Projetos APTA em todas as unidades, todos os centros

Página Inicial / Busca de Projetos

714 projetos ativos encontrados - pág. 12 de 24

Avaliação fitotécnica de clones de cana-de-açúcar obtidos pelo Programa Cana do IAC

n° SGP 1246
Essa pesquisa consiste no trabalho de Elaine Cristina Batista, aluna de mestrado do Programa de Pós-Graduação em Sanidade, Segurança Alimentar e Ambiental, do Instituto Biológico, sob minha orientação. Trata-se de projeto multidisciplinar e multi-institucional, envolvendo o Polo Regional Centro Sul (Dra. Luciana Ap. Carlini-Garcia), o Instituto Biológico (Elaine C. Batista) e o Centro de Cana do IAC (doutores Marcos G.A. Landell, Mauro A. Xavier e Luciana R. Pinto) e o agrônomo Marcio A. P. Bidóia, também do Centro de Cana.
Trata-se análise, por meio de abordagem de modelos mistos, dos dados referentes à avaliação do desempenho de 39 clones de cana-de-açúcar, obtidos pelo Programa Cana IAC-APTA, em três localidades na região produtora de Ribeirão Preto-SP, durante três cortes (anos). Serão estimados os valores genotípicos de cada clone em cada ambiente (combinação locais x cortes) e na média dos ambientes, para fins de seleção, bem como será estudada a interação genótipos x ambientes. Os clones selecionados poderão resultar em novas cultivares, que venham atender às demandas do setor sucroalcooleiro.
Ver detalhes do projeto

  Luciana Aparecida Carlini Garcia      Apta Regional / IAC

Avaliação do desempenho de bezerras desmamadas até início da fase reprodutiva e Efeito da suplementação sobre a segunda concepção de novilhas Nelore

n° SGP 1244

O projeto de pesquisa será realizado do Centro APTA Bovinos de Corte, do Instituto de Zootecnia,. Serão usadas 40 bezerras desmamadas da raça nelore, com idade média de 7 meses em maio de 2016. Vinte bezerras serão mantidas em pastagens recebendo suplemento mineral em pó, enquanto que outras 20 bezerras serão mantidas em pastagens recebendo o suplemento mineral Crystalyx (CLX), ambos formulados para época das águas ou época da seca, dependendo da época do ano. Inicialmente será feito avaliação das pastagens de forma a garantir que os dois grupos de bezerras recebam a mesma disponibilidade de forragem durante todo o experimento. Para tal estarão disponíveis na fazenda mais 30 bezerras que poderão ser usadas em ajustes na disponibilidade de forragem, garantindo que a principal fonte de variação entre os dois grupos seja o suplemento mineral. Na falta de forragem, haverá suplementação com silagem.

O consumo de suplemento mineral será controlado semanalmente, pesando-se a sobra do produto e o oferecido. Todo o controle de consumo será registrado em planilhas. O peso dos animais será obtido mensalmente, e o ganho de peso calculado para o referido período.

A avaliação reprodutiva (início da puberdade) das fêmeas será feita através de exames de ultrasom, com objetivo de avaliar o desenvolvimento do sistema reprodutivo das fêmeas nelore, a partir de 15 meses de idade, de forma individual, inicialmente uma vez por mês e depois, a cada duas semanas, perfazendo 15 avaliações até os 24 meses de idade. 

A Caltech fornecerá todo o suplemento a ser oferecido ao grupo de animais do tratamento Crystalyx. O Instituto de Zootecnia (IZ) fornecerá o suplemento mineral que será usado na comparação com o Crystalyx, assim como todos os animais e ainda garantirá que as mesmas permaneçam no experimento e sejam de uso exclusivo pelo referido projeto de pesquisa. O IZ também fornecerá todos os pastos ou suplementos volumosos, mão de obra para cuidar e manejar o rebanho, todos os medicamentos e vacinas que envolvam a criação das fêmeas, assim como o suplemento mineral em pó (do outro tratamento), curral de manejo e balanças. Será de responsabilidade do IZ todas as ações referentes à condução do experimento, como as amostragens de pasto, controle e pesagem do suplemento para cálculo do consumo, controle e pesagem dos animais experimentais, avaliação dos órgãos reprodutivos das fêmeas, por ultra-som, assim como a geração de relatórios que serão enviados para a Caltech.

Referinco-se ao outro experimento , em fase pré-experimental, 50 fêmeas da raça nelore em início da vida reprodutiva, serão acasaladas com touros nelore em novembro e dezembro de 2015, a fim de se obter 40 fêmeas prenhes com parto previsto para setembro-outubro de 2016.

Das 50 fêmeas, 40 novilhas prenhes (animal tester) serão mantidas em pastagens, subdivididas em dois grupos, um recebendo sal mineral ou protéico em pó e o outro recebendo o suplemento mineral Crystalyx (CLX), ambos formulados para época das águas ou época da seca, dependendo da época do ano.

Inicialmente será feito avaliação das pastagens de forma a garantir que os dois grupos de novilhas recebam a mesma disponibilidade de forragem durante todo o experimento, com ajustes na carga animal (similar ao trial 1).

O consumo de suplemento mineral será controlado semanalmente, pesando-se a sobra do produto e o oferecido. Todo o controle de consumo será registrado em planilhas. O peso dos animais será obtido mensalmente, e o ganho de peso (ou perda de peso) será calculado para o referido período.

Os partos ocorrerão de setembro a outubro de 2016 nos referidos pastos, de acordo com o tratamento experimental Crystalyx ou suplemento mineral em pó. Os bezerros receberão os cuidados no pasto, quando será efetuada a identificação através da tatuagem na orelha, pesagem do recém nascido e cura do umbigo. Caso o bezerro tenha qualquer lesão, ferimento ou ocorra diarréia e demais doenças do recém nascido, os mesmos receberão cuidados diários nas pastagens que estiverem habitando.  

A reprodução terá inicio em novembro de 2016 através de monta natural. Serão usados 2 touros aptos à reprodução, com atestado andrológico emitido por médico veterinário, um em cada grupo experimental. Após 21 dias de período de acasalamento os reprodutores serão trocados de grupo, e assim sucessivamente, de forma alternada a cada 21 dias, neutralizando-se o efeito de touro na re-concepção das fêmeas, até o final do mês de janeiro de 2017. A cada 21 dias as fêmeas serão avaliadas quanto à condição reprodutiva de forma a avaliar quantas ficaram prenhes a cada período de 21 dias.  

Em fevereiro de 2017 será feita a ultima avaliação da prenhez e encerra-se o experimento.

 

Ver detalhes do projeto

  Maria Lucia Pereira Lima      IZ

Efeito da combinação Bopriva e Taurotec na terminação de bovinos em pastagens, na época das águas e da seca

n° SGP 1243

O objetivo será testar o uso de Bopriva, medicamento usado na castração de bovinos e também o uso do produto Taurotec (15% de lasalocida), como aditivo alimentar em bovinos na fase de terminação, em pastagens, na época da seca, segue o orçamento da suplementação proetico energética dos animais. É esperado que o produto Taurotec, usado como aditivo em suplementos, possa compensar perdas em ganho de peso, ocasionadas pela castração.

O projeto de pesquisa esta sendo realizado do Centro APTA Bovinos de Corte, do Instituto de Zootecnia, localizado à Rodovia Carlos Tonani, km 94.5, em Sertãozinho, SP, telefone (16) 99127 4562. Três tratamentos experimentais serão  estudados na época da seca:

  1. Animais que recebem Bopriva e suplemento proteico-energético (1% PV) com Taurotec
  2. Animais que recebem Bopriva e suplemento proteico-energético (1% PV) sem Taurotec
  3. Animais que não recebem Bopriva e suplemento proteico-energético (1% PV) sem Taurotec

Uma área de 32 ha, de pastagem já estabelecida com Brachiaria brizantha c.v. Marandu foi subdividida em 15 piquetes com 2 ha cada, contendo cocho individual para o suplemento e bebedouros contendo água.

Período experimental:            Seca:

Início: 5/07/2016           Termino: 10/11/2015

Duração: 130 dias 

Ver detalhes do projeto

  Maria Lucia Pereira Lima      IZ

ESTUDOS PARA O DESENVOLVIMENTO DE UM PLANO DE MANEJO DA VIROSE, DOENÇA EMERGENTE NA CULTURA DO AMENDOIM EM SÃO PAULO

n° SGP 1242

A proposta deste projeto é desenvolver um pacote tecnológico através de um plano de manejo para supressão dos danos causados por uma doença virótica, emergente no estado de São Paulo. Nas safras 2012/13, 2013/14 e 2014/15, áreas comerciais de amendoim em alguns municípios do estado de São Paulo foram identificadas com alta incidência de plantas com sintomas típicos de virose, a qual é genericamente chamada de “vira-cabeça”. Em levantamento inicial, o vírus foi identificado como Groundnut ring spot virus (GRSV). No sudeste dos Estados Unidos, uma virose com sintomas mais ou menos semelhantes ocorre na cultura do amendoim há cerca de quinze anos, mas a espécie de vírus é identificada como TSWV (Tomato spotted wilt virus). GRSV e TSWV são classificadas no gênero Tospovirus, e são transmitidas exclusivamente por tripes adultos, caso tenham sido infectados durante o 1º ou início do 2º instar. Nos Estados Unidos, dentre as espécies de tripes vetoras, destacam-se principalmente Frankliniella fusca (Hinds) e Frankliniella occidentalis (Pergande). No Brasil, nenhuma destas espécies é considerada praga em amendoim, somente o tripes-do-prateamento, Enneothrips flavens Moulton. No entanto, em levantamento preliminar de áreas infectadas com a virose, verificou-se um grande número de tripes da espécie Frankliniella schultzei Trybom em flores de amendoim. Nos Estados Unidos, para a redução dos prejuízos causados pela doença, são adotadas diversas praticas de manejo como o uso de cultivares com algum nível de resistência ou tolerância à virose, escolha da época de plantio, plantio adensado e plantio sobre palhada de cultura anterior. Nas condições de São Paulo, não há informações sobre o comportamento das cultivares nacionais em relação à doença, nem sobre o efeito de práticas de manejo sobre a severidade da doença. Assim, o objetivo deste projeto é formular um plano de manejo para redução do impacto desta doença em São Paulo, através da realização de levantamentos nas regiões produtoras comerciais para confirmação da(s) espécie(s) de vírus, levantamento dos tripes para identificação dos possíveis vetores, quantificação dos danos causados pela doença, testes de campo com cultivares e linhagens do programa de melhoramento do IAC para identificação de genótipos resistentes ou tolerantes, e estudo dos efeitos da densidade de plantas e do arranjo de linhas de plantio sobre a expressão e severidade da doença.

Ver detalhes do projeto

  Marcos Doniseti Michelotto      Apta Regional / IAC

Influência de macro e mesohabitats na distribuição da ictiofauna de rios de água preta da Mata Atlântica

n° SGP 1236

Rios de águas pretas constituem uma importante fração dos ambientes lóticos de Mata Atlântica, porém diversos aspectos relacionados à ictiofauna e sua relação com escalas espaciais como macro e mesohabitats ainda são pouco conhecidos na Região Sudeste do Brasil. O presente projeto visa delimitar os principais macro e mesohabitats de alguns rios de águas pretas localizados no Parque Estadual das Restingas de Bertioga – SP, verificando a influência da escala local sobre a estrutura, composição e aspectos funcionais da ictiofauna. Após uma coleta piloto, serão selecionados até 12 rios na época seca, adaptando-se uma classificação de macro e mesohabitats para os mesmos. Os peixes serão amostrados com pesca elétrica em cada um dos macrohabitats (rios) e mesohabitats delimitados, após caracterização de parâmetros morfológicos dos habitats, e físicos e químicos da água.  Será também analisado o teor de Carbono Orgânico Total (COT) e dissolvido (COD), uma vez que estes ambientes possuem alto teor de ácidos húmicos, que podem estar relacionados à composição e biomassa das comunidades de peixes. Os dados ambientais e da ictiofauna serão agrupados por macro e mesohabitat para cálculo da abundância, biomassa, riqueza e diversidade de Shannon, bem como abundância de grupos funcionais. Os dados serão analisados por meio de uma análise exploratória, incluindo técnicas de análise multivariada como a Análise de Escalonamento Multidimensional Não Métrico (NMDS) e Análise de Correspondência Canônica para correlacionar as espécies e variáveis ambientais. Os dados de COT e COD serão correlacionados à biomassa e abundância através de técnicas lineares e correlações simples. Os resultados obtidos auxiliarão na compreensão dos padrões de distribuição das espécies nestes ecossistemas, permitindo subsidiar programas de monitoramento de corpos d’água, prever e avaliar os efeitos das pressões antrópicas sobre  ecossistemas similares.

Ver detalhes do projeto

  Katharina Eichbaum Esteves      IP

Caracterização varietal de cana-de-açúcar

n° SGP 1235

Atualmente sabe-se que no decorrer dos anos, a medida que se avança no número de cortes dos canaviais a produtividade é diminuída. Em média a partir do 5º corte costuma-se fazer a reforma nos canaviais, salvo se a produtividade dos talhões ainda trouxer retorno econômico ao produtor (ADRIANO, 2013). Nos novos plantios há necessidade de substituir os cultivares anteriormente cultivados devido ao processo natural de degenerescência. Com isso, o sucesso do setor sucroenergético, no que tange cana-de-açúcar, é totalmente dependente da liberação de novas cultivares no mercado. Assim, ao considerar a dimensão do setor na economia nacional e a necessidade de sua continuidade produtiva, justifica-se que caracterizar as novas cultivares e alocá-las em ambientes de produção. Caracterizar cultivares de cana-de-açúcar quanto ao potencial produtivo (produtividade, perfilhamento, altura e diâmetro) e qualitativo (Brix e Pol) para diferentes condições edafo climáticas e posteriormente alocá-las em ambientes de produção. Os experimentos são instalados em blocos casualizados, mas aqueles em fase mais inicial de seleção são formados por muitos tratamentos (clones) e devido a escassez de material as repetições são no máximo 2.  Na fase intermediária e final o número de tratamentos (clones) permanece ao redor de 3 repetições porque já se possui mais material vegetativo (colmos) para ser propagado. Numa segunda fase, as cultivares comerciais serão acompanhadas nas usinas parceiras e os dados de produtividade computados no software Caiana, que calcados no banco de dados poder-se-á fazer a alocação das cultivares de acordo com os ambientes de produção. As variáveis analisadas são calcadas no padrão fitotécnico (altura, diâmetro e perfilhamento) e na qualidade tecnológica (Pol e Brix do caldo). O processo avaliação ocorre no plantio e nas soqueiras subsequentes. Espera-se alocar em ambientes de produção as cultivares novas de cana-de-açúcar selecionadas no programa de melhoramento. 

Ver detalhes do projeto

  Marcos Guimarães de Andrade Landell      IAC

Seleção varietal de cana-de-açúcar

n° SGP 1234

Atualmente sabe-se que no decorrer dos anos, a medida que se avança no número de cortes dos canaviais a produtividade é diminuída. Em média a partir do 5º corte costuma-se fazer a reforma nos canaviais, salvo se a produtividade dos talhões ainda trouxer retorno econômico ao produtor (ADRIANO, 2013). Nos novos plantios há necessidade de substituir os cultivares anteriormente cultivados devido ao processo natural de degenerescência. Com isso, o sucesso do setor sucroenergético, no que tange cana-de-açúcar, é totalmente dependente da liberação de novas cultivares no mercado. Assim, ao considerar a dimensão do setor na economia nacional e a necessidade de sua continuidade produtiva, justifica-se que selecionar novas cultivares seja importante. Nesse sentido,  a pesquisa almeja selecionar clones de cana-de-açúcar com potencial produtivo (t/ha, perfilhamento, altura e diâmetro), qualitativo (Brix e Pol) e sanitário (resistentes a pragas e doenças) superiores as cultivares comerciais existentes.Os experimentos são instalados em blocos casualizados, mas aqueles em fase mais inicial de seleção são formados por muitos tratamentos (clones) e devido a escassez de material as repetições são no máximo 2.  Na fase intermediária e final o número de tratamentos (clones) permanece ao redor de 3 repetições porque já se possui mais material vegetativo (colmos) para ser propagado.As variáveis analisadas são calcadas na ausência de doenças (carvão, escaldadura, raquitismo), aqueles não contaminados são avaliados pelos padrão fitotécnico (altura, diâmetro e perfilhamento) e finalmente pela qualidade tecnológica (Pol e Brix do caldo). O processo avaliação ocorre no plantio e nas soqueiras subsequentes.Os resultados são inseridos no software CAIANA e entre 10 a 12 anos de avaliação aponta-se os clones que tem características de cultivares comerciais.Espera-se lançar constantemente novas cultivares IAC de cana-de-açúcar.  

Ver detalhes do projeto

  Marcos Guimarães de Andrade Landell      IAC

Desenvolvimento de um perfilômetro laser para avaliação da distribuição de fertilizantes por semeadoras-adubadoras

n° SGP 1232

A correta dosagem e a distribuição uniforme e eficiente dos mesmos estão diretamente relacionadas à rentabilidade da agricultura. Várias metodologias s têm sido usadas para avaliar a distribuição longitudinal de mecanismos dosadores de semeadoras-adubadoras. A perfilometria a laser, baseada na triangulação, é um método para a medição de profundidade de pontos no espaço em que se utiliza a um feixe de laser para sondar o objeto. A imagem de uma linha laser projetada sobre uma superfície de um objeto é capturada e tratada em software de análise de imagens, que calcula o seu perfil.  O objetivo deste trabalho é construir e testar um perfilômetro a um perfilômetro a laser que será acoplado a um carro de testes de semeadoras-adubadoras. Este ao se deslocar depositará o fertilizante sobre uma calha em forma de "V". Para determinar o volume aplicado o sistema calculará a área de cada perfil separados de 5 cm. Com a média da área de dois perfis subsequentes multiplicados pela distancia entre eles se obtêm o volume parcial. A soma de todos eles proverá ao volume total aplicado. 

Ver detalhes do projeto

  Antonio Carlos Loureiro Lino      IAC

Censo de variedades de cana-de-açúcar no Brasil

n° SGP 1225

O Instituto Agronômico de Campinas, através de seu Programa Cana IAC, está criando o Censo Varietal IAC, juntamente com o consultor Rubens Braga Jr. O Censo Varietal IAC tem como objetivo atender a crescente necessidade de informação do setor sucroenergético, possibilitando aos participantes o acesso a importantes informações de todas as regiões produtoras de cana-de-açúcar do país. O Censo Varietal do IAC tem o compromisso de retornar aos participantes relatórios mensais de consolidação da informação coletada e, ao final da safra, publicar um caderno contendo as principais informações, índices e resultados, sempre resguardando a confidencialidade da informação individual enviada por cada uma das unidades produtoras (ver termo de confidencialidade).

 O censo deverá conter as áreas em cultivo na Safra 2016/2017, e os dados deverão ser preenchidos com informações sobre todas as variedades (SP, RB, IAC, CV, CTC, etc.) com mais de 1 ha por estágio de corte. O levantamento da Previsão de Plantio, o que dará a cada participante uma visão geral das variedades mais plantadas, provendo uma análise comparativa da usina com os dados regionais de plantio.

O Instituto Agronômico de Campinas, através de seu Programa Cana IAC, está criando o Censo Varietal IAC, juntamente com o consultor Rubens Braga Jr. O Censo Varietal IAC tem como objetivo atender a crescente necessidade de informação do setor sucroenergético, possibilitando aos participantes o acesso a importantes informações de todas as regiões produtoras de cana-de-açúcar do país. O Censo Varietal do IAC tem o compromisso de retornar aos participantes relatórios mensais de consolidação da informação coletada e, ao final da safra, publicar um caderno contendo as principais informações, índices e resultados, sempre resguardando a confidencialidade da informação individual enviada por cada uma das unidades produtoras (ver termo de confidencialidade).

 O censo deverá conter as áreas em cultivo na Safra 2016/2017, e os dados deverão ser preenchidos com informações sobre todas as variedades (SP, RB, IAC, CV, CTC, etc.) com mais de 1 ha por estágio de corte. O levantamento da Previsão de Plantio, o que dará a cada participante uma visão geral das variedades mais plantadas, provendo uma análise comparativa da usina com os dados regionais de plantio.

Assim, tem-se como objetivo levantar informações sobre o censo de variedades do maior número possível de unidades produtoras (usinas, destilarias, associações de fornecedores, etc.) de cana-de-açúcar no Brasil, visando à utilização de indicadores que permitam mapear a adoção de inovações tecnológicas varietais, e também o índice de concentração varietal por regiões canavieiras.

 

Ver detalhes do projeto

  Marcos Guimarães de Andrade Landell      IAC

ESTUDO DE ENFERMIDADES INFECTO-CONTAGIOSAS QUE AFETAM O SISTEMA NERVOSO CENTRAL, REPRODUTIVO E RESPIRATÓRIO DE ESPÉCIES DE INTERESSE ECONÔMICO.

n° SGP 1223

O diagnóstico laboratorial de doenças infecto contagiosas que afetam os animais de produção é imprescindível para o mapeamento epidemiológico destas

enfermidades, manutenção de um banco de isolados, estudos moleculares,

dos principais agentes circulantes nas criações, seleção de cepas para o desenvolvimento de vacinas com espectro de ação compatível com as cepas

que ocorrem no campo, dados estes necessários para o sucesso nos programas

de controle e erradicação destas doenças. O Brasil não dispõe atualmente

 destas informações e nem possui um banco de dados de forma

 abrangente, sistematizada e em escala. Projetos visando apoio laboratorial

 são importantes para o Estado de São Paulo e para o Brasil, pois as

 análises laboratoriais podem fornecer subsídios para melhorar a qualidade das

criações brasileiras. Para atender esta demanda por certificação sanitária, o

 Estado de São Paulo necessita de sistematização de procedimentos, envolvendo

desde o treinamento de técnicos que atuam no campo para obtenção das

informações epidemiológicas, colheita e encaminhamento adequado das amostras,

 até a análise e divulgação dos resultados. Estas ações de Vigilância Epidemiológica

 são fundamentais para o sucesso do Programa Nacional de Sanidade de

 Equinos do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (MAPA).

 

Ver detalhes do projeto

  Eliana Monteforte Cassaro Villalobos      IB

Xylella fastidiosa infecting Olive oil trees in Brazil: knowing the players (bacteria and the vectors) for the sustainable management

n° SGP 1219

Anteriormente restrito as Américas, a bactéria multi-hospedeiro transmistida por vetores, Xylella fastidiosa foi relatada na Europa (sul da Itália e França) e Ásia (Irã e Taiwan). O impacto devastador causado pelo surto conhecido como síndrome do declínio rápido da Oliveira (OQD) associado a X. fastidiosa subsp. pauca sul da Itália, os relatos de X. fastidiosa subsp. multiplex em plantas ornamentais no sul da França, e a interceptação de outras subespécies e cepas de X. fastidiosa na Europa levaram uma grande preocupação para a comunidade europeia envolvida na protecção de plantas. Enquanto isso, aqui no Brasil, há uma emergente indústria azeite (http://assoolive.blogspot.com.br/) representado por pequenos produtores de cerca de 70 municípios localizados em regiões montanhosas de São Paulo e Minas Gerais. Infelizmente a X. fastidiosa subsp. pauca também foi encontrada infectando plantas de oliveira, em alguns dos olivais de ambos os Estados. As estirpes de X. fastidiosa associada à DOQ na Itália e no Brasil não são a mesma estirpe. Desde 2014 estamos trabalhando  em colaboração com pesquisadores italianos (Dr. Maria Saponari e Dr. Donato Boscia - Instituto de Defesa Sustentável - CNR, Bari, Itália) em relação a X. fastidiosa. Agora, com a proposta XF-ACTORS (Xylella fastidiosa -Active Containment Through a Multidisciplinary-Oriented Research Strategy) apresentada a chamada Horizonte 2020 na União Europeia e com Chamadaa FAPESP-H2020 de propostas conjuntas, surje uma oportunidade de se  estreitar a colaboração com os parceiros da UE, mas estudando o problema DOQ emergente no Brasil. Esta proposta tem como objetivo estudar: 1) o patógeno, abordando questões como 'quais as estirpes que estão presentes em plantas doentes'?  e qual a fonte de origem?; 2) as plantas hospedeiras, tanto as plantas hospedeiras alternativas, como fontes de resistência genética no Banco de Germoplasma de Oliveira da EPAMIG - MG; 3) os vetores, dissecando a diversidade de espécies, a prevalência e dinâmica populacional de sugadores de seiva de xilema da família Auchenorrhyncha e seu potencial como vetores de X. fastidiosa para oliveiras na regiões do sudeste do Brasil; e 4. o manejo, através da utilização de compostos bactericida  e antioxidantes. Acreditamos que a nossa experiência adquirida com a Clorose Variegada dos Citros - patossistema X. fastidiosa no Brasil, e a riqueza de isolados da bactéria e vetores nos trópicos, será útil em colaboração com os parceiros europeus, bem como para os estudos destes bactérias em Oliveira. Além disso, os europeus pesquisadores têm intensamente trabalhado com o X. fastidiosa em oliveiras, o que nos permitiria avançar mais rapidamente a investigação sobre X. fastidiosa infectando oliveiras no Brasil. Por último, a proposta XF-ACTORS envolve 26 grupos de pesquisa (UE, Taiwan, Costa Rica e EUA) aumentando o significado do nosso esforço colaborativo.

Ver detalhes do projeto

  Helvecio Della Coletta Filho      IAC

Avaliação da germinação, crescimento e produção de Talinun paniculatum

n° SGP 1216

Plantas rústicas são hoje esquecidas da dieta alimentar. O atual padrão alimentar gera números crescentes de pessoas com doenças relacionadas à alimentação de má qualidade, à contaminação dos alimentos por agrotóxicos, ao crescente uso de alimentos transgênicos,  e redução da agrobiodiversidade. Faz-se necessário, o resgate  e conhecimento sobre o uso de plantas tradicionais no âmbito da segurança alimentar e favorecer o consumo e cultivo de hortaliças não convencionais que promovam a  soberania alimentar familiar. Neste trabalho, a espécie T. paniculatum, planta ruderal, rica em nutrientes, será avaliada quanto fenologia vegetativa e reprodutiva, e produção de biomassa. 

Este projeto irá aproveitar área de pesquisa já instalada com Plantas alimentícias não convencionais, funcionários e estrutura já existente no Setor, não demandando custos adicionais. 

Ver detalhes do projeto

  CRISTINA MARIA DE CASTRO      Apta Regional / IAC

Manejo Nutricional para cultura do Café: Programa Nutriplant®

n° SGP 1214

Resumo da Proposta

 

  1. Justificativa e relevância do tema

 

O Brasil, maior produtor e exportador mundial de café, e segundo maior consumidor do produto, apresenta, no ano de 2014, um parque cafeeiro estimado em 2,256 milhões de hectares, com produção de 45,34 milhões de sacas de 60 kg de café beneficiado, em 15 Estados, com destaque para Minas Gerais, que respondeu por 49,93% da produção nacional, seguido do Espírito Santo, São Paulo, Bahia, Rondônia e Paraná. (BRASIL, 2015).

A adubação é um dos fatores que mais está ligado ao custo de produção, mas oferece um retorno satisfatório quando realizada de maneira correta. Portanto, é necessário reduzir o custo de produção para elevar a lucratividade, entretanto, sem diminuir a produtividade das lavouras. A utilização eficiente dos adubos é possível a partir de um diagnóstico nutricional com identificação do nutriente a ser aplicado, em quantidade, época e forma de aplicação correta.

A adubação foliar é uma prática bastante difundida, uma vez que a folha tem a capacidade de absorver nutrientes e com muita eficiência que a adubação via solo. O zinco, boro, cobre; manganês são os nutrientes que mais frequentemente apresentam deficiências, porém a correção deve ser realizada com base na análise química das folhas e de critérios estabelecidos pela pesquisa.

O programa nutricional Nutriplant é composto por produtos de alta solubilidade que complementa a adubação radicular das plantas e suplementa sua nutrição com segurança e qualidade. Assim o objetivo do ensaio é avaliar  a produtividade e qualidade de bebida do cafeeiro submetido a diferentes programas nutricionais via foliar.

 

 

 

  1. Material e Métodos

 

O experimento será instalado no Sítio Favarin, localizado no Bairro Venda Branca, município de Osvaldo Cruz-SP. O período experimental corresponderão aos meses de maio de 2016 à agosto de 2018. Será selecionado uma área de cafezal “C. arábica”, variedade Catuaí Vermelho (IAC-144), na qual será estaqueada, demarcando todas parcelas experimentais. Cada parcela será composta de 200 plantas numa mesma linha, sendo que as linhas laterais serão consideradas bordaduras. A lavoura encontra-se com 5 anos de idade, com espaçamento de 0,6m entre plantas e 3,5m entre linhas, totalizando 4762 plantas por ha. Utilizar-se-á para aplicação dos nutrientes um pulverizador/atomizador tratorizado equipado com turbina marca Jacto mod. ARBUS 400. O delineamento experimental será em blocos casualizados, com 4 repetições, 5 tratamentos, conforme descritos na tabela 1.

 

  1. Descrição dos Tratamentos

Tabela 1 – Descrição dos Tratamentos, Cultura do Café, 2015

 * vide em arquivos anexos

 
 

 

            Durante o período experimental serão realizadas avaliações de bimetria, bem como crescimento e contagem de “par de folhas” dos ramos plagiotrópicos. Será efetuada a colheita para avaliação da produtividade e posteriormente análises de qualidade de peneira e qualidade de bebida.

 

            Os resultados serão submetidos à análise estatística através da análise de variância ANOVA e o contraste entre médias de tratamentos pelo teste de Tukey a 5%, com o auxilio de pacote computacional ASSISTAT 7.7 beta (SILVA F.A.S, 2015).

 

  1. Material necessário para a execução da pesquisa:

 

Todo material necessário à realização desta pesquisa serão fornecidos pelo contratante.

 

  1. Infraestrutura e Mão de obra:

 

O PRDTA Alta Paulista disponibilizará infraestrutura e mão de obra necessárias ao desenvolvimento do presente trabalho.

 

  1. Responsáveis:

 

Coordenador:

Fernando Takayuki Nakayama – Pesquisador Científico do PRDTA Alta Paulista

 

Colaborador:

Danilo Marcelo Aires dos Santos – Eng. Agr. Dr. – Nutriplant Indústria e Comercio S.A.

 

  1. Cronograma de execução

 

Atividades

Período

Preparo das instalações

maio de 2016

 

 

Condução experimental: Instalação e aplicação dos tratamentos

maio a Setembro de 2016

 

 

Avaliações de biometria

Janeiro a março de 2017

 

 

Colheita do experimento

Maio a julho de 2017

 

 

Tabulação dos dados

Julho a Agosto de 2017

 

 

Análise estatística dos resultados

Agosto de 2017

 

 

Elaboração do Relatório final

Setembro de 2017

 

 

 

  1. Orçamento

 

  1. A Empresa deverá doar todo material necessário à execução da pesquisa (produtos, estacas, instrumentos de medidas e colheita);
  2. A Empresa arcará ainda com uma contribuição total de R$4000,00  referente à combustível, alimentação, pagamento de Mao de obra de terceiros, custo de análises dentre outros, sendo desembolsado de acordo com as necessidades do projeto durante o período de execução.

 

  1. Condições para a realização do projeto

 

O presente trabalho deverá ainda ser oficializado junto à Fundação de Desenvolvimento da Pesquisa do Agronegócio – FUNDEPAG. Para tal deverá ser elaborado um contrato segundo as normas da Fundação e adequado à empresa participante. O cronograma de desembolso é apenas sugerido, podendo ser adaptado conforme disponibilidade da Empresa. A empresa poderá a qualquer momento visitar o experimento, bem como participar das diversas etapas e sugerir correções e alterações de comum acordo.

      O pesquisador responsável e a APTA/DDD reservam-se o direito de divulgar a qualquer momento a pesquisa e seus resultados. Da mesma forma a Empresa reserva-se no direito de divulgar comercialmente os resultados ou parte deles, conforme melhor lhe convier.

 

  1. Referências

 

BRASIL, Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento: Café, disponível em:  http://www.agricultura.gov.br/vegetal/culturas/cafe/saiba-mais. Acesso em: 25 de junho de 2015.

Ver detalhes do projeto

  Fernando Takayuki Nakayama      Apta Regional / IAC

Estudos de densidade, sistema de produção e adubação nas culturas da cebola e beterraba

n° SGP 1213

A cultura da cebola constitui importante atividade socioeconômica no país, se destacando entre as hortaliças de maior área plantada e volume produzido.  A região Nordeste Paulista pode ser considerada uma das principais regiões produtoras de hortaliças, especialmente a cebola, onde concentra aproximadamente 40% do total produzido no Estado de São Paulo, sendo em sua maioria praticada em  pequenas propriedades e por pequenos produtores. Dentre os fatores que influenciam o crescimento e a produtividade da cultura da cebola estão a densidade populacional e a nutrição da planta. No primeiro caso, com o aumento do número de plantas por área, há modificação no crescimento em razão da maior competição pelos fatores do meio e consequente alteração no tamanho do bulbo e produtividade. Com relação à nutrição, o nitrogênio é um nutriente componente básico de proteínas, aminoácidos, vitaminas, ácidos nucléicos e da clorofila, contribuindo notadamente para a melhoria da produção e qualidade dos bulbos de cebola, sendo absorvido em grandes quantidades, apenas superado pelo potássio. No entanto, a maioria das recomendações oficiais de adubação nitrogenada baseiam-se em populações de no máximo 500.000 plantas por hectare, sendo que atualmente com o uso de híbridos de alta performance é comum áreas de produção com mais de 1.000.000 plantas por hectare. Assim, há necessidade de se adequar as recomendações de adubação nitrogenada em função do genótipo e da densidade de plantas, em condições edafoclimáticas locais e regionais, visando sustenatibilidade da cultura e melhor eficiência no uso do fertilizante.Na área da Fundação de Pesquisa e Difusão de Tecnologia Agrícola “Luciano Ribeiro da Silva”, em São José do Rio Pardo, experimentos irão avaliar o desenvolvimento da cultura de Cebola em função de diferentes densidades de plantio e doses de nitrogênio. Serão cinco doses de nitrogenio e quatro densidades de plantio a serem. As doses de nitrogenio serão obtidas em função da absorção da cebola Aquarius obtida em experimento anterior de marcha de absorção de nutrientes (SGP 358). O delineamento estatístico será em blocos ao acaso, no esquema de parcelas subdivididas. O objetivo principal dos experimentos é calibrar a adubação nitrogenada em cebola, em função de diferentes densidades de plantio.

Ver detalhes do projeto

  Luis Felipe Villani Purquerio      IAC

AVALIAÇÃO MICROBIOLÓGICA E SENSORIAL DE CARNE DE CORDEIRO COMERCIALIZADA EM ESTABELECIMENTO DE VAREJO EM PRESIDENTE PRUDENTE-SP

n° SGP 1212

  Apesar do consumo ainda pouco expressivo no Brasil, tem se identificado na atualidade que a carne de ovinos vem sendo cada vez mais procurada por um mercado consumidor que crescentemente vem se tornando cada vez mais exigente em relação à qualidade do que consome, em particular a carne ovina.

                 A carne de cordeiro atualmente é comercializada em quase toda sua totalidade, principalmente no Estado de São Paulo, na forma congelada, e nesta direção os frigoríficos estão investindo na oferta de cortes e produtos cárneos diferenciados congelados para atender a essa gradativa demanda.

Este trabalho tem como objetivo avaliar a qualidade sensorial e microbiológica de cortes de carne de cordeiro comercializadas em estabelecimento varejista do município de  Presidente Prudente

Ver detalhes do projeto

  Ana Lúcia Luz Alberti      Apta Regional / ITAL

ESTABELECIMENTO E CARACTERIZAÇÃO DE BANCO DE GERMOPLASMA PARA MELHORAMENTO GENETICO DE CANA-ENERGIA COM ENFASE EM TRANSGENIA

n° SGP 1210

A pesquisa tem como objetivo constituir e caracterizar acessos genéticos do banco de germoplasma de cana-de-açúcar, realizar cruzamentos genéticos, constituir programa de melhoramento e selecionar três cultivares de cana-energia, bem como a geração de duas cultivares transgênicas e prospectar genes envolvidos com mecanismos de resistência a pragas. As pesquisas serão desenvolvidas em laboratório e campo e englobarão diferentes áreas do conhecimento. em condições de laboratório será realizada a caracterização morfológica, molecular e citogenética dos acessos, prospecção de genes relacionados ao mecanismo de resistênica a pragas, transformação genética de cultivares de cana-de-açúcar e cana-energia com genes envolvidos com o processo de resistencia a herbicida, Bt e tolerância a seca. No campo, o melhoramento genético para a seleção de 3 cultivares de cana-energia, além da identificação de genótipos de cana-de-açúcar resistentes à Diatraea saccharalis, Sphenophorus levis e Mahanarva sp.

Ver detalhes do projeto

  Marcos Guimarães de Andrade Landell      IAC

Genômica populacional e caracterização fenotípica para elucidar aspectos da origem, domesticação e dispersão do urucum (Bixa orellana) e milho (Zea mays) nas terras baixas da América do Sul

n° SGP 1206

O processo de domesticação e dispersão que ocorreu nas plantas cultivadas ao longo dos últimos
12.000 anos, envolvendo fortes pressões seletivas ocasionadas tanto pelos seres humanos como
pela própria seleção natural, levou a modificações genéticas para melhor adaptação às condições
ecológicas, agronômicas e aspectos culturais das populações humanas que as cultivaram.
Utilizando ferramentas de genética molecular e genômica populacional, bem como avaliações
fenotípicas, este projeto tem como objetivos: a) determinar o centro de domesticação e entender
como se deu o processo de dispersão do urucum no Brasil, determinando também o sistema
reprodutivo de populações silvestres; b) determinar o processo de dispersão do milho nas terras
baixas da América do Sul, e identificar raças de milho do Brasil, visando atualizar as
informações a respeito da diversidade conservada in situ-on farm. Para tanto, serão utilizados os
marcadores moleculares microssatélites, SNPs, e seqüenciamento de regiões de DNA de
cloroplasto. Serão realizadas também avaliações fenotípicas de milho visando a identificação das
raças de milho presentes atualmente no Brasil.

Ver detalhes do projeto

  Eliane Gomes Fabri      IAC

Adubação nitrogenada consecutiva em áreas colhidas sem queima: Experimento de longo prazo

n° SGP 1205

O objetivo desse trabalho esta sendo em avaliar as alterações em longo prazo da adubação nitrogenada no solo e nas plantas de cana-de-açúcar e a influência do efeito residual e aproveitamento do N-fertilizante na resposta da cultura garantido a sustentabilidade do sistema de produção: aspectos agronômicos, econômicos e ambientais. O experimento foi implantado em Piracicaba-SP, no delineamento de blocos ao acaso e 4 repetições, em março/2007 com o cultivar IACSP92-1099 desenvolvida no Pólo Centro Sul, APTA. Doses de N-fertilizante foram aplicadas após a brotação da 1ª soqueira (0, 60, 120 e 180 kg ha-1) e os tratamentos foram reaplicados durante quatro soqueiras, até a colheita da 4ª soqueira em setembro/2012. Nesse período foi desenvolvida a tese de doutorado de Helio Antonio Wood Joris, intitulada: “Nitrogênio na produção de cana-de-açúcar: aspectos agronômicos e ambientais”. Nessa tese foram avaliadas as alterações no solo, acúmulo de macronutrientes e produtividade de colmos. No último ciclo, entre outubro/2011 e setembro/2012, as parcelas foram divididas para avaliação da inoculação com bactérias diazotróficas e aplicação de 100 kg ha-1 de N em cada tratamento de adubação nitrogenada em longo prazo, com implantação de microparcelas e aplicação de 15N-sulfato de amônio para avaliação do aproveitamento do N-fertilizante pelas plantas. Com correção adequada do solo, a adubação nitrogenada promoveu melhorias nas condições químicas do solo. O acúmulo de nutrientes aumentou com as doses de N aplicadas, e a ordem de acúmulo dos nutrientes foi K>N>Ca>Mg>S>P. Em todas as soqueiras avaliadas, ocorreu aumento linear na produtividade de colmos, com um incremento médio de 175 kg de colmos para cada kg de N-fertilizante aplicado. Considerando o balanço de entradas e saídas de N do sistema, a quantidade média necessária para reposição do N exportado foi 69 kg de N ha-1 ciclo-1, que representa 38,3% da maior dose aplicada (180 kg ha-1). A inoculação com bactérias diazotróficas beneficiou a nutrição mineral das plantas, porém resultou em produtividade de colmos inferior à aplicação de N-fertilizante. O aproveitamento de 15N-fertilizante foi maior nas condições de ausência de aplicação de N nas soqueiras anteriores (44,2%) que nas doses 60 (34,3%), 120 (24,8%) e 180 (31,8%). A inoculação com bactérias diazotróficas não substitui a adubação nitrogenada. O solo é a principal fonte de N para as plantas de cana-de-açúcar, porém a obtenção de altas produtividades depende de doses elevadas de N-fertilizante para a manutenção do sistema.

Após esse ciclo de 4 socas com reaplicação de doses de N nos respectivos tratamentos, as parcelas foram mantidas e foi reinstalado o experimento com a variedade IACSP95-5094 que já ocorreu o ciclo de cana-planta (safra 2013-14) com tratamentos contendo quatro doses de N, 0, 30, 60 e 90 kg/ha e na cana soca (safra 2014/2015) as doses de N foram mantidas como no primeiro ciclo(0, 60, 120 e 180 kg/ha de N). Atualmente (2016) a cultura já esta na segunda soca (colheita do terceiro corte prevista para agosto/setembro de 2016). 

Ver detalhes do projeto

  André Cesar Vitti      Apta Regional / IAC

Avaliação de cepas de Pleuurotus spp em relação a diferentes temperaturas de cultivo

n° SGP 1203

A produção de cogumelos é uma atividade em crescimento no Brasil ela é vocacionada a pequena e média propriedade rural e urbana e possui alto valor agregado. A disseminação do consumo de cogumelos esta fazendo com que a cadeia fungícula nacional se especialize deixando assim de ser uma atividade amadora. Hoje em dia existem diversas espécies de cogumelos, dentre elas a do gênero Pleurotus que possui um grande potencial produtivo, e ótima aceitação de mercado alem de serem relativamente fáceis de cultivar. No Brasil há falta de bibliografia assim como informações básicas de aclimatação desses fungos, sendo que a maioria das cepas utilizadas estrangeiras e possui muita pouca informação confiável a respeito, especialmente quanto a produtividade e necessidade térmica. O objetivo deste trabalho é avaliar a produtividade e aclimatação em três diferentes temperaturas em diferentes cepas de cogumelos Pleurotus Ostreatus, podendo assim determinar a temperatura ideal de cultivos das cepas e estabelecer produtividade das mesmas em função da temperatura de cultivo utilizada.

Ver detalhes do projeto

  Daniel Gomes      Apta Regional / IAC

Entomofauna e epidemiologia de doenças associada a colheita mecanizada de cana-de-açúcar na região de Mococa/SP

n° SGP 1201

Na presente pesquisa será avaliado a influência da presença ou não da palha na entrelinha, assim como o tipo de área de borda, na entomofauna e epidemiologia de doenças da cana-de-açúcar em colheita mecanizada, na região de Mococa/SP.  O experimento será conduzido no Pólo Regional Nordeste Paulista, Agência Paulista de Tecnologia dos Agronegócios (APTA/DDD), em Mococa/SP.  As amostragens dos insetos-praga e de seus inimigos naturais na cultura da cana-de-açúcar serão efetuadas mensalmente, iniciando-se aos 30 dias após efetuado o primeiro corte, totalizando 12 avaliações por ano, durante 4 anos. O delineamento experimental adotado será o de blocos casualizados com parcelas subdivididas. Na parcela serão avaliados três agroambientes de borda: pasto, cultura do café e mata e na subparcela a presença ou não de palhada na entrelinha, com 3 repetições. As parcelas serão constituídas de 3 armadilhas de captura de insetos de solo do tipo `Pitfall`, espaçadas de 1,5 m entre si ao longo da entrelinha de cana-de-açúcar.  Para o levantamento epidemiológico das doenças será utilizada a mesma distribuição de parcelas do levantamento da entomofáuna, porém serão avaliados 10 pontos por tratamento, totalizando 120 no total. Com os dados obtidos serão traçadas as curvas de progresso das doenças e a dinâmica populacional de insetos e seus inimigos naturais ao longo do ano e durante 4 anos, visando determinar a influência dos diferentes agrossistemas sobre a diversidade e abundância de insetos-praga e patossistemas, de maneira a respaldar o desenvolvimento de estratégias de manejo e controle.

Ver detalhes do projeto

  Paulo Boller Gallo      IAC

PRODUÇÃO DE SEMENTES HÍBRIDAS DE TOMATE EM AMBIENTE PROTEGIDO COM SUBSTRATO ASSOCIADO A ADUBO DE LIBERAÇÃO LENTA

n° SGP 1188

Em países onde o cultivo protegido encontra-se avançado, o solo vem sendo substituído por substratos, todavia, o cultivo em substrato depende da otimização de diversas variáveis, como a nutrição uma vez que o volume explorado pelo sistema radicular da cultura é reduzido. O adensamento é outro aspecto que apresenta grande impacto na cultura do tomateiro. O cultivo em substrato enriquecido com adubo de liberação lenta pode ser uma alternativa para facilitar a produção de sementes híbridas de tomate em estufa. Nos adubos de liberação lenta, os nutrientes são encapsulados por resinas especiais e são liberados mais lentamente, propiciando uma disponibilidade contínua dos mesmos para as plantas. Os tratamentos serão constituídos por dois espaçamentos entre plantas (0,20 e 0,30 m), resultando em 7 e 5 plantas por saco de cultivo, respectivamente e três doses de adubo de liberação lenta (150 g, 300 g e 450 g por saco de cultivo). O delineamento experimental será inteiramente casualizado, com quatro repetições, em esquema fatorial 2 x 3.

Ver detalhes do projeto

  Nobuyoshi Narita      Apta Regional / IAC

Fatores Determinantes nas Diferenças Regionais na Contribuição do Rendimento e da Área na Produção Agrícola Paulista, 1983 a 2015.

n° SGP 1184

Este artigo procurará medir o crescimento da produtividade das principais culturas, nos 40 EDRs do Estado de São Paulo, no período 1983 a 2015. Tem por objetivo determinar as diferenças regionais de rendimento agrícola de uma mesma atividade e as contribuições das participações da produtividade da terra e da área para a produção agrícola. Tendo em vista que no período proposto o setor agropecuário passou por transformações quer pela adoção de tecnologias modernas poupadoras de terra, como também da especialização regional em determinadas atividades agrícolas conforme pode ser observado no trabalho de Olivette et al (2003) o qual estudou o crescimento da produtividade das 15 principais culturas, nas regiões administrativas do Estado de São Paulo, no período 1983 a 2002.

              A busca de geração e adoção de inovações tecnológicas é o grande mecanismo para a criação de oportunidades de crescimento do setor agropecuário a longo prazo. Dadas a inexistência de fronteiras agrícolas no Estado de São Paulo, a heterogeneidade dos solos e a consequente utilização de áreas de baixo potencial de produção, é de suma importância avaliar como ocorreu o desenvolvimento da agricultura paulista em suas diferentes regiões, sendo a produtividade das lavouras um dos indicadores existentes para aferir esse progresso tecnológico.

              Assim, o conhecimento das possíveis diferenças regionais de rendimento agrícola de uma mesma atividade e a contribuição dessa participação da produtividade no crescimento da produção é um indicador no estabelecimento das diferentes estratégias tanto no processo de geração quanto no de adoção de tecnologia para o setor rural (VEIGA FILHO e NEGRI NETO, 2002).

              O objetivo especifico deste estudo consiste em um exercício analítico sobre as tendências empíricas observáveis, nas últimas décadas, na produção agrícola paulista, em suas diversas regiões. Para tanto, serão calculadas e analisadas as contribuições da área e da produtividade da terra para a expansão ou retração da produção dos principais produtos agrícolas quanto ao valor da produção do Estado de São Paulo, dos 40 Escritórios de Desenvolvimento Rural (EDRs), no período 1983 a 2015.

As informações sobre a área e a produção agrícola no Estado de São Paulo, no período 1983 a 2015, para os 40 EDRs, serão obtidas dos levantamentos por município efetuados pelo Instituto de Economia Agrícola (IEA) e Coordenadoria de Assistência Técnica Integral (CATI). Serão considerados os subperíodos de 1984-1993, 1994-2000, 2001-2009 e 2010-2015 para o cálculo da contribuição da área e rendimento para a produção agrícola.

Dada a grande diversidade das atividades agrícolas desenvolvidas no Estado, para o presente estudo, serão consideradas culturas mais representativas em valor da produção, dentre os produtos de origem vegetal, no ano agrícola 2014/15, provenientes do banco de dados do IEA.

Como as diversas regiões paulistas apresentam características variáveis entre si, para os EDRs será adotado procedimento similar ao do Estado para a escolha dos produtos vegetais, ou seja, pelo valor da produção.

A metodologia escolhida é a proposta por VERA FILHO e TOLLINI (1979), que emprega taxas de crescimento da área[1] e da produção ob­tidas de análise de regressão múltiplas, pelo método dos mínimos quadrados ordinários.

              Para produção tem-se:

 

 

e para a área

 

onde:

Pt e At representam, respectivamente, produção e área plantada no ano t.

e representam as taxas de crescimento da produção e área plantada.

Serão calculadas para cada cultura as contribuições do aumento da área (CA) e do aumento do rendimento (CR) para o aumento da produção. Assim:

 

 

              As estimativas da contribuição da expansão da área e do rendimento para o aumento da produção de lavouras do Estado serão assim obtidas:

 

 

 

onde:

CAj = contribuição da área da região j;

CAij = contribuição da área para o aumento da produção do i-ésimo produto da região j;

Pij = valor médio da produção do i-ésimo produto da região j dividido pelo valor total da produção de lavouras na região j; e

CRj = contribuição do rendimento para o aumento da produção de lavouras na região j.

              As estimativas das contribuições agregadas, por região (EDR), serão obtidas calculando-se a média ponderada a partir da CA de cada produto nas regiões, tendo por base a participação do valor da produção dos produtos em relação ao valor total da produção regional, para a safra 2014/15. No caso do Estado de São Paulo, será levado em consideração o valor total da produção estadual, para o conjunto das culturas selecionadas para o estudo.

 

[1]Para as culturas de: banana, cana-de-açúcar, laranja, limão, manga e tangerina serão consideradas as áreas em produção, no ano agrícola em questão.

 

Ver detalhes do projeto

  Raquel Castellucci Caruso Sachs      Apta Regional / IEA

PROGRAMA DE MELHORAMENTO GENÉTICO DE ANTÚRIO

n° SGP 1180

O antúrio pertence à família das Aráceas, incluindo-se no gênero mais de 600 espécies, muitas delas herbáceas tropicais, originárias das regiões quentes e centrais da América do Sul. Do ponto de vista comercial, a principal espécie do gênero é o Anthurium andraeanum Lindl., utilizado como flor de corte e também como planta de vaso. A produção e a comercialização de antúrio se bem praticadas poderá trazer retornos significativos aos empresários que se dedicam a este agronegócio, pois devido a sua alta durabilidade como flor de corte e conformação típica é uma das tropicais mais consumidas no mundo todo. Atualmente no Brasil, o antúrio ainda é propagado por semente e, por consequência, suas progênies são muito heterogêneas, o que não é interessante para o mercado consumidor, que exige uniformidade do produto. No entanto, esses materiais são muito importantes para o melhoramento devido a maior variabilidade genética. Sendo assim, o objetivo do programa de melhoramento genético do antúrio será a seleção de plantas de interesse, com características ímpares de qualidade floral e produtividade, tanto do banco de germoplasma da APTA/IAC, como plantas oriundas do cruzamento entre acessos do BAG. Serão selecionados para o mercado de flor de corte plantas dentro do BAG, bem como de plantas advindas do cruzamento entre plantas do BAG. Estas plantas devem apresentar caraterísticas desejáveis como: cor e forma da espata e espádice, comprimento do pecíolo maior que 60 cm e plantas baixas. Para isso serão realizados ensaios de cultivo após a multiplicação in vitro, na qual serão avaliados a cada seis meses o desenvolvimento das plantas: número de folhas, comprimento dos pecíolos, (cm), comprimento das lâminas foliares das folhas completamente expandidas (cm), largura das lâminas foliares das folhas completamente expandidas (cm) e área foliar total e média por folha (cm2); e semanalmente a produção: comprimento do pedúnculo (cm), comprimento da espata (cm), comprimento da espádice (cm), largura da espata (cm), coloração segundo a escala de cores CIELAB, produtividade (flores/m2/ano); e durabilidade comercial e longevidade pós-colheita por meio de escala de notas.

Ver detalhes do projeto

  Edson Shigueaki Nomura      Apta Regional / IAC

Biologia de plantas daninhas nas culturas em sucessão a cana-de-açúcar

n° SGP 1178

A cana-de-açúcar é uma das principais culturas brasileiras e a interferência proporcionada pelas plantas daninhas acarreta redução significativa no rendimento da cultura. O objetivo deste trabalho será avaliar a influência de três sistemas de manejo do solo e três importantes culturas comerciais como culturas de sucessão na supressão de plantas daninhas e na composição da comunidade infestante em áreas de reforma de cana crua. O experimento será instalado sobre ARGISSOLO Vermelho-Amarelo eutroférrico, em canavial colhido sem queima prévia nos últimos cinco cortes. Será utilizado delineamento experimental em blocos casualizados, com os tratamentos arranjados em parcelas sub-divididas e dispostos em quatro repetições, sendo os tratamentos principais três sistemas de cultivo; convencional, cultivo mínimo e plantio direto e os tratamentos secundários de três opções de culturas comerciais (amendoim, girassol e soja) e uma parcela em pousio. Após 180 dias da colheita da cana-de-açúcar será contado o número de plantas daninhas.m-² e determinada a massa seca da parte aérea, calculando assim seus índices fitossociológicos. 

Ver detalhes do projeto

  Maria Beatriz Bernardes Soares      Apta Regional / IAC

Avaliação agronômica de novos cultivares de Alcachofra e limpeza de vírus da cultivar Roxa de São Roque

n° SGP 1177

Serão conduzidos experimentos no município de São Roque para avaliar o desempenho agronômicos de quatro híbridos comercias de alcachofra da empresa de sementes Nunhems em comparação a cultivar tradicional Roxa de São Roque. Os experimentos serão conduzidos no Sítio Cacique, localizado no km 6 da Estrada do Vinho. Após uma avaliação inicial no primeiro ano de cultivo dos diferentes cultivares de alcachofra, os híbridos serão avaliados em três épocas de cultivo, sendo uma anterior em um mês ao transplante normal, outra um mês posterior ao transplante normal, além do transplante no período normal. A mudas provenientes do cultivo in vitro serão confrontadas a campo com mudas sem limpeza de vírus. Os experimentos serão conduzidos no delineamento de blocos ao acaso, com cinco repetições. As plantas de alcachofra serão avaliadas quanto ao ciclo, número de inflorescência por planta, classificação comercial das inflorescências, massa da inflorescência e número de folhas verdadeiras.

Ver detalhes do projeto

  Sebastião Wilson Tivelli      Apta Regional / IAC

Manejo dos ambientes de produção (AmbiManejo)

n° SGP 1176

A proposta “Manejo dos ambientes de produção da cana-de-açúcar” está vinculada ao projeto AMBICANA, com participação dos pesquisadores Dr. Hélio do Prado, Centro de Cana/IAC-APTA (coordenador) e Dr. André Cesar Vitti, APTA Polo Centro Sul. O objetivo do referido projeto é desenvolver toda a sistemática de manejo, mediante conhecimento prévio dos tipos de solo e ambiente de produção (Projeto AMBICANA), em relação às épocas de plantio e corte, formas e épocas de preparo do solo, correção e adubação, utilização de resíduos da agroindústria e interação das variedades exigentes (responsivas) em relação às estáveis e ou rústicas.

Ver detalhes do projeto

  André Cesar Vitti      Apta Regional / IAC

Genotipagem molecular em acessos do Complexo Saccharum para uso no melhoramento genético de cana-de-açúcar

n° SGP 1173

Inicialmente, gostaria de informar que este projeto vem sendo desenvolvido sob minha coordenação, pela aluna do curso de Pós Graduação do Insituto BIológico, Fernanda Keiko Martins Yamauchi Oriolo. Os trabalho resulta de parceria com o Centro de Cana, onde os genótipos estão preservados e analisados. Maiores detalhes podem ser encontrados no projeto, que segue em anexo. A seguir, resumo do projeto.

As cultivares modernas de cana-de-açúcar são provenientes de cruzamentos interespecíficos, especialmente entre S. officinarum, cujas plantas tem alto teor de sacarose e baixo teor de fibra e suscetibilidade a várias doenças, e S. spontaneum, que apresentam plantas vigorosas, com bom perfilhamento, resistência a doenças, capacidade de rebrota, alto teor de fibras e baixo teor de sacarose. A base genética da cana cultivada é estreita, pois os cultivares são proveniente de cruzamentos entre um grupo pequeno de genitores. Os materiais comerciais têm cerca de 80% de seus cromossomos provenientes de S. officinarum e entre 10 e 20% dos cromossomos originários de S. spontaneum, sendo que essas proporções se devem ao fato de que os programas de melhoramento sempre buscaram genótipos com altos teores de sacarose, visando produção de açúcar e alto.

No entanto, atualmente, vem crescendo a demanda por novas cultivares, que além de serem produtivas em termos de sacarose, também apresentem alto teor de fibra a ser utilizada para produzir de etanol celulósico e energia elétrica, o que é vantajoso para o Brasil em termos de desenvolvimento sócio-econômico e de preservação ambiental. Em função dessa demanda, é necessário introgredir genes de espécies do Complexo Saccharum nas cultivares modernas, para aumentar o teor de fibra e também transferir resistência a doenças e a estresses abióticos como déficit hídrico.

Diante desse cenário, o Programa Cana do IAC vem introduzindo novos acessos do Complexo Saccharum em seu banco de Germoplasma, via incorporação de genótipos da Coleção Mundial de Cana, sediada em Canal Point (EUA), e da coleção do BSES da Austrália.

Para que sejam utilizados de modo eficiente no programa de melhoramento, todos esses acessos que foram importados precisam ser caracterizados genotipicamente, via marcadores moleculares, e fenotipicamente para os caracteres de interesse.

É nesse contexto que se insere o presente projeto de pesquisa, que consiste em genotipar 96 acessos do Complexo Saccharum, provenientes da Coleção Mundial de Cana, sendo a maioria deles genótipos de S. spontaneum, espécie portadora dos genes relacionados ao elevado teor de fibras e resistências a estresses bióticos e abióticos. A genotipagem se dará por meio de marcadores microssatélites e, como resultado, serão obtidos os perfis moleculares de cada um desses acessos, que serão armazenados no banco de dados. Esses perfis são de grande utilidade, podendo-se citar, por exemplo, as seguintes aplicações: a) ao obter o perfil molecular de um novo acesso a ser incorporado ao banco de germoplasma, pode-se compará-lo aos perfis previamente existentes na coleção, evitando-se duplicação de acessos; b) durante as fases do processo de melhoramento genético, é possível monitorar os genótipos nos campos experimentais, por meio de seus perfis moleculares, evitando trocas de materiais; c) é possível confirmar se um dado genótipo é de fato um híbrido, de acordo com o que foi planejado na execução dos cruzamentos.

Também com base nas informações dos marcadores, serão realizadas nesse trabalho, análises estatístico-genéticas, visando estimar a variabilidade genética contida nesses acessos e determinar como ela está estruturada entre e dentro das espécies avaliadas.

Os dados genotípicos produzidos nessa pesquisa, juntamente com dados provenientes da caracterização fenotípica desses materiais a ser iniciada nos próximos meses pelo Centro de Cana, possibilitarão direcionar os cruzamentos entre os materiais modernos (clones superiores e cultivares) já caracterizados, com esses acessos selvagens, visando obter novos genótipos que atendam à demanda de bioenergia e resistência a doenças e estresses abióticos, otimizando o processo de melhoramento genético de modo a torná-lo mais rápido e eficiente.

Ver detalhes do projeto

  Luciana Aparecida Carlini Garcia      Apta Regional / IAC

Caracterização pós-colheita e conservação de novas cultivares IAC de citros de mesa

n° SGP 1169

O estudo será conduzido com os seguintes objetivos:

- Caracterizar as alterações fisiológicas e físico-químicas na pós-colheita das tangerinas ‘Freemont’ e ‘Maria’.

- Estudar a fisiologia do amadurecimento em tangerinas ‘Freemont’ e ‘Maria’ expostas a diferentes temperaturas.

- Proposição e avaliação de técnicas de conservação.

Primeiro ano

- Alterações fisiológicas e físico-químicas na pós-colheita-

Na caracterização das alterações fisiológicas e físico-químicas na pós-colheita das tangerinas ‘Freemont’ e ‘Maria’, algumas perguntas deverão ser investigadas como:

-Quais são as mudanças na qualidade dessas tangerinas no período pós-colheita?

-O ponto de colheita interfere na qualidade e conservação pós-colheita dessas tangerinas?

Para tanto, serão colhidas tangerinas em 3 estádios de maturação ( a princípio pensamos em maio, junho e julho), e durante a pós-colheita serão avaliadas características fisiológicas, fisico-quimicas, fitopatológicas e sensoriais.

Serão avaliados frutos com 0, 3, 6, 9, 12 e 15 dias após a colheita. Serão usados, por data de análise, 20 frutos para análises físico-químicas, 15 frutos para análise sensorial e 30 frutos para as análises fitopatológicas. Total de frutos por estádios de maturação= 240 de cada variedade.

Segundo ano

- Fisiologia do amadurecimento em frutos expostos a diferentes temperaturas-

Nesse tipo de estudo, algumas perguntas deverão ser respondidas como:

- Como a respiração e a produção de etileno são influenciadas pela temperatura de armazenamento?

- Como a qualidade é influenciada pela temperatura de armazenamento?

- As tangerinas apresentam danos de frio?

- Qual a temperatura de armazenamento ideal?

Para tanto, serão colhidas tangerinas em 3 estádios de maturação (talvez 1), armazenadas a 5, 10, 15, 25, 35 e 45ºC,  e durante a pós-colheita serão avaliadas características fisiológicas, fisico-quimicas, fitopatológicas e sensoriais.

Terceiro ano

- Proposição e avaliação de técnicas de conservação-

Baseado nas informações dos dois primeiros anos, quais seriam as técnicas de conservação mais adequadas para essas tangerinas?

- Ceras...quais?

- Ceras associadas com refrigeração?

- Uso de reguladores?

- Tratamentos preventivos de danos por frio?

Ver detalhes do projeto

  Ilana Urbano Bron      IAC

Digestibilidade de uma dieta em três níveis de oferta por cordeiros de diferentes grupos genéticos

n° SGP 1164

O objetivo no presente projeto é comparar cordeiros de sete grupos genéticos quanto a digestibilidade de uma dieta em três níveis de oferta de alimento. Cento e vinte e seis cordeiros das raças Dorper, Ile-de-France, Texel e Santa Inês, e dos cruzamentos ½ Dorper + ½ Santa Inês, ½ Ile-de-France + ½ Santa Inês e ½ Texel + ½ Santa Inês serão desmamados aos 90 dias de idade e confinados em baias individuais com piso ripado. Essa distribuição nas baias será de forma aleatória. Os animais serão pesados no início do confinamento e permanecerão em adaptação por 21 dias recebendo uma dieta peletizada com 90% de concentrado e 10% de feno de alfafa. A ração será oferecida em duas refeições diárias, à vontade, permitindo-se sobra ao redor de 10% do ingerido no dia anterior. Para isso, as sobras serão retiradas e pesadas diária e individualmente. Os bebedouros (um para cada duas baias) serão limpos diariamente, e, quando necessário, mais de uma vez por dia. Nos últimos cinco dias desse período, serão colocadas em todos os indivíduos, bolsas de lona para recolhimento das fezes produzidas, que serão esvaziadas diariamente. Ao final do período de adaptação, os animais serão novamente pesados após jejum de 14 horas. Em seguida, seis animais de cada um dos grupos genéticos receberão a mesma dieta do período de adaptação, nos seguintes níveis de oferta: ad libitum, 75 e 63 g de ração/kg de peso metabólico. Para o cálculo do nível oferecido ad libitum, será considerado, para cada indivíduo, o consumo médio dos últimos sete dias do período de adaptação. Os animais receberão essa quantidade de ração durante cinco dias, sendo a ração amostrada diariamente. Durante esse período, serão recolhidas, pesadas e armazenadas todas as sobras que possam ocorrer. Também serão recolhidas, pesadas e amostradas (10% do total produzido) as fezes produzidas por cada animal do segundo até o sexto dia do período experimental. Ao final, as amostras de alimento oferecido, das sobras e das fezes serão compostas por indivíduo e analisadas quanto aos teores de matéria seca, proteína bruta, extrato etéreo, minerais, fibra em detergente neutro e fibra em detergente ácido, conforme metodologia do AOAC (2005). A digestibilidade de cada uma das frações nutritivas será calculada em porcentagem considerando-se a quantidade retida pela quantidade ingerida. Os resultados serão analisados estatisticamente considerando-se um delineamento inteiramente casualizado com 7 grupos genéticos, 3 níveis de ingestão e a interação entre os fatores, com 6 repetições, em modelo misto.

Ver detalhes do projeto

  Wignez Henrique      IZ

IMPLANTAÇÃO DE UNIDADE DE OBSERVAÇÃO COM DIVERSOS CULTIVARES DE DENDÊ E MACAÚBA EM PINDORAMA, SP

n° SGP 1162

 Implantação de Unidade de Observação para avaliação do desenvolvimento de doze cultivares de dendê/palma de óleo e dois cultivares de macaúba.
O experimento será conduzido no Polo Regional Centro Norte, vinculado a Agência Paulista de Tecnologia do Agronegócio-APTA, localizado no município de Pindorama, SP. A área experimental tem solo caracterizado como argissolo eutrófico, considerado profundo, com horizonte A arenoso e horizonte B textural com alta fertilidade e topografia plana.
O delineamento experimental será em blocos ao acaso com 14 tratamentos (12 cultivares de dendê/palma de óleo e 2 de cultivares de macaúba) e 6 repetições, totalizando 84 parcelas contendo de 8 a 10 plantas cada. 
As mudas de dendê/palma de óleo serão provenientes de sementes pré germinadas, doadas pela Embrapa e pela ASD da Costa Rica. Estas foram formadas no viveiro de mudas do Polo Regional Centro Norte.
As mudas de macaúba serão fornecidas pela FERTIBOM, sendo um cultivar proveniente do estado de São Paulo e o outro de Minas Gerais.
O preparo do solo será realizado por meio de uma gradagem com grade aradora e duas gradagens com niveladora. Em seguida serão feitos os sulcos para marcação das linhas de plantio na distância de 6,10m cada, acompanhando-se as curvas de nível do terreno. As covas serão marcadas nas linhas a distância de 7,00m cada e serão abertas nas dimensões de 0,60m de diâmetro por 0,60m de profundidade, com broca do tipo rosca sem fim acoplada ao trator MF 275 e acionada através de tomada de força.
A correção do solo será realizada na cova de plantio através da mistura 2kg de calcário dolomítico ao solo retirado de cada uma. Para adubação de plantio será aplicado 1,5kg de superfofato simples granulado por cova.
Antes de serem levadas para o campo as mudas serão selecionadas e padronizadas, passando por um toalete para limpeza de folhas secas.
Após o sorteio da posição de cada parcela nos blocos, as mudas serão transportadas e posicionadas próximo às sua respectiva cova. Em seguida será retirada da sacola plástica, plantada na cova e irrigada até o seu pegamento.
Avaliações:
Serão avaliados nos três primeiros anos: 
. Desenvolvimento: altura de plantas, diâmetro do caule, inflorescência das plantas precoces, se houver; 
. Sanidade: ocorrência de pragas e doenças fungicas das palmáceas, principalmente aquelas introduzidas.

Ver detalhes do projeto

  Everton Luis Finoto      Apta Regional / IAC
  Sobre

O SGP (Sistema de Gestão de Pesquisa) foi implementado em todas as unidades APTA, para centralizar o controle de todos os projetos desenvolvidos sob sua supervisão. [Ler mais]

Endereço APTA – São Paulo

Praça Ramos de Azevedo, 254, 2º andar - República, São Paulo - SP

Fone : (11) 5067-0447 e 5067-0427

  Endereço APTA – Campinas

Avenida Barão de Itapura, 1481 - Botafogo, Campinas - SP

Fone : (19) 2137-8930