Projetos APTA em todas as unidades, todos os centros

Página Inicial / Busca de Projetos

381 projetos ativos encontrados - pág. 5 de 13

QUALIDADE DA ÁGUA EM AQUÁRIOS COM DIFERENTES TIPOS DE CALCÁRIO

n° SGP 1888

Este trabalho tem como objetivo avaliar a qualidade da água em aquários povoados com a espécies de peixes ornamentais, carpa ornamental e espada vermelho, com diferentes tipos de calcário. Serão avaliados a cada 15 dias e mensalmente a alcalinidade, dureza, oxigênio, pH, temperatura, amônia, nitrito e dióxido de carbono durante o período de 4 meses.

O custo na aquisição de 20 aquários de 10 litros, bombas de ar para oxigenar a água, kits de análise de água, ração, peixes ornamentais será feito

pela Empresa Socidade Extrativista Dolomia(Termo compromisso anexo) locada na cidade de Taubaté/SP.

 

Ver detalhes do projeto

  Sergio Henrique Canello Schalch      IP

ANÁLISE DO DESEMPENHO PRODUTIVO DE DUAS LINHAGENS DE LAMBARIS DO GÊNERO AstyanaxBAIRD& GIRARD, 1854 (TELEOSTEI: CHARACIFORMES: CHARACIDAE)

n° SGP 1886

O sistema de cultivo em tanques escavados em terra ou viveiros tem sido empregado há muito tempo. Porém, a piscicultura desenvolvida em tanques-rede é uma modalidade que vem apresentando forte crescimento nos últimos anos (MPA, 2015).A criação de peixes confinados em tanques-rede visa à produção com alta produtividade e no menor tempo possível, pois permite uma densidade volumétrica muito maior que as outras modalidades. Neste sistema, há economia de água, o manejo é mais fácil e os custos são menores. Outra vantagem é que os tanques-rede também podem ser colocados dentro de viveiros escavados de forma a otimizar o restante do espaço para a produção de outras espécies consorciadas, maximizando a produtividade total e os lucros.

O suporte financeiro para realização das pesquisas científicas será feito pelo Prof. Dr. Miguel Petrere Junior ligado a Universidade Federal de São Carlos, Centro de Ciências e Tecnologias para a Sustentabilidade, Campus Sorocaba, Programa de Pós-Graduação em Planejamento e Uso de Recursos Renováveis, mediante a termo de compromisso anexo.

 

Ver detalhes do projeto

  Sergio Henrique Canello Schalch      Apta Regional / IP

Avaliação da densidade larval e manutenção de mexilhão-dourado em laboratório

n° SGP 1885

O mexilhão-dourado é uma espécie originária da Ásia com características de espécie invasora. No Brasil, sua dispersão estende-se pelos ecossistemas aquáticos das regiões sul, sudeste, centro-oeste e nordeste. Nos tanques-rede instalados em reservatórios, as larvas do molusco se fixam às telas e as colônias formadas causam a oclusão das malhas, reduzindo a oxigenação e a eliminação de resíduos, portanto, a qualidade da água e a capacidade de suporte das estruturas de cultivo. A limpeza frequente dos tanques-rede incrustados promove impactos econômicos. Objetiva-se nesse trabalho identificar os picos de reprodução do mexilhão-dourado, por meio da determinação da densidade de larvas do tipo D (véliger de charneira reta, umbonada e plantígrada) presentes na coluna d’água de piscicultura localizada no reservatório Chavantes, rio Paranapanema (SP/PR). Mensalmente, entre janeiro e dezembro de 2018, serão coletadas quatro amostras de plâncton na profundidade de 1,5 a 2,0 m da coluna d’água, utilizando-se bomba de sucção e rede com abertura de 40 µm de abertura. Serão filtrados 1000 litros de água, concentrados em frascos de 150 mL, aos quais será adicionado álcool 70% para fixação das larvas. Em laboratório, a determinação da densidade e a identificação dos estágios larvais serão realizadas sob microscópio estereoscópico modelo EK4.2SB/ST (80X). Paralelamente, em campo, serão determinados temperatura, pH, condutividade elétrica, turbidez e oxigênio dissolvido a cada 0,5 metro da coluna d’água com o equipamento multiparamétrico da marca Horiba modelo U-52 e coletadas amostras na superfície para determinação de clorofila-a. Pretende-se ampliar o conhecimento sobre os picos reprodutivos e os estágios larvais do mexilhão-dourado em nossas condições para subsidiar estudos futuros e ações de mitigação do impacto dessa bioinvasão nas pisciculturas.

Ver detalhes do projeto

  DAERCY MARIA MONTEIRO DE REZENDE AYROZA      IP

Resistência de ácaros fitófagos (Tetranychus urticae) e predadores (Phytoseiulus macropilis) a acaricidas e estratégias de manejo de ácaros-praga com uso de ácaros predadores (Phytoseiidae) em ornamentais e citros

n° SGP 1884

Um dos fatores que dificultam a produção e a comercialização de diversas culturas agrícolas de importância econômica no Brasil é o ataque de diversas espécies de ácaros-praga, com destaque para os ácaros das famílias Tetranychidae (ex.: Tetranychus, Panonychus) e Tenuipalpidae (ex.: Brevipalpus). O ácaro-rajado, Tetranychus urticae Koch (Acari: Tetranychidae), causa sérios prejuízos em diversas culturas, incluindo morango, mamão, pêssego, uva, feijão, algodão, rosa, crisântemo, gérbera, orquídea, entre outras, no País. Os ácaros Brevipalpus spp. (Acari: Tenuipalpidae) são considerados pragas-chave de culturas como citros, café, diversas fruteiras e ornamentais, e estão associados à transmissão de várias viroses, incluindo o vírus da leprose dos citros (Citrus leprosis virus - CiLV) e o da mancha angular do cafeeiro (Coffee ringspot virus - CoRSV). Os ácaros predadores da família Phytoseiidae são considerados os principais inimigos naturais de ácaros-praga de importância agrícola. Um dos sérios problemas enfrentados pelos agricultores tem sido a dificuldade para o controle de ácaros-praga através do uso de agroquímicos. O desequilíbrio biológico causado pela eliminação de inimigos naturais e o rápido desenvolvimento de resistência dessas pragas aos acaricidas estão entre as principais razões para essa dificuldade de controle. O objetivo geral do projeto é obter subsídios para o estabelecimento de programas de manejo de ácaros-praga (Tetranychidae, Tenuipalpidae) em diversas culturas, com ênfase em ornamentais e citros. Os objetivos específicos são: 1) estudar a resistência de T. urticae a acaricidas, em várias culturas de importância econômica; 2) estudar a resistência de ácaros predadores, principalmente Phytoseiulus macropilis (Banks), a acaricidas (incluindo estudos de caracterização bioquímica e molecular da resistência, com análise de transcriptoma em linhagens S e R de P. macropilis); 3) avaliar o efeito de agroquímicos, produtos naturais (extratos de plantas) e entomopatógenos (fungos, bactérias) sobre ácaros fitófagos (T. urticae, Brevipalpus yothersi, Brevipalpus papayensis) e predadores (Neoseiulus transversus, Neoseiulus californicus, Euseius citrifolius); 4) avaliar estratégias de manejo de ácaros-praga nas culturas de gérbera, orquídea e citros, incluindo a liberação de ácaros predadores (Phytoseiidae) para o controle biológico de ácaros-praga.

 

Ver detalhes do projeto

  Mário Eidi Sato      IB

Ácaros associados a cultura da macadâmia no estado de São Paulo

n° SGP 1883

Os levantamentos serão conduzidos na região de Dois Corregos, Bocaina, Campinas, Ribeirão Preto SP e Guaxupé MG.  Serao amostrados Folhas e inflorescencia a cada dois meses durante o período de 4 anos. As amostras serão avaliadas no laboratório de Acarologia do Centro Experimental Central do Instituto Biologico em Campinas SP. Os ácaros predadores e pragas serao quantificados e identificados pelo Doutor Andre L. Matioli.

Ver detalhes do projeto

  Andre Luis Matioli      IB

Padrão sazonal dos preços internacionais de soja em grão: análise da relevância do market share do Brasil

n° SGP 1881

Tradicionalmente o Brasil tem importante participação no mercado mundial de soja em grão. No contexto das grandes culturas é a que  apresenta o maior crescimento nas últimas décadas graças ao aproveitamento do potencial agrícola proporcionado pelo aporte tecnológico e a expansão em área cultivada.

O aumento da produção brasileira tem proporcionado o fortalecimento da posição do país no mercado internacional através da ampliação do market share a ponto de trazer mudanças no quadro da oferta mundial da oleaginosa com indícios de intensificação da influência da soja brasileira sobre o comportamento das cotações do produto.

No passado a hegemonia estadunidense na produção e nas exportações determinava o padrão sazonal das cotações internacionais do grão de soja de acordo com a safra daquele país enquanto o Brasil era mero tomador de preços. Mais recentemente esse quadro se altera quando o Brasil assume a liderança nas exportações da oleaginosa.

Esse cenário configura novo perfil da oferta mundial da oleaginosa e remete à avaliação de possíveis reflexos sobre o comportamento das cotações internacionais do produto.

Nesse contexto, a hipótese a ser analisada pela pesquisa é a de que o aumento na produção e nas exportações brasileiras aliados as estruturas tributárias comerciais brasileira e dos países importadores  trouxeram mudanças na oferta mundial a ponto de modificar o padrão sazonal das cotações da soja em grão no mercado internacional o qual passaria a ser mais condizente com a safra brasileira.  

Ver detalhes do projeto

  Marisa Zeferino Barbosa      IEA

Sustentabilidade ambiental: uma abordagem dos princípios e aplicações na agricultura brasileira

n° SGP 1878

O conhecimento predominante para a produção de bens, até recentemente, esteve alicerçado na crença da inexistência de limites naturais ao crescimento, uma vez que no caso de ocorrer restrições da natureza as tecnologias sempre poderiam substituir os recursos naturais.

Os efeitos deletérios sobre o meio ambiente, entretanto, trazidos pela expansão desenfreada do sistema econômico passaram a exigir a reorientação na condução de processos produtivos em diversas esferas das atividades econômicas com vistas a preservação ambiental aliada a sustentação ecossistêmica da produção. Essa dinâmica que ganha força nas últimas décadas veio consubstanciar a definição e nortear ações quanto a adoção de técnicas que ultrapassassem as finalidades produtivistas com vistas ao que se convencionou denominar sustentabilidade.  

Na produção agrícola essa realidade tem relevância especial em função da estreita dependência em relação ao meio ambiente e em virtude das transformações em curso relativas a maior preocupação com serviços prestados pela natureza. Desse modo, há indícios de mudanças no paradigma do padrão produtivista herdado da “revolução verde” para aquele voltado à sustentabilidade na dimensão ambiental na agricultura.

Mas no que consiste a sustentabilidade?  E de que forma esse conceito, que ainda não é de consenso, se apresenta empiricamente na agricultura brasileira?

Essa problemática consiste o objeto da pesquisa. Seu desenvolvimento será norteado pela contextualização que cerca a sustentabilidade e sua aplicação assentada no referencial da economia ecológica.

Ver detalhes do projeto

  Marisa Zeferino Barbosa      IEA

AVALIAÇÃO DE CULTIVARES HÍBRIDOS DE Brachiaria spp. PARA DETERMINAÇÃO DO VALOR DE CULTIVO E USO

n° SGP 1877

Definir e enfatizar o tipo de contribuição que cultivares híbridos de Brachiaria possam apresentar à agricultura nacional ou regional, que justifique sua inscrição no RNC (Registro Nacional de Cultivares), através da descrição da existência de características especiais (maior produtividade, maior ganho de peso por ha acumulado por período, maior ganho médio diário por período, maior taxa de lotação média por período, resistência a pragas, doenças ou condição ambiental adversa) comparativamente a cultivar testemunha, em ensaios de Valor de Cultivo e Uso (VCU) segundo a Instrução Normativa no23, de 30 de julho de 2008 (Diário Oficial da União, 2008).

Ver detalhes do projeto

  Waldssimiler Teixeira de Mattos      IZ

Eficiencia agronômica de fontes alternativas de nutrientes de plantas

n° SGP 1876

Em um mundo preocupado com indicadores ambinetais a reutilização de materiais como fonte de nutrientes de planta é uma alternativa de reciclagem e otimização dos sistemas de produção agrícola. Esta prática devolve ao solo nutrientes de plantas exportados pelas culturas e produzindo biomassa e outros produtos. Ampla variedade de materiais organicos e inorgânicos podem conter quantidades consideráveis de nutrientes de planta que podem ser utilizados para suprir parte da demanda das culturas. Seu uso entretanto precisa ser estudado para evitar que haja depauperamento da qualidade do solo com a adição de elementos potencialmente tóxicos no agroecossistema. Devem ser monitorados os atributos do solo e da planta para verificar a viabilidade de uso dessas fontes alternativas de nutrientes e comparar os resultados de produção com uma fonte conhecida do(s) nutriente(es) fornecido(s) o que viabiliza também a estimativa da eficiencia agronômica da fonte alternativa de nutrientes.

Com relação ao solo, serão quantiifcados os teores de carbono orgânico, CTC, pH, Condutividade elétrica, metais pesados (Cu, Fe, Mn, Zn, Ni, Cd, Pb, Cr) , fosforo disponível, potássio e formas de nitrogênio (nitrato e amonio).

Nas plantas serão quantificados os teores de nutrientes nas folhas, produção de biomassa, produção de grãos e relação entre produto colhido/biomassa produzida - indice de colheita. Outros parametros de planta relativos especificamente a determinadas culturas também podem ser quantificados.

Os dados obtidos serão analisados por estatisica descritiva, analise de variância (ANOVA) ou por estatistica não-paramétrica (se necessário) com uso de comparação multipla de médias, contrastes ortogonais ou regressão. Adicionalmente poderão ser utilizados testes multivariados, p.ex. componentes principais para seleção de variáveis de maior signficancia na composição da variância total dos dados.

Ver detalhes do projeto

  Marcio Koiti Chiba      IAC

Estruturas e dimensões do agronegócio no PIB Paulista e seus recortes regionais

n° SGP 1864

O Instituto de Economia Agrícola (IEA) e a Fundação Sistema Estadual de Análise de Dados (SEADE) se propõem a construir e calcular o Produto Interno Bruto (PIB), integrado ao Sistema de Contas Regionais, sobre o agronegócio no Estado de São Paulo.  Os resultados alcançados serão passíveis de comparação e o intervalo de apresentação de resultados e de análise mais curtos, pois a dinâmica econômica de setores e de regiões exige essas ações. A proposta metodológica para o cálculo do PIB do agronegócio paulista tem como referência as normas e conceitos utilizados pelo IBGE e órgãos estaduais de estatística, nos cálculos das contas nacionais e regionais.

Ver detalhes do projeto

  Denise Viani Caser      IEA

PRODUTIVIDADE DE RAÍZES E TUBÉRCULOS EM PRESIDENTE PRUDENTE/SP

n° SGP 1854

O projeto contempla dois trabalhos: com batata-doce e com mandioca

A batata-doce é uma planta originária da América Latina e suas raízes tuberosas ocupam o sexto lugar entre os alimentos mais produzidos no mundo.

A cultura apresenta elevado potencial de produção de raízes tuberosas, podendo atingir mais de 40 t ha-1. No entanto, em 2012, a produtividade média no Brasil foi de 12,2 t ha-1. Diversos fatores são responsáveis pela produtividade aquém da potencialidade da cultura, como, por exemplo, baixo investimento tecnológico, utilização de variedades pouco adequadas à região de cultivo e utilização de material vegetativo proveniente de lavouras comerciais com baixa sanidade e inadequada nutrição.

Na região de Presidente Prudente/SP, a exploração da cultura da batata-doce é uma expressiva fonte de renda para muitos produtores. Na região, são cultivadas principalmente as variedades Londrina e Uruguaiana, mas pode-se inserir novas variedades a fim de maior produtividade e/ou redução de custos.

Assim, esse trabalho tem por objetivo avaliar o desempenho agronômico de clones de batata-doce desenvolvidos pelo IAC com as variedades já amplamente cultivadas na região de Presidente Prudente/SP.

A mandioca (Manihot esculenta Crantz) é uma espécie nativa do Brasil e está distribuída em todo o território nacional, sendo cultivada em todos os estados brasileiros. A cultura extrai grande quantidade de nutrientes do solo e, em função disso, a presença de nutrientes em quantidades adequadas favorece o aumento da produtividade da cultura. 

Neste trabalho ter-se-á como objetivo avaliar a influência do uso de fertilizante orgânico - esterco de galinha poedeira - sobre a produtividade e características morfológicas de raízes de mandioca, bem como seus efeitos sobre propriedades químicas e físicas do solo.

 

 

Ver detalhes do projeto

  Amarílis Beraldo Rós      Apta Regional / IAC

Desenvolvimento de variedades transgênicas de cana-energia

n° SGP 1850

A cana-energia surgiu como uma alternativa para a produção de etanol. A biomassa lignocelulósica da cana-energia fornece matéria prima para a produção de etanol de segunda geração (2G), ou etanol celulósico, e cogeração de energia. Desta forma vem sendo desenvolvidas, em programas de melhoramento genético tradicional, cultivares de cana com características específicas para a produção de biomassa. Atualmente a transgenia é considerada uma ferramenta de grande valia para o melhoramento de cana. Dentre as características do processo de transgenia, podemos destacar principalmente a inserção direta de genes de interesse, permitindo assim a aquisição de uma característica desejada sem que haja a cotransferência de características indesejadas a partir dos parentais, como ocorre no processo de melhoramento tradicional. Dentre as principais características de interesse econômico a serem inseridas na cana, destacam-se o aumento na qualidade e na produtividade da biomassa, a resistência/tolerância a herbicidas, a resistência a estresses bióticos (insetos, pragas e fungos) e abióticos (salinidade, frio e seca). O objetivo do presente projeto é o desenvolvimento de cultivares de cana-energia transgênicas que apresentam genes envolvidos com o aumento e qualidade da biomassa. Os genes de interesse são relacionados a síntese de componentes da parede celular e foram previamente identificados em projetos anteriores. Este projeto contribuirá para a capacitação de recursos humanos e o desenvolvimento de uma plataforma de produção em grande escala de plantas de cana transgênica que poderão ser utilizados no Programa Cana do Centro de Cana/IAC.

Ver detalhes do projeto

  Silvana Aparecida Creste Dias de Souza      IAC

Sustentabilidade:do campo à mesa

n° SGP 1840

A presença de agricultores familiares é bastante significativa na região de Bauru/SP, principalmente na produção de olerícolas. Dentre os principais entraves encontrados na etapa de comercialização da produção destacam-se as dificuldades de obter volume, variedade, frequência e qualidade dos produtos. Em 2016 foi inaugurada uma cozinha comunitária, pela prefeitura de Bauru/SP, que visa oferecer refeições adequadas, saudáveis, nutricionalmente balanceadas, para atender prioritariamente pessoas em vulnerabilidade social. A rede de cooperação da equipe do projeto será responsável em buscar melhorias nas condições de produção agrícola, minimizar o problema de comercialização e desenvolver pesquisa para a segurança alimentar. O objetivo geral do projeto é auxiliar na sustentabilidade da cozinha comunitária, instalada em Bauru, através do desenvolvimento de metodologia de políticas públicas para aquisição de alimentos de produtores rurais da agricultura familiar local.

Ver detalhes do projeto

  Maria Cecília de Arruda      Apta Regional / IAC

AVALIAÇÃO DE B. Brizantha SOB CONDIÇÕES EDAFOCLIMÁTICAS COM SUPLEMENTAÇÃO DE NITROGÊNIO E POTÁSSIO

n° SGP 1825

            A elevação potencial genético de forrageiras tropicais é um aspecto importante para o sistema de produção de animais em pastejo, porém existe a grande necessidade de técnicas de adubação e o conhecimento sobre a ecofisiologia das espécies forrageiras tropicais mediante as pertubações ambientais, para direcionar e orientar práticas sustentáveis de manejo. A definição de estratégias que permitam maior eficiência no manejo de pastagens tropicais, através de um maior aproveitamento do potencial de produção das plantas forrageiras, requer a compreensão de seu comportamento morfofisiológico e resposta à adubação, minimizando o processo de degradação da pastagem em uso. A obtenção dessas informações é fundamental para se definir o momento mais oportuno para a entrada e saída dos animais em qualquer situação de pastejo, especialmente em sistemas de lotações intermitentes e a altura e/ou a melhor disponibilidade de forragem, relacionando o melhor balanço possível entre os desempenhos produtivos da planta forrageira e do animal.

            Além desses aspectos, espera-se: diminuição na estacionalidade da produção de forragens e aumento na produtividade de animais em pastejo. Relevantes informações podem ser atribuídas, sendo: o potencial para propiciar benefícios ao meio ambiente, diminuindo os riscos de contaminação do lençol freático com uso inadequado de fertilizantes, o que pode ocorrer quando se utiliza níveis muito elevados de adubos potássicos e nitrogenados; a redução da poluição ambiental, causada pela redução da produção de metano, que se observa, quando os animais são alimentados com forragem de melhor qualidade.

Ver detalhes do projeto

  Andréia Luciane Moreira      Apta Regional / IZ

Semeadura Direta de Leguminosas Adubos Verdes na Entrelinha da Soqueira de Cana Crua

n° SGP 1791

Técnica conhecida e praticada há muitas décadas fora do Brasil, o cultivo intercalar é uma possibilidade de otimizar o uso da terra, dentre outras vantagens. No Brasil foi objeto de estudo no início da década de 80, porém não alcançou expressão em escala comercial. Atualmente, em virtude dos impactos da colheita mecanizada (pisoteio de soqueiras, compactação e surgimento de novas pragas), a longevidade das soqueiras vem diminuindo em muitas regiões demandando a reforma antes do tempo, prática de alto custo e que atrasa o fluxo de matéria-prima nas unidades industriais. O cultivo intercalar de leguminosas adubos verdes em soqueira pode ser uma alternativa para atenuar os impactos da colheita mecanizada. Nesse sentido, pesquisas em campo serão instaladas em delineamento experimental blocos casualizados com os tratamentos arranjados em faixas, tendo como tratamentos cinco espécies (Crotalaria spectabilis, Crotalaria ochroleuca, Crotalaria breviflora, Lupinus albus, Cajanus cajan) com e sem nitrogênio em cobertura, além da testemunha. Estão previstos dois experimentos, sendo um em Latossolo Vermelho distrófico (Usina São Martinho) e um sobre Argissolo Vermelho Amarelo (COFCO Agri, Catanduva). Estão previstas avaliações dos atributos do solo (física e fertildade), crescimento do sistema radicular da cana-de-açúcar, acúmulo de biomassa e nutrientes na cana e nas espécies de leguminosas, bem como as características agronômicas e tecnológicas da cana-de-açúcar. Preferencialmente serão utilizadas soqueiras com mais de três cortes.

Ver detalhes do projeto

  Denizart Bolonhezi      IAC

Estudo do efeito isolado e da interação de Meloidogyne incognita, Pratylenchus brachyurus e P. jaehni em três genótipos de cafeeiros.

n° SGP 1787

Objetivo geral

 

Os objetivos principais do projeto são estudar as interações de diferentes densidades populacionais de nematoides das lesões P. brachyurus e P. jaehni  e ácaros no desenvolvimento de cafeeiros. Também, será estudada o efeito da infestação conjunta de P. brachyurus, P. jaehni  e M. incognita em diferentes genótipos de cafeeiros.Objetivos específicos

 

1) plano de gestão do projeto

2) Estudar a interação da infestação conjunta de nematoides das lesões radiculares (P. brachyurus e P. jaehni) e ácaros em C. arabica e C. canephora

2.1) estudo da interação da infestação conjunta de diferentes níveis populacionais de  P. brachyurus e P. jaehni  e ácaros em C. arabica Catuaí Vermelho.

2.2) estudo da interação da infestação conjunta de diferentes níveis populacionais de  P. brachyurus e P. jaehni  e ácaros em genótipo comercial de C. canephora .

 

3) Estudar o efeito da infestação isolada e conjunta de P. brachyurus, P. jaehni e M. incognita em três genótipos de cafeeiros.

3.1) efeito da infestação isolada e conjunta de P. brachyurus, P. jaehni e M. incognita em cafeeiro com porta enxerto C. canephora cv. Apoatã enxertado com C. arábica cv. Catuaí Vermelho

3.2) efeito da infestação isolada e conjunta de P. brachyurus, P. jaehni e M. incognita em C. arábica cv. Catuaí Vermelho

3.3) efeito da infestação isolada e conjunta de P. brachyurus, P. jaehni e M. incognita em clone de genótipo 

Ver detalhes do projeto

  Roberto Kazuhiro Kubo      IB

Monitoramento das espécies marinhas associadas aos costões rochosos e capturadas na Baia de Santos

n° SGP 1784

A Baía de Santos, entrada para o maior porto da América Latina, compartilha a pesca com o tráfego intenso de navios, operações de dragagem e a limpeza de casco dos navios, causando preocupação devido à potencialidade de acidentes ambientais e da susceptibilidade às espécies invasoras. Os objetivos deste estudo são: monitorar as espécies associadas aos costões rochosos na Baía de Santos que são capturadas pela atividade extrativista, mexilhão Perna perna, o gastrópode Stramonita haemastoma (saquaritá); equinodermes ouriços-do-mar Echinometra lucunter (ouriço-do-mar-preto ou pindá) e Lytechinus variegatus (ouriço-do-mar-verde) e Holothuria sp (pepinos-do-mar); indicar os pontos críticos de controle; caracterizar as práticas de captura, manuseio do produto e a obtenção dos parâmetros de qualidade microbiológica, física e química. A aquisição de imagens de alta resolução será bimensal por câmeras especiais pelo sistema de aeronave remotamente pilotada no mediolitoral e por mergulhos científicos a partir do infralitoral. Disponibilizam imagens de alta qualidade, aplicáveis no método do fotoquadrat para estimativas das densidades populacionais e também para o dimensionamento das faixas de dominância e extrativa dessas áreas.  Amostras serão coletadas anualmente e analisadas para a caracterização nutricional e higiênico-sanitária do pescado capturado, verificação dos principais pontos críticos de controle e análises microbiológicas para pesquisa de Samonella sp, Staphylococcus aureus, Bacillus cereus, Clostridium perfringens, Vibrio e Coliformes totais.

Ver detalhes do projeto

  Luiz Miguel Casarini      IP

Avaliação de protocolos de processamento de amostras clínicas sugestivas de tuberculose bovina para isolamento de Mycobacterium bovis

n° SGP 1775

A tuberculose bovina é uma enfermidade zoonótica, granulomatosa crônica, causada pelo Mycobacterium bovis. Esta bactéria possui a maior diversidade de hospedeiros domésticos e silvestres dentro do Complexo Mycobacterium tuberculosis ao qual pertence, causando portanto, graves prejuízos econômicos ao setor agropecuário e de saúde pública. O isolamento do agente é considerado padrão ouro de diagnóstico, embora possa ser difícil, principalmente em lesões paucibacilares. Devido a esta dificuldade, uma ampla-gama de pré-tratamentos e de procedimentos de processamento (homogeneização, descontaminação e concentração) e o uso de um meio de cultura que iniba a contaminação por outros microrganismos são empregados para facilitar a recuperação das micobactérias da amostras clínica. Desta forma, o presente estudo tem por objetivo avaliar diferentes protocolos de centrifugação, e descontaminação das amostras, com a finalidade de aumentar a sensibilidade da técnica e melhorar o diagnóstico da tuberculose bovina.

Ver detalhes do projeto

  Cristina Corsi Dib      IB

Dinâmica dos territórios e agricultura familiar no Estado de São Paulo: produção, mercados e segurança alimentar e nutricional nos municípios.

n° SGP 1772

Considerando o lugar central da agricultura familiar paulista na garantia da qualidade do abastecimento e segurança alimentar e nutricional no país, tem-se por objetivo analisar e divulgar informações estratégicas sobre as recentes ações e práticas destinadas à produção, comercialização e implementação de políticas públicas ao setor. A intenção é apresentar análises sobre temáticas que envolvem a dinâmica da agricultura familiar em municípios do Estado de São Paulo. A pesquisa apresenta caráter exploratório qualitativo e referencial teórico da pesquisa participante. Almeja-se levantar informações primárias e secundárias a respeito do perfil dos sistemas técnicos de produção local, a inserção social por meio das compras institucionais e a atuação dos Conselhos municipais, em especial, o papel os Conselhos Municipais de Segurança Alimentar e Nutricional. Para a realização da síntese analítica e elaboração de artigos de divulgação, utilizar-se-á o método de triangulação, o que incluirá o cruzamento das múltiplas fontes de informações trabalhadas durante a investigação: entrevistas com informantes-chave (agricultores e gestores públicos) aliado aos dados e documentos disponíveis em bancos oficiais e públicos

Ver detalhes do projeto

  Soraia de Fátima Ramos      IEA

Obtenção de genótipos superiores de seringueira (Hevea spp.) adaptado a diferentes regiões edafoclimáticas consideradas área de escape ao mal-das-folhas

n° SGP 1755

O caráter mais importante no melhoramento genético da seringueira Hevea brasiliensis (Willd. ex Adr. de Juss) Muell.-Arg. é a produção do látex.  Entretanto, a expressão desse potencial é geralmente influenciada por vários fatores genéticos inerentes à árvore, como vigor, espessura de casca, resistência ao vento, doenças, etc. e por fatores ambientais tais como: práticas de manejo, sistema de sangria, estimulação, densidade de plantio, nutrição, etc.  O programa de Melhoramento Genético adotado pelo Instituto Agronômico (IAC), compreende três etapas de seleção.  Inicialmente, procura-se obter progênies, por via de polinização controlada ou aberta, visando à formação de viveiros de progênies.  Aos dois anos e meio com base em avaliações preliminares de produção através de testes precoces, vigor e tolerância a doenças, os ortetes são selecionados e clonados para serem testados em Experimentos de Avaliação de Clones em Pequena Escala (EAPEs).  Nessa segunda etapa de seleção, após o primeiro ano de sangria, os clones promissores são multiplicados e passam a ser avaliados em Experimentos de Avaliação em Grande Escala (EAGEs).  Com base no exposto o projeto tem como principal objetivo a obtenção de cultivares (clones) superiores de seringueira com alto potencial de produção e vigor, resistentes ao Mal-das-folhas, causado pelo fungo Microcyclus ulei (P. Henn.) v. Arx. para as diferentes regiões do Planalto e litoral do Estado de São Paulo.  O projeto compreende 14 experimentos contemplando três grupos distintos.  O primeiro relacionado Estudo e Seleção de Progênies, o segundo a Avaliação de Clones em Pequena Escala (EAPEs) e um terceiro a Avaliação de Clones em Grande Escala (EAGEs), a maior parte em andamento no Instituto Agronômico (IAC).  Todos envolvem desde a polinização controlada até a liberação final de clones ao nível de produtor.  Na avaliação dos experimentos, dentre outros serão consideradas produção de borracha, vigor doenças de folha e painel de sangria, formato de copa com vistas à resistência a vento e qualidade da borracha produzida.

 

Ver detalhes do projeto

  Paulo de Souza Gonçalves      IAC

Inovações Tecnológicas Aplicadas a Cultura da Mandioca no Centro Oeste Paulista

n° SGP 1742

O presente Projeto de Pesquisa  será conduzido na Unidade de Pesquisa e Desenvolvimento/Gália-APTA/SAA, tendo como objetivo geral desenvolver, testar e disponibilizar tecnologias aplicadas à cultura da mandioca, com ênfase na região Centro Oeste do estado. Como objetivos específicos visa:  Promover experimentos de competição e validar clones elites de mandioca de indústria do programa de melhoramento genético de mandioca de indústria do Centro de Horticultura, do Instituto Agronômico de Campinas, Da Agência Paulista de Tecnologias do Agronegócio, da Secretaria de Agricultura e Abastecimento do governo do estado de São Paulo; promover alterações nos sistemas de produção, visando a construção de ambientes conservacionistas e de baixo impacto ambiental; estruturar um sistema de produção de baculovirus de mandioca; testar a viabilidade e eficiência do uso de biofertilizantes na cultura da mandioca e disponibilizar ao meio produtivo, por meio de eventos e publicações, os conhecimentos obtidos. 

Ver detalhes do projeto

  Antonio José Porto      Apta Regional / IAC

IDENTIFICAÇÃO DO VIRUS DA GASTROENTERITE TRANSMISSÍVEL SUÍNA (TGEV) PELAS TÉCNICAS DE MICROSCOPIA ELETRÔNICA DE TRANSMISSÃO, EM SUÍNOS PROVENIENTES DE MATADOUROS OU DE GRANJAS.

n° SGP 1740

A gastroenterite transmissível (TGE) é uma doença altamente contagiosa e aguda dos suínos, causada pelo vírus da família Coronaviridae, gênero Coronavírus. A forma epizoótica da doença está associada a uma alta mortalidade, podendo alcançar uma taxa de até 100% em leitões com menos de duas semanas de idade e que podem vir a óbito por severa desidratação. Este projeto tem por objetivo detectar a presença do vírus da gastroenterite transmissível suína (TGEV) em amostras provenientes de matadouros ou de casos clínicos de diarreias e vômitos. No Laboratório de Microscopia Eletrônica serão processadas técnicas de microscopia eletrônica de transmissão de contrastação negativa, imunomicroscopia e de imunocitoquímica (imunomarcação com partículas de ouro coloidal), visando contribuir para posteriores exames de rotina dessas viroses nos suínos, determinando as áreas de risco no Estado de São Paulo e colaborando desta maneira com o Agronegócio Suinícola Nacional, dando embasamento a programas sanitários.

Ver detalhes do projeto

  Marcia Helena Braga Catroxo      IB

DESENVOLVIMENTO DE TÉCNICAS DE MICROSCOPIA ELETRÔNICA DE TRANSMISSÃO PARA IDENTIFICAÇÃO DE ROTAVÍRUS, EM SUÍNOS PROVENIENTES DE MATADOUROS OU DE GRANJAS.

n° SGP 1739

Os rotavírus são os principais agentes etiológicos de grave diarreia neonatal e do pós desmame dos suínos, ocasionando altos índices de morbidade e mortalidade. São vírus  RNA pertencentes à família Rotaviridae e ao gênero Rotavírus. A rotavirose suína tem um importante impacto econômico na Indústria Suinícola, causando consideráveis prejuízos econômicos às granjas. Os suínos representam um reservatório potencial de transmissão zoonótica para os seres humanos. Este projeto tem por objetivo detectar a presença do rotavírus suíno em amostras provenientes de matadouros ou de casos clínicos de diarreia ou vômitos. No Laboratório de Microscopia Eletrônica serão processadas técnicas de microscopia eletrônica de transmissão de contrastação negativa, imunomicroscopia Eletrônica e de imunocitoquímica (imunomarcação com partículas de ouro coloidal), visando contribuir para posteriores exames de rotina dessas viroses nos suínos, determinando as áreas de risco no Estado de São Paulo e colaborando desta maneira com o Agronegócio Suinícola Nacional, dando embasamento a programas sanitários.

Ver detalhes do projeto

  Marcia Helena Braga Catroxo      IB

IMPLEMENTAÇÃO DAS TÉCNICAS DE MICROSCOPIA ELETRÔNICA DE TRANSMISSÃO PARA IDENTIFICAÇÃO DO CIRCOVÍRUS TIPO 2 (PCV-2), EM SUÍNOS PROVENIENTES DE MATADOUROS OU DE GRANJAS

n° SGP 1738

O circovírus suíno tipo – 2 é o agente etiológico de uma patologia emergente, a Síndrome multisistêmica do definhamento do leitão desmamado (SMDLD) ou Síndrome multisistêmica caquetizante pós desmame. A circovirose suína tem sido relatada em vários países, associada ou não a achados patológicos. É considerada uma doença emergente que pode tornar-se um fator limitante para o desenvolvimento da suinocultura mundial, com mortalidade entre 3% a 10%, mas podendo atingir até 35%. Este projeto tem por objetivo detectar a presença do circovírus suíno tipo 2 em amostras provenientes de matadouros ou de casos clínicos. No Laboratório de Microscopia Eletrônica serão processadas técnicas de microscopia eletrônica de transmissão de contrastação negativa, imunomicroscopia eletrônica e de imunocitoquímica (imunomarcação com partículas de ouro coloidal), visando contribuir para posteriores exames de rotina dessas viroses nos suínos, determinando as áreas de risco no Estado de São Paulo e colaborando desta maneira com o Agronegócio Suinícola Nacional, dando embasamento a programas sanitários.

Ver detalhes do projeto

  Marcia Helena Braga Catroxo      IB

Pesquisa de doenças infecciosas virais em aves por microscopia eletrônica de transmissão

n° SGP 1737

As aves silvestres e de cativeiro são consideradas reservatórios virais e potenciais disseminadores de doenças. Este fato se deve à adaptação de seus membros anteriores ao vôo e à sua característica migratória, possibilitando viagens a longas distâncias, podendo, desta maneira, introduzir viroses de grande importância epidemiológica em locais onde estas não são endêmicas.

            Uma vez introduzidas em um novo local, tais viroses podem ser transmitidas a outras espécies, incluindo as domésticas, as de criações comerciais e de criadouros e, inclusive aquelas que se encontram em extinção, promovendo grandes prejuízos, tanto à economia, quanto aos esforços feitos até hoje para a conservação da natureza.

            Nestas condições, a justificativa deste projeto se apóia nas pesquisas de ultraestrutura e imunomicroscopia eletrônica com o intuito de estabelecer diagnóstico seguro, obtendo dados significativos que levem ao estabelecimento de condutas adequadas de controle e prevenção dos agentes patogênicos que causam doenças em diversas espécies aviárias.

Ver detalhes do projeto

  Marcia Helena Braga Catroxo      IB

Estudos ultraestruturais e imunoeletromicroscópicos na diagnose e pesquisa de patologias animais casadas por vírus e organismos procariontes

n° SGP 1736

Os materiais enviados, provenientes de diversas espécies de animais de produção, serão processados pelas técnicas de contrastação negativa (preparação rápida), imunomicroscopia eletrônica, imunocitoquímica (imunomarcação com partículas de ouro coloidal) e de inclusão em resina para microscopia eletrônica de transmissão.

            O projeto visa detectar a presença de agentes virais, além de estudar as alterações citológicas, morfologia do agente (características e dimensões) e sua relação com as organelas e estruturas celulares objetivando sua identificação ou reconhecimento de seu grupo taxonômico.

            Os resultados desses estudos bem como a divulgação da freqüência com que ocorrem as doenças infecciosas de origem viral serão de extrema importância, uma vez que propiciam subsídios para a implantação de sistemas de controle e estudos epidemiológicos, visando minimizar as perdas econômicas na pecuária, bem como a melhoria dos sistemas de saúde, de prestação de cuidados à saúde dos animais e da comunidade.

Ver detalhes do projeto

  Marcia Helena Braga Catroxo      IB

Plataformas de genômica comparativa, funcional e melhoramento assistido de citros (INCT Citros) (Parte CNPq)

n° SGP 1724

O agronegócio da citricultura brasileira se destaca como uma das mais importantes atividades do setor agrícola Os Estados de São Paulo, Sergipe e Bahia são os principais produtores de citros e o Brasil o maior exportador de sucos concentrado congelado (FCOJ) e suco não concentrado (NFC). A baixa produtividade agrícola brasileira (média de 2 caixas de 40,8 kg/planta/ano) ainda está associada à expansão simultânea de pragas e doenças, com significativo reflexo nos custos de produção, ao plantio em áreas sem irrigação e à estreita base genética da citricultura industrial.

Estima-se que mais de 80 % dos custos de produção de citros no Brasil estejam relacionados ao controle fitossanitários de pragas e doenças. Entre estas destacam-se huanglongbing (HLB), leprose, clorose variegada dos citros (CVC), pinta preta (MPC),  mancha marrom de alternaria (MMA),  morte súbita,  cancro cítrico,  gomose e tristeza. O esgotamento do modelo de convivência ou de controle químico de vetores de doenças com seus altos custos financeiros e ambientais têm destacado a importância dos trabalhos de melhoramento genético, como estratégia abrangente e duradoura de controle de doenças.

O Centro de Citricultura Sylvio Moreira do Instituto Agronômico de Campinas e a Embrapa atuam há vários anos no melhoramento dos citros, desenvolvendo trabalhos de produção e avaliação de novos materiais genéticos incorporando ferramentas de biotecnologia para acelerar ganhos genéticos. Como sede do INCT Citros, o Centro de Citricultura ampliou o banco de dados de genomas de citros, integrando melhoramento genético, genoma comparativo e funcional de citros e alguns de seus patógenos. Além de gerar o maior banco de dados de genoma de citros no mundo, esse projeto ampliou sobremaneira o número de novos híbridos de copa e porta-enxertoscitros em avaliação de campo, além de marcadores moleculares para mapeamento genético e descobriu novos genes potencialmente associados à resistência a doenças.

A presente proposta submetida ao Edital 016/2014 dos INCT representa a continuidade e expansão do programa do INCT Citros, com os principais grupos de pesquisa que trabalham com citros no Brasil, focalizando os temas relacionados ao melhoramento genético e genoma comparativo e funcional de citros e seus patógenos. Essa nova proposta do INCT Citros mantém a estrutura de três plataformas, otimizando-as e procurando integrá-las, com foco no desenvolvimento de novos conhecimentos e tecnologia ao setor citrícola.

Plataforma de genômica comparativa, com foco nos estudos de genoma comparativo de mais genótipos de citros, conclusão dos genomas de importantes patógenos, além de ampliar a base de dados sobre miRNA e processos com regulação epigénetica. O entendimento das relações citros e seus patógenos, a prospecção de genes e promotores, a diversidade genômica do grupo citros (plataforma de SNPs) e a regulação de processos genéticos, são aspectos mais relevantes nessa plataforma.

Plataforma de genômica funcional reúne projetos específicos em todos os patossistemas com objetivo de ampliar os conhecimentos potencialmente aplicáveis nas fases seguintes do programa. Todas as propostas têm focos específicos derivados dos conhecimentos gerados no INCT anterior.

Plataforma melhoramento assistido é a plataforma mais tecnológica do INCT Citros e representa a interface avançada do melhoramento na qual muitas das informações geradas previamente (marcadores, mapas, genes, promotores), assim como material genético (híbridos de cruzamento controlado e eventos de transformação genética já obtidos) estão sendo validados em condições de campo, permitindo uma razoável aproximação da estratégia de melhoramento assistido por marcadores.

O programa conta com a participação das principais equipes de pesquisadores no Brasil que atuam em pesquisa e desenvolvimento em citricultura. Vários colaboradores externos foram convidados por serem líderes em suas áreas e pela disponibilidade de receber alunos e pesquisadores em seus grupos. A sede do INCT será novamente o Centro de Citricultura Sylvio Moreira, do Instituto Agronômico de Campinas. Participam também do INCT como laboratórios associadas a Embrapa (Mandioca e Fruticultura, em Cruz das Almas-BA  e Clima Temperado, em Pelotas-RS), Universidade de São Paulo (Instituto de Química, Esalq e Cena), Universidade Estadual Paulista (Unesp, Rio Claro),  Instituto Biológico, Universidade Federal do Paraná, Laboratório Nacional de Biociências (LNBio), Universidade Estadual de Santa Cruz (Ilhéus), Universidade Federal de Campina Grande, Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia (Vitória da Conquista), Universidade Estadual de Maringá e Instituto Agronômico do Paraná (Iapar). Como colaboradores externos incluem a Universidade da Flórida (Citurs Research and Education Center, em Lake Alfred), Universidade da Califórnia (Davis e Berkeley), John Innes Institute (Norwich, Inglaterra), Instituto Valenciano de Investigaciones Agrícolas (IVIA, Espanha), Martin-Luther-Universität Halle Wintenberg (Halle, Alemanha), US Department of Agriculture (USDA, Fort Pierce e Fort Collins), Instituto per la Protezione Sostenibile delle Plante (UOS, Bari, Itália) e University of Ghent (Bégica). Participam como colaborador empresa Citrosuco SA.

Ver detalhes do projeto

  Marcos Antonio Machado      IAC

Estudos epidemiológicos e manejo de vírus transmitidos pelo complexo "mosca branca" em tomateiro no cinturão verde de São Paulo : assentamento rural chácara Santo Ângelo

n° SGP 1722

A principal área fornecedora de hortaliças para a capital paulista, entre elas tomate (Solanum lycopersicon), se encontra no cinturão verde de São Paulo (Mogi das Cruzes, Ibiúna, Suzano, entre outras). Nestas áreas a cultura de tomateiro é feita por pequenos produtores, em pequena escala de forma intensiva sendo comercializado principalmente nos CEAGESP e CEASA´s da Região. No entanto, nos últimos anos, danos indiretos provocados por fitovírus principalmente os transmitidos por mosca branca, tanto Bemisia tabaci (Biotipo B ou MEAM 1) como Trialeurodes vaporiarorium (“mosca branca da casa de vegetação”), tem auxiliado na redução da produção e na qualidade do produto final, desta forma prejudicando os produtores. Entre os begomovírus que atacam a cultura no Brasil, se encontram o Tomato yellow vein streak virus (ToYVSV), causando prejuízos expressivos aos produtores em diversas áreas de plantio de tomateiros em Monte Mor, Elias Fausto e Sumaré, SP, sendo também detectada em lavouras de outras hortaliças (batata, pimentão, berinjela), o Tomato severe rugose vírus (ToSRV), que vem predominando no Estado de São Paulo, juntamente com um crinivírus, Tomato chlorosis virus (ToCV). O presente projeto tem o objetivo de estudar aspectos epidemiológicos destes vírus e de seus insetos vetores em áreas de produção de tomate na região de Mogi das Cruzes, permitindo assim, determinar algumas táticas de manejo junto a pequenos produtores no assentamento rural Chácara Santo Ângelo, este, que é o maior assentamento da região com 532,25 hectares e aproximadamente 400 famílias

Ver detalhes do projeto

  FERNANDO JAVIER SANHUEZA SALAS      IB

Transmissão de vírus de plantas por insetos

n° SGP 1719

O projeto propõe-se a contribuir para o conhecimento da biologia de alguns insetos-vetores de vírus, investigar as diferentes associações vírus-vetor e fornecer subsídios para estudos epidemiológicos. Considerando que uma das metodologias empregadas no combate as doenças de etiologia viral consiste no controle dos vetores, o conhecimento de sua interação com a planta hospedeira tem papel fundamental na minimização de danos nas regiões produtoras. Neste projeto, renovado, se buscam novas alternativas de manejo cultural, entre elas: à resistência das plantas (antibiose e/ou antixenose) aos insetos vetores; resistência de plantas aos fitovírus, além de novas metodologias de controle, com ênfase nas barreiras físicas, como, por exemplo, às coberturas flutuantes ou agrotêxtil e telas impregnadas com inseticidas. além destes métodos de controle serão observados aspectos epidemiológicos e padrões de distribuição de fitovírus.

Ver detalhes do projeto

  FERNANDO JAVIER SANHUEZA SALAS      IB

Estudos sobre vírus isolados de leguminosas de importância econômica e de seus insetos-vetores

n° SGP 1718

A família Fabaceae possui uma diversidade grande de espécies (cerca de 18000), sendo muitas delas utilizadas na alimentação humana e animal. O intenso cultivo de leguminosas seja para adubação verde, forragem ou alimentos tem proporcionado a ocorrência de pragas e doenças que ocasionam danos as culturas. No Brasil, tem sido constatada a ocorrência de vírus que têm causado sérios danos a culturas e, possivelmente, devido a grande diversidade de espécies, muitos vírus que podem constituir num sério problema, sequer foram descritos, Com base nestes fatos, pretende-se, através da utilização de técnicas para identificação e caracterização de fitovírus, agilizar o diagnóstico destes agentes, bem como realizar indexação de sementes e levantamento das principais viroses de leguminosas cultivadas e nativas. Além disso serão avaliados quanto a resistência aos fitovírus, detectados nas regiões produtoras e, seus insetos-vetores. 

Ver detalhes do projeto

  FERNANDO JAVIER SANHUEZA SALAS      IB
  Sobre

O SGP (Sistema de Gestão de Pesquisa) foi implementado em todas as unidades APTA, para centralizar o controle de todos os projetos desenvolvidos sob sua supervisão. [Ler mais]

Endereço APTA – São Paulo

Praça Ramos de Azevedo, 254, 2º andar - República, São Paulo - SP

Fone : (11) 5067-0447 e 5067-0427

  Endereço APTA – Campinas

Avenida Barão de Itapura, 1481 - Botafogo, Campinas - SP

Fone : (19) 2137-8930