Exibindo todos os projetos ativos na APTA

Página Inicial / Busca de Projetos

786 projetos ativos encontrados - pág. 1 de 27

Rações suplementadas com minerais orgânicos e inorgânicos para tilápia do Nilo, Oreochromis niloticus durante a fase reprodutiva

n° SGP 1849

Estudos com microminerais têm sido desenvolvidos com a finalidade de garantir melhor absorção desses nutrientes no trato intestinal dos peixes, sem entrar no processo de competição iônica, normalmente determinada pela presença de maior concentração de íons minerais. Esse estudo tem por objetivo avaliar a substituição de minerais (selênio, zinco, ferro, cobre e manganês) inorgânicos por suas formas orgânicas em diferentes percentuais (0; 33; 66 e 100%) em rações para diferentes fases de desenvolvimento durante o ciclo de vida da tilápia do Nilo (Fase 1. Juvenil; Fase 2. Reprodutora na 1º Maturação Gonadal; Fase 2.1 – Larval). As rações serão formuladas de acordo com as exigências nutricionais de cada fase, com distinção apenas no percentual e formas de minerais a serem suplementados em cada, sendo: T1 - 0% minerais (controle), T2 – 33% minerais orgânicos, T3 – 66% de minerais orgânicos, T4 100% de minerais orgânicos e T5 100% minerais inorgânicos. Nas distintas fases serão avaliados parâmetros zootécnicos, reprodutivos, enzimáticos, histológicos, sanguíneos e concentração de minerais em vértebra, carcaça e ovos. Os resultados serão submetidos às análises estatísticas que melhor se ajustarem ao modelo experimental. Espera-se com o desenvolvimento do presente trabalho atender a demanda existente da iniciativa privada de uma ração suplementada com minerais adequadas, aumentando a produção de ovos e larvas, proporcionando melhorias no desenvolvimento dos animais, consequentemente, otimizando custo e benefício.

Ver detalhes do projeto

  Giovani Sampaio Gonçalves      IP

Influência da embalagem em desenvolvimento de alimentos inovadores: estabilidade de chocolate ao leite adicionado de fibras higrosccópicas

n° SGP 1848

O objetivo geral desse trabalho é avaliar qual tipo de a embalagem é mais adequada para o acondicionamento de um chocolate funcional contendo fibras higroscópicas.

Especificamente, os objetivos são de:

• Incorporar fibras em chocolate visando a obtenção de um produto com alegação de “’fonte de fibras’’ ou “alto conteúdo de fibras”.

• Avaliar o melhor tipo de embalagem para preservação das características adequadas do chocolate, contendo fibras higroscópicas, minimizando a interação do produto com o ambiente externo (absorção de umidade).

Ver detalhes do projeto

  Rosa Maria Vercelino Alves      ITAL

Influência da embalagem na estabilidade de chocolate ao leite adicionado de fibras higroscópicas

n° SGP 1847

Este estudo tem como objetivo estudar a influência do material de embalagem na preservação da qualidade de um chocolate funcional contendo fibras higroscópicas. Por isso será avaliado a incorporação de inulina e/ou FOS adequando a formulação básica de chocolate ao leite e acondicionando o produto em materiais de embalagem com barreiras ao vapor d´água diferenciadas. Os produtos embalados serão estocados em câmara a 25ºC/75%UR e será acompanhado alguns aspectos físicos e químicos do produto e das embalagens.Este estudo tem como objetivo estudar a influência do material de embalagem na preservação da qualidade de um chocolate funcional contendo fibras higroscópicas. Por isso será avaliado a incorporação de inulina e/ou polidextrose adequando a formulação básica de chocolate ao leite e acondicionando o produto em materiais de embalagem com barreiras ao vapor d´água diferenciadas. Os produtos embalados serão estocados em câmara a 25ºC/75%UR e será acompanhado alguns aspectos físicos e químicos do produto e das embalagens.

 

 

Ver detalhes do projeto

  Rosa Maria Vercelino Alves      ITAL

Interação alimento-processo-embalagem: efeito da tecnologia de ultrassom e diferentes composições do alimento na integridade de embalagens de alumínio

n° SGP 1846

Este trabalho envolve a parceria entre o CETEA e ESALQ/USP, através de exploração de tema que constitui a intersecção de dois projetos em andamento: avaliar o efeito da tecnologia de ultrassom e diferentes composições do alimento na integridade de embalagens de alumínio. Para tanto, é objetivo deste trabalho conhecer a capacidade de corrosão de diferentes soluções modelo frente ao contato com o alumínio em diferentes condições de processamento com ultrassom, levantando-se dados relativos à migração de alumínio da embalagem com a solução de interesse e danos ao revestimento polimérico.

Ver detalhes do projeto

  Beatriz Maria Curtio Soares      ITAL

Avaliação da produção de aflatoxinas em duas cultivares de amendoim com alto teor de ácido oleico produzidos no Estado de São Paulo

n° SGP 1839

O Estado de São Paulo se destaca como maior produtor nacional de amendoim e nos últimos anos apresentou grandes mudanças no cultivar plantado e consequente aumento na produtividade. Atualmente, os cultivares com alto teor de ácido oleico tem chamado atenção devido a sua resistência às diversas doenças e maior estabilidade à oxidação lipídica, aumentando assim, sua vida de prateleira. Devido às características de produção do amendoim, esta cultura é susceptível à infecção por fungos produtores de aflatoxinas, metabólitos secundários carcinogênicos ao homem. Apesar do conhecimento deste problema, a disponibilidade de fungos aflatoxigênicos no solo e o contato direto com o amendoim somado a fatores climáticos como temperatura e umidade, facilitam a infecção e consequente produção desta toxina, dificultando o controle. Nestas condições, serão analisadas duas cultivares de amendoim com alto teor de ácido oleico que são as principais cultivares plantadas no Estado de São Paulo, a fim de avaliar a susceptibilidade à infecção de fungos produtores de aflatoxinas bem com a produção desta toxina. A regulamentação técnica sobre a presença de aflatoxinas no amendoim será de acordo com a RDC 7/2011 (ANVISA, 2011).       

Ver detalhes do projeto

  Marta Hiromi Taniwaki      ITAL

Estudo do teor total e estimativa de ingestão de alumínio em alimentos infantis

n° SGP 1831

A infância provavelmente é o período de vida em que as maiores necessidades nutricionais do corpo humano são observadas, sendo o leite materno considerado o melhor alimento para lactentes. Em circunstâncias em que a amamentação não seja possível ou suficiente, fórmulas infantis são usadas para suprir as demandas nutricionais dos lactentes (Kazi et al., 2010), sendo a complementação alimentar dos bebês realizada a partir dos primeiros meses de vida mediante carências energéticas e nutricionais relacionadas à suas características fisiológicas (Perales et al., 2006). Do ponto de vista toxicológico é importante conhecer o conteúdo de alumínio em alimentos infantis.

A dieta é a principal fonte de ingestão de alumínio sendo que o Al pode ser incorporado aos alimentos através da água, do meio ambiente ou como aditivo para uso alimentício. Além destas fontes, este contaminante está presente em artigos de uso diário que possuem alumínio em sua composição, tais como cosméticos, produtos farmacêuticos (antidiarreicos, antiácidos) e ainda em embalagens metálicas destinadas a alimentos (CAC, 2016).

O Comitê Conjunto FAO/OMS de Peritos em Aditivos Alimentares - JECFA (CAC, 2016) confirmou na 74º reunião o valor de PTWI (Provisional Tolerable Weekly Intake – Ingestão Semanal Tolerável Provisória) para o alumínio de 2 mg/kg peso corpóreo (pc). A PTWI aplica-se a todos os compostos de alumínio nos alimentos, incluindo aditivos alimentares. O JECFA observou que a PTWI é susceptível de ser ultrapassada em grande medida por alguns grupos populacionais, particularmente as crianças, que consomem regularmente alimentos que contêm aditivos à base de alumínio. O JECFA também inferiu que a exposição a este metal por lactentes alimentados com fórmulas infantis é alta. Com base nessa potencial exposição o Comitê recomendou mais estudos sobre a biodisponibilidade de diferentes aditivos alimentares contendo alumínio para que conclusões apropriadas quanto à toxicidade desses compostos sejam determinadas.

Chuchu et al. (2013) estudaram fórmulas de leites prontos para beber e  amostras de leite em pó para crianças disponíveis no comércio do Reino Unido e encontraram teores de Al para as amostras (sem soja) variando de 100 até 430 µg L-1. Para os produtos de leite contendo soja o teor de Al variou de 656 a 756 μg L-1 e o cálculo da ingestão de Al nas fórmulas sem soja variou de 100 a 300 μg/dia, enquanto que para os produtos com soja foram maiores que 700  μg/dia. Os autores concluem que existe a necessidade de reduzir os níveis de Al nestes alimentos para proteger os lactentes da exposição crônica ao Al dietético.

Stahl et al. (2011) estudaram a presença de alumínio em diversos produtos alimentícios, como farinhas, massas, ervas e bebidas encontrando valores para o teor total de Al compreendidos entre 1 mg kg-1 e 737 mg kg-1 para essas matrizes.

Em um estudo realizado no Canadá, Dabeka et al. (2011) avaliaram fórmulas infantis com base láctea e encontraram teores de alumínio total variando de 10–3400 µg kg-1, sendo que as maiores concentrações de Al foram obtidas nas amostras à base de soja.

Burrell e Exley (2010) estudaram a concentração de Al em diversas fórmulas prontas a base de leite e encontraram teores variando de 176 a 700 µg L-1. Para os produtos em pó os resultados variaram de 2,4 a 4,3 µg g-1 (ou 2400 a 4300 µg kg-1). Os autores relatam que os maiores níveis de Al foram encontrados nos produtos à base de soja e concluem que a vulnerabilidade à exposição precoce dos bebês ao Al demonstra grande importância da necessidade urgente de reduzir o seu teor em fórmulas para lactentes a um nível tão baixo quanto possível.

Quando recém-nascidos e crianças são expostos ao Al existe um risco particular de exposição devido à formação ainda incompleta da barreira hematoencefálica, sistema digestivo e renal. A imaturidade do sistema gastrointestinal das crianças permite um maior potencial de permeabilidade do alumínio (Zatta & Alfrey, 1997).

Diante do exposto é de fundamental importância o conhecimento do teor de Al presente em alimentos e fórmulas infantis, visto que ainda existe uma grande lacuna quanto a dados da presença deste contaminante nos referidos alimentos comercializados no Brasil.

Ver detalhes do projeto

  Marcelo Antonio Morgano      ITAL

Determinação de hidrocarbonetos saturados e aromáticos de óleos minerais (MOSH e MOAH) em embalagens cartonadas de alimentos

n° SGP 1830

O óleo mineral é compostos por hidrocarbonetos saturados (MOSH) e aromáticos (MOAH) e está presente em tintas de impressão usadas em embalagens de alimentos e principalmente na impressão de jornal. As embalagens cartonadas feitas de material reciclado podem conter porções significativas de óleo mineral. Os MOSH consistem em alcanos lineares ou ramificados e ciclo-acanos substituídos com grupos alquila, enquanto que os MOAH incluem principalmente hidrocarbonetos poli-aromáticos substituídos com alquila. As principais fontes de hidrocarbonetos de óleo mineral (MOH) em alimentos são embalagens de  alimentos e aditivos, auxiliares de processamento e lubrificantes. Os MOSH de C16 a C35 podem se acumular e causar microgranulomas em vários tecidos incluindo linfonodos, baço e fígado. Os MOAH com três ou mais anéis aromáticos não alquilados ou alquilados podem ser mutagênicos e carcinogênicos e, portanto, são potencialmente preocupantes. Como ainda não existem estudos sobre a presença e quantiade de MOH em materiais de contato com alimentos no Brasil. Esse trabalho tem como objetivo principal estabelecer um método de determinação de MOH, baseado no método de BfR, 2012 que usa um  cartucho de extração em fase sólida de nitrato de prata/sílica gel para a pré-separaão e GC-FID para a quantificação de MOSH e MOAH, a fim de monitorar a presença destas substâncias em cartões reciclados e aparas pré e pós-consumo.

Ver detalhes do projeto

  Marisa Padula      ITAL

Determinação dos teores de isocianatos residuais em embalagens flexíveis laminadas destinadas para contato com alimentos

n° SGP 1829

Os isocianatos são componentes de adesivos poliuretânicos, que são amplamente utilizados na produção de embalagens flexíveis multicamadas laminadas. Existe uma preocupação com relação ao teor residual destas substâncias presentes em embalagens destinadas para alimenos porque, dependendo de algumas variáveis é possível que ocorra a formação de aminas primárias aromáticas, que são compostos com potencial carcinogênico. Desse modo, os regulamentos de materiais plásticos para contato com alimentos da ANVISA, do MERCOSUL e Europeu estabelecem o limite máximo de 1 mg de isocianatos/kg de material (BRASIL, 2012; COMISSÃO EUROPÉIA, 2011; GRUPO MERCADO COMUM, 2012). 

Assim, o trabalho consiste na implantação de uma metodologia, já estabelecida na norma EN-13130-8:2004, para determinação do teor residual de isocianatos em materiais, artigos e embalagens. Com o método implementado (e se necessário, validado), são feitas determinações do teor residual de isocianatos em embalagens flexíveis laminadas disponíveis comercialmente, as quais serão compradas em supermercados e em estruturas recém-fabricadas, que serão solicitadas à convertedores de embalagens (parceiros). Caso sejam identificados, isocianatos nestas estruturas recém-fabricadas, estas ficarão estocadas por um tempo determinado e serão novamente reavaliadas para confirmar se estes componente serão consumidos.  

Ver detalhes do projeto

  Marisa Padula      ITAL

Determinação de antioxidantes em embalagens plásticas para produtos farmacêuticos

n° SGP 1828

A preseça de aditivos em materiais de embalagem suscita a questão da migração do aditivo para o produto acondicionado na embalagem. Como a maioria dos aditivos são moléculas de baixa massa molecular, eles podem se difundir dentro do polímero e migrar para a superfície do material. Desta forma,  o produto acondicionado irá entrar em contato direto com a superfície da embalagem e poderá ocorrer a transferência do aditivo para o produto. Assim como para alimentos, para produtos farmacêuticos, regras e regulamentos foram elaborados para estabelecer ps requerimentos para embalagens desses produtos que fossem seguras do ponto de vista da interação embalagem/produto. Os princípais guias sobre os requerimentos de embalagem para produtos farmacêuticos são as farmacopeias. As mais conhecidas são United States Pharmacopoeia e a European Pharmacopoeia. Essas farmacopeias requerem a  determinação e quantificação de resíduos de antioxidantes nas embalagens para produtos farmacêuticos. No Brasil há poucos dados da presença dessas substâncias neste tipo de embalagem e com as  exigências cada vez maiores das empresas da área farmacêutica, o cumprimento do estabelecido nessas farmacopeias é essencial. Esse projeto tem como objetivos, implantar um método para determinação e quantificação de dois tipos de antioxidantes fenólicos em embalagens poliofelínicas destinadas ao acondicionamento de produtos farmacêuticos, de acordo com o descrito na Farmacopeia Americana, USP 39, e avaliar o teor residual de antioxidantes em poliolefinas disponíveis no mercado.  

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Ver detalhes do projeto

  Marisa Padula      ITAL

Acesso e sistematiação do conhecimento científico e tecnológico a área de embalagens ativas

n° SGP 1827

O futuro do setor de embalagens de alimentos exigirá múltiplas respostas tecnológicas para trazer soluções para as demandas do consumidor que hoje busca segurança, qualidade, conveniência e bem-estar. Além disso, a embalagem se tornou uma improtante ferramenta para o produtor de alimentos e bebidas obter vantagem competitivaem termos de funcionalidade, durabilidade do produto, imagem da marca, segurança, benefícios ambientais e preço. As respostas do setor de embalagem a essas demandas envolverão inovações associadas a embalagens ativas e inteligentes. Assim, o objetivo desse prodjeto é aumentar o acesso e a compreesão do conhecimento tecnológico na área de embalagens ativas para utilização em pesquisas do CETEA que permita criar conhecimento novo em C&T. As atividades previstas são: definição bases de dados bibliográficas e de patentes; definição da estratégia de busca bibliográfica; fazer buscas e refinar pesquisas; fazer o levantamento sistematizado das informações.

Ver detalhes do projeto

  Marisa Padula      ITAL

Crescimento máximo da linhagem de tilápia (Oreochromis niloticus) Supreme GST cultivada em temperaturas diferentes

n° SGP 1826

Objetiva-se avaliar as curvas de crescimento máximo da linhagem de tilápia Genomar Supreme GST (Oreochromis niloticus) cultivada em diferentes temperaturas. Um conjunto de dados de peso em função da idade será ajustado em diferentes modelos de crescimento. O experimento será realizado no Polo Alta Sorocabana - Agência Paulista de Tecnologia dos Agronegócios (APTA), em Presidente Prudente - SP, localizado em 22º11' de latitude Sul, 51º23' de longitude Oeste e 458,3 m de altitude. Alevinos de tilápia de proximadamente 1,5 g serão cultivados em três sistemas de recirculação de água contendo tanques de 0,5 m³, a densidade de 40 peixes / m³. Os sistemas serão fornecidos com controle de temperatura, filtro e tratamento de ultravioleta. A temperatura da água dos sistemas de recirculação será mantida a 22, 26 e 30 ºC. Os peixes serão alimentados “ad libitum” três vezes ao dia com mesma ração comercial específica para cada fase de crescimento. Ao longo do crescimento, serão pesados dez peixes de cada tanque no início e aos 30, 60, 90, 120, 150 e 180 dias de cultivo depois de passar por um período de jejum de 12 horas. Serão determinados a sobrevivência, ganho de peso, conversão alimentar e homogeneidade dos lotes em cada período. O modelo exponencial de crescimento também será ajustado para a determinação e comparação das taxas de crescimento. Será utilizado o delineamento experimental inteiramente casualizado, com 3 tratamentos e quatro repetições (tanques). O estudo do crescimento será realizado ajustando todos os dados do peso do peixe para o modelo exponencial, dado por y= Aekx, e modelo de Gompertz dado por y = Aexp(-Be-kx). Adicionalmente serão determinadas as taxas de crescimento absoluta e relativa e o peso e idade à inflexão. Os parâmetros das curvas para cada linhagem serão comparados por seus intervalos de confiança a 95% de probabilidade.

Ver detalhes do projeto

  Vander Bruno dos Santos      IP

Estudo para estabelecer correlação entre o tamanho e formato de grânulos de produtos modelo, obtidos por aglomeração com vapor, com as propriedades de reconstituição de pós em líquidos.

n° SGP 1823

O processo de aglomeração permite transformar um alimento em pó fino em grânulos, com a modificação da sua estrutura física, sendo que as características dos aglomerados obtidos dependem do tipo de processo que é utilizado, das condições operacionais, dos ingredientes constituintes da formulação e da proporção entre estes. As modificações na estrutura física do pó que ocorrem devido ao processo de aglomeração com vapor são principalmente no tamanho e no formato dos grânulos, sendo possível caracterizá-las através da análise morfológica. Portanto, pretende-se neste projeto de pesquisa, caracterizar a forma e o tamanho dos grânulos de produtos modelo em pó (base carboidrato, proteína e gordura), obtidos em aglomeração com vapor, correlacionando-os com as propriedades de reconstituição de pós em líquidos. 

 

Ver detalhes do projeto

  Fernanda Zaratini Vissotto      ITAL

PRODUÇÃO DE FLOCOS DE JABUTICABA POR DRUM DRYING: DESEMPENHO DE DIFERENTES COADJUVANTES DE PROCESSO E ESTABILIDADE

n° SGP 1821

A jabuticabeira (Myrciaria sp.) é uma árvore frutífera brasileira de origem subtropical e nativa do Bioma Mata Atlântica, e seu fruto pode ser consumido in natura ou através de geleias, vinhos, vinagre, licores, entre outros. A fruta é altamente perecível, ocasionando dificuldades para sua comercialização em escala industrial. A secagem é uma forma de aumentar a estabilidade do alimento, garantindo qualidade sensorial e nutricional, facilitando a posterior aplicação em diversos tipos de alimentos. O processo de drum drying é uma alternativa para a desidratação de polpas de frutas, pois além de ser rentável, utiliza menores quantidades de agentes carreadores, quando comparado ao processo de spray drying, comercialmente mais empregado. O drum drying pode resultar em pós, ou flocos, com boa qualidade, e com alta retenção de nutrientes. Até onde se sabe, não há estudos sobre a aplicação da tecnologia para polpa de jabuticaba, nem tampouco sobre a estabilidade dos pós/flocos obtidos. Estudos que empregam frutas tipicamente brasileiras são de relevância técnica, visto que impulsionam seu consumo e valorizam seu comércio. Assim, o objetivo do estudo será avaliar o desempenho de diferentes coadjuvantes no processo, como a do amido regular de milho e o da fécula de mandioca, de drum drying de polpa de jabuticaba, avaliando a estabilidade dos flocos obtidos em diferentes condições de armazenamento.

Ver detalhes do projeto

  Silvia Pimentel Marconi Germer      ITAL

DESIDRATAÇÃO DE CASCAS DE MANGA POR DRUM DRYING E FLASH DRYING PARA A OBTENÇÃO DE INGREDIENTES FUNCIONAIS

n° SGP 1820

     O aproveitamento dos resíduos do processamento de sucos e polpas de frutas se justifica frente ao grande volume de massa gerada, e a excepcional qualidade nutricional dos mesmos, que normalmente são descartados, ou empregados na alimentação animal. A secagem é uma alternativa na estabilização desses resíduos, e o produto obtido pode ser empregado como ingrediente no desenvolvimento de produtos alimentícios, resultando na agregação de nutrientes, bem como de propriedades sensoriais, funcionais e tecnológicas. A literatura científica apresenta poucos trabalhos sobre a secagem de cascas de manga em escala piloto, e até onde se sabe, não há referências quanto ao emprego do drum drying e do flash drying para essa finalidade. Neste contexto, o objetivo geral do projeto será avaliar as operações preliminares necessárias, bem como as condições dos processos da secagem de cascas de manga pelas tecnologias de drum drying (secagem em cilindro rotativo) e flash drying (secagem pneumática). Algumas propriedades de qualidade dos produtos em pó obtidos também serão avaliadas.

Ver detalhes do projeto

  Silvia Pimentel Marconi Germer      ITAL

Desenvolvimento de método para a determinação da distribuição de peso molecular de hidrolisados proteicos utilizando cromatografia de exclusão molecular de alta eficiência (HPLC-SEC)

n° SGP 1817

O aproveitamento de subprodutos industriais, como fonte de insumos, representa, junto cmo apelo ambiental, uma vantagem econômica por agregar valor a produção pelo uso de material de baixo valor comercial. Nos úlimos anos tem se observado um aumento de interesse por parte da indústria  do aproveitamento destes materiais, tanto de origem animal como vegetal, no que se refere às proteínas. Hidrolisados protéicos podem ser obtidos por hidrólise enzimática de proteínas e fatores como, especificidade da enzima utilizada e condições de hidrólise como tempo, temperatura e proporção enzima substrato, influenciarão na composição dos hidrolisados, principalmente no que se refere ao tamanho dos peptídeos e sua sequência aminoacídica. Neste trabalho serão utilizadas proteínas hidrolisadas de colágeno e de soro de leite, para os testes de distribuição de massa molecular dos hidrolisados. Serão  definidas as condições de melhor desempenho da metodologia paa análise destas amostras utilizando o equipamento de HPLC-SEC. 

Ver detalhes do projeto

  Maria Teresa Bertoldo Pacheco      ITAL

Avaliação do potencial de aplicação de farinhas de trigo modificadas por processo térmico e químico através de baking tests para os produtos pães e bolo

n° SGP 1816

A demanda crescente por produtos de alta qualidade mostra a necessidade do setor produtivo por ingredientes que forneçam esse atributo aos seus produtos finais. Em face das variáveis identificadas dentro da cadeia do trigo para a produção de uma farinha de trigo adequada para cada tecnologia existente, o propósito deste projeto é a avaliação de farinhas de trigo obtidas a partir de tratamento térmico e agente químico, originadas dos resultados do projeto de pesquisa desenvolvido dentro do programa do CNPq/PIBIC 2016/17, através de métodos oficiais de baking tests existentes para pães e bolos e verificar a necessidade de adaptação destes aos interferentes que ocorrem todos os anos no Brasil.    

Ver detalhes do projeto

  Michele Nehemy Berteli      ITAL

Avaliação das condições de vazão de gás e potência de micro-ondas na geração de plasma de argônio por micro-ondas

n° SGP 1815

A atual demanda comercial, baseada em sustentabilidade, qualidade, acessibilidade e segurança alimentar, impulsiona um alto investimento de esforços nos ramos da cadeia de abastecimento alimentar, relacionados com a melhoria de sua eficiência e sustentabilidade. Neste panorama, incentiva-se o desenvolvimento de alternativas melhoradas aos processos alimentares tradicionais.
Dentre as tecnologias emergentes disponíveis, destaca-se a de plasma não térmico que, em contraste com os processos térmicos tradicionais, pode inativar micro-organismos, incluindo esporos bacterianos, a temperaturas ambiente ou moderadamente elevadas, por tempos de tratamento curtos.
O presente projeto trata da continuação de um PIBIC (edital 2016/2017) que abordou a montagem de uma unidade geradora de plasma não térmico de argônio por micro-ondas para aplicação via tratamento remoto. Neste caso, a superfície a ser tratada não tem contato direto com o plasma, o tratamento ocorre após o aplicador onde é gerado o plasma, através do fluxo de elementos formados pelo plasma.
O objetivo desta pesquisa é avaliar as condições de potência de micro-ondas e vazão de gás de argônio na geração de plasma e suas influências na temperatura do fluxo de elementos gerados pelo plasma.

Ver detalhes do projeto

  Michele Nehemy Berteli      ITAL

Desenvolvimento e avaliação microbiológica de bebidas à base de soro fontes de proteína com e sem adição de probióticos

n° SGP 1811

As bebidas com adição de proteínas, vitaminas, probióticos, prebióticos, minerais e compostos bioativos (antioxidantes) com funções de saudabilidade são cada vez mais populares e vão impulsionar o crescimento do mercado nos próximos anos. Além disso, as preocupações ambientais estão recebendo a atenção das indústrias, grupos empresariais, entidades de governo e de consumidores conscientes da importância do meio-ambiente, o que justifica estudos envolvendo formas de aproveitamento de subprodutos da indústria alimentícia que possuem propriedades funcionais e biológicas, como o soro de queijo, na elaboração de bebidas. Assim este trabalho objetiva desenvolver e avaliar microbiologicamente uma bebida à base de soro de queijo adicionada de proteína com e sem adição de probióticos.

Ver detalhes do projeto

  Adriana Torres Silva e Alvez      ITAL

BEBIDAS A BASE DE SORO DE QUEIJO FONTES DE PROTEÍNA: DESENVOLVIMENTO E AVALIAÇÃO FÍSICO-QUÍMICA

n° SGP 1810

Durante a fabricação de queijos, tem-se como subproduto o soro, que atualmente é considerado um dos mais poluentos subprodutos da fabricação de alimentos. Porém, o soro apresenta em sua composição componentes de elevado valor nutricional , caso das soroproteínas. Com base no exposto e considerando-s que, segundo dados da literatura internacional, do total de soro gerado mundialmente, apenas cerca de 50% é processado, pesquisas  sobre novas formas possíveis de aproveitamento do soro ou de seus derivados se fazem necessárias. Assim sendo, este projeto tem por objetivo o desenvolivmento , caracterização físico-química e avaliação (durante 2 meses de estocagem refrigerada) de bebidas elaboradas à base de soro do quejo Minas Frescal, fontes de proteína, com e sem adição de probióticos.

Ver detalhes do projeto

  Leila Maria Spadoti      ITAL

AVALIAÇÃO IN VITRO DA EFETIVIDADE DE FITOTERÁPICOS E DA TERRA DIATOMÁCEA, DISPONÍVEIS NO MERCADO, CONTRA Alphitobius diaperinus (COLEOPTERA:TENEBRIONIDAE)

n° SGP 1809

A expansão da avicultura industrial intensiva propiciou habitat ideal para o Alphitobius diaperinus, popularmente conhecido como “cascudinho” e atualmente considerado uma das maiores pragas da indústria aviária em diversos países. O uso de produtos químicos tem sido utilizado para o controle dessa praga, porém, tratamentos alternativos tem sido procurados e estudados. O presente projeto de pesquisa tem como objetivo avaliar, in vitro, a efetividade de produtos fitoterápicos e da terra diatomácea, disponíveis no mercado,  contra adultos e larvas de Alphitobius diaperinus.

Ver detalhes do projeto

  Giane Serafim da Silva      IB

CONTAMINAÇÃO DE PASTAGENS CULTIVADAS SOB DIFERENTES SISTEMAS DE SOMBREAMENTO POR LARVAS DE NEMATÓDEOS PARASITOS DE BOVINOS

n° SGP 1808

O Brasil possui condições ideais para o crescimento e desenvolvimento das forrageiras tropicais, por possuir temperaturas elevadas, alta luminosidade e precipitação suficientes para garantir altas produções. Tais condições podem, ao mesmo tempo, propiciar o desenvolvimento máximo, em menor tempo, das fases imaturas dos parasitos, as quais estão presentes no ambiente. A ação e prejuízos econômicos causados pelas parasitoses à espécie bovina são amplamente conhecidos e divulgados. A capacidade de sobrevivência de larvas de nematódeos em pastagens é a chave para o entendimento da epidemiologia de infecção de bovinos e outros ruminantes. A presente proposta tem como objetivo acompanhar o status parasitário de helmintos parasitos de bovinos em pastagens sob diferentes sistemas de produção (Integração-Lavoura-Pecuária-Silvicultura (ILPS), Integração Silvo-Pastoril (ISP) com e sem rotação de culturas e sistemas tradicionais (sem sombramento). A pesquisa será desenvolvida em área de pastagem do CAPTA - Seringueira e Sistemas Agroflorestais/IAC/APTA, localizado no município de Votuporanga e no "Laboratório de Parasitologia Animal de Votuporanga/IB/APTA. Avaliação das larvas na pastagem serão realizadas a cada três meses, durante um ano. No início, meio e final do período experimental serão realizados exames coproparasitológicos dos bovinos, objetivando a comprovação do parasitismo dos animais por nematódeos. Parâmetros ambientais, como temperatura e umidade também serão acompanhados.  

Ver detalhes do projeto

  Giane Serafim da Silva      IB

Propriedades reológicas e tecnológicas de biscoitos salgados com teor reduzido de aditivos

n° SGP 1807

Atualmente a regulamentação brasileira sobre alimentos integrais está sendo revisada seguindo os conceitos mundiais, desta forma esta pesquisa visa realizar ajustes de formulação e processo, atendendo a demanda regulatória que será atualizada. Neste estudo serão estudadas alternativas para melhorar as propriedades reológicas e tecnológicas da massa e dos produtos integrais através da adição de ingredientes clean label, assim como de enzimas, que atuam na reologia da massa em substituição aos aditivos tradicionais. Neste estudo será aplicado um delineamento experimental 22 do tipo Composto Central Rotacional para verificar o efeito da adição dos ingredientes (a definir) quanto à reologia da massa de trigo integral (farinografia, extensografia e alveografia) e propriedades físicas e tecnológicas de biscoitos integrais.

 

Ver detalhes do projeto

  Elizabeth Harumi Nabeshima      ITAL

Influência da adição de fibra alimentar de frutas sobre as propriedades físicas e sensoriais de panetones utilizando fermento natural com cepas selecionadas

n° SGP 1806

O panetone é um produto fermentando que possui uma formulação complexa, rica em açúcares, gorduras e aditivos sintéticos, que são adicionadas para garantir sua estabilidade ao longo da vida-de-prateleira. O fermento natural ou massa ácida demonstra ser um importante aliado para ser utilizado nos produtos de panificação fermentados, pois promove modificações bioquímicas da rede de glúten através da ação microbiana e enzimática, tendo como resultado a alteração da reologia da massa, da formação de aroma e sabor agradável e diferenciado. Neste contexto, as fibras alimentares poderiam ser importantes aliados funcionais, tecnológicos e sensoriais neste tipo de produto. O objetivo deste estudo será estudar o efeito combinado da adição de massa ácida e fibras oriundas da indústria processadora de frutas quanto às propriedades reológicas e de textura do produto final.

Ver detalhes do projeto

  Elizabeth Harumi Nabeshima      ITAL

Estudo de formulações de sorvete com teor reduzido de lactose e diferentes teores de concentrado proteico de soro, soro de leite e leite em pó desnatado no overrun e derretimento

n° SGP 1803

Este projeto prevê, na etapa 1, testes preliminares para definição de formulações de sorvete com concentrado proteico de soro, soro de leite, leite em pó desnatado, sacarose, gordura láctea, emulsificantes e espessantes. Na etapa 2 serão avaliadas as condições de hidrólise para obtenção de redução do teor deste dissacarídeo. Na etapa 3 será avaliado o método de determinação do derretimento para aplicação nas etapas posteriores. Na etapa 4 serão produzidas formulações de sorvete com diferentes teores do CPS, soro de leite e leite em pó desnatado com e sem hidrólise da lactose e serão avaliados o overrun, densidade aparente e o perfil de derretimento de cada uma. Assim, as variáveis a serem avaliadas serão concentração de soro de leite em pó, CPS e leite em pó desnatado e a hidrólise ou não da lactose nas formulações.

Ver detalhes do projeto

  Patricia Blumer Zacarchenco Rodrigues de Sá      ITAL

Caracterização dos recursos genéticos do lambari Astyanax sp: Conservação e uso destes recursos para o desenvolvimento de um piscicultura da espécie.

n° SGP 1796

As espécies de “lambari foram escolhidas por serem um conjunto de espécies com grande valor comercial e poderem servir de espécie modelo, devido ao seu pequeno porte e ciclo reprodutivo rápido, com possibilidade de se desenvolver uma metodologia de melhoramento genético em pisciculturas de médio porte utilizando a mesma densidade utilizada em produção. Serão julgadas as possíveis populações encontradas na região, seja avaliando com questionários os produtores, observando a origem dos seus reprodutores e as possíveis características selecionáveis dentro de um programa de melhoramento que interessam para o produtor, ou coletando novos exemplares com pescadores locais. Após esse primeiro ensaio serão determinados quais amostragem deverão ser aproveitadas para a avaliação genética, onde serão empregadas ferramentas moleculares (DNA mitocondrial e microssatélites) para se analisar a variabilidade genética e estrutura populacional. Na avaliação da diversidade genética e polimorfismo dos loci será utilizado o sequenciador DNA Analyser 4300 da LiCor. Os resultados podem indicar se as populações analisadas possuem variabilidade genética e se podem ser utilizadas em conjunto na formação de famílias num programa de melhoramento genético. A estruturação genética será avaliada dentro e entre populações, assim quanto informativo são os microssatélites para essas populações. As espécies de “lambari foram escolhidas por serem um conjunto de espécies com grande valor comercial e poderem servir de espécie modelo, devido ao seu pequeno porte e ciclo reprodutivo rápido, com possibilidade de se desenvolver uma metodologia de melhoramento genético em pisciculturas de médio porte utilizando a mesma densidade utilizada em produção. Serão julgadas as possíveis populações encontradas na região, seja avaliando com questionários os produtores, observando a origem dos seus reprodutores e as possíveis características selecionáveis dentro de um programa de melhoramento que interessam para o produtor, ou coletando novos exemplares com pescadores locais. Após esse primeiro ensaio serão determinados quais amostragem deverão ser aproveitadas para a avaliação genética, onde serão empregadas ferramentas moleculares (DNA mitocondrial e microssatélites) para se analisar a variabilidade genética e estrutura populacional. Na avaliação da diversidade genética e polimorfismo dos loci será utilizado o sequenciador DNA Analyser 4300 da LiCor. Os resultados podem indicar se as populações analisadas possuem variabilidade genética e se podem ser utilizadas em conjunto na formação de famílias num programa de melhoramento genético. A estruturação genética será avaliada dentro e entre populações, assim quanto informativo são os microssatélites para essas populações. 

Ver detalhes do projeto

  Fernando Stopato da Fonseca      IP

Fungos em micotoxinas em páprica

n° SGP 1794

A páprica é um condimento obtido através da secagem e trituração de frutos maduros dos pimentões da espécie Capsicum annuum. A produção dessa espécie de pimentão no Brasil ainda é pequena, devido ao desconhecimento de sua existência e a pequena utilização na culinária, sendo quase toda a produção exportada. Estudos já apontaram a presença de fungos toxigênicos e micotoxinas em amostras de pimentões e em amostras de páprica. As micotoxinas são toxinas produzidas por algumas espécies de fungos filamentosos, que podem causar danos à saúde humana e animal, e sendo encontradas em uma variedade de alimentos. Na páprica, as principais micotoxinas encontradas são a ocratoxina A, produzida principalmente por Aspergillus niger e A. carbonarius, e as aflatoxinas, produzidas por A. flavus e A. parasiticus. O objetivo desse projeto será isolar e identificar os fungos toxigênicos encontrados nas amostras de páprica comercializadas no estado de São Paulo, bem como avaliar a presença de ocratoxina A e aflatoxinas nas amostras.

Ver detalhes do projeto

  Beatriz Thie Iamanaka      ITAL

Avaliação das características de qualidade do file de tilápia submetidos a diferentes tratamentos de conservação

n° SGP 1792

A exportação de tilápia ascende para uma atividade próspera e apresenta uma oportunidade para expansão da economia brasileira. As exportações totais de tilápia do Brasil no primeiro semestre de 2016 totalizaram 426,6 toneladas no valor de USD 3,2 milhões. O mercado norte-americano continua a ser o principal destino das vendas externas desta espécie, representando quase 100% das compras totais do segmento de filés frescos BARROSO et al ( 2016).

O aumento da vida útil representa um importante fator, pois pescado de forma geral apresentam condições intrínsecas que propiciam a multiplicação microbiana. A elevada atividade de água, a composição química, o teor de gorduras insaturadas facilmente oxidáveis e o pH próximo da neutralidade da carne de peixe são os fatores determinantes no crescimento microbiano. A utilização de agentes sanificantes contribui para o aumento da vida de útil do produto resfriado (Oliveira et al, 2004). O sanitizante mais comum é o cloro, o qual é aprovado sob três diferentes formas, gás, hipoclorito de cálcio e hipoclorito de sódio (NaClO). A atividade anti-microbiana do cloro depende da quantidade de cloro livre disponível na solução, o pH, a temperatura e a quantidade de matéria orgânica (ELANO et al, 2010). O hipoclorito de sódio é um produto obtido a partir da reação do cloro com uma solução diluída de soda cáustica, aquosa e alcalina, que contém entre 10% a 13% de cloro ativo. De acordo com Lempek et al (2001), a imersão em solução de cloro remove o excesso de sangue na carne e auxilia na inibição da proliferação de micro-organismos na superfície. Existem muitas questões sobre o uso do cloro, mas em 2008 o Codex Alimentarius publicou um documento indicando uma recomendação favorável sobre o uso de cloro ativo na indústria de alimentos. (FAO, 2009). Neste trabalho serão avaliadas as características de qualidade dos filés de tilápia resfriados submetidos aos tratamentos (Controle, 10PPM, 20PPM, 35PPM E 50PPM de hipoclorito de sódio) durante os dias (0, 3, 6, 9, 12 e 15 ). 

 

 

 

Ver detalhes do projeto

  Marcia Mayumi Harada Haguiwara      ITAL

PRODUÇÃO DE CONDIMENTO E CORANTE DE URUCUM PARA USO NA CULINÁRIA DOMÉSTICA

n° SGP 1786

O objetivo principal desse projeto é obter dados tecnológicos para a produção de um condimento de urucum em óleo de soja e responder as seguintes questões:

- Identificar a influência do processo de produção do extrato em óleo de soja na concentraão de carotenóides totais expressos como bixina.

- Avaliar a aceitabilidade do consumidor a esse produto,

- Divulgar na forma de folheto técnico, instruções para a preparação desse condimento pelo pequeno produtor, de forma a agregar valor a seu produto.  

 

 

 

Ver detalhes do projeto

  Paulo Roberto Nogueira de Carvalho      ITAL

Caracterização de mortadelas produzidas no Brasil

n° SGP 1785

Este projeto tem como principal objetivo o diagnóstico de produtos da categoria mortadela comercializados no Brasil em temperatura ambiente (matérias-primas, ingredientes, aditivos, tipo de envoltório, forma de comercialização). Nas amostras coletadas serão avaliados parâmetros físico químicos (pH, atividade de água, composição centesimal, teor de cloretos) e será pesquisados de esporos e células vegetativas de clostridio sulfito-redutor em amostras de produtos coletadas no mercado varejista de Campinas. 

Ver detalhes do projeto

  Ana Lucia da Silva Correa Lemos      ITAL

Monitoramento das espécies marinhas associadas aos costões rochosos e capturadas na Baia de Santos

n° SGP 1784

A Baía de Santos, entrada para o maior porto da América Latina, compartilha a pesca com o tráfego intenso de navios, operações de dragagem e a limpeza de casco dos navios, causando preocupação devido à potencialidade de acidentes ambientais e da susceptibilidade às espécies invasoras. Os objetivos deste estudo são: monitorar as espécies associadas aos costões rochosos na Baía de Santos que são capturadas pela atividade extrativista, mexilhão Perna perna, o gastrópode Stramonita haemastoma (saquaritá); equinodermes ouriços-do-mar Echinometra lucunter (ouriço-do-mar-preto ou pindá) e Lytechinus variegatus (ouriço-do-mar-verde) e Holothuria sp (pepinos-do-mar); indicar os pontos críticos de controle; caracterizar as práticas de captura, manuseio do produto e a obtenção dos parâmetros de qualidade microbiológica, física e química. A aquisição de imagens de alta resolução será bimensal por câmeras especiais pelo sistema de aeronave remotamente pilotada no mediolitoral e por mergulhos científicos a partir do infralitoral. Disponibilizam imagens de alta qualidade, aplicáveis no método do fotoquadrat para estimativas das densidades populacionais e também para o dimensionamento das faixas de dominância e extrativa dessas áreas.  Amostras serão coletadas anualmente e analisadas para a caracterização nutricional e higiênico-sanitária do pescado capturado, verificação dos principais pontos críticos de controle e análises microbiológicas para pesquisa de Samonella sp, Staphylococcus aureus, Bacillus cereus, Clostridium perfringens, Vibrio e Coliformes totais.

Ver detalhes do projeto

  Luiz Miguel Casarini      IP
  Sobre

O SGP (Sistema de Gestão de Pesquisa) foi implementado em todas as unidades APTA, para centralizar o controle de todos os projetos desenvolvidos sob sua supervisão. [Ler mais]

Endereço APTA – São Paulo

Praça Ramos de Azevedo, 254, 2º andar - República, São Paulo - SP

Fone : (11) 5067-0447 e 5067-0427

  Endereço APTA – Campinas

Avenida Barão de Itapura, 1481 - Botafogo, Campinas - SP

Fone : (19) 2137-8930