Projetos APTA em todas as unidades, todos os centros

Página Inicial / Busca de Projetos

846 projetos ativos encontrados - pág. 17 de 29

EMBRIÕES DE SISTEMAS LOCAIS DE PRODUÇÃO AGRÍCOLA: MAPEAMENTO, CARACTERIZAÇÃO E A INTERAÇÃO ENTRE AS FONTES DE INOVAÇÃO

n° SGP 792

Esta proposta objetiva estudar a distribuição e concentração da produção agrícola no Estado de São Paulo, com ênfase para a região Oeste, identificar aglomerações produtivas, delimitá-las geograficamente, e classificá-las em função de sua relevância regional e setorial. Apoiado por fontes primárias e secundárias, serão investigadas as vantagens comparativas que propiciaram o surgimento de “embriões de sistemas locais de produção” em regiões de menor desenvolvimento econômico, assim como o papel, atuação e relação entre atores do aparato institucional de CT&I e agentes de produção agrícola para observar a ocorrência de interação entre essas fontes de inovação. Para tanto, a especialização e a concentração da produção agrícola nas microrregiões serão avaliadas, respectivamente, por meio do cálculo do Quociente Locacional (QL) e do Gini Locacional (GL) de produtos agrícolas utilizando-se variáveis relacionadas ao valor da produção nas 65 microrregiões do estado, sendo os resultados classificados em tipologia adaptada de estudos em economia industrial para identificação de Embriões de Sistemas Locais de Produção Agrícola. A caracterização desses sistemas, será realizada mediante levantamentos sobre a estrutura de produção e CT&I agrícola a partir de consulta a dados secundários, realização de 18 entrevistas, e aplicação de 180 questionários estruturados em 03 microrregiões geográficas localizadas no oeste e extremo oeste do estado. A análise dos resultados será realizada com a utilização de técnicas descritivas, de estatística multivariada, e de análise qualitativa.

Ver detalhes do projeto

  Ricardo Firetti      Apta Regional / IEA

Mercado de cerveja artesanal em Presidente Prudente: caracterização de produtos, concorrência, preferências e percepção de consumidores

n° SGP 791

Esta proposta de pesquisa tem a finalidade de subsidiar com informações estratégicas a tomada de decisões de novos empreendedores do segmento de bebidas diferenciadas, ênfase às cervejas especiais e artesanais, quanto a aspectos fabris e mercadológicos. Para tanto, dois tipos de cerveja artesanal serão caracterizados comparativamente a produtos comerciais utilizando parâmetros físicos e químicos específicos, e, posteriormente, submetidos à análise sensorial por um grupo de provadores não especializados, mas com hábito de consumo de cervejas. Paralelamente, serão avaliados itens do composto mercadológico (produto, preço, ponto, promoção) de concorrentes comercializados no município de Presidente Prudente; e identificadas as opiniões de consumidores utilizando levantamento de dados originais e técnicas de preferência declarada. Colaboram com esta pesquisa: Caio Russo Dutra Rodrigues (FC Brew); Ana Lúcia Luz Alberti (PRDTA-AS/DDD-APTA); Marilice Zundt (FACAPP-UNOESTE); José Luiz de Lima Astolphi (FACAPP-UNOESTE); Edval Pereira dos Santos (PRDTA-AS/DDD-APTA); Edson Pereira (PRDTA-AS/DDD-APTA).

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Ver detalhes do projeto

  Ricardo Firetti      Apta Regional / IEA

Avaliação de características de carcaça obtidas por ultrassonografia em bovinos Caracu selecionados para ganho de peso

n° SGP 788

Músculos, gordura, ossos e tecido conectivo são os principais componentes da carcaça bovina. A indústria necessita de uma quantidade mínima de músculo para maximizar o processo de abate, determinada gordura de cobertura para preservar a qualidade da carne, além de gordura intramuscular, que confere maciez durante a mastigação. Entretanto, como a seleção para maior crescimento aumenta peso e altura em todas as idades, e a deposição de gordura inicia-se após o crescimento muscular ter cessado, estas características podem ser antagônicas. Atualmente, a ultra-sonografia é usada para predizer acuradamente área do olho do lombo (AOL), espessura de gordura de cobertura na costela (EGC) e na garupa (EGP8), e gordura intramuscular (PGI) de bovinos. Os objetivos do projeto são: a) estimar os efeitos que influenciam a AOL, EGC, e EGP8 obtidas em animaisCaracu, aos 12 meses nos machos e aos 18 meses nas fêmeas; b) estimar correlação fenotípica e genética entre as medidas de carcaça de machos e fêmeas e peso do nascimento até a seleção, altura, perímetro escrotal e perímetro torácico.

Ver detalhes do projeto

  MARIA EUGENIA ZERLOTTI MERCADANTE      IZ

Estimativas de parâmetros genéticos de características de eficiência alimentar, correlações genéticas com outras características de importância econômica e expectativa de mudança genética em bovinos Nelore

n° SGP 787

A capacidade do animal de utilizar menos recursos e produzir mais unidade de produto, ou seja, a capacidade de expressar eficiência de produção é resultado de seu material genético e dos efeitos permanentes do ambiente sobre o seu desempenho. Portanto, a exploração do material genético de animais mais eficientes em nível de efeitos aditivos dos genes por meio do melhoramento genético pode ser uma das maneiras mais eficientes de enquadrar a produção de alimentos de origem animal nos padrões exigidos pelos conceitos de sustentabilidade. Para alcançar níveis satisfatórios de eficiência do animal pela seleção devem ser estabelecidos os critérios que melhor atendam ao objetivo proposto. Em bovinos de corte, algumas características de eficiência são amplamente conhecidas e estudadas há vários anos, como as que relacionam o consumo de alimentos, principal recurso utilizado, com a massa ou o ganho de massa corporal dos animais. Dentre as características, estão: a Conversão Alimentar, representada pela razão direta entre o Consumo de Matéria Seca (CMS) e o Ganho Médio Diário (GMD); sua inversa, a Eficiência Alimentar (EA); a Eficiência Parcial de Crescimento (EPC), razão entre o GMD e a diferença entre o CMS observado e o estimado para mantença através de tabelas padrão com esta finalidade; a Taxa de Crescimento Relativo (TCR), razão entre o logaritmo da diferença do peso final e inicial, e os dias em confinamento; a Taxa de Kleiber, razão entre o GMD e o Peso Vivo Metabólico (PV0,75); o Consumo Alimentar Residual (CAR), diferença entre o CMS observado e o estimado a partir do GMD e PV0,75; o GR, diferença entre o GMD observado e o estimado a partir do CMS e PV0,75; e o Consumo e Ganho Residual (CGR), soma do GR com o CAR multiplicado por menos um para tornar o positivo favorável. Os objetivos deste projeto são: a) estimar os parâmetros genéticos das características que representam a eficiência alimentar em bovinos de corte; b) estimar as respostas diretas e as respostas correlacionadas em CMS e GMD, na seleção para essas características; c) verificar o efeito da seleção para crescimento do rebanho Nelore experimental do Instituto de Zootecnia (IZ) sobre as características de eficiência; d) verificar a utilização de diferentes modelos de avaliação genética de CMS e GMD a fim de determinar estimativas mais acuradas; e) estabelecer o tempo ótimo de avaliação destas características em testes de desempenho e estudar sua variabilidade genética ao longo do teste; e f) avaliar as correlações genéticas entre as características de eficiência alimentar e outras de importância econômica já selecionadas em rebanhos brasileiros, como crescimento, reprodução e carcaça avaliada por ultrassonografia. Serão utilizadas as informações já existentes de 609 bovinos Nelore, machos e fêmeas, pertencentes aos rebanhos Controle, Seleção e Tradicional do Centro APTA Bovinos de Corte (IZ), nascidos entre 2004 e 2010 e de mais 350 animais nascidos em 2011 e 2013. Os testes de desempenho foram realizados após a desmama com duração entre 56 e 112 dias, após período de adaptação à dieta em confinamento. As estimativas de parâmetros genéticos serão obtidas por REML com modelo animal uni e multicaracterística envolvendo as medidas de entrada e saída, CMS e GMD, respectivamente e as características indicadoras de eficiência alimentar. Modelos de regressão aleatória também serão empregados nas características de consumo e crescimento animal ao longo do teste de desempenho. Posteriormente, serão estimadas correlações genéticas entre as medidas de eficiência alimentar melhor avaliadas anteriormente e características de crescimento, reprodução e carcaça. Com o desenvolvimento desse projeto espera-se obter maiores conhecimentos a respeito das melhores características indicadoras de eficiência alimentar a serem implementadas em programas de melhoramento genético de Nelore no Brasil, do ponto de vista de seleção, das estratégias de utilização destas características em programas de melhoramento e das suas consequências em um contexto de produção animal sustentável.

Ver detalhes do projeto

  MARIA EUGENIA ZERLOTTI MERCADANTE      IZ

Sistemas de Integração Lavoura e Pecuária na Recria de Bovinos de Corte

n° SGP 786

 A pesquisa agropecuária brasileira, assim como em todo o mundo, em décadas passadas, desenvolveu-se sobre um sistema convencional de manejo de solo, de culturas e de pastagens, separadamente. O desenvolvimento tecnológico que permitiu o grande avanço no setor do agronegócio brasileiro, tornando o Brasil um dos países mais competitivos no mercado internacional deu-se, principalmente, sobre esses sistemas. Sistemas de plantio direto em lavouras tiveram seu grande crescimento na década passada e a integração lavoura e pecuária (ILP) apenas em anos mais recentes. O objetivo deste projeto é o de avaliar diferentes modelos de sistemas de integração lavoura e pecuária, utilizando o sistema de plantio direto, no ambiente do produtor de bovinos de corte, com a finalidade de gerar informações para recuperar áreas com pastagens degradadas e colaborar no desenvolvimento de processos que possam promover sistemas produtivos sustentáveis. Este projeto tem o formato de um projeto temático, envolvendo diversas áreas de atuação, tendo como foco principal as demandas da cadeia produtiva da carne bovina. O experimento será conduzido na Unidade de Pesquisa e Desenvolvimento de São José do Rio Preto, no Pólo Regional Centro-Norte, coordenado pelo Departamento de Descentralização do Desenvolvimento da Agência Paulista de Tecnologia dos Agronegócios (APTA).Para a avaliação dos sistemas ILP será utilizada uma área de 26 ha, formada com Brachiaria decumbens a mais de 15 anos, dividida de acordo com o delineamento estatístico de blocos ao acaso, com 6 tratamentos e 4 repetições, tendo como tratamentos: (T1) Pasto remanescente, com manutenção do manejo anterior; (T2) Pasto remanescente com exploração intensiva, reformado e adubado na primavera-verão, sem adoção de lavoura na reforma; Sistemas de manejo com integração lavoura/pecuária sempre com pastagem no outono/inverno sendo: (T3) lavoura de milho no verão seguida de um ano de pastagem no verão (lavoura a cada dois anos); (T4) lavoura de milho no verão seguida de dois anos de pastagem no verão (lavoura a cada três anos); (T5) lavoura de milho no verão em dois anos consecutivos, seguidas de um ano de pastagem no verão; (T6) lavoura de milho no verão em dois anos consecutivos seguidas de dois anos de pastagem. Nos primeiros anos de sua execução, este projeto contou com a contribuição da Fundação Agrisus, Bellman Nutrição Animal Ltda e Finep. 

Ver detalhes do projeto

  Roberto Molinari Peres      Apta Regional / IZ

Estudo da variabilidade de Phaeosphaeria maydis, agente causal de mancha foliar do milho

n° SGP 783

A mancha de Phaeosphaeria ou mancha branca do milho é uma das principais doenças da cultura. Apresenta grande importância econômica no Brasil, pois tem causado expressiva redução da produtividade da cultura pela elevada severidade com que pode ocorrer. Estudos recentes mostram que esta doença causa danos à produtividade ao redor de 20% quando as plantas, no estádio de grãos pastosos, atingem 10% de área foliar afetada, sendo relatados danos de até 60%. Com a produtividade média atual da cultura chegando ao patamar de 5.000 kg/ha na região Centro-Sul do Brasil, que abrange os principais estados produtores de milho, danos de 1.000 kg/ha são comuns e acarretam grandes prejuízos aos agricultores e elevada redução na oferta de grãos do país.

Há controvérsias sobre a nomenclatura mais adequada para o fungo Phaeosphaeria maydis, agente causal desta doença, sendo relatado também como Metasphaeria maydis. A forma imperfeita deste patógeno, do mesmo modo, vem sendo relatada como Phylosticta sp. por alguns autores e Phoma maydis por outros.

Embora seja considerado pela literatura mundial como patógeno unicamente do milho, ainda vem sendo observada semelhança morfológica de suas estruturas reprodutivas e da expressão dos sintomas com os de Leptosphaeria sacchari em cana-de-açúcar. Devido à recente reclassificação das espécies de Phoma, baseada em critérios moleculares, fazem-se necessários mais estudos para confirmar os indícios observados.

Além disso, o controle químico desta doença tem perdido gradativamente a eficácia, sobretudo nas regiões onde o uso de fungicidas é mais intensivo. Vários estudos já constataram perda da eficácia de misturas de estrobilurinas e triazóis para o controle desta doença em diversas regiões brasileiras, pela ocorrência de isolados com baixa sensibilidade à estrobilurina.

Objetivos

Realizar a caracterização de isolados do fungo Phaeosphaeria maydis para verificar a nomenclatura mais adequada atualmente, através de métodos culturais, de patogenicidade e moleculares.

Averiguar, nos isolados, associações entre ocorrência de mutações e menor sensibilidade às estrobilurinas.

Metodologia

Realizar estudos de crescimento e esporulação in vitro e testes de patogenicidade de isolados do fungo coletados de milho e cana e também sequenciamento da região ITS dos isolados, em colaboração com o Laboratório de Bioquímica Fitopatológica do IB/APTA e comparar com sequências depositadas no GenBank, para confirmar sua correta nomenclatura.

Verificar, através do sequenciamento de DNA, ocorrência de mutações nas posições 143, 137 e 129 no citocromo b mitocondrial do fungo, as quais são alvos comuns de fungicidas do grupo químico das estrobilurinas em fungos, acarretando resistência elevada a parcial nos isolados menos sensíveis.

Divulgação dos resultados

Os resultados serão divulgados através de trabalhos em congressos e artigos científicos.

Ver detalhes do projeto

  GISÈLE MARIA FANTIN      IB

Controle químico de doenças foliares do milho

n° SGP 782

Os danos causados pelas doenças do milho no Brasil tornaram-se mais evidentes e significativos a partir do começo deste século, com o aumento expressivo da produtividade da cultura. Em função disto, e da maior disponibilidade de fungicidas, intensificou-se muito o seu uso na última década. Em meados de 2005 havia apenas seis fungicidas registrados para o milho; hoje existem cerca de 60 produtos para controle de doenças nesta cultura.

Por outro lado, há, comumente, pouca precisão das informações sobre o nível do dano à produtividade causado quando as diferentes doenças ocorrem com maior ou menor intensidade. É essencial conhecer o dano causado pelas doenças para o planejamento da adequada utilização de medidas de controle.

Informações sobre os danos causados pelas doenças auxiliam a determinar o limiar de dano econômico e a definir a necessidade de aplicação de fungicidas, complementando o controle dado pela resistência e/ou tolerância dos híbridos.

Estudos anteriores têm demonstrado que os híbridos que apresentam aumento significativo na produtividade com a aplicação de fungicidas, sob ocorrência de doenças foliares, não são necessariamente aqueles com maiores severidades de doenças, exceto para os valores extremos, ou seja, severidades muito altas ou muito baixas implicaram em respostas na produtividade positivas ou nulas, respectivamente. Há híbridos transgênicos suscetíveis com resposta na produtividade variando de alta a nula e também há híbridos com resistência moderada que respondem ou não em produtividade ao uso do fungicida.

Pela grande diversidade de interações observadas, evidencia-se a importância de conhecer cada cultivar quanto sua resposta à produtividade antes de se indicar a aplicação de fungicidas, e, pelo grande dinamismo do lançamento de híbridos de milho, tornam-se necessários estudos constantes para se conhecer a resposta individual das novas cultivares.

Desta forma, estudos com controle químico de grande número de cultivares permitem conhecer as particularidades de cada material, indicando a ocorrência ou não de interações em relação a outros híbridos e se, para determinado cultivar há maior, menor ou não há necessidade de complementação da resistência/tolerância com o uso de fungicidas para se obter um controle efetivo, lucrativo e racional.

Objetivos

Este trabalho, portanto, tem como objetivo fornecer informações sobre a eficácia do controle químico de doenças e a resposta em produtividade de grande número de cultivares transgênicas, conhecendo a resistência e também a tolerância destas às principais doenças de ocorrência natural.

Metodologia

Em ensaios com cerca de 30 a 40 cultivares de milho transgênicas, conduzidos na região paulista do Médio Vale do Paranapanema, sob a coordenação do IAC/APTA, serão realizados tratamentos com e sem fungicida, utilizando preferencialmente misturas de estrobilurina + triazol ou estrobilurina + carboxamida.

Será realizada uma única aplicação dos produtos, via trator, quando as plantas se encontrarem no estádio de 8 a 10 folhas (última entrada do trator), ou duas, sendo a segunda imediatamente antes do pendoamento, dependendo das doenças predominantes e do desenvolvimento destas nos ensaios.

Quantificações sequenciais da severidade das doenças de ocorrência natural serão feitas com intervalos de duas a três semanas e obtida a área abaixo da curva de progresso de cada uma delas, em cada híbrido, a qual será correlacionada à sua produtividade.

Divulgação dos resultados

Os resultados serão divulgados anualmente através de palestras a produtores rurais para auxiliar a tomada de decisão sobre o uso de fungicidas em função do cultivar e do ambiente. Serão também publicados em site na internet, apresentados em congressos e divulgados em revistas técnicas e científicas.

Ver detalhes do projeto

  GISÈLE MARIA FANTIN      IB

Avaliação e melhoramento do milho safrinha visando maior resistência a doenças

n° SGP 780

A cultura do milho ocupa grande parte da área agricultável de nosso país, com uma produção anual, nas últimas safras, acima de 80 milhões de toneladas, sendo crescente a proporção da safrinha de milho, que já tem atingido ao redor de 65% do montante total. O Estado de São Paulo é o segundo maior produtor da região sudeste, onde também está se intensificando a cultura do milho safrinha em relação à safra.

Entre os principais fatores de redução de produtividade da cultura do milho, estão as doenças. A medida básica e essencial para o adequado controle destas é o uso de cultivares com maior resistência, pois o milho apresenta grande variabilidade genética. À esta podem ser associadas medidas complementares, para compor o manejo integrado. A resistência, além de não apresentar custo adicional ao agricultor, não causar impacto ambiental, é inócua à saúde humana e animal.

O Estado de São Paulo, por estar localizado no centro da região produtora de milho do país e abranger áreas de transição climática entre as regiões centro-oeste, sudeste e sul, apresenta regiões com condições muito diversas de clima e também de altitude, de forma que, neste estado, é favorecida a ocorrência da maioria das principais doenças do país.

Quanto às cultivares de milho, o lançamento de novos híbridos pelas empresas de sementes é muito dinâmico. Um híbrido permanece comercial, em geral, por cerca de 3 a 5 anos. Existem atualmente, na safra 2015, 478 cultivares de milho disponíveis no mercado de sementes do Brasil, onde 292 cultivares são transgênicas e 186 convencionais, sendo crescente o número das transgênicas no decorrer dos últimos anos.

Objetivos

Este trabalho tem, portanto, como objetivo monitorar a ocorrência de novas doenças do milho e flutuações da severidade destas nos diferentes anos e locais, além de avaliar a resistência de híbridos experimentais em ensaios de melhoramento e também de grande número de híbridos comerciais, em ensaios de competição de cultivares de milho safrinha, conduzidos nas principais regiões produtoras do Estado de São Paulo.

Metodologia

Será avaliada a severidade de doenças em cerca de 60 cultivares de milho, agrupadas em três tipos de ensaios: com híbridos convencionais, transgênicos e transgênicos superprecoces. Cada ensaio será conduzido em 10 a 15 municípios das regiões do Vale do Paranapanema, Norte, Noroeste e Sul, sob a coordenação do IAC/APTA.

Será obtida a resistência das cultivares e correlacionada com a produtividade para estimar o dano causado pelas doenças e a necessidade de manejo complementar.

Divulgação dos resultados

Os resultados sobre a resistência dos cultivares serão divulgados através de palestras a produtores rurais em tempo hábil para a posse destas informações antes da aquisição de sementes para a próxima safra. Serão também publicados em site na internet e revistas técnicas e científicas.

Ver detalhes do projeto

  GISÈLE MARIA FANTIN      IB

ADUBAÇÃO COM SILÍCIO EM CANA-DE-AÇÚCAR E A TOLERÂNCIA AO ESTRESSE HÍDRICO:EFEITO NO SOLO, NA SUA ABSORÇÃO E NOS PARÂMETROS BIOMÉTRICOS, FISIOLÓGICOS E BIOQUÍMICOS

n° SGP 779

Escassas são as informações sobre os efeitos do Si na redução dos efeitos do déficit hídrico em cana-de-açúcar. Assim,serão instalados quatro experimentos em vasos contendo solo com baixo teor de Si. Esses experimentos serão conduzidos sob condições controladas, sendo avaliados os efeitos do Si em variedades tolerantes e susceptíveis de cana-de-açúcar submetidas ao déficit hídrico por meio de atributos biométricos, fisiológicos e bioquímicos. Os resultados obtidos poderão auxiliar na melhoria da compreensão dos efeitos benéficos da adubação com Si nessa cultura, propiciando um melhor manejo. Aliado a isso, será importante para a capacitação da equipe pois envolverá aluno de iniciação científica ou mestrado.

Ver detalhes do projeto

  Mônica Sartori de Camargo      Apta Regional / IAC

Avaliação de clones de seringueira na região de Pontes Gestal/SP.

n° SGP 776

 No Brasil, a história da produção da borracha vegetal mostra que o país desfrutou da condição de principal produtor e exportador mundial até a metade do século passado, tornando-se importador desta matéria-prima a partir de 1951. Ressalta-se também que, em 2007, a produção brasileira, segundo o IRSG (2008a), foi estimada em 108 mil toneladas para um consumo de 327,2 mil toneladas (IRSG, 2008b), do qual cerca de menos de 5% da borracha produzida no país foi proveniente de seringais nativos.
Para um país que possui em relação aos demais produtores, área incomparavelmente maior para o plantio de seringueira, o déficit de produção significa, no mínimo, descaso com um produto estratégico e de tão relevante valor econômico-social. Particularizando as áreas de escape, só o Estado de São Paulo possui 14 milhões de hectares aptos à heveicultura e, desse total, cerca de 45 mil hectares estavam ocupados com seringueiras em 2006 (Sampaio Filho, et al., 2006), o que confere ao Estado a condição de primeiro produtor de borracha natural do Brasil, com uma produção estimada, em 2004, de 48 mil toneladas, o que representa 53% da produção nacional (IBGE 2005). Porém, a implantação da cultura da seringueira exige um alto investimento, sendo que seu retorno começa a ocorrer 6 a 7 anos após a implantação da cultura, quando, no processo convencional, o seringal entra em processo de exploração comercial (sangria). Dessa forma, o presente projeto tem por objetivo a utilização de novas técnicas e novos clones de seringueira que usados conjuntamente garantam uma redução do período de maturidade da cultura, o que resultaria em retorno antecipado do investimento e da produção, maior homogeneidade de produção, indicação de novos materiais e inovações tecnológicas para cultura.

Ver detalhes do projeto

  Elaine Cristine Piffer Gonçalves      Apta Regional / IAC

Características do trato genital e qualidade ovocitária de vacas Nelore longevas

n° SGP 774

Nos bovinos, existe uma lacuna de informação sobre como a senilidade afeta a fisiologia reprodutiva e a qualidade dos gametas. O maior entrave na realização de estudos sobre a influencia da idade na reprodução dos bovinos deriva da  dificuldade de encontrar material experimental adequado, visto que as fazendas comercias descartam seus animais antes de atingir 14 anos. Alguns criadores conservam animais senis por motivos de estimação ou interesse econômico, sendo muitos deles destinados à produção de embriões por meio de superovulação e coleta de embriões ou, mais frequentemente, coleta de  oócitos, fecundação e desenvolvimento in vitro (FIV).  Excepcionalmente, instituições de pesquisa em produção animal, como a APTA, conservam essa categoria de animais como estoque de material genético ou como residuo de programas de melhoramento. Considerando que muitos desses animais encontram-se ainda ciclando e produzindo, os mesmos são um material valioso para realizar estudos sobre a influencia da idade na fisiologia reprodutiva e na viabilidade de gametas e embriões. A presente propsota objetiva:

-           Caracterizar a condição ovariana e uterina de vacas longevas Bos taurus indicus

-           Estabelecer a população folicular e a qualidade ovocitária de vacas longevas Bos taurus indicus

-           Caracterizar a composição proteica e expressão genica do útero, liquido folicular e ovocitos

-           Avaliar se a longevidade resulta em aumento da incidência de anomalias cromossômicas dos descendentes

Ver detalhes do projeto

  Rafael Herrera Alvarez      Apta Regional / IZ

AVALIAÇÃO DE GENÓTIPOS DE BANANEIRA (Musa sp.)

n° SGP 773
A banana é uma das frutas mais consumidas no mundo. No Brasil é produzida em todos os estados. A demanda pela fruta é muito grande, tanto para o consumo in natura, como para a agroindústria. Apesar de existirem inúmeros tipos de bananeiras, um número muito reduzido é plantado comercialmente. É fundamental o estudo de novos genótipos para aumentar a lista de recomendações para os bananicultores. Para que este processo seja efetivo, os campos de avaliações regionais são imprescindíveis, pois demonstra a adaptabilidade do material genético às condições de clima, solo e manejo do local. Neste trabalho pretende-se avaliar 8 genótipos de bananeiras (FHIA 17, FHIA 18, Thap Maeo, Princesa, Platina, TM 2803, PC 0101 e PA 9401) nos municípios de Lupércio e Palmital, no Estado de São Paulo. As duas regiões apresentam características distintas, tanto em termos de solo como de clima. Serão avaliados altura das plantas quando da emissão da inflorescência (m), circunferência do pseudocaule (cm), número de folhas vivas na floração e na colheita, número de dias para emissão da inflorescência, número de dias de formação do cacho, massa do cacho (kg) e, número de pencas por cacho. Durante todo o processo de avaliação, a incidência de pragas e doenças será monitorada. Também serão registrados os dados meteorológicos de cada local. Ao final das avaliações espera-se selecionar ao menos um genótipo potencial para ser incorporado às recomendações regionais de modo a ampliar as opções dos produtores rurais. Além disso, será realizada a apresentação dos resultados na forma de dias de campo e publicações técnicas e científicas.
Ver detalhes do projeto

  Adriana Novais Martins      Apta Regional / IAC

Produção de parte aérea de mandioca em sistema de cultivo adensado.

n° SGP 762

 Mandioca cultivada especificamente para produção de parte aérea para utilização como volumoso para ruminantes com plantio adensado vêm ganhando destaque em alguns estados brasileiros do Nordeste e Centro Oeste onde o principal objetivo da exploração é a produção de forragem de qualidade para vacas de leite, com resultados na produtividade e no maior aproveitamento da área. No entanto, estudos efetuados com a mandioca nesse sistema de cultivo ainda são escassos e insuficientes. Assim, será conduzido um experimento para avaliar o potencial de produção de matéria verde e seca da parte aérea de três cultivares de mandioca em quatro densidades de plantio e três épocas de corte na região do Médio Paranapanema. Os cultivares avaliados serão o IAC 12; o IAC 14 e o IAC 90, plantados a 5 cm de profundidade, com manivas de 20 cm de comprimento com densidades de 74.074; 37.037 e 22.220 plantas.ha-1. A parte aérea será colhida a 20 cm do solo nem três épocas distintas: segunda quinzena de janeiro; primeira quinzena de março e segunda quinzena de abril, ou seja, aos 7; 9 e 11 meses após plantio, em três anos consecutivos. O delineamento experimental utilizado será o de blocos ao acaso, com quatro repetições. Os parâmetros avaliados serão o número médio de hastes por planta, altura de planta, altura de primeira ramificação e diâmetro de hastes, a 10 cm do solo e serão realizadas análises químico-bromatológicas de proteína bruta (PB), extrato etéreo (EE), cinzas (MM) e lignina (LIG) de acordo com Silva e Queiróz (2004) e determinação da fibra em detergente neutro (FDN) e fibra em detergente ácido (FDA), além dos teores de cianeto.

Ver detalhes do projeto

  Márcia Marise de Freitas Cação Rodrigues      Apta Regional / IAC

Avaliação da ocorrência de anticorpos anti Toxoplasma gondii em suínos abatidos em matadouros no estado de São Paulo

n° SGP 761

A toxoplasmose é  uma das zoonoses mais difundidas no mundo. No Brasil o agente ainda é encontrado em animais de produção dentre eles a espécie suína causando abortamento. A transmissão para o homem se dá através de alimentos e água contaminados com oocistos do T. gondii. A abrangência geográfica deste projeto são os principais municípios do estado de São Paulo onde esta cadeia está fortemente presente e com matadouros oficiais: Boituva, Holambra, Piracicaba e São José dos Campos. Nas amostras analisadas este ano houve uma diminuição da frequência de animais positivos (11/350). Foram analisadas amostras de animais oriundos de granjas tecnificadas (0/200) onde não se observou nenhum animal reagente e de matadouro 11/150) a frequência de 7,3%provavelmento porque ainda são abatidos animais oriundos de granjas com baixo controle sanitário. A qualidade do alimento produzidos nesta condição e a redução de perda na criação promovem um impacto social e econômico positivo principalmente pelo aumento da produção de proteína animal de alta qualidade.

A toxoplasmose é  uma das zoonoses mais difundidas no mundo. No Brasil o agente ainda é encontrado em animais de produção dentre eles a espécie suína causando abortamento. A transmissão para o homem se dá através de alimentos e água contaminados com oocistos do T. gondii. A abrangência geográfica deste projeto são os principais municípios do estado de São Paulo onde esta cadeia está fortemente presente e com matadouros oficiais: Boituva, Holambra, Piracicaba e São José dos Campos. Nas amostras analisadas este ano houve uma diminuição da frequência de animais positivos (11/350). Foram analisadas amostras de animais oriundos de granjas tecnificadas (0/200) onde não se observou nenhum animal reagente e de matadouro 11/150) a frequência de 7,3%provavelmento porque ainda são abatidos animais oriundos de granjas com baixo controle sanitário. A qualidade do alimento produzidos nesta condição e a redução de perda na criação promovem um impacto social e econômico positivo principalmente pelo aumento da produção de proteína animal de alta qualidade.

 

Ver detalhes do projeto

  Eliana Monteforte Cassaro Villalobos      IB

Arterite viral equina associada a abortamento em equinos

n° SGP 760

A arterite viral dos equinos é uma enfermidade infecciosa causada por um vírus do gênero Arterivirus, membro da família Arteriviridae. As manifestações clínicas da enfermidade apresentam uma variada combinação dos seguintes sintomas: febre de até 41°C; apatia, depressão e anorexia; leucopenia; edema da porção distal dos membros; secreção ocular e nasal; conjuntivite e rinite; edema da região periorbital ou supraorbital; edema do escroto e do prepúcio dos garanhões e de glândula mamária das éguas; e abortamento em éguas no terço final da gestação. Este agente possue distribuição mundial, e no Estado de São Paulo encontra-se amplamente disseminado na população equina. A manifestação clínica do abortamento equino causado por este vírus resulta em grandes perdas econômicas. Recentemente, diversas técnicas de reação em cadeia pela polimerase (PCR) têm sido estudadas com a finalidade de estabelecer um diagnóstico rápido (1 a 2 dias) e de elevada sensibilidade e especificidade. Para a realização deste estudo serão analisadas amostras provenientes de fetos equinos abortados, pela técnica de isolamento viral em cultivo celular e pela técnica de PCR para detecção do agente viral.

Ver detalhes do projeto

  Maria do Carmo Custodio de Souza Hunold Lara      IB

Avaliação do efeito de diferentes doses de nitrogênio na fase de formação do cafeeiro cv Obatã sob fertirrigação

n° SGP 757

A irrigação tem sido nos últimos 10 anos de grande importância para a garantia de produtividade nas mais diversas regiões cafeeiras. Tanto nas regiões tradicionais, como o sul de Minas Gerais e o Nordeste de São Paulo, como nas novas fronteiras cafeeiras,como o Triângulo Mineiro e Alto Paranaíba, a irrigação tem permitido a obtenção de excelentes resultados técnicos e econômicos. Cerca de 10% da cafeicultura nacional já é iirrigada, representando 21% da produção nacional de café, o que demonstra a superioridade das lavouras irrigadas em relação às de sequeiro, em especial pelos seguintes motivos: menor idade das lavouras, maior densidade de plantas e irrigação, permitindo uma maior segurança em anos de déficit hídrico mais pronunciado. Um dos grandes gargalos existentes na cafeicultura irrigada é o referente ao fornecimento de nutrientes via água de irrigação, técnica denominada fertirrigação. Se a irrigação já é novidade para grande parte dos produtores de café, a aplicação conjunta de fertilizantes na água de irrigação carece de muitos estudos, principalmente objetivando a definição de doses, épocas de aplicação, distribuição dos elementos no solo, lixiviação de nutrientes, fertirrigação orgânica e viabilidade econômica da prática. O presente estudo objetiva avaliar diferentes doses de nitrogênio aplicadas de forma convencional e em fertirrigação durante a fase de formação do cafeeiro e primeiras produções.

Ver detalhes do projeto

  Jane Maria de Carvalho Silveira      IAC

Caracterização de acessos de goiabeira para resistência a pragas e doenças e aptidão comercial para possibilidade de uso em sistema orgânico de produção

n° SGP 705

O Brasil é um dos maiores produtores mundiais de goiaba, com destaque para o estado de São Paulo. A goiaba é apreciada pelo seu aroma e sabor característico, além do alto valor alimentício. Os objetivos deste projeto são: avaliar o comportamento de acessos de goiaba conduzidos de maneira orgânica, com relação à resistência a pragas e doenças, desenvolvimento vegetativo, produção e características dos frutos; verificar a flutuação populacional de insetos praga na região em estudo. O experimento será desenvolvido na Apta Regional Centro Norte, em Pindorama – SP. Serão avaliados 86 acessos, com 15 anos de idade. Serão realizadas podas de frutificação. O monitoramento de pragas será realizado durante todo o período do experimento. Após as podas, serão avaliados os estádios fenológicos dos acessos de goiabeira, para caracterização dos mesmos. A colheita será realizada manualmente, no estádio “de vez”. A produção será calculada pela contagem do número de frutos por planta e pelo seu peso em kg. Nas plantas que não tiveram os frutos ensacados será avaliado o ataque de mosca-das-frutas. Para a avaliação das características físicas dos frutos, serão feitas as seguintes avaliações: massa do fruto; comprimento e largura do fruto; firmeza da polpa; coloração da casca de da polpa; número de sementes. Para a avaliação das características químicas dos frutos, serão realizadas as seguintes avaliações: sólidos solúveis (SS); acidez titulável (AT); pH; ratio; e ácido ascórbico. Será feita a caracterização das doenças pós-colheita dos frutos. Os dados serão analisados por análise de variância, segundo o modelo de blocos casualizados, e as médias comparadas pelo teste de Tukey, ao nível de 5% de probabilidade.

Ver detalhes do projeto

  Juliana Altafin Galli      Apta Regional / IAC

Produção e qualidade de batata-doce propagada por miniestaca em bandeja.

n° SGP 703

Tradicionalmente o mais utilizado no plantio da batata-doce são as ramas maduras ou velhas por ser mais econômica e fácil, porém com período alongado até a colheita e menor produtividade. Não é considerado o melhor sistema pelo alto risco de surgimento de doenças e pragas no novo cultivo, e menor desenvolvimento vegetativo que ramas novas (FILGUEIRA, 2008; PERESSIN; FELTRAN, 2014).

Visto que a implantação da cultura da batata-doce ocorre por meio do uso de material vegetativo, Brune, Silva e Franco (2006) relataram que o uso de segmentos de ramas não enraizados pode resultar em estande final inadequado. Neste aspecto, torna-se necessário o replantio quando ocorrer menos de 85% de ramas brotadas.

Na olericultura é comum a utilização de bandejas de poliestireno expandido em diversas espécies multiplicadas por sementes. A produção de mudas em bandejas favorece um controle maior dos tratos culturais às plântulas, visto que a atividade é desenvolvida sob ambiente protegido; além de proporcionar elevada taxa de sobrevivência após o transplante e maior uniformidade no campo (REGHIN et al., 2007; GOLLA, 2010).                   

A nova tecnologia, que utiliza ramas sadias, em especial sem viroses, pode resultar no dobro de produtividade e na redução do ciclo da cultura, como tem ocorrido em lavouras de batata-doce da região atendida pelo Polo Alta Sorocabana (MONTES, 2012; RÓS, 2014). Contudo, existem poucas pesquisas com a utilização de bandeja para a propagação vegetativa da batata-doce.

Diante do exposto, o objetivo do presente trabalho será avaliar a produção e a qualidade de batata doce proveniente da propagação de diferentes tipos de mudas em bandeja plástica.

Ver detalhes do projeto

  MAURÍCIO DOMINGUEZ NASSER      Apta Regional / IAC

Avaliação de cultivares de milho para silagem no Estado de São Paulo

n° SGP 694

O  objetivo deste trabalho é identificar as cultivares de milho adaptadas à produção de forragem para ensilagem em cinco localidades do Estado de São Paulo (Andradina, Mococa, Pindorama, Tatuí e Votuporanga), juntamente com o Departamento de Zootecnia da USP/ESALQ, com o apoio de Empresas de Pesquisa e Produção de Sementes e o IAC. Serão semeados 5 ensaios por ano no período de outubro a dezembro, em delineamento experimental de blocos ao acaso com 4 repetições, em parcelas de 4 linhas de 10 metros, 80 cm de espaçamento e população de 62.500 planta/ha. As adubações de semeadura e de cobertura serão feitas conforme a recomendo pelo Boletins técnicos do IAC nº 100 e 200. Quando necessário, efetuar-se-á o controle da lagarta-do-cartucho (Spodoptera frugiperda) mediante pulverizações com inseticida. A colheita para silagem será feita com teor e matéria seca (MS) das plantas inteiras entre 32 e 36%. Uma amostra de dez plantas por parcela será picada e seca em estufa para determinar o teor de matéria seca e, por meio do NIRS, o valor nutritivo da planta: proteína bruta, matéria mineral, extrato etéreo, fibra em detergente neutro, fibra em detergente ácido, proteína, amido e digestibilidade verdadeira in vitro da MS. Outras 10 plantas serão fracionadas e suas partes secas e quantificadas (colmo, espiga, grão). Efetuar-se-á análises individuais e conjuntas dos parâmetros agronômicos e de valor nutritivo. Com os dados de produção de massa seca por hectare e digestibilidade da MS obterá a produtividade de matéria seca digestível por hectare. Os dados obtidos serão divulgados em reunião de divulgação a ser divulgada, em artigos técnicos e científicos e também no site http://zeamays.hospedagemdesites.ws/silagem/

Ver detalhes do projeto

  Solidete de Fátima Paziani      Apta Regional / IAC

PÓS COLHEITA DE JABUTICABA

n° SGP 686

Como outras frutas tropicais, a jabuticaba apresenta curto período de comercialização após a colheita conseqüentemente, são necessários estudos sobre técnicas de conservação visando estender sua vida útil sem afetar a qualidade. Dessa forma, o  objetivo deste trabalho é avaliar o efeito de embalagens na qualidade pós-colheita e vida-útil de jabuticabas ‘Sabará’ durante o armazenamento sob refrigeração e à temperatura ambiente, visando prolongar seu período de armazenamento. Os frutos serão colhidos no estádio maduro, no pomar da APTA /UPD Tietê e transportados rapidamente para o Laboratório de Agregação de Valor da APTA/ Polo Regional Centro Sul / Piracicaba.  Os frutos selecionados serão lavados e submetidos ao tratamento com cloro na forma de DICLORO S-TRIAZINATRIONA SÓDICA DIIDRATADA (pó) e depois divididos em cinco lotes (frutos acondicionados em bandejas de polietileno plásticas não revestidas com filmes plásticos, que corresponde ao grupo controle; frutos acondicionados em saquinhos de polietileno, aberto; frutos acondicionados em saquinhos de polietileno, selados á vácuo; frutos em embalagens plásticas, com tampas perfuradas; frutos em bandejas de poliestireno, revestidas externamente com filme plástico de PVC esticável e autoaderente). E serão armazenados à temperatura de 11±1°C com 98%UR em câmara fria, e em condições ambiente (26,5 a 28,3°C, 53,7 a 68,3%UR). Serão realziadas as seguintes análises: perda de massa fresca; aparência e coloração visual; acidez total titulável (ATT); pH; ratio; vitamina C; Açúcares totais e redutores (%) e Fitopalógicas. O delineamento experimental utilizado será inteiramente casualizado,  fatorial 5 x 2 , com 3 repetiçoes. E as médias obtidas em cada tratamento serão comparadas com o valor inicial através do teste de Tukey, ao nível de 5% de probabilidade.

Ver detalhes do projeto

  Celina Maria Henrique      Apta Regional / IAC

Avaliação da eficiência agronômica da co-inoculação nos parâmetros de nodulação e componentes de produtividade de soja.

n° SGP 681

Em 2014, no Brasil foi confirmada a eficiência agronômica da co-inoculação de soja com bactérias do gênero Bradyrizobium nas sementes e Azospirillum brasilense no sulco de semeadura, em detrimento da tecnologia tradicional de inoculação e re-inoculação anual com somente Bradyrhizobium. Neste sentido, o presente projeto tem por objetivo avaliar a eficiência da co-inoculação utilizando formulação de produto em fase de teste contendo as diferentes bactérias já supracitadas, em diferentes doses e formas de aplicação (semente e sulco de semeadura). Para isso, serão instalados dois experimentos na safra 2015/2016, sendo um em campo e outro em casa-de-vegetação pertencente ao Polo Regional da Alta Mogiana, Colina-SP visando maior ratificação dos resultados.

Ver detalhes do projeto

  Ivana Marino Bárbaro Torneli      Apta Regional / IAC

Estudo da espécie Lithobates catesbeianus como organismo alternativo para testes teratogênicos

n° SGP 679

 O FETAX (Frog embryo teratogenesis assay – Xenopus) normatizado pela ASTM E 1439–98 (2012) é um bioensaio usado para determinar o potencial teratogênico de produtos químicos em embriões de Xenopus laevis. Embora tenha sido projetada para esta espécie, a norma permite o uso de espécies alternativas. O objetivo deste trabalho é adaptar o protocolo FETAX para Lithobates catesbeianus (espécie amplamente distribuída pelo Brasil). Com a padronização de protocolo específico para a espécie escolhida, o teste poderá ser implantado em outros laboratórios e instituições de pesquisa. Este ensaio pode ser uma excelente ferramenta na avaliação de produtos para fins regulatórios e no monitoramento de ambientes impactados. A primeira etapa visa aprimorar a técnica de indução à ovulação. 32 fêmeas, selecionadas previamente, serão divididas em quatro grupos para os seguintes tratamentos: apenas LHRHa, pimozida, risperidona e metoclopramida associados ao LHRHa. Posteriormente, o desenvolvimento dos ovos será avaliado, determinando o tempo de exposição e as faixas de sensibilidade à 6-aminonicotinamida (controle positivo indicada no protocolo), à ciclofosfamida e ao cloreto de sódio, seguindo recomendações da norma, adaptadas para a espécie. 

Ver detalhes do projeto

  Adriana Sacioto Marcantonio      Apta Regional / IP

SOROVARES DE Salmonella spp. ISOLADOS DE AMOSTRAS AVÍCOLAS NO INSTITUTO BIOLÓGICO, DESCALVADO, BRASIL

n° SGP 673

O presente trabalho pretende apresentar a predominância dos sorovares de Salmonella de amostras avícolas isoladas no Instituto Biológico de São Paulo, Brasil, desde 2005. Entre o período de 1997 a 2004, S.Enteritidis era o principal sorovar identificado em reprodutoras e em frangos de corte. S. Typhimurium era o 7o sorovar mais freqüente. Pelo fato dos surtos geralmente estarem associados a alimentos de origem avícola, o Ministério da Agricultura do Brasil instituiu o Programa Nacional de Sanidade Avícola, em 1994 (Brasil,1995), visando o controle e redução da ocorrência de salmonelas, dentre outras doenças aviárias. O Programa controla os sorovares considerados mais importantes para aves e/ou saúde pública: Enteritidis, Typhimurium, Gallinarum e Pullorum. Os dados apresentados no presente estudo poderão indicar se os programas de controle de Salmonella empregados no Brasil estão sendo eficazes.

Ver detalhes do projeto

  ANA MARIA IBA KANASHIRO      IB

Seleção de isolados e desenvolvimento de tecnologia de aplicação de Trichoderma spp. em sementes e substratos utilizados na produção de alface

n° SGP 670

A cultura da alface apresenta expressiva importância econômica por ser a folhosa mais consumida pelos brasileiros. A produção nacional é de 525.602 toneladas, sendo que o estado de São Paulo concentra 31% do total produzido.

Em função da folhosa ser consumida in natura, como a maioria das hortaliças, a aplicação de medidas de controle de doenças exige maiores cuidados, principalmente em relação ao uso de agrotóxicos. Neste contexto, o tratamento de mudas ou sementes com microrganismos benéficos tem despertado grande interesse por parte dos produtores, principalmente produtores orgânicos, além de proteger as plantas contra fitopatógenos, pode proporcionar uma melhor germinação das sementes, um maior desenvolvimento das mudas e, por consequência, o aumento na produção.

Segundo FILGUEIRA (2003), uma das principais etapas do sistema produtivo da alface é a produção de mudas de qualidade, pois delas depende o desempenho final das plantas no campo de produção, tanto do ponto de vista nutricional, quanto do tempo necessário à produção e, conseqüentemente, do número de ciclos produtivos possíveis por ano.

Portanto, o presente trabalho tem como objetivo avaliar o efeito da aplicação de isolados de Trichoderma spp., associados ou não a outras substâncias orgânicas e compostos, na germinação de sementes, no desenvolvimento de mudas, na produção e no controle biológico de fitopatógenos de solo.

Materiais e métodos

O ensaios serão conduzidos nas dependências do Laboratório de Bioquímica Fitopatológica/ Centro de Pesquisa e Desenvolvimento de Sanidade Vegetal/Instituto Biológico, em São Paulo-SP, e em propriedades orgânicas no Estado de São Paulo.

A aplicação dos isolados de Trichoderma spp. será realizada pela pulverização do substrato para produção de mudas e/ou pelo tratamento de sementes com as suspensões dos isolados (1x10 a 6-7 esporos.mL-1). Um número representativo das mudas será colhido, as raízes serão lavadas e as plantas secas em estufa à temperatura de 65 ºC ± 0,5, até atingir massa constante.  A avaliação será realizada pela medida da massa de matéria seca das plantas, um mês após a realização dos tratamentos no plantio das sementes. 

No ensaio de controle biológico de fitopatógenos de solo, o plantio das mudas ou sementes de alface tratadas com Trichoderma spp. será realizado em substrato para a produção de mudas infestado com o fitopatógeno de interesse. A avaliação será feita pela contagem do número de plântulas que sobreviveram ao patógeno.

Os isolados que mais se destacarem como promotores de crescimento de mudas em viveiro serão utilizados em ensaios de campo para avaliar o efeito na produtividade de alface.

 

Ver detalhes do projeto

  Cleusa Maria Mantovanello Lucon      IB

PERSISTÊNCIA E PRODUÇÃO DE MACROTILOMA COM CAPIM-MARANDU SUBMETIDOS A ESTRATÉGIAS DE ALTURA DE MANEJO INTERMITENTE COM BOVINOS

n° SGP 669

O presente experimento será conduzido com o  objetivo de avaliar as respostas de plantas em pastos formados pelo capim-marandu (Brachiaria brizantha cv. Marandu (Hochsct ex.A. Rich) Stapf.) com a leguminosa Macrotyloma axillare acesso NO 279, submetidos a alturas de entrada e saída dos animais em  regime de lotação intermitente com bovinos (fêmeas), utilizando a técnica de "mob-grazing", que será utilizada para a realização dos pastejos, empregando-se grupos de bovinos para desfolhações rápidas (duração de 4 a 20 horas), simulando um cenário de pastejo rotacionado. O experimento será realizado no Instituto de Zootecnia (IZ), em Nova Odessa/SP, no período de Maio de 2014 a Abril de 2016, em delineamento de blocos completos casualizados, com 4 repetições, em esquema fatorial 2 x 2. Os tratamentos corresponderão a combinação de duas frequências (alturas pré-pastejo de 25 e 35 cm) e duas severidades de desfolhação (alturas pós-pastejo de10 e 15 cm). Cada uma das 16 unidades experimentais será constituída de um piquete de 250 m2, totalizando aproximadamente 0,5 ha de área experimental, e mais 10 ha de área de pastagem a ser utilizada como reserva para os animais reguladores para manter as alturas impostas. A altura do dossel será monitorada com uso de bastão medidor duas vezes por semana. As variáveis avaliadas serão acúmulo de forragem, taxa de acúmulo de forragem, composição botânica da forragem coletada por cortes ao nível do solo em três pontos (0,5 x 0,5m), no momento da entrada e da saída dos animais das unidades experimentais. Serão feitas, nas amostras do capim análises químicas de nitrogênio, para o cálculo de proteína bruta, fibra em detergente neutro (FDN), fibra em detergente ácido (FDA) e digestibilidade in vitro da matéria seca (DIVMS). Espera-se, a partir dos resultados obtidos, aprimorar as recomendações de manejo do pastejo desse consórcio otimizando o processo de utilização deste sistema de pastagem consorciada. 

Ver detalhes do projeto

  Luciana Gerdes      IZ

CULTIVO INTENSIVO "INDOOR" DE PENAEUS VANNAMEI EM SISTEMA DE TECNOLOGIA DE BIOFLOCOS

n° SGP 667

~~A necessidade de aumentar a produção da aquicultura para atender a demanda mundial para os seus produtos direciona a indústria aquícola para intensificação dos cultivos, que incide no excesso de material orgânico e de nutrientes, causando poluição da água entorno. O sistema de recirculação de água pode reduzir os impactos ambientais, mas com altos custos de energia. Assim, o sistema de aquicultura superintensiva com troca zero de água tem sido adotado como uma exigência do novo conceito de aquicultura ambientalmente amigável, sendo implantado em regimes abrigados em estufas, que tem demonstrado redução dos riscos de introdução de patógenos e aumento da biossegurança, permitindo monitoramento das variáveis hidroquímicas. O sistema de formação de bioflocos (agregados microbianos) passou a ser denominado “Biofloc Technology System” – BFT, cujo princípio básico é a retenção de dejetos e sua conversão para bioflocos como alimento natural no sistema de cultivo, podem ser consumidos pelos camarões como fonte suplementar, através da reciclagem dos nutrientes, promovendo o aumento da eficiência do uso de ração, o crescimento dos camarões e a melhora da saúde dos camarões pela prevenção de patógenos alóctones ao sistema. Este estudo objetiva atestar o desempenho de camarões Penaeus vannamei em sistema BFT, em tanques de fibra de vidro, com diferentes densidades de estocagem e, elaborar um protocolo operacional padrão visando a transferência de tecnologia para produtores.

Ver detalhes do projeto

  Oscar José Sallée Barreto      IP

Monitoramento microbiológico de incubatório através de exposição de placas

n° SGP 666

A biosseguridade de um incubatório é fundamental para o desempenho zootécnico dos pintinhos, portanto o controle sanitário do incubatório deve ser rígido em todas as suas dependências. Para que as aves possam expressar seu potencial genético e produtivo elas devem estar dentro de padrões não só de nutrição, genética, manejo e ambiente, mas também microbiológico desde o primeiro dia de vida. A monitoria microbiológica realizada através de exposição de placas, provavelmente é a mais utilizada pelo seu equilíbrio entre eficiência, simplicidade e custos. Embora não seja uma técnica extremamente precisa, os seus resultados dão boas indicações da qualidade microbiológica dos pintinhos. As exposições são realizadas através de placas de Petri contendo meio de cultura para contagem de enterobactérias e para o isolamento de fungos.

Ver detalhes do projeto

  Ana Lúcia Sicchiroli Paschoal Cardoso      IB

Resistência antimicrobiana de Escherichia coli isolada de aves comerciais

n° SGP 665

Escherichia coli é uma bactéria anaeróbia facultativa pertencente à microbiota normal do trato intestinal de animais e seres humanos. A E. coli  é responsável por diversas patologias nas aves das quais podemos destacar a doença crônica respiratória, onfalite, salpingite, septicemia, peritonites, síndrome da cabeça inchada, enterites e celulite. Nas aves, a infecção por E. coli é considerada secundária a outros agentes, afetando o trato respiratório das aves. A colibacilose é uma das principais doenças da avicultura industrial, devido aos grandes prejuízos econômicos causados no mundo inteiro. Na avicultura, o uso de antimicrobianos é uma medida preventiva muito utilizada para minimizar os danos causados por infecções causadas por E. coli e, também, para reduzir a mortalidade associada à colibacilose aviária. O uso indiscriminado de antimicrobianos, as subdosagens e a adição de promotores de crescimento à dieta, que expõe os animais por longos períodos a pequenas concentrações de antibióticos, colaboraram para a seleção e manutenção de organismos resistentes. Este é um fato cada vez mais comum, com graves conseqüências à indústria avícola mundial e à saúde da população consumidora devido à possibilidade de transferência horizontal entre microrganismos comensais e patogênicos. São cada vez maiores os índices de resistência das bactérias frente aos antimicrobianos testados, assim, a prática da análise de perfil de sensibilidade sempre deve ser avaliada conforme uma nova amostra é isolada, pois esta pode variar conforme a região geográfica, as drogas disponíveis no mercado e o seu poder econômico.Escherichia coli é uma bactéria anaeróbia facultativa pertencente à microbiota normal do trato intestinal de animais e seres humanos. A E. coli  é responsável por diversas patologias nas aves das quais podemos destacar a doença crônica respiratória, onfalite, salpingite, septicemia, peritonites, síndrome da cabeça inchada, enterites e celulite. Nas aves, a infecção por E. coli é considerada secundária a outros agentes, afetando o trato respiratório das aves. A colibacilose é uma das principais doenças da avicultura industrial, devido aos grandes prejuízos econômicos causados no mundo inteiro. Na avicultura, o uso de antimicrobianos é uma medida preventiva muito utilizada para minimizar os danos causados por infecções causadas por E. coli e, também, para reduzir a mortalidade associada à colibacilose aviária. O uso indiscriminado de antimicrobianos, as subdosagens e a adição de promotores de crescimento à dieta, que expõe os animais por longos períodos a pequenas concentrações de antibióticos, colaboraram para a seleção e manutenção de organismos resistentes. Este é um fato cada vez mais comum, com graves conseqüências à indústria avícola mundial e à saúde da população consumidora devido à possibilidade de transferência horizontal entre microrganismos comensais e patogênicos. São cada vez maiores os índices de resistência das bactérias frente aos antimicrobianos testados, assim, a prática da análise de perfil de sensibilidade sempre deve ser avaliada conforme uma nova amostra é isolada, pois esta pode variar conforme a região geográfica, as drogas disponíveis no mercado e o seu poder econômico.

Ver detalhes do projeto

  Ana Lúcia Sicchiroli Paschoal Cardoso      IB

Pesquisa se Salmonella spp. em ingredientes e rações prontas para aves

n° SGP 662

O controle da qualidade microbiológica das rações para a cadeia de produção de aves esta se tornando cada vez mais importante devido às exigências do mercado quanto à segurança dos alimentos, bem como o aumento na importância da redução de desafios as aves em função da restrição a utilização de antibióticos promotores de crescimento. É importante destacar que, quando o principal vetor da contaminação ao animal é a ração, normalmente as estratégias adotadas para redução da contaminação microbiológica na fábrica de ração e conseqüentemente na ração, promovem uma redução da contaminação por toda a cadeia, inclusive no produto final. Entretanto, se outros vetores de contaminação nas diversas etapas do processo produtivo (granja, transporte, abatedouros, etc) não estiverem sendo bem monitorados, todo o trabalho de controle realizado na produção de ração pode não ser observado no produto final.

Ver detalhes do projeto

  Eliana Neire Castiglioni Tessari      IB
  Sobre

O SGP (Sistema de Gestão de Pesquisa) foi implementado em todas as unidades APTA, para centralizar o controle de todos os projetos desenvolvidos sob sua supervisão. [Ler mais]

Endereço APTA – São Paulo

Praça Ramos de Azevedo, 254, 2º andar - República, São Paulo - SP

Fone : (11) 5067-0447 e 5067-0427

  Endereço APTA – Campinas

Avenida Barão de Itapura, 1481 - Botafogo, Campinas - SP

Fone : (19) 2137-8930