Exibindo todos os projetos ativos na APTA

Página Inicial / Busca de Projetos

717 projetos ativos encontrados - pág. 13 de 24

PROGRAMA DE MELHORAMENTO GENÉTICO DE ANTÚRIO

n° SGP 1180

O antúrio pertence à família das Aráceas, incluindo-se no gênero mais de 600 espécies, muitas delas herbáceas tropicais, originárias das regiões quentes e centrais da América do Sul. Do ponto de vista comercial, a principal espécie do gênero é o Anthurium andraeanum Lindl., utilizado como flor de corte e também como planta de vaso. A produção e a comercialização de antúrio se bem praticadas poderá trazer retornos significativos aos empresários que se dedicam a este agronegócio, pois devido a sua alta durabilidade como flor de corte e conformação típica é uma das tropicais mais consumidas no mundo todo. Atualmente no Brasil, o antúrio ainda é propagado por semente e, por consequência, suas progênies são muito heterogêneas, o que não é interessante para o mercado consumidor, que exige uniformidade do produto. No entanto, esses materiais são muito importantes para o melhoramento devido a maior variabilidade genética. Sendo assim, o objetivo do programa de melhoramento genético do antúrio será a seleção de plantas de interesse, com características ímpares de qualidade floral e produtividade, tanto do banco de germoplasma da APTA/IAC, como plantas oriundas do cruzamento entre acessos do BAG. Serão selecionados para o mercado de flor de corte plantas dentro do BAG, bem como de plantas advindas do cruzamento entre plantas do BAG. Estas plantas devem apresentar caraterísticas desejáveis como: cor e forma da espata e espádice, comprimento do pecíolo maior que 60 cm e plantas baixas. Para isso serão realizados ensaios de cultivo após a multiplicação in vitro, na qual serão avaliados a cada seis meses o desenvolvimento das plantas: número de folhas, comprimento dos pecíolos, (cm), comprimento das lâminas foliares das folhas completamente expandidas (cm), largura das lâminas foliares das folhas completamente expandidas (cm) e área foliar total e média por folha (cm2); e semanalmente a produção: comprimento do pedúnculo (cm), comprimento da espata (cm), comprimento da espádice (cm), largura da espata (cm), coloração segundo a escala de cores CIELAB, produtividade (flores/m2/ano); e durabilidade comercial e longevidade pós-colheita por meio de escala de notas.

Ver detalhes do projeto

  Edson Shigueaki Nomura      Apta Regional / IAC

Biologia de plantas daninhas nas culturas em sucessão a cana-de-açúcar

n° SGP 1178

A cana-de-açúcar é uma das principais culturas brasileiras e a interferência proporcionada pelas plantas daninhas acarreta redução significativa no rendimento da cultura. O objetivo deste trabalho será avaliar a influência de três sistemas de manejo do solo e três importantes culturas comerciais como culturas de sucessão na supressão de plantas daninhas e na composição da comunidade infestante em áreas de reforma de cana crua. O experimento será instalado sobre ARGISSOLO Vermelho-Amarelo eutroférrico, em canavial colhido sem queima prévia nos últimos cinco cortes. Será utilizado delineamento experimental em blocos casualizados, com os tratamentos arranjados em parcelas sub-divididas e dispostos em quatro repetições, sendo os tratamentos principais três sistemas de cultivo; convencional, cultivo mínimo e plantio direto e os tratamentos secundários de três opções de culturas comerciais (amendoim, girassol e soja) e uma parcela em pousio. Após 180 dias da colheita da cana-de-açúcar será contado o número de plantas daninhas.m-² e determinada a massa seca da parte aérea, calculando assim seus índices fitossociológicos. 

Ver detalhes do projeto

  Maria Beatriz Bernardes Soares      Apta Regional / IAC

Avaliação agronômica de novos cultivares de Alcachofra e limpeza de vírus da cultivar Roxa de São Roque

n° SGP 1177

Serão conduzidos experimentos no município de São Roque para avaliar o desempenho agronômicos de quatro híbridos comercias de alcachofra da empresa de sementes Nunhems em comparação a cultivar tradicional Roxa de São Roque. Os experimentos serão conduzidos no Sítio Cacique, localizado no km 6 da Estrada do Vinho. Após uma avaliação inicial no primeiro ano de cultivo dos diferentes cultivares de alcachofra, os híbridos serão avaliados em três épocas de cultivo, sendo uma anterior em um mês ao transplante normal, outra um mês posterior ao transplante normal, além do transplante no período normal. A mudas provenientes do cultivo in vitro serão confrontadas a campo com mudas sem limpeza de vírus. Os experimentos serão conduzidos no delineamento de blocos ao acaso, com cinco repetições. As plantas de alcachofra serão avaliadas quanto ao ciclo, número de inflorescência por planta, classificação comercial das inflorescências, massa da inflorescência e número de folhas verdadeiras.

Ver detalhes do projeto

  Sebastião Wilson Tivelli      Apta Regional / IAC

Manejo dos ambientes de produção (AmbiManejo)

n° SGP 1176

A proposta “Manejo dos ambientes de produção da cana-de-açúcar” está vinculada ao projeto AMBICANA, com participação dos pesquisadores Dr. Hélio do Prado, Centro de Cana/IAC-APTA (coordenador) e Dr. André Cesar Vitti, APTA Polo Centro Sul. O objetivo do referido projeto é desenvolver toda a sistemática de manejo, mediante conhecimento prévio dos tipos de solo e ambiente de produção (Projeto AMBICANA), em relação às épocas de plantio e corte, formas e épocas de preparo do solo, correção e adubação, utilização de resíduos da agroindústria e interação das variedades exigentes (responsivas) em relação às estáveis e ou rústicas.

Ver detalhes do projeto

  André Cesar Vitti      Apta Regional / IAC

Genotipagem molecular em acessos do Complexo Saccharum para uso no melhoramento genético de cana-de-açúcar

n° SGP 1173

Inicialmente, gostaria de informar que este projeto vem sendo desenvolvido sob minha coordenação, pela aluna do curso de Pós Graduação do Insituto BIológico, Fernanda Keiko Martins Yamauchi Oriolo. Os trabalho resulta de parceria com o Centro de Cana, onde os genótipos estão preservados e analisados. Maiores detalhes podem ser encontrados no projeto, que segue em anexo. A seguir, resumo do projeto.

As cultivares modernas de cana-de-açúcar são provenientes de cruzamentos interespecíficos, especialmente entre S. officinarum, cujas plantas tem alto teor de sacarose e baixo teor de fibra e suscetibilidade a várias doenças, e S. spontaneum, que apresentam plantas vigorosas, com bom perfilhamento, resistência a doenças, capacidade de rebrota, alto teor de fibras e baixo teor de sacarose. A base genética da cana cultivada é estreita, pois os cultivares são proveniente de cruzamentos entre um grupo pequeno de genitores. Os materiais comerciais têm cerca de 80% de seus cromossomos provenientes de S. officinarum e entre 10 e 20% dos cromossomos originários de S. spontaneum, sendo que essas proporções se devem ao fato de que os programas de melhoramento sempre buscaram genótipos com altos teores de sacarose, visando produção de açúcar e alto.

No entanto, atualmente, vem crescendo a demanda por novas cultivares, que além de serem produtivas em termos de sacarose, também apresentem alto teor de fibra a ser utilizada para produzir de etanol celulósico e energia elétrica, o que é vantajoso para o Brasil em termos de desenvolvimento sócio-econômico e de preservação ambiental. Em função dessa demanda, é necessário introgredir genes de espécies do Complexo Saccharum nas cultivares modernas, para aumentar o teor de fibra e também transferir resistência a doenças e a estresses abióticos como déficit hídrico.

Diante desse cenário, o Programa Cana do IAC vem introduzindo novos acessos do Complexo Saccharum em seu banco de Germoplasma, via incorporação de genótipos da Coleção Mundial de Cana, sediada em Canal Point (EUA), e da coleção do BSES da Austrália.

Para que sejam utilizados de modo eficiente no programa de melhoramento, todos esses acessos que foram importados precisam ser caracterizados genotipicamente, via marcadores moleculares, e fenotipicamente para os caracteres de interesse.

É nesse contexto que se insere o presente projeto de pesquisa, que consiste em genotipar 96 acessos do Complexo Saccharum, provenientes da Coleção Mundial de Cana, sendo a maioria deles genótipos de S. spontaneum, espécie portadora dos genes relacionados ao elevado teor de fibras e resistências a estresses bióticos e abióticos. A genotipagem se dará por meio de marcadores microssatélites e, como resultado, serão obtidos os perfis moleculares de cada um desses acessos, que serão armazenados no banco de dados. Esses perfis são de grande utilidade, podendo-se citar, por exemplo, as seguintes aplicações: a) ao obter o perfil molecular de um novo acesso a ser incorporado ao banco de germoplasma, pode-se compará-lo aos perfis previamente existentes na coleção, evitando-se duplicação de acessos; b) durante as fases do processo de melhoramento genético, é possível monitorar os genótipos nos campos experimentais, por meio de seus perfis moleculares, evitando trocas de materiais; c) é possível confirmar se um dado genótipo é de fato um híbrido, de acordo com o que foi planejado na execução dos cruzamentos.

Também com base nas informações dos marcadores, serão realizadas nesse trabalho, análises estatístico-genéticas, visando estimar a variabilidade genética contida nesses acessos e determinar como ela está estruturada entre e dentro das espécies avaliadas.

Os dados genotípicos produzidos nessa pesquisa, juntamente com dados provenientes da caracterização fenotípica desses materiais a ser iniciada nos próximos meses pelo Centro de Cana, possibilitarão direcionar os cruzamentos entre os materiais modernos (clones superiores e cultivares) já caracterizados, com esses acessos selvagens, visando obter novos genótipos que atendam à demanda de bioenergia e resistência a doenças e estresses abióticos, otimizando o processo de melhoramento genético de modo a torná-lo mais rápido e eficiente.

Ver detalhes do projeto

  Luciana Aparecida Carlini Garcia      Apta Regional / IAC

Caracterização pós-colheita e conservação de novas cultivares IAC de citros de mesa

n° SGP 1169

O estudo será conduzido com os seguintes objetivos:

- Caracterizar as alterações fisiológicas e físico-químicas na pós-colheita das tangerinas ‘Freemont’ e ‘Maria’.

- Estudar a fisiologia do amadurecimento em tangerinas ‘Freemont’ e ‘Maria’ expostas a diferentes temperaturas.

- Proposição e avaliação de técnicas de conservação.

Primeiro ano

- Alterações fisiológicas e físico-químicas na pós-colheita-

Na caracterização das alterações fisiológicas e físico-químicas na pós-colheita das tangerinas ‘Freemont’ e ‘Maria’, algumas perguntas deverão ser investigadas como:

-Quais são as mudanças na qualidade dessas tangerinas no período pós-colheita?

-O ponto de colheita interfere na qualidade e conservação pós-colheita dessas tangerinas?

Para tanto, serão colhidas tangerinas em 3 estádios de maturação ( a princípio pensamos em maio, junho e julho), e durante a pós-colheita serão avaliadas características fisiológicas, fisico-quimicas, fitopatológicas e sensoriais.

Serão avaliados frutos com 0, 3, 6, 9, 12 e 15 dias após a colheita. Serão usados, por data de análise, 20 frutos para análises físico-químicas, 15 frutos para análise sensorial e 30 frutos para as análises fitopatológicas. Total de frutos por estádios de maturação= 240 de cada variedade.

Segundo ano

- Fisiologia do amadurecimento em frutos expostos a diferentes temperaturas-

Nesse tipo de estudo, algumas perguntas deverão ser respondidas como:

- Como a respiração e a produção de etileno são influenciadas pela temperatura de armazenamento?

- Como a qualidade é influenciada pela temperatura de armazenamento?

- As tangerinas apresentam danos de frio?

- Qual a temperatura de armazenamento ideal?

Para tanto, serão colhidas tangerinas em 3 estádios de maturação (talvez 1), armazenadas a 5, 10, 15, 25, 35 e 45ºC,  e durante a pós-colheita serão avaliadas características fisiológicas, fisico-quimicas, fitopatológicas e sensoriais.

Terceiro ano

- Proposição e avaliação de técnicas de conservação-

Baseado nas informações dos dois primeiros anos, quais seriam as técnicas de conservação mais adequadas para essas tangerinas?

- Ceras...quais?

- Ceras associadas com refrigeração?

- Uso de reguladores?

- Tratamentos preventivos de danos por frio?

Ver detalhes do projeto

  Ilana Urbano Bron      IAC

Digestibilidade de uma dieta em três níveis de oferta por cordeiros de diferentes grupos genéticos

n° SGP 1164

O objetivo no presente projeto é comparar cordeiros de sete grupos genéticos quanto a digestibilidade de uma dieta em três níveis de oferta de alimento. Cento e vinte e seis cordeiros das raças Dorper, Ile-de-France, Texel e Santa Inês, e dos cruzamentos ½ Dorper + ½ Santa Inês, ½ Ile-de-France + ½ Santa Inês e ½ Texel + ½ Santa Inês serão desmamados aos 90 dias de idade e confinados em baias individuais com piso ripado. Essa distribuição nas baias será de forma aleatória. Os animais serão pesados no início do confinamento e permanecerão em adaptação por 21 dias recebendo uma dieta peletizada com 90% de concentrado e 10% de feno de alfafa. A ração será oferecida em duas refeições diárias, à vontade, permitindo-se sobra ao redor de 10% do ingerido no dia anterior. Para isso, as sobras serão retiradas e pesadas diária e individualmente. Os bebedouros (um para cada duas baias) serão limpos diariamente, e, quando necessário, mais de uma vez por dia. Nos últimos cinco dias desse período, serão colocadas em todos os indivíduos, bolsas de lona para recolhimento das fezes produzidas, que serão esvaziadas diariamente. Ao final do período de adaptação, os animais serão novamente pesados após jejum de 14 horas. Em seguida, seis animais de cada um dos grupos genéticos receberão a mesma dieta do período de adaptação, nos seguintes níveis de oferta: ad libitum, 75 e 63 g de ração/kg de peso metabólico. Para o cálculo do nível oferecido ad libitum, será considerado, para cada indivíduo, o consumo médio dos últimos sete dias do período de adaptação. Os animais receberão essa quantidade de ração durante cinco dias, sendo a ração amostrada diariamente. Durante esse período, serão recolhidas, pesadas e armazenadas todas as sobras que possam ocorrer. Também serão recolhidas, pesadas e amostradas (10% do total produzido) as fezes produzidas por cada animal do segundo até o sexto dia do período experimental. Ao final, as amostras de alimento oferecido, das sobras e das fezes serão compostas por indivíduo e analisadas quanto aos teores de matéria seca, proteína bruta, extrato etéreo, minerais, fibra em detergente neutro e fibra em detergente ácido, conforme metodologia do AOAC (2005). A digestibilidade de cada uma das frações nutritivas será calculada em porcentagem considerando-se a quantidade retida pela quantidade ingerida. Os resultados serão analisados estatisticamente considerando-se um delineamento inteiramente casualizado com 7 grupos genéticos, 3 níveis de ingestão e a interação entre os fatores, com 6 repetições, em modelo misto.

Ver detalhes do projeto

  Wignez Henrique      IZ

IMPLANTAÇÃO DE UNIDADE DE OBSERVAÇÃO COM DIVERSOS CULTIVARES DE DENDÊ E MACAÚBA EM PINDORAMA, SP

n° SGP 1162

 Implantação de Unidade de Observação para avaliação do desenvolvimento de doze cultivares de dendê/palma de óleo e dois cultivares de macaúba.
O experimento será conduzido no Polo Regional Centro Norte, vinculado a Agência Paulista de Tecnologia do Agronegócio-APTA, localizado no município de Pindorama, SP. A área experimental tem solo caracterizado como argissolo eutrófico, considerado profundo, com horizonte A arenoso e horizonte B textural com alta fertilidade e topografia plana.
O delineamento experimental será em blocos ao acaso com 14 tratamentos (12 cultivares de dendê/palma de óleo e 2 de cultivares de macaúba) e 6 repetições, totalizando 84 parcelas contendo de 8 a 10 plantas cada. 
As mudas de dendê/palma de óleo serão provenientes de sementes pré germinadas, doadas pela Embrapa e pela ASD da Costa Rica. Estas foram formadas no viveiro de mudas do Polo Regional Centro Norte.
As mudas de macaúba serão fornecidas pela FERTIBOM, sendo um cultivar proveniente do estado de São Paulo e o outro de Minas Gerais.
O preparo do solo será realizado por meio de uma gradagem com grade aradora e duas gradagens com niveladora. Em seguida serão feitos os sulcos para marcação das linhas de plantio na distância de 6,10m cada, acompanhando-se as curvas de nível do terreno. As covas serão marcadas nas linhas a distância de 7,00m cada e serão abertas nas dimensões de 0,60m de diâmetro por 0,60m de profundidade, com broca do tipo rosca sem fim acoplada ao trator MF 275 e acionada através de tomada de força.
A correção do solo será realizada na cova de plantio através da mistura 2kg de calcário dolomítico ao solo retirado de cada uma. Para adubação de plantio será aplicado 1,5kg de superfofato simples granulado por cova.
Antes de serem levadas para o campo as mudas serão selecionadas e padronizadas, passando por um toalete para limpeza de folhas secas.
Após o sorteio da posição de cada parcela nos blocos, as mudas serão transportadas e posicionadas próximo às sua respectiva cova. Em seguida será retirada da sacola plástica, plantada na cova e irrigada até o seu pegamento.
Avaliações:
Serão avaliados nos três primeiros anos: 
. Desenvolvimento: altura de plantas, diâmetro do caule, inflorescência das plantas precoces, se houver; 
. Sanidade: ocorrência de pragas e doenças fungicas das palmáceas, principalmente aquelas introduzidas.

Ver detalhes do projeto

  Everton Luis Finoto      Apta Regional / IAC

Avaliação de genótipos de batata-doce: 1- características agronômicas e qualidade de raízes

n° SGP 1155

O Instituto Agronômico iniciou os estudos com a cultura da batata-doce em 1930 com a formação de um banco de germoplasma. Após a criação da Seção de Raízes e Tubérculos, em 1935, foram ampliados os estudos com a cultura, sendo feitos vários experimentos regionais, enfatizando a produtividade de raízes e a sua qualidade, em termos de fibrosidade, textura, sabor, odor e coloração (INSTITUTO AGRONÔMICO, 1939 a 1978). Como resultados destes trabalhos foram disponibilizada aos agricultores as cultivares IAC 3-4 (Irani), IAC 2-71 e a IAC 66-118 (Monalisa) e as introduções SRT 278 (Centenial) e SRT 299 (Rio de Janeiro II) (MONTEIRO & PERESSIN, 1998), as quais rapidamente se tornaram padrão tanto no mercado de mesa como no industrial e atingiram área expressiva em produção no Estado de São Paulo. A batata-doce está presente em quase todo o Estado, sendo cultivada predominantemente por pequenos agricultores atingindo em 2015, área cultivada de 6,9 mil ha e produção de aproximadamente 120 mil toneladas de raízes, tendo a produtividade média de 17,3 t/ha (INSTITUTO DE ECONOMIA AGRÍCOLA, 2016). Atualamente dentre a cultivaves plantadas destacam-se a Uruguiana e a Canadense, introduções de genótipos desconhecidos que têm se difundido rapidamente, não sendo necessariamente cultivares de produção estável e não apresentando características qualitativas superiorescomo sabor e presença de fatores nutricionais como betacatrotenos, Fe e Zn. Assim, o presente projeto de pesquisa tem por objetivo avaliar o potencial produtivo e a qualidade das raízes de genótipos de batata-doce do banco de germoplasma do Instituto Agronômico, bem como a seleção de materiais promissores visando recomendação desses na agricultura familiar.

Ver detalhes do projeto

  JOSÉ CARLOS FELTRAN      IAC

ECOAGRICULTURAS - Cultivando Águas e Boas Práticas no Litoral Norte

n° SGP 1153

O Projeto “Ecoagriculturas – cultivando águas e boas práticas do litoral norte” tem a duração de 24 meses e está localizado na UGRHI 03 – Litoral Norte, nos municípios de Ubatuba, Caraguatatuba, São Sebastião e Ilhabela, Corredor de Biodiversidade da Serra do Mar, visando “integrar as ações e experiências em agroecologia na UGRHI-LN 03, com objetivos específicos de desenvolver estratégias de boas práticas de manejo das atividades agropecuárias para aproveitamento racional e proteção dos recursos hídricos”.  Os principais 200 beneficiários diretos são agricultores, proprietários rurais, gestores e técnicos dos órgãos públicos e membros de colegiados e da sociedade civil atuantes na temática.

A proposta foi elaborada de forma democrática e participativa por representantes do GT Agroecologia do CBHLN, da Rede de Sementes do Litoral Norte e membros da sociedade civil, engajados em construir e fortalecer um trabalho regional e coletivo de boas práticas de agroecologia; redirecionando as práticas de agricultura tradicional para evitar o uso intensivo de agrotóxicos e manejo inadequado do solo e dos recursos hídricos. A melhor ecoeficiência das unidades produtivas rurais do litoral norte ajudará a restaurar a condição ambiental das propriedades e, dessa forma, a proteção dos recursos hídricos, além de promover a segurança alimentar e a geração de renda local. 

Como estratégia para alcançar os resultados esperados, foi desenhado um fluxograma sequencial de ações que propiciem a gestão e construção participativa do início ao fim, impactando também na capacitação contínua e permanente dos envolvidos durante o processo; bem como no fortalecimento coletivo e a mobilização dos envolvidos para o compartilhamento de boas práticas, as quais potencializam as metas do Plano de Bacia e áreas afins.

Os principais produtos e benefícios são: 01 análise situacional participativa de boas práticas existentes na região (vide descritivo no documento como “Boas Práticas Agrícolas/Agropecuárias - BPA”), como um marco zero para atuais e futuras ações de planejamento, o qual também norteará 01 Plano de Trabalho Participativo para o percurso do projeto e sugestões de conteúdos para 06 Encontros de Fortalecimento Regional e 04 Capacitações Temáticas com intercâmbios (vivências práticas) entre os proprietários e municípios. Além de melhorar a qualidade da capacidade técnica dos agricultores e demais beneficiários, o envolvimento direto dos beneficiados torna viável a elaboração de Planejamento Integral de 20 Propriedades/posse e a escolha e implantação prática de pelo menos 04 unidades de adaptação tecnológica de práticas visando a transição agroecológica para o aumento da ecoeficiência de unidades produtivas da zona rural. De acordo com as demandas levantadas no Planejamento Integral das propriedades serão escolhidas práticas para melhorar a gestão da unidade, além de estratégias para conservação e proteção da biodiversidade, do solo e da água. As unidades de adaptação tecnológica serão acompanhadas para evoluírem e se tornarem uma referência para a difusão de práticas que facilitem a transição agroecológica na região.

Para as estratégias de comunicação integrada e compartilhamento das boas práticas estão previstos 01 Fórum Regional, 01 Documento Final com diretrizes e encaminhamentos, bem como o uso de sites e redes sociais do proponente e parceiros para difusão.

Ver detalhes do projeto

  ISABEL FERNANDES PINTO VIEGAS      Apta Regional / IEA

Desempenho e saúde de bezerros suplementados com virginiamicina e complexo vitamínico mineral.

n° SGP 1143

O objetivo do trabalho foi de verificar o desempenho e a saúde de bezerros em aleitamento com a utilização de um probiotico chamado virginiamicina. A virginiamicina tem seu uso comprovado como eficaz e de custo baixo na nutrição animal podendo melhorar a conversão alimentar e a saúde intestinal dos animais, com isso a possibilidade de aumentar a taxa de produtividade das bezerras nesta fase da produção leiteira. O experimento foi realizado na Fazenda Experimental APTA Regional Centro Leste situada em Ribeirão Preto – SP, utilizando 27 bezerros da raça Jersey, machos e fêmeas, em delineamento em blocos casualizados (idade de nascimento) no período de idade de 0 a 60 dias de vida nos seguintes tratamentos: CONTROLE (COMPLEXO VITAMINA E MINERAIS NO LEITE), VIRGINIAMICINA + COMPLEXO VITAMINA E MINERAIS NO LEITE, VIRGINIAMICINA + COMPLEXO VITAMINA E MINERAIS NO RÚMEN. A suplementação foi calculada para que cada animal receba 0,02 kg com 1000mg de virginiamicina por dia durante o período experimental. Foi avaliado parâmetros de desempenho e sanguíneos ao nascimento, aos 30 e 60 dias de vida experimentais. Para o desempenho todos os animais foram pesados com o uso de uma balança eletrônica, medidos a altura da cernelha, o perímetro torácico e o comprimento corporal com o uso de uma fita métrica. O sangue foi colhido da jugular dos animais nas mesmas datas de pesagem e analisado para hemograma completo contendo. Todos os dados já foram compilados e se encontram em análise estatística.

Ver detalhes do projeto

  Márcia Saladini Vieira Salles      Apta Regional / IZ

Monitoramento e Diagnóstico da Qualidade do Leite de Produtores Rurais da região Nordeste do Estado de São Paulo

n° SGP 1141

A atividade leiteira tem grande participação na agricultura familiar, pois é considerada uma boa fonte de renda mensal e esta participação pode ser comprovada pela grande porcentagem da parcela de leite produzida no país estar relacionada a agricultura familiar. Contudo, atualmente não basta produzir leite, mas sim, produzir leite com qualidade. Qualidade esta referenciada pela instrução normativa do governo federal, mas principalmente pela exigência pelas indústrias em qualidade mínima para a sua maximização de produção e aumento de exportações. A exigência feita pela indústria tem como ponto mais forte o pagamento por qualidade. Assim sendo a melhoria da qualidade por parte dos produtores é de fundamental importância. E para atingir a qualidade, parte do princípio de aplicar tecnologias, no caso da produção de leite, que visem melhorar qualidade do leite e assim dar suporte a sustentabilidade da atividade leiteira. A transferência de tecnologia permite levar o conhecimento científico para a sociedade na forma de serviços, produtos e processos. Assim sendo, o presente estudo tem como objetivo fazer a junção da transferência de tecnologia para a atividade leiteira de agricultores familiares visando à melhoria da qualidade do leite através de diagnósticos, treinamentos e acompanhamento das tecnologias treinadas e divulgadas para os produtores rurais. Este experimento será realizado com 50 propriedades para identificação do perfil dos produtores da região de Ribeirão Preto, junto com o programa da CATI LEITE/ SAA/SP. Identificados os produtores, será realizado o treinamento na forma de cursos teórico-práticos de acordo com suas necessidades para melhoria da qualidade do leite. No momento do treinamento, serão realizados testes teóricos para quantificação do conhecimento técnico do tema do treinamento e sobre qualidade do leite. Todos os 50 produtores serão acompanhados e avaliados mensalmente durante 18 meses através de visitas técnicas dos assistentes técnicos e estagiários. Serão realizadas visitas técnicas para coleta de dados e amostras de leite para acompanhamento da qualidade do leite e do uso das técnicas abordadas nos cursos. Ao final de 18 meses, todos os produtores serão questionados novamente quanto ao conhecimento técnico e melhoria da qualidade do leite e apresentado o resultado da qualidade do leite. Com isso, o presente projeto espera poder identificar o perfil dos produtores da região, avaliar o beneficio de treinamento e acompanhamento (assistência técnica) para melhoria da qualidade do leite e por fim, verificar quais características das propriedades/produtores favoreceram a melhoria da qualidade do leite e se houve transferência de conhecimento técnico.

Ver detalhes do projeto

  Luiz Carlos Roma Junior      IZ

Avaliação hematológica de bezerros Jerseys na fase de aleitamento

n° SGP 1140

O presente trabalho de iniciação científica tem como objetivo avaliar valores hematológicos de 52 bezerros, entre machos e fêmeas, nos períodos de 7, 30 e 60 dias de vida, para avaliar a evolução hematológica dos animais. A coleta de sangue foi realizada na jugular dos animais para a realização das análises de hemograma completo contendo: Série Vermelha (eritrócitos, hemoglobina, hematócrito), serie plaquetária, serie leucocitária, e proteínas totais. A avaliação se deu em máquinas POQ 100 IV e confirmação em lâminas. Obteve-se valores médios nos períodos de 7, 30 e 60 dias de vida de eritrócito (milhões/mm?), 7,47, 10,14 e 10,22 respectivamente; hemoglobina (g/dL), 9,17, 12,91 e 12,47; hematócrito (%), 28,39, 39,41 e 37,85; VCM (fL), 37,85, 38,99 e 38,34; HCM (pg), 12,27, 12,79 e 12,56; CHCM (g/dL), 32,44, 32,46 e 32,37; leucócitos (mm?) 8,48, 10,16 e 10,51; segmentados 47,77, 28,00 e 23,24; eosinófilos 0,45, 0,83 e 0,69; linfócitos 49,05, 68,32 e 72,94; monócitos 2,60, 2,83 e 3,14. 

Ver detalhes do projeto

  Márcia Saladini Vieira Salles      Apta Regional / IZ

Levantamento fitossociológico de plantas daninhas e ocorrência da infecção de plantas daninhas pelo fungo (Phaeomoniella chlamydospora), agente causal da doença de Petri, em campos de produção de porta-enxertos e de mudas de Niagara Rosada

n° SGP 1128

O objetivo do presente projeto é realizar o levantamento fitossociológico de plantas daninhas para detectar o fungo P. chlamydospora em plantas daninhas presentes em localidade contendo banco de germoplasma de porta-enxerto de videira e campo de produção de muda, principalmente da uva Niagara Rosada.

Ver detalhes do projeto

  Daniel Andrade de Siqueira Franco      IB

Fontes de ácidos graxos da dieta para a tilápia-do-nilo criada em temperatura ótima e sub-ótima.

n° SGP 1127

A tilápia-do-nilo é uma importante espécie na aquicultura brasileira e mundial e é produzida em diversas regiões e condições climáticas. Entretanto, ainda há lacunas quanto a sua nutrição lipídica, principalmente em condições adversas de temperatura. Estas condições são registradas durante o inverno nas regiões sudeste e sul do Brasil, onde se concentram as maiores produções de tilápias. É sabido que os ácidos graxos têm papel fundamental na manutenção da fluidez e funcionalidade das membranas celulares com efeitos na adaptação dos peixes à variação de temperatura.

Com a finalidade de aprimorar a tecnologia de produção da tilápia foram propostos estudos, com ensaios com animais já realizados na UFSC, em Florianópolis, SC. O presente projeto tem como foco a avaliação do metabolismo de ácidos graxos, pela análise de materiais coletados durante os ensaios realizados, em complementação ao projeto “Ácidos graxos essenciais na dieta da tilápia-do-Nilo em condição ótima e subótima de temperatura”, cadastrado no SIGA (NRP 4047), e ao projeto "Temperatura e fontes de ácidos graxos para tilápia-do-Nilo" com recursos aprovados pelo CNPq e coordenado pela pesquisadora Débora Machado Fracalossi (LABNUTRI, UFSC). A parceria com a APTA será feita pela orientação nas análises químicas, análise dos dados coletados e redação de artigos. A seguir estão descritos os ensaios realizados, dos quais serão utilizados materiais para análise:

(I) Fontes de ácidos graxos na dieta de tilápias criadas em duas temperaturas - Foram testadas cinco fontes lipídicas: (1) óleo de peixe, fonte de n-3 LC-PUFA, além de SFA e MUFA; (2) óleo de linhaça, fonte de n-3 PUFA de 18 carbonos; (3) óleo de girassol, fonte de n-6 PUFA de 18 carbonos; (4) óleo de oliva, fonte de MUFA; e (5) óleo de coco, fonte de SFA. O objetivo deste estudo é selecionar fontes adequadas de ácidos graxos para a alimentação da tilápia-do-nilo criada em temperatura ótima (28°C) e sub-ótima (22°C).

(II) Substituição do óleo de peixe por misturas de óleos vegetais na deita da tilápia-do-nilo em duas temperaturas - Foram avaliadas três dietas com misturas de óleos vegetais (MIX-G, MIX-GL e MIX-L) e uma com óleo de peixe (OP) em juvenis de tilapia-do-nilo em dois ensaios: a 28°C e a 22°C. Nas misturas houve diferentes inclusões dos óleos de linhaça (L) e de girassol (G) sobre uma base de óleo de coco e oliva, o que alterou a proporção de PUFA da série n-3 e n-6.

(III) - Exigência do ácido graxo alfa-linolênico para tilápias em temperatura sub-ótima - Foram testadas cinco dietas com misturas de óleos vegetais (palmiste, oliva, girassol e linhaça) com níveis crescentes de óleo de linhaça e de ácido graxo alfa-linolênico (α-LNA, 18:3n-3), e uma dieta controle com óleo de peixe. Este estudo foi realizado somente a 22°C para estimar a exigência em α-LNA para a tilápia-do-nilo em temperatura sub-ótima, a qual ainda não tinha sido estabelecida.

Os ensaios foram realizados em triplicata com juvenis de tilápia-do-nilo, mantidos em unidades experimentais em sistema de recirculação de água doce e, alimentados até a saciedade aparente com dietas semi-purificadas extrusadas. A partir das amostras já coletadas de peixe inteiro, fígado e fezes, será analisado a digestibilidade de ácidos graxos da dieta, o balanço de ácidos graxos in vivo, a histologia do fígado e, a expressão gênica de desaturases e alongases no fígado. Os dados obtidos serão avaliados estatisticamente por análise de variância ou regressão, considerando o nível de significância de 5%.

Ver detalhes do projeto

  Camila Fernandes Corrêa      Apta Regional / IP

Melhoria da qualidade do peixe cultivado para o consumo humano

n° SGP 1125

Melhorar a sanidade e qualidade dos peixes cultivados em facilidades de piscicultura (reservatórios no estado de São Paulo e sistemas intensivos com recirculação de água na Dinamarca). A sanidade dos peixes será monitorada por abordagens clássicas e moleculares, e aprimorada por modulação de resposta imune inata por bioativos de β-glucanos. Parâmetros de qualidade da água, como comunidades bacterianas, toxinas e micróbios produtores de off-flavour serão relacionados a sanidade e crescimento dos peixes. 

Ver detalhes do projeto

  Gianmarco Silva David      Apta Regional / IP

AVALIAÇÃO DO FLUXO SANGUÍNEO FOLICULAR E LUTEAL E ESTUDO DA TERMOGRAFIA VULVAR SUPERFICIAL EM BÚFALAS DA RAÇA MURRAH SUBMETIDAS A PROTOCOLO HORMONAL COM E SEM eCG

n° SGP 1124

A ultrassonografia doppler e a termografia digital superficial são tecnologias de recente uso na Medicina Veterinária utilizadas de maneira não invasiva. Estas são ferramentas de auxilio diagnóstico por imagem que auxiliam no estudo dos fenômenos envolvidos durante o ciclo estral, foliculogênese, ovulação, luteogênese, luteólise e as alterações que estas geram na irrigação sanguínea das estruturas ovarias assim como na temperatura corporal e vulvar, podendo ser por resposta fisiológica à ação hormonal. Sendo de grande importância o estudo destes eventos fisiológicos visando melhorar a fertilidade do rebanho bubalino brasileiro. Objetiva-se avaliar as alterações morfológicas e de fluxo sanguíneo que ocorrem nas estruturas ovarianas, além de caracterizar as variações de temperatura corporal e da vulva acompanhados por variações nas concentrações hormonais durante o protocolo hormonal com e sem eCG em búfalas da raça Murrah. Serão selecionadas 20 búfalas em lactação que terão a ovulação sincronizada, utilizando o protocolo hormonal com e sem eCG. Após o 9° dia será realizado acompanhamento diário por ultrassonografia transretal modo B e modo Doppler, visando acompanhar a dinâmica folicular, ovulação, luteogênese e luteólise. A irrigação será mensurada primeiramente de forma subjetiva e posteriormente será realizada a análise objetiva da irrigação das estruturas utilizando “software”. As termografias da vulva, mufla e olho, serão realizadas diariamente anteriormente a ultrassonografia, entre 5:30h e 8:00h, após o maior folículo atingir 8,5 mm de diâmetro a termografia passará a ser realizada 2 x ao dia, durante todas as fases do ciclo estral. Os termogramas serão armazenados no cartão de memória e analisados com auxílio de “software”. Após, será aferida a temperatura retal com termômetro clínico digital. Serão colhidas amostras de 10 mL de sangue, diariamente para a dosagem das concentrações plasmáticas de progesterona e estradiol. Os dados serão submetidos à análise de variância por meio do procedimento do General Linear Models (GLM) do pacote estatístico Statistical Analysis System (SAS, 2009). As médias serão comparadas pelo teste de Tukey a 5%. Serão determinados coeficientes de correlações entre as variáveis estudadas.

Ver detalhes do projeto

  NELCIO ANTONIO TONIZZA DE CARVALHO      IZ

Qualidade e composição do leite de vacas mestiças em lactação mantidas em pasto de capim Tanzânia e diferentes fontes de proteína no concentrado

n° SGP 1123

Pensando na importância do leite na alimentação humana com um custo acessível a todas as classes sociais, o presente trabalho quer demonstrar que manipulando a dieta animal e alterando a composição do leite, este produto fique com um melhor perfil de nutrientes capaz de melhorar a nutrição e a saúde humana. Para isto 16 vacas mestiças Holandês x Gir, em sistema de pastejo rotacionado, provenientes do rebanho leiteiro do Polo Regional da Alta Mogiana serão agrupadas em blocos homogêneos e distribuídas em um delineamento experimental Quadrado Latino 4 x 4, por um período experimental de 84 dias, nos seguintes tratamentos: FAl – concentrado com 16,0% de PB na MS originário do farelo de algodão; FG – concentrado com 16,0% de PB na MS originário do farelo de girassol; FS – concentrado com 16,0% de PB na MS originário do farelo de soja; FAm – concentrado com 16,0% de PB na MS originário do farelo de amendoim. Será avaliada a produção, a composição do leite bem como o perfil de ácidos graxos no leite. Espera-se melhorar a qualidade da composição do leite com um custo de produção mais baixo e que este promova a saudabilidade. 

Ver detalhes do projeto

  Márcia Saladini Vieira Salles      Apta Regional / IZ

EFICIÊNCIA DE FOSFITOS NO CONTROLE DE VIROSES EM ABOBRINHA ITALIANA.

n° SGP 1122

Propõe-se a realização de experimentação em campo aberto, no Pólo Regional de Desenvolvimento Tecnológico dos Agronegócios do Extremo Oeste, sediado no município de Andradina-SP. Serão realizados 5 tratamentos:  3 doses de fosfito (100g de fosfito 100 l-1, 200g de fosfito 100 l-1, 300g de fosfito 100 l-1), 1 tratamento com fungicida e 1 tratamento testemunha. O delineamento experimental utilizado será em blocos casualizados, com 7 repetições. As parcelas serão constituídas pelos tratamentos propostos. Cada parcela terá 4 plantas com dimensão de 2 m de comprimento x 1 m de largura. Serão avaliados o diâmetro de fruto, comprimento de fruto, massa de fruto total e comercial do fruto, número de frutos total e comercial, identificação de doença, severidade da doença predominante e será feito o teste sorológico ELISA (“Enzyme Linked Immunosorbent Assay”), do tipo PTA (“Plate Trapped Antigen”), para confirmar a infecção pelas estirpes fracas de PRSV-W e ZYMV ( Para tal serão utilizados antissoros específicos contra a proteína capsidial do PRSV-W e do ZYMV). Os dados serão analisados no programa Sisvar 5.0 para Windows. Os resultados serão submetidos à análise de variância e em caso de efeito significativo para os tratamentos as médias de produção serão comparadas pelo teste de Tukey a 5%.

Ver detalhes do projeto

  Humberto Sampaio de Araújo      Apta Regional / IAC

Desempenho, qualidade da carcaça e da carne de novilhos Nelore, recebendo óleo de linhaça protegido durante diferentes períodos do confinamento.

n° SGP 1120

Esse projeto de pesquisa será desenvolvido com o objetivo de avaliar diferentes períodos de fornecimento do óleo de linhaça protegido da degradação ruminal, durante o confinamento, para novilhos Nelore, e os efeitos sobre o desempenho animal durante a terminação, característica da carcaça e qualidade da carne. Para isso, vinte e oito novilhos Nelore com 18 meses de idade e 400 kg de peso corporal inicial serão confinados em baias individuais durante 105 dias de período experimental (três subperíodos de 35 dias cada um), após 28 dias de adaptação ao manejo e alimentos. Os animais serão distribuídos em blocos pelo peso e sorteados para um dos seguintes tratamentos: dieta controle; ou a dieta com adição de óleo de linhaça protegido fornecido durante todo o período experimental, durante os dois últimos subperíodos ou durante o último subperíodo. A dieta experimental será composta por 60% de concentrado, sendo a silagem de milho utilizada como volumoso exclusivo. Os alimentos serão oferecidos duas vezes ao dia, permitindo-se uma sobra ao redor de 10%. Os animais serão pesados no início e final de cada subperíodo, após jejum de 15 horas. Ao final do confinamento, os animais serão abatidos em frigorífico comercial. Serão tomadas medidas para avaliação das características da carcaça como peso, rendimento, comprimento, largura, área de olho de lombo, espessura de gordura de cobertura, quebra de resfriamento, pH, temperatura e proporção do dianteiro, ponta de agulha e traseiro especial. A partir de um corte entre a 9a e a 13a costelas, serão retiradas amostras para determinação da cor da carne e da gordura, composição química, pH, capacidade de retenção de água, perdas, força de cisalhamento, avaliação sensorial, colesterol, composição e proporção entre os ácidos graxos, ácido linoléico conjugado e relação n-6:n-3. Serão também utilizadas amostras de carne que serão maturadas por 7 e 14 dias, e feitas as mesmas determinações da carne não maturada. Os resultados serão analisados estatisticamente considerando-se blocos inteiramente casualizados, com quatro tratamentos e sete repetições.

Ver detalhes do projeto

  Wignez Henrique      IZ

Determinação das exigências de energia e proteína para mantença de cordeiros de diferentes grupos genéticos.

n° SGP 1118

Este plano de ação visa determinar as exigências de energia e proteína líquidas para mantença de cordeiros puros das raças Dorper (D), Texel (T), Ile de France (I) e Santa Inês (S) e cruzadas ½ D + ½ S (DS), ½ T + ½ S (TS) e ½ I + ½ S (IS), nascidas em 2013. Serão utilizadas vinte e quatro machos de cada grupo genético, desmamadas aos 90 dias de idade. Os animais serão mantidos confinados em baias individuais durante 28 dias para adaptação às baias e à dieta, formulada de acordo com as exigências preconizadas pelo NRC (2007) para ganhos estimados entre 200 e 250 g/dia. Após esse período e 16 horas de jejum, seis animais de cada um desses grupos genéticos serão abatidos e será determinada a composição do corpo vazio, constituindo a linha base.
 Os outros dezoito animais de cada grupo genético serão mantidos confinados, recebendo a mesma dieta, em três níveis de ingestão de matéria seca com seis animais em cada grupo, sendo alimentação ad libitum, com restrição de 75% e com restrição de 60%, até que os animais do grupo alimentado ad libitum atinjam em média 35 kg de peso corporal. Depois disso, todos os animais serão mantidos em jejum por 16 horas e abatidos, para posterior determinação da composição química do corpo vazio.
 Antes do abate, os animais que tiverem produção de lã serão tosquiados. Todos os animais serão abatidos por insensibilização e será feita a sangria pela secção das veias jugulares e artérias carótidas, com colheita total do sangue. Será feita a separação da pele, da cabeça, das patas e das vísceras. Das vísceras, o trato digestivo será limpo e lavado, a bexiga será esvaziada e o líquido biliar será eliminado. As carcaças serão pesadas e separadas em suas metades, sendo utilizada a meia-carcaça esquerda para as análises. Todos esses tecidos (sangue, cabeça + patas, pele, vísceras, carcaça e lã) serão pesados, moídos, homogeneizados, amostrados e determinados o teores de matéria seca por liofilização. As amostras secas serão enviadas para o laboratório para determinação dos teores de proteína, extrato etéreo e minerais, para cálculo da composição química do corpo vazio.
 Será calculada a correlação entre peso da carcaça e peso do corpo vazio e com a composição corporal inicial (linha base) e final será possível determinar as exigências de energia e de proteína para para mantença de cordeiros dos diferentes grupos genéticos. Após análise da normalidade de distribuição e da homeocedasticidade das variâncias, os resultados serão submetidos à análise de variância para comparação entre os grupos genéticos.
 

Ver detalhes do projeto

  Wignez Henrique      IZ

ESTUDO DE CARACTERÍSTICAS LIGADAS AO ESTRESSE, TEMPERAMENTO E À REPRODUÇÃO EM FÊMEAS DA RAÇA GIR LEITEIRO

n° SGP 1117

O presente projeto tem por objetivo avaliar o efeito da estimulação tátil em vacas leiteiras da raça Gir Leiteiro no pré-parto sobre o comportamento, produção e reprodução das vacas durante a lactação e empregar técnicas de precisão (termografia infravermelha e dispositivos retículo-ruminais) para avaliar eventos reprodutivos (estro e parto) e comportamentais das vacas.  O delineamento experimental será em blocos casualisados, contendo dois tratamentos, um com estímulo tátil antes do parto (grupo tratado) e outro, sem o treinamento (grupo controle). Serão usadas cerca de 60 vacas primíparas e multíparas do rebanho da Fazenda Getúlio Vargas, EPAMIG - Uberaba-MG. Serão mensuradas características ligadas aos parâmetros comportamentais, fisiológicos e hormonais nas vacas dos dois grupos. Adicionalmente, o experimento deve empregar técnicas de precisão para acompanhamento de eventos reprodutivos do parto e estro das vacas, por meio de sensores de temperatura retículo-ruminal e de termografia infravermelha (TIV).

Ver detalhes do projeto

  Lenira El Faro Zadra      IZ

Fibras musculares e qualidade de diferentes cortes cárneos oriundos de fêmeas Nelore e Nelore x Santa Gertrudis contemporâneas terminadas em pastagem.

n° SGP 1116

A qualidade da carne está diretamente relacionada com as características das fibras musculares (tipo, número e área) e, dependendo da localização e função do músculo no animal, estas características podem diferir. Assim, objetiva-se neste trabalho correlacionar os tipos de fibras musculares com a maciez e a composição em ácidos graxos de diferentes cortes cárneos, bem como comparar as características da carcaça, peso e rendimento dos cortes primários e secundários de novilhas contemporâneas de diferentes composições genéticas. Para isso, serão utilizadas 32 fêmeas com aproximadamente 24 meses de idade, sendo 16 da raça Nelore e 16 cruzadas Nelore x Santa Gertrudis, sendo todas elas contemporâneas, do mesmo rebanho, filhas de touros do Programa de Melhoramento Genético do Instituto de Zootecnia de Sertãozinho, SP, e que foram manejadas exclusivamente em pastagens durante toda a vida, recebendo apenas sal mineral. Todos os animais serão abatidos no mesmo dia, sendo que o critério utilizado será o peso médio das fêmeas Nelore (450 kg de peso corporal). Atingido este ponto, os animais serão pesados após jejum completo por 16 horas e abatidos em frigorífico comercial, seguindo os procedimentos padrões. Serão tomadas medidas para avaliação das características da carcaça como comprimento, largura, pH, temperatura, peso e rendimento. Após 24 horas de resfriamento das carcaças, serão novamente tomadas as mesmas medidas, além da área de olho de lombo, espessura de gordura de cobertura, peso e rendimento dos cortes primários e secundários. Serão também retirados da carcaça os músculos Biceps femoris, Longissimus, Semitendinosus, Superficial pectoral e Triceps brachii para determinação da cor da carne, pH, capacidade de retenção de água, perdas por cozimento, força de cisalhamento, composição química, colesterol,  ácido linoleico conjugado, composição em ácidos graxos e das fibras musculares. Também serão realizadas as somatórias e relações entre os ácidos graxos, além do cálculo dos índices de qualidade dos ácidos e atividade enzimática nos músculos. Para a análise estatística dos resultados, será considerado um delineamento inteiramente casualizado, em esquema fatorial com dois grupos genéticos e cinco músculos, sendo os resultados analisados pelo SAS (versão 9.2), considerando-se o peso de abate dos animais como covariável. Serão avaliadas as interações entre os fatores e feitos os desdobramentos para aquelas que forem significativas. As composições das fibras musculares dos cinco músculos serão correlacionadas com todas as outras características estudadas, utilizado correlação simples de Pearson, pelo procedimento CORR.

Ver detalhes do projeto

  Wignez Henrique      IZ

Avaliação da Sustentabilidade de Sistemas de Produção da Cana-de-açúcar no Estado de São Paulo: Uma proposta metodológica e de modelo conceitual ? SustenAgro

n° SGP 1112

A sustentabilidade atualmente figura como item fundamental para conferir competitividade às cadeias agropecuárias. E quanto mais competitiva a cadeia, maiores são as barreiras não tarifárias impostas pelos competidores nacionais e internacionais. Cada vez mais clientes, consumidores, governos, legislação, comércio internacional e mídia exercem fortes pressões sobre os elos das cadeias de produção agropecuária. Para reagir a essas pressões, devem-se lançar mãos de ferramentas atualmente disponíveis como: implementação de sistemas de gestão de qualidade no campo, boas práticas agrícolas, organização das propriedades e dos elos da cadeia, busca por certificação e rastreabilidade. Essas ferramentas servem para reunir evidências de que os processos estão seguindo normas e regras compatíveis com os requisitos da sustentabilidade. Assim torna-se possível a transposição de barreiras não tarifárias e com isso o suprimento da demanda dos clientes finais, cada vez mais preocupados com a origem dos produtos que adquirem. O presente projeto tem por objetivo desenvolver uma Metodologia, intitulada Método SustenAgro, para a avaliação da sustentabilidade de sistemas de produção com grande expressividade para a agricultura nacional: a priori a cana-de-açúcar. Para testar a sua aplicabilidade para a avaliação da sustentabilidade de modo geral serão realizados testes para sua aplicação nos sistemas de produção mais representativos de cana-de-açúcar no estado de São Paulo.

Ver detalhes do projeto

  Sérgio Alves Torquato      Apta Regional / IEA

Avaliação da prevalência e combate da brucelose e tuberculose em bovinos de corte da Fazenda do Estado, PRDTA do Extremo Oeste

n° SGP 1111

A brucelose e tuberculose bovinas, enfermidades de caráter crônico, causadas pelas bactérias Brucella abortus e Mycobacterium bovis, respectivamente, constituem um importante problema de sanidade animal provocando prejuízos econômicos na exploração pecuária devido às perdas diretas na produção e na reprodução, além das restrições impostas à comercialização de produtos de propriedades, regiões ou países onde não são controladas. Além disso ambas as enfermidades são infecções naturalmente transmitidas dos animais ao homem podendo determinar infecções crônicas de difícil tratamento e ocasionalmente fatais. No Brasil, o Programa Nacional de Controle e Erradicação da Brucelose e Tuberculose Animal (PNCEBT) foi estabelecido com o propósito de padronizar e garantir a qualidade das ações profiláticas, de diagnóstico, de saneamento de rebanhos e vigilância sanitária ativa relacionadas ao combate da brucelose e tuberculose de bovinos e bubalinos. (A Instrução Normativa Ministerial nº 2/2001 instituiu e a Instrução Normativa SDA nº 6/2004 aprovou o regulamento técnico). O diagnóstico da situação real da ocorrência destas enfermidades, seu impacto na produtividade e a avaliação de medidas racionais de controle carecem de resultados científicos que possam ser transferidos na forma de ações executáveis em nível de propriedade rural. O projeto proposto pretende verificar anualmente a prevalência das enfermidades no rebanho pertencente ao do PRDTA Extremo Oeste, do Departamento de Descentralização do Desenvolvimento, da Agência Paulista de Tecnologia dos Agronegócios (APTA), da Secretaria de Agricultura e Abastecimento do Estado de São Paulo, e diante das informações obtidas desenvolver programa sanitário para o controle e/ou erradicação das enfermidades. Os testes sorodiagnósticos para brucelose e a realização e interpretação do teste tuberculínico estão descritos no Regulamento Técnico do Programa Nacional de Controle e Erradicação da Brucelose e Tuberculose Animal (BRASIL, 2001).

Ver detalhes do projeto

  Vera Cláudia Magalhães Curci      IB

Bioindicadores bentônicos como ferramenta na avaliação do impacto do rejeito de mineração na região do rio Doce.

n° SGP 1101

O presente estudo tem por objetivo a utilização da comunidade bentônica como bioindicadora da qualidade da água, sendo utilizada como ferramenta para avaliação do impacto ambiental gerado pelo rejeito de mineração na região do rio Doce.O projeto será realisado em parceria com a Universidade Federal de São Carlos (UFSCar). Foi realisada uma expedição em dezembro de 2015 logo após o rompimento da Barragem e uma expedição no período de 29 de março a 7 de abril aonde foram percorridos 17 pontos amostrais desde a nascente do rio doce e seus afluentes, até a foz do rio. Serão coletadas amostras de água, solo, sedimento, Fitplâncton e Zoplâncton e Macrofauna Bentônica, sazonalmente no período de um ano, sendo previstas 4 coletas trimestrais (sem contar com as duas expedições ja realizadas), mas podendo ser prorrogado de acordo com as condições de recuperação do rio, que são imprevisiveis.  Apenas as análises de bentos serão realisadas no Instituto de Pesca e não gerarão custos,  as demais análises serão realisadas na UFSCar. Todas as despesas de Campo serão custeadas pelo GIAIA.

Ver detalhes do projeto

  Luciana Carvalho Bezerra de Menezes      IP

SOJA MICRONIZADA SOBRE O DESEMPENHO E DIGESTIBILIDADE DE LEITÕES NA FASE INICIAL E EFEITOS RESIDUAIS NAS FASES DE CRESCIMENTO E TERMINAÇÃO

n° SGP 1094

Visto que o desmame é uma fase de grande estresse para o leitão, buscam-se ingredientes que possam ser inseridos na dieta de leitões desmamados, estimulando o consumo, melhorando a digestibilidade das dietas e reduzindo o nível de transtornos alimentares no pós-desmame. O farelo de soja (FS), apesar de ser uma opção economicamente viável traz consigo vários fatores que dificultam seu uso in natura. Nesse contexto, surge a soja micronizada (SM), que é tratada termicamente e reduzida a partículas pequenas, sendo capaz de inibir fatores antinutricionais da soja, além de aumentar a solubilidade e facilitar a assimilação de seus nutrientes. Com o objetivo de avaliar o efeito da substituição do farelo de soja por soja micronizada na dieta de leitões desmamados, será realizado experimento no Setor de Suinocultura do Instituto de Zootecnia e na UPD de Tanquinho. Serão testados cinco níveis de substituição do FS pela SM (0%, 25%, 50%, 75% e 100%). O experimento será dividido em três períodos: Período 1 - ensaio de desempenho da fase inicial, o qual serão utilizados 70 leitões com peso homogêneo e idade de 21 dias, distribuídos em blocos completos casualizados (definidos pelo peso inicial e sexo) com cinco tratamentos, sete repetições (blocos) por tratamento e dois animais por unidade experimental (baia), serão avaliados ganho de peso, consumo de ração, conversão alimentar, índice de diarreia e viabilidade econômica. Período 2- ensaio de desempenho nas fases de crescimento/terminação para a avaliação dos efeitos residuais do primeiro período sobre o desempenho, consumo alimentar residual (CAR), características de carcaça, qualidade da carne e proteômica, sendo utilizado os mesmos animais do Período 1. Período 3 - ensaio de digestibilidade, no qual serão utilizados 25 leitões em gaiolas metabólicas com cinco repetições por tratamento, utilizando o método da coleta total de fezes e urina e, testando as mesmas dietas experimentais do Período 1. Os dados serão analisados através do programa MIXED do SAS.

Ver detalhes do projeto

  SIMONE RAYMUNDO DE OLIVEIRA      Apta Regional / IZ

Avaliação do valor econômico de matrizes suínas de diferentes genótipos

n° SGP 1093

A evolução na produção e na produtividade suinícola das últimas décadas está fortemente vinculada aos avanços no melhoramento genético, na nutrição e na sanidade. O alto padrão exigido para a carne suína impulsiona os cientistas e a indústria para trabalharem concomitantemente com o objetivo do aprimoramento dos sistemas produtivos e das tecnologias envolvidas na produção, bem como a melhoria nos padrões de abate do animal, atendendo assim tanto a demanda tecnológica do complexo agroindustrial quanto às exigências dos consumidores.

Fatores genéticos e não genéticos influenciam a qualidade da carne. Entre os não genéticos, podem ser citadas as condições da granja, do transporte, do abate e do processamento (DE VRIES et al., 2000). A importância dos fatores genéticos pode ser verificada através de diferenças substanciais de herdabilidade entre e dentro de raças. A herdabilidade para a maioria das características da carne suína varia de 0,15 a 0,50 (SELLIER, 1998).

O tipo de produto que se deseja obter com a produção de suínos, ou seja, o mercado consumidor alvo é quem direciona a escolha do material genético que será usado, porque determinados genes herdados contribuem para a qualidade dos produtos obtidos após o abate, devendo-se, por isso, considerar as diferenças genéticas existentes entre raças, reprodutores e linhagens disponíveis no mercado.

Neste contexto a utilização de reprodutores de alto valor genético tem contribuído para o atendimento desta demanda por melhores animais que atendam às necessidades de qualidade de consumidores, tanto frigoríficos, entreposto de carnes e indústrias processadoras quanto do consumidor final. A utilização de suínos comerciais de alto potencial genético é importante para a obtenção de progênies que apresentem carcaças magras, com maior quantidade e qualidade da carne.

Ver detalhes do projeto

  SIMONE RAYMUNDO DE OLIVEIRA      Apta Regional / IZ

INDICADORES DE SUSTENTABILIDADE EM TRÊS SISTEMAS DE PRODUÇÃO DO CAMARÃO-DA-AMAZÔNIA Macrobrachium amazonicum PARA O MERCADO DE ISCAS VIVAS

n° SGP 1092

O presente trabalho objetiva avaliar o desempenho produtivo e a sustentabilidade econômica e ambiental de três sistemas de produção (tanques-rede em monocultivo, tanques de polietileno “in door”, e viveiro em mono e policultivo com lambaris Astyanax altiparanae) de camarões de água doce Macrobrachium amazonicum direcionados para o mercado de iscas vivas, por meio de três experimentos a serem realizados em três anos consecutivos. Em cada sistema serão testados diferentes tratamentos para avaliação do mais eficiente para cada um. No primeiro experimento, 15 tanques-rede com 200 L de volume serão colocados em um viveiro de 40 m2 em monocultivo, sendo povoados na densidade de 80 PL / m2 de tanque-rede contendo substratos para aumentar a área útil utilizada pelos camarões. Os tratamentos testados consistirão na porcentagem de substrato a ser adicionado em relação à área já disponível nos tanques-rede (fundo e paredes): a) aumento de 90% na área de substrato disponível; b) aumento de 150% e c) aumento de 180%. No segundo experimento, 15 tanques de polietileno de 500 L cada serão povoados com PLs de M. amazonicum na densidade de 80 PL / m2, considerando a área do fundo dos tanques. Os tratamentos testados serão: a) cultivo com renovação de água na proporção de 10% ao dia; b) cultivo com renovação de água na proporção de 20% ao dia; c) cultivo em água recirculante com filtro biológico externo. No terceiro experimento, 15 viveiros com 16 m2 e 1 m de profundidade média cada serão povoados com PLs na densidade de 80 / m2. Os tratamentos testados serão: a) monocultivo; b) policultivo com lambaris em tanques-rede na densidade de 25 peixes / m3 (400 peixes / viveiro); c) policultivo na densidade de 50 peixes / m3 (800 peixes / viveiro). O desempenho produtivo dos camarões e dos lambaris será avaliado pelos principais indicadores zootécnicos (sobrevivência, peso e comprimento médios individuais, biomassa, taxa de crescimento específico - SGR e taxa de eficiência alimentar aparente - FCE). A comparação estatística será feita através de ANOVA seguida do teste de Tukey ou, caso necessário, através de uma análise não paramétrica. A viabilidade econômica será determinada pelos indicadores mais comuns usados na análise econômica de projetos zootécnicos: Período de Retorno de Capital (PRC), Valor Presente Líquido (VPL), Taxa Interna de Retorno (TIR), Relação Benefício Custo (RBC) e Ponto de Equilíbrio (PE). Os indicadores de sustentabilidade ambiental a serem comparados entre os três sistemas serão o uso dos principais recursos naturais (nitrogênio, fósforo, água e espaço) utilizados para a produção de camarões e, no caso do experimento 3, camarões e lambaris.

 

Ver detalhes do projeto

  Helcio Luis de Almeida Marques      Apta Regional / IP

Influência de agrotóxicos na intensidade de infecção natural de Nosema spp. e de vírus, em abelhas A. mellifera africanizadas e abelhas sem ferrão, em condições de campo.

n° SGP 1087

A sanidade apícola representa hoje uma preocupação mundial, em virtude de fenômenos de causas ainda indefinidas, envolvidos com o declínio populacional e mortalidade de abelhas, com consequências negativas tanto em termos econômicos como ecológicos. No Brasil, resultados atuais mostram maior incidência de problemas sanitários, além de prejuízos relacionados à polinização de culturas, contrastando com o que ocorria em décadas anteriores. As abelhas Apis mellifera africanizadas podem ser acometidas por diversos organismos patogênicos, os quais, assim como os agrotóxicos, vêm sendo apontados como possíveis causas do declínio populacional destes insetos e quedas de produção. Recentemente, estudos relacionaram a contaminação por agrotóxicos à maior vulnerabilidade destas abelhas à infecção por microsporídios da ordem Nosema e alguns vírus. Estes microrganismos estão presentes no pólen, podendo ser transmitidos a outros insetos polinizadores, como as abelhas da subfamília Meliponinae. A atual proposta tem como objetivo avaliar a presença e prevalência dos microsporídios Nosema spp., dos vírus DWV, IAPV, CBPV, KBV, BQCV e ABPV e ainda, a presença e prevalência de resíduos de agrotóxicos (Standak®, Gastoxin®, Proof®, Keshet®, Premio® e Orium®) em abelhas Apis mellifera africanizadas e abelhas sem ferrão (Nannotrigona testaceicornis, Tetragonisca angustula e Tetragona sp.), de colônias que compartilham a mesma área de forrageamento. A determinação de resíduos desses contaminantes será também avaliada em produtos apícolas coletados em tais colônias (mel, pólen apícola, geleia real e pão de abelha). Pretende-se ainda estudar interações entre agrotóxicos, Nosema spp. e vírus em abelhas africanizadas e abelhas sem ferrão. As informações geradas poderão auxiliar na maior compreensão das relações entre possíveis fatores envolvidos no declínio populacional de abelhas e ainda gerar as primeiras informações sobre patógenos que acometem abelhas sem ferrão no Brasil, por meio de análises moleculares, servindo de subsídio para estratégias de preservação destas espécies.

OBS.: AGUARDANDO APROVAÇÃO (EDITAL UNIVERSAL, PREVISTO APROVAÇÃO AGOSTO/2016). RECIBO CNPQ PROTOCOLO 968804376129363.

Ver detalhes do projeto

  Érica Weinstein Teixeira      IB
  Sobre

O SGP (Sistema de Gestão de Pesquisa) foi implementado em todas as unidades APTA, para centralizar o controle de todos os projetos desenvolvidos sob sua supervisão. [Ler mais]

Endereço APTA – São Paulo

Praça Ramos de Azevedo, 254, 2º andar - República, São Paulo - SP

Fone : (11) 5067-0447 e 5067-0427

  Endereço APTA – Campinas

Avenida Barão de Itapura, 1481 - Botafogo, Campinas - SP

Fone : (19) 2137-8930