção dos mesmos, proporcionando sua estabilidade e ação efetiva. O encapsulamento dos compostos bioativos possibilita a proteção de sua funcionalidade e facilita sua liberação em partes específicas do corpo humano. As técnicas de lipossomas e encapsulação por agentes poliméricos é comumente aplicada na conservação de compostos bioativos pois utiliza-se de excipientes biodegradáveis e permitem todas essas melhorias nas características físico-química dos compostos. Diante disso, o objetivo do projeto é encapsular componentes bioativos e probióticos por método combinado para desenvolvimento de bebidas funcionais à base de frutas e soro de leite.

Ver detalhes do projeto

  Leila Maria Spadoti      ITAL

AVALIAÇÃO DE FORRAGEIRAS PARA A PRODUÇÃO DE FENO SUBMETIDAS A APLICAÇÃO DE FERTILIZANTES PROTEGIDOS ? TECNOLOGIA TIMAC AGRO

n° SGP 2306

O objetivo do presente trabalho é contribuir para definição da viabilidade da adubação protegida quando a pastagem perene é submetida à fenação, suportando a produtividade das culturas e a sua vantagem em relação ao adubo convencional desprovido da tecnologia desenvolvida pela Timac Agro. O experimento será instalado em área experimental pertencente ao Instituto de Zootecnia, localizado no município de Nova Odessa/SP, a 528 m de altitude, 22o42’ latitude Sul e 47o18’ longitude Oeste. A precipitação média anual do município é de 1270 mm, sendo que apenas 30% ocorre no período de maio a setembro. O solo da área experimental é classificado como Argissolo de acordo com EMBRAPA (1999). Será realizada análise do solo da área experimental, para descrever suas características químicas (pH, teores de matéria orgânica, hidrogênio, alumínio, fósforo, magnésio, enxofre e potássio) e físicas (textura do solo), para que sejam feitas as correções necessárias (de acordo com Boletim 100 - IAC). Os dados climáticos do período experimental serão registrados no posto meteorológico do Instituto de Zootecnia, Nova Odessa-SP. Será avaliado o efeito da aplicação do fertilizante protegido com tecnologia da Empresa Timac Agro, em parcelas de capim Tifton 85 e Jiggs utilizadas para fenação. O delineamento experimental utilizado será em blocos ao acaso, com parcelas subdivididas, em esquema fatorial 2x3 (cultivares x adubação) e quatro repetições. O tamanho de cada subparcela será de 150 m2 (15 x 10 m). O fator cultivar foi alocado na parcela principal, tendo como tratamentos: capins Tifton 85 e Jiggs; tratamento realizado uma única vez no início do experimento. O fator adubação foi alocado nas subparcelas, tendo como tratamentos: Adubo Timac Agro, Adubo convencional e sem aplicação de adubo. Os capins Tifton 85 e Jiggs serão implantados em faixa. A instalação deverá ocorrer em setembro/outubro de 2019. O primeiro corte das gramíneas deverá ser realizado aproximadamente em 45-60 dias após a instalação do experimento. Os corte subsequentes serão efetuado por volta de 30-40 dias após o primeiro corte. Após a amostragem, o restante das plantas serão cortado e enfardado, tendo-se a entrada normal das máquinas para todas as etapas da fenação. Na ocasião da instalação será avaliada a percentagem de plantas invasoras presentes em cada parcela. Esta avaliação será repetida a cada sete dias até o corte. As amostras para determinação da massa seca total serão obtidas através do corte da forragem (com aparador de cerca viva) contida no interior de quatro armações metálicas de 0,5 x 0,5 m por parcela, ao nível do solo, em pontos onde a altura do dossel seja representativa da média. Após o corte as amostras serão levadas até o laboratório e pesadas para obtenção do peso verde, e delas será retirada uma sub-amostra, que será separada em seus componentes (lâminas foliares, colmos com bainhas das folhas, material morto e invasoras). Todas as amostras serão colocadas em estufa a 65oC por 72 h, e então pesadas. A partir dos valores de peso seco serão calculadas a massa seca total em kg ha-1 e a relação folha/colmo. Após as amostras serem secas em estufa, essas serão moídas em moinho tipo Wiley com peneira de malha de 1 mm, identificadas e armazenadas em sacos plásticos. As análises de composição químico-bromatológicas da matéria seca total das amostras serão realizadas no Laboratório de Bromatologia do Instituto de Zootecnia de Nova Odessa, para a determinação dos teores de macro e micronutrientes, proteína bruta, fibra em detergente neutro (FDN) e digestibilidade “in vitro” da matéria seca (DIVMS).

.

Ver detalhes do projeto

  Waldssimiler Teixeira de Mattos      IZ

APLICAÇÃO DE CALCÁRIO E CONDICIONADOR DE SOLO COM INCORPORAÇÃO OU NÃO NA RECUPERAÇÃO DO CAPIM MARANDU

n° SGP 2304

objetivo do presente trabalho é contribuir para definição da viabilidade da aplicação do calcário juntamente com condicionador de solo – Tecnologia Fertiláqua incorporado ou não no solo para a recuperação da Brachiaria brizantha cv. Marandu em pastos com aspecto de degradação. O experimento será instalado em área experimental pertencente ao Instituto de Zootecnia, localizado no município de Nova Odessa/SP, a 528 m de altitude, 22o42’ latitude Sul e 47o18’ longitude Oeste. A precipitação média anual do município é de 1270 mm, sendo que apenas 30% ocorre no período de maio a setembro. O solo da área experimental é classificado como Argissolo de acordo com EMBRAPA (1999). Será realizada análise do solo da área experimental, para descrever suas características químicas (pH, teores de matéria orgânica, hidrogênio, alumínio, fósforo, magnésio, enxofre e potássio) e físicas (textura do solo). Os dados climáticos do período experimental serão registrados no posto meteorológico do Instituto de Zootecnia, Nova Odessa-SP. Será aO valiado o efeito da aplicação do calcário juntamente com o condicionador de solo (Tecnologia da Empresa Fertiláqua) incorporados ou não no solo, em parcelas de capim Marandu em situação de degradação. O delineamento experimental utilizado será em blocos ao acaso, com parcelas subdivididas, em esquema fatorial 2x2x2 (com/sem calcário x com/sem condicionador de solo x com/sem incorporação) e quatro repetições. O tamanho de cada subparcela será de 60 m2 (6 x 10 m). Os fatores com/sem condicionador de solo e com/sem incorporação foram alocados na parcela principal, tendo como tratamento: com/sem calcário; tratamento realizado uma única vez no início do experimento. A adubação será a mesma para todos os tratamentos de acordo com o Boletim 100 - IAC. Os tratamentos com/sem condicionador de solo e com/sem incorporação serão implantados em faixa. A instalação deverá ocorrer em setembro/outubro de 2019. O primeiro corte das gramíneas deverá ser realizado aproximadamente em 28-35 dias após a instalação do experimento. Os corte subsequentes serão efetuado por volta de 28 dias após o primeiro corte. Após a amostragem, o restante das plantas serão cortadas e a área experimental nivelada, tendo-se a entrada normal das máquinas para todas as etapas. Na ocasião da instalação será avaliada a percentagem de plantas invasoras presentes em cada parcela. As amostras para determinação da massa seca total serão obtidas através do corte da forragem (com aparador de cerca viva) contida no interior de quatro armações metálicas de 0,5 x 0,5 m por parcela, ao nível do solo, em pontos onde a altura do dossel seja representativa da média. Após o corte as amostras serão levadas até o laboratório e pesadas para obtenção do peso verde, e delas será retirada uma sub-amostra, que será separada em seus componentes (lâminas foliares, colmos com bainhas das folhas, material morto e invasoras). Todas as amostras serão colocadas em estufa a 65oC por 72 h, e então pesadas. A partir dos valores de peso seco serão calculadas a massa seca total em kg ha-1 e a relação folha/colmo. Após as amostras serem secas em estufa, essas serão moídas em moinho tipo Wiley com peneira de malha de 1 mm, identificadas e armazenadas em sacos plásticos. As análises de composição químico-bromatológicas da matéria seca total das amostras serão realizadas no Laboratório de Bromatologia do Instituto de Zootecnia de Nova Odessa, para a determinação dos teores de macro e micronutrientes, proteína bruta, fibra em detergente neutro (FDN) e digestibilidade “in vitro” da matéria seca (DIVMS). Para estimativa do teor de clorofila utilizar-se-á do Clorophyll Meter SPAD-502, (Soil-plant Analysis Development Section, Minolta Câmera Co., Osaka Japan). Essa medida será efetuada diretamente (não destrutível) na segunda folha completamente expandida (no sentido do ápice para a base da planta) em torno de 20 dias após a aplicação do produto e novamente aos 20 dias após o primeiro e segundo cortes, no terço médio da lâmina, tomando-se cuidado de evitar a nervura central.

Ver detalhes do projeto

  Waldssimiler Teixeira de Mattos      IZ

Alternativas terapêuticas contra Staphylococcus spp. multirresistentes isolados de mastite bovina

n° SGP 2303

Staphylococcus spp. são microrganismos de grande importância na bovinocultura leiteira mundial. São responsáveis por expressivas perdas produtivas e alterações na composição centesimal do leite. Além disso, são patógenos altamente contagiosos, com baixa resposta aos tratamentos convencionais devido ao alto nível de resistência antimicrobiana e diversidade de fatores de virulência. Sendo assim, a busca por novas moléculas antibacterianas mais seguras e eficazes como alternativas, se faz necessária. Bacteriocinas, peptídeos naturais sintetizados e secretados por bactérias com atividade antibacteriana, e compostos de origem vegetal são fontes promissoras para o desenvolvimento de novas formulações terapêuticas. Sendo assim, o objetivo deste projeto será avaliar a atividade antibacteriana in vitro da bacteriocina nisina e de diferentes óleos essenciais contra cepas de Staphylococcus spp. resistentes planctônicas e em biofilmes, oriundas de mastite bovina e cepas ATCCs, bem como o potencial de sinergismo entre as moléculas, visando o desenvolvimento de formulação alternativa terapêutica. A resistência bacteriana será caracterizada por difusão em disco e por PCR. A produção de biofilmes será determinada fenotipica e genotipicamente. Serão determinadas as concentrações inibitórias/bactericidas mínimas (CIM/CBM) de cada composto e da interação entre eles contra as bactérias planctônicas, em biofilmes e em leite cru. A atividade, in vitro, dos compostos contra as cepas bacterianas será avaliada em função do tempo de interação utilizando curvas de morte (time-kill). O efeito citotóxico das moléculas será avalidada em culturas de células mamárias MAC-T. A interação fisico-química das moléculas será determinada por meio do tamanho e polidispersão e carga de superfície

Ver detalhes do projeto

  Luiz Carlos Roma Junior      IZ

PROSPECÇÃO DA DIVERSIDADE GENÉTICA DE ASPERGILLUS SECTION FLAVI ISOLADOS NO BRASIL

n° SGP 2302

A contaminação de produtos agrícolas com micotoxinas têm sido um problema de âmbito mundial. No Brasil o clima predominantemente tropical favorece o plantio e a produção das mais variadas culturas, mas essas mesmas condições, alta umidade e temperatura, também favorecem de forma substancial o desenvolvimento de fungos e a contaminação por micotoxinas. Dentre os fungos produtores de micotoxinas, os pertencentes ao gênero Aspergillus, em especial à seção Flavi, contemplam as principais espécies produtoras de aflatoxinas, e são considerados como de grande relevância.lConhecer a diversidade de espécies fúngicas responsáveis pela contaminação dos produtos do agronegócio brasileiro com aflatoxinas é preponderante para auxiliar na definição de estratégias de controle.

Ver detalhes do projeto

  Beatriz Thie Iamanaka      ITAL

Effects of natural additives as an alternative to ionophores on intake, digestibility, ruminal parameters, methane emission and performance of beef cattle in feedlot

n° SGP 2300

Feed additives have the potential to improve the of nutrients in ruminants, modifying rumen microbial population and, consequently, fermentation and the digestion process in the rumen, thus, improving feed efficiency of the animal (Mcguffey et al., 2001). Antimicrobial growth promoters (AGP), such as monensin, tylosin, chlortetracycline, and sulfamethazine, are commonly fed subtherapeutically to feedlot beef cattle to improve growth performance and prevent disease (Reti et al., 2013; Thomas et al., 2017; Ran et al. 2020). However, the high risk of developing antimicrobial resistance and the potential health risks to humans consuming animal products with AGP residues or contaminated with resistant zoonotic pathogens are concerns for scientists and the public alike. The European Union and many other countries have banned the use of AGP in animal feed, and the AGP ban may gradually be imposed in more locations worldwide, including North America and China (Ran et al., 2020). Therefore, alternative means of manipulating ruminal microbial population should receive especial attention. Within this context natural additives such as essential oils, saponins and yeast to improve feed efficiency, performance and reduce the methane emission have emerged as potential candidates to be used as alternative to the antibiotics.

Ver detalhes do projeto

  Renata Helena Branco Arnandes      IZ

Efeitos de aditivos naturais a base de tanino sobre a fermentação ruminal de dietas de novilhos terminados em confinamento usando o sistema in vitro ?dual flow continuous culture?

n° SGP 2299

Aditivos alimentares têm o potencial de melhorar a utilização de nutrientes em ruminantes, modificando a população microbiana ruminal e, consequentemente, a fermentação e digestão ruminal, assim melhorando a eficiência produtiva do animal. Um dos mecanismos da melhora da eficiência de utilização de nutrientes por ruminantes envolve a minimização das perdas de energia, o aumento da digestibilidade da dieta e a manipulação da fermentação ruminal em direção à maior produção de propionato e, dessa forma, diminuição da produção de metano no rúmen. O metano oriundo da fermentação ruminal representa uma perda substancial de aproximadamente 2 a 12% da energia bruta oriunda da dieta, visando minimizar essas perdas algumas estratégias são utilizadas para se reduzir a produção ruminal de metano, uma delas é uso de manipuladores da fermentação ruminal, dentre eles os ionóforos. A Monensina é um ionóforo amplamente utilizado como aditivo alimentar e é conhecida por promover a melhoria da eficiência de utilização dos nutrientes, seus efeitos podem ser atribuídos a manipulação de bactérias ruminais gram positivas, o que causa aumento na produção de propionato em relação ao acetato e consequentemente redução na síntese de metano e também de amônia. No entanto, devido a pressão por parte de consumidores, questões de segurança e leis governamentais impuseram restrições ao uso de aditivos sintéticos, como os ionóforos, nas dietas de animais de produção. Um exemplo disso foi a proibição do uso de ionóforos para fins não médicos em animais estabelecida pela legislação da União Européia a partir de janeiro de 2006 (número CE 1831/2003). Portanto, meios alternativos de manipulação da população microbiana ruminal visando o aumento da utilização de nutrientes devem receber atenção especial. Entre eles destacam-se os taninos, os quais são polímeros complexos encontrados naturalmente nas plantas, que podem se complexarem com a proteína do alimento e potencialmente causar a diminuição da degradação da proteína no rúmen e consequentemente diminuição da concentração de amônia no rúmen.  O tanino pode ser encontrado comercialmente, um exemplo disso é o extrato de tanino de Acácia negra (Acacia mearnssi), produto esse que apresenta o potencial de ser utilizado como aditivo alimentar alternativo aos ionóforos na dieta de ruminantes. Com base no exposto, o objetivo desta pesquisa será avaliar os efeitos de aditivos naturais a base de taninos como uma alternativa aos ionóforos sobre: 1) digestão de nutrientes, fermentação ruminal, metabolismo de nitrogênio e síntese de proteínas microbianas usando um sistema in-vitro “Dual Flow Continuous culture”; 2) cinética ruminal de produção de gás, digestibilidade in vitro da matéria orgânica (MO) e produção de metano.

Ver detalhes do projeto

  Renata Helena Branco Arnandes      IZ

Desreguladores endócrinos em fórmulas infantis: um risco oculto na primeira infância?

n° SGP 2294

A exposição na dieta a compostos que possam interferir com as funções do sistema endócrino tem recebido especial atenção nos últimos anos. O sistema endócrino, em conjunto com o sistema nervoso, controla o metabolismo, puberdade, reprodução e comportamento, e através de um padrão de expressão regulado pelo desenvolvimento, coordena a proliferação e diferenciação celular e o desenvolvimento dos órgãos, assim, alterações nas funções endócrinas durante o pós-natal e amamentação resultam em um maior potencial para os efeitos adversos à saúde em longo prazo. Portanto, a avaliação da exposição aos desreguladores endócrinos durante os primeiros anos de vida torna-se de suma relevância para a saúde pública. Nesse contexto, o objetivo principal do presente projeto de pesquisa é avaliar os níveis de compostos com evidencia in vivo e/ou in vitro de atividade desreguladora endócrina em amostras de fórmula infantil comercializadas no Brasil, incluindo contaminantes ambientais e de processamento e, compostos provenientes de materiais de embalagens e agrotóxicos específicos. Para isso, novos métodos analíticos inseridos no contexto de “química verde” serão desenvolvidos empregando técnicas de preparo de amostra miniaturizadas e técnicas cromatográficas hifenadas (líquida e gasosa) acopladas à espectrometria de massas. Ademais, estimativas de ingestão serão calculadas com base nos níveis de ocorrência dos compostos investigados e as necessidades energéticas diárias e padrões de crescimento infantil da Organização Mundial da Saúde.

Ver detalhes do projeto

  Silvia Amélia Verdiani Tfouni      ITAL
  Sobre

O SGP (Sistema de Gestão de Pesquisa) foi implementado em todas as unidades APTA, para centralizar o controle de todos os projetos desenvolvidos sob sua supervisão. [Ler mais]

Endereço APTA – São Paulo

Praça Ramos de Azevedo, 254, 2º andar - República, São Paulo - SP

Fone : (11) 5067-0447 e 5067-0427

  Endereço APTA – Campinas

Avenida Barão de Itapura, 1481 - Botafogo, Campinas - SP

Fone : (19) 2137-8930