Projetos APTA em todas as unidades, todos os centros

Página Inicial / Busca de Projetos

827 projetos ativos encontrados - pág. 1 de 28

ESTUDOS SOBRE VÍRUS QUE INFECTAM FUNGOS FITOPATOGÊNICOS

n° SGP 1968

Rhizoctoniose de gramados, causada pelo fungo cosmopolita Rhizoctonia solani, internacionalmente denominada “large patch”, é uma doença comum e severa que ocorre em Zoyzia japonica, (grama Esmeralda), em todas as regiões onde é cultivada.  No Brasil, grama Esmeralda corresponde a 74% da grama comercializada e a doença está sempre presente nos períodos de temperaturas amenas, sob condições de umidade.  R. solani é um complexo de espécies, dividido em grupos e sub-grupos de compatibilidade somática variada (grupos de anastomose).   R. solani é um dos fungos fitopatogênicos parasitados por micovirus. Micovírus são vírus que se replicam em células de fungos.  Como os fungos, durante grande parte de seus ciclos de vida, produzem muitos tipos de esporos e trocam material citoplasmático na fusão de hifas vegetativamente compatíveis, os micovírus, parasitas obrigatórios, tiveram sua disseminação e dispersão garantidas. Representantes de micovírus encontram-se em todos os filos de fungos verdadeiros e também nos gêneros Pythium e Phytophthora de oomicetos, e já foram relatados em cogumelos comestíveis,  em leveduras, em fungos de importância médica, em fungos entomopatogêncios, em fungos endofíticos e em muitos fungos fitopatogêncos).   R. solani é um dos fungos fitopatogênicos parasitados por micovirus. Rhizoctoniose de gramados, causada pelo fungo cosmopolita Rhizoctonia solani, internacionalmente denominada “large patch”, é uma doença comum e severa que ocorre em Zoyzia japonica, (grama Esmeralda), em todos as regiões onde é cultivada.  No Brasil, grama Esmeralda corresponde a 74% da grama comercializada e a doença está sempre presente nos períodos de temperaturas amenas, sob condições de umidade.  R. solani é um complexo de espécies, dividido em grupos e sub-grupos de compatibilidade somática variada (grupos de anastomose).   R. solani encontra-se entre os fungos fitopatogênicos parasitados por micovirus, cuja hipovirulência, modulada pela espécie M2, pertencente ao gênero Mitovirus, foi relatada em isolados do fungo que causam doença em batata. Para identificar e caracterizar R. solani em grama Esmeralda, será empregado o isolamento direto e a preservação em tiras de papel filtro e para a detecção da presença de micovírus que poderiam estar relacionados à virulência deste fungo, será empregado o método de cromatografia em celulose não iônica. O presente projeto tem o objetivo de identificar e caracterizar isolados de R. solani  em amostras de grama Esmeralda coletadas nos municípios de São Paulo, Cotia, Bragança Paulista, Ilhabela e Itapetininga e também, detectar e identificar micovírus que podem ocorrer nestes isolados e que podem estar relacionados à virulência do fungo.

Ver detalhes do projeto

  Addolorata Colariccio      IB

Modificação das propriedades físicas e térmicas da manteiga de cacau

n° SGP 1964

Dentre as matérias-primas que compõem o chocolate, a manteiga de cacau é uma das mais importantes. Representa a fase contínua do produto, servindo de matriz dispersante para as partículas sólidas de cacau, açúcar e leite, sendo responsável por diversas características de qualidade no produto final como dureza e quebra à temperatura ambiente (snap), completa fusão na boca, contração durante o desmolde, brilho e rápido desprendimento de aroma e sabor na degustação. É também uma das matérias-primas mais caras, podendo participar com 28 a 40% da composição, correspondendo de 25 a 36% do custo do produto acabado.  É sabido que algumas manteigas de cacau apresentam propriedades físicas indesejáveis, sobretudo devido à sua baixa curva de sólidos, tornando-o chocolate macio e reduzindo o seu valor comercial. O objetivo central desta pesquisa é estudar técnicas capazes de modificar a manteiga de cacau e melhorar as suas propriedades físicas e térmicas. 

 

Ver detalhes do projeto

  valdecir luccas      ITAL

Estudo da relação entre o comportamento tixotrópico e a capacidade de recomposição da viscosidade de fluidos não newtonianos

n° SGP 1961

A determinação dos parâmetros reológicos dos fluidos é um dos requisitos para os cálculos de dimensionamentos de linhas de processamento, equipamentos de bombeamento e troca térmica, influenciando diretamente no cálculo das perdas por atrito, e, portanto, na potência requerida por um sistema de bombeamento. A tixotropia está relacionada com a capacidade do produto exibir baixa viscosidade em função do cisalhamento, e sua habilidade de ter sua estrutura restabelecida em um curto período de tempo. Uma maneira de quantificar a tixotropia de um fluido é calcular a histerese, que é a diferença entre as áreas abaixo das curvas ascendente e descendente dos valores de taxa de deformação em função da tensão de cisalhamento. Entretanto, pouco se sabe sobre a correlação de valores de histerese com a capacidade de recuperação da viscosidade dos fluidos após o mesmo ser submetido à um período de cisalhamento, e consequentemente recomposição de sua estrutura. Dentro deste contexto, esse trabalho propõe um aprofundamento do entendimento do comportamento tixotrópico de fluidos através do estudo da relação entre valores de histerese e de recomposição da viscosidade de fluidos não-Newtonianos após o cisalhamento

Ver detalhes do projeto

  Maria Isabel Berto      ITAL

Avaliação do desempenho ambiental da produção de leite oriunda de agroindústrias familiares

n° SGP 1960

      Sabe-se que o setor de leite e derivados oriundo de agroindústrias familiares tem expressiva participação no Estado de São Paulo. O leite é um alimento rico nutricionalmente, grandemente consumido desde a primeira infância, sob sua forma crua ou processada, como queijos, iogurtes, leite em pó, entre outros. Dada a representatividade e importância da produção de leite no país e no Estado de São Paulo, o objetivo deste estudo é mensurar as interfaces ambientais da produção de leite produzido em agroindústrias paulistas, preocupação que afeta todos os setores produtivos, desafiados pelas mudanças climáticas a tornarem-se mais eficientes. Este estudo será conduzido através da utilização de princípios da ferramenta de Avaliação de Ciclo de Vida, que tem como fundamento mensurar os impactos de um determinado produto ou processo, desde suas matérias primas básicas de fabricação até o fim do uso, para caracterização dos perfis ambientais desse setor, relativas principalmente, ao uso de energia, água, e produção de resíduos. 

Ver detalhes do projeto

  Anna Lucia Mourad      ITAL

Aproveitamento Integral de subprodutos da extração de óleo de matrizes oleaginosas

n° SGP 1949

Este trabalho propõe um processo de utilização integral de todas as partes que compõe as matrizes oleaginosas, resultantes da extração do óleo. O delineamento tecnológico consiste no processamento e isolamento de frações com diferentes características para destinações apropriadas, permitindo a obtenção de novos produtos ou ingredientes alimentares. Para tal, o estudo propõe três matrizes: o palmiste, a castanha de caju quebrada e o girassol, cujo setor se encontra em expansão. De acordo com as características da matriz serão utilizados diferentes processos tecnológicos. Para a matriz girassol serão utilizadas diferentes soluções para recuperação dos compostos fenólicos, antes da extração proteica. Para o farelo de palmiste empregado um processo hidrolítico  para aumentar a extração da proteína e para a castanha extração proteica com solução alcalina. A água utilizada no processo será recuperada para reuso pela técnica de ultrafiltração. Separada e concentrada a proteína resultará a fração fibrosa para todas as matrizes. A seguir as frações serão caracterizadas quanto as suas propriedades nutritivas, tecnológicas e bioativas para serem destinadas para elaboração de novos produtos e ingredientes alimentares, visando à obtenção de produtos saudáveis e inovadores.Este trabalho propõe um processo de utilização integral de todas as partes que compõe as matrizes oleaginosas, resultantes da extração do óleo. O delineamento tecnológico consiste no processamento e isolamento de frações com diferentes características para destinações apropriadas, permitindo a obtenção de novos produtos ou ingredientes alimentares. Para tal, o estudo propõe três matrizes: o palmiste, a castanha de caju quebrada e o girassol, cujo setor se encontra em expansão. De acordo com as características da matriz serão utilizados diferentes processos tecnológicos. Para a matriz girassol serão utilizadas diferentes soluções para recuperação dos compostos fenólicos, antes da extração proteica. Para o farelo de palmiste empregado um processo hidrolítico  para aumentar a extração da proteína e para a castanha extração proteica com solução alcalina. A água utilizada no processo será recuperada para reuso pela técnica de ultrafiltração. Separada e concentrada a proteína resultará a fração fibrosa para todas as matrizes. A seguir as frações serão caracterizadas quanto as suas propriedades nutritivas, tecnológicas e bioativas para serem destinadas para elaboração de novos produtos e ingredientes alimentares, visando à obtenção de produtos saudáveis e inovadores.

Ver detalhes do projeto

  Maria Teresa Bertoldo Pacheco      ITAL

Desenvolvimento de protocolo de cultivo do mero Epinephelus itajara (Lichtenstein, 1822)?

n° SGP 1940

O desenvolvimento da piscicultura marinha através do cultivo de espécies ameaçadas pode contribuir como um instrumento estratégico para a conservação, além de ser uma alternativa para fomentar oportunidades de agronegócios, beneficiando a expansão da produção e a geração de emprego e de renda para comunidades litorâneas. No caso do mero Epinephelus itajara (Lichtenstein, 1822), entretanto, não existem muitas informações sobre sua manutenção em cativeiro. Este tem sido um dos maiores desafios enfrentados pelo Instituto de Pesca e por diversos Aquários Públicos do Brasil. Não são conhecidas suas características hematológicas (que podem indicar seu estado de saúde ou de stress), pouco se sabe sobre os fatores bióticos e abióticos ideais para sua manutenção em tanques e é totalmente desconhecida a dieta ideal para seu crescimento em cativeiro. Esta ausência de informações gera um alta taxa de mortalidade nos exemplares mantidos em tanques, notadamente nos Aquários Públicos, impedindo que o grande público possa ter contato com a espécie e que sejam desenvolvidas atividades de educação ambiental nestes ambientes. O objetivo deste projeto de pesquisa é ampliar o conhecimento sobre a manutenção do mero Epinephelus itajara em cativeiro, contribuindo para adoção de práticas de bem estar animal nos empreendimentos que mantém esta espécie em cativeiro. Para isto serão realizados experimentos de caracterização hematológica e estudos de variáveis bióticas (presença de abrigos e outras espécies de peixes) e abióticas (salinidade e temperatura) para a manutenção do mero em sistema de recirculação de água salgada. Paralelamente serão investigadas as  condições em que são mantidos os meros em Aquários Públicos visando definir um protocolo de manutenção desta espécie. Atualmente esta espécie se apresenta como um desafio para a comunidade científica. Após vasta pesquisa na literatura existente, não foi possível identificar nenhum trabalho científico relatando os parâmetros ideais para manutenção do mero em cativeiro. O desenvolvimento de um protocolo de manutenção em cativeiro para esta espécie permitirá a adoção de práticas de bem estar animal, contribuindo para ampliação do conhecimento sobre esta espécie ameaçada e reduzindo a mortalidade dos exemplares expostos ao público.

Ver detalhes do projeto

  Eduardo Gomes Sanches      IP

Estratégia inovadora em microencapsulação para inserção de ingredientes funcionais em alimentos processados

n° SGP 1932

Os ácidos graxos ômega-3 e ômega-6 exercem inúmeros efeitos positivos sobre diferentes aspectos fisiológicos e do metabolismo. No entanto, a alta instabilidade dos ácidos graxos poli-insaturados é o grande desafio para sua aplicação em produtos alimentícios. O objetivo desta pesquisa é utilizar uma alternativa acessível que viabilize a incorporação dos ácidos graxos ômega-3 e 6 em alimentos processados, a fim de contribuir para a ingestão equilibrada destas substâncias funcionais pela população. Para tanto, será utilizada uma estratégia inovadora, ou seja, uso de métodos combinados de microencapsulação (spray drying e spray chilling). Serão utilizados como fonte do ômega-3 o óleo de peixe (EPA e DHA) e como fonte de ômega-3 (ALA)/ômega-6 (LA) o óleo da amêndoa da sacha inchi. As micropartículas obtidas serão caracterizadas, terão sua estabilidade estudada e os melhores resultados serão aplicados em produtos alimentícios para que possam ser avaliadas sua aceitação sensorial.

Ver detalhes do projeto

  Ana Lúcia Fadini      ITAL

Articulação e organização de estratégias e ações de extensão do IEA

n° SGP 1927

Esse projeto-atividade tem por objetivo estruturar e disponibilizar a oferta de mecanismos de promoção das atividades de extensão do Instituto de Economia Agrícola (IEA), visando a maior interação com a sociedade, especialmente, para a formação de pessoas. Dessa forma, serão organizados e minstrados cursos de curta duração, de conteúdo teórico conceitual e aplicado, relacionado à agricultura. Para tanto, a elaboração dos cursos toma como base a organização dos cursos por meio de módulos, sendo, preferencialmente, inclusos conteúdos teóricos e conceituais no módulo inicial e na sequencia os módulos destinados às aulas práticas. A edição de cursos junto às dependências do IEA soma-se aos outros mecanismos de transferência do conhecimento mantidos e em estruturação pela Instituição, a exemplo, das parcerias com organizações de ensino e pesquisa, certificadoras, cooperativas e associações, visando a construção de ações conjuntas voltadas à capacitação, pesquisa e compartilhamento de infraestrutura, tecnologias e instrumentos tecnico-científicos. 

Ver detalhes do projeto

  Renata Martins Sampaio      IEA

Emprego de extratos e óleos essenciais obtidos de resíduos de frutas como conservantes naturais em queijo Petit Suisse

n° SGP 1926

Este trabalho visa avaliar a inclusão de extratos e óleos essenciais obtidos de cascas de frutas, como conservantes naturais em queijo petit suisse. Os extratos e/ou óleos ou suas misturas (blendas) mais ativas contra diferentes espécies de leveduras e lactobacilos serão avaliadas como conservantes no preparado de frutas, que em seguida será adicionado em queijo petit suisse, em comparação ao sorbato de potássio.

Ver detalhes do projeto

  Patricia Blumer Zacarchenco Rodrigues de Sá      ITAL

Avaliação da durabilidade química de frascos de vidro tipo I

n° SGP 1923

Os frascos de vidro de borossilicato, também denominados frascos tipo I, destinados ao acondicionamento de produtos injetáveis de uso parenteral apresentam um histórico de sucesso como material de embalagem seguro e eficaz na proteção das características do medicamento. Nos últimos anos foi observado um aumento significativo no número de “recalls” de produtos de uso parenteral, devido à presença de partículas de vidro, fenômeno este denominado por “delaminação do vidro”. Mesmo considerados um material de elevada estabilidade química, os frascos de vidro tipo I são susceptíveis à ocorrência de ataque químico sob certas condições favoráveis e, assim, o presente estudo tem como objetivo avaliar a alcalinidade e durabilidade química dessas embalagens, visando correlacionar o potencial de ocorrência de delaminação ao processo produtivo/composição química da embalagem, à capacidade volumétrica e à utilização de tratamentos superficiais.

 

Ver detalhes do projeto

  Sandra Balan Mendoza Jaime      ITAL

Ampliação da divulgação dos estudos realizados pela Plataforma de Inovação Tecnológica do ITAL

n° SGP 1920

Há no Brasil uma carência muito grande de estudos de tendência para a área de alimentos e bebidas. Além disso, o país não dispõe de um plano nacional de desenvolvimento para o setor, a exemplo do que acontece em outros países como Canadá, Austrália e Irlanda. Embora os estudos da série trends 2020 da Plataforma de Inovação Tecnológica tenham como uma de suas finalidades suprir tais lacunas, verificou-se a necessidade de ampliar sua forma de divulgação, hoje realizada com a distribuição de cópias físicas e a disponibilização na internet, ambas gratuitas. Será dada ênfase especial em fazer um contraponto ao movimento contrário ao consumo de alimentos e bebidas industrializados, utilizando-se para tanto informações respaldadas pela ciência e tecnologia de alimentos. Além da ampliação da divulgação, será criado um site, por tratar-se de uma forma de comunicação que atinge a sociedade como um todo e não apenas especialistas da área.

Ver detalhes do projeto

  Luis Fernando Ceribelli Madi      ITAL

Criação de Pangasius hypotalamus com diferentes teores de proteína bruta. Viabilidade técnica, econômica e avaliação de enfermidades?

n° SGP 1913

O Pangasius hypotalus, popularmente conhecido como panga que já esta sendo produzido  no Brasil , no entanto na literatura não se encontram dados científicos nacionais. Os coeficientes  técnicos e econômicos são dados importantes para  o bom desempenho zootécnico e produção responsável de peixe.Para avaliação da  viabilidade técnica, econômica e sanitária da produção do Panga. Inicialmente  será estudada a melhor densidade de estocagem 200, 300 e 400 alevinos m-3  ate os peixes atingirem 100 g de peso médio. A partir de 100 g de peso medio, os peixes serão redistribuídos nos tanques-rede e será iniciado novo ensaio onde será avaliado o melhor teor de proteína bruta da ração. A proteína é o nutriente de maior custo na ração de peixes, portanto é necessário conhecer a concentração proteica ideal para cada espécie e a situação de criação, com o objetivo de obter bom desempenho zootécnico, minimizar o custo, bem como, a descarga de nitrogênio no ambiente de criação. O objetivo deste trabalho é avaliar  a viabilidade técnica econômica e sanitária da produção de Pangasius hypotalus .

 

Ver detalhes do projeto

  Celia Maria Doria Frascá Scorvo      Apta Regional

Estudo das propriedades das estruturas de parede na microencapsulação de compostos hidrofóbicos por spray drying

n° SGP 1910

Para contornar alguns dos problemas associados da incorporação de substâncias com propriedades funcionais de saúde em matrizes alimentícias, a microencapsulação, com suas funções de proteção e liberação controlada, pode ser uma alternativa eficiente. O projeto pretende gerar informações mais objetivas sobre as características das matrizes (parede) formadas na microencapsulação de compostos hidrofóbicos pelo processo de spray drying.  O projeto inicia uma cooperação entre o Labobatório de Produção e Caracterização de Partículas (Centro de Tecnologia de Cereais e Chocolates - ITAL), o Departamento de Engenharia de Alimentos da Faculdade de Engenharia de Alimentos (UNICAMP) e o Departamento de Ciência de Alimentos e Nutrição da Universidade de Minnesota (USA).

 

 

Ver detalhes do projeto

  Izabela Dutra Alvim      ITAL

Métodos alternativos qualitativos para detecção de Listeria monocytogenes em carnes e produtos cárneos

n° SGP 1901

Este projeto tem por finalidade o estudo de técnica moleculares para o desenvolivmento de uma  ferramenta a ser utilizada para a detecção e identificação de Litseria monocytoenes em carnes e produtos cárneos. Esta bactéria é um patógeno de grande interesse em produtos de origem animal. Será desenvolvida uma técnica de Reação em Cadeia de Polimerase (PCR) para a detecção deste patógeno em carnes e produtos cárneos. Desta forma, serão selecionadas, obtidas e cultivadas cepas pertencentes ao gênero Listeria e a outros gruposde microrganismos competidos que serão usados nos testes. Serão conduzidos testes de otimização da metodologia da extração do DNA, assim como da técnica de PC e do método cultural de L. monocytogenes serão realizados. Será determinado o limite de sensibilidade e de  seletividade do método em meio e cultura e em matriz cárnea e, serão realizados testes de detecção desta bactéria em amostras comerciais e de carnes e produtos cárneos.   

Ver detalhes do projeto

  Renata Bromberg      ITAL

Ocorrência de Micobacterium spp e Francisella spp em doença granulomatosa píscea na aquicultura criatória e silvestre paulista. Implementação de técnicas diagnósticas.

n° SGP 1899

O projeto abrangerá o estudo de doenças granulomatosas provocadas pelas bactérias Micobacterium spp e Francisella spp e que têm graves implicações em Saúde Animal, Saúde Pública e no Agronegócio. São escassos os trabalhos em nosso meio que visaram detectá-los e caracterizá-los em maior amplitude. Será desenvolvido em estudos com o propósito de implantar técnicas diagnósticas e verificar a ocorrência dessas bactérias em aquiculturas criatórias (estudo 1), animais de água doce silvestres do Estado de São Paulo(estudo 2) e em materiais arquivados no nosso laboratório (estudo 3). Nesse sentido, pretende-se determinar a ocorrência das amostras circulantes dessas bactérias a partir de fragmentos de órgãos oriundos do estudo1, estudo2 e estudo3 do Estado de São Paulo, mediante o emprego da reação da Hibridização in situ (IHS), Imunoistoquimica (IHQ), Microscopia optica (MO) (H&E e Ziehl Nielsen ou Fite-Faraco), Microscopia Eletrônica (ME) de contrastação negativa e ME com imunomarcação com ouro coloidal. Os resultados obtidos contribuirão para o entendimento da epidemiologia das doenças granulomatosas písceas, principalmente no tocante ao delineamento de medidas profiláticas mais efetivas como, por exemplo, a imunoprofilaxia, aprimoramento de ações de vigilância e fornecimento de informações acerca de suas relações com outras espécies animais.

 

 

Ver detalhes do projeto

  Ana Maria Cristina Rebello Pinto da Fonseca Martins      IB

ANÁLISE DO DESEMPENHO PRODUTIVO DE DUAS LINHAGENS DE LAMBARIS DO GÊNERO AstyanaxBAIRD& GIRARD, 1854 (TELEOSTEI: CHARACIFORMES: CHARACIDAE)

n° SGP 1886

O sistema de cultivo em tanques escavados em terra ou viveiros tem sido empregado há muito tempo. Porém, a piscicultura desenvolvida em tanques-rede é uma modalidade que vem apresentando forte crescimento nos últimos anos (MPA, 2015).A criação de peixes confinados em tanques-rede visa à produção com alta produtividade e no menor tempo possível, pois permite uma densidade volumétrica muito maior que as outras modalidades. Neste sistema, há economia de água, o manejo é mais fácil e os custos são menores. Outra vantagem é que os tanques-rede também podem ser colocados dentro de viveiros escavados de forma a otimizar o restante do espaço para a produção de outras espécies consorciadas, maximizando a produtividade total e os lucros.

O suporte financeiro para realização das pesquisas científicas será feito pelo Prof. Dr. Miguel Petrere Junior ligado a Universidade Federal de São Carlos, Centro de Ciências e Tecnologias para a Sustentabilidade, Campus Sorocaba, Programa de Pós-Graduação em Planejamento e Uso de Recursos Renováveis, mediante a termo de compromisso anexo.

 

Ver detalhes do projeto

  Sergio Henrique Canello Schalch      Apta Regional / IP

Avaliação da densidade larval e manutenção de mexilhão-dourado em laboratório

n° SGP 1885

O mexilhão-dourado é uma espécie originária da Ásia com características de espécie invasora. No Brasil, sua dispersão estende-se pelos ecossistemas aquáticos das regiões sul, sudeste, centro-oeste e nordeste. Nos tanques-rede instalados em reservatórios, as larvas do molusco se fixam às telas e as colônias formadas causam a oclusão das malhas, reduzindo a oxigenação e a eliminação de resíduos, portanto, a qualidade da água e a capacidade de suporte das estruturas de cultivo. A limpeza frequente dos tanques-rede incrustados promove impactos econômicos. Objetiva-se nesse trabalho identificar os picos de reprodução do mexilhão-dourado, por meio da determinação da densidade de larvas do tipo D (véliger de charneira reta, umbonada e plantígrada) presentes na coluna d’água de piscicultura localizada no reservatório Chavantes, rio Paranapanema (SP/PR). Mensalmente, entre janeiro e dezembro de 2018, serão coletadas quatro amostras de plâncton na profundidade de 1,5 a 2,0 m da coluna d’água, utilizando-se bomba de sucção e rede com abertura de 40 µm de abertura. Serão filtrados 1000 litros de água, concentrados em frascos de 150 mL, aos quais será adicionado álcool 70% para fixação das larvas. Em laboratório, a determinação da densidade e a identificação dos estágios larvais serão realizadas sob microscópio estereoscópico modelo EK4.2SB/ST (80X). Paralelamente, em campo, serão determinados temperatura, pH, condutividade elétrica, turbidez e oxigênio dissolvido a cada 0,5 metro da coluna d’água com o equipamento multiparamétrico da marca Horiba modelo U-52 e coletadas amostras na superfície para determinação de clorofila-a. Pretende-se ampliar o conhecimento sobre os picos reprodutivos e os estágios larvais do mexilhão-dourado em nossas condições para subsidiar estudos futuros e ações de mitigação do impacto dessa bioinvasão nas pisciculturas.

Ver detalhes do projeto

  DAERCY MARIA MONTEIRO DE REZENDE AYROZA      IP

Resistência de ácaros fitófagos (Tetranychus urticae) e predadores (Phytoseiulus macropilis) a acaricidas e estratégias de manejo de ácaros-praga com uso de ácaros predadores (Phytoseiidae) em ornamentais e citros

n° SGP 1884

Um dos fatores que dificultam a produção e a comercialização de diversas culturas agrícolas de importância econômica no Brasil é o ataque de diversas espécies de ácaros-praga, com destaque para os ácaros das famílias Tetranychidae (ex.: Tetranychus, Panonychus) e Tenuipalpidae (ex.: Brevipalpus). O ácaro-rajado, Tetranychus urticae Koch (Acari: Tetranychidae), causa sérios prejuízos em diversas culturas, incluindo morango, mamão, pêssego, uva, feijão, algodão, rosa, crisântemo, gérbera, orquídea, entre outras, no País. Os ácaros Brevipalpus spp. (Acari: Tenuipalpidae) são considerados pragas-chave de culturas como citros, café, diversas fruteiras e ornamentais, e estão associados à transmissão de várias viroses, incluindo o vírus da leprose dos citros (Citrus leprosis virus - CiLV) e o da mancha angular do cafeeiro (Coffee ringspot virus - CoRSV). Os ácaros predadores da família Phytoseiidae são considerados os principais inimigos naturais de ácaros-praga de importância agrícola. Um dos sérios problemas enfrentados pelos agricultores tem sido a dificuldade para o controle de ácaros-praga através do uso de agroquímicos. O desequilíbrio biológico causado pela eliminação de inimigos naturais e o rápido desenvolvimento de resistência dessas pragas aos acaricidas estão entre as principais razões para essa dificuldade de controle. O objetivo geral do projeto é obter subsídios para o estabelecimento de programas de manejo de ácaros-praga (Tetranychidae, Tenuipalpidae) em diversas culturas, com ênfase em ornamentais e citros. Os objetivos específicos são: 1) estudar a resistência de T. urticae a acaricidas, em várias culturas de importância econômica; 2) estudar a resistência de ácaros predadores, principalmente Phytoseiulus macropilis (Banks), a acaricidas (incluindo estudos de caracterização bioquímica e molecular da resistência, com análise de transcriptoma em linhagens S e R de P. macropilis); 3) avaliar o efeito de agroquímicos, produtos naturais (extratos de plantas) e entomopatógenos (fungos, bactérias) sobre ácaros fitófagos (T. urticae, Brevipalpus yothersi, Brevipalpus papayensis) e predadores (Neoseiulus transversus, Neoseiulus californicus, Euseius citrifolius); 4) avaliar estratégias de manejo de ácaros-praga nas culturas de gérbera, orquídea e citros, incluindo a liberação de ácaros predadores (Phytoseiidae) para o controle biológico de ácaros-praga.

 

Ver detalhes do projeto

  Mário Eidi Sato      IB

Ácaros associados a cultura da macadâmia no estado de São Paulo

n° SGP 1883

Os levantamentos serão conduzidos na região de Dois Corregos, Bocaina, Campinas, Ribeirão Preto SP e Guaxupé MG.  Serao amostrados Folhas e inflorescencia a cada dois meses durante o período de 4 anos. As amostras serão avaliadas no laboratório de Acarologia do Centro Experimental Central do Instituto Biologico em Campinas SP. Os ácaros predadores e pragas serao quantificados e identificados pelo Doutor Andre L. Matioli.

Ver detalhes do projeto

  Andre Luis Matioli      IB

Estudo do teor total, bioacessibilidade e estimativa de ingestão de alumínio em alimentos infantis

n° SGP 1870

O alumínio é o terceiro elemento em abundância na crosta terrestre (8%) e o primeiro entre os metais. Pode ser encontrado em medicamentos, bebidas e alimentos como resultado de sua ocorrência natural no ambiente, contaminação por fontes industriais, ou ainda devido à sua ampla utilização como componentes de aditivos alimentares. Trabalhos recentes têm relatado a presença de alumínio em alimentos infantis e revelam que quando ingerido pode se acumular na mucosa intestinal podendo afetar o sistema reprodutivo e o desenvolvimento cerebral. Devido a esta possibilidade de contaminação, serão realizados ensaios de bioacessibilidade in vitro do alumínio presente em alimentos destinados a lactentes para a avaliação da fração dialisável deste contaminante inorgânico no trato gastrointestinal. A ingestão deste contaminante através da dieta também será avaliada de forma a verificar a segurança dos alimentos infantis disponíveis comercialmente. As concentrações de alumínio serão determinadas através da técnica de espectrometria de emissão atômica com fonte de plasma indutivamente acoplado (ICP OES) e os ensaios de bioacessibilidade baseados em métodos de diálise por membrana. Este estudo é inédito no país e de grande importância para a saúde pública visto que o contaminante inorgânico alumínio possui caráter acumulativo podendo ser tóxico aos recém-nascidos e às crianças.

 

 

 

Ver detalhes do projeto

  Marcelo Antonio Morgano      ITAL

Estruturas e dimensões do agronegócio no PIB Paulista e seus recortes regionais

n° SGP 1864

O Instituto de Economia Agrícola (IEA) e a Fundação Sistema Estadual de Análise de Dados (SEADE) se propõem a construir e calcular o Produto Interno Bruto (PIB), integrado ao Sistema de Contas Regionais, sobre o agronegócio no Estado de São Paulo.  Os resultados alcançados serão passíveis de comparação e o intervalo de apresentação de resultados e de análise mais curtos, pois a dinâmica econômica de setores e de regiões exige essas ações. A proposta metodológica para o cálculo do PIB do agronegócio paulista tem como referência as normas e conceitos utilizados pelo IBGE e órgãos estaduais de estatística, nos cálculos das contas nacionais e regionais.

Ver detalhes do projeto

  Denise Viani Caser      IEA

Desenvolvimento de variedades transgênicas de cana-energia

n° SGP 1850

A cana-energia surgiu como uma alternativa para a produção de etanol. A biomassa lignocelulósica da cana-energia fornece matéria prima para a produção de etanol de segunda geração (2G), ou etanol celulósico, e cogeração de energia. Desta forma vem sendo desenvolvidas, em programas de melhoramento genético tradicional, cultivares de cana com características específicas para a produção de biomassa. Atualmente a transgenia é considerada uma ferramenta de grande valia para o melhoramento de cana. Dentre as características do processo de transgenia, podemos destacar principalmente a inserção direta de genes de interesse, permitindo assim a aquisição de uma característica desejada sem que haja a cotransferência de características indesejadas a partir dos parentais, como ocorre no processo de melhoramento tradicional. Dentre as principais características de interesse econômico a serem inseridas na cana, destacam-se o aumento na qualidade e na produtividade da biomassa, a resistência/tolerância a herbicidas, a resistência a estresses bióticos (insetos, pragas e fungos) e abióticos (salinidade, frio e seca). O objetivo do presente projeto é o desenvolvimento de cultivares de cana-energia transgênicas que apresentam genes envolvidos com o aumento e qualidade da biomassa. Os genes de interesse são relacionados a síntese de componentes da parede celular e foram previamente identificados em projetos anteriores. Este projeto contribuirá para a capacitação de recursos humanos e o desenvolvimento de uma plataforma de produção em grande escala de plantas de cana transgênica que poderão ser utilizados no Programa Cana do Centro de Cana/IAC.

Ver detalhes do projeto

  Silvana Aparecida Creste Dias de Souza      IAC

Rações suplementadas com minerais orgânicos e inorgânicos para tilápia do Nilo, Oreochromis niloticus durante a fase reprodutiva

n° SGP 1849

Estudos com microminerais têm sido desenvolvidos com a finalidade de garantir melhor absorção desses nutrientes no trato intestinal dos peixes, sem entrar no processo de competição iônica, normalmente determinada pela presença de maior concentração de íons minerais. Esse estudo tem por objetivo avaliar a substituição de minerais (selênio, zinco, ferro, cobre e manganês) inorgânicos por suas formas orgânicas em diferentes percentuais (0; 33; 66 e 100%) em rações para diferentes fases de desenvolvimento durante o ciclo de vida da tilápia do Nilo (Fase 1. Juvenil; Fase 2. Reprodutora na 1º Maturação Gonadal; Fase 2.1 – Larval). As rações serão formuladas de acordo com as exigências nutricionais de cada fase, com distinção apenas no percentual e formas de minerais a serem suplementados em cada, sendo: T1 - 0% minerais (controle), T2 – 33% minerais orgânicos, T3 – 66% de minerais orgânicos, T4 100% de minerais orgânicos e T5 100% minerais inorgânicos. Nas distintas fases serão avaliados parâmetros zootécnicos, reprodutivos, enzimáticos, histológicos, sanguíneos e concentração de minerais em vértebra, carcaça e ovos. Os resultados serão submetidos às análises estatísticas que melhor se ajustarem ao modelo experimental. Espera-se com o desenvolvimento do presente trabalho atender a demanda existente da iniciativa privada de uma ração suplementada com minerais adequadas, aumentando a produção de ovos e larvas, proporcionando melhorias no desenvolvimento dos animais, consequentemente, otimizando custo e benefício.

Ver detalhes do projeto

  Giovani Sampaio Gonçalves      IP

Influência da embalagem em desenvolvimento de alimentos inovadores: estabilidade de chocolate ao leite adicionado de fibras higrosccópicas

n° SGP 1848

O objetivo geral desse trabalho é avaliar qual tipo de a embalagem é mais adequada para o acondicionamento de um chocolate funcional contendo fibras higroscópicas.

Especificamente, os objetivos são de:

• Incorporar fibras em chocolate visando a obtenção de um produto com alegação de “’fonte de fibras’’ ou “alto conteúdo de fibras”.

• Avaliar o melhor tipo de embalagem para preservação das características adequadas do chocolate, contendo fibras higroscópicas, minimizando a interação do produto com o ambiente externo (absorção de umidade).

Ver detalhes do projeto

  Rosa Maria Vercelino Alves      ITAL

Influência da embalagem na estabilidade de chocolate ao leite adicionado de fibras higroscópicas

n° SGP 1847

Este estudo tem como objetivo estudar a influência do material de embalagem na preservação da qualidade de um chocolate funcional contendo fibras higroscópicas. Por isso será avaliado a incorporação de inulina e/ou FOS adequando a formulação básica de chocolate ao leite e acondicionando o produto em materiais de embalagem com barreiras ao vapor d´água diferenciadas. Os produtos embalados serão estocados em câmara a 25ºC/75%UR e será acompanhado alguns aspectos físicos e químicos do produto e das embalagens.Este estudo tem como objetivo estudar a influência do material de embalagem na preservação da qualidade de um chocolate funcional contendo fibras higroscópicas. Por isso será avaliado a incorporação de inulina e/ou polidextrose adequando a formulação básica de chocolate ao leite e acondicionando o produto em materiais de embalagem com barreiras ao vapor d´água diferenciadas. Os produtos embalados serão estocados em câmara a 25ºC/75%UR e será acompanhado alguns aspectos físicos e químicos do produto e das embalagens.

 

 

Ver detalhes do projeto

  Rosa Maria Vercelino Alves      ITAL

Interação alimento-processo-embalagem: efeito da tecnologia de ultrassom e diferentes composições do alimento na integridade de embalagens de alumínio

n° SGP 1846

Este trabalho envolve a parceria entre o CETEA e ESALQ/USP, através de exploração de tema que constitui a intersecção de dois projetos em andamento: avaliar o efeito da tecnologia de ultrassom e diferentes composições do alimento na integridade de embalagens de alumínio. Para tanto, é objetivo deste trabalho conhecer a capacidade de corrosão de diferentes soluções modelo frente ao contato com o alumínio em diferentes condições de processamento com ultrassom, levantando-se dados relativos à migração de alumínio da embalagem com a solução de interesse e danos ao revestimento polimérico.

Ver detalhes do projeto

  Beatriz Maria Curtio Soares      ITAL

Sustentabilidade:do campo à mesa

n° SGP 1840

A presença de agricultores familiares é bastante significativa na região de Bauru/SP, principalmente na produção de olerícolas. Dentre os principais entraves encontrados na etapa de comercialização da produção destacam-se as dificuldades de obter volume, variedade, frequência e qualidade dos produtos. Em 2016 foi inaugurada uma cozinha comunitária, pela prefeitura de Bauru/SP, que visa oferecer refeições adequadas, saudáveis, nutricionalmente balanceadas, para atender prioritariamente pessoas em vulnerabilidade social. A rede de cooperação da equipe do projeto será responsável em buscar melhorias nas condições de produção agrícola, minimizar o problema de comercialização e desenvolver pesquisa para a segurança alimentar. O objetivo geral do projeto é auxiliar na sustentabilidade da cozinha comunitária, instalada em Bauru, através do desenvolvimento de metodologia de políticas públicas para aquisição de alimentos de produtores rurais da agricultura familiar local.

Ver detalhes do projeto

  Maria Cecília de Arruda Palharini      Apta Regional / IAC

Avaliação da produção de aflatoxinas em duas cultivares de amendoim com alto teor de ácido oleico produzidos no Estado de São Paulo

n° SGP 1839

O Estado de São Paulo se destaca como maior produtor nacional de amendoim e nos últimos anos apresentou grandes mudanças no cultivar plantado e consequente aumento na produtividade. Atualmente, os cultivares com alto teor de ácido oleico tem chamado atenção devido a sua resistência às diversas doenças e maior estabilidade à oxidação lipídica, aumentando assim, sua vida de prateleira. Devido às características de produção do amendoim, esta cultura é susceptível à infecção por fungos produtores de aflatoxinas, metabólitos secundários carcinogênicos ao homem. Apesar do conhecimento deste problema, a disponibilidade de fungos aflatoxigênicos no solo e o contato direto com o amendoim somado a fatores climáticos como temperatura e umidade, facilitam a infecção e consequente produção desta toxina, dificultando o controle. Nestas condições, serão analisadas duas cultivares de amendoim com alto teor de ácido oleico que são as principais cultivares plantadas no Estado de São Paulo, a fim de avaliar a susceptibilidade à infecção de fungos produtores de aflatoxinas bem com a produção desta toxina. A regulamentação técnica sobre a presença de aflatoxinas no amendoim será de acordo com a RDC 7/2011 (ANVISA, 2011).       

Ver detalhes do projeto

  Marta Hiromi Taniwaki      ITAL

Estudo do teor total e estimativa de ingestão de alumínio em alimentos infantis

n° SGP 1831

A infância provavelmente é o período de vida em que as maiores necessidades nutricionais do corpo humano são observadas, sendo o leite materno considerado o melhor alimento para lactentes. Em circunstâncias em que a amamentação não seja possível ou suficiente, fórmulas infantis são usadas para suprir as demandas nutricionais dos lactentes (Kazi et al., 2010), sendo a complementação alimentar dos bebês realizada a partir dos primeiros meses de vida mediante carências energéticas e nutricionais relacionadas à suas características fisiológicas (Perales et al., 2006). Do ponto de vista toxicológico é importante conhecer o conteúdo de alumínio em alimentos infantis.

A dieta é a principal fonte de ingestão de alumínio sendo que o Al pode ser incorporado aos alimentos através da água, do meio ambiente ou como aditivo para uso alimentício. Além destas fontes, este contaminante está presente em artigos de uso diário que possuem alumínio em sua composição, tais como cosméticos, produtos farmacêuticos (antidiarreicos, antiácidos) e ainda em embalagens metálicas destinadas a alimentos (CAC, 2016).

O Comitê Conjunto FAO/OMS de Peritos em Aditivos Alimentares - JECFA (CAC, 2016) confirmou na 74º reunião o valor de PTWI (Provisional Tolerable Weekly Intake – Ingestão Semanal Tolerável Provisória) para o alumínio de 2 mg/kg peso corpóreo (pc). A PTWI aplica-se a todos os compostos de alumínio nos alimentos, incluindo aditivos alimentares. O JECFA observou que a PTWI é susceptível de ser ultrapassada em grande medida por alguns grupos populacionais, particularmente as crianças, que consomem regularmente alimentos que contêm aditivos à base de alumínio. O JECFA também inferiu que a exposição a este metal por lactentes alimentados com fórmulas infantis é alta. Com base nessa potencial exposição o Comitê recomendou mais estudos sobre a biodisponibilidade de diferentes aditivos alimentares contendo alumínio para que conclusões apropriadas quanto à toxicidade desses compostos sejam determinadas.

Chuchu et al. (2013) estudaram fórmulas de leites prontos para beber e  amostras de leite em pó para crianças disponíveis no comércio do Reino Unido e encontraram teores de Al para as amostras (sem soja) variando de 100 até 430 µg L-1. Para os produtos de leite contendo soja o teor de Al variou de 656 a 756 μg L-1 e o cálculo da ingestão de Al nas fórmulas sem soja variou de 100 a 300 μg/dia, enquanto que para os produtos com soja foram maiores que 700  μg/dia. Os autores concluem que existe a necessidade de reduzir os níveis de Al nestes alimentos para proteger os lactentes da exposição crônica ao Al dietético.

Stahl et al. (2011) estudaram a presença de alumínio em diversos produtos alimentícios, como farinhas, massas, ervas e bebidas encontrando valores para o teor total de Al compreendidos entre 1 mg kg-1 e 737 mg kg-1 para essas matrizes.

Em um estudo realizado no Canadá, Dabeka et al. (2011) avaliaram fórmulas infantis com base láctea e encontraram teores de alumínio total variando de 10–3400 µg kg-1, sendo que as maiores concentrações de Al foram obtidas nas amostras à base de soja.

Burrell e Exley (2010) estudaram a concentração de Al em diversas fórmulas prontas a base de leite e encontraram teores variando de 176 a 700 µg L-1. Para os produtos em pó os resultados variaram de 2,4 a 4,3 µg g-1 (ou 2400 a 4300 µg kg-1). Os autores relatam que os maiores níveis de Al foram encontrados nos produtos à base de soja e concluem que a vulnerabilidade à exposição precoce dos bebês ao Al demonstra grande importância da necessidade urgente de reduzir o seu teor em fórmulas para lactentes a um nível tão baixo quanto possível.

Quando recém-nascidos e crianças são expostos ao Al existe um risco particular de exposição devido à formação ainda incompleta da barreira hematoencefálica, sistema digestivo e renal. A imaturidade do sistema gastrointestinal das crianças permite um maior potencial de permeabilidade do alumínio (Zatta & Alfrey, 1997).

Diante do exposto é de fundamental importância o conhecimento do teor de Al presente em alimentos e fórmulas infantis, visto que ainda existe uma grande lacuna quanto a dados da presença deste contaminante nos referidos alimentos comercializados no Brasil.

Ver detalhes do projeto

  Marcelo Antonio Morgano      ITAL

Determinação de hidrocarbonetos saturados e aromáticos de óleos minerais (MOSH e MOAH) em embalagens cartonadas de alimentos

n° SGP 1830

O óleo mineral é compostos por hidrocarbonetos saturados (MOSH) e aromáticos (MOAH) e está presente em tintas de impressão usadas em embalagens de alimentos e principalmente na impressão de jornal. As embalagens cartonadas feitas de material reciclado podem conter porções significativas de óleo mineral. Os MOSH consistem em alcanos lineares ou ramificados e ciclo-acanos substituídos com grupos alquila, enquanto que os MOAH incluem principalmente hidrocarbonetos poli-aromáticos substituídos com alquila. As principais fontes de hidrocarbonetos de óleo mineral (MOH) em alimentos são embalagens de  alimentos e aditivos, auxiliares de processamento e lubrificantes. Os MOSH de C16 a C35 podem se acumular e causar microgranulomas em vários tecidos incluindo linfonodos, baço e fígado. Os MOAH com três ou mais anéis aromáticos não alquilados ou alquilados podem ser mutagênicos e carcinogênicos e, portanto, são potencialmente preocupantes. Como ainda não existem estudos sobre a presença e quantiade de MOH em materiais de contato com alimentos no Brasil. Esse trabalho tem como objetivo principal estabelecer um método de determinação de MOH, baseado no método de BfR, 2012 que usa um  cartucho de extração em fase sólida de nitrato de prata/sílica gel para a pré-separaão e GC-FID para a quantificação de MOSH e MOAH, a fim de monitorar a presença destas substâncias em cartões reciclados e aparas pré e pós-consumo.

Ver detalhes do projeto

  Marisa Padula      ITAL
  Sobre

O SGP (Sistema de Gestão de Pesquisa) foi implementado em todas as unidades APTA, para centralizar o controle de todos os projetos desenvolvidos sob sua supervisão. [Ler mais]

Endereço APTA – São Paulo

Praça Ramos de Azevedo, 254, 2º andar - República, São Paulo - SP

Fone : (11) 5067-0447 e 5067-0427

  Endereço APTA – Campinas

Avenida Barão de Itapura, 1481 - Botafogo, Campinas - SP

Fone : (19) 2137-8930