Projetos APTA em todas as unidades, todos os centros

Página Inicial / Busca de Projetos

848 projetos ativos encontrados - pág. 13 de 29

Manejo ecológico de plantas de cobertura para o controle da vegetação espontânea em plantio direto de hortaliças

n° SGP 1040

O manejo conservacionista do solo para o cultivo de lavouras comerciais envolve métodos de revolvimento mínimo do solo ou plantio direto, manutenção permanente de cobertura do solo e rotação de culturas, medidas tais que proporcionam diversos benefícios ambientais, reduzem custos de produção e melhoram a fertilidade do solo e o rendimento das culturas. As plantas de cobertura são tradicionalmente utilizadas para rotação de cultura e formação de palha no solo para realização de plantio direto com qualidade. Um momento importante para o sucesso do plantio direto é o instante do acamamento da planta de cobertura para formação de palha na superfície. Usualmente, nesse momento, o agricultor faz uso de herbicidas para matar a planta de cobertura. Entretanto, observa-se aumento considerável de produtores que querem eliminar, ou mesmo reduzir o uso de insumos químicos em suas lavouras, fato que leva a necessidade de geração de tecnologias para matar as plantas de cobertura sem uso de herbicidas. Dessa forma a proposta do projeto é de avaliar espécies de plantas de cobertura, tanto de primavera/verão quanto de outono/inverno, factíveis de morte com ação do ‘rolo faca’ sem necessidade de herbicida. Para termos contraste no experimento, os tratamentos também receberão aplicação do herbicida glifosato após o acamamento das plantas de cobertura. Contudo, tanto para o experimento de primavera/verão quanto para o de outono/inverno o delineamento experimental será de blocos casualizados e os tratamentos estarão delineados em parcela subdividida com fator principal as plantas de cobertura (5) e secundário com e sem a aplicação de herbicida (2) em quatro repetições. Para isso, estudar-se-á a eficiência dessas espécies em vigor de crescimento, controle por competição com o estabelecimento e crescimento da vegetação espontânea, produção de massa seca para a formação da palha na superfície do solo e o estabelecimento e a interferência da vegetação espontânea no cultivo das hortaliças. Dessa maneira, disponibilizaríamos tecnologia ecológica para formação de palha na superfície do solo e controle da vegetação espontânea para o cultivo de hortaliças em plantio direto sem uso de herbicidas.         

Ver detalhes do projeto

  Roberto Botelho Ferraz Branco      Apta Regional / IAC

Dinâmica e Desempenho Econômico das Pescarias Demersais das Regiões Sudeste e Sul do Brasil

n° SGP 1039

O projeto "Dinâmica e Desempenho Econômico das Pescarias Demersais das Regiões Sudeste e Sul do Brasil" será desenvolvido no contexto do projeto "Subsídios Científicos para o Manejo Espacial e com Enfoque Ecossistêmico da Pesca Demersal nas regiões Sul e Sudeste do Brasil", coordenado pelo Prof. Dr. Angel Alvarez Perez (UNIVALI) e aprovado na Chamada MCTI/MPA/CNPq No 22/2015 – Ordenamento da Pesca Marinha Brasileira Linha Temática: V – Recursos Pesqueiros Demersais da Costa Sul/Sudeste (S/SE). O estido específico parte da premissa de que podem ser identificados padrões de operação das frotas pesqueiras e de distribuição das espécies demersais na área de estudo e que essas vinculam-se às variações oceanográficas e às características biogeográficas da área de mar ao largo das regiões sudeste e sul do Brasil. Como corolário, a complexidade e os custos dos métodos de pesca necessários para explorar os recursos
pesqueiros demersais de cada ambiente, assim como a abundância e o valor econômico das capturas resultantes, levariam a uma diferenciação dos meios de produção e do potencial de produção pesqueira, na geração de empregos e na remuneração da atividade. Dessa forma, a identificação de áreas com características similares podem propiciar a delimitação de unidades espaciais de gestão pesqueira, aqui chamadas de Unidades Geográficas de Gestão (UGGs). A interação da atividade pesqueira com outras atividades antrópicas também deve ser considerada.

Ver detalhes do projeto

  Antônio Olinto Ávila da Silva      IP

PRODUTIVIDADE DE MILHO EM SISTEMA INTEGRADO DE PRODUÇÃO AGROPECUÁRIA

n° SGP 1037

Como maneira de intensificar o uso das terras com maior rendimento por área o sistema agrossilvipastoril, tem sido empregado nas propriedades rurais no sudoeste paulista, associando as árvores aos cultivos agrícolas para produção simultânea de culturas florestais e agrícolas e também pastagens. A integração de árvores e cultivos agrícolas pode resultar numa utilização mais eficiente de água, nutrientes e radiação solar do que, geralmente, é possível em monocultivos florestais ou agrícolas (BENE et al., 1977). A cultura do milho devido á simplicidade de condução e amplitude de utilização diante de diversidades climáticas é particularmente uma cultura interessante para a formação de sistemas consorciados com florestas. No Brasil a cultura do milho (zea mays) é de grande importância para o agronegócio, sendo base de sustentação para a pequena propriedade, e é considerada no complexo agroindustrial um dos principais insumos existentes. Adotar sistemas como silviagrícola, melhora a capitalização do pequeno produtor podendo o mesmo aproveitar o tempo, devido á diversidade de culturas envolvidas no sistema.

Ver detalhes do projeto

  CRISTINA MARIA PACHECO BARBOSA      Apta Regional / IZ

ALTERNATIVAS PARA AMPLIAÇÃO DA RENDA DA CAFEICULTURA NO ESTADO DE SÃO PAULO: CONSÓRCIO DE CAFEEIRO ARÁBICA (Coffea arabica L.) E NOGUEIRA-MACADÂMIA (Macadamia integrifolia Maiden & Betche)

n° SGP 1034

Anualmente, aproximadamente 7.000 hectares de cafeeiro são erradicados no Estado de São Paulo. O consórcio do café (Coffea arabica L.) com nogueira-macadâmia (Macadamia integrifolia Maiden & Betche) tem se mostrado benéfico à cultura, como redução na incidência de ventos e na temperatura máxima do ar. Esse sistema produtivo permite ao agricultor uma renda adicional proveniente da segunda cultura, o que o torna favorável. Assim, áreas ocupadas por cafezais com prognóstico de erradicação podem oferecer oportunidade de instalação de cultivos consorciados, provisórios ou permanentes, ampliando a renda dos produtores no Estado. Entretanto, não existem estudos de como se pode promover essa implantação do consórcio em lavouras de café pré-existentes. Quando plantados ao mesmo tempo, considerando o uso de colheitas manuais, o consórcio de café com a nogueira-macadâmia se mostrou economicamente mais eficiente que os cultivos solteiros, nos anos iniciais, oferecendo uma alternativa de ampliação de renda, principalmente aos pequenos cafeicultores. Contudo, nos últimos anos, até mesmo os pequenos produtores necessitaram mecanizar suas colheitas. Nesse aspecto, abriu-se uma lacuna sobre estudos da viabilidade do consórcio de café com a nogueira-macadâmia em sistemas totalmente mecanizados. Para elucidar as questões abordadas, instalaram-se dois experimentos. O experimento I foi instalado em julho de 2015, no município de Dois Córregos-SP, em uma área com cultivos de café solteiro e consorciado com nogueira-macadâmia, de 9 anos de idade. O experimento é conduzido totalmente em condição irrigada, é composto por seis tratamentos, mais testemunha, ou seja, café consorciado com seis variedades de nogueira-macadâmia (IAC 9-20, IAC 4-12B, IAC 4-20, HAES 660, HAES 816, e HAES 344) e café solteiro, instalado em delineamento inteiramente casualizados, com cinco repetições. Esse tem o objetivo de avaliar se o sistema consorciado, em fase adulta, oferece vantagens fitotécnicas econômicas sobre o cultivo solteiro, nas condições de colheita mecanizada. E também, avaliar qual dentre as variedades de nogueira-macadâmia tem características mais desejáveis ao consórcio em cultivo totalmente mecanizado, em idade “adulta”. O experimento II foi instalado em outubro de 2014 no município de Gália-SP, com o objetivo de estudar formas de substituição de lavouras de café ineficientes por cultivos consorciados de café-macadâmia viáveis. Nesse, o delineamento foi o de blocos casualizado, com 4 repetições e 6 tratamentos: 1 – eliminação de um cafeeiro e plantio da nogueira-macadâmia em sua cova; 2 – plantio da nogueira-macadâmia entre dois cafeeiros recepados, a 40 cm; 3 – plantio da nogueira-macadâmia entre dois cafeeiros esqueletados, a 30 cm; 4 – plantio da nogueira-macadâmia entre dois cafeeiros que não sofrerão interferência; 5 – nogueira-macadâmia solteira, plantada em área de café erradicado e 6 – café solteiro. Em ambos os experimentos serão avaliados: altura da planta, diâmetro da copa e diâmetro do tronco das plantas de macadâmia, número de nozes por planta, produção de nozes por planta e produção de amêndoas por área nas nogueiras-macadâmia e altura, diâmetro do tronco e produtividade dos cafeeiros. Os dados serão analisados com o auxílio do programa estatístico SAS (2003) e as médias comparadas pelo teste de Tukey a 5% de probabilidade. Em ambos os experimentos, todos os valores de entrada e saída de recursos serão registrados e, considerando-se os custos de produção e receitas brutas obtidas, far-se-á um comparativo entre as receitas líquidas, apurando-se o tratamento de maior viabilidade.Anualmente, aproximadamente 7.000 hectares de cafeeiro são erradicados no Estado de São Paulo. O consórcio do café (Coffea arabica L.) com nogueira-macadâmia (Macadamia integrifolia Maiden & Betche) tem se mostrado benéfico à cultura, como redução na incidência de ventos e na temperatura máxima do ar. Esse sistema produtivo permite ao agricultor uma renda adicional proveniente da segunda cultura, o que o torna favorável. Assim, áreas ocupadas por cafezais com prognóstico de erradicação podem oferecer oportunidade de instalação de cultivos consorciados, provisórios ou permanentes, ampliando a renda dos produtores no Estado. Entretanto, não existem estudos de como se pode promover essa implantação do consórcio em lavouras de café pré-existentes. Quando plantados ao mesmo tempo, considerando o uso de colheitas manuais, o consórcio de café com a nogueira-macadâmia se mostrou economicamente mais eficiente que os cultivos solteiros, nos anos iniciais, oferecendo uma alternativa de ampliação de renda, principalmente aos pequenos cafeicultores. Contudo, nos últimos anos, até mesmo os pequenos produtores necessitaram mecanizar suas colheitas. Nesse aspecto, abriu-se uma lacuna sobre estudos da viabilidade do consórcio de café com a nogueira-macadâmia em sistemas totalmente mecanizados. Para elucidar as questões abordadas, instalaram-se dois experimentos. O experimento I foi instalado em julho de 2015, no município de Dois Córregos-SP, em uma área com cultivos de café solteiro e consorciado com nogueira-macadâmia, de 9 anos de idade. O experimento é conduzido totalmente em condição irrigada, é composto por seis tratamentos, mais testemunha, ou seja, café consorciado com seis variedades de nogueira-macadâmia (IAC 9-20, IAC 4-12B, IAC 4-20, HAES 660, HAES 816, e HAES 344) e café solteiro, instalado em delineamento inteiramente casualizados, com cinco repetições. Esse tem o objetivo de avaliar se o sistema consorciado, em fase adulta, oferece vantagens fitotécnicas econômicas sobre o cultivo solteiro, nas condições de colheita mecanizada. E também, avaliar qual dentre as variedades de nogueira-macadâmia tem características mais desejáveis ao consórcio em cultivo totalmente mecanizado, em idade “adulta”. O experimento II foi instalado em outubro de 2014 no município de Gália-SP, com o objetivo de estudar formas de substituição de lavouras de café ineficientes por cultivos consorciados de café-macadâmia viáveis. Nesse, o delineamento foi o de blocos casualizado, com 4 repetições e 6 tratamentos: 1 – eliminação de um cafeeiro e plantio da nogueira-macadâmia em sua cova; 2 – plantio da nogueira-macadâmia entre dois cafeeiros recepados, a 40 cm; 3 – plantio da nogueira-macadâmia entre dois cafeeiros esqueletados, a 30 cm; 4 – plantio da nogueira-macadâmia entre dois cafeeiros que não sofrerão interferência; 5 – nogueira-macadâmia solteira, plantada em área de café erradicado e 6 – café solteiro. Em ambos os experimentos serão avaliados: altura da planta, diâmetro da copa e diâmetro do tronco das plantas de macadâmia, número de nozes por planta, produção de nozes por planta e produção de amêndoas por área nas nogueiras-macadâmia e altura, diâmetro do tronco e produtividade dos cafeeiros. Os dados serão analisados com o auxílio do programa estatístico SAS (2003) e as médias comparadas pelo teste de Tukey a 5% de probabilidade. Em ambos os experimentos, todos os valores de entrada e saída de recursos serão registrados e, considerando-se os custos de produção e receitas brutas obtidas, far-se-á um comparativo entre as receitas líquidas, apurando-se o tratamento de maior viabilidade.

Ver detalhes do projeto

  Marcos José Perdoná      Apta Regional / IAC

NEMATÓIDES ENTOMOPATOGÊNICOS: PRODUÇÃO MASSAL E POTENCIAL DE USO NO CONTROLE BIOLÓGICO DE PRAGAS

n° SGP 1033

Nematóides ditos entomopatogênicos, ou NEPs, pertencentes às famílias Steinernematidae e Heterorhabditidae (Nematoda: Rhabditida) têm despontado como excelentes agentes de controle biológico. Apresentam um conjunto de atributos peculiares, que os tornam  promissores para o controle de pragas.  Vivem em associação com bactérias simbiontes, entomopatogênicas, que se localizam no trato intestinal de seus juvenis infectivos. Estes possuem a habilidade de localizar e invadir o corpo de insetos hospedeiros por suas aberturas naturais ou mesmo através da cutícula.  Após invadir o corpo do inseto, alcançam o hemoceloma e ali liberam a bactéria, que provoca septicemia e causa a morte do hospedeiro dentro de 24 a 48 horas. Paralelamente à almejada redução no uso de pesticidas, progressos recentes alcançados nas tecnologias de produção massal e de formulação, bem como a verificação da alta eficiência de algumas espécies e a descoberta de novos isolados tidos como promissores, têm proporcionado motivação adicional a pesquisadores e empresas interessados no estudo e utilização comercial desses nematóides.   Um número crescente de espécies - atualmente são 25 no gênero Steinernema e 11 em Heterorhabditis – já é conhecido, várias ocorrendo em muitas partes do mundo; dentre elas, algumas estão disponíveis em escala comercial, obtidas através de produção massal em diferentes meios de cultura, para uso em cultivos de alto valor de mercado em países tais como Estados Unidos, Canadá, Japão e Austrália. No Brasil, até o presente, este campo de estudos praticamente não tem sido explorado. Os objetivos deste projeto são: i) avaliar diferentes meios de cultura sólidos visando à produção massal de um isolado nativo de Heterorhabditis sp., já disponível no Instituto Biológico/Campinas, e de outros obtidos durante o estudo;  ii) avaliar o potencial de uso de novas espécies/isolados nativos, obtidos de solo de diferentes culturas de interesse econômico em regiões distintas do Estado de São Paulo,  no biocontrole de certas espécies de insetos-pragas.

 

 

 

Ver detalhes do projeto

  Luis Garrigós Leite      IB

Avaliação da eficácia do herbicida EXP3825 70%WG na dessecação pré-colheita da batata

n° SGP 1031

Dentre os problemas de manejo na colheita e pré-colheita da batata, as perdas provocadas pela infestação das plantas daninhas, o esfolamento da pele dos tubérculos, entre outros aspectos indesejáveis à qualidade, são fatores que exigem do produtor estratégias de manejo adequado. Neste contexto, a dessecação pré-colheita é uma das práticas de manejo essencial na produção comercial de batata-consumo, pois resulta na padronização comercial dos tubérculos quanto ao tamanho, coloração e firmeza da pele, o que confere resistência a danos mecânicos durante a colheita, transporte e beneficiamento, maior durabilidade e tempo de prateleira, permitindo maior planejamento da colheita, a fim de obter melhores preços durante a comercialização. A dessecação pré-colheita das ramas é normalmente realizada com herbicidas, utilizando-se produtos com forte ação de contato, que matam rapidamente os tecidos verdes, provocando a descoloração das folhas e o rompimento das membranas celulares horas após aplicação. A dessecação pode atuar positivamente de forma indireta na cultura impedindo a passagem de vírus das ramas e folhas para os tubérculos em áreas destinadas à produção de semente, diminuindo o contágio dos tubérculos por fungos e bactérias e uniformizando a maturação. Ressalta-se que nem todos os produtos são registrados para esta modalidade de aplicação, bem como promovem os rendimentos de colheita e proporcionam maior qualidade da batata. O presente projeto de pesquisa tem como objetivo avaliar a eficácia do herbicida EXP3825 70%WG na dessecação pré-colheita da batata e na qualidade dos tubérculos.

 

Ver detalhes do projeto

  Sally Blat      Apta Regional / IAC

PRODUÇÃO E FORMULAÇÕES DE BIOINSETICIDAS A BASE DE FUNGOS ENTOMOPATOGÊNICOS

n° SGP 1030

O comércio de bioinseticidas está amparado em amplo mercado decorrente não somente de agricultores preocupados em diminuir o impacto ambiental e riscos de intoxicação, bem como os praticantes de agricultura orgânica, a qual tem crescido consideravelmente ao nível mundial. Apesar do avanço na produção de Metarhizium anisopliae e Beauveria bassiana ainda são necessários estudos a respeito do aperfeiçoamento do método de produção em bandejas, visando o aumento da esporulação, facilidade de desprendimento dos propágulos e a formulação. Novos estudos de formulações de B. bassiana e M. anisopliae precisam ser realizados, principalmente as formulações partindo do próprio meio de cultura (pó molhável e suspensões concentradas) e as formulações a base de óleo emulsionável. Desse modo, os objetivos desse projeto são: a) Estudar meios de cultura líquidos para a produção de esporos e/ou massa micelial de B. bassiana e M. anisopliae; b) Desenvolver método bifásico de produção de M. anisopliae e B. bassiana. c) Desenvolver formulações dos tipos: concentrado emulsionável (CE) e/ou suspensão concentrada (SC) (conídio aéreo) e/ou granulada (micélio seco) de M. anisopliae e B. bassiana produzido em meios de culturas líquidos.

Ver detalhes do projeto

  José Eduardo Marcondes de Almeida      IB

Estudo da diversidade cultural, genética e métodos de criopreservação da Coleção de Fungos Entomopatogênicos ?Oldemar Cardim Abreu? do Laboratório de Controle Biológico do Instituto Biológico ? Campinas-SP.

n° SGP 1029

 O controle microbiano é baseado em microrganismos entomopatogênicos, necessitando, de pesquisas na área de biodiversidade a fim de isolar, identificar, caracterizar e selecionar os isolados mais interessantes para o controle de pragas específicas. Os fungos são mais frequentemente encontrados na natureza e os mais utilizados nos estudos quanto à aplicação no controle biológico de pragas. O suporte para as pesquisas para o uso de fungos no controle de insetos está diretamente relacionado a uma coleção de microrganismos entomopatogênicos, onde são isolados, armazenados e conservados, permitindo assim a sua manipulação em laboratório para as pesquisas de controle de pragas e estudos de produção em larga escala, formulação e comercialização desses microrganismos, sendo chamados de bioinseticidas na fase final de aplicação a campo. Os objetivos desse projeto são: introdução de novos isolados de fungos entomopatogênicos, melhorar as técnicas de identificação através de estudos culturais e moleculares, desenvolver novas técnicas de armazenamento e estudos de caracterização de isolados, permitindo assim maior precisão para a seleção de isolados para pragas.

Ver detalhes do projeto

  José Eduardo Marcondes de Almeida      IB

Produtividade de mandioca em função do uso de calcário e adubo orgânico

n° SGP 1028

A cultura da mandioca extrai grande quantidade de nutrientes do solo e, em função disso, a presença de nutrientes em quantidades adequadas no solo favorece sua produtividade. A correção do solo e a adubação são importantes para elevação da produtividade da cultura e manutenção da fertilidade do solo. Assim, neste trabalho objetivou-se avaliar a influência do uso de calcário e de esterco de galinha poedeira sobre a produtividade e características morfológicas de raízes de mandioca, bem como sua influência sobre propriedades químicas e físicas do solo. O delineamento experimental será em blocos ao acaso e serão avaliadas produtividade e características morfológicas de raízes de mandioca (massa fresca individual, diâmetro e comprimento de raiz), bem como seus efeitos sobre propriedades químicas e físicas do solo. 

Ver detalhes do projeto

  Amarílis Beraldo Rós      Apta Regional / IAC

Pesquisa e monitoramento de enfermidades que interferem na qualidade sanitária do plantel suídeo do estado de São Paulo

n° SGP 1027

         Dados da Cadeia Produtiva da Carne Suína do Estado de São Paulo (PEETZ et al.,1996), mostram que o Estado de São Paulo é responsável pela produção de 18,5% da carne suína produzida no Brasil, destacando-se ainda, entre os 15 principais produtos da agropecuária paulista (estimado em 7,4 bilhões de reais)      .

Neste Estado, a suinocultura é uma atividade bastante difundida, estando presente em 80.000 dentre as 300.000 propriedades agrícolas, justificando a existência de um Programa que de suporte sanitário a este setor.

A prioridade do Programa é erradicar a peste suína clássica em todo o país, de forma paulatina e progressiva a partir de regiões prioritárias, indicadas em função da importância econômica da suinocultura e das condições epidemiológicas existentes, tendo em vista tratar-se de uma enfermidade limitante para o comércio interno e externo.

  A erradicação consiste na aplicação organizada, articulada e sistemática de ações sanitárias que impeçam a reintrodução do vírus nas regiões  livres, eventual recrudescimento, diagnóstico imediato e pronta atuação profilática para a eliminação do foco no ponto do aparecimento.   Implantado em 1981, o Programa apoiava-se na vacinação de animais destinados ao abate principalmente dos estados da região sul e sudeste do país, incluindo São Paulo e Minas Gerais. Já em 1994, graças também ao apoio da iniciativa privada, os estados do sul, Minas Gerais, Mato Grosso e Mato Grosso do Sul foram declarados livres de PSC sem vacinação o que somente ocorreria no estado de São Paulo no ano de 2000, uma vez que o último foco da enfermidade foi registrado em 1998. A manutenção  deste status,  implica na exigência de exames sorológicos para a movimentação e o trânsito de animais de zonas infectadas para zonas livres de peste suína clássica. Ainda, conforme exigência das missões européias, será realizada a  sorologia para pesquisa de anticorpos e atividade viral, como parte do plano de contingência para esta enfermidade.

O Programa contempla ainda, a erradicação ou controle de outras enfermidades de importância para os suídeos. Assim sendo,   principalmente as enfermidades reprodutivas,  têm sido controladas através da vigilância epidemiológica sistemática com o monitoramento semestral do plantel reprodutor para certificação de Granjas de Suínos.

A vigilância epidemiológica no estado  vem sendo adotada com maior rigor, desde a certificação das primeiras granjas de suínos reprodutores,  sendo incrementada a partir de meados de 1998, quando ficou proibido o uso da vacina contra peste suína clássica. Devido à características similares, esta enfermidade nos últimos anos, vem sendo estudada no grupo daquelas que ocasionam transtornos reprodutivos como a parvovirose,  doença de Aujeszky, brucelose e leptospirose, Síndrome reprodutiva e respiratória dos suínos (SRRS), toxoplasmose e, como as demais, acarreta vultuosos prejuízos econômicos. Em um surto da Doença de Aujeszky num plantel de 120 matrizes, onde ocorreram 22 abortos, 50 repetições de cio e morte de 337 leitões na fase de amamentação, constatou-se uma perda econômica de 23,68% da renda total e 45,05% da renda líquida do mês. Se considerarmos que o estado está livre, sem vacinação há  quatro anos , o aparecimento de um foco de PSC acarretaria além das mortes provocadas pela enfermidade, o sacrifício sumário de todos os animais em um raio de 5km e, a conseqüente indenização dos proprietários envolvidos. Assim, podemos inferir que os prejuízos decorrentes da interrupção do Programa, podem acarretar a perda de bilhões de reais para os produtores e o fechamento das barreiras impedindo o livre comércio.

Ver detalhes do projeto

  Josete Garcia Bersano      IB

VARIABILIDADE GENÉTICA E NÃO GENÉTICA NO DESEMPENHO DE EQUINOS

n° SGP 1024

Serão comparados sistemas de produção de equinos da raça Brasileiro de Hipismo (BH) sob distintos efeitos genéticos e ambientais. Matrizes pertencentes ao rebanho do PRDTA da Alta Mogiana, Colina serão acasaladas com garanhões das raças BH ou Hanoveriano. Os animais do rebanho avaliado serão mantidos em sistema intensivo ou semi-extensivo. Serão registradas informações sobre crescimento, desenvolvimento ósseo, comportamento, nutrição, conformação corporal, qualidade dos andamentos básicos e saltos em liberdade dos potros e cavalos jovens, de modo a avaliar a variabilidade genética e não genética nos sistemas de produção considerados.

Tendo disponíveis tais informações, relevantes ao desempenho esportivo das progênies de garanhões e matrizes, contando com rebanho base de qualidade genética louvável, será implementado programa de seleção dentro de rebanho, mediante a avaliação do desempenho esportivo de potros e cavalos jovens.

Como resultados principais, haverá o fomento ao mercado consumidor de animais genetica e fenotipicamente superiores, transferência de tecnologia na avaliação de equídeos de salto a outros criatórios, na criação mais sustentável do ponto de vista econômico, ambiental e social, além disso, proverá formação e treinamento de recursos humanos, desde o nível básico até o de formação superior.

Devido ao fato da pesquisa avaliar o próprio rebanho da fazenda, o interesse em empresas privadas contribuírem com recursos financeiros, é bastante escasso. No caso, o maior interesse, é para a própria instituição – em virtude da geração de informações úteis para a melhora produtiva e técnica do rebanho, bem como para a comunidade que é prestigiada por equinos de melhor qualidade para as diversas funções, bem como pela disponibilização de informações a serem utilizadas em outros criatórios.

Ver detalhes do projeto

  Anita Schmidek      Apta Regional / IZ

Estabelecimento de programa reprodutivo utilizando inseminação artificial em tempo fixo seguido de ressincronização em fêmeas bovinas leiteiras

n° SGP 1023

A inseminação artificial (IA) é uma tecnologia relevante para aumentar a produtividade em rebanhos especializados na produção de leite. Os programas de sincronização da ovulação para inseminação artificial em tempo fixo (IATF) são ferramentas que permitem aumentar o número de fêmeas inseminadas, eliminando a necessidade de detecção de estro, aumentando a eficiência reprodutiva dos rebanhos. Atualmente, os protocolos de sincronização da ovulação estabelecidos, apresentam resultados satisfatórios e previsíveis quando aplicados em propriedades com adequado manejo nutricional e sanitário. Vários estudos foram realizados para estabelecer programas reprodutivos aplicados ao manejo das propriedades comerciais com os protocolos de IATF existentes. Tais programas visam facilitar e intensificar a aplicação dessas biotecnologias, bem como adequá-las aos objetivos específicos de cada fazenda. Atualmente, dentre as formas de intensificação do uso da IA/IATF, o estabelecimento de programas de ressincronização das fêmeas não gestantes após o primeiro serviço merecem destaque. Os programas de ressincronização eliminam a necessidade de observação de estro (facilitam o manejo e aumentam a taxa de serviço), reduzem o intervalo entre o parto e a concepção (aumentam a eficiência reprodutiva) e aumentam o número de produtos oriundos de IA (incremento do ganho genético), determinando maior lucratividade às propriedades produtoras de leite. Em resumo, o aprimoramento das técnicas de IATF associadas aos programas de ressincronização são ferramentas eficientes para o alcance máximo da eficiência reprodutiva dos rebanhos de forma organizada, pré-determinada e previsível, ou seja, com resultados zootécnicos satisfatórios e precisos. Portanto, uma vez estabelecido o objetivo da atividade rural, esses programas são incorporados ao sistema de produção e de gestão, aumentando a produtividade e a rentabilidade da propriedade.Os tratamentos hormonais utilizados na IATF faz parte da parceria com o Departamento de Reprodução Animal da FMVZ/USP.

Ver detalhes do projeto

  João Batista Pereira de Carvalho      Apta Regional / IZ

Estudo Econômico dos Mercado de Grãos (algodão, amendoim, arroz, feijão, milho,soja e trigo) e Mandioca Industrial

n° SGP 1019

~~De acordo com o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística   o PIB de 2017 ao final do terceiro trimestre apresentou crescimento de 1,4% quando comparado ao mesmo período do ano anterior. Segundo o mesmo relatório, em relação a 2016 o Valor Adicionado a preços básicos acusou um aumento de 1,2%. Entre as atividades geradoras do valor adicionado a agropecuária registrou crescimento de 9,1% relativamente ao ano anterior, variação atribuída ao desempenho de algumas lavouras, notadamente no caso do milho, algodão herbáceo e laranja. O relatório ressalta também desempenho positivo da Pecuária e da Produção Florestal (IBGE, 2017.).
 O Ministério da Agricultura Pecuária e Abastecimento (MAPA), divulgou em 14/11/20117, o valor bruto da produção agropecuária (VBP) para 2017, a partir de informações de outubro, está estimado em R$ 533,5 bilhões, 1,6% acima do obtido em 2016. Segundo o estudo, as lavouras apresentaram um aumento real de 5,5% enquanto a pecuária acusou redução de 5,8% em seu VBP no mesmo período. Destacando-se a mandioca com aumento real de 88,2%, o algodão (73,56%), a uva (50,7%), cana-de-açúcar (30,6%), milho (14,2%) e laranja (7%). Basicamente em função de aumento de preços. Ao mesmo tempo em sentido contrário destacam-se a batata com redução de VBP de 49% e a cebola com menos 47,5%.                 

____________________
http://www.agricultura.gov.br/noticias/valor-da-producao-de-2017-e-de-r-533-5-bilhoes
https://agenciadenoticias.ibge.gov.br/agencia-sala-de-imprensa/2013-agencia-de-noticias/releases/18458-pib-varia-0-1-em-relacao-ao-2-tri-e-chega-a-r-1-641-trilhao.html

 As estatísticas evidenciam a importância da agropecuária para a economia do país. Desde sua criação é missão do Instituto de Economia Agrícola desenvolver pesquisas com o objetivo de resolver os problemas econômicos da agricultura, seja no âmbito da produção, da distribuição, do consumo, da exploração dos recursos naturais de forma sustentável, daí a justificativa de um projeto que estude sistematicamente as cadeias produtivas.
A análise econômica dos mercados reveste-se de grande importância e é imprescindível que ela seja feita para subsidiar as ações dos diversos atores de uma cadeia produtiva, notadamente para aqueles agentes produtores, distribuidores entre outros elos e por fim para o próprio Estado na busca do cumprimento de suas ações reguladoras e normatizadoras, bem como nas intervenções necessárias para a execução dos programas de governo, na formulação e estabelecimento de políticas públicas, principalmente, em perseguição ao desenvolvimento sócio-econômico. A origem dos objetivos e métodos decorre da necessidade de cumprir a missão do Instituto de Economia Agrícola.
 Para proceder às análises dos mercados é importante que se faça um acompanhamento sistemático da conjuntura econômica, e, no caso em questão da conjuntura agrícola, é preciso estar atento às peculiaridades do setor e de cada uma das cadeias produtivas. SERIGATI, 2013 cita algumas das especificidades: produtos mais homogêneos, produção dispersa, (número de produtores e regiões), mercados mais competitivos preços mais flexíveis (choques, clima e sazonalidade), mercados internacionais, caráter irreprodutível do fator de produção terra, menor elasticidade renda da demanda, oferta inelástica no curto prazo e oferta elástica no médio prazo.


 

Ver detalhes do projeto

  José Roberto da Silva      IEA

REAÇÃO DE PORTA ENXERTOS DE NOGUEIRA MACADAMIA (MACADAMIA INTEGRIFOLIA), AOS NEMATOIDES DAS GALHAS (MELOIDOGYNE SPP) E AO DAS LESÕES RADICULARES (PRATYLENCHUS BRACHYURUS)

n° SGP 1013

O objetivo desse trabalho será avaliar a resistência de variedades de nogueira macadâmia (Macadamia integrifolia), a nematoides das galhas (Meloidogyne spp), e ao das lesões radiculares (Pratylenchus brachyurus). Serão utilizados sete (7) cultivares de nogueira macadamia (Macadamia integrifolia): HAES 344, HAES 660, HAES 816 e IAC 10-14, IAC 4-12B, IAC 9-20 e IAC 4-20. As sementes serão coletadas no município de DOIS CORREGOS – SP, germinadas em caixas de madeira, com areia estéril. Após a germinação, as mudas serão transplantadas, uma por vaso, para recipientes de polietileno, contendo 2000 ml de solo autoclavado, na proporção de 1:2:1 (solo:areia:matéria orgânica). Cada planta será inoculada com 5.000 ovos, e eventuais juvenis de segundo estádio (Pi), da população dos nematoides Meloidogyne enterolobii, Meloidogyne javanica, Meloidogyne incógnita, raça 2, M. paranaensis, M. exigua e Pratylenchus brachuyrus, provenientes de populações puras, mantidas em tomateiros ‘Rutgers’, processadas segundo o método de extração proposto por Hussey & Baker (1973), modificado por Bonetti & Ferraz (1981). O tomateiro ‘Rutgers’ também será utilizado como padrão de viabilidade do inóculo. O delineamento experimental será inteiramente casualizado com sete tratamentos e cinco repetições. A avaliação do índice de galhas, índice de massas de ovos e fator de reprodução do nematoide (FR=PF/PI) será realizada 60 dias após a inoculação. O sistema radicular de cada parcela será pesado, colorido com Floxine B, para a coloração das massas de ovos externas, as quais serão contadas e relacionadas com escala de notas de 0 a 5, assim como as galhas presentes. Em seguida, será processado, pelo método de trituração no liquidificador, peneiramento e centrifugação para a obtenção do fator de reprodução (Pf/Pi). 

Ver detalhes do projeto

  Maria José De Marchi Garcia      Apta Regional / IB

Sustentabilidade da agricultura familiar no Centro Oeste paulista

n° SGP 1006

A sustentabilidade da atividade agrícola é o objetivo para a agricultura familiar. Para atingir a sustentabilidade, a propriedade rural necessita desenvolver diversas funções, como questões socioambientais e melhorias na gestão da atividade econômica. A proposta do projeto é auxiliar a demanda da região para garantir a sustentabilidade da agricultura familiar paulista, principalmente na cadeia da olericultura e da fruticultura na região Centro Oeste do estado de São Paulo. A metodologia será revisão bibliográfica de dados secundários em seus aspectos históricos, sociais, econômicos e políticas. As informações coletadas serão a base da formulação indicadores determinantes nessa atividade econômica. O resultado esperado do projeto proporciona uma ferramenta para melhorar as condições na renda da agricultura familiar para permanência do homem no campo.

Ver detalhes do projeto

  Raquel Nakazato Pinotti      Apta Regional / IEA

Análise do Valor da Produção Agropecuária no Estado de São Paulo, 2015 a 2019

n° SGP 1003

~~A pesquisa visa atender a demandas sistemáticas de instituições públicas e privadas por informações oficiais sobre o valor da produção da agricultura, da pecuária, da silvicultura e da pesca, no Estado de São Paulo, de acordo com a disposição da Lei Agrícola vigente no País. Especificamente, procura-se aprimorar os sistemas de levantamenrto de dados básicos de produção e preços e incluir novos itens na lista dos produtos, cujos valores são calculados. Pretende-se desagregar o valor total do Estado por região (Escritório de Desenvolvimento Rural – EDR e Região Administrativa – RA). Serão feitas análises da conjuntura das safras e dos mercados dos principais produtos isoladamente e em agrupamentos, visando identificar as causas das variações das duas fontes de crescimento do valor da produção agropecuária (quantidades e preços). 
    

Ver detalhes do projeto

  José Roberto da Silva      IEA

Turnip mosaic virus: levantamento, identificação, caracterização biológica e molecular, e aspectos epidemiológicos dos isolados brasileiros que infectam brassicas

n° SGP 1002

O Turnip mosaic virus (TuMV, Potyvirus) está entre os principais vírus que causam danos a diversas culturas de importância econômica, principalmente Brassicaceae, tais como: couve, couve-flor, couve-brócolo, repolho (Brassica oleracea), nabo (B. rapa), mostarda-de-folha (B. juncea), canola (B. napus) e rabanete (Raphanus sativus). O TuMV tem ampla distribuição mundial, amplo círculo de hospedeiros, e consequentemente, grande diversidade genética, tendo sido classificado em diferentes estirpes e patotipos. Isolados de TuMV já foram caracterizados em diversos países da Europa, Ásia, América do Norte, África e Oceania. Porém, ainda pouco se conhece sobre a diversidade genética desse vírus em países da América do Sul, principalmente no Brasil, onde relatos esporádicos da sua ocorrência foram reportados. O presente projeto tem os seguintes objetivos: (i) realizar levantamento da incidência do TuMV, no Brasil, por meio de coletas em campos de produção de espécies de Brassicaceae, principalmente couve, couve-flor, repolho, couve-brócolo, nabo, canola e rabanete, além de coletas de espécies espontâneas [B. juncea (mostarda-de-folha), Coronopus didymus (mentruz), Lepidium virginicum (mastruz), Raphanus raphanistrum (nabiça), R. sativus (rabanete selvagem) e Sinapsis arvensis (mostarda-branca)], potenciais reservatórios do TuMV; (ii) caracterização biológica dos isolados de TuMV obtidos nas coletas, por meio de inoculação mecânica em plantas indicadoras e diferenciadoras (linhagens de B. napus) com o objetivo de avaliar se os isolados brasileiros de TuMV são capazes de quebrar a resistência de genes de Brassica spp.; (iii) caracterização molecular dos isolados de TuMV por meio do sequenciamento da porção genômica correspondente à capa proteica (CP), além do sequenciamento completo do genoma de pelo menos três isolados brasileiros de TuMV; (iv) avaliação da associação de plantas da vegetação espontânea, principalmente da família Brassicaceae, com a manutenção da fonte de inoculo do TuMV nas áreas de cultivo de Brassica spp.; (v) avaliação da eficiência de transmissão de espécies de afídeos como vetores do TuMV.

Ver detalhes do projeto

  Marcelo Eiras      IB

Toxicidade de fungicidas ao fungo simbionte de Atta sexdens (HYMENOPTERA: FORMICIDAE) e alterações na colônia frente a aplicação dos produtos em diferentes formulações, em condições de laboratório

n° SGP 1000

As formigas cortadeiras integram um dos mais importantes grupos de insetos daninhos às culturas, conhecidos por atacarem intensamente e constantemente as plantas e causarem importantes danos à agricultura nacional. São consideradas a praga número um das lavouras, mesmo com o aperfeiçoamento de muitos métodos para seu controle. Os processos de controle de formigas cortadeiras incluem diferentes métodos e podem ser classificados de acordo com a formulação do formicida aplicado. Entre os métodos de controle estão o controle mecânico, cultural, biológico e químico. O controle químico é feito por meio de iscas granuladas, termonebulização, nebulização e pó seco, que envolvem altos custos. A busca por compostos com maior especificidade dirigidos ao controle de formigas cortadeiras por ação fungicida, formicida ou ambos são bastante desejáveis (FERNANDES et al., 2002). Existem diversos fungicidas presentes no mercado agrícola, porém até o momento nenhum deles foi avaliado no controle do fungo mutualista L. gongylophorus presente nas colônias de formigas cortadeiras. Diante disso, este trabalho tem por objetivo selecionar fungicidas em diferentes formulações que sejam tóxicos ao fungo simbionte Leucoagaricus gongylophorus e verificar o comportamento das colônias de Atta sexdens após a aplicação dos produtos. Para tanto, serão selecionados os fungicidas mais eficazes, que serão posteriormente formulados como isca e nebulização. Os fungicidas com potencial de controle, em ambas formulações serão aplicados em colônias de Atta sexdens em condições de laboratório. Serão registradas as alterações que ocorrem na dinâmica de colônias de Atta sexdens frente ao tipo de formulação.

Ver detalhes do projeto

  Ana Eugênia de Carvalho Campos      IB

PROSPECÇÃO DE FUNGICIDAS PARA O CONTROLE DE Saprolegnia sp E SEGURANÇA CLÍNICA EM PACU (Piaractus mesopotamicus)

n° SGP 999

Os fungos oomicetos Saprolegnia sp. são de especial atenção na aquicultura pois são patógenos secundários e aumentam a severidade das doenças bacterianas e parasitárias causando altas taxas de mortalidade. Os fármacos utilizados no controle dos fungos não possuem registro sendo a prospecção de moléculas fundamental para a aquicultura. Assim, os objetivos deste projeto de pesquisa são: avaliar a toxicidade aguda (CL50;48h) do cetoconazol, fluconazol e itraconazol para o pacu, Piaractus mesopotamicus; avaliar a eficácia dos fungicidas no controle de Saprolegnia sp. in vitro; avaliar a eficácia in vivo, do fungicida que demonstrar melhor eficácia in vitro e avaliar as possíveis alterações histopatológicas e hematológicas em pacu, após o tratamento in vivo. Nos ensaios de toxicidade aguda os peixes serão expostos a concentrações nominais dos fungicidas e será determinada a CL50;48h. Nos ensaios in vitro o fungo será cultivado em ágar levedura 2%, acrescido de antibióticos e submetido á identificação morfológica. Após a homogeneização e solidificação do ágar, um disco de 9mm de diâmetro do cultivo do oomiceto será semeado na posição central da placa e incubada em estufa bacteriológica a 25°C. Os fungicidas serão testados nas concentrações 0, 10, 50, 100, 1000, 5000 e 10000 mg.L-1. Para o ensaio in vivo, o fungicida que demonstrar a melhor eficácia in vitro será testado no controle de Saprolegnia sp em pacu em microcosmo (caixas de 60 litros). Para isso os peixes serão distribuídos conforme os tratamentos: controle sadio (CS), controle sadio exposto ao fungicida na forma de tratamento (CEx), controle infestado sem tratamento (CIn) e os peixes infestados e tratados com o fungicida (Tr). O fungicida será testado na forma de banho terapêutico, com aplicação diária e uma hora de exposição e adicionado na ração, com sete dias de administração a 2,5% do peso corporal/dia. Ao final do tratamento serão coletadas amostras de brânquias, fígado, rim e sangue para análises histopatológicas e hematológicas.

Ver detalhes do projeto

  Maria José Tavares Ranzani de Paiva      IP

NUTRIÇÃO, CONTROLE PRODUTIVO, SANITÁRIO E REPRODUTIVO DE BÚFALAS LEITEIRAS

n° SGP 998

O crescente interesse dos bubalinocultores no desenvolvimento da cadeia produtiva, aliado ao aumento dos rebanhos, fez com que a espécie bubalina tenha se tornado uma fonte viável de produção de proteínas de origem animal. Isto se deve à fácil adaptação dos búfalos a diferentes regiões do mundo. A população bubalina mundial cresceu 24,6% nos últimos 10 anos e, atualmente, é estimada em aproximadamente 195 milhões de cabeças, das quais 110 milhões encontram-se na Índia. No Brasil, no mesmo período, a população bubalina aumentou 13,1%, o que demonstra a adaptabilidade da espécie às nossas condições e as possibilidades futuras da bubalinocultura como atividade emergente no país.

Entretanto, como ocorre nas demais espécies de interesse zootécnico, o crescimento do rebanho bubalino deve estar associado a ajustes finos nas propriedades, que viabilizem o controle da produtividade – o que possibilita a identificação dos indivíduos que possuem mérito genético – e, consequentemente, à multiplicação e à distribuição dos animais melhoradores. Se assim conduzida, a bubalinocultura - que atualmente responde por 13,3% da produção mundial de leite – tende a se tornar uma atividade econômica cada vez mais atraente sob os pontos de vista econômicos e sociais.

Nesse contexto, o presente projeto tem como meta implementar melhorias na Unidade de Pesquisa e Desenvolvimento de Registro e, desta forma, torná-la Unidade Modelo e Difusora de Tecnologia para a Região do Vale do Ribeira. Dessa forma, o bubalinocultor poderá se espelhar na Unidade e assim, aumentar a produtividade de seu rebanho, com conseqüente aumento nas suas condições sócio-econômicas. O pequeno produtor quando bem remunerado, consegue empregar toda a família na atividade e gerar empregos para a população. Dessa forma, ele, sua família e seus funcionários passam a ser incluídos na sociedade e a viver de maneira digna. 

Ver detalhes do projeto

  NELCIO ANTONIO TONIZZA DE CARVALHO      Apta Regional / IZ

Tratamentos associados ao protocolo Ovsynch para superar o anestro sazonal de búfalas leiteiras.

n° SGP 997

A sazonalidade reprodutiva em bubalinos é caracterizada por alterações comportamentais, endócrinas e reprodutivas que ocorrem em períodos distintos do ano. Durante a estação reprodutiva desfavorável, a prevalência de dias mais longos suprime o comportamento estral e a ovulação, limitando a eficiência reprodutiva, especialmente em relação aos programas de inseminação artificial. Para superar o anestro sazonal de búfalas leiteiras, o projeto proposto consiste de dois experimentos. No primeiro exp., serão utilizadas 27 fêmeas bubalinas distribuídas em um de três grupos (GC, GM e GP4). Nas búfalas do GM serão inseridos implantes de melatonina no D -20. No D0, as fêmeas de todos os grupos receberão a administração intramuscular (im) de GnRH e, além disso, nas búfalas do GP4, será inserido um dispositivo intravaginal de P4, que permanecerá por 7 dias. No D7, todas as fêmeas receberão uma dose im de PGF2α. Dois dias após, mais uma aplicação de GnRH será efetuada em todos os animais. Serão realizadas avaliações ultrassonográficas para verificar a presença de CL, de folículos ≥ 8mm (FL), para mensurar o diâmetro (ø) do FL, para aferir a taxa de ovulação ao 1º GnRH e ao final do protocolo e também para avaliar o ø e a % de CL. No exp. 2, 225 búfalas serão submetidas aos mesmos tratamentos descritos no exp. 1, com as seguintes diferenças: 16h após o 2º GnRH, todas as fêmeas serão inseminadas. No D20, as búfalas serão submetidas à monta natural, para a cobertura no retorno ao estro. Serão realizadas também avaliações ultrassonográficas para verificar a presença de CL, de FL, para mensurar o ø do FL, para aferir as taxas de ovulação ao 1o GnRH e ao final do protocolo, para avaliar o ø e a % de CL, para o diagnóstico de gestação e para quantificar as perdas gestacionais e a taxa de prenhez por monta natural. Espera-se que tanto os dispositivos intravaginais de P4 quanto os implantes subcutâneos de melatonina quando associados ao protocolo Ovsynch, possibilitem o reestabelecimento da atividade cíclica ovariana, com satisfatórias taxas de ovulação e de prenhez à IATF e à monta natural, possibilitando a desestacionalização dos partos.

Ver detalhes do projeto

  NELCIO ANTONIO TONIZZA DE CARVALHO      Apta Regional / IZ

Efeito do aquecimento urbano sobre a abundância da mosca-branca-dos-ficus e de seus inimigos naturais e formigas associadas.

n° SGP 996

A urbanização crescente gera problemas, dentre eles as ilhas de calor, que são agravadas pela densidade reduzida de vegetação no ambiente urbano. Na cidade de São Paulo os maiores gradientes de temperatura observados entre a área urbana e as áreas rurais ou mais periféricas da cidade, podem atingir valores superiores a 10 ºC. Áreas verdes e arborização viária são um dos componentes principais para amenizar a alta temperatura nas cidades. No entanto, algumas pragas podem atacar as plantas, causando danos e até quedas. Ficus benjamina, espécie exótica, muito plantada na cidade de São Paulo, tem sido acometida nos últimos anos por uma espécie de mosca-branca, Singhiella simplex. Pouco se conhece sobre a praga no Brasil, uma vez que a primeira detecção ocorreu em 2010, mas a praga pode matar árvores, desde jovens até as plantas há muitos anos. Os seus inimigos naturais também são desconhecidos, bem como as formigas associadas à mosca-branca. Assim, o projeto tem por objetivos verificar se o microclima de diferentes regiões de um município afeta a abundância da mosca-branca-do-ficus. Além disso, o projeto visa registrar os seus inimigos naturais e  formigas associadas. As formigas, ao se alimentarem do excesso de seiva que é liberado pela mosca-branca, a protege de seus inimigos naturais. Para tanto, serão realizados levantamentos em F. benjamina em 20 pontos na cidade a fim de avaliar a abundância da praga e ocorrência dos inimigos naturais. Análises de sensoriamento remoto irão verificar a temperatura de superfície das áreas para verificar se há alteração na abundância da praga nas ilhas de calor. 

 

Ver detalhes do projeto

  Ana Eugênia de Carvalho Campos      IB

Resultados de pesquisa e desenvolvimento do IAC: proposição de método de avaliação de resultados e impactos multidimensionais.

n° SGP 994

Este projeto apresenta uma proposição de método de avaliação de resultados e impactos de tecnologias agrícolas desenvolvidas pelo Instituto Agronômico (IAC) com a finalidade de orientar programas IAC de pesquisa e prestar contas à sociedade. Será utilizado como piloto o caso do Programa de melhoramento genético do maracujá. Será necessária a construção de um grupo de indicadores para avaliação da diversidade dos resultados de P&D do IAC e de outro grupo específico do produto - as tecnologias IAC maracujá. As especificidades trazidas pelos diferentes centros de pesquisa como também a ampla relação de resultados de P&D do IAC representam a diversidade e a complexidade da organização. Isso demonstra o desafio de proposição de método de avaliação de impactos de seus resultados, método este que deve permitir adaptação/customização à diversidade dos resultados de P&D do IAC. Para o Instituto o desenvolvimento de métodos de avaliação de resultados e impactos é uma inovação organizacional de grande importância, considerando que o IAC não possui métodos desse tipo institucionalizados.

Ver detalhes do projeto

  Luiza Maria Capanema Bezerra      IAC

ENSILAGEM DA POLPA ÚMIDA DE LARANJA

n° SGP 993

O objetivo será avaliar a ensilagem da polpa úmida de laranja e, para isso, este projeto será realizado em três fases. Na fase 1 será determinado o teor de polpa cítrica peletizada (0, 10%, 20%, 30% p/p) a ser adicionada à polpa úmida de laranja para atingir a matéria seca (MS) final entre 25% a 35%, avaliando-se as perdas totais, composição bromatológica, populações microbianas, pH e nitrogênio amoniacal das silagens nos tempos zero e 60 dias de fermentação. Serão confeccionados 20 silos experimentais (4 tratamentos com 5 repetições) de 25 litros cada, com base delineamento inteiramente casualizado. Na fase 2 será avaliado o efeito de diferentes doses de aditivos químicos ou microbiano na ensilagem de polpa úmida de laranja em dois níveis de MS: um com a polpa ao natural, sem adição de pellet, e outro com a polpa + pellet selecionado na fase 1. Os aditivos e respectivas doses: (BNZ) benzoato de sódio (0, 0,05%, 0,1%, 0,2%), (SRB): sorbato de potássio (0, 0,05%, 0,1%, 0,2%), (OXC) óxido de cálcio (0, 0,5%, 1%, 2%) e (BUCH) L. buchineri (0, 1.103, 1.105, 1.107 UFC) serão estudados separadamente para viabilizar a realização à contento das análises descritas na fase 1, nas silagens no tempo zero e após 60 dias de armazenamento anaeróbio. Serão confeccionados 40 silos para cada tratamento, em arranjo fatorial 4 x 2, sendo 4 doses de cada aditivo e 2 níveis de MS da polpa úmida de laranja, com cinco repetições. Após a abertura final, em cada tratamento será avaliado a estabilidade aeróbia, medindo-se o perfil microbiano, pH, nitrogênio amoniacal e temperatura da silagem após 4, 8 e 12 dias de exposição aeróbia. Na fase 3 será comparado os efeitos dos aditivos (BNZ, SRB, OXC e BUCH) na melhor dose selecionada na fase 2, no controle das perdas durante a fermentação e estabilidade aeróbia das silagem da polpa úmida de laranja com dois níveis de MS, conforme descrito nas fases 1 e 2. O delineamento estatístico da estabilidade aeróbia nas fases 1, 2 e 3 será o inteiramente casualizado, com medidas repetidas no tempo. O objetivo final deste trabalho será obter uma silagem adequada para formulação de ração animal.

 

Ver detalhes do projeto

  Regina Kitagawa Grizotto      Apta Regional / IZ

Soroprevalência de maedi-visna em ovinos da região noroeste do estado de São Paulo

n° SGP 990

Os vírus maedi-visna são vírus que infectam principalmente ovinos, mas também caprinos, e caracterizam-se por provocarem infecções persistentes e geralmente assintomáticas. Sinais clínicos surgem após um longo período e apresentam evolução igualmente lenta. As principais apresentações clínicas são pneumonia, mastite, artrite e meningoencefalomielite. A transmissão ocorre primariamente pela ingestão de colostro ou leite de ovelhas infectadas e por contato com secreções respiratórias, e secundariamente por via intrauterina e fômites. O transporte de animais vivos e o confinamento são importantes fatores que favorecem a transmissão. No Brasil, a ocorrência de anticorpos contra o vírus varia de 0 a 7%, dependendo da região. A região de São José do Rio Preto responde pelo maior número de cabeças de ovinos do estado de São Paulo, porém há poucos estudos disponíveis sobre a prevalência de agentes infecciosos nos ovinos desta região. Assim, objetiva-se no presente trabalho determinar a soroprevalência e os fatores de risco para a infecção pelo vírus maedi-visna em ovinos da região do Escritório de Desenvolvimento Rural de São José do Rio Preto. Para tanto, 1503 soros de matrizes e reprodutores desta região, coletados previamente, serão submetidos à imunodifusão em gel de ágar para detecção de anticorpos contra o vírus. Além disso, variáveis retiradas de um questionário aplicado junto aos produtores serão submetidas a análises univariada e multivariada para verificação de possíveis fatores de risco.

 

Ver detalhes do projeto

  Tatiana Evelyn Hayama Ueno      Apta Regional / IB

Desenvolvimento de processo de semi-conserva para estabilidade de filé de tilapia sem uso de refrigeração

n° SGP 986

O objetivo da proposta é explorar os fundamentos da acidificação combinada com a pasteurização no processamento de semi-conservas de filés de tilápia fora de padrão comercial tendo em vista o seu potencial tecnológico para proporcionar a estabilidade físico-química e microbiológica das amostras acondicionadas a vácuo e armazenadas sem o uso de refrigeração.

Ver detalhes do projeto

  José Ricardo Gonçalves      ITAL

Avaliação de diferentes densidades em sistema de produção Cage-Free e Convencional e seus efeitos sobre bem estar, desempenho produtivo e qualidade de ovos.

n° SGP 984

É notável a importância da produção de ovos no Brasil, e a crescente preocupação mundial acerca do bem estar das aves e qualidade dos ovos faz com que novos mercados e oportunidades sejam explorados. Tratam-se de novos modelos de produção e adaptações dos modelos convencionais tradicionalmente utilizados. O sistema Cage-Free é caracterizado por permitir total liberdade de movimento as aves, as quais permanecem no solo e possuem acesso a ninhos enquanto o sistema convencional utiliza gaiolas para manter as aves em produção. Existem diferentes recomendações de densidades, porém pouco se sabe sobre a interferência deste fator aliado ao tipo de alojamento.  Sendo assim, este trabalho tem como objetivo avaliar a qualidade de ovos, parâmetros de produção e de bem estar, e análise econômica de aves provenientes de dois tipos de alojamento, e alocadas em quatro densidades diferentes. Para isso, inicialmente serão usadas 250 aves marrons de linhagem comercial, que após homogeneização do lote, serão distribuídas em esquema fatorial 2 x 4 (dois sistemas: Convencional e Cage-Free; e quatro densidades: 375,00; 450,00; 562,50 e 750,00 cm2/ave), constituído de seis repetições. O período experimental terá duração de 112 dias aproximadamente, sendo dividido em quatro etapas de 28 dias cada. Serão avaliados os parâmetros de bem-estar das aves através de indicadores comportamentais e fisiológicos, e para os índices produtivos serão avaliados o consumo de ração, conversão alimentar por quilo e por dúzia de ovos, massa de ovos, a percentagem de perda de ovos e viabilidade das aves. A qualidade físico-química dos ovos será analisada através da mensuração de gravidade específica, unidades Haugh, percentagens de gema, albúmen e casca, espessura da casca, resistência à quebra, coloração da gema, índice gema, pH do albúmen e da gema, sólidos totais do albúmen. A análise econômica será avaliada utilizando-se o índice nutricional bioeconômico e a análise estatística dos resultados será realizada através da Análise de Variância e o contraste entre médias de tratamentos quando significativos pelo teste de Tukey a 5%, com auxílio do pacote computacional SISVAR.

Palavras chave: comportamento, sistemas alternativos, poedeiras

Ver detalhes do projeto

  José Evandro de Moraes      IZ

Indicadores comportamentais e fisiológicos do bem-estar de poedeiras em fase de produção alojadas em diferentes densidades e sua aplicação no sistema convencional

n° SGP 983

RESUMO: Objetiva-se com o presente trabalho, avaliar o bem-estar, o desempenho produtivo e econômico e a qualidade de ovos de poedeiras de linhagens comerciais brancas e marrons alojadas em diferentes densidades em gaiolas convencionais. No primeiro experimento serão utilizadas 750 poedeiras comerciais brancas de diferentes linhagens em início de postura, distribuídas em delineamento inteiramente casualizado (DIC) em esquema fatorial 5x5 (seis linhagens comerciais brancas e cinco densidades de alojamento: 321,43; 375,00; 450,00; 562,50 e 750,00 cm2/ave) com seis repetições cada. No segundo experimento serão utilizadas 540 poedeiras marrons de diferentes linhagens em início de postura, distribuídas em DIC em esquema fatorial 5x4 (cinco linhagens comerciais marrons e quatro densidades de alojamento: 375,00; 450,00; 562,50 e 750,00 cm2/ave) com seis repetições cada. Para efeito da avaliação dos resultados, serão estabelecidos cinco períodos experimentais de 28 dias cada. Em ambos os experimentos serão avaliados os parâmetros de bem-estar das aves através de indicadores comportamentais, fisiológicos e de imunidade, para os índices produtivos serão avaliados o consumo de ração, conversão alimentar por quilo e por dúzia de ovos, massa de ovos, a percentagem de perda de ovos e viabilidade das aves. A qualidade físico-química dos ovos: gravidade específica, unidades Haugh, percentagens de gema, albúmen e casca, espessura da casca, resistência à quebra, coloração da gema, índice gema, pH do albúmen e da gema, sólidos totais do albúmen. A análise econômica será avaliada utilizando-se o índice nutricional bioeconômico e a análise estatística dos resultados será realizada através da Análise de Variância e o contraste entre médias de tratamentos quando significativos pelo teste de Tukey a 5%, com auxílio do pacote computacional SISVAR. De posse dos resultados, o presente estudo poderá indicar a melhor densidade de alojamento das aves no sistema convencional e ponto de equilíbrio para a obtenção da melhor produtividade, rentabilidade e qualidade dos ovos, assegurando que o bem-estar das aves não seja comprometido, uma vez que o mercado consumidor vem exigindo o bem-estar animal como item importante de qualidade para aquisição de seus produtos.

Ver detalhes do projeto

  Carla Cachoni Pizzolante      IZ

Modelagem espacial, quantificação e caracterização de matéria orgânica de agroecossistemas: implicações na produtividade das culturas e na qualidade do solo

n° SGP 978

Diante do desafio da produção de alimentos com sustentabilidade, o monitoramento do manejo do solo, de insumos e das culturas e buscando adequar as variações espaciais dos fatores que afetam a produtividade. Essa tecnologia também permite mapear a distribuição espacial de qualquer atributo do sistema solo-planta-atmosfera, sendo útil em estudos ambientais, como, por exemplo, no mapeamento de resí­duos de defensivos agrícolas em talhões, propriedades rurais e/ou microbacias hidrográficas. Esta proposta é o aperfeiçoamento de um projeto de pesquisa iniciado em 2009 que focava exclusivamente na variabilidade espacial de diversos atributos do solo. Atualmente tem por objetivo estabelecer uma linha de pesquisa focada na materia orgânica do solo, sua sua caracterização química, física e biológica. Também será abordado a modelagem espacial e de outros atributos de interesse agrícola e ambiental. A qualidade do solo é um fator importante para avaliar a sustentabilidade das práticas agrícolas e para guiar decisões sobre mudanças no uso da terra. Porém, avaliar a qualidade do solo é uma tarefa complicada devido à alta variabilidade e multiplicidade de fatores químicos, físicos e biológicos que controlam os processos biogeoquímicos. Por essa razão, é necessário um método sistemático para determinar quais atributos do solo podem ser usados de maneira eficiente como indicadores de qualidade. A matéria orgânica do solo participa de processos importantes relacionados a produção agrícola e por essa razão é considerada um dos principais atributos que definem a qualidade de solos agrícolas. Essa proposta tem como principais objetivos avaliar a qualidade da matéria orgânica em sistemas de cultivo com e sem rotação de culturas e  comparar diferentes estratégias para a elaboração de um índice de qualidade do solo. A abordagem utilizada para a validação dos índices estudados será a correlação com a produtividade acumulada relativa, calculada a partir do histórico de produtividade das culturas cultivadas na área. Para isso, será utilizado um experimento instalado à 5 anos que avalia diferentes arranjos de rotação de culturas.

Ver detalhes do projeto

  Marcio Koiti Chiba      IAC
  Sobre

O SGP (Sistema de Gestão de Pesquisa) foi implementado em todas as unidades APTA, para centralizar o controle de todos os projetos desenvolvidos sob sua supervisão. [Ler mais]

Endereço APTA – São Paulo

Praça Ramos de Azevedo, 254, 2º andar - República, São Paulo - SP

Fone : (11) 5067-0447 e 5067-0427

  Endereço APTA – Campinas

Avenida Barão de Itapura, 1481 - Botafogo, Campinas - SP

Fone : (19) 2137-8930