Exibindo todos os projetos ativos na APTA

Página Inicial / Busca de Projetos

826 projetos ativos encontrados - pág. 1 de 28

Criação de Pangasius hypotalamus com diferentes teores de proteína bruta. Viabilidade técnica, econômica e avaliação de enfermidades?

n° SGP 1913

O Pangasius hypotalus, popularmente conhecido como panga que já esta sendo produzido  no Brasil , no entanto na literatura não se encontram dados científicos nacionais. Os coeficientes  técnicos e econômicos são dados importantes para  o bom desempenho zootécnico e produção responsável de peixe.Para avaliação da  viabilidade técnica, econômica e sanitária da produção do Panga. Inicialmente  será estudada a melhor densidade de estocagem 200, 300 e 400 alevinos m-3  ate os peixes atingirem 100 g de peso médio. A partir de 100 g de peso medio, os peixes serão redistribuídos nos tanques-rede e será iniciado novo ensaio onde será avaliado o melhor teor de proteína bruta da ração. A proteína é o nutriente de maior custo na ração de peixes, portanto é necessário conhecer a concentração proteica ideal para cada espécie e a situação de criação, com o objetivo de obter bom desempenho zootécnico, minimizar o custo, bem como, a descarga de nitrogênio no ambiente de criação. O objetivo deste trabalho é avaliar  a viabilidade técnica econômica e sanitária da produção de Pangasius hypotalus .

 

Ver detalhes do projeto

  Celia Maria Doria Frascá Scorvo      Apta Regional

Estudo das propriedades das estruturas de parede na microencapsulação de compostos hidrofóbicos por spray drying

n° SGP 1910

Para contornar alguns dos problemas associados da incorporação de substâncias com propriedades funcionais de saúde em matrizes alimentícias, a microencapsulação, com suas funções de proteção e liberação controlada, pode ser uma alternativa eficiente. O projeto pretende gerar informações mais objetivas sobre as características das matrizes (parede) formadas na microencapsulação de compostos hidrofóbicos pelo processo de spray drying.  O projeto inicia uma cooperação entre o Labobatório de Produção e Caracterização de Partículas (Centro de Tecnologia de Cereais e Chocolates - ITAL), o Departamento de Engenharia de Alimentos da Faculdade de Engenharia de Alimentos (UNICAMP) e o Departamento de Ciência de Alimentos e Nutrição da Universidade de Minnesota (USA).

Ver detalhes do projeto

  Izabela Dutra Alvim      ITAL

Métodos alternativos qualitativos para detecção de Listeria monocytogenes em carnes e produtos cárneos

n° SGP 1901

Este projeto tem por finalidade o estudo de técnica moleculares para o desenvolivmento de uma  ferramenta a ser utilizada para a detecção e identificação de Litseria monocytoenes em carnes e produtos cárneos. Esta bactéria é um patógeno de grande interesse em produtos de origem animal. Será desenvolvida uma técnica de Reação em Cadeia de Polimerase (PCR) para a detecção deste patógeno em carnes e produtos cárneos. Desta forma, serão selecionadas, obtidas e cultivadas cepas pertencentes ao gênero Listeria e a outros gruposde microrganismos competidos que serão usados nos testes. Serão conduzidos testes de otimização da metodologia da extração do DNA, assim como da técnica de PC e do método cultural de L. monocytogenes serão realizados. Será determinado o limite de sensibilidade e de  seletividade do método em meio e cultura e em matriz cárnea e, serão realizados testes de detecção desta bactéria em amostras comerciais e de carnes e produtos cárneos.   

Ver detalhes do projeto

  Renata Bromberg      ITAL

Avaliação da densidade larval e manutenção de mexilhão-dourado em laboratório

n° SGP 1885

O mexilhão-dourado é uma espécie originária da Ásia com características de espécie invasora. No Brasil, sua dispersão estende-se pelos ecossistemas aquáticos das regiões sul, sudeste, centro-oeste e nordeste. Nos tanques-rede instalados em reservatórios, as larvas do molusco se fixam às telas e as colônias formadas causam a oclusão das malhas, reduzindo a oxigenação e a eliminação de resíduos, portanto, a qualidade da água e a capacidade de suporte das estruturas de cultivo. A limpeza frequente dos tanques-rede incrustados promove impactos econômicos. Objetiva-se nesse trabalho identificar os picos de reprodução do mexilhão-dourado, por meio da determinação da densidade de larvas do tipo D (véliger de charneira reta, umbonada e plantígrada) presentes na coluna d’água de piscicultura localizada no reservatório Chavantes, rio Paranapanema (SP/PR). Mensalmente, entre janeiro e dezembro de 2018, serão coletadas quatro amostras de plâncton na profundidade de 1,5 a 2,0 m da coluna d’água, utilizando-se bomba de sucção e rede com abertura de 40 µm de abertura. Serão filtrados 1000 litros de água, concentrados em frascos de 150 mL, aos quais será adicionado álcool 70% para fixação das larvas. Em laboratório, a determinação da densidade e a identificação dos estágios larvais serão realizadas sob microscópio estereoscópico modelo EK4.2SB/ST (80X). Paralelamente, em campo, serão determinados temperatura, pH, condutividade elétrica, turbidez e oxigênio dissolvido a cada 0,5 metro da coluna d’água com o equipamento multiparamétrico da marca Horiba modelo U-52 e coletadas amostras na superfície para determinação de clorofila-a. Pretende-se ampliar o conhecimento sobre os picos reprodutivos e os estágios larvais do mexilhão-dourado em nossas condições para subsidiar estudos futuros e ações de mitigação do impacto dessa bioinvasão nas pisciculturas.

Ver detalhes do projeto

  DAERCY MARIA MONTEIRO DE REZENDE AYROZA      IP

Resistência de ácaros fitófagos (Tetranychus urticae) e predadores (Phytoseiulus macropilis) a acaricidas e estratégias de manejo de ácaros-praga com uso de ácaros predadores (Phytoseiidae) em ornamentais e citros

n° SGP 1884

Um dos fatores que dificultam a produção e a comercialização de diversas culturas agrícolas de importância econômica no Brasil é o ataque de diversas espécies de ácaros-praga, com destaque para os ácaros das famílias Tetranychidae (ex.: Tetranychus, Panonychus) e Tenuipalpidae (ex.: Brevipalpus). O ácaro-rajado, Tetranychus urticae Koch (Acari: Tetranychidae), causa sérios prejuízos em diversas culturas, incluindo morango, mamão, pêssego, uva, feijão, algodão, rosa, crisântemo, gérbera, orquídea, entre outras, no País. Os ácaros Brevipalpus spp. (Acari: Tenuipalpidae) são considerados pragas-chave de culturas como citros, café, diversas fruteiras e ornamentais, e estão associados à transmissão de várias viroses, incluindo o vírus da leprose dos citros (Citrus leprosis virus - CiLV) e o da mancha angular do cafeeiro (Coffee ringspot virus - CoRSV). Os ácaros predadores da família Phytoseiidae são considerados os principais inimigos naturais de ácaros-praga de importância agrícola. Um dos sérios problemas enfrentados pelos agricultores tem sido a dificuldade para o controle de ácaros-praga através do uso de agroquímicos. O desequilíbrio biológico causado pela eliminação de inimigos naturais e o rápido desenvolvimento de resistência dessas pragas aos acaricidas estão entre as principais razões para essa dificuldade de controle. O objetivo geral do projeto é obter subsídios para o estabelecimento de programas de manejo de ácaros-praga (Tetranychidae, Tenuipalpidae) em diversas culturas, com ênfase em ornamentais e citros. Os objetivos específicos são: 1) estudar a resistência de T. urticae a acaricidas, em várias culturas de importância econômica; 2) estudar a resistência de ácaros predadores, principalmente Phytoseiulus macropilis (Banks), a acaricidas (incluindo estudos de caracterização bioquímica e molecular da resistência, com análise de transcriptoma em linhagens S e R de P. macropilis); 3) avaliar o efeito de agroquímicos, produtos naturais (extratos de plantas) e entomopatógenos (fungos, bactérias) sobre ácaros fitófagos (T. urticae, Brevipalpus yothersi, Brevipalpus papayensis) e predadores (Neoseiulus transversus, Neoseiulus californicus, Euseius citrifolius); 4) avaliar estratégias de manejo de ácaros-praga nas culturas de gérbera, orquídea e citros, incluindo a liberação de ácaros predadores (Phytoseiidae) para o controle biológico de ácaros-praga.

 

Ver detalhes do projeto

  Mário Eidi Sato      IB

Ácaros associados a cultura da macadâmia no estado de São Paulo

n° SGP 1883

Os levantamentos serão conduzidos na região de Dois Corregos, Bocaina, Campinas, Ribeirão Preto SP e Guaxupé MG.  Serao amostrados Folhas e inflorescencia a cada dois meses durante o período de 4 anos. As amostras serão avaliadas no laboratório de Acarologia do Centro Experimental Central do Instituto Biologico em Campinas SP. Os ácaros predadores e pragas serao quantificados e identificados pelo Doutor Andre L. Matioli.

Ver detalhes do projeto

  Andre Luis Matioli      IB

Estudo do teor total, bioacessibilidade e estimativa de ingestão de alumínio em alimentos infantis

n° SGP 1870

O alumínio é o terceiro elemento em abundância na crosta terrestre (8%) e o primeiro entre os metais. Pode ser encontrado em medicamentos, bebidas e alimentos como resultado de sua ocorrência natural no ambiente, contaminação por fontes industriais, ou ainda devido à sua ampla utilização como componentes de aditivos alimentares. Trabalhos recentes têm relatado a presença de alumínio em alimentos infantis e revelam que quando ingerido pode se acumular na mucosa intestinal podendo afetar o sistema reprodutivo e o desenvolvimento cerebral. Devido a esta possibilidade de contaminação, serão realizados ensaios de bioacessibilidade in vitro do alumínio presente em alimentos destinados a lactentes para a avaliação da fração dialisável deste contaminante inorgânico no trato gastrointestinal. A ingestão deste contaminante através da dieta também será avaliada de forma a verificar a segurança dos alimentos infantis disponíveis comercialmente. As concentrações de alumínio serão determinadas através da técnica de espectrometria de emissão atômica com fonte de plasma indutivamente acoplado (ICP OES) e os ensaios de bioacessibilidade baseados em métodos de diálise por membrana. Este estudo é inédito no país e de grande importância para a saúde pública visto que o contaminante inorgânico alumínio possui caráter acumulativo podendo ser tóxico aos recém-nascidos e às crianças.

 

 

 

Ver detalhes do projeto

  Marcelo Antonio Morgano      ITAL

Estruturas e dimensões do agronegócio no PIB Paulista e seus recortes regionais

n° SGP 1864

O Instituto de Economia Agrícola (IEA) e a Fundação Sistema Estadual de Análise de Dados (SEADE) se propõem a construir e calcular o Produto Interno Bruto (PIB), integrado ao Sistema de Contas Regionais, sobre o agronegócio no Estado de São Paulo.  Os resultados alcançados serão passíveis de comparação e o intervalo de apresentação de resultados e de análise mais curtos, pois a dinâmica econômica de setores e de regiões exige essas ações. A proposta metodológica para o cálculo do PIB do agronegócio paulista tem como referência as normas e conceitos utilizados pelo IBGE e órgãos estaduais de estatística, nos cálculos das contas nacionais e regionais.

Ver detalhes do projeto

  Denise Viani Caser      IEA

Rações suplementadas com minerais orgânicos e inorgânicos para tilápia do Nilo, Oreochromis niloticus durante a fase reprodutiva

n° SGP 1849

Estudos com microminerais têm sido desenvolvidos com a finalidade de garantir melhor absorção desses nutrientes no trato intestinal dos peixes, sem entrar no processo de competição iônica, normalmente determinada pela presença de maior concentração de íons minerais. Esse estudo tem por objetivo avaliar a substituição de minerais (selênio, zinco, ferro, cobre e manganês) inorgânicos por suas formas orgânicas em diferentes percentuais (0; 33; 66 e 100%) em rações para diferentes fases de desenvolvimento durante o ciclo de vida da tilápia do Nilo (Fase 1. Juvenil; Fase 2. Reprodutora na 1º Maturação Gonadal; Fase 2.1 – Larval). As rações serão formuladas de acordo com as exigências nutricionais de cada fase, com distinção apenas no percentual e formas de minerais a serem suplementados em cada, sendo: T1 - 0% minerais (controle), T2 – 33% minerais orgânicos, T3 – 66% de minerais orgânicos, T4 100% de minerais orgânicos e T5 100% minerais inorgânicos. Nas distintas fases serão avaliados parâmetros zootécnicos, reprodutivos, enzimáticos, histológicos, sanguíneos e concentração de minerais em vértebra, carcaça e ovos. Os resultados serão submetidos às análises estatísticas que melhor se ajustarem ao modelo experimental. Espera-se com o desenvolvimento do presente trabalho atender a demanda existente da iniciativa privada de uma ração suplementada com minerais adequadas, aumentando a produção de ovos e larvas, proporcionando melhorias no desenvolvimento dos animais, consequentemente, otimizando custo e benefício.

Ver detalhes do projeto

  Giovani Sampaio Gonçalves      IP

Influência da embalagem em desenvolvimento de alimentos inovadores: estabilidade de chocolate ao leite adicionado de fibras higrosccópicas

n° SGP 1848

O objetivo geral desse trabalho é avaliar qual tipo de a embalagem é mais adequada para o acondicionamento de um chocolate funcional contendo fibras higroscópicas.

Especificamente, os objetivos são de:

• Incorporar fibras em chocolate visando a obtenção de um produto com alegação de “’fonte de fibras’’ ou “alto conteúdo de fibras”.

• Avaliar o melhor tipo de embalagem para preservação das características adequadas do chocolate, contendo fibras higroscópicas, minimizando a interação do produto com o ambiente externo (absorção de umidade).

Ver detalhes do projeto

  Rosa Maria Vercelino Alves      ITAL

Influência da embalagem na estabilidade de chocolate ao leite adicionado de fibras higroscópicas

n° SGP 1847

Este estudo tem como objetivo estudar a influência do material de embalagem na preservação da qualidade de um chocolate funcional contendo fibras higroscópicas. Por isso será avaliado a incorporação de inulina e/ou FOS adequando a formulação básica de chocolate ao leite e acondicionando o produto em materiais de embalagem com barreiras ao vapor d´água diferenciadas. Os produtos embalados serão estocados em câmara a 25ºC/75%UR e será acompanhado alguns aspectos físicos e químicos do produto e das embalagens.Este estudo tem como objetivo estudar a influência do material de embalagem na preservação da qualidade de um chocolate funcional contendo fibras higroscópicas. Por isso será avaliado a incorporação de inulina e/ou polidextrose adequando a formulação básica de chocolate ao leite e acondicionando o produto em materiais de embalagem com barreiras ao vapor d´água diferenciadas. Os produtos embalados serão estocados em câmara a 25ºC/75%UR e será acompanhado alguns aspectos físicos e químicos do produto e das embalagens.

 

 

Ver detalhes do projeto

  Rosa Maria Vercelino Alves      ITAL

Interação alimento-processo-embalagem: efeito da tecnologia de ultrassom e diferentes composições do alimento na integridade de embalagens de alumínio

n° SGP 1846

Este trabalho envolve a parceria entre o CETEA e ESALQ/USP, através de exploração de tema que constitui a intersecção de dois projetos em andamento: avaliar o efeito da tecnologia de ultrassom e diferentes composições do alimento na integridade de embalagens de alumínio. Para tanto, é objetivo deste trabalho conhecer a capacidade de corrosão de diferentes soluções modelo frente ao contato com o alumínio em diferentes condições de processamento com ultrassom, levantando-se dados relativos à migração de alumínio da embalagem com a solução de interesse e danos ao revestimento polimérico.

Ver detalhes do projeto

  Beatriz Maria Curtio Soares      ITAL

Sustentabilidade:do campo à mesa

n° SGP 1840

A presença de agricultores familiares é bastante significativa na região de Bauru/SP, principalmente na produção de olerícolas. Dentre os principais entraves encontrados na etapa de comercialização da produção destacam-se as dificuldades de obter volume, variedade, frequência e qualidade dos produtos. Em 2016 foi inaugurada uma cozinha comunitária, pela prefeitura de Bauru/SP, que visa oferecer refeições adequadas, saudáveis, nutricionalmente balanceadas, para atender prioritariamente pessoas em vulnerabilidade social. A rede de cooperação da equipe do projeto será responsável em buscar melhorias nas condições de produção agrícola, minimizar o problema de comercialização e desenvolver pesquisa para a segurança alimentar. O objetivo geral do projeto é auxiliar na sustentabilidade da cozinha comunitária, instalada em Bauru, através do desenvolvimento de metodologia de políticas públicas para aquisição de alimentos de produtores rurais da agricultura familiar local.

Ver detalhes do projeto

  Maria Cecília de Arruda Palharini      Apta Regional / IAC

Avaliação da produção de aflatoxinas em duas cultivares de amendoim com alto teor de ácido oleico produzidos no Estado de São Paulo

n° SGP 1839

O Estado de São Paulo se destaca como maior produtor nacional de amendoim e nos últimos anos apresentou grandes mudanças no cultivar plantado e consequente aumento na produtividade. Atualmente, os cultivares com alto teor de ácido oleico tem chamado atenção devido a sua resistência às diversas doenças e maior estabilidade à oxidação lipídica, aumentando assim, sua vida de prateleira. Devido às características de produção do amendoim, esta cultura é susceptível à infecção por fungos produtores de aflatoxinas, metabólitos secundários carcinogênicos ao homem. Apesar do conhecimento deste problema, a disponibilidade de fungos aflatoxigênicos no solo e o contato direto com o amendoim somado a fatores climáticos como temperatura e umidade, facilitam a infecção e consequente produção desta toxina, dificultando o controle. Nestas condições, serão analisadas duas cultivares de amendoim com alto teor de ácido oleico que são as principais cultivares plantadas no Estado de São Paulo, a fim de avaliar a susceptibilidade à infecção de fungos produtores de aflatoxinas bem com a produção desta toxina. A regulamentação técnica sobre a presença de aflatoxinas no amendoim será de acordo com a RDC 7/2011 (ANVISA, 2011).       

Ver detalhes do projeto

  Marta Hiromi Taniwaki      ITAL

Estudo do teor total e estimativa de ingestão de alumínio em alimentos infantis

n° SGP 1831

A infância provavelmente é o período de vida em que as maiores necessidades nutricionais do corpo humano são observadas, sendo o leite materno considerado o melhor alimento para lactentes. Em circunstâncias em que a amamentação não seja possível ou suficiente, fórmulas infantis são usadas para suprir as demandas nutricionais dos lactentes (Kazi et al., 2010), sendo a complementação alimentar dos bebês realizada a partir dos primeiros meses de vida mediante carências energéticas e nutricionais relacionadas à suas características fisiológicas (Perales et al., 2006). Do ponto de vista toxicológico é importante conhecer o conteúdo de alumínio em alimentos infantis.

A dieta é a principal fonte de ingestão de alumínio sendo que o Al pode ser incorporado aos alimentos através da água, do meio ambiente ou como aditivo para uso alimentício. Além destas fontes, este contaminante está presente em artigos de uso diário que possuem alumínio em sua composição, tais como cosméticos, produtos farmacêuticos (antidiarreicos, antiácidos) e ainda em embalagens metálicas destinadas a alimentos (CAC, 2016).

O Comitê Conjunto FAO/OMS de Peritos em Aditivos Alimentares - JECFA (CAC, 2016) confirmou na 74º reunião o valor de PTWI (Provisional Tolerable Weekly Intake – Ingestão Semanal Tolerável Provisória) para o alumínio de 2 mg/kg peso corpóreo (pc). A PTWI aplica-se a todos os compostos de alumínio nos alimentos, incluindo aditivos alimentares. O JECFA observou que a PTWI é susceptível de ser ultrapassada em grande medida por alguns grupos populacionais, particularmente as crianças, que consomem regularmente alimentos que contêm aditivos à base de alumínio. O JECFA também inferiu que a exposição a este metal por lactentes alimentados com fórmulas infantis é alta. Com base nessa potencial exposição o Comitê recomendou mais estudos sobre a biodisponibilidade de diferentes aditivos alimentares contendo alumínio para que conclusões apropriadas quanto à toxicidade desses compostos sejam determinadas.

Chuchu et al. (2013) estudaram fórmulas de leites prontos para beber e  amostras de leite em pó para crianças disponíveis no comércio do Reino Unido e encontraram teores de Al para as amostras (sem soja) variando de 100 até 430 µg L-1. Para os produtos de leite contendo soja o teor de Al variou de 656 a 756 μg L-1 e o cálculo da ingestão de Al nas fórmulas sem soja variou de 100 a 300 μg/dia, enquanto que para os produtos com soja foram maiores que 700  μg/dia. Os autores concluem que existe a necessidade de reduzir os níveis de Al nestes alimentos para proteger os lactentes da exposição crônica ao Al dietético.

Stahl et al. (2011) estudaram a presença de alumínio em diversos produtos alimentícios, como farinhas, massas, ervas e bebidas encontrando valores para o teor total de Al compreendidos entre 1 mg kg-1 e 737 mg kg-1 para essas matrizes.

Em um estudo realizado no Canadá, Dabeka et al. (2011) avaliaram fórmulas infantis com base láctea e encontraram teores de alumínio total variando de 10–3400 µg kg-1, sendo que as maiores concentrações de Al foram obtidas nas amostras à base de soja.

Burrell e Exley (2010) estudaram a concentração de Al em diversas fórmulas prontas a base de leite e encontraram teores variando de 176 a 700 µg L-1. Para os produtos em pó os resultados variaram de 2,4 a 4,3 µg g-1 (ou 2400 a 4300 µg kg-1). Os autores relatam que os maiores níveis de Al foram encontrados nos produtos à base de soja e concluem que a vulnerabilidade à exposição precoce dos bebês ao Al demonstra grande importância da necessidade urgente de reduzir o seu teor em fórmulas para lactentes a um nível tão baixo quanto possível.

Quando recém-nascidos e crianças são expostos ao Al existe um risco particular de exposição devido à formação ainda incompleta da barreira hematoencefálica, sistema digestivo e renal. A imaturidade do sistema gastrointestinal das crianças permite um maior potencial de permeabilidade do alumínio (Zatta & Alfrey, 1997).

Diante do exposto é de fundamental importância o conhecimento do teor de Al presente em alimentos e fórmulas infantis, visto que ainda existe uma grande lacuna quanto a dados da presença deste contaminante nos referidos alimentos comercializados no Brasil.

Ver detalhes do projeto

  Marcelo Antonio Morgano      ITAL

Determinação de hidrocarbonetos saturados e aromáticos de óleos minerais (MOSH e MOAH) em embalagens cartonadas de alimentos

n° SGP 1830

O óleo mineral é compostos por hidrocarbonetos saturados (MOSH) e aromáticos (MOAH) e está presente em tintas de impressão usadas em embalagens de alimentos e principalmente na impressão de jornal. As embalagens cartonadas feitas de material reciclado podem conter porções significativas de óleo mineral. Os MOSH consistem em alcanos lineares ou ramificados e ciclo-acanos substituídos com grupos alquila, enquanto que os MOAH incluem principalmente hidrocarbonetos poli-aromáticos substituídos com alquila. As principais fontes de hidrocarbonetos de óleo mineral (MOH) em alimentos são embalagens de  alimentos e aditivos, auxiliares de processamento e lubrificantes. Os MOSH de C16 a C35 podem se acumular e causar microgranulomas em vários tecidos incluindo linfonodos, baço e fígado. Os MOAH com três ou mais anéis aromáticos não alquilados ou alquilados podem ser mutagênicos e carcinogênicos e, portanto, são potencialmente preocupantes. Como ainda não existem estudos sobre a presença e quantiade de MOH em materiais de contato com alimentos no Brasil. Esse trabalho tem como objetivo principal estabelecer um método de determinação de MOH, baseado no método de BfR, 2012 que usa um  cartucho de extração em fase sólida de nitrato de prata/sílica gel para a pré-separaão e GC-FID para a quantificação de MOSH e MOAH, a fim de monitorar a presença destas substâncias em cartões reciclados e aparas pré e pós-consumo.

Ver detalhes do projeto

  Marisa Padula      ITAL

Determinação dos teores de isocianatos residuais em embalagens flexíveis laminadas destinadas para contato com alimentos

n° SGP 1829

Os isocianatos são componentes de adesivos poliuretânicos, que são amplamente utilizados na produção de embalagens flexíveis multicamadas laminadas. Existe uma preocupação com relação ao teor residual destas substâncias presentes em embalagens destinadas para alimenos porque, dependendo de algumas variáveis é possível que ocorra a formação de aminas primárias aromáticas, que são compostos com potencial carcinogênico. Desse modo, os regulamentos de materiais plásticos para contato com alimentos da ANVISA, do MERCOSUL e Europeu estabelecem o limite máximo de 1 mg de isocianatos/kg de material (BRASIL, 2012; COMISSÃO EUROPÉIA, 2011; GRUPO MERCADO COMUM, 2012). 

Assim, o trabalho consiste na implantação de uma metodologia, já estabelecida na norma EN-13130-8:2004, para determinação do teor residual de isocianatos em materiais, artigos e embalagens. Com o método implementado (e se necessário, validado), são feitas determinações do teor residual de isocianatos em embalagens flexíveis laminadas disponíveis comercialmente, as quais serão compradas em supermercados e em estruturas recém-fabricadas, que serão solicitadas à convertedores de embalagens (parceiros). Caso sejam identificados, isocianatos nestas estruturas recém-fabricadas, estas ficarão estocadas por um tempo determinado e serão novamente reavaliadas para confirmar se estes componente serão consumidos.  

Ver detalhes do projeto

  Marisa Padula      ITAL

Determinação de antioxidantes em embalagens plásticas para produtos farmacêuticos

n° SGP 1828

A preseça de aditivos em materiais de embalagem suscita a questão da migração do aditivo para o produto acondicionado na embalagem. Como a maioria dos aditivos são moléculas de baixa massa molecular, eles podem se difundir dentro do polímero e migrar para a superfície do material. Desta forma,  o produto acondicionado irá entrar em contato direto com a superfície da embalagem e poderá ocorrer a transferência do aditivo para o produto. Assim como para alimentos, para produtos farmacêuticos, regras e regulamentos foram elaborados para estabelecer ps requerimentos para embalagens desses produtos que fossem seguras do ponto de vista da interação embalagem/produto. Os princípais guias sobre os requerimentos de embalagem para produtos farmacêuticos são as farmacopeias. As mais conhecidas são United States Pharmacopoeia e a European Pharmacopoeia. Essas farmacopeias requerem a  determinação e quantificação de resíduos de antioxidantes nas embalagens para produtos farmacêuticos. No Brasil há poucos dados da presença dessas substâncias neste tipo de embalagem e com as  exigências cada vez maiores das empresas da área farmacêutica, o cumprimento do estabelecido nessas farmacopeias é essencial. Esse projeto tem como objetivos, implantar um método para determinação e quantificação de dois tipos de antioxidantes fenólicos em embalagens poliofelínicas destinadas ao acondicionamento de produtos farmacêuticos, de acordo com o descrito na Farmacopeia Americana, USP 39, e avaliar o teor residual de antioxidantes em poliolefinas disponíveis no mercado.  

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Ver detalhes do projeto

  Marisa Padula      ITAL

Acesso e sistematiação do conhecimento científico e tecnológico a área de embalagens ativas

n° SGP 1827

O futuro do setor de embalagens de alimentos exigirá múltiplas respostas tecnológicas para trazer soluções para as demandas do consumidor que hoje busca segurança, qualidade, conveniência e bem-estar. Além disso, a embalagem se tornou uma improtante ferramenta para o produtor de alimentos e bebidas obter vantagem competitivaem termos de funcionalidade, durabilidade do produto, imagem da marca, segurança, benefícios ambientais e preço. As respostas do setor de embalagem a essas demandas envolverão inovações associadas a embalagens ativas e inteligentes. Assim, o objetivo desse prodjeto é aumentar o acesso e a compreesão do conhecimento tecnológico na área de embalagens ativas para utilização em pesquisas do CETEA que permita criar conhecimento novo em C&T. As atividades previstas são: definição bases de dados bibliográficas e de patentes; definição da estratégia de busca bibliográfica; fazer buscas e refinar pesquisas; fazer o levantamento sistematizado das informações.

Ver detalhes do projeto

  Marisa Padula      ITAL

Crescimento máximo da linhagem de tilápia (Oreochromis niloticus) Supreme GST cultivada em temperaturas diferentes

n° SGP 1826

Objetiva-se avaliar as curvas de crescimento máximo da linhagem de tilápia Genomar Supreme GST (Oreochromis niloticus) cultivada em diferentes temperaturas. Um conjunto de dados de peso em função da idade será ajustado em diferentes modelos de crescimento. O experimento será realizado no Polo Alta Sorocabana - Agência Paulista de Tecnologia dos Agronegócios (APTA), em Presidente Prudente - SP, localizado em 22º11' de latitude Sul, 51º23' de longitude Oeste e 458,3 m de altitude. Alevinos de tilápia de proximadamente 1,5 g serão cultivados em três sistemas de recirculação de água contendo tanques de 0,5 m³, a densidade de 40 peixes / m³. Os sistemas serão fornecidos com controle de temperatura, filtro e tratamento de ultravioleta. A temperatura da água dos sistemas de recirculação será mantida a 22, 26 e 30 ºC. Os peixes serão alimentados “ad libitum” três vezes ao dia com mesma ração comercial específica para cada fase de crescimento. Ao longo do crescimento, serão pesados dez peixes de cada tanque no início e aos 30, 60, 90, 120, 150 e 180 dias de cultivo depois de passar por um período de jejum de 12 horas. Serão determinados a sobrevivência, ganho de peso, conversão alimentar e homogeneidade dos lotes em cada período. O modelo exponencial de crescimento também será ajustado para a determinação e comparação das taxas de crescimento. Será utilizado o delineamento experimental inteiramente casualizado, com 3 tratamentos e quatro repetições (tanques). O estudo do crescimento será realizado ajustando todos os dados do peso do peixe para o modelo exponencial, dado por y= Aekx, e modelo de Gompertz dado por y = Aexp(-Be-kx). Adicionalmente serão determinadas as taxas de crescimento absoluta e relativa e o peso e idade à inflexão. Os parâmetros das curvas para cada linhagem serão comparados por seus intervalos de confiança a 95% de probabilidade.

Ver detalhes do projeto

  Vander Bruno dos Santos      IP

Estudo para estabelecer correlação entre o tamanho e formato de grânulos de produtos modelo, obtidos por aglomeração com vapor, com as propriedades de reconstituição de pós em líquidos.

n° SGP 1823

O processo de aglomeração permite transformar um alimento em pó fino em grânulos, com a modificação da sua estrutura física, sendo que as características dos aglomerados obtidos dependem do tipo de processo que é utilizado, das condições operacionais, dos ingredientes constituintes da formulação e da proporção entre estes. As modificações na estrutura física do pó que ocorrem devido ao processo de aglomeração com vapor são principalmente no tamanho e no formato dos grânulos, sendo possível caracterizá-las através da análise morfológica. Portanto, pretende-se neste projeto de pesquisa, caracterizar a forma e o tamanho dos grânulos de produtos modelo em pó (base carboidrato, proteína e gordura), obtidos em aglomeração com vapor, correlacionando-os com as propriedades de reconstituição de pós em líquidos. 

 

Ver detalhes do projeto

  Fernanda Zaratini Vissotto      ITAL

Aceleração da fase de decomposição de processo de compostagem de lodos de esgoto e agroindustriais visando o uso dos compostos na agricultura

n° SGP 1822

Após longo e custoso processo de tratamento de efluentes sanitários, agroindustriais e das atividades pecuárias como a bovinocultura e suinocultura, o lodo gerado é invariavelmente destinado a aterros, pois normalmente não atende normas para uso direto em solos agrícolas, necessitando de pós-tratamento para sua melhoria. Há tecnologias importadas como a secagem térmica e incineração que utilizam altas temperaturas, elevados gastos energéticos, e geram gases tóxicos que necessitam de tratamentos. Há perdas de matéria orgânica, carbono, nitrogênio e enxofre que empobrecem o resíduo para uso agrícola. O lodo seco/incinerado é encaminhado a aterros sanitários. Alternativa para o pós-tratamento seria o processo de compostagem tradicional, que é muito eficiente, produzindo compostos de alta qualidade para agricultura. Contudo, o processo demanda enormes áreas de pátio, especialmente na fase de decomposição que consome metade do prazo para produção do composto, que é de 120 dias. Há custos operacionais com máquinas/operadores para condução do processo, e exposição de funcionários a riscos de contaminação. Neste cenário, foi desenvolvida e está sendo comercializada a máquina recicladora de lixo 5Ecos, aceleradora de compostagem. Restos de alimentos e hortifrutis processados em 24h resultam em produto cuja caracterização física assemelha-se a composto orgânico, com teores de água de 5-15%, eliminando vetores como insetos e facilitando seu manuseio e transporte. Contudo, a caracterização química dos compostos e testes de germinação mostra a impossibilidade de seu uso como substrato de planta, composto ou condicionador de solos. O desafio desta proposta é preencher essa lacuna no mercado brasileiro, no que concerne ao pós-tratamento de resíduos sólidos, desenvolvendo um protocolo para realizar a fase de decomposição de resíduos inteiramente dentro do equipamento, cujas características de construção assemelhasse a reator aeróbio, e gerar compostos orgânicos, reciclando nutrientes e reduzindo custos com fertilizantes químicos na produção agrícola. A fase de humificação da compostagem poderá ser conduzida no equipamento e/ou em pilhas no campo, demandando áreas menores de pátio e baixos custos operacionais. Para tanto serão confrontados 03 cenários de compostagem: (i) máquina recicladora 5Ecos; (ii) pilhas no campo; (iii) ensaio de respirometria no laboratório. Os ensaios serão conduzidos concomitantemente, utilizando 03 lodos (esgoto, agroindustrial e suinocultura) e 02 materiais estruturantes (poda de árvore de cidade triturada e bagacilho/maravalha), que serão balanceados com relação C/N em torno de 30/1 e teor de água de 50%, totalizando 36 tratamentos. Dados de temperatura e umidade serão coletados diariamente norteando o revolvimento e irrigação dos materiais, além do monitoramento constante dos teores de matéria orgânica, C, N-total, N-NO3-, N-NH4+, e demais nutrientes de plantas, metais pesados, coliformes termotolerantes, Salmonella sp, ovos de helmintos e cistos de protozoários, e grau de humificação. Vencidos os desafios tecnológicos e científicos da proposta, tais parâmetros diários compilados servirão como banco de dados para Fase II da proposta, que visará automação total da máquina e reformulação do processo, por meio de software que coordene a detecção de temperatura e umidade por meio de sensores, a coleta instantânea de amostras, e determinações automáticas dos elementos que balizam a compostagem por meio de técnicas fotônicas.

Ver detalhes do projeto

  Edna Ivani Bertoncini      Apta Regional / IAC

PRODUÇÃO DE FLOCOS DE JABUTICABA POR DRUM DRYING: DESEMPENHO DE DIFERENTES COADJUVANTES DE PROCESSO E ESTABILIDADE

n° SGP 1821

A jabuticabeira (Myrciaria sp.) é uma árvore frutífera brasileira de origem subtropical e nativa do Bioma Mata Atlântica, e seu fruto pode ser consumido in natura ou através de geleias, vinhos, vinagre, licores, entre outros. A fruta é altamente perecível, ocasionando dificuldades para sua comercialização em escala industrial. A secagem é uma forma de aumentar a estabilidade do alimento, garantindo qualidade sensorial e nutricional, facilitando a posterior aplicação em diversos tipos de alimentos. O processo de drum drying é uma alternativa para a desidratação de polpas de frutas, pois além de ser rentável, utiliza menores quantidades de agentes carreadores, quando comparado ao processo de spray drying, comercialmente mais empregado. O drum drying pode resultar em pós, ou flocos, com boa qualidade, e com alta retenção de nutrientes. Até onde se sabe, não há estudos sobre a aplicação da tecnologia para polpa de jabuticaba, nem tampouco sobre a estabilidade dos pós/flocos obtidos. Estudos que empregam frutas tipicamente brasileiras são de relevância técnica, visto que impulsionam seu consumo e valorizam seu comércio. Assim, o objetivo do estudo será avaliar o desempenho de diferentes coadjuvantes no processo, como a do amido regular de milho e o da fécula de mandioca, de drum drying de polpa de jabuticaba, avaliando a estabilidade dos flocos obtidos em diferentes condições de armazenamento.

Ver detalhes do projeto

  Silvia Pimentel Marconi Germer      ITAL

DESIDRATAÇÃO DE CASCAS DE MANGA POR DRUM DRYING E FLASH DRYING PARA A OBTENÇÃO DE INGREDIENTES FUNCIONAIS

n° SGP 1820

     O aproveitamento dos resíduos do processamento de sucos e polpas de frutas se justifica frente ao grande volume de massa gerada, e a excepcional qualidade nutricional dos mesmos, que normalmente são descartados, ou empregados na alimentação animal. A secagem é uma alternativa na estabilização desses resíduos, e o produto obtido pode ser empregado como ingrediente no desenvolvimento de produtos alimentícios, resultando na agregação de nutrientes, bem como de propriedades sensoriais, funcionais e tecnológicas. A literatura científica apresenta poucos trabalhos sobre a secagem de cascas de manga em escala piloto, e até onde se sabe, não há referências quanto ao emprego do drum drying e do flash drying para essa finalidade. Neste contexto, o objetivo geral do projeto será avaliar as operações preliminares necessárias, bem como as condições dos processos da secagem de cascas de manga pelas tecnologias de drum drying (secagem em cilindro rotativo) e flash drying (secagem pneumática). Algumas propriedades de qualidade dos produtos em pó obtidos também serão avaliadas.

Ver detalhes do projeto

  Silvia Pimentel Marconi Germer      ITAL

Desenvolvimento de método para a determinação da distribuição de peso molecular de hidrolisados proteicos utilizando cromatografia de exclusão molecular de alta eficiência (HPLC-SEC)

n° SGP 1817

O aproveitamento de subprodutos industriais, como fonte de insumos, representa, junto cmo apelo ambiental, uma vantagem econômica por agregar valor a produção pelo uso de material de baixo valor comercial. Nos úlimos anos tem se observado um aumento de interesse por parte da indústria  do aproveitamento destes materiais, tanto de origem animal como vegetal, no que se refere às proteínas. Hidrolisados protéicos podem ser obtidos por hidrólise enzimática de proteínas e fatores como, especificidade da enzima utilizada e condições de hidrólise como tempo, temperatura e proporção enzima substrato, influenciarão na composição dos hidrolisados, principalmente no que se refere ao tamanho dos peptídeos e sua sequência aminoacídica. Neste trabalho serão utilizadas proteínas hidrolisadas de colágeno e de soro de leite, para os testes de distribuição de massa molecular dos hidrolisados. Serão  definidas as condições de melhor desempenho da metodologia paa análise destas amostras utilizando o equipamento de HPLC-SEC. 

Ver detalhes do projeto

  Maria Teresa Bertoldo Pacheco      ITAL

Avaliação do potencial de aplicação de farinhas de trigo modificadas por processo térmico e químico através de baking tests para os produtos pães e bolo

n° SGP 1816

A demanda crescente por produtos de alta qualidade mostra a necessidade do setor produtivo por ingredientes que forneçam esse atributo aos seus produtos finais. Em face das variáveis identificadas dentro da cadeia do trigo para a produção de uma farinha de trigo adequada para cada tecnologia existente, o propósito deste projeto é a avaliação de farinhas de trigo obtidas a partir de tratamento térmico e agente químico, originadas dos resultados do projeto de pesquisa desenvolvido dentro do programa do CNPq/PIBIC 2016/17, através de métodos oficiais de baking tests existentes para pães e bolos e verificar a necessidade de adaptação destes aos interferentes que ocorrem todos os anos no Brasil.    

Ver detalhes do projeto

  Michele Nehemy Berteli      ITAL

Avaliação das condições de vazão de gás e potência de micro-ondas na geração de plasma de argônio por micro-ondas

n° SGP 1815

A atual demanda comercial, baseada em sustentabilidade, qualidade, acessibilidade e segurança alimentar, impulsiona um alto investimento de esforços nos ramos da cadeia de abastecimento alimentar, relacionados com a melhoria de sua eficiência e sustentabilidade. Neste panorama, incentiva-se o desenvolvimento de alternativas melhoradas aos processos alimentares tradicionais.
Dentre as tecnologias emergentes disponíveis, destaca-se a de plasma não térmico que, em contraste com os processos térmicos tradicionais, pode inativar micro-organismos, incluindo esporos bacterianos, a temperaturas ambiente ou moderadamente elevadas, por tempos de tratamento curtos.
O presente projeto trata da continuação de um PIBIC (edital 2016/2017) que abordou a montagem de uma unidade geradora de plasma não térmico de argônio por micro-ondas para aplicação via tratamento remoto. Neste caso, a superfície a ser tratada não tem contato direto com o plasma, o tratamento ocorre após o aplicador onde é gerado o plasma, através do fluxo de elementos formados pelo plasma.
O objetivo desta pesquisa é avaliar as condições de potência de micro-ondas e vazão de gás de argônio na geração de plasma e suas influências na temperatura do fluxo de elementos gerados pelo plasma.

Ver detalhes do projeto

  Michele Nehemy Berteli      ITAL

Desenvolvimento e avaliação microbiológica de bebidas à base de soro fontes de proteína com e sem adição de probióticos

n° SGP 1811

As bebidas com adição de proteínas, vitaminas, probióticos, prebióticos, minerais e compostos bioativos (antioxidantes) com funções de saudabilidade são cada vez mais populares e vão impulsionar o crescimento do mercado nos próximos anos. Além disso, as preocupações ambientais estão recebendo a atenção das indústrias, grupos empresariais, entidades de governo e de consumidores conscientes da importância do meio-ambiente, o que justifica estudos envolvendo formas de aproveitamento de subprodutos da indústria alimentícia que possuem propriedades funcionais e biológicas, como o soro de queijo, na elaboração de bebidas. Assim este trabalho objetiva desenvolver e avaliar microbiologicamente uma bebida à base de soro de queijo adicionada de proteína com e sem adição de probióticos.

Ver detalhes do projeto

  Adriana Torres Silva e Alvez      ITAL

BEBIDAS A BASE DE SORO DE QUEIJO FONTES DE PROTEÍNA: DESENVOLVIMENTO E AVALIAÇÃO FÍSICO-QUÍMICA

n° SGP 1810

Durante a fabricação de queijos, tem-se como subproduto o soro, que atualmente é considerado um dos mais poluentos subprodutos da fabricação de alimentos. Porém, o soro apresenta em sua composição componentes de elevado valor nutricional , caso das soroproteínas. Com base no exposto e considerando-s que, segundo dados da literatura internacional, do total de soro gerado mundialmente, apenas cerca de 50% é processado, pesquisas  sobre novas formas possíveis de aproveitamento do soro ou de seus derivados se fazem necessárias. Assim sendo, este projeto tem por objetivo o desenvolivmento , caracterização físico-química e avaliação (durante 2 meses de estocagem refrigerada) de bebidas elaboradas à base de soro do quejo Minas Frescal, fontes de proteína, com e sem adição de probióticos.

Ver detalhes do projeto

  Leila Maria Spadoti      ITAL

AVALIAÇÃO IN VITRO DA EFETIVIDADE DE FITOTERÁPICOS E DA TERRA DIATOMÁCEA, DISPONÍVEIS NO MERCADO, CONTRA Alphitobius diaperinus (COLEOPTERA:TENEBRIONIDAE)

n° SGP 1809

A expansão da avicultura industrial intensiva propiciou habitat ideal para o Alphitobius diaperinus, popularmente conhecido como “cascudinho” e atualmente considerado uma das maiores pragas da indústria aviária em diversos países. O uso de produtos químicos tem sido utilizado para o controle dessa praga, porém, tratamentos alternativos tem sido procurados e estudados. O presente projeto de pesquisa tem como objetivo avaliar, in vitro, a efetividade de produtos fitoterápicos e da terra diatomácea, disponíveis no mercado,  contra adultos e larvas de Alphitobius diaperinus.

Ver detalhes do projeto

  Giane Serafim da Silva      IB
  Sobre

O SGP (Sistema de Gestão de Pesquisa) foi implementado em todas as unidades APTA, para centralizar o controle de todos os projetos desenvolvidos sob sua supervisão. [Ler mais]

Endereço APTA – São Paulo

Praça Ramos de Azevedo, 254, 2º andar - República, São Paulo - SP

Fone : (11) 5067-0447 e 5067-0427

  Endereço APTA – Campinas

Avenida Barão de Itapura, 1481 - Botafogo, Campinas - SP

Fone : (19) 2137-8930