Projetos APTA em todas as unidades, todos os centros

Página Inicial / Busca de Projetos

848 projetos ativos encontrados - pág. 16 de 29

Produção de anticorpos policlonais como alternativa aos antibióticos em dietas para ruminantes

n° SGP 841

A busca por alternativas ao uso de antibióticos vem incentivando muito pesquisas que visem reduzir ou substitui-los de alguma forma. O maior estímulo para o desenvolvimento de pesquisas nessa área é o rápido desenvolvimento de resistência de muitos microrganismos aos antibióticos. O aumento do número de mortes causadas por superbactérias na última década fez com que alguns grupos de pesquisa repensassem o uso de anticorpos como importante alternativa ao uso de antibióticos. Diante desta preocupação, com uso de antibióticos e resistência bacteriana, surgem os anticorpos policlonais como alternativa para produção animal com a inclusão de substâncias naturais e funcionais em substituição aos antibióticos. Uma das grandes aplicações dos anticorpos policlonais está relacionada a recomendação da “FOOD AND AGRICULTURE ORGANIZATION OF THE UNITED NATIONS”, que proibiu a utilização de antibióticos em ração animal na California-USA, com eminência de proibição em curto prazo no resto daquele país, como já ocorreu na Europa, e muito em breve ocorrerá no Brasil, necessitando que alternativas sejam rapidamente desenvolvidas. Recentemente, muitos avanços têm sido feitos em técnicas usadas para gerar anticorpos na gema de ovo de galinhas imunizadas, sendo o uso de anticorpos uma alternativa em substituição aos antibióticos. Diferentes do uso de ratos e coelhos que precisam ser sacrificados após imunização, o uso de galinhas traz vantagens na produção de anticorpos policlonais, o método de coleta de anticorpos não é invasivo e há maior quantidade de anticorpos encontrados na gema do ovo, sem necessidade de sacrificar ou coletar sangue do animal. A produção de anticorpos em galinhas e a extração de anticorpos específicos na gema do ovo são incrivelmente atrativas e interessantes para a comunidade científica, pois a gema do ovo pode ser utilizada como um aditivo alimentar funcional para ingestão oral, sem necessidade de purificação de anticorpos. A utilização de anticorpos policlonais na dieta de ruminantes em substituição aos antibióticos é de grande interesse dos consumidores uma vez que evitam riscos para a saúde pública pela ausência de resíduo de antibióticos nos alimentos.

A parte experimental do trabalho ven sendo conduzida desde setembro de 2015 e segue até abril de 2016. Machos inteiros da raça Nelore vem sendo utilizados para avaliação de eficiência, ganho de peso e resíduos de antibióticos no confinamento e machos fistulados para avaliação de parâmetros ruminais e metano em Nova Odessa SP. No período de confinamento os animais receberão os tratamentos em instalações coletivas, sendo os dados de consumo e produção de metano avaliados nos animais fistulados. Às dietas experimentais são com antibióticos comumente utilizados pelo setor produtivo (virniamicina e monensina) e dietas com anticorpos policlonais (PAP). As mesmas dietas utilizadas no confinamento serão utilizadas para avaliação de consumo e analises de metano e ácidos graxos voláteis. Para fins estatísticos serão utilizados os dados de consumo individual em animais fistulados em Nova Odessa. O delineamento estatístico utilizado para análise de consumo, metano e AGVs foi o quadrado latino com dois grupos de três animais cada em três períodos experimentais de 28 dias de duração cada. Nas três primeiras semanas os animais permanecerão em fase de adaptação ao alimento, sendo as dietas as mesmas oferecidas no ensaio de desempenho no confinamento. O delineamento escolhido para avaliação de desempenho (ganho de peso, eficiência, rendimento e qualidade) foi o inteiramente ao acaso com 36 animais sendo cada tratamento aplicado em grupos de 12 animais. Serão formados grupos de três animais mais próximos quanto ao peso e idade e distribuídos aleatoriamente aos tratamentos. O fornecimento das dietas é ad libitum, uma vez ao dia, no período da manhã, durante todo o período experimental. A composição da dieta controle foi balanceada a partir dos dados recomendados pelo NRC para ganho de peso de acordo com o potencial genético dos animais. Para avaliação do ganho de peso e eficiencia são utilizados 12 animais por tratamento durante o período de 90 a 130 dias.

No confinamento todos os animais serão pesados para o monitoramento do ganho de peso médio (GMD), antes do abate. Previamente a cada pesagem, os animais serão submetidos a jejum hídrico e sólido de 12 horas. Em conjunto com o valor de IMS, neste caso do grupo, e o GMD dos animais, serão calculados os valores de eficiência alimentar (EA). Neste caso teremos a análise estatística apenas do ganho de peso, não havendo como realizar análise estatística de dados do grupo (não individuais). No termino do confinamento serão realizadas avaliações da área de cortes nobres e marmoreio por ultrassom e o rendimento de carcaça após o abate. O abate e a avaliação do rendimento de carcaça e parametros de qualidade serão realizados em frigorífico na FZEA/USP. Será realizada a certificação da ausência de resíduos de antibióticos na dieta teste, controles e carne. Os dados serão submetidos à análise de variância pelo PROC GLM do programa Statistical Analisys System - SAS® (SAS, 2006) e ao teste Tukey para a comparação das médias ao nível de significância de 5%.

 

Ver detalhes do projeto

  Geraldo Balieiro Neto      Apta Regional / IZ

CONTRIBUIÇÃO DO EUCALIPTO PARA A MATÉRIA ORGÂNICA DO SOLO EM SISTEMA INTEGRADO

n° SGP 840

Estudos de composição isotópica de carbono são importantes para identificar a contribuição relativa de cada espécie do sistema, na matéria orgânica do solo (MOS) e nos processos de ciclagem de nutrientes. Neste estudo será investigada a dinâmica do carbono com ênfase no estoque e fluxo de carbono no sistema solo-planta e a contribuição relativa do sistema radicular da Urochloa (C4) e do Eucalipto (C3) na MOS em sistema silvipastoril. O delineamento utilizado será inteiramente casualizado, em esquema fatorial 2 × 4 com três repetições. O sistema composto por 2 híbridos de eucalipto: Grancam 1277 e Urograndis H13 e Urochloa brizantha em sistema integrado, no espaçamento de 2 m entre plantas e 12 m entre linhas, implantado em 2009 em Votuporanga, SP. As coletas serão realizadas em abril e outubro de 2014 e 2015, em quatro pontos de amostragens: sobre a copa do eucalipto, 2 metros da linha do eucalipto, 4 metros da linha do eucalipto e 6 metros da linha do eucalipto nas camadas de 0-0,05, 0,05-0,10, 0,10-0,20, 0,20-0,40, 0,40-0,60, 0,60-0,80 e 0,80-1,0 m de profundidade. Será avaliada a quantidade de nitrogênio, a quantidade e composição isotópica do C das raízes e da MOS, a relação C/N, comprimento, área superficial e densidade das raízes, além da biomassa do eucalipto e da Urochloa com relação a distância do eucalipto.Estudos de composição isotópica de carbono são importantes para identificar a contribuição relativa de cada espécie do sistema, na matéria orgânica do solo (MOS) e nos processos de ciclagem de nutrientes. Neste estudo será investigada a dinâmica do carbono com ênfase no estoque e fluxo de carbono no sistema solo-planta e a contribuição relativa do sistema radicular da Urochloa (C4) e do Eucalipto (C3) na MOS em sistema silvipastoril. O delineamento utilizado será inteiramente casualizado, em esquema fatorial 2 × 4 com três repetições. O sistema composto por 2 híbridos de eucalipto: Grancam 1277 e Urograndis H13 e Urochloa brizantha em sistema integrado, no espaçamento de 2 m entre plantas e 12 m entre linhas, implantado em 2009 em Votuporanga, SP. As coletas serão realizadas em abril e outubro de 2014 e 2015, em quatro pontos de amostragens: sobre a copa do eucalipto, 2 metros da linha do eucalipto, 4 metros da linha do eucalipto e 6 metros da linha do eucalipto nas camadas de 0-0,05, 0,05-0,10, 0,10-0,20, 0,20-0,40, 0,40-0,60, 0,60-0,80 e 0,80-1,0 m de profundidade. Será avaliada a quantidade de nitrogênio, a quantidade e composição isotópica do C das raízes e da MOS, a relação C/N, comprimento, área superficial e densidade das raízes, além da biomassa do eucalipto e da Urochloa com relação a distância do eucalipto.

Ver detalhes do projeto

  Wander Luis Barbosa Borges      IAC

Suplementação de Óleo essencial de Tomilho (Thymus vulgaris) na fermentação ruminal, resposta imunológica, produção e qualidade do leite

n° SGP 839

Dentre os componentes do leite que são avaliados pela indústria e monitorados pela legislação em vigor, a contagem de células somáticas é o que tem sido considerado o maior desafio para a melhoria da qualidade do leite. Esta preocupação com a contagem de células somáticas vem pela relação desta com a ocorrência de mastite, uso de antibióticos para seu controle e diminuição da produção de leite, trazendo prejuízo para a cadeia agroindustrial do leite inteira. A busca por alternativas ao uso de antibióticos vem incentivando muito pesquisas na área de plantas medicinais. Diante disso, o presente estudo tem como objetivo avaliar o efeito da inclusão de fitoterápico de tomilho na dieta de vacas em lactação sobre a fermentação ruminal, resposta imunológica, produção e qualidade do leite. Ao longo de 3 etapas, o estudo abordará aspectos de oferecimento ou não e o impacto no produto final refrigerado. Para a avaliação da inclusão do fitoterápico de tomilho, serão utilizadas técnicas de avaliação da fermentação ruminal, análise centesimal, contagem de células somáticas, perfil microbiológico dos quartos mamários e avaliação do sistema imunológico. Como resultado, espera-se encontrar método alternativo para redução de contagem de células somáticas com menor uso de antibiótico através da utilização de fitoterápicos na dieta de vacas em lactação. Outro ponto importante é abertura para esta área de pesquisa aliando fitoterápicos na dieta e qualidade do leite, auxiliando produtores leiteiros, do agricultor familiar ate o grande produtor, seja de produção orgânica ate convencional.

Ver detalhes do projeto

  Luiz Carlos Roma Junior      Apta Regional / IZ

óleos essenciais para o controle de parasitas de ovinos

n° SGP 837

A resistência dos parasitas gastrintestinais aos anti-helmínticos comerciais na produção ovina é um problema mundial.  Moléculas naturais bioquimicamente ativas podem agir contra parasitas, dentre essas, os óleos essenciais. Um óleo essencial natural pode apresentar até mais de 40 componentes que estão divididos em componentes majoritários e componentes traços, porém apresentam elevada variação química causada por efeitos naturais. Com o objetivo de se contornar essa variação, estudos com compostos puros tornam-se interessantes para buscar interações sinérgicas com a finalidade de se obter uma formulação com padronização e eficácia mais consistente. Esses compostos apresentam baixo peso molecular e podem ser divididos em quatro grupos de acordo com a sua estrutura química. A atividade anti-helmínica e sinérgica serao avaliadas dos compostos: Limoneno (estrutura da classe dos terpenos), o Linalol, Carvona, 1-8 Cineol, Timol, Carvacrol  (compostos da classe dos terpenoides) e Anetol, Vanilina, Eugenol e Cinamaldeído (classe dos fenilpropanoides). Esses compostos serao avaliados individualmente e, posteriormente, em combinações binárias, ternárias e quarternárias em testes in vitro, utilizando-se ovos de Haemonchus contortus de cepa multirresistente. O melhor composto será testado em animais infectados experimentalmente para a questao.

Ver detalhes do projeto

  Luciana Morita katiki      IZ

EFICIÊNCIA DE PLANTAS TANINÍFERAS NO CONTROLE DE HELMINTOS GASTRINTESTINAIS DE OVINOS

n° SGP 835
 A ovinocultura no Brasil tem-se expandido a cada ano e junto vêm os problemas sanitários, relacionados com os nematoides gastrintestinais. Os parasitas além de serem patogênicos, pela infecção que causa, tornaram resistentes aos principais fármacos anti-helmínticos existentes no mercado. Devido a este contexto, é preciso buscar novas alternativas sustentáveis para seu combate. O uso de plantas taniníferas (PT) para o controle parasitário tem sido uma alternativa, pois em sua composição, na qual possuem metabólitos secundários classificados no grupo químico dos taninos, podem diminuir a carga parasitária e melhorar a produção animal, com o intuito de reduzir o problema da verminose na ovinocultura. Diante deste cenário, objetiva-se avaliar através do teste in vitro a eclodibilidade de ovos de Haemonchus contortus, o desembainhamento da cutícula da L3 de Haemonchus contortus, e o teste de motilidade sobre nematóide de vida livre Caenorhabditis elegans utilizando o extrato de 15 plantas leguminosas taniníferas. Posteriormente, os extratos das duas plantas que obtiveram os melhores resultados in vitro serão avaliados em teste in vivo. Na avaliação in vivo serão utilizados 24 animais infectados artificialmente com Haemonchus contortus, Os animais serão divididos em três grupos: Grupo1: recebendo o extrato da melhor planta ranqueada no teste in vitro. Grupo 2 recebendo o segundo melhor extrato ranqueado no teste in vitro e Grupo 3: controle. O experimento terá 53 dias, nesse período oOs animais serão avaliados num total de 53 dias pela contagem de ovos de parasita nas fezes (OPG), hematócrito, peso e toxicidade frente às plantas pelo teste bioquímico do perfil hepático e renal. Testes de eclodibilidade serão realizados com as fezes de animais sob tratamento para verificação da viabilidade dos ovos. Com o termino do experimento, os animais serão abatidos e abomaso será separado para a contagem total de parasitas.
 
Ver detalhes do projeto

  Luciana Morita katiki      IZ

Staphylococcus spp. multirresistentes isolados de mastite bovina: alternativas de tratamento baseadas no uso de bacteriocinas e nanofragmentos de lípides catiônicos

n° SGP 834

Staphylococcus spp. são reportados como uns dos principais agentes de mastite bovina. Esses microrganismos apresentam diversos fatores de virulência, como produção de toxinas e formação de biofilmes, que contribuem para sua patogenicidade e persistência na glândula mamária. Outro fator relevante é o isolamento de cepas multirresistentes e que não respondem aos tratamentos convencionais. Além disso, os antimicrobianos utilizados no tratamento da mastite geram resíduos que alteram a qualidade e segurança alimentar do leite e seus derivados. Neste cenário, novas alternativas de controle e tratamento tornam-se imprescindíveis. Bacteriocinas e nanopartículas têm emergido como alternativas promissoras para futuros desenvolvimentos de agentes antimicrobianos. O presente projeto tem como objetivo avaliar in vitro a eficácia antibacteriana da bacteriocina Nisina e de nanofragmentos do lípide catiônico brometo de dioctadecildimetilamônio (DDA) frente a cepas resistentes e/ou virulentas de Staphylococcus spp. isoladas de mastite em novilhas primíparas e vacas em lactação, assim como correlacionar a eficiência do tratamento com a resistência e/ou virulência. As cepas de Staphylococcus spp. pertencem a coleção do Laboratório de Qualidade do Leite do Instituto de Zootecnia - Apta Bovinos de Leite de Nova Odessa - SP. A triagem das cepas resistentes será determinada através do método de difusão de discos e determinação da CIM, os genes de virulência e resistência serão investigados por PCR, com posterior confirmação por sequenciamento. A atividade, in vitro, da Nisina e DDA contra cepas de Staphylococcus spp. será avaliada em função do tempo de interação utilizando curvas de morte (time-kill).

Ver detalhes do projeto

  Juliana Rodrigues Pozzi Arcaro      IZ

Ocorrência de fumonisinas e zearalenona em dietas completas de bovinos leiteiros submetidos a sistemas intensivos de produção.

n° SGP 833

A utilização de volumosos conservados na foram de silagem, principalmente silagem de milho, e a inclusão de concentrados conforme o nível de produção do animal é risco de exposição dos animais a mais de uma micotoxitona presentes na dieta. O objetivo do trabalho é avaliar a ocorrência de zearalenona e de fumonisinas em dietas completas ofertadas a vacas em lactação submetidas a manejo intensivo de produção em propriedades leiteiras da região de Campinas e Ribeirão Preto. Serão avaliadas dietas completas (volumoso: concentrado, 50/50) de nove fazendas produtoras de leite tipos B e C, sendo sete fazendas da região de Campinas, e duas fazendas leiteiras localizadas na região de Ribeirão Preto. Os volumosos ofertados são na forma de silagem conservada ou cana in natura e capim picado. A colheita das amostras das dietas será realizada a cada 15 dias, sendo duas colheitas de amostras em intervalos de 24 horas, no período da manhã, logo após o trato realizado pelo funcionário da fazenda, durante período de 45  dias. A amostragem será realizada diretamente do cocho correspondente ao lote  de maior produção leiteira e correspondente a 15 vacas em lactação. As amostras das dietas serão avaliadas para atividade de água e presença de fumonisinas B1e B2 e zearalenona pela técnica de cromatografia líquida com purificação em colunas de imunoafinidade.

Ver detalhes do projeto

  Claudia Rodrigues Pozzi      IZ

Identificação e caracterização de vírus, viroides e fitoplasmas que infectam aráceas

n° SGP 830

A família Araceae é constituída por 9 subfamílias, 104 gêneros e cerca de 3.700 espécies. Essa família destaca-se na horticultura ornamental devido, principalmente, a variedade de formas e cores das folhas, como Anthurium, Caladium, Dieffenbachia, Philodendron, Spathiphyllum e Syngonium; ou como flores de corte: Anthurium andraeanum, Zantedeschia aethiopica e Z. elliottiana. O relato de doenças em aráceas cultivadas é escasso tanto no Brasil como no exterior, principalmente em relação às viroses. As aráceas cultivadas apresentam-se comumente infectadas por Dasheen mosaic virus (DsMV) porém, ele é difícil de ser diagnosticado porque se apresenta irregularmente distribuído na planta, concentração variável de acordo com as condições ambientais e, além disso, as aráceas possuem metabólitos secundários que interferem em testes de diagnóstico. Outro problema observado é com relação aos sintomas induzidos por vírus em aráceas. O padrão comumente observado, que de acordo com a literatura é atribuído apenas ao DsMV, pode ser o mesmo tanto para este vírus como para outras espécies virais, as quais incluem  espécies exóticas ao Brasil. Portanto, a identificação do patógeno é de fundamental importância para traçar um panorama das viroses que ocorrem em aráceas cultivadas no Estado de São Paulo e para programas de indexação dessas plantas. Desta forma, o objetivo deste projeto é identificar as espécies que ocorrem em aráceas cultivadas e utilizar as informações obtidas para programas de indexação de vírus para produção clonal e propagação vegetativa.

Ver detalhes do projeto

  Eliana Borges Rivas      IB

Prospecção de vírus e nematóides em cultivos comerciais de bulbos ornamentais

n° SGP 829

Estimativas do Instituto Brasileiro de Floricultura (Ibraflor) apontam que a floricultura movimenta no Brasil cerca de US$ 800 milhões por ano. A atividade mobiliza no país mais de 4 mil produtores, gerando em torno de 120 mil empregos. Um mercado cada vez mais ávido por beleza, forma, coloração e aspecto exótico das flores e plantas ornamentais impulsiona essa cadeia produtiva. Como as doenças causadas por vírus e nematóides representam um dos principais fatores que limitam a produção de bulbos, o conhecimento gerado pelo levantamento e identificação destes patógenos, envolvidos na depreciação econômica do produto, pode gerar informações estratégicas para a ação do MAPA junto aos produtores, exportadores e importadores. O presente projeto tem por objetivos: 1. realizar levantamento dos vírus e nematoides que ocorrem em cultivos comerciais de amarílis (Hippeastrum sp.), gladíolo (Gladiolus sp.), alstroemeria (Alstroemeria sp.) e calla (Zantedeschia sp.) e outras plantas bulbosas, nas áreas produtoras do Estado de São Paulo e em outras regiões que forem estratégicas para as ações do MAPA; 2. propor estratégias que visem a prevenção, o controle e a erradicação de vírus e nematoides detectados nas áreas de produção; 3. propor protocolos para o diagnóstico dos vírus detectados nas culturas mencionadas; 4. realizar ‘Dias de campo’ e ‘Reuniões técnicas’ para transferir conhecimento sobre os vírus e nematóides, assim como estratégias de prevenção, controle e, quando possível, erradicação destes patógenos, para produtores, técnicos e Fiscais Federais Agropecuários.

Ver detalhes do projeto

  Eliana Borges Rivas      IB

Prospecção de vírus e manejo de culturas de flores e plantas tropicais

n° SGP 827

A floricultura tropical é uma atividade que está em ascensão no Brasil e no mundo por destacar-se como um agronegócio gerador de renda, fixador de mão-de-obra no campo e adequado como cultura alternativa para pequenos produtores. O agronegócio de flores e plantas ornamentais possui indiscutível importância sócio-econômica não só para a região Sudeste do Brasil, com sua característica agroindústria, como também para as regiões Norte e Nordeste. Nessa região, por exemplo, o agronegócio de flores tropicais, em cultivo irrigado, possui um retorno 30 vezes maior que o do milho e do feijão. Os cultivos estão voltados para as flores de corte, como Alpinia sp., Anthurium spp., Etlingera elatior, Heliconia sp., Tapeinochilos ananassae e Zingiber spectabilis; plantas envasadas, e para o mercado de paisagismo e jardinagem, com as Canna sp., Musa sp., Codiaeum variegatum, palmeiras e dracenas. Levantamentos buscando plantas com sintomas semelhantes aos induzidos por vírus serão realizados com os objetivos de identificar da espécie viral e elaborar protocolos para diagnósticos; para atingir tais objetivos serão realizados testes biológicos, sorológicos e moleculares, e análise filogenética molecular. Uma vez identificadas as espécies virais presentes nas culturas serão propostos manejos aos produtores visando reduzir o impacto das viroses nos campos de produção.

Ver detalhes do projeto

  Eliana Borges Rivas      IB

REVISÃO SISTEMÁTICA E META-ANÁLISE EM ESTUDOS COM ADUBAÇÃO VERDE EM CANA-DE-AÇÚCAR

n° SGP 825

Revisão sistemática é uma revisão planejada para responder a uma pergunta específica que utiliza métodos explícitos e sistemáticos para identificar, selecionar e avaliar criticamente os estudos, bem como analisar os dados dos estudos incluídos na revisão.  A meta-análise ou metanálise é um método estatístico utilizado para integrar os resultados dos estudos incluídos em uma revisão sistemática. O termo também é utilizado para se referir a revisões sistemáticas que utilizam a meta-análise.
A meta-análise se desenvolveu inicialmente nas ciências sociais, na educação, na medicina e, mais tarde, na agropecuária, sendo hoje aplicada em todas as áreas de conhecimento em que se pretende reunir estudos com o objetivo de se concluir sobre o caminho percorrido, os erros e acertos e auxiliar na projeção de novos estudos (Lovatto et al., 2007). Apesar de Smith e Glass (1977) serem considerados pela literatura como os pioneiros em meta-analise, os seus fundamentos são muito anteriores aos trabalhos desses autores.
Fisher (1935) afirmou que ao se realizar testes de hipóteses em experimentos independentes, estes podem não ser significativos, mas na associação deles as probabilidades são em geral mais baixas, podendo ser significativas. Em 1932 Fisher propôs um método para combinar os valores de p, lançando a ideia de valores de probabilidade acumulativos. Seguindo essa linha de pensamento os primeiros trabalhos que se interessaram pela problemática da combinação dos resultados de vários experimentos independentes foram realizados por Cochran (1954), mas o método desenvolvido por Mantel & Haenszel (1959) se tornou um dos principais nessa área. Muitos autores acham que esses métodos serviram como base estatística para a moderna meta-análise.
Muitas vezes o grande volume de informações pode dificultar a contextualização do problema com erros de interpretação ou análise. Nesse sentido, essa síntese melhora o poder dos testes estatísticos para avaliação dos efeitos dos tratamentos, sendo mais precisa a estimativa do tamanho do efeito. A meta-análise permite ainda, em caso de resultados aparentemente discordantes, obter uma visão geral da situação (Boissel et al., 1989; Boissel, 1994; D’Agostino & Weintraub, 1995).
O número de meta-análises publicado no domínio das ciências animais e agrícola tem aumentado nos últimos anos (Lovatto & Sauvant, 2002; Martin & Sauvant, 2002; Offner et al., 2003; Eugêne et al., 2004; Hauptli et al., 2007) sinalizando que esse procedimento possa se tornar rotina nesse campo da ciência.

O projeto na linha de revisão sistemática e meta-analise têm como o objetivo sintetizar a evidência científica e a situação atual do conhecimento sobre adubação verde em cana-de-açúcar, estimando com maior precisão o tamanho do efeito de tratamento e permitindo um melhor planejamento de pesquisas futuras.

Ver detalhes do projeto

  Edmilson José Ambrosano      Apta Regional / IAC

Adubação verde na produção de tomate salada e alface em cultivos agroecológicos de base familiar

n° SGP 824

~~O agricultor familiar enfrenta vários desafios dentro e fora da propriedade que têm que ser resolvidos pela própria unidade familiar. Uma das grandes dificuldades na produção familiar é se conseguir o equilíbrio das receitas da unidade, reduzindo-se os custos de produção. O uso de fontes alternativas de fertilizantes pode contribuir para a redução de custos de produção e geração de renda extra, sendo assim, a utilização da adubação verde é uma prática de fundamental importância. Dentre as espécies mais utilizadas, as Fabaceae (leguminosas) se destacam por apresentarem características que promovem o incremento de matéria orgânica, nitrogênio e restabelecem a fertilidade do solo, com grande economia ao produtor e melhoria ao sistema solo-planta. Dentro dos sistemas agrícolas ecológicos de base familiar a produção de hortaliças é o mais comum, sendo a produção de tomate em sistemas protegidos aquele que mais remunera o produtor, garantindo sua permanência no campo e seu crescimento como unidade produtiva de base familiar. O presente trabalho tem por objetivo estudar o desempenho de um hibrido de tomate ( Sahel ou similar), de porte indeterminado, quanto aos componentes de produção, qualidade dos frutos, ataque de pragas, estado nutricional, transferência de nitrogênio, quantificação da FBN dos adubos verdes, e ocorrência natural de micorrizas, em sistema de cultivo agroecológico em ambiente protegido, submetido a diferentes sistemas de adubação verde, intercalar  ou produzida fora e aplicada na área de estudo na presença e ausência da aplicação de preparado homeopático (phosphorus 100 CH). Será proposto, ainda, um modelo de controle alternativo de pragas e doenças visando à produção agroecológica. Será desenvolvido experimento de campo, em cultivo protegido, para avaliar o desempenho do tomate hibrido Sahel em delineamento de blocos ao acaso, em esquema fatorial 4x2 sendo eles: 3 adubos verdes e uma testemunha e 2 aplicações homeopáticas, com e sem phosphorus CH100, totalizando 8 tratamentos com seis repetições.Os adubos verdes serão utilizados como fonte alternativa de nitrogênio e a homeopatia como auxiliar na liberação de nutrientes. Os adubos verdes (feijão - mungo (Vigna radiata L.) e tremoço-branco (Lupinus albus L.)) serão semeados no momento do transplantio das mudas de tomates. Esses dois tratamentos serão conduzidos em consórcio com o tomateiro perfazendo duas linhas de plantas espaçadas de 0,40 m e na densidade de semeadura de 20 plantas por metro linear, que além de promoverem a adubação verde também produzem grãos comerciais que poderão ser vendidos, gerando renda extra. O outro tratamento é Crotalária júncea (Crotalaria juncea L.) que será produzida em uma área adjacente ao do telado e transportada até os canteiros definitivos. Essa prática do transporte de material vegetal é comum para economizar espaço dentro da estufa. A crotalária não se adaptaria ao cultivo intercalar devido à época de desenvolvimento do tomate (inverno), onde o fator fotoperíodo iria impedir o desenvolvimento desse adubo verde.  Esses tratamentos e mais uma testemunha sem adubo verde serão avaliados com e sem homeopatia (phosphorus 100 CH, na escala centesimal hahnemanniana), na concentração de 0,5ml/l, com aplicação semanal, conduzido em esquema duplo cego, sendo o tratamento sem homeopatia o álcool 70%, usado na formulação do phosphorus 100 CH. A parcela experimental será constituída por um canteiro com área total de 5,7 m2, com 12 plantas dispostas em fileiras duplas (seis plantas de cada lado), no espaçamento de 0,80 m entre linhas e 0,60 m entre plantas na mesma fileira, resultando em uma população de plantas de aproximadamente 20.000 plantas por hectare. As plantas serão conduzidas pelo sistema de haste dupla sem poda apical. Os dados serão coletados em oito plantas da parcela central, em um total de seis colheitas. As características componentes da produção analisadas serão as seguintes: produção total de frutos (PTF), que representa a massa média de frutos por planta nas diferentes etapas de colheita; produção de frutos comerciais (PCF), que corresponde à massa média dos frutos classificados dentro dos padrões comerciais nas diferentes colheitas; quantidade total de frutos (QTF), obtido pela média por planta de todos os frutos colhidos nas diferentes datas; quantidade comercial de frutos (QCF), obtido pela média por planta de todos os frutos classificados dentro dos padrões comerciais; massa média de frutos comerciais (MFC), que constitui a relação entre PCF e QCF. Serão amostradas folhas dos adubos verdes e do tomate para determinar a transferência de nitrogênio da fixação biológica do nitrogênio através da técnica isotópica do delta nitrogênio-15. Será amostrado solo das parcelas experimentais para fins de caracterizar a fertilidade do solo e de plantas para caracterizar quimicamente e determinar, nos adubos verdes, a quantidade de N fixado. No segundo ano de experimentação o tomate será substituído por alface e se avaliará o efeito residual do nitrogênio da adubação verde aplicada anteriormente no tomateiro. Os três melhores tratamentos obtidos nesse experimento com tomate, serão avaliados em duas propriedades orgânicas de Piracicaba, de forma participativa, para que a adoção da tecnologia seja a mais rápida possível e os benefícios do projeto estejam disponíveis aos produtores orgânicos de base familiar. Será realizada análise econômica dos resultados de produtividade em face da utilização da adubação verde. Com os resultados obtidos espera-se selecionar o manejo mais adequado para utilização de leguminosas adubos verdes em cultivo agroecológico protegido quanto ao aumento dos componentes de produção e a diminuição da ocorrência de pragas, doenças e diminuição dos custos de produção (menor uso de insumos); quantificar a fixação biológica do nitrogênio dos adubos verdes utilizados; determinar a transferência de nitrogênio dos adubos verdes e sua real contribuição ao sistema, através da técnica do delta nitrogênio-15; explorar o potencial da utilização da homeopatia na liberação de nutrientes dos adubos verdes para o tomateiro e posteriormente a alface; com a análise econômica possibilitar ao agricultor a identificação dos pontos críticos do custo de produção.  Serão realizados também dois dias de campo com o intuito de difundir a técnica de produção de tomate em cultivo protegido utilizando-se fertilizante alternativo vindo do adubo verde para  técnicos e produtores. Haverá a participação de outras unidades de pesquisas (CENA/USP) e universidades (FOP/UNICAMP, ESALQ/USP), além do IAC, IZ/APT. Haverá, também, a participação de alunos de iniciação científica, graduação e pós-graduação no projeto.

Ver detalhes do projeto

  Edmilson José Ambrosano      Apta Regional / IAC

Levantamento e caracterização de doenças em folhagens e flores ornamentais tropicais

n° SGP 823

Pesquisas na área de identificação de doenças em plantas ornamentais tropicais são escassas e concentram-se principalmente no Nordeste do País. O mercado vem se adaptando a estas espécies e aos poucos os consumidores e floriculturas aceitam e incrementam seus arranjos com essas plantas que têm a vantagem da grande durabilidade. No entanto, problemas fitopatológicos começam a surgir no estado de São Paulo, necessitando do diagnóstico correto dessas doenças. Esse projeto visa identificar essas doenças e dar subsídios ao produtor para o manejo e controle adequado das doenças.

 

Ver detalhes do projeto

  Josiane Takassaki Ferrari      IB

Inquérito soroepidemiológico para IBR, BVD, Toxoplasmose e Neosporose em bovinos leiteiros criados em sistema de agricultura familiar na região noroeste do estado de São Paulo.

n° SGP 821

Na região Noroeste do Estado de São Paulo o sistema de produção da agricultura familiar é baseado na bovinocultura leiteira em pequenos lotes, cuja produção, além de garantir fonte de alimento próprio, é comercializada e garante a sustentabilidade econômica destas propriedades. Análises prévias junto às famílias dos assentamentos tem permitido evidenciar algumas dificuldades como a carência de informações tecnológicas, planejamento sanitário entre outros. Apesar de constatada a disseminação de diversas enfermidades infecto-contagiosas nos rebanhos bovinos, o manejo sanitário e zootécnico junto ao ambiente, determinam situações epidemiológicas distintas que devem ser levadas em consideração na implantação de programas sanitários para o controle e/ou erradicação destas enfermidades. Diante disso, o objetivo deste projeto é verificar a ocorrência da IBR, BVD, Toxoplasmose e Neosporose em bovinos de leite pertencentes às famílias de assentamentos na região noroeste paulista, e desenvolver um programa sanitário com medidas profiláticas relacionadas ao manejo dos animais, higiene e saúde pública. O controle destas doenças é de suma importância, pois afeta a capacidade reprodutiva dos bovinos, causando grandes prejuízos econômicos pela queda na produção e na produtividade dos rebanhos.

Ver detalhes do projeto

  Vera Cláudia Magalhães Curci      IB

VITRINE AGROECOLÓGICA - BASES TECNOLÓGICAS DAS PESQUISAS EM AGROECOLOGIA

n° SGP 814

As pesquisas em Agroecologia se diversificam conforme a agricultura convencional externa seus problemas; principalmente, a exclusão camponesa e a dependência dos agricultores por pacotes tecnológicos que causam sérios impactos ambientais. A busca de mecanismos que possibilite gerar tecnologias e promover a incorporação dessas experiências por agricultores, estudantes e técnicos, atuando juntos na construção do conhecimento agroecológico, é uma demanda atual. Propõem-se neste projeto estruturar experimentos em vitrines agroecológicas, integrando os conhecimentos científicos ao saber local. Serão instalados no Polo APTA Vale do Paraíba/SAA-SP diversos experimentos avaliando o manejo conservacionista do solo com sistemas de produção em policultivos, aleias, com culturas de cobertura e manejo de adubos verdes, avaliando o resgate de sementes crioulas comparadas às variedades tradicionais, implantando e manejando sistemas agroflorestais (SAF), avaliando um banco de matrizes de Gliricidea em SAF, da produção e uso de compostos orgânicos, caldas alternativas e biofertilizantes. Essas vitrines gerarão e adaptarão essas tecnologias, compartilhando-as através de métodos participativos, que serão aperfeiçoados. Promovendo a troca de saberes entre diversos atores, também, possibilitará identificar novas demandas para as pesquisas agroecológicas. A captação de recursos se dará por diversos meios, dentre os quais: venda dos resíduos das pesquisas, tal como de frutos de banana e estacas de gliricídia, cujos processos estão em andamento via FED; repasse de materiais provenientes de parceiros ligados aos diferentes setores mediante o treinamento, tal como no caso dos agricultores da reforma agrária via CATI, ITESP e IBS; mão de obra desses atores na implantação e no manejo em atividades coletivas e participativas, de treinamento e capacitação de agricultores em mutirões. No mês 2/2016 foi submetido projeto ao CNPq visando à captação de recursos no edital Universal. O projeto é desenvolvido desde o ano de 2011 com essas bases, resultou na formação da Rede Agroflorestal do Vale do Paraíba e no treinamento de cerca de 800 pessoas, desde então e atualmente visa dar continuidade ao processo de geração tecnológica participativa, fortalecendo parcerias com diversos setores e atores do setor agrário do Vale do Paraíba, possibilitando, concomitantemente, reverter os quadros de degradação ambiental com retorno econômico e segurança alimentar.

Ver detalhes do projeto

  Antonio Carlos Pries Devide      Apta Regional / IAC

DIAGNÓSTICO DO MORMO: AVALIAÇÃO CLÍNICA, SOROLÓGICA, MICROBIOLÓGICA E MOLECULAR.

n° SGP 812

O mormo é uma doença infecto-contagiosa, de caráter agudo ou crônico que acometem principalmente os equídeos, podendo acometer o homem, os carnívoros e eventualmente pequenos ruminantes. O agente etiológico é uma bactéria Burkholderia mallei, bacilo Gram negativo, uma vez no organismo animal desencadeia formação de nódulos e úlceras em trato respiratório ou na pele. O diagnóstico de mormo pode ser realizado com por meio de associação dos aspectos clínico-epidemiológicos e anatomopatológicos. Entretanto, a identificação microbiológica, reação imuno-alérgica (maleinização), testes sorológicos como fixação do complemento (FC), ELISA, imunofluorescência indireta (RIFI), e rosa bengala são exames complementares que auxiliam no fechamento do diagnóstico. No Brasil, a fixação de complemento (FC) e o teste de maleína, métodos preconizados pelo Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (MAPA), A FC tenha uma sensibilidade de aproximadamente 90 a 95%, as reações falso-negativas podem ocorrer nos soros de animais jovens, gestantes e idosos e reações falso-positivas também ocorrem aproximadamente 1% dos soros testados onde se atribui ao uso de antígeno totais bruto de B. mallei gerando reações cruzadas com o antígeno utilizado na sorologia da FC. Com os problemas vivenciados no Brasil em relação à confirmação de diagnostica do mormo e a carência de reagentes e métodos validados, aliado a falta de diretrizes internacionais e nacionais e a falta de dados confiáveis para definição de caso de mormo, o objetivo do projeto é comparar várias metodologias diagnósticas para auxiliar o desenvolvimento de pesquisa para geração do conhecimento que defina as metodologias para tomada de decisões das autoridades sanitárias, com prescrição de métodos com qualidade e menor custo. 

Ver detalhes do projeto

  Alessandra Figueiredo de Castro Nassar      IB

Desenvolvimento de Tecnológico do Amendoim em Manejo Conservacionista do Solo na Reforma de Cana Crua

n° SGP 809

Em razão das peculiaridades morfo-fisiológicas do amendoim, preconiza-se nos meios acadêmicos o preparo intensivo do solo para obtenção de boas produtividades. Embora ainda sejam recomendações nos livros acadêmicos, o assunto já é estudado há mais de 30 anos nos USA, envolvendo diversas classificações de solo, bem como os quatro tipos comercias de amendoim (Runner, Virgínia, Spanish e Valência). Consequência deste investimento na geração do conhecimento, a taxa de adoção de manejo conservacionista do solo nos USA já atinge 30% (Faircloth et al., 2012). Embora às vezes não sejam visíveis ganhos em termos de produtividade de vagens, outros benefícios ocorrem, tais como; mudanças na população de insetos (Olson et al., 2006), supressão de espécies de plantas daninhas (Price et al., 2007) e redução na pressão de doenças (Wright e Porter, 1991). Estudo realizado por Porter e Wright (1991) no estado de Virginia (EUA), concluíram que tanto a incidência (% de infecção) quanto a severidade (% de queda de folhas) de Cercospora arachidicola foram significativamente diminuídas no sistema plantio direto. Estes autores explicam que a palhada reduziu a dispersão até as folhas, pelas gotas da chuva, das estruturas do fungo presentes sobre a superfície do solo. No Brasil, as primeiras pesquisas sobre manejo conservacionista do solo para amendoim sobre cana crua foram realizadas pelo IAC em Ribeirão Preto. Estas pesquisas concluíram que; a nodulação é duas vezes maior, a umidade do solo na zona de crescimento das vagens é 18% maior, o controle de plantas daninhas é favorecido e a produtividade de vagens não é reduzida no plantio direto de amendoim (Bolonhezi et al., 2007).Considerando este contexto, a presente proposta tem como objetivos; quantificar e qualificar a produtividade de vagens e as perdas na colheita, bem como estudar o crescimento radicular e a nodulação do amendoim em três sistemas de manejo do solo na reforma de cana crua. Pretende-se também, identificar as alterações em alguns atributos químicos e físicos do solo, decorrentes da adoção dos diferentes sistemas de manejo, que possam influenciar o canavial instalado em sucessão.

Hipóteses da Pesquisa:

 - A produtividade de vagens e as perdas no arranquio não diferem entre manejos conservacionistas e preparo convencional;

- Não há diferença em termos de estabelecimento de estande, produtividade e perdas no arranquio entre o preparo em faixa e a semeadura direta sobre cana crua;

- A infestação de tripes e incidência de virose “vira cabeça” são reduzidas em sistemas conservacionistas de manejo do solo;

- Não existe diferença significativa nos níveis de aflatoxina entre lotes de amendoim colhidos nos sistema conservacionistas e no preparo convencional;

A pesquisa consta de experimentos instalados em campo, preferencialmente em parcerias com agricultores, visando validar os sistema em escala comercial. Para tal, procurar-se-á colaboração das cooperativas ligadas ao amendoim, bem como financiamento de curta duração que serão pleiteados a cada ano agrícola, conforme proposta anexa que foi aprovada pela Fundação Agrisus. Serão avaliadas as características agronômicas, atributos químicos e físicos do solo, bem como estudo in situ do sistema radicular através de minirhizotrons.

 

 

 

Ver detalhes do projeto

  Denizart Bolonhezi      Apta Regional / IAC

PLANTIO DE MUDAS PRÉ-BROTADAS (MPB) DE CANA-DE-AÇÚCAR EM SISTEMAS DE MANEJO CONSERVACIONISTA DE SOLO

n° SGP 808

Recentemente o IAC desenvolveu o método de propagação de mudas pré-brotadas, conhecido como sistema MPB, com a finalidade de melhorar a qualidade da implantação dos canaviais, conferindo menos falhas, melhor sanidade e maior produtividade (Landell et al., 2013). Este método consiste da extração das gemas, formação da muda em substrato sob ambiente protegido e posterior plantio em campo. Criado inicialmente para formação de viveiros de mudas, este método tem sido adaptado por diferentes empresas do setor privado (Basf e Syngenta) para plantio em escala comercial. Entretanto, a recomendação de plantio exige muita mobilização do solo e várias operações (preparo do solo, sulcação e adubação e transplantio das mudas), expondo aos sérios riscos de erosão e à maior susceptibilidade ao estresse hídrico. Por outro lado, tentativas preliminares demonstraram que algumas transplantadoras existentes no mercado estão aptas a transplantar diretamente sobre palhada de mucuna verde (Figura 1), fato que desperta uma demanda a ser investigada. Dessa forma, são apresentadas as seguintes hipóteses; (i) o plantio direto de mudas pré-brotadas sobre mucuna favorece o crescimento vegetativo e crescimento radicular, independente do genótipo de cana-de-açúcar; (ii) a produtividade de colmos e açúcar na cana planta é aumentada no manejo conservacionista do solo; (iii) o estoque de carbono e nitrogênio no solo é diminuído no sistema intensivo de preparo de solo.

Infere-se que a viabilidade do plantio direto das mudas, permitirá reduzir o tempo gasto, o custo de implantação e diminuir o estresse hídrico no início de desenvolvimento das mudas. Considerando o exposto, a presente proposta tem como objetivos; estudar o crescimento vegetativo e radicular de mudas pré-brotadas de cana-de-açúcar em três sistemas de manejo do solo (convencional, reduzido e plantio direto) em sucessão ao cultivo de mucuna verde, quantificar as alterações nas características agronômicas e tecnológicas, bem como as mudanças nos atributos químicos e físicos do solo.

Foi utiliazado experimento de longa duração sobre manejo de solo instalado em 2003 na área da APTA Centro-Leste. O projeto consiste de três sistemas de manejo de solo (convencional, mínimo e plantio direto) e foi explorado desde 2003 com a cultura do amendoim em rotação com milho + Brachiaria. Mantendo o delineamento experimental em blocos ao acaso, foram plantadas duas variedades de cana-de-açúcar, IACSP955000 e um clone de cana energia, nas subparcelas experimentais. A cultura anterior foi a mucuna verde.  Nessa fase, o tratamento cultivo mínimo foi realizado com o equipamento Rip Strip adatado para o espaçamento de 1,5 m, bem como o transplantio das mudas produzidas em MPB foi efetuada com transplantadora da marca Pivot com três linhas. Serão realizadas amostragens mensais da biomassa da parte aérea, amostragens do sistema radicular a cada 3 meses e amostragens de solo para fins de fertilidade e física do solo.

Ver detalhes do projeto

  Denizart Bolonhezi      Apta Regional / IAC

Avaliação da frequência de acesso ao cocho dágua por ovinos à pasto com o uso de processamento digital de imagens.

n° SGP 805

A bioclimatologia e suas relações com o comportamento animal podem ser utilizadas como parâmetros de avaliação de alguns processos zootécnicos. Na literatura encontramos trabalhos relatando a correlação entre as condições climáticas e o consumo voluntário de água por ruminantes, porém quantificar esta informação de forma confiável por longos períodos de tempo é difícil. A utilização de processamento digital de imagens pode ajudar a contornar este problema.

O processamento digital de imagens consiste em um conjunto de técnicas para capturar, representar e transformar imagens com o auxilio do computador. O emprego dessa técnica permite extrair informações de forma automática por meio de máquinas que auxiliam na percepção humana.

 Este processo consiste das seguintes etapas: captura da imagem, pré-processamento, segmentação da região de interesse, extração e interpretação da informação.

 

O sistema visual humano possui uma grande capacidade de observação e detecção de padrões porém é susceptível a variações na intensidade luminosa, distrações e fadiga quando o período de observação é prolongado ou erros quando o volume e velocidade das informações a serem analisadas vão além da capacidade humana.

 

Caracterização do problema:

A observação de animais para a extração de informações confiáveis em uma determinada área de estudo exige longos períodos de acompanhamento sem interrupções porém é inviável o monitoramento 24 horas, meses seguidos, uma vez que a presença humana pode influenciar no comportamento do animal, as condições de luz excessiva ou quase nula prejudica a observação ou o local e condições atmosféricas são hostis ao observador.

Por este motivo os estudos são limitados a períodos curtos de observação separados por intervalos regulares. Os resultados são bons porém, como os próprios estudiosos constatam, está longe do ideal e supõe-se que muitos casos de resultados inconclusivos deve-se ao pouco período de amostragem.

Uma das alternativas para estas situações é a montagem de sistemas autônomos capazes de observar die e noite, independente das condições climáticas, o objeto de estudo. No geral as análises dos resultados são também semi ou totalmente automatizados. O desafio está em elaborar técnicas adequadas para a seleção inteligente do fato a ser estudado, presente na imagem, e a extração da informação sem falso positivos.

 

Objetivos:

 O objetivo deste trabalho é utilizar sistemas computadorizados para o monitoramento do consumo voluntário de água por pequenos ruminantes ao longo do ano e correlacionar a frequência de acesso ao cocho com os dados mensais da temperatura e umidade.

Metodologia:

O projeto será conduzido na fazenda Nossa Senhora de Fátima localizada no município de Mariápolis-SP à 17 km do Polo Regional da Alta Paulista até junho de 2017. O sistema de captura de imagens será instalado a 5 metros de um bebedouro exclusivo em uma área de pastagem com 20 ovinos da raça Santa Inês. Quinzenalmente as imagens capturadas serão coletadas e levadas ao Polo regional para passarem pela análise do software. Devido ao grande volume dos arquivos, após a contagem digital e humana da frequência de acesso ao cocho as imagens daquela quinzena serão apagadas. Semanalmente os dados de temperatura, umidade e precipitação do período serão armazenados para análises posteriores. Os processos para a segmentação da região de interesse, extração e interpretação dos dados serão desenvolvidos com o uso do pacote para processamentos digital de imagens OpenCV (Bradski, G. 2000).

Ver detalhes do projeto

  Augusto Zonta      Apta Regional / IZ

Desenvolvimento de Deois flavopicta (Hemiptera: Cercopidae) em pastagens (Brachiaria decumbens e B. brizantha), submetidas a tratamento de sementes com inseticidas

n° SGP 803

O cultivo de gramíneas do gênero Urochloa (Syn. Brachiaria) resultou em surtos populacionais de cigarrinha-das-raízes (Hemiptera: Cercopidae), que podem causar prejuízos estimados em centenas de milhões de dólares anualmente. Com o objetivo de avaliar o desenvolvimento da cigarrinha Deois flavopicta em pastagens de U. decumbens e U. brizantha, submetidas ao tratamento de sementes com os inseticidas fipronil (Standak®) e tiametoxam (Cruiser 350 FS®), foi desenvolvido um experimento na Unidade de Pesquisa e Desenvolvimento de São José do Rio Preto/APTA/SAA, sob delineamento experimental de blocos ao acaso, com seis tratamentos (fatorial 2x3) e quatro repetições. A semeadura foi realizada manualmente, distribuindo 12,0 kg ha-1 de sementes (70% de VC) tratadas com os produtos, conforme recomendação técnica. Para infestação, foram liberados 20 adultos de D. flavopicta por parcela, acondicionados em gaiolas de 0,40 x 0,40 x 0,70m, aos 49 dias após a semeadura (DAS). As contagens dos insetos nas gaiolas foram conduzidas a cada dois dias, por um período de 12 dias. Em avaliação visual, realizada por quatro avaliadores, foram atribuídas notas de injúrias causadas pelo cercopídeo às gramíneas. Os dados obtidos foram submetidos à análise de variância pelo teste F e comparação de média pelo teste de Tukey (P ≤ 0,05). A sobrevivência de D. flavopicta foi maior em pastagem de U. decumbens, do que em U. brizantha. O tratamento de sementes com o inseticida sistêmico tiametoxam reduziu a sobrevivência de D. flavopicta, em pastagens em formação. 

Ver detalhes do projeto

  Marcelo Francisco Arantes Pereira / APTA      Apta Regional / IB

Dinâmica do nitrogênio no cultivo consorciado do tomateiro com leguminosas adubos verdes em sistema de plantio direito sobre palha de milho

n° SGP 799

~~Na horticultura de base ecológica, a adubação verde é especialmente importante, uma vez que a disponibilidade de fontes de N é limitada e a consorciação possibilita a pronta disponibilidade de N para a cultura principal. A cobertura vegetal representa a essência do Sistema de Plantio Direto (SPD). Nesse contexto o milho proporciona alto potencial de produção de fitomassa, com elevada relação C/N, garantindo a manutenção de cobertura do solo, dentro da quantidade mínima preconizada e por maior tempo de permanência na superfície, além de boa remuneração na exploração do milho verde. Nos estudos empregaremos o método de isótopos que são de grande importância e levam a resultados que contribuem de forma significativa para o aumento da produção mundial de alimentos, desvendando fenômenos naturais. Os principais elementos de interesse nos estudos de dinâmica da matéria orgânica são o Carbono (C) e o Nitrogênio (N), e apresentam ao menos um isótopo que pode ser utilizado como traçador para os estudos dos elementos no sistema solo-planta. Usaremos a técnica da abundância de 15N e a técnica de variação da abundância natural de 13C na determinação das taxas de decomposição pois temos uma variação de cobertura vegetal de plantas C3 (adubos verdes) para C4 (milho) ou de C4 (milho) para C3 (adubos verdes). No processo de seleção de cultivares de tomate, o tomate cereja apresenta boa produtividade, sendo uma opção para agricultores que pretendem produzir com baixo uso de insumos e será empregado no estudo.

Ver detalhes do projeto

  Edmilson José Ambrosano      Apta Regional / IAC

?PASTOS DE BRAQUIÁRIAS DIFERIDOS COM DOSES DE NITROGÊNIO: VALOR NUTRITIVO E PRODUÇÃO DAS FORRAGEIRAS E PERFIL METABÓLICO DE VACAS GESTANTES E LACTANTES?

n° SGP 797

O diferimento de pastagens é uma técnica de manejo que pode ser utilizada para fornecimento de forragem aos animais na época crítica de crescimento das plantas forrageiras tropicais, caracterizada por baixas temperaturas aliadas a déficit hídrico devido à escassez de chuvas, ocorrendo entre o inverno e início da primavera para a região Sudeste. Essa técnica consiste em selecionar determinadas áreas de pastagens e vedá-las à entrada de animais no final da estação de crescimento e, então, disponibilizá-las aos animais para pastejo durante o período crítico para produção de forragem (inverno e início de primavera). Utilizando-se a forrageira adequada e o manejo de vedação correto, essas pastagens apresentarão boa disponibilidade de forragem, contudo, com valor nutritivo podendo ser considerado baixo.  Dessa forma, a vedação das pastagens deve estar sempre associada a algum tipo de suplementação alimentar, tais como, sal mineral enriquecido com uréia, mistura mineral múltipla e concentrado energético-protéico. O nitrogênio (N) é um dos grandes responsáveis pela produtividade e qualidade da planta forrageira, o qual assume importância fundamental no processo produtivo de pastagens, considerando que o nitrogênio do solo, proveniente da mineralização da matéria orgânica, não é suficiente para atender à demanda de gramíneas com alto potencial produtivo. Utilizando-se a forrageira adequada e o manejo de vedação correto, essas pastagens apresentarão boa disponibilidade de forragem, contudo, com valor nutritivo podendo ser considerado baixo. Dessa forma, a vedação das pastagens deve estar sempre associada a algum tipo de suplementação alimentar, tais como, sal mineral enriquecido com uréia, mistura mineral múltipla e concentrado energético-protéico  Um modo de avaliar se este conjunto de fatores está atendendo à demanda dos animais é avaliar o perfil metabólico sanguíneo.

Ver detalhes do projeto

  ÉRIKA SALGADO POLITI BRAGA SALDANHA      Apta Regional / IZ

Caracterização genética, controle de sexo e transplantes de células germinativas em estoques cultivados de salmonídeos da Estação Experimental de Salmonicultura de Campos do Jordão

n° SGP 796

A salmonicultura no Brasil é realizada em áreas montanhosas da região Sul e Sudeste e a produção é composta basicamente pela truta arco-íris Oncorhynchus mykiss. A produção nacional é relativamente pequena quando comparada com grandes nações produtoras como o Chile e Noruega e atende principalmente à demanda de restaurantes e hotéis locais. A Estação Experimental de Salmonicultura de Campos do Jordão possui diversas linhagens de truta arco-íris cada qual com caracteres espécificos para cada sistema de produção e/ou finalidade, que associadas a técnicas de triploidia, hibridização e controle de sexo permitiram a produção e fornecimento de ovos embrionados/alevinos com caracteres que refletem em maior produtividade para os truticultores locais.
No entanto, tendo em vista o crescente aumento da demanda de ovos embrionados e alevinos, impulsionado pelo desenvolvimento de novos produtos como a “truta salmonada” e o “caviar de truta”, torna-se necessário desenvolver ou trazer novas linhagens, otimizar a produção dos estoques atuais e também monitorar geneticamente os mesmos para a manutenção do pool gênico. Nesse contexto, o presente projeto visa (1) desenvolver marcadores genéticos para distinguir cada linhagem de truta, além de caracterizar as respectivas relações filogenéticas entre as linhagens assim como monitorar o nível de consaguinidade das mesmas, (2) otimizar o protocolo de produção de animais XX machos utilizando o gene determinante de sexo sdY em salmonídeos para triagem de animais sexo-revertidos hormonalmente e (3) aplicar a técnica da barriga de aluguel (surrogate broodstock) para produção de gametas alógenos como os de salmão em trutas triplóides.
 

Ver detalhes do projeto

  Yara Aiko Tabata      Apta Regional / IP

EMBRIÕES DE SISTEMAS LOCAIS DE PRODUÇÃO AGRÍCOLA: MAPEAMENTO, CARACTERIZAÇÃO E A INTERAÇÃO ENTRE AS FONTES DE INOVAÇÃO

n° SGP 792

Esta proposta objetiva estudar a distribuição e concentração da produção agrícola no Estado de São Paulo, com ênfase para a região Oeste, identificar aglomerações produtivas, delimitá-las geograficamente, e classificá-las em função de sua relevância regional e setorial. Apoiado por fontes primárias e secundárias, serão investigadas as vantagens comparativas que propiciaram o surgimento de “embriões de sistemas locais de produção” em regiões de menor desenvolvimento econômico, assim como o papel, atuação e relação entre atores do aparato institucional de CT&I e agentes de produção agrícola para observar a ocorrência de interação entre essas fontes de inovação. Para tanto, a especialização e a concentração da produção agrícola nas microrregiões serão avaliadas, respectivamente, por meio do cálculo do Quociente Locacional (QL) e do Gini Locacional (GL) de produtos agrícolas utilizando-se variáveis relacionadas ao valor da produção nas 65 microrregiões do estado, sendo os resultados classificados em tipologia adaptada de estudos em economia industrial para identificação de Embriões de Sistemas Locais de Produção Agrícola. A caracterização desses sistemas, será realizada mediante levantamentos sobre a estrutura de produção e CT&I agrícola a partir de consulta a dados secundários, realização de 18 entrevistas, e aplicação de 180 questionários estruturados em 03 microrregiões geográficas localizadas no oeste e extremo oeste do estado. A análise dos resultados será realizada com a utilização de técnicas descritivas, de estatística multivariada, e de análise qualitativa.

Ver detalhes do projeto

  Ricardo Firetti      Apta Regional / IEA

Mercado de cerveja artesanal em Presidente Prudente: caracterização de produtos, concorrência, preferências e percepção de consumidores

n° SGP 791

Esta proposta de pesquisa tem a finalidade de subsidiar com informações estratégicas a tomada de decisões de novos empreendedores do segmento de bebidas diferenciadas, ênfase às cervejas especiais e artesanais, quanto a aspectos fabris e mercadológicos. Para tanto, dois tipos de cerveja artesanal serão caracterizados comparativamente a produtos comerciais utilizando parâmetros físicos e químicos específicos, e, posteriormente, submetidos à análise sensorial por um grupo de provadores não especializados, mas com hábito de consumo de cervejas. Paralelamente, serão avaliados itens do composto mercadológico (produto, preço, ponto, promoção) de concorrentes comercializados no município de Presidente Prudente; e identificadas as opiniões de consumidores utilizando levantamento de dados originais e técnicas de preferência declarada. Colaboram com esta pesquisa: Caio Russo Dutra Rodrigues (FC Brew); Ana Lúcia Luz Alberti (PRDTA-AS/DDD-APTA); Marilice Zundt (FACAPP-UNOESTE); José Luiz de Lima Astolphi (FACAPP-UNOESTE); Edval Pereira dos Santos (PRDTA-AS/DDD-APTA); Edson Pereira (PRDTA-AS/DDD-APTA).

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Ver detalhes do projeto

  Ricardo Firetti      Apta Regional / IEA

Avaliação de características de carcaça obtidas por ultrassonografia em bovinos Caracu selecionados para ganho de peso

n° SGP 788

Músculos, gordura, ossos e tecido conectivo são os principais componentes da carcaça bovina. A indústria necessita de uma quantidade mínima de músculo para maximizar o processo de abate, determinada gordura de cobertura para preservar a qualidade da carne, além de gordura intramuscular, que confere maciez durante a mastigação. Entretanto, como a seleção para maior crescimento aumenta peso e altura em todas as idades, e a deposição de gordura inicia-se após o crescimento muscular ter cessado, estas características podem ser antagônicas. Atualmente, a ultra-sonografia é usada para predizer acuradamente área do olho do lombo (AOL), espessura de gordura de cobertura na costela (EGC) e na garupa (EGP8), e gordura intramuscular (PGI) de bovinos. Os objetivos do projeto são: a) estimar os efeitos que influenciam a AOL, EGC, e EGP8 obtidas em animaisCaracu, aos 12 meses nos machos e aos 18 meses nas fêmeas; b) estimar correlação fenotípica e genética entre as medidas de carcaça de machos e fêmeas e peso do nascimento até a seleção, altura, perímetro escrotal e perímetro torácico.

Ver detalhes do projeto

  MARIA EUGENIA ZERLOTTI MERCADANTE      IZ

Estimativas de parâmetros genéticos de características de eficiência alimentar, correlações genéticas com outras características de importância econômica e expectativa de mudança genética em bovinos Nelore

n° SGP 787

A capacidade do animal de utilizar menos recursos e produzir mais unidade de produto, ou seja, a capacidade de expressar eficiência de produção é resultado de seu material genético e dos efeitos permanentes do ambiente sobre o seu desempenho. Portanto, a exploração do material genético de animais mais eficientes em nível de efeitos aditivos dos genes por meio do melhoramento genético pode ser uma das maneiras mais eficientes de enquadrar a produção de alimentos de origem animal nos padrões exigidos pelos conceitos de sustentabilidade. Para alcançar níveis satisfatórios de eficiência do animal pela seleção devem ser estabelecidos os critérios que melhor atendam ao objetivo proposto. Em bovinos de corte, algumas características de eficiência são amplamente conhecidas e estudadas há vários anos, como as que relacionam o consumo de alimentos, principal recurso utilizado, com a massa ou o ganho de massa corporal dos animais. Dentre as características, estão: a Conversão Alimentar, representada pela razão direta entre o Consumo de Matéria Seca (CMS) e o Ganho Médio Diário (GMD); sua inversa, a Eficiência Alimentar (EA); a Eficiência Parcial de Crescimento (EPC), razão entre o GMD e a diferença entre o CMS observado e o estimado para mantença através de tabelas padrão com esta finalidade; a Taxa de Crescimento Relativo (TCR), razão entre o logaritmo da diferença do peso final e inicial, e os dias em confinamento; a Taxa de Kleiber, razão entre o GMD e o Peso Vivo Metabólico (PV0,75); o Consumo Alimentar Residual (CAR), diferença entre o CMS observado e o estimado a partir do GMD e PV0,75; o GR, diferença entre o GMD observado e o estimado a partir do CMS e PV0,75; e o Consumo e Ganho Residual (CGR), soma do GR com o CAR multiplicado por menos um para tornar o positivo favorável. Os objetivos deste projeto são: a) estimar os parâmetros genéticos das características que representam a eficiência alimentar em bovinos de corte; b) estimar as respostas diretas e as respostas correlacionadas em CMS e GMD, na seleção para essas características; c) verificar o efeito da seleção para crescimento do rebanho Nelore experimental do Instituto de Zootecnia (IZ) sobre as características de eficiência; d) verificar a utilização de diferentes modelos de avaliação genética de CMS e GMD a fim de determinar estimativas mais acuradas; e) estabelecer o tempo ótimo de avaliação destas características em testes de desempenho e estudar sua variabilidade genética ao longo do teste; e f) avaliar as correlações genéticas entre as características de eficiência alimentar e outras de importância econômica já selecionadas em rebanhos brasileiros, como crescimento, reprodução e carcaça avaliada por ultrassonografia. Serão utilizadas as informações já existentes de 609 bovinos Nelore, machos e fêmeas, pertencentes aos rebanhos Controle, Seleção e Tradicional do Centro APTA Bovinos de Corte (IZ), nascidos entre 2004 e 2010 e de mais 350 animais nascidos em 2011 e 2013. Os testes de desempenho foram realizados após a desmama com duração entre 56 e 112 dias, após período de adaptação à dieta em confinamento. As estimativas de parâmetros genéticos serão obtidas por REML com modelo animal uni e multicaracterística envolvendo as medidas de entrada e saída, CMS e GMD, respectivamente e as características indicadoras de eficiência alimentar. Modelos de regressão aleatória também serão empregados nas características de consumo e crescimento animal ao longo do teste de desempenho. Posteriormente, serão estimadas correlações genéticas entre as medidas de eficiência alimentar melhor avaliadas anteriormente e características de crescimento, reprodução e carcaça. Com o desenvolvimento desse projeto espera-se obter maiores conhecimentos a respeito das melhores características indicadoras de eficiência alimentar a serem implementadas em programas de melhoramento genético de Nelore no Brasil, do ponto de vista de seleção, das estratégias de utilização destas características em programas de melhoramento e das suas consequências em um contexto de produção animal sustentável.

Ver detalhes do projeto

  MARIA EUGENIA ZERLOTTI MERCADANTE      IZ

Sistemas de Integração Lavoura e Pecuária na Recria de Bovinos de Corte

n° SGP 786

 A pesquisa agropecuária brasileira, assim como em todo o mundo, em décadas passadas, desenvolveu-se sobre um sistema convencional de manejo de solo, de culturas e de pastagens, separadamente. O desenvolvimento tecnológico que permitiu o grande avanço no setor do agronegócio brasileiro, tornando o Brasil um dos países mais competitivos no mercado internacional deu-se, principalmente, sobre esses sistemas. Sistemas de plantio direto em lavouras tiveram seu grande crescimento na década passada e a integração lavoura e pecuária (ILP) apenas em anos mais recentes. O objetivo deste projeto é o de avaliar diferentes modelos de sistemas de integração lavoura e pecuária, utilizando o sistema de plantio direto, no ambiente do produtor de bovinos de corte, com a finalidade de gerar informações para recuperar áreas com pastagens degradadas e colaborar no desenvolvimento de processos que possam promover sistemas produtivos sustentáveis. Este projeto tem o formato de um projeto temático, envolvendo diversas áreas de atuação, tendo como foco principal as demandas da cadeia produtiva da carne bovina. O experimento será conduzido na Unidade de Pesquisa e Desenvolvimento de São José do Rio Preto, no Pólo Regional Centro-Norte, coordenado pelo Departamento de Descentralização do Desenvolvimento da Agência Paulista de Tecnologia dos Agronegócios (APTA).Para a avaliação dos sistemas ILP será utilizada uma área de 26 ha, formada com Brachiaria decumbens a mais de 15 anos, dividida de acordo com o delineamento estatístico de blocos ao acaso, com 6 tratamentos e 4 repetições, tendo como tratamentos: (T1) Pasto remanescente, com manutenção do manejo anterior; (T2) Pasto remanescente com exploração intensiva, reformado e adubado na primavera-verão, sem adoção de lavoura na reforma; Sistemas de manejo com integração lavoura/pecuária sempre com pastagem no outono/inverno sendo: (T3) lavoura de milho no verão seguida de um ano de pastagem no verão (lavoura a cada dois anos); (T4) lavoura de milho no verão seguida de dois anos de pastagem no verão (lavoura a cada três anos); (T5) lavoura de milho no verão em dois anos consecutivos, seguidas de um ano de pastagem no verão; (T6) lavoura de milho no verão em dois anos consecutivos seguidas de dois anos de pastagem. Nos primeiros anos de sua execução, este projeto contou com a contribuição da Fundação Agrisus, Bellman Nutrição Animal Ltda e Finep. 

Ver detalhes do projeto

  Roberto Molinari Peres      Apta Regional / IZ

Estudo da variabilidade de Phaeosphaeria maydis, agente causal de mancha foliar do milho

n° SGP 783

A mancha de Phaeosphaeria ou mancha branca do milho é uma das principais doenças da cultura. Apresenta grande importância econômica no Brasil, pois tem causado expressiva redução da produtividade da cultura pela elevada severidade com que pode ocorrer. Estudos recentes mostram que esta doença causa danos à produtividade ao redor de 20% quando as plantas, no estádio de grãos pastosos, atingem 10% de área foliar afetada, sendo relatados danos de até 60%. Com a produtividade média atual da cultura chegando ao patamar de 5.000 kg/ha na região Centro-Sul do Brasil, que abrange os principais estados produtores de milho, danos de 1.000 kg/ha são comuns e acarretam grandes prejuízos aos agricultores e elevada redução na oferta de grãos do país.

Há controvérsias sobre a nomenclatura mais adequada para o fungo Phaeosphaeria maydis, agente causal desta doença, sendo relatado também como Metasphaeria maydis. A forma imperfeita deste patógeno, do mesmo modo, vem sendo relatada como Phylosticta sp. por alguns autores e Phoma maydis por outros.

Embora seja considerado pela literatura mundial como patógeno unicamente do milho, ainda vem sendo observada semelhança morfológica de suas estruturas reprodutivas e da expressão dos sintomas com os de Leptosphaeria sacchari em cana-de-açúcar. Devido à recente reclassificação das espécies de Phoma, baseada em critérios moleculares, fazem-se necessários mais estudos para confirmar os indícios observados.

Além disso, o controle químico desta doença tem perdido gradativamente a eficácia, sobretudo nas regiões onde o uso de fungicidas é mais intensivo. Vários estudos já constataram perda da eficácia de misturas de estrobilurinas e triazóis para o controle desta doença em diversas regiões brasileiras, pela ocorrência de isolados com baixa sensibilidade à estrobilurina.

Objetivos

Realizar a caracterização de isolados do fungo Phaeosphaeria maydis para verificar a nomenclatura mais adequada atualmente, através de métodos culturais, de patogenicidade e moleculares.

Averiguar, nos isolados, associações entre ocorrência de mutações e menor sensibilidade às estrobilurinas.

Metodologia

Realizar estudos de crescimento e esporulação in vitro e testes de patogenicidade de isolados do fungo coletados de milho e cana e também sequenciamento da região ITS dos isolados, em colaboração com o Laboratório de Bioquímica Fitopatológica do IB/APTA e comparar com sequências depositadas no GenBank, para confirmar sua correta nomenclatura.

Verificar, através do sequenciamento de DNA, ocorrência de mutações nas posições 143, 137 e 129 no citocromo b mitocondrial do fungo, as quais são alvos comuns de fungicidas do grupo químico das estrobilurinas em fungos, acarretando resistência elevada a parcial nos isolados menos sensíveis.

Divulgação dos resultados

Os resultados serão divulgados através de trabalhos em congressos e artigos científicos.

Ver detalhes do projeto

  GISÈLE MARIA FANTIN      IB

Controle químico de doenças foliares do milho

n° SGP 782

Os danos causados pelas doenças do milho no Brasil tornaram-se mais evidentes e significativos a partir do começo deste século, com o aumento expressivo da produtividade da cultura. Em função disto, e da maior disponibilidade de fungicidas, intensificou-se muito o seu uso na última década. Em meados de 2005 havia apenas seis fungicidas registrados para o milho; hoje existem cerca de 60 produtos para controle de doenças nesta cultura.

Por outro lado, há, comumente, pouca precisão das informações sobre o nível do dano à produtividade causado quando as diferentes doenças ocorrem com maior ou menor intensidade. É essencial conhecer o dano causado pelas doenças para o planejamento da adequada utilização de medidas de controle.

Informações sobre os danos causados pelas doenças auxiliam a determinar o limiar de dano econômico e a definir a necessidade de aplicação de fungicidas, complementando o controle dado pela resistência e/ou tolerância dos híbridos.

Estudos anteriores têm demonstrado que os híbridos que apresentam aumento significativo na produtividade com a aplicação de fungicidas, sob ocorrência de doenças foliares, não são necessariamente aqueles com maiores severidades de doenças, exceto para os valores extremos, ou seja, severidades muito altas ou muito baixas implicaram em respostas na produtividade positivas ou nulas, respectivamente. Há híbridos transgênicos suscetíveis com resposta na produtividade variando de alta a nula e também há híbridos com resistência moderada que respondem ou não em produtividade ao uso do fungicida.

Pela grande diversidade de interações observadas, evidencia-se a importância de conhecer cada cultivar quanto sua resposta à produtividade antes de se indicar a aplicação de fungicidas, e, pelo grande dinamismo do lançamento de híbridos de milho, tornam-se necessários estudos constantes para se conhecer a resposta individual das novas cultivares.

Desta forma, estudos com controle químico de grande número de cultivares permitem conhecer as particularidades de cada material, indicando a ocorrência ou não de interações em relação a outros híbridos e se, para determinado cultivar há maior, menor ou não há necessidade de complementação da resistência/tolerância com o uso de fungicidas para se obter um controle efetivo, lucrativo e racional.

Objetivos

Este trabalho, portanto, tem como objetivo fornecer informações sobre a eficácia do controle químico de doenças e a resposta em produtividade de grande número de cultivares transgênicas, conhecendo a resistência e também a tolerância destas às principais doenças de ocorrência natural.

Metodologia

Em ensaios com cerca de 30 a 40 cultivares de milho transgênicas, conduzidos na região paulista do Médio Vale do Paranapanema, sob a coordenação do IAC/APTA, serão realizados tratamentos com e sem fungicida, utilizando preferencialmente misturas de estrobilurina + triazol ou estrobilurina + carboxamida.

Será realizada uma única aplicação dos produtos, via trator, quando as plantas se encontrarem no estádio de 8 a 10 folhas (última entrada do trator), ou duas, sendo a segunda imediatamente antes do pendoamento, dependendo das doenças predominantes e do desenvolvimento destas nos ensaios.

Quantificações sequenciais da severidade das doenças de ocorrência natural serão feitas com intervalos de duas a três semanas e obtida a área abaixo da curva de progresso de cada uma delas, em cada híbrido, a qual será correlacionada à sua produtividade.

Divulgação dos resultados

Os resultados serão divulgados anualmente através de palestras a produtores rurais para auxiliar a tomada de decisão sobre o uso de fungicidas em função do cultivar e do ambiente. Serão também publicados em site na internet, apresentados em congressos e divulgados em revistas técnicas e científicas.

Ver detalhes do projeto

  GISÈLE MARIA FANTIN      IB
  Sobre

O SGP (Sistema de Gestão de Pesquisa) foi implementado em todas as unidades APTA, para centralizar o controle de todos os projetos desenvolvidos sob sua supervisão. [Ler mais]

Endereço APTA – São Paulo

Praça Ramos de Azevedo, 254, 2º andar - República, São Paulo - SP

Fone : (11) 5067-0447 e 5067-0427

  Endereço APTA – Campinas

Avenida Barão de Itapura, 1481 - Botafogo, Campinas - SP

Fone : (19) 2137-8930