Projetos APTA em todas as unidades, todos os centros

Página Inicial / Busca de Projetos

701 projetos ativos encontrados - pág. 24 de 24

Composição Quí­mica de Óleos Essenciais de Plantas Nativas e Cultivadas

n° SGP 51

A comercialização de óleos essenciais se baseia em 3 fatores: qualidade, quantidade e preço. O preço por sua vez é dependente dos dois primeiros e a qualidade condicionada À composição quí­mica. Alem dos óleos essenciais tradicionalmente comercializados, o mercado necessita de novos produtos para se manter revitalizado. Estima-se que no Brasil existam 55000 espécies de plantas, porém um número reduzido de espécies aromáticas e medicinais tem o seu o perfil fitoquí­mico e a caracterização da diversidade genética estabelecido. Levando-se em consideração a necessidade do estudo da flora nacional e as de mercado, anteriormente citadas, o presente projeto tem por objetivos a análise do rendimento e da composição quí­mica de óleos essenciais extraí­dos de plantas da flora nativa brasileira e plantas cultivadas de interesse econômico,caracterização da diversidade genética, domesticação e testes de atividade biológica. Os óleos essenciais serão obtidos por destilação por arraste a vapor e sua composição obtida por cromatografia gasosa acoplada a espectrometria de massas (CG-EM).

Ver detalhes do projeto

  Marcia Ortiz Mayo Marques      IAC

QUEPIA - Programa IAC de Qualidade de Equipamentos de Proteção Individual na Agricultura

n° SGP 49

O QUEPIA é uma parceria entre o IAC e empresas produtoras de equipamentos de proteção individual para aplicação de agrotóxicos. O objetivo principal deste programa é pesquisar e desenvolver a qualidade dos EPI utilizados na aplicação de agrotóxicos e os trabalhos começaram pela avaliação e desenvolvimento da qualidade das vestimentas de proteção. Vários são os trabalhos desenvolvidos neste sentido e, atualmente, estuda-se em parceria com outros membros da cadeia de produção (tecelagem, fabricantes de hidrorrepelente, empresas de tratamento e confecções) um sistema de manutenção e avaliação da qualidade do tratamento hidrorrepelente na linha de produção. Em parceria com organismos nacionais e internacionais, de pesquisa e normatização, o QUEPIA se tornou um sistema voluntário de certificação da qualidade e trabalha agora no desenvolvimento de dados para elaboração de norma internacional para luvas de proteção para riscos quí­micos com agrotóxicos.

Ver detalhes do projeto

  Hamilton Humberto Ramos      IAC

Programa "Aplique Bem"

n° SGP 48

O Programa "Aplique Bem" é uma parceria entre o Instituto Agronômico e a Arysta Lifescience com os objetivos especí­ficos de avaliar as condições dos pulverizadores em uso na agricultura, avaliar as pulverizações e as condições de segurança do trabalho propondo melhorias quando necessário e fazer o treinamento de técnicos, agricultores e trabalhadores. O programa atua em todas as regiões de São Paulo e do Brasil, por meio de veí­culos adaptados para as funções, que realizam as atividades diretamente junto aos produtores. Dentro desta parceria o IAC é responsável por toda a parte técnica (treinamento dos instrutores, elaboração do material didático, identificação de máquinas e equipamentos necessários, seleção de normas de qualidade, etc) enquanto que a Arysta, por meio de sua rede de representantes, é a responsável pela agenda dos treinamentos.

Ver detalhes do projeto

  Hamilton Humberto Ramos      IAC

Tecnologia pós-colheita de Plantas Tropicais

n° SGP 35

O mercado de flores de corte vem se expandindo a cada ano, inclusive com perspectivas para a exportação, os objetivos deste projeto são gerar e transferir tecnologias de pós-colheita de flores para os agricultores familiares. Essas tecnologias irão enfocar o armazenamento refrigerado e desenvolvimento de soluções conservantes com formulação atóxica visando substituir os produtos comerciais disponí­veis no mercado, produtos importados em sua maioria, de elevado custo e contendo sais de prata ou cobalto como ingredientes principais e portanto prejudiciais ao ambiente, função dos resí­duos que contaminam o solo ou a água e comprometem diretamente a saúde do produtor ou consumidor pelo manuseio.

Ver detalhes do projeto

  Gláucia Moraes Dias      IAC

Controle das viroses transmitidas por insetos vetores

n° SGP 24

Já existem muitos conhecimentos a respeito da epidemiologia das viroses transmitidas por vetores, entretanto, pouco se tem utilizado no campo, para reduzir a incidência das respectivas viroses. O presente projeto tem como objetivo, através desses conhecimentos gerados não só pelo IAC, mas também através da literatura nacional e estrangeira, aplicá-lo diretamente no campo. Duas culturas serão utilizadas por terem viroses que são importantes À cultura e causam prejuí­zos enormes, e são a de maracujá, que tem como fator limitante o Cowpea aphid borne virus (CABMV) e a de melancia, que tem como fatores limitantes dois ví­rus, o Papaya ringspot virus - type W (PRSV-W) e o Zucchini yellow mosaic virus ZYMV). Os estudos serão focados nos tratos culturais como: época de plantio, tamanho e proteção das mudas novas, efeito das capinas; também através da proteção com quebra ventos, para evitar a chegada dos vetores na cultura, proteção das culturas através de repelentes reflectivos e estudo de óleos minerais visando reduzir a transmissão dos ví­rus de relação não persistente/estiletar.

Ver detalhes do projeto

  Valdir Atsushi Yuki      IAC

Epidemiologia das viroses transmitidas por insetos vetores

n° SGP 22

Esses estudos visam determinar as causas e as conseqí¼encias das epidemias das viroses transmitidas por insetos vetores, principalmente afí­deos, moscas brancas e tripes, para que medidas preventivas possam ser adotadas para se evitar as altas incidências das viroses por eles transmitidos.

Ver detalhes do projeto

  Valdir Atsushi Yuki      IAC

Reação de Genótipos de Culturas Econômicas aos Nematoides de Galha e Reniforme

n° SGP 21

O projeto visa estudar a reação de genótipos de alface, algodão, feijão, maracujá, milho, pimenta/pimentão, quiabo e urucum aos nematoides de galha e reniforme. Pretende-se instalar experimentos, separados por cultura, em casa de vegetação com delineamento inteiramente casualizado e 7 repetições. Os tratamentos corresponderão aos genótipos estudados e referências de resistência e suscetibilidade. A parcela será um copo de 500 mL preenchido com substrato autoclavado. As avaliações serão feitas após 45-60 dias da inoculação de 5.000 ovos (Pi) de nematoides oriundos de populações de diferentes locais do estado de São Paulo, contando o número de galhas, massas de ovos e extraindo os nematoides das raí­zes (NSR). A definição da reação será, preferencialmente, pelo fator de reprodução obtido pela razão entre NSR e Pi. Valores menores do que 1 serão considerados resistentes. Esses materiais selecionados serão submetidos a testes complementares em condições extremas de inóculo e temperatura visando caracterizar a expressão da resistência.

Ver detalhes do projeto

  Carlos Eduardo Rossi      IAC

Biodiversidade e Ecologia de Áreas Cultivadas e Remanescentes de Vegetação Nativa a elas Associados, Em Vista da Missão Institucional Atual do IAC da otimização dos sistemas de produção vegetal, com responsabilidade ambiental.

n° SGP 17

De acordo com os conceitos mais atuais, expressos, inclusive, pelo Secretário Arnaldo Jardim, Seminário Internacional "Sistema Finaceiro, Economia Verde e Mudanças Climáticas" (em 21/9/2015 - http://www.agricultura.sp.gov.br/noticias/3648-seminario-sobre-participacao-do-setor-financeiro-na-questao-ambiental-destaca-acoes-do-governo-de-sp), a sustentabilidade agrícola além de sua própria permanência ao longo do tempo, inclui a manutenção da biodiversidade biológica nativa.  A manutenção da biodiversidade nativa é uma medida do grau de responsabilidade em relação ao ambiente e à qualidade de vida, manifesta pela população em geral.  Diante deste conclame da população brasileira, e em especial paulista, ao respeito ao meio ambiente e à qualidade de vida, está inserido na missão institucional do IAC o desenvolvimento da agricultura com responsabilidade ambiental.  Através de estudos da composição e ecologia de espécies vegetais, nas áreas nativas remanescentes, associadas às áreas agrícolas espera-se avaliar se as inovações tecnológicas sugeridas para a otimização dos sistemas de produção vegetal garantem a devida responsabilidade quanto à qualidade ambiental. Particularmente, está em avaliação se a otimização dos sistemas de produção das espécies exóticas garantem esta responsabilidade, buscando-se evitar comunicações precipitadas e alarmistas, não embasadas em dados confiáveis. Este processo está associado aos projetos ECOFOR: Biodiversidade e funcionamento de ecossistemas em áreas alteradas pelo homem nas Florestas Amazônica e Atlântica (http://www.bv.fapesp.br/pt/auxilios/81891/ecofor-biodiversidade-e-funcionamento-de-ecossistemas-em-areas-alteradas-pelo-homem-nas-florestas-a/) coordenado pelos Profs. Drs. C.A. Joly (UNICAMP) e J. Barlow (Lancaster University - Inglaterra), em parceria internacional, financiada pela FAPESP (Programa BIOTA, Temático) e NERC-UK, no qual sou um dos pesquisadores principais; e Composição florística, estrutura e dinâmica do funcionamento da Floresta Ombrófila Densa Atlântica dos núcleos Caraguatatuba, Cunha, Picinguaba e Santa Virgínia, do Parque estadual da Serra do Mar (PelD) - http://www.bv.fapesp.br/pt/auxilios/81978/composicao-floristica-estrutura-e-dinamica-do-funcionamento-da-floresta-ombrofila-densa-atlantica-d/ e http://www.cnpq.br/web/guest/projetos-pesquisa;jsessionid=EB499B9FADE216A05078F5240E03DA22, igualmente, coordenado pelo Prof. Joly e financiado pela FAPESP (Regular) e CNPq, cujos encerramentos coincidem com o presente projeto.

Ver detalhes do projeto

  Luis Carlos Bernacci      IAC

Avaliação da Qualidade Sensorial das Bebidas e Caracterização da Fração Hidrossolúvel de Grãos de Café de Plantas Matrizes de C. canephora

n° SGP 8

Este projeto tem por objetivo caracterizar o potencial tecnológico de plantas matrizes de Coffea canephora em seleção, considerando a qualidade sensorial e nutracêutica da bebida, o rendimento do processo de fabricação de café solúvel e outras possí­veis aplicações do café como matéria-prima para produtos e insumos industrializados.

Ver detalhes do projeto

  Terezinha de Jesus Garcia Salva      IAC

Produção de baby leaf: tecnologias para os sistemas hidropônico e de bandeja

n° SGP 6

O mercado de baby leaf encontra-se em fase inicial de desenvolvimento no Brasil, porém em paí­ses da Europa, nos Estados Unidos e no Japão, já conquistou os consumidores. Com grande potencial de crescimento, as folhas baby podem estimular o consumo de hortaliças pela população, principalmente das crianças, contribuindo para o aumento nos números de consumo no paí­s que são baixos e para redução da obesidade infantil. Da mesma maneira que o mercado, os sistemas produtivos para produção de baby leaf estão se iniciando no Brasil, necessitando serem estudados. Destacam-se como potenciais sistemas produtivos para baby leaf, no Brasil, o hidropônico NFT e o em bandejas. Assim o presente projeto divide-se em dois subprojetos. O primeiro subprojeto, visa verificar o efeito da reutilização do substrato fibra de coco por uma, duas e três vezes, solarizado e não solarizado, sobre a produção da alface, cv. Elisa, para produção de baby leaf, no sistema de produção em bandejas. O segundo subprojeto pretende verificar o efeito da condutividade elétrica da solução nutritiva (0,4; 0,8; 1,2 e 1,6 mS cm-1) e de espaçamentos entre plantas (2,5; 5,0 e 10,0 cm) sobre o desenvolvimento e a produtividade de quatro espécies de hortaliças (agrião de terra-seca, alface, beterraba e rúcula) em sistema hidropônico NFT.

Ver detalhes do projeto

  Luis Felipe Villani Purquerio      IAC

MELHORAMENTO GENÉTICO E APLICAÇÃO DE FERRAMENTAS BIOTECNOLÓGICAS EM PINHíO MANSO (Jatropha curcas L.)- 2 FASE

n° SGP 3

O objetivo principal é o estabelecimento, ampliação, manutenção e caracterização agro-morfológica, molecular e fitoquí­mica de um banco ativo de germoplasma (BAG) de J. curcas visando dar suporte ao programa de melhoramento genético para a espécie; ampliação da variabilidade genética do BAG (por meio da obtenção de hí­bridos interespecí­ficos ou pelo uso da biotecnologia e da engenharia genética); seleção de genótipos "elites" de J. curcas com caracterí­sticas agronômicas desejáveis, hibridações intra e interespecíficas, estudo de protocolos para a propagação in vitro destes genótipos elites visando obtenção de clones para ensaios de campo ou a multiplicação em escala para produção de mudas de qualidade genética (variedade clonal). Também pretende-se adequar e desenvolver métodos de transformação genética e regeneração in vitro para obtenção de plantas transgênicas que expressem genes de interesse, como aqueles envolvidos no metabolismo dos ácidos graxos e esteres de phorbol, na indução de tolerância a estresses bióticos e abióticos. Com o conjunto das metodologias aplicadas espera-se o lançamento de uma cultivar, inexistente até o momento no mercado, visando viabilizar a cultura para o agronegócio paulista.

Ver detalhes do projeto

  Daniela de Argollo Marques      IAC
  Sobre

O SGP (Sistema de Gestão de Pesquisa) foi implementado em todas as unidades APTA, para centralizar o controle de todos os projetos desenvolvidos sob sua supervisão. [Ler mais]

Endereço APTA – São Paulo

Praça Ramos de Azevedo, 254, 2º andar - República, São Paulo - SP

Fone : (11) 5067-0447 e 5067-0427

  Endereço APTA – Campinas

Avenida Barão de Itapura, 1481 - Botafogo, Campinas - SP

Fone : (19) 2137-8930