Projetos APTA em todas as unidades, todos os centros

Página Inicial / Busca de Projetos

702 projetos ativos encontrados - pág. 1 de 24

CONSERVAÇÃO PÓS-COLHEITA DE PITAIA

n° SGP 2194

A pitaya é uma planta originária da América, sendo a amarela (Selenicereus) possivelmente da Colômbia ou Equador , mas a vermelha (Hylocereus) é encontrada no México e Guatemala,Costa Rica e El Salvador. As pitayas pertencem à família Cactaceae, e as espécies comerciais são principalmente duas: a de casca vermelha-Hylocereus undatus (Haw) Briton & Rose e a de casca amarela-Selenicereus megalanthus (Schum ex. Vaupel, Moran).

As pitayas encontram-se dentro do grupo de frutas exóticas e são fontes de vitaminas e minerais, beneficiando-se do interesse do mercado consumidor. Por apresentarem alto valor comercial, elas despertam o interesse dos fruticultores em seu plantio e cultivo. Na região Sudeste, a produção de frutos ocorre principalmente nos meses de dezembro a maio.

A colheita é feita periodicamente com os frutos no estádio de vez, pois amadurecem após a colheita e conservam-se mais. Após a colheita, os frutos são lavados para limpar e classificar, o que se faz com pano e com corte dos restos florais e das escamas mais secas. A utilização da pitaya pode ser como fruta fresca, ou suco, polpa, sorvete ou musse, ou como corante de doces. Também é citado ter valor medicinal pela presença no fruto de captina, que é considerado um tônico cardíaco, bem como seu óleo tem efeito laxante, o que é eficaz no controle de gastrite e infecções dos rins. Serve também para preparo de xampu e tem efeito contra dor de cabeça.

O objetivo deste trabalho é determinar a qualidade pós-colheita da pitaya cultivada na região de Presidente Prudente - SP, submetidas a dois tipos de embalagens e armazenadas a 13 ºC e à temperaturas ambiente por 21 dias.

Material e Métodos.

Os frutos serão colhidos, no estádio de maturação adequado, em produtor da região de Presidente Prudente - SP e transportados para o Laboratório Vegetal do Laboratório Regional de Araçatuba – Instituto Biológico, no mesmo dia da colheita.

Os frutos serão selecionadas e separados quanto ao tamanho e separados em 4 lotes. Dois lotes serão embalados em bandejas de poliestireno com filme de PVC e dois lotes serão mantidos sem embalagem. Um lote embalado e outro sem embalagem serão acondicionados em temperatura de 13 ºC e os outros dois lotes, um embalado e outro sem embalagem, serão mantidos em temperatura ambiente controla (± 25 ºC).

Os frutos serão avaliados físico-quimicamente em 0, 3, 7, 10, 14, 17, 21 dias após a colheita. A cada avaliação, os frutos serão submetidos às análises de perda de massa fresca, firmeza da casca e qualidade visual. Em seguida, os frutos serão cortados, e a polpa, juntamente com as sementes, será separada da casca. Em sequência, realizar-se-ão as análises de sólidos solúveis totais, pH e acidez titulável.

O delineamento estatístico será o inteiramente casualizado, com 4 tratamentos, 5 repetições composta por 2 frutos cada. Os resultados serão submetidos à análise de variância e as médias comparadas pelo Teste de Tukey.

Ver detalhes do projeto

  Silvia Antoniali do Carmo      IB

Avaliação do rendimento e caracterização do filé e CMS da carcaça do panga (Pangasius hypotalamus)

n° SGP 2184

O panga foi introduzido no mercado brasileiro em 2009, é um peixe de carne branca, sabor suave e isento de espinhas, características que indicam potencial uma demanda crescente. Porém, existem ainda deficiências em relação à falta de padronização do produto e informações para o consumidor, gerando desconhecimento quanto às características de sabor, presença ou não de espinhas, forma de preparo e valor nutricional. A apresentação na forma de filé e CMS representam boas alternativas para consolidar esta espécie no mercado. O objetivo deste estudo é de avaliar o rendimento e caracterizar físico-quimicamente o filé e a CMS de carcaça de panga. Serão avaliados peixes produzidos na Apta Regional do Vale do Paraíba, provenientes de 3 tratamentos com diferentes concentrações de proteína bruta na ração: 28, 32 e 40%. Quinze peixes de cada tratamento, com peso entre 700 g e 1 kg, serão abatidos com choque térmico, acondicionados em camadas de gelo e pescado em embalagem térmica (0 ºC) e transportados até a Unidade Laboratorial de Referência em Tecnologia do Pescado – ULRTP – Instituto de Pesca – SAA-SP, Santos, onde serão eviscerados e filetados. A carcaça será utilizada para produção de CMS. Posteriormente, os filés e a CMS dos diferentes tratamentos serão submetidos às análises para avaliação do rendimento e caracterização físico- química.

Ver detalhes do projeto

  Thaís Moron Machado      IP

Análise do perfil de expressão de genes associados ao estresse térmico e consumo alimentar residual em bovinos das raças Nelore e Caracu

n° SGP 2168

No Brasil o maior limitante para produção de raças bovinas especializadas para produção de carne de alta qualidade, que geralmente são originárias de regiões de clima temperado, é o estresse térmico. Nos países de clima tropical é fundamental o conhecimento dos mecanismos de adaptabilidade raças bovinas com maior potencial genético para estas características, principalmente com as mudanças climáticas veem que ocorrendo. A produção de carne bovina precisa ser cada vez mais eficiente e baseada no desenvolvimento sustentável. Nessa perspectiva, os aspectos relacionados ao conforto térmico para bovinos de corte são muito importantes. O conforto térmico para bovinos pressupõe grande exigência de conforto climático, necessitando de instalações e de manejo que diminuam o efeito estressante da temperatura.

As raças zebuínas (Bos indicus), devido ao longo tempo de adaptação ao clima tropical, são mais eficientes em regular a temperatura corporal em resposta ao estresse térmico comparado às raças europeias (Bos taurus) (BEATTY et al., 2006). Como consequência do estresse térmico, os efeitos prejudiciais sobre o consumo de ração, produção de leite, a taxa de crescimento e reprodução são menores nos animais zebuínos do que nos taurinos (GAUGHAN et al., 2010; HANSEN, 2004). A raça Nelore demonstra boa tolerância ao calor por possuir pelo curto, grosso e sedoso que reflete os raios de sol, sua resistência ao calor se deve também ao fato de a superfície corporal ser maior, pelo maior número de glândulas sudoríparas, além do que apresentam uma taxa metabólica mais baixa (trato digestivo menor) o que representa menor geração de calor.

O objetivo principal desta proposta é avaliar o perfil de expressão de genes relacionados ao estresse térmico e consumo alimentar residual (CAR) entre as raças Nelore (Bos indicus) e Caracu (Bos taurus). Durante os meses de verão, quando as temperaturas atingem o pico (outubro a fevereiro), serão tomadas as mensurações das temperaturas retal e da superfície da pele e frequências cardíacas e respiratórias dos animais das duas raças. Para o teste de eficiência alimentar, são utilizados piquetes equipados com cochos GrowSafe System®, que permitem a mensuração de cada evento de alimentação individual e do consumo alimentar. Amostras de sangue serão utilizadas para extração de mRNA e estudo dos níveis de transcritos por PCR em tempo real dos genes HSPD1, HSPA1A, HSP90AA1, AHSG, NR3C1, NPY, POMC e SERPINI2. A identificação de diferenças em nível de expressão permitirá detectar biomarcadores que possam ser utilizados na seleção de animais mais eficientes e mais adaptados às condições climáticas.

Ver detalhes do projeto

  CLAUDIA CRISTINA PARO DE PAZ      IZ

Avaliação da inclusão de produtos BRF Ingredients na dieta de salmonídeos

n° SGP 2157

A farinha de peixe constitui a principal fonte de proteína empregada na fabricação de rações de peixes, particularmente das espécies carnívoras. Na dieta dos salmonídeos de 25 a 45% da proteína são supridos pela farinha de peixe. A aquicultura é o setor de produção de alimentos de origem animal que mais cresce no mundo, entretanto, esse crescimento não vem sendo acompanhado pela geração desse insumo, gerando um aumento da demanda com consequente elevação dos preços. Para garantir o ritmo de crescimento do setor aquícola, a FAO recomenda uma redução da inclusão da farinha de peixe nos componentes da dieta para trutas e salmões para 12%, até o ano de 2020. Diante deste cenário, várias pesquisas vêm sendo desenvolvidas visando a substituição desse insumo por outros mais sustentáveis. Além da proteína derivada de plantas como a soja, a proteína de subprodutos de animais terrestres vem sendo estudada como fonte de nutrientes na formulação de dietas para peixes.

Ver detalhes do projeto

  Neuza Sumico Takahashi      IP

Carne mecanicamente separada - CMS de Pescado: caracterização e padronização da tecnologia de obtenção

n° SGP 2150

A obtenção da  CMS  é uma tecnologia que permite maior recuperação de carne em comparação à obtida pelos métodos de processamento convencionais, como por exemplo a filetagem, gerando matéria-prima básica e eclética para o desenvolvimento de novos produtos e agregando valor a uma parte depreciada nas capturas e no cultivo. É notória no Brasil a ausência de produtos a base de pescado em mercados institucionais, como hospitais, creches, asilos e também na Alimentação Escolar – AE, sendo necessário avançar para o estabelecimento de tecnologias que gerem produtos a base de pescado com boa aceitação e que mantenham suas características nutricionais. A tecnologia de CMS ou polpa de pescado proporciona um produto de ótima qualidade para a elaboração de produtos semi-prontos, de preparo prático, sabor suave e livre de ossos e espinhas, características estas importantíssimas para uma fácil e segura utilização. Considerando-se a necessidade de estabelecimento e padronização de uma tecnologia de processamento que viabilize a inserção do pescado em diferentes mercados, incluindo o institucional, faz-se necessário caracterizar e colaborar na condução de um regulamento técnico, descrevendo de forma plena as caracteristicas da  tecnologia de obtenção de CMS utilizada em industrias nas várias regiões do Brasil, agregando valor ao processamento de várias especies de peixe.

Ver detalhes do projeto

  Cristiane Rodrigues Pinheiro Neiva      IP

Chave para identificação de parasitoides (Hymenoptera: Scelionidae, Encyrtidae, Eurytomidae) de ovos de Pentatomidae (Hemiptera) de interesse econômico no Brasil

n° SGP 2149

Percevejos da família Pentatomidae (Hemiptera) são pragas sérias de várias culturas de grande importância, como soja e arroz (Corrêa-Ferreira 2002, Martins et al. 2004). O controle biológico dessas pragas com parasitoides de ovos é uma alternativa viável; existe, inclusive, um projeto consagrado no Brasil, que é o controle biológico de percevejos da soja com Trissolcus basalis (Wollaston) e Telenomus podisi Ashmead (Hymenoptera: Scelionidae) na região sul do país (Corrêa-Ferreira, 2002). Contudo, diferentes espécies de parasitoides podem apresentar distintas preferências por hospedeiros e regiões de ocorrência, com variação na eficiência de parasitismo. A correta identificação dos organismos envolvidos é essencial para o sucesso de projetos de controle biológico de pragas, dada a variação na eficiência no controle proporcionado pelas diferentes espécies de inimigos naturais. O objetivo deste trabalho é construir uma chave dicotômica para espécies de parasitoides (Scelionidae, Encyrtidae, Eurytomidae) de ovos de percevejos (Pentatomidae) em culturas de interesse econômico no Brasil. Para tanto, foi solicitada à FAPESP (e concedida por ela) uma Bolsa de Pesquisa no Exterior, com o objetivo de realizar um treinamento sob a supervisão do Dr. Norman F. Johnson (Ohio State University, Columbus, Ohio, E.U.A.), uma das maiores autoridades mundiais sobre o grupo na atualidade; ele também é diretor da C.A. Triplehorn Insect Collection (OSUC), da referida universidade, que abriga a maior coleção de parasitoides pertencentes a esse grupo no mundo e contém espécimes brasileiros a ele enviados para identificação. A OSUC possui pelo menos oito espécies de Telenomus e Trissolcus associadas a Pentatomidae que ocorrem no Brasil e que não tem exemplares em coleções brasileiras organizadas. Durante esse período, de um ano de duração, serão identificados, com o auxílio do Dr. Johnson, cerca de três mil exemplares brasileiros de parasitoides de Pentatomidae pertencentes à família Scelionidae, recebidos pelo Instituto Biológico. Também serão obtidas imagens e serão estudados espécimes tipo desse grupo ou materiais indisponíveis no Brasil depositados na OSUC, visando estabelecer limites entre as espécies que aqui ocorrem. 

Ver detalhes do projeto

  Valmir Antonio Costa      IB

AVALIAÇÃO DA DISTRIBUIÇÃO DE ANTICORPOS ANTI-TOXOPLAMA GONDII EM BOVINOS (BOS TAURUS) NO BRASIL PELA TÉCNICA DE IMUNOFLUORESCÊNCIA INDIRETA (IFI)

n° SGP 2147

           O rebanho bovino está estimado em torno de 175 milhões de cabeças, distribuídos nas diversas regiões do Brasil: 14% na região Nordeste, 13% no Sul, 34% no Centro-Oeste, 19% no Norte e 20% no Sudeste (IBGE, 2018). A bovinocultura é um dos principais segmentos da agropecuária brasileira, tanto na produção de carne, leite, couro e exportação de animais. Porém, vários outros países concorrem com o Brasil em qualidade e quantidade dos produtos fornecidos, sendo necessária a busca de alternativas para crescimento sustentável da produção, como por exemplo o controle de enfermidades que interfiram nos índices produtivos e na saúde humana.

          Toxoplasma gondii é um dos protozoários mais estudados devido a sua importância médica e veterinária. Este agente de zoonose tem distribuição mundial, havendo a estimativa de que um terço da população humana já tenha entrado em contato. A disseminação de T. gondii ocorre através da transmissão transplacentária por taquizoítas, pela ingestão de tecidos animais contendo cistos infectantes e através da ingestão de alimentos e água contaminados com oocistos esporulados, sendo a ingestão de carnes cruas ou malcozidas contaminadas uma importante via de transmissão, inclusive para humanos. A carne bovina é amplamente comercializada e consumida no Brasil e o papel desta espécie na epidemiologia de T. gondii não se mostrava de grande importância, porém as mudanças ocorridas no sistema de produção como a diminuição da idade de abate dos animais podem alterar as chances de transmissão deste protozoário através do consumo da carne bovina.

            No Laboratório de Viroses de Bovídeos, atualmente é utilizado kit comercial com lâminas prontas para diagnóstico de anticorpos anti-Toxoplasma gondii em bovinos. Embora apresente boa eficácia, apresenta desvantagens de ser utilizado somente para bovinos (um tipo de conjugado incluso no kit), tem curto prazo de validade e alto custo. Com a fabricação de lâminas próprias, esses problemas são sanados e mais amostras recebidas para rotina e provenientes do banco de amostras podem ser avaliadas quanto à presença e quantidade de anticorpos, ampliando o diagnóstico diferencial e possibilitando a obtenção de mais informações acerca da enfermidade.

Ver detalhes do projeto

  Daniela Pontes Chiebao      IB

Experiência Paulista em ILP: Um estudo de caso em Guaíra

n° SGP 2146

Os sistemas integrados de produção, contidos na denominada Integração-Lavoura-Pecuária-Floresta (ILPF), têm sido difundidos e adotados nas diversas regiões brasileiras, inclusive no estado de São Paulo. No entanto, apesar dos esforços de análise dos resultados obtidos a partir de projetos em andamento, estes sistemas ainda carecem de um esforço maior de análise no aspecto econômico, sem descartar o ambiental e o social, que demonstrem sua viabilidade econômica, sem a qual fica dificultada sua adoção pelos agropecuaristas.

Nesse sentido, esse projeto visa analisar os resultados, especialmente econômicos, do sistema Integração-Lavoura-Pecuária (ILP) adotado por uma propriedade paulista desde a safra 2002/2003 e que, de acordo com os relatos do responsável técnico e dos proprietários, têm sido alvissareiros. Foi relatada a existência de diversos benefícios - de natureza agronômica, econômica, ecológica e social, quais sejam: redução da compactação do solo, maior controle da erosão, redução dos níveis de assoreamento e contaminação dos cursos d’agua, melhoria das propriedades físicas químicas e biológicas do solo, maior produção de forragem na seca, aumento da produtividade das pastagens, redução do custo de implantação das pastagens, aumento de palha e matéria orgânica no solo, quebra dos ciclos de pragas, doenças e plantas daninhas, resultando na diversificação das atividades com maior produção de grãos e carne na mesma área.  

A propriedade está localizada em uma importante região produtora de grãos e pecuária bovina do estado de São Paulo, que conta com infraestrutura de armazenagem, de comercialização e abate de bovinos reunindo, assim, condições favoráveis de expansão regional desse sistema.

Ver detalhes do projeto

  Terezinha Joyce Fernandes Franca      IEA

Corridas de homozigose e depressão endogâmica em características de importância econômica de bovinos Nelore

n° SGP 2143

A avaliação genômica promove maiores ganhos em seleção ao passo que aumenta acurácia dos valores genéticos, aumenta a intensidade de seleção e reduz o intervalo de geração. No entanto, com o avanço na seleção por meio do uso da seleção genômica e consequente redução no intervalo de geração, o monitoramento da endogamia torna-se mais urgente do que no passado. O controle da endogamia em populações de bovinos é importante, porque o estreito parentesco entre os animais leva à perda de variabilidade genética e a efeitos fenotípicos desfavoráveis associados à depressão endogâmica. Este projeto de pesquisa tem como objetivos: i) estimar o coeficiente de endogamia (F) com base na matriz de genética de parentesco (FPED), com base na matriz de parentesco genômica (FGRM) e com base em corridas de homozigose (FROH); ii) usar as três estimativas F para avaliar a depressão endogâmica em características de crescimento, fertilidade, carcaça e eficiência alimentar; iii) identificar e caracterizar as corridas de homozigose (comprimento e distribuição); iv) utilizar ilhas de homozigose (ilhas de ROH) para identificar regiões selecionadas do genoma de bovinos da raça Nelore. Será avaliado o banco de dados dos três rebanhos Nelore do Instituto de Zootecnia, que compõe o experimento de seleção para crescimento, acrescidos de fenótipos que serão obtidos dos animais nascidos em 2018 e 2019. Parte dos animais nascidos de 2004 a 2016 (n=1.100) foram genotipados com Illumina® BovineHD Beadchip (777.962 SNPs) ou com GeneSeek® Genomic Profiler Indicus HD (74.677 SNPs). No presente projeto, serão genotipados 400 touros e vacas com contribuição para o rebanho, utilizando o GeneSeek® Genomic Profiler Indicus HD (74.677 SNPs). Com a implementação desse projeto será possível avaliar a depressão endogâmica em uma série de características de crescimento, fertilidade, carcaça e eficiência alimentar, para fornecer resultados importantes para programas de melhoramento genético dessa raça, além de contribuir para a formação de alunos em uma área estratégica que é a análise de dados genômicos.

Ver detalhes do projeto

  MARIA EUGENIA ZERLOTTI MERCADANTE      IZ

Análise do Valor da Produção Agropecuária no Estado de São Paulo, 2018 a 2020.

n° SGP 2142

A pesquisa visa suprir de uma estrutura de levantamento, processamento, avaliação e divulgação de dados sobre o valor da produção agropecuária do Estado de São Paulo objetivando calcular a magnitude da renda gerada pela agropecuária para subsidiar análises de desempenho desse setor da economia. O valor da produção agropecuária e sua evolução constituem-se em parâmetros fundamentais para se proceder a análises de desempenho econômico do estado, de municípios e regiões. A alimentação de um banco de dados com esses parâmetros permite que se façam análises sobre o dinamismo da agropecuária, verificando as alterações que ocorrem nas atividades produtivas, quanto a posição dos diversos produtos no ranking do valor da produção bem como as variações geográficas, as intensidades das variações e em que direção estão ocorrendo, o que permite um acompanhamento sistemático com maior acuidade.

Ver detalhes do projeto

  José Roberto da Silva      IEA

Lambari Deuterodon iguape Eigenmann, 1907 como espécie nativa alternativa para aquicultura em áreas protegidas

n° SGP 2138

O lambari Deuterodon iguape é uma espécie endêmica de pequenos rios e riachos costeiros do estado de São Paulo. Suas possibilidades de mercado para o litoral paulista são consideradas mais amplas em relação às demais regiões, já que estudos recentes identificaram, além da possibilidade de venda como isca-viva para pesca esportiva local,  outros canais adicionais de comercialização da espécie para consumo humano, a partir de diversos equipamentos de comercialização, tais como: peixarias, bares, restaurantes, quiosques de praia, havendo inclusive demanda para utilização como peixe forrageiro em lojas de aquariofilia e aquários públicos da região. O projeto de pesquisa abordando esta espécie será dividido em quatro experimentos distintos, cujo os objetivos são: 1) Complementar o conhecimento disponível sobre a fisiologia e os fatores de produção do lambari D. iguape através do desenvolvimento de um modelo matemático que otimize a densidade ideal de estocagem em sistemas de recirculação, além da realização de um estudo econômico; 2) Determinar os efeitos subletais da espécie ao defensivo agrícola Triazol, comumente utilizado na região para a pulverização na bananicultura, através de testes de CL50, análise de toxidade no plâncton, estudo do metabolismo de rotina, comportamento natatório e parâmetros histológicos; 3) Realizar a larvicultura dessa espécie de lambari em águas oligohalinas (5, 10 e 15 g/L) para verificar a sobrevivência e posteriormente o aumento de sua resistência quando empregado como isca viva na pesca esportiva estuarina na comparação com o lambari não aclimatado; 4) Avaliar a eficiência de sua utilização como isca-viva na pesca do robalo em ambiente estuarino quando comparado a isca artificial através de testes de pescaria realizados em região estuarina.

Ver detalhes do projeto

  Marcelo Barbosa Henriques      IP

Caracterização da Ictiofauna da Bacia de Santos

n° SGP 2133

O projeto tem como objetivos atualizar e aprofundar os conhecimentos sobre a ictiofauna da Bacia de Santos, bacia sedimentar localizada na plataforma continental do sudeste-sul brasileiro entre Arraial do Cabo (RJ) e Florianópolis (SC). Sua ictiofauna possui grande riqueza de espécies uma vez que a região é caracterizada pela transição entre os Domínios Atlântico Tropical e América do Sul Temperado ou entre os ecossistemas da Plataforma Leste do Brasil e Plataforma Patagônica. As informações a serem levantadas das espécies de peixes referem-se às características do vida, à distribuição e ao estado de conservação. As espécies explotadas pela pesca terão os dados registrados de produção pesqueira descarregada por estado e município e variações sazonais de abundância com indicação do tipo de pesca (industrial, artesanal, amadora), as áreas de captura e petrechos utilizados. As espécies com relevância para a conservação e/ou para atividade pesqueira terão seus parâmetros populacionais atualizados.

O projeto será desenvolvido no contexto de um projeto mais amplo de “Caracterização Química e Biológica do Sistema Pelágico da Bacia de Santos”, a ser desenvolvido através de Convênio entre a Petrobras (financiadora), a Universidade de São Paulo - USP (proponente) e a Fundação de Apoio à Universidade de São Paulo - FUSP (conveniente), tendo o Instituto Oceanográfico da USP a unidade executora. O conjunto de estudos têm o objetivo de subsidiar o planejamento e a gestão ambiental da área da Indústria do Petróleo e Gás e do órgão ambiental.

Ver detalhes do projeto

  Antônio Olinto Ávila da Silva      IP

A PRODUÇÃO E O MERCADO DE HORTALIÇAS EM SÃO PAULO: Estacionalidade e uso da água na irrigação

n° SGP 2126

O consórcio IEA-CATI da SAA realiza 5 levantamentos estatísticos para previsão de safras agrícolas no Estado de São Paulo. Propõe-se que a cada levantamento (fevereiro, abril, junho, setembro e novembro) realizar a tabulação das estatísticas da produção por regiões do estado (EDR) e comparar a evolução da área e produção durante o ano, indicando as culturas que mais utilizam água na irrigação com avaliação nas estações e se há excesso de chuva ou seca. Ao final do ano (novembro) será elaborado planilha com 60 espécies cultivadas que serão divulgadas junto aos órgãos da SAA, CATI, IBGE, EMBRAPA. O ranking das 60 espécies será baseado no lupa 2016/2017.

Ver detalhes do projeto

  Waldemar Pires de Camargo Filho      IEA

APLICABILIDADE DOS MÉTODOS MCMASTER E FAMACHA© COMO FERRAMENTAS EM ESTRATÉGIAS DE CONTROLE DAS HELMINTOSES EM OVINOS CRIADOS EM PEQUENA PROPRIEDADE RURAL

n° SGP 2125

A ovinocultura encontra-se presente em todos os continentes, estando destinada à exploração econômica, empregando tecnologias modernas, cruzamentos industriais e melhoramento genético, podendo também ser considerada uma alternativa para o desenvolvimento rural sustentável, seja pela menor necessidade de capital inicial, pela possibilidade de acumulação de renda em pequena escala ou por sua importância socioeconômica. Por outro lado, as endoparasitoses podem determinar perdas econômicas significativas no plantel ovino, causando elevada morbidade e mortalidade, inviabilizando a atividade uma vez que os helmintos atuam de forma clínica ou subclínica, causando grandes prejuízos. A presente proposta tem como objetivo verificar e comparar a aplicabilidade dos métodos McMaster e FAMACHA© como ferramentas a serem utilizadas em estratégias de controle das helmintoses em ovinos, em atividade familiar/pequena propriedade rural. Para tanto, será selecionada uma pequena propriedade de criação de ovinos, familiar, que tenha relatos de problemas de controle de verminose. Periodicamente serão realizadas avaliações parasitológicas, por meio de exames coproparasitológicos (OPG) e método FAMACHA©, sendo os dados obtidos computados, correlacionados e analisados estatisticamente com relação à facilidade de execução, viabilidade de aplicação e econômica. Após conclusões, será oferecida  palestra com abordagem em estratégias de controle de helmintos parasitos de ovinos.

Ver detalhes do projeto

  Giane Serafim da Silva      IB

PRINCIPAIS ESPÉCIES DE HELMINTOS PARASITOS DE OVINOS CRIADOS EM PEQUENAS PROPRIEDADES NOS MUNICÍPIOS DE VALENTIM GENTIL, MERIDIANO E VOTUPORANGA, REGIÃO NOROESTE DO ESTADO DE SÃO PAULO

n° SGP 2124

A agricultura familiar é responsável pela produção de grande parte dos alimentos que abastecem a mesa dos brasileiros. A criação de ovinos apresenta-se como importante alternativa neste segmento, uma vez que é caracterizada pela adequação aos diversos agroecossistemas existentes no Brasil, pela menor necessidade de capital inicial, pela possibilidade de acumulação de renda em pequena escala e por sua importância socioeconômica. Por outro lado, no que se refere à sanidade, as helmintoses gastrintestinais, especialmente aquelas causadas pelos nematódeos, se constituem no maior problema sanitário dos rebanhos ovinos, refletindo em significativos prejuízos. A presente proposta tem como objetivo conhecer as principais espécies de helmintos parasitos de ovinos criados em três municípios da região noroeste do Estado de São Paulo, assim como as estratégias utilizadas pelos produtores no seu controle, subsidiando dados para orientações de manejo sanitário para tais propriedades. Para tanto, pequenas propriedades ou criações familiares de ovinos serão visitadas, sendo colhidas fezes dos animais pertencentes aos rebanho, com posterior avaliação parasitológica, por meio de exames coproparasitológicos (OPG e Willis) e método FAMACHA©, sendo os dados obtidos computados e analisados. Na ocasião das visitas, os proprietários serão entrevistados. Após conclusões, será oferecida  palestra com abordagem em estratégias de controle de helmintos parasitos de ovinos.

Ver detalhes do projeto

  Giane Serafim da Silva      IB

Atuação do Instituto biológico na resolução de casos de mastite subclínica bovina em propriedades de baixa renda do município de São José do Barreiro ? SP, em parceria com empresa privada e a prefeitura.

n° SGP 2123

Mastite bovina é uma enfermidade que acomete a glândula mamária de vacas e acarreta grandes prejuízos econômicos, devido à diminuição da produção leiteira, bem como com o gasto com uso de medicamentos no tratamento da mastite. O Instituto Biológico possui um Programa de Sanidade em Agricultura familiar (Prosaf) que realiza palestras com os técnicos responsáveis aos pequenos produtores a fim de proporcionar melhoria na produção leiteira. O presente trabalho foi realizado no município de São José do Barreiro, localizado no Vale do Paraíba, região da bacia leiteira do Estado de São Paulo, onde existem pequenos produtores com problemas na qualidade do leite. 

Ver detalhes do projeto

  Alessandra Figueiredo de Castro Nassar      IB

Avaliação do comportamento da cultivar Tempranillo sobre diferentes porta-enxertos em cultivo protegido e poda extemporânea

n° SGP 2122

A demanda por informações sobre o comportamento de cultivares de uvas Vitis vinifera vem aumentando nos últimos anos em virtude do interesse pela produção de vinhos finos no estado de São Paulo e no Brasil. Foi instalado no Centro APTA Frutas do IAC, em Jundiaí, experimento com a cultivar Tempranillo, enxertada sobre os porta-enxertos IAC 766 'Campinas', 571-6 'Jundiaí', Paulsen 1103 e SO4. As plantas foram conduzidas em espaldeira alta, com cordão esporonado bilateral e sob cultivo protegido com cobertura plástica impermeável. O vinhedo é submetido a regime de dupla poda sequencial, sendo a poda convencional realizada no mês de setembro e a poda extemporânea em fevereiro/março. São avaliados parâmetros da produção (número de ramos e de cachos por planta, massa dos cachos, produção por planta e estimativa de produtividade por hectare) e de qualidade na pré-colheita e na colheita (curva de maturação, teor de sólidos solúveis e, graus Brix, pH e acidez titulável toatal) e na pós colheita(teores de Antocianinas, taninos e polifenóis totais).  

Ver detalhes do projeto

  José Luiz Hernandes      IAC

Caracterização química e agronômica de Lippia alba

n° SGP 2120

Entre as plantas utilizadas como medicinais da flora aromática nacional com potencial para aplicação na indústria farmacêutica, alimentícia e afins, destaca-se Lippia alba (Mill) N.E. Brown,  família Verbenaceae , ordem Lamiales. A espécie, conhecida popularmente como erva-cidreira, falsa-melissa, dentre outros nomes, possui aspecto chamativo no período da floração, com aroma forte e agradável, devido à presença de óleo essencial nas suas folhas e flores.

Diante do potencial agroindustrial de L.alba,  a espécie foi objeto de melhoramento genético no Instituto Agronômico a partir do cruzamento de diferentes quimiotipos (linalol, mirceno/cânfora, limoneno/carvona, citral).  Os resultados dos cruzamentos entre os quimiotipos e as autofecundações geraram  plantas de quimiotipos diversos de L. alba, os quais foram clonados compondo uma coleção da espécie no Instituto Agronômico (IAC), Campinas- SP.

Não há, até o momento, estudos envolvendo a caracterização química dos óleos essenciais dos  clones de Lippia alba da coleção do IAC, assim como a respeito do desenvolvimento agronômico destes.

Visando avaliar o potencial uso industrial da coleção de Lippia alba do IAC, este projeto tem por objetivos:  caracterizar a composição química dos óleos essenciais dos diferentes quimiotipos,  avaliar a influência da sazonalidade e de diferentes laminas de irrigação  na produção de biomassa, rendimento e composição química do óleo essencial dos clones da espécie.

Ver detalhes do projeto

  Marcia Ortiz Mayo Marques      IAC

Preços Correntes - Preço de Terras Agrícolas e Trabalho Rural

n° SGP 2119

O projeto “Preços correntes” ocorre desde 1969, englobando os levantamentos referentes aos valores de terra agrícola e ao trabalho rural. A proposta diz respeito à dois projetos subjacentes, o primeiro referente ao trabalho rural, e seus respectivos levantamentos (Salários rurais, Pagamento de empreita e Quantidade colhida), e o segundo referente ao Valor da terra agrícola e seus levantamentos (Valor de Terra Nua, Imóveis Rurais com benfeitorias, Arrendamento pagamento em dinheiro e Aluguel de Pasto). Essa proposta visa coordenar as ações integradas entre esses levantamentos, ou seja, analisar e propor alterações na metodologia de levantamento, pesquisar a aderência das perguntas elaboradas há mais de 30 anos, se for o caso, propor a substituição dessas perguntas por outras mais aderentes ao cenário atual. Além disso, elaborar e realizar treinamentos aos informantes do projeto e propor alterações nas formas de publicação das informações.

            Assim, a proposta visa o melhoramento do funcionamento dos levantamentos estatísticos ligados aos valores da terra e ao trabalho rural, procurando oferecer à sociedade civil estatísticas de qualidade, fundamentais na programação de médio e longo prazo das atividades agrícolas.

Ver detalhes do projeto

  Felipe Pires de Camargo      IEA

CARACTERIZAÇÃO FENOTÍPICA E MOLECULAR DA BULKHOLDERIA MALLEI EM EQUÍDEOS COM MORMO?

n° SGP 2116

Mormo é uma enfermidade causada pela Burkholderia mallei, bactéria Gram negativa, que acomete os equídeos desencadeando doença de caráter crônico ou agudo podendo atingir o homem, os carnívoros e eventualmente pequenos ruminantes. É uma doença de notificação obrigatória no mundo, e é grande causadora de morbidade e mortalidade em equinos. Atualmente, o mormo é endêmico em países como Brasil, Oriente Médio, Ásia e África. Os equinos quando apresentam sintomas os mesmos são: febre alta, depressão, corrimento nasal, tosse, lesões nodulares que evoluem para úlceras assumindo forma estrelada após cicatrização, que ocorrem com maior frequência na fase crônica da doença. O objetivo do trabalho é realizar a identificação fenotípica e molecular da B. mallei em órgãos (pulmão, linfonodos, baço, fígado e rim) de animais soropositivos para mormo (Fixação de Complemento), padronização da PCR em tempo real (qPCR) , e correlacionar a PCR com a qPCR além de realizar o sequenciamento genético das bactérias nas diferentes amostras. O perfil das lesões macroscópicas e microscópicas será avaliado como diagnóstico complementar bateriológico e molecular das cepas de B. mallei circulantes. Serão coletadas 50 amostras de equídeos com diagnóstico sorológico positivo de mormo, estando 35 equinos alojados na estação quarentenária de Cananéia/SP, e os demais em focos da doença sob interdição sanitária da Coordenadoria de Defesa Agropecuária do Estado de São Paulo. Os animais serão necropsiados e os órgãos submetidos às análises macroscópica e histopatológica (coloração hematoxilina e eosina). Serão realizados testes microbiológicos das amostras de tecidos em ágar batata e Mueller Hinton, acrescido de glicerol, sangue de carneiro e com ou sem penicilina, objetivando o crescimento e identificação de colônias de B. mallei, por testes bioquímicos. Será realizada a PCR das colônias e órgãos para detecção do gene Flic da B. mallei, qPCR e posteriormente sequenciamento genético do gene Flip. Os métodos de identificação direta do agente (isolamento bacteriano, PCR e qPCR) visam ser incorporados ao diagnóstico laboratorial do Instituto Biológico e dessa forma auxiliar nas medidas sanitárias, epidemiológicas e controle da doença pelos órgãos de defesa sanitária animal do Brasil.

Ver detalhes do projeto

  Alessandra Figueiredo de Castro Nassar      IB

Avaliação de zeolita natural em rações para tilápia do Nilo

n° SGP 2114

A Zeolita Clinoptilolita (Zeolita Natural) é um aluminossilicato com alta capacidade de troca catiônica e alta capacidade higroscópica, largamente utilizada na nutrição animal em diversos países como Cuba, Estados Unidos e França. É usada mais especificamente na alimentação de pets (cães e gatos), melhorando o odor e a consistência das fezes, reduzindo a incidência de diarreias e facilitando a limpeza da área onde o animal defeca. Recentemente, estudos estão sendo feitos com animais de produção (aves), entretanto não se tem o conhecimento da inclusão da Zeolita na ração de peixes. A presente pesquisa vem ao encontro dessa demanda, para avaliar os efeitos da Zeolita sobre o tempo de transito gastrintestinal, digestibilidade e desempenho zootécnico da tilápia do Nilo.

Ver detalhes do projeto

  Eduardo Gianini Abimorad      IP

Avaliação da micobiota, presença de aflatoxinas e efeito do cozimento em amostras de mandioca (Manihot esculenta Crantz).

n° SGP 2113

~~A mandioca é um dos alimentos mais cultivados e consumidos no mundo. Sendo o Brasil o segundo maior produtor mundial, com mais de 20 milhões de toneladas produzidas no último ano. Por ser uma raiz muito perecível, estudos sobre contaminação por fungos tornam-se necessários a fim de identifica-los, bem como a possível produção de micotoxinas, especialmente a aflatoxina, que é um composto carcinogênico. Existem diversos relatos de contaminação por fungos e produção de aflatoxinas em mandioca e seus produtos derivados, porém, muitas destas pesquisas estão concentradas no continente africano, portanto, mais estudos são necessários para verificar as condições destes alimentos no Brasil. Este projeto tem como objetivo a investigação de fungos presentes no meio, ocorrência de fungos produtores de aflatoxinas e também serão avaliados os efeitos do cozimento na redução de aflatoxinas.

Ver detalhes do projeto

  Marta Hiromi Taniwaki      ITAL

Estresse hídrico na pré-colheita do amendoim: influência nos compostos bioativos, infecção fúngica, produção de aflatoxinas e aplicação de modelo preditivo para aflatoxinas.

n° SGP 2112

~~O presente projeto tem como objetivos: (i) verificar a formação de aflatoxinas em duas variedades de amendoim, pelos fungos aflatoxigênicos, desde o plantio no campo até a colheita, monitorando a temperatura e umidade do solo; (ii) com a obtenção dos dados do primeiro item, o projeto irá construir modelos matemáticos  para prever o risco de produção desta toxina; (iii) determinar o teor de fitosteróis, resveratrol e a composição de ácidos graxos nos cultivares estudados; (iv) analisar a relação da composição dos ácidos graxos, fitosteróis e resveratrol do amendoim na produção de aflatoxinas e, (v) analisar a estabilidade oxidativa durante o armazenamento do amendoim.

Ver detalhes do projeto

  Marta Hiromi Taniwaki      ITAL

MODELOS DE NORMA DE REAÇÃO PARA ESTIMAÇÃO DA INTERAÇÃO GENOTIPO E AMBIENTE EM ESTUDO DE SELEÇÃO COM BOVINOS NELORE

n° SGP 2109

O fenótipo é resultado da expressão gênica, do efeito do ambiente e da interação destes fatores. A maioria das características de interesse econômico são poligênicas, ou seja, estão determinadas pela expressão de um grande número de genes. A ação destes genes pode estar condicionada pelo conjunto de efeitos ambientais, desta forma é muito importante estudar o efeito da interação genótipo e ambiente sobre as características de crescimento em bovinos da raça Nelore que fazem parte do estudo de seleção para peso do Centro APTA Bovinos de Corte. O objetivo desde estudo será avaliar o efeito da seleção para peso aos 210 dias (P210), peso aos 378 dias (P378) para machos e peso aos 550 dias (P550) para fêmeas sobre a sensibilidade ambiental de bovinos da raça Nelore provenientes de três linhas de seleção, mediante ao estudo de normas de reação ao ambiente, obtidas por regressão aleatória usando abordagem bayesiana, além de estimar a tendência genética dos rebanhos. Serão utilizados aproximadamente 8482 informações de animais da raça Nelore, nascidos entre 1980 e 2015, provenientes de três linhas de seleção do Centro de Pesquisa de Bovinos de Corte, do Instituto de Zootecnia de Sertãozinho, SP. As Análises serão realizadas empregamdo-se dois modelos hierárquicos de normas de reação (MHNR) e um modelo animal padrão (MA) utilizando o programa INTERGEN. O MHNR1P utiliza as soluções de grupo de contemporâneos estimadas previamente pelo modelo animal padrão (MA) e as considera como nível ambiental, já o MHNR2P estima simultaneamente dois conjuntos de incógnitas considerando a variância residual homogênea e heterogênea. Para verificar o modelo de melhor ajuste serão utilizados os critérios de informação da deviance (DIC) e o Fator de Bayes (BF). As tendências genéticas serão obtidas pela regressão linear da média dos valores genéticos sobre o ano do nascimento pelo programa estatístico SAS.

Ver detalhes do projeto

  CLAUDIA CRISTINA PARO DE PAZ      IZ

Monitoramento das Condições Climáticas do Estado de São Paulo

n° SGP 2107

Atualmente o Instituto Agronômico conta com uma rede de estações meteorológicas automáticas, isntaladas em diversas localidades do estado de São Paulo, nas quais são registradas condições climáticas locais como: temperatura do ar, precipitação, umidade relativa do ar, direção e velocidade do vento, dentre outros parâmetros. 

Os dados coletados, em escala horaria e diária, são armazenados em um model e transferidos via sistema (chip de celular) ao Centro de Informações Agrometeorológicas (Ciiagro), lotado no Centro de Ecoisiologia e Biofisica, do IAC. Esses dados são armazenados em um banco de dados e estão disponiveis para diferentes finalidades: monitoramento climático do estado e/ou determinada região, identificação de eventos extremos, análises de previsão de safra, auxilio à defesa civil em casos de precipitação extrema, ocorrência de vendavais e etc. 

No entanto, sem o acompanhamento efetivo e regular, as informações que eventualmente possam sofrer alterações durante a transferência (caminho entre estação meteorológica e o banco de dados), correm o risco de serem disponibilizadas aos usuários erradas. Diversos são os fatores que intereferem e possibilitam esses erros como por exemplo: descalibração, falhas, defeitos e quebra de sensores, problemas na rede ou sistema de transferência dos dados. 

O uso de dados errados, acarreta problemas diretamente nas informações cedidas à imprensa, defesa civil, população em geral e na interepretação de pesquisas realizadas a campo que necessitam das condições climáticas para serem analisadas.

Sendo assim, o objetivo desse projeto é proporcionar um acompanhamento frequente e constante dos dados armazenados no banco de dados, para que sejam corrigidos quando possivel ou elimandos, de forma que essas informações disponíveis sejam sempre confiáveis, diminuindo assim o máximo possível de erros.

Ver detalhes do projeto

  Angelica Prela Pantano      IAC

Investigação e disseminação de informações sobre tendências e alimentos industrializados

n° SGP 2106

O projeto consiste em produzir e divulgar informações respaldadas pela ciência e tecnologia de alimentos que expliquem a importância dos alimentos industrializados ou processados para a sociedade brasileira, bem de estudo de tendências sobre frutas e vegetais. Para tanto, serão criados mais 12 módulos no site alimentosprocessados.com.br, publicados dois documentos sobre alimentos industrializados, elaboradas duas cartilhas, ampliada a atividade de comunicação com a sociedade e construído um novo modelo de relacionamento institucional.

Ver detalhes do projeto

  Luis Fernando Ceribelli Madi      ITAL

Caracterização de compostos bioativos e potencial de armazenamento de fruteiras temperadas adaptadas a clima quente

n° SGP 2103

A procura no mercado por alimentos funcionais cresce muito a cada ano; o consumidor espera reduzir despesas com saúde, causadas por várias doenças que afetam a população. As propriedades antioxidantes estão muito relacionadas ao tipo de fruta, ou seja, espécie ou cultivares dentro da mesma espécie, às condições de cultivo das plantas, como ambiente e técnicas de manejo, locais de cultivo, além do grau de maturidade na colheita, sendo que, quanto mais maduras as frutas, menor o teor de compostos fenólicos totais e a atividade antioxidante. Variação nos teores de compostos fenólicos em amora-preta, framboesas e uvas são comumente observadas em trabalhos científicos, sendo que o tipo de extração e o solvente podem influenciar bastante nos resultados.

Diferentemente da maioria das culturas anuais, no processo de produção de frutas, a produtividade representa apenas um fator, complementando que de nada adianta obter-se altos rendimentos se a qualidade dos frutos não é satisfatória. Vale ressaltar que o estado nutricional das plantas é um dos fatores que mais influem no volume da produção e na qualidade das frutas. A exigência em qualidade, somada à concentrada produção de frutas em um curto período do ano, faz necessária o uso do armazenamento para fornecer ao mercado consumidor um produto de qualidade por um maior período de tempo. O armazenamento refrigerado e a embalagem em atmosfera modificada podem ser indicados entre as técnicas usadas para atrasar a senescência e para promover a extensão da vida útil das frutas. A estocagem frigorificada além de diminuir o processo da respiração, pode reduzir a ação das enzimas, diminuir a perda de água e a ação dos microrganismos que provocam deterioração e aumentar a vida útil de comercialização.

Dentro deste contexto, o foco principal do presente projeto é a caracterização de compostos bioativos e desenvolvimento de metodologias capazes de aumentar a vida útil pós-colheita de amoras-pretas, framboesas e uvas.

As diferentes cultivares de pequenas frutas (amoras-pretas e framboesas) e de seleções e cultivares de uva estão localizadas no Centro de Frutas do IAC.

Ver detalhes do projeto

  Juliana Sanches de Laurentiz      IAC
  Sobre

O SGP (Sistema de Gestão de Pesquisa) foi implementado em todas as unidades APTA, para centralizar o controle de todos os projetos desenvolvidos sob sua supervisão. [Ler mais]

Endereço APTA – São Paulo

Praça Ramos de Azevedo, 254, 2º andar - República, São Paulo - SP

Fone : (11) 5067-0447 e 5067-0427

  Endereço APTA – Campinas

Avenida Barão de Itapura, 1481 - Botafogo, Campinas - SP

Fone : (19) 2137-8930