Exibindo todos os projetos ativos na APTA

Página Inicial / Busca de Projetos

846 projetos ativos encontrados - pág. 13 de 29

Efeitos de imunossupressores sobre a eficiência de transplantes de células germinativas

n° SGP 1072
A técnica de reprodutores substitutos permite a geração de gametas alógenos pelo transplante de células germinativas indiferenciadas de um doador para as gônadas de uma espécie hospedeira distinta. Esta ferramenta pode ser aplicada para conservação de espécies ameaçadas de extinção ou na produção de espécies comerciais que demandam muito tempo e esforço para produção. Proles já foram obtidas a partir de transplantes de células germinativas em reprodutores substitutos alogênicos e xenogênicos, no entanto, as baixas taxas de gametas derivados do animal doador tem limitado o estabelecimento deste método como uma tecnologia de produção eficiente com aplicação numa escala comercial. Acredita-se que um processo de rejeição, não só em adultos, mas também em embriões, que possuem sistema imunológico imaturo, seja responsável por essa baixa eficiência e que, portanto, estaria restringindo a colonização, proliferação e diferenciação das células germinativas transplantadas. A imunossupressão no organismo hospedeiro, muito utilizada em transplantes de órgãos ou tecidos em humanos, poderia ser uma forma de aumentar a eficiência na colonização das células transplantadas. A utilização de drogas imunossupressoras levaria à redução ou bloqueio de mecanismos de ativação ou proliferação de células do sistema imunológico, evitando dessa forma a rejeição imunológica no organismo hospedeiro. No entanto as drogas imunossupressoras geralmente utilizadas no controle da rejeição de transplantes de órgãos, no tratamento de doenças autoimunes ou no tratamento de câncer possuem diversos efeitos colaterais que podem causar danos teciduais se utilizadas em altas doses. Em peixes, estudos sobre os efeitos destas drogas é escasso e quando disponível está limitado a pouquíssimas espécies. Baseado nas considerações acima descritas, este trabalho visa avaliar o efeito da utilização de drogas imunossupressoras sobre a eficiência dos transplantes de células germinativas usando dois salmonídeos como modelo. Para tanto será verificado inicialmente (1) as alterações sobre mecanismos de resposta na imunidade e gametogênese. Em seguida (2) serão avaliados os efeitos da imunossupressão sobre a colonização, proliferação e diferenciação das células germinativas transplantadas.
OBS: Projeto submetido ao CNPq chamada Universal 01-2016 – FAIXA B – Até R$ 60.000,00
Ver detalhes do projeto

  Yara Aiko Tabata      Apta Regional / IP

Caracterização de genótipos de cana-de-açúcar à bactérias e fungos

n° SGP 1071

Considerando a importância econômica da estria vermelha, visando reduzir perdas de produtividade e melhor qualidade da produção da cana-de-açúcar, os objetivos do presente trabalho serão: (i) caracterizar padrões diferenciais de clones de cana-de-açúcar, em resistente intermediário e suscetível, necessários aos programas de melhoramento varietal a Acidovorax avenae subsp. avenae (Aaa) em cana-de-açúcar; (ii) determinar clones promissores de cana-de-açúcar quanto às reações de resistência a essa doença; (iii) determinar o período de incubação e progresso da doença; e (iv) a  sobrevivência de Aaa em restos de cultura da cana-de-açúcar. Para tanto, será realizado um “screening” de 18 genótipos quanto à reação de resistência ao patógeno: RB867515, CTC2, CTC4, IAC91-1099, IACSP93-3046, IACSP95-5000, IACSP95-5094, RB966928, IACSP96-3060, IACSP96-2042, IACSP97-4039, IACSP01-5502, IACSP01-5503, IACSP01-3127, IACSP02-3168, IACSP04-7060, IACCTC058126 e RB92579. Serão inoculadas plantas jovens, de 90 dias de brotadas, a 5,0 cm acima da ponta de crescimento apical, pelo método de picada e injeção com suspensão bacteriana a 108 UFC/mL. As plantas serão mantidas em câmara úmida (umidade relativa de 95±4%), por 30 dias. Em termos epidemiológicos, serão determinados o período de incubação, a curva de progresso da doença e o período de sobrevivência de Aaa em restos de cultura. 

Ver detalhes do projeto

  Ivan Antônio dos Anjos      IAC

GESTÃO SANITÁRIA DO ABORTAMENTO BOVINO: VÍRUS DA LEUCEMIA BOVINA COMO AGENTE CAUSAL

n° SGP 1067

O Laboratório de Anatomia Patológica do Instituto Biológico tem realizado, nos últimos dois anos, diagnóstico histopatológico em fetos bovinos abortados, onde verificou que 73,5% (86/117) dos casos apresentaram infiltrado inflamatório mononuclear e/ou polimorfonuclear, comprovando abortamento infeccioso e reforçando a importância de combinação de métodos sensíveis e específicos para conclusão do agente etiológico. Uma casuísta de 20 anos realizada pelo Instituto Biológico revela que cerca de 70% dos fetos abortados submetidos à investigação de agentes virais e bacterianos da reprodução possuem diagnóstico inconclusivo. Tendo em vista que a pesquisa do vírus da leucemia bovina (VLB) não faz parte do protocolo do diagnóstico diferencial de abortamento bovino nesta instituição, realizamos um estudo piloto onde foi detectado DNA proviral do VLB por meio da PCR em 18,2% (2/11) dos fetos (timo e baço). De acordo com estes achados prévios, o projeto proposto objetiva avaliar em uma maior amostragem, a ocorrência da infecção do VLB em fetos bovinos abortados pela PCR e sorologia fetal (ELISA), buscando correlacionar estes achados à histopatologia, idade fetal e origem das amostras. O seqüenciamento genômico do VLB será realizado com o objetivo de verificar o polimorfismo genético das amostras obtidas.

Ver detalhes do projeto

  Claudia Del Fava      IB

DIAGNÓSTICO HISTOPATOLÓGICO E VIROLÓGICO DO HERPERVÍRUS EQUINO EM FETOS ABORTADOS

n° SGP 1066

Os inquéritos soroepidemiológicos indicam que a Leptospira e o Herpesvírus Equino estão disseminados nos plantéis equinos brasileiros. A importância econômica destas infecções é decorrente de perdas com gastos no diagnóstico e tratamento, abortamento e suas complicações na eficiência reprodutiva, queda do desempenho em competição e/ou trabalho, além do fato da leptospirose ser zoonose. O Laboratório de Anatomia Patológica do Instituto Biológico realizou no ano de 2009 um estudo em 25 fetos equinos abortados utilizando as técnicas histopatológicas de coloração Hematoxilina/Eosina (H.E.) e Warthin-Starry em fragmentos de fígado e rins para pesquisa da Leptospira spp., e nos anos de 2010 a 2011 realizou um estudo em 42 fetos/natimortos equinos abortados utilizando a técnica de Imunofluorescência direta e H.E., em ambos os estudos, os resultados foram negativos aos dois agentes, apesar de terem sido observadas lesões histológicas sugestivas de abortamento infeccioso pela coloração H.E. A maioria dos estudos epidemiológicos de leptospirose e aborto equino a vírus utilizam sorodiagnóstico, sendo isolamento e a biologia molecular utilizadas no estudo direto do agente, entretanto, dadas as lesões histopatológicas observadas e o fato da prova de Imunohistoquímica aliar três informações importantes: o tipo e localização da lesão associada à presença do antígeno nestas, é proposto no presente projeto a utilização da técnica na pesquisa de leptospira e herpesvírus equino em tecidos fetais de equinos abortados/natimortos encaminhados ao Centro de Pesquisa e Desenvolvimento de Sanidade Animal do Instituto Biológico para diagnóstico diferencial de abortamento equino, e verificar a concordância com as técnicas de isolamento e PCR.

Ver detalhes do projeto

  Claudia Del Fava      IB

IMPACTO DA PLEUROPNEUMONIA SUÌNA NOS ÍNDICES ZOOTÉCNICOS E NO APROVEITAMENTO DE CARCAÇA EM SUÍNOS (Sus scrofa domesticus) EM FASE DE TERMINAÇÃO

n° SGP 1065

A suinocultura vem progredindo em grande escala, com uma maior tecnificação e assim possibilitando uma maior produção com estrutura e mecanismos desenvolvidos. Fatores ambientais, de manejo e concentração de animais predispõe o plantel à doenças respiratórias graves que acarretam sérios prejuízos econômicos pela perda de animais. Dentre as pneumonias bacterianas de importância, encontra-se a Pleuropneumonia Suína (PPS), doença causada pelo agente bacteriano Actinobacillus pleuropneumoniae e que se mostra muito presente em granjas, acometendo os animais e impedindo ganho de peso e desenvolvimento corpóreo, impedindo o abate desses animais no tempo adequado e possivelmente a condenação das carcaças dos contaminado. Dessa forma, a PPS é de suma importância economicamente e exige um estudo de avaliação das perdas que a mesma acarreta, bem como sua ocorrência. O presente trabalho propõe diagnosticar o A. pleuropneumoniae em suínos em fase de terminação por meio de sorologia (ELISA), anatomopatológico (macroscopia e microscopia), Reação em Cadeia de Polimerase (PCR) e cultivo microbiológico. Será avaliado o impacto da PPS, pela comparação entre animais infectados e não infectados, dos índices zootécnicos e perda de carcaça em abatedouro.

Ver detalhes do projeto

  Claudia Del Fava      IB

VIGILÂNCIA SANITÁRIA DAS ENCEFALITES BOVINAS: PAPILOMAVÍRUS COMO AGENTE CAUSAL

n° SGP 1063

O Laboratório de Anatomia Patológica do Instituto Biológico de SP é credenciado pelo Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (MAPA) para realizar o diagnóstico diferencial histopatológico das encefalites e Encefalopatia Espongiforme Bovina. No período de janeiro/2004 a outubro/2013 foram avaliadas por histopatologia 2.603 amostras de Sistema Nervoso Central (SNC) de bovinos com sinais clínicos de distúrbios nervosos negativos para Raiva (imunofluorescência direta), destes 2.130 (81,8%) não apresentaram alterações histopatológicas, e nos 473 (18,2%) materiais com alterações histopatológicas, a lesão mais prevalente foi meningoencefalite não purulenta inespecífica (MENPI) – 83,5% (395). A MENPI é composta por infiltrado de células inflamatórias mononucleares, que pode caracterizar infecção viral, havendo necessidade de pesquisas outros patógenos além dos usuais que acometem o SNC de bovinos, tendo em vista que existe uma parcela dos animais com síndrome neurológica com lesões onde não se consegue concluir o agente causal. O Papilomavírus Bovino (BPV) é epiteliotrópico e oncogênico, causando papilomas na pele e tumores no sistema digestivo e genital de bovinos. Foram publicados alguns relatos de caso de bovinos com papilomas no SNC, estando estas lesões localizadas no plexo coróide de terceiro ventrículo e meninge, porém estes trabalhos descreveram macro e microscopia, não havendo investigação de DNA do BPV nas lesões encontradas em condições naturais, apesar de outras publicações relatarem que o BPV inoculado experimentalmente na meninge de bezerros tenha causado meningioma. Tanto plexo coróide quanto meninges e pele originam-se do folheto ectodérmico embrionário, sugerindo haver tropismo do BPV por todos estes tecidos. O presente trabalho investigará  em sistema nervoso central de bovinos encaminhados ao Instituto Biológico, o diagnóstico diferencial de síndrome neurológica (Raiva, encefalopatia espongiforme transmissível), bem como verificar a presença do BPV pela PCR e associar lesões histológicas à biologia molecular, sequenciar o genoma e avaliar a filogenia a fim de associar possíveis genótipos às lesões causadas por este vírus.

 

Ver detalhes do projeto

  Claudia Del Fava      IB

Avaliação de cultivares de pêssego sob irrigação na região do Médio Paranapanema.

n° SGP 1047

A fruticultura destaca-se com uma das alternativas que permite obter uma rentabilidade maior para o produtor rural vis-à-vis as culturas da cana-de-açúcar, soja e milho, contribuindo para a sua manutenção no campo. Entretanto, ainda são poucas as informações técnicas acerca do desempenho de frutíferas de clima temperado na região. Será implantado um experimento com pêssego em condição de irrigação localizada por gotejamento. Para tanto, serão plantadas 5 cultivares, enxertadas sobre o porta-enxerto Okinawa, no espaçamento de 5,0m x 3,0m. O delineamento experimental será em blocos casualizados completos, com 5 cultivares e 4 repetições, perfazendo um total de 20 parcelas. A dimensão das parcelas será de 5m de largura por 12m de comprimento, com 4 plantas por parcela. Serão instalados 3 tensiômetros para monitoramento semanal da umidade do solo, nas profundidades de 20cm, 40cm e 60cm. Dados de radiação solar, velocidade do vento, temperatura, umidade do ar e precipitação, coletados por meio da estação meteorológica automática instalada na área, serão utilizados no cálculo da evapotranspiração de referência por Penman-Monteith e no cálculo do balanço de água no solo, conforme Allen et al. (1998). Serão realizadas análises de fertilidade química do solo nas camadas de 0-20, 20-40 e 40-60 cm antes e após a implantação do experimento. A correção do solo, as adubações e as práticas culturais seguirão as recomendações do IAC. Serão realizadas avaliações periódicas no experimento quanto a: Crescimento e fenologia; Produção e rendimento de polpa do primeiro ano; Desenvolvimento vegetativo; O primeiro ano será destinado à formação, condução e acompanhamento. A partir do segundo ano começa a fase produtiva, quando serão avaliados dados relacionados à produção, qualidade de frutos e monitoramento de doenças. A partir das primeiras colheitas, será realizada análise sócio-econômica das atividades, ressaltando custo de produção, rentabilidade e a viabilidade do sistema de irrigação empregado.

Ver detalhes do projeto

  SERGIO DONÁ      Apta Regional / IAC

Condução de maracujazeiro amarelo pé-franco e enxertado

n° SGP 1044

CONDUÇÃO DE MARACUJAZEIRO-AMARELO PÉ FRANCO E ENXERTADO

Caracterização do problema:

O Brasil destaca-se como o principal produtor mundial de maracujá, entretanto, a nossa produtividade é baixa, em torno de 14,84 t/ha, devido principalmente a ocorrência de problemas fitossanitários, práticas inadequadas de calagem e adubação e manejo inadequado da lavoura.

A morte prematura de plantas, provocada pela associação de fungos de solo, nematóides e bactéria, tem-se constituído em um dos principais problemas para a cultura no Brasil. Uma das alternativas para o controle desse problema é a utilização de porta-enxertos resistentes (CHAVES et al, 2004, SILVA et al., 2005, CAVICHIOLI et al., 2009). Várias espécies de passifloras nativas vêm apresentando resistência a essas doenças (CHAVES et al., 2004), destacando-se entre elas o Passiflora gibertii (OLIVEIRA et al., 1984, RONCATTO et al., 2004, CAVICHIOLI et al., 2009).

Plantas enxertadas têm desenvolvimento diferente de plantas pé-franco (CAVICHIOLI et al., 2011). Assim, a condução da planta é um importante fator a ser considerado em um sistema de produção, podendo interferir na eficiência técnica e econômica de uma cultura. As práticas culturais realizadas na cultura do maracujazeiro são de fundamental importância para que a planta evidencie aumento de produtividade e melhor qualidade de fruto. Por se tratar de uma planta trepadeira, o maracujazeiro necessita de suporte para proporcionar a boa distribuição dos ramos e garantir a produção de frutos (Lima et al., 2002).

Nos sistemas comerciais são utilizados a espaldeira vertical com mourões e estacas de 2,5 de comprimento, espaçados de 4 a 6 m e com 1 ou 2 fios de arame liso. Na formação da lavoura recomenda-se deixar apenas o ramo mais vigoroso, eliminando-se todos os ramos laterais, que será conduzido por um tutor até o fio de arame (Lima et al., 2002). Posteriormente, esses brotos deverão ser despontados para forçar o desenvolvimento das gemas laterais que formarão os ramos produtivos.

Objetivo

 Considerando que o uso da enxertia tem apresentado resultados satisfatórios no cultivo do maracujazeiro, mas por tratar-se de uma prática relativamente recente na cultura, que ainda está muito pouco incorporada nos plantios comerciais, devido a falta de informações como taxas de pegamento, vigor e desenvolvimento das plantas no campo e tolerância às doenças dos porta-enxertos este trabalho tem por objetivo avaliar diferentes sistemas de condução sobre o desenvolvimento e a produtividade de plantas de maracujazeiro-amarelo pé franco e enxertadas.

Metodologia

Serão realizados dois experimentos, um utilizando-se plantas enxertadas e outro com plantas sem enxerto (pé-franco). O experimento nº 1 foi instalado no mês de outubro de 2015 e está sendo conduzido em uma propriedade na Estrada 14, município de Adamantina. O experimento 2 (plantas enxertadas) será conduzido no município de Pracinha-SP,  na região da Nova Alta Paulista, no período de 2016 a 2018. Serão utilizados plantas de maracujazeiro-amarelo (Passiflora edulis Sims) enxertadas sobre o maracujazeiro-de-veado (Passiflora gibertii N.E. Brown), adotando-se o delineamento estatístico em blocos ao acaso, com quatro tratamentos e seis repetições. Será adotada a enxertia hipocotiledonar por garfagem tipo fenda cheia. Os tratamentos serão constituídos de diferentes conduções dos ramos secundários: T1 - Eliminação do ponteiro e condução de dois ramos secundários, T2 - Eliminação do ponteiro e condução de um ramo secundário, T3 - Dobramento do ponteiro e condução com um ramo secundário e T4 - Dobramento do ponteiro e condução com dois ramos secundários. Serão avaliados o comprimento dos ramos secundários, o número de ramos terciários, número de frutos, diâmetro longitudinal de frutos, diâmetro transversal de frutos, massa de frutos e produtividade.

Palavras-chave: maracujazeiro amarelo, enxertia, condução, morte prematura de plantas.

 

Ver detalhes do projeto

  José Carlos Cavichioli      Apta Regional / IAC

Avaliação de diferentes porta-enxertos na videira niagara rosada cultivada na região do Médio Paranapanema.

n° SGP 1042

 Na região do Médio Paranapanema a estrutura fundiária regional concentra-se nos estratos de até 100ha, e a maioria das pequenas propriedades rurais da região tem no cultivo da soja e/ou milho a base principal de suas atividades, o que não favorece a escala de produção que constitui-se num fator preponderante para a viabilidade desse tipo de empreendimento agrícola. Isso requer, portanto, que se desenvolvam alternativas para diversificação do setor agrícola regional. A fruticultura destaca-se como uma das alternativas que permite obter uma rentabilidade maior para o produtor rural entretanto, ainda são poucas as informações técnicas acerca do desempenho de frutíferas de clima temperado na região.. Será implantado um experimento com porta-enxertos de uva, em condição de irrigação localizada por gotejamento. O experimento será implantado com copa de uva niagara, enxertada em 5 porta-enxertos diferentes, no espaçamento de 2,5m x 1,0m. O delineamento experimental será em blocos casualizados completos, com 5 tratamentos (porta-enxertos) e 8 repetições, perfazendo um total de 40 parcelas. Serão realizadas avaliações periódicas quanto a: Crescimento e fenologia; Desenvolvimento vegetativo; O primeiro ano será destinado à formação, condução e acompanhamento do parreiral. A partir do segundo ano começa a fase produtiva, quando serão avaliados dados relacionados à produção, qualidade de frutos e monitoramento de doenças. A partir das primeiras colheitas, será realizada análise sócio-econômica das atividades, ressaltando custo de produção, rentabilidade e a viabilidade do sistema de irrigação empregado.

Ver detalhes do projeto

  SERGIO DONÁ      Apta Regional / IAC

Manejo ecológico de plantas de cobertura para o controle da vegetação espontânea em plantio direto de hortaliças

n° SGP 1040

O manejo conservacionista do solo para o cultivo de lavouras comerciais envolve métodos de revolvimento mínimo do solo ou plantio direto, manutenção permanente de cobertura do solo e rotação de culturas, medidas tais que proporcionam diversos benefícios ambientais, reduzem custos de produção e melhoram a fertilidade do solo e o rendimento das culturas. As plantas de cobertura são tradicionalmente utilizadas para rotação de cultura e formação de palha no solo para realização de plantio direto com qualidade. Um momento importante para o sucesso do plantio direto é o instante do acamamento da planta de cobertura para formação de palha na superfície. Usualmente, nesse momento, o agricultor faz uso de herbicidas para matar a planta de cobertura. Entretanto, observa-se aumento considerável de produtores que querem eliminar, ou mesmo reduzir o uso de insumos químicos em suas lavouras, fato que leva a necessidade de geração de tecnologias para matar as plantas de cobertura sem uso de herbicidas. Dessa forma a proposta do projeto é de avaliar espécies de plantas de cobertura, tanto de primavera/verão quanto de outono/inverno, factíveis de morte com ação do ‘rolo faca’ sem necessidade de herbicida. Para termos contraste no experimento, os tratamentos também receberão aplicação do herbicida glifosato após o acamamento das plantas de cobertura. Contudo, tanto para o experimento de primavera/verão quanto para o de outono/inverno o delineamento experimental será de blocos casualizados e os tratamentos estarão delineados em parcela subdividida com fator principal as plantas de cobertura (5) e secundário com e sem a aplicação de herbicida (2) em quatro repetições. Para isso, estudar-se-á a eficiência dessas espécies em vigor de crescimento, controle por competição com o estabelecimento e crescimento da vegetação espontânea, produção de massa seca para a formação da palha na superfície do solo e o estabelecimento e a interferência da vegetação espontânea no cultivo das hortaliças. Dessa maneira, disponibilizaríamos tecnologia ecológica para formação de palha na superfície do solo e controle da vegetação espontânea para o cultivo de hortaliças em plantio direto sem uso de herbicidas.         

Ver detalhes do projeto

  Roberto Botelho Ferraz Branco      IAC

Dinâmica e Desempenho Econômico das Pescarias Demersais das Regiões Sudeste e Sul do Brasil

n° SGP 1039

O projeto "Dinâmica e Desempenho Econômico das Pescarias Demersais das Regiões Sudeste e Sul do Brasil" será desenvolvido no contexto do projeto "Subsídios Científicos para o Manejo Espacial e com Enfoque Ecossistêmico da Pesca Demersal nas regiões Sul e Sudeste do Brasil", coordenado pelo Prof. Dr. Angel Alvarez Perez (UNIVALI) e aprovado na Chamada MCTI/MPA/CNPq No 22/2015 – Ordenamento da Pesca Marinha Brasileira Linha Temática: V – Recursos Pesqueiros Demersais da Costa Sul/Sudeste (S/SE). O estido específico parte da premissa de que podem ser identificados padrões de operação das frotas pesqueiras e de distribuição das espécies demersais na área de estudo e que essas vinculam-se às variações oceanográficas e às características biogeográficas da área de mar ao largo das regiões sudeste e sul do Brasil. Como corolário, a complexidade e os custos dos métodos de pesca necessários para explorar os recursos
pesqueiros demersais de cada ambiente, assim como a abundância e o valor econômico das capturas resultantes, levariam a uma diferenciação dos meios de produção e do potencial de produção pesqueira, na geração de empregos e na remuneração da atividade. Dessa forma, a identificação de áreas com características similares podem propiciar a delimitação de unidades espaciais de gestão pesqueira, aqui chamadas de Unidades Geográficas de Gestão (UGGs). A interação da atividade pesqueira com outras atividades antrópicas também deve ser considerada.

Ver detalhes do projeto

  Antônio Olinto Ávila da Silva      IP

PRODUTIVIDADE DE MILHO EM SISTEMA INTEGRADO DE PRODUÇÃO AGROPECUÁRIA

n° SGP 1037

Como maneira de intensificar o uso das terras com maior rendimento por área o sistema agrossilvipastoril, tem sido empregado nas propriedades rurais no sudoeste paulista, associando as árvores aos cultivos agrícolas para produção simultânea de culturas florestais e agrícolas e também pastagens. A integração de árvores e cultivos agrícolas pode resultar numa utilização mais eficiente de água, nutrientes e radiação solar do que, geralmente, é possível em monocultivos florestais ou agrícolas (BENE et al., 1977). A cultura do milho devido á simplicidade de condução e amplitude de utilização diante de diversidades climáticas é particularmente uma cultura interessante para a formação de sistemas consorciados com florestas. No Brasil a cultura do milho (zea mays) é de grande importância para o agronegócio, sendo base de sustentação para a pequena propriedade, e é considerada no complexo agroindustrial um dos principais insumos existentes. Adotar sistemas como silviagrícola, melhora a capitalização do pequeno produtor podendo o mesmo aproveitar o tempo, devido á diversidade de culturas envolvidas no sistema.

Ver detalhes do projeto

  CRISTINA MARIA PACHECO BARBOSA      Apta Regional / IZ

ALTERNATIVAS PARA AMPLIAÇÃO DA RENDA DA CAFEICULTURA NO ESTADO DE SÃO PAULO: CONSÓRCIO DE CAFEEIRO ARÁBICA (Coffea arabica L.) E NOGUEIRA-MACADÂMIA (Macadamia integrifolia Maiden & Betche)

n° SGP 1034

Anualmente, aproximadamente 7.000 hectares de cafeeiro são erradicados no Estado de São Paulo. O consórcio do café (Coffea arabica L.) com nogueira-macadâmia (Macadamia integrifolia Maiden & Betche) tem se mostrado benéfico à cultura, como redução na incidência de ventos e na temperatura máxima do ar. Esse sistema produtivo permite ao agricultor uma renda adicional proveniente da segunda cultura, o que o torna favorável. Assim, áreas ocupadas por cafezais com prognóstico de erradicação podem oferecer oportunidade de instalação de cultivos consorciados, provisórios ou permanentes, ampliando a renda dos produtores no Estado. Entretanto, não existem estudos de como se pode promover essa implantação do consórcio em lavouras de café pré-existentes. Quando plantados ao mesmo tempo, considerando o uso de colheitas manuais, o consórcio de café com a nogueira-macadâmia se mostrou economicamente mais eficiente que os cultivos solteiros, nos anos iniciais, oferecendo uma alternativa de ampliação de renda, principalmente aos pequenos cafeicultores. Contudo, nos últimos anos, até mesmo os pequenos produtores necessitaram mecanizar suas colheitas. Nesse aspecto, abriu-se uma lacuna sobre estudos da viabilidade do consórcio de café com a nogueira-macadâmia em sistemas totalmente mecanizados. Para elucidar as questões abordadas, instalaram-se dois experimentos. O experimento I foi instalado em julho de 2015, no município de Dois Córregos-SP, em uma área com cultivos de café solteiro e consorciado com nogueira-macadâmia, de 9 anos de idade. O experimento é conduzido totalmente em condição irrigada, é composto por seis tratamentos, mais testemunha, ou seja, café consorciado com seis variedades de nogueira-macadâmia (IAC 9-20, IAC 4-12B, IAC 4-20, HAES 660, HAES 816, e HAES 344) e café solteiro, instalado em delineamento inteiramente casualizados, com cinco repetições. Esse tem o objetivo de avaliar se o sistema consorciado, em fase adulta, oferece vantagens fitotécnicas econômicas sobre o cultivo solteiro, nas condições de colheita mecanizada. E também, avaliar qual dentre as variedades de nogueira-macadâmia tem características mais desejáveis ao consórcio em cultivo totalmente mecanizado, em idade “adulta”. O experimento II foi instalado em outubro de 2014 no município de Gália-SP, com o objetivo de estudar formas de substituição de lavouras de café ineficientes por cultivos consorciados de café-macadâmia viáveis. Nesse, o delineamento foi o de blocos casualizado, com 4 repetições e 6 tratamentos: 1 – eliminação de um cafeeiro e plantio da nogueira-macadâmia em sua cova; 2 – plantio da nogueira-macadâmia entre dois cafeeiros recepados, a 40 cm; 3 – plantio da nogueira-macadâmia entre dois cafeeiros esqueletados, a 30 cm; 4 – plantio da nogueira-macadâmia entre dois cafeeiros que não sofrerão interferência; 5 – nogueira-macadâmia solteira, plantada em área de café erradicado e 6 – café solteiro. Em ambos os experimentos serão avaliados: altura da planta, diâmetro da copa e diâmetro do tronco das plantas de macadâmia, número de nozes por planta, produção de nozes por planta e produção de amêndoas por área nas nogueiras-macadâmia e altura, diâmetro do tronco e produtividade dos cafeeiros. Os dados serão analisados com o auxílio do programa estatístico SAS (2003) e as médias comparadas pelo teste de Tukey a 5% de probabilidade. Em ambos os experimentos, todos os valores de entrada e saída de recursos serão registrados e, considerando-se os custos de produção e receitas brutas obtidas, far-se-á um comparativo entre as receitas líquidas, apurando-se o tratamento de maior viabilidade.Anualmente, aproximadamente 7.000 hectares de cafeeiro são erradicados no Estado de São Paulo. O consórcio do café (Coffea arabica L.) com nogueira-macadâmia (Macadamia integrifolia Maiden & Betche) tem se mostrado benéfico à cultura, como redução na incidência de ventos e na temperatura máxima do ar. Esse sistema produtivo permite ao agricultor uma renda adicional proveniente da segunda cultura, o que o torna favorável. Assim, áreas ocupadas por cafezais com prognóstico de erradicação podem oferecer oportunidade de instalação de cultivos consorciados, provisórios ou permanentes, ampliando a renda dos produtores no Estado. Entretanto, não existem estudos de como se pode promover essa implantação do consórcio em lavouras de café pré-existentes. Quando plantados ao mesmo tempo, considerando o uso de colheitas manuais, o consórcio de café com a nogueira-macadâmia se mostrou economicamente mais eficiente que os cultivos solteiros, nos anos iniciais, oferecendo uma alternativa de ampliação de renda, principalmente aos pequenos cafeicultores. Contudo, nos últimos anos, até mesmo os pequenos produtores necessitaram mecanizar suas colheitas. Nesse aspecto, abriu-se uma lacuna sobre estudos da viabilidade do consórcio de café com a nogueira-macadâmia em sistemas totalmente mecanizados. Para elucidar as questões abordadas, instalaram-se dois experimentos. O experimento I foi instalado em julho de 2015, no município de Dois Córregos-SP, em uma área com cultivos de café solteiro e consorciado com nogueira-macadâmia, de 9 anos de idade. O experimento é conduzido totalmente em condição irrigada, é composto por seis tratamentos, mais testemunha, ou seja, café consorciado com seis variedades de nogueira-macadâmia (IAC 9-20, IAC 4-12B, IAC 4-20, HAES 660, HAES 816, e HAES 344) e café solteiro, instalado em delineamento inteiramente casualizados, com cinco repetições. Esse tem o objetivo de avaliar se o sistema consorciado, em fase adulta, oferece vantagens fitotécnicas econômicas sobre o cultivo solteiro, nas condições de colheita mecanizada. E também, avaliar qual dentre as variedades de nogueira-macadâmia tem características mais desejáveis ao consórcio em cultivo totalmente mecanizado, em idade “adulta”. O experimento II foi instalado em outubro de 2014 no município de Gália-SP, com o objetivo de estudar formas de substituição de lavouras de café ineficientes por cultivos consorciados de café-macadâmia viáveis. Nesse, o delineamento foi o de blocos casualizado, com 4 repetições e 6 tratamentos: 1 – eliminação de um cafeeiro e plantio da nogueira-macadâmia em sua cova; 2 – plantio da nogueira-macadâmia entre dois cafeeiros recepados, a 40 cm; 3 – plantio da nogueira-macadâmia entre dois cafeeiros esqueletados, a 30 cm; 4 – plantio da nogueira-macadâmia entre dois cafeeiros que não sofrerão interferência; 5 – nogueira-macadâmia solteira, plantada em área de café erradicado e 6 – café solteiro. Em ambos os experimentos serão avaliados: altura da planta, diâmetro da copa e diâmetro do tronco das plantas de macadâmia, número de nozes por planta, produção de nozes por planta e produção de amêndoas por área nas nogueiras-macadâmia e altura, diâmetro do tronco e produtividade dos cafeeiros. Os dados serão analisados com o auxílio do programa estatístico SAS (2003) e as médias comparadas pelo teste de Tukey a 5% de probabilidade. Em ambos os experimentos, todos os valores de entrada e saída de recursos serão registrados e, considerando-se os custos de produção e receitas brutas obtidas, far-se-á um comparativo entre as receitas líquidas, apurando-se o tratamento de maior viabilidade.

Ver detalhes do projeto

  Marcos José Perdoná      Apta Regional / IAC

NEMATÓIDES ENTOMOPATOGÊNICOS: PRODUÇÃO MASSAL E POTENCIAL DE USO NO CONTROLE BIOLÓGICO DE PRAGAS

n° SGP 1033

Nematóides ditos entomopatogênicos, ou NEPs, pertencentes às famílias Steinernematidae e Heterorhabditidae (Nematoda: Rhabditida) têm despontado como excelentes agentes de controle biológico. Apresentam um conjunto de atributos peculiares, que os tornam  promissores para o controle de pragas.  Vivem em associação com bactérias simbiontes, entomopatogênicas, que se localizam no trato intestinal de seus juvenis infectivos. Estes possuem a habilidade de localizar e invadir o corpo de insetos hospedeiros por suas aberturas naturais ou mesmo através da cutícula.  Após invadir o corpo do inseto, alcançam o hemoceloma e ali liberam a bactéria, que provoca septicemia e causa a morte do hospedeiro dentro de 24 a 48 horas. Paralelamente à almejada redução no uso de pesticidas, progressos recentes alcançados nas tecnologias de produção massal e de formulação, bem como a verificação da alta eficiência de algumas espécies e a descoberta de novos isolados tidos como promissores, têm proporcionado motivação adicional a pesquisadores e empresas interessados no estudo e utilização comercial desses nematóides.   Um número crescente de espécies - atualmente são 25 no gênero Steinernema e 11 em Heterorhabditis – já é conhecido, várias ocorrendo em muitas partes do mundo; dentre elas, algumas estão disponíveis em escala comercial, obtidas através de produção massal em diferentes meios de cultura, para uso em cultivos de alto valor de mercado em países tais como Estados Unidos, Canadá, Japão e Austrália. No Brasil, até o presente, este campo de estudos praticamente não tem sido explorado. Os objetivos deste projeto são: i) avaliar diferentes meios de cultura sólidos visando à produção massal de um isolado nativo de Heterorhabditis sp., já disponível no Instituto Biológico/Campinas, e de outros obtidos durante o estudo;  ii) avaliar o potencial de uso de novas espécies/isolados nativos, obtidos de solo de diferentes culturas de interesse econômico em regiões distintas do Estado de São Paulo,  no biocontrole de certas espécies de insetos-pragas.

 

 

 

Ver detalhes do projeto

  Luis Garrigós Leite      IB

Avaliação da eficácia do herbicida EXP3825 70%WG na dessecação pré-colheita da batata

n° SGP 1031

Dentre os problemas de manejo na colheita e pré-colheita da batata, as perdas provocadas pela infestação das plantas daninhas, o esfolamento da pele dos tubérculos, entre outros aspectos indesejáveis à qualidade, são fatores que exigem do produtor estratégias de manejo adequado. Neste contexto, a dessecação pré-colheita é uma das práticas de manejo essencial na produção comercial de batata-consumo, pois resulta na padronização comercial dos tubérculos quanto ao tamanho, coloração e firmeza da pele, o que confere resistência a danos mecânicos durante a colheita, transporte e beneficiamento, maior durabilidade e tempo de prateleira, permitindo maior planejamento da colheita, a fim de obter melhores preços durante a comercialização. A dessecação pré-colheita das ramas é normalmente realizada com herbicidas, utilizando-se produtos com forte ação de contato, que matam rapidamente os tecidos verdes, provocando a descoloração das folhas e o rompimento das membranas celulares horas após aplicação. A dessecação pode atuar positivamente de forma indireta na cultura impedindo a passagem de vírus das ramas e folhas para os tubérculos em áreas destinadas à produção de semente, diminuindo o contágio dos tubérculos por fungos e bactérias e uniformizando a maturação. Ressalta-se que nem todos os produtos são registrados para esta modalidade de aplicação, bem como promovem os rendimentos de colheita e proporcionam maior qualidade da batata. O presente projeto de pesquisa tem como objetivo avaliar a eficácia do herbicida EXP3825 70%WG na dessecação pré-colheita da batata e na qualidade dos tubérculos.

 

Ver detalhes do projeto

  Sally Blat      IAC

PRODUÇÃO E FORMULAÇÕES DE BIOINSETICIDAS A BASE DE FUNGOS ENTOMOPATOGÊNICOS

n° SGP 1030

O comércio de bioinseticidas está amparado em amplo mercado decorrente não somente de agricultores preocupados em diminuir o impacto ambiental e riscos de intoxicação, bem como os praticantes de agricultura orgânica, a qual tem crescido consideravelmente ao nível mundial. Apesar do avanço na produção de Metarhizium anisopliae e Beauveria bassiana ainda são necessários estudos a respeito do aperfeiçoamento do método de produção em bandejas, visando o aumento da esporulação, facilidade de desprendimento dos propágulos e a formulação. Novos estudos de formulações de B. bassiana e M. anisopliae precisam ser realizados, principalmente as formulações partindo do próprio meio de cultura (pó molhável e suspensões concentradas) e as formulações a base de óleo emulsionável. Desse modo, os objetivos desse projeto são: a) Estudar meios de cultura líquidos para a produção de esporos e/ou massa micelial de B. bassiana e M. anisopliae; b) Desenvolver método bifásico de produção de M. anisopliae e B. bassiana. c) Desenvolver formulações dos tipos: concentrado emulsionável (CE) e/ou suspensão concentrada (SC) (conídio aéreo) e/ou granulada (micélio seco) de M. anisopliae e B. bassiana produzido em meios de culturas líquidos.

Ver detalhes do projeto

  José Eduardo Marcondes de Almeida      IB

Estudo da diversidade cultural, genética e métodos de criopreservação da Coleção de Fungos Entomopatogênicos ?Oldemar Cardim Abreu? do Laboratório de Controle Biológico do Instituto Biológico ? Campinas-SP.

n° SGP 1029

 O controle microbiano é baseado em microrganismos entomopatogênicos, necessitando, de pesquisas na área de biodiversidade a fim de isolar, identificar, caracterizar e selecionar os isolados mais interessantes para o controle de pragas específicas. Os fungos são mais frequentemente encontrados na natureza e os mais utilizados nos estudos quanto à aplicação no controle biológico de pragas. O suporte para as pesquisas para o uso de fungos no controle de insetos está diretamente relacionado a uma coleção de microrganismos entomopatogênicos, onde são isolados, armazenados e conservados, permitindo assim a sua manipulação em laboratório para as pesquisas de controle de pragas e estudos de produção em larga escala, formulação e comercialização desses microrganismos, sendo chamados de bioinseticidas na fase final de aplicação a campo. Os objetivos desse projeto são: introdução de novos isolados de fungos entomopatogênicos, melhorar as técnicas de identificação através de estudos culturais e moleculares, desenvolver novas técnicas de armazenamento e estudos de caracterização de isolados, permitindo assim maior precisão para a seleção de isolados para pragas.

Ver detalhes do projeto

  José Eduardo Marcondes de Almeida      IB

Produtividade de mandioca em função do uso de calcário e adubo orgânico

n° SGP 1028

A cultura da mandioca extrai grande quantidade de nutrientes do solo e, em função disso, a presença de nutrientes em quantidades adequadas no solo favorece sua produtividade. A correção do solo e a adubação são importantes para elevação da produtividade da cultura e manutenção da fertilidade do solo. Assim, neste trabalho objetivou-se avaliar a influência do uso de calcário e de esterco de galinha poedeira sobre a produtividade e características morfológicas de raízes de mandioca, bem como sua influência sobre propriedades químicas e físicas do solo. O delineamento experimental será em blocos ao acaso e serão avaliadas produtividade e características morfológicas de raízes de mandioca (massa fresca individual, diâmetro e comprimento de raiz), bem como seus efeitos sobre propriedades químicas e físicas do solo. 

Ver detalhes do projeto

  Amarílis Beraldo Rós      Apta Regional / IAC

Pesquisa e monitoramento de enfermidades que interferem na qualidade sanitária do plantel suídeo do estado de São Paulo

n° SGP 1027

         Dados da Cadeia Produtiva da Carne Suína do Estado de São Paulo (PEETZ et al.,1996), mostram que o Estado de São Paulo é responsável pela produção de 18,5% da carne suína produzida no Brasil, destacando-se ainda, entre os 15 principais produtos da agropecuária paulista (estimado em 7,4 bilhões de reais)      .

Neste Estado, a suinocultura é uma atividade bastante difundida, estando presente em 80.000 dentre as 300.000 propriedades agrícolas, justificando a existência de um Programa que de suporte sanitário a este setor.

A prioridade do Programa é erradicar a peste suína clássica em todo o país, de forma paulatina e progressiva a partir de regiões prioritárias, indicadas em função da importância econômica da suinocultura e das condições epidemiológicas existentes, tendo em vista tratar-se de uma enfermidade limitante para o comércio interno e externo.

  A erradicação consiste na aplicação organizada, articulada e sistemática de ações sanitárias que impeçam a reintrodução do vírus nas regiões  livres, eventual recrudescimento, diagnóstico imediato e pronta atuação profilática para a eliminação do foco no ponto do aparecimento.   Implantado em 1981, o Programa apoiava-se na vacinação de animais destinados ao abate principalmente dos estados da região sul e sudeste do país, incluindo São Paulo e Minas Gerais. Já em 1994, graças também ao apoio da iniciativa privada, os estados do sul, Minas Gerais, Mato Grosso e Mato Grosso do Sul foram declarados livres de PSC sem vacinação o que somente ocorreria no estado de São Paulo no ano de 2000, uma vez que o último foco da enfermidade foi registrado em 1998. A manutenção  deste status,  implica na exigência de exames sorológicos para a movimentação e o trânsito de animais de zonas infectadas para zonas livres de peste suína clássica. Ainda, conforme exigência das missões européias, será realizada a  sorologia para pesquisa de anticorpos e atividade viral, como parte do plano de contingência para esta enfermidade.

O Programa contempla ainda, a erradicação ou controle de outras enfermidades de importância para os suídeos. Assim sendo,   principalmente as enfermidades reprodutivas,  têm sido controladas através da vigilância epidemiológica sistemática com o monitoramento semestral do plantel reprodutor para certificação de Granjas de Suínos.

A vigilância epidemiológica no estado  vem sendo adotada com maior rigor, desde a certificação das primeiras granjas de suínos reprodutores,  sendo incrementada a partir de meados de 1998, quando ficou proibido o uso da vacina contra peste suína clássica. Devido à características similares, esta enfermidade nos últimos anos, vem sendo estudada no grupo daquelas que ocasionam transtornos reprodutivos como a parvovirose,  doença de Aujeszky, brucelose e leptospirose, Síndrome reprodutiva e respiratória dos suínos (SRRS), toxoplasmose e, como as demais, acarreta vultuosos prejuízos econômicos. Em um surto da Doença de Aujeszky num plantel de 120 matrizes, onde ocorreram 22 abortos, 50 repetições de cio e morte de 337 leitões na fase de amamentação, constatou-se uma perda econômica de 23,68% da renda total e 45,05% da renda líquida do mês. Se considerarmos que o estado está livre, sem vacinação há  quatro anos , o aparecimento de um foco de PSC acarretaria além das mortes provocadas pela enfermidade, o sacrifício sumário de todos os animais em um raio de 5km e, a conseqüente indenização dos proprietários envolvidos. Assim, podemos inferir que os prejuízos decorrentes da interrupção do Programa, podem acarretar a perda de bilhões de reais para os produtores e o fechamento das barreiras impedindo o livre comércio.

Ver detalhes do projeto

  Josete Garcia Bersano      IB

VARIABILIDADE GENÉTICA E NÃO GENÉTICA NO DESEMPENHO DE EQUINOS

n° SGP 1024

Serão comparados sistemas de produção de equinos da raça Brasileiro de Hipismo (BH) sob distintos efeitos genéticos e ambientais. Matrizes pertencentes ao rebanho do PRDTA da Alta Mogiana, Colina serão acasaladas com garanhões das raças BH ou Hanoveriano. Os animais do rebanho avaliado serão mantidos em sistema intensivo ou semi-extensivo. Serão registradas informações sobre crescimento, desenvolvimento ósseo, comportamento, nutrição, conformação corporal, qualidade dos andamentos básicos e saltos em liberdade dos potros e cavalos jovens, de modo a avaliar a variabilidade genética e não genética nos sistemas de produção considerados.

Tendo disponíveis tais informações, relevantes ao desempenho esportivo das progênies de garanhões e matrizes, contando com rebanho base de qualidade genética louvável, será implementado programa de seleção dentro de rebanho, mediante a avaliação do desempenho esportivo de potros e cavalos jovens.

Como resultados principais, haverá o fomento ao mercado consumidor de animais genetica e fenotipicamente superiores, transferência de tecnologia na avaliação de equídeos de salto a outros criatórios, na criação mais sustentável do ponto de vista econômico, ambiental e social, além disso, proverá formação e treinamento de recursos humanos, desde o nível básico até o de formação superior.

Devido ao fato da pesquisa avaliar o próprio rebanho da fazenda, o interesse em empresas privadas contribuírem com recursos financeiros, é bastante escasso. No caso, o maior interesse, é para a própria instituição – em virtude da geração de informações úteis para a melhora produtiva e técnica do rebanho, bem como para a comunidade que é prestigiada por equinos de melhor qualidade para as diversas funções, bem como pela disponibilização de informações a serem utilizadas em outros criatórios.

Ver detalhes do projeto

  Anita Schmidek      Apta Regional / IZ

Estabelecimento de programa reprodutivo utilizando inseminação artificial em tempo fixo seguido de ressincronização em fêmeas bovinas leiteiras

n° SGP 1023

A inseminação artificial (IA) é uma tecnologia relevante para aumentar a produtividade em rebanhos especializados na produção de leite. Os programas de sincronização da ovulação para inseminação artificial em tempo fixo (IATF) são ferramentas que permitem aumentar o número de fêmeas inseminadas, eliminando a necessidade de detecção de estro, aumentando a eficiência reprodutiva dos rebanhos. Atualmente, os protocolos de sincronização da ovulação estabelecidos, apresentam resultados satisfatórios e previsíveis quando aplicados em propriedades com adequado manejo nutricional e sanitário. Vários estudos foram realizados para estabelecer programas reprodutivos aplicados ao manejo das propriedades comerciais com os protocolos de IATF existentes. Tais programas visam facilitar e intensificar a aplicação dessas biotecnologias, bem como adequá-las aos objetivos específicos de cada fazenda. Atualmente, dentre as formas de intensificação do uso da IA/IATF, o estabelecimento de programas de ressincronização das fêmeas não gestantes após o primeiro serviço merecem destaque. Os programas de ressincronização eliminam a necessidade de observação de estro (facilitam o manejo e aumentam a taxa de serviço), reduzem o intervalo entre o parto e a concepção (aumentam a eficiência reprodutiva) e aumentam o número de produtos oriundos de IA (incremento do ganho genético), determinando maior lucratividade às propriedades produtoras de leite. Em resumo, o aprimoramento das técnicas de IATF associadas aos programas de ressincronização são ferramentas eficientes para o alcance máximo da eficiência reprodutiva dos rebanhos de forma organizada, pré-determinada e previsível, ou seja, com resultados zootécnicos satisfatórios e precisos. Portanto, uma vez estabelecido o objetivo da atividade rural, esses programas são incorporados ao sistema de produção e de gestão, aumentando a produtividade e a rentabilidade da propriedade.Os tratamentos hormonais utilizados na IATF faz parte da parceria com o Departamento de Reprodução Animal da FMVZ/USP.

Ver detalhes do projeto

  João Batista Pereira de Carvalho      Apta Regional / IZ

Estudo Econômico dos Mercado de Grãos (algodão, amendoim, arroz, feijão, milho,soja e trigo) e Mandioca Industrial

n° SGP 1019

~~De acordo com o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística   o PIB de 2017 ao final do terceiro trimestre apresentou crescimento de 1,4% quando comparado ao mesmo período do ano anterior. Segundo o mesmo relatório, em relação a 2016 o Valor Adicionado a preços básicos acusou um aumento de 1,2%. Entre as atividades geradoras do valor adicionado a agropecuária registrou crescimento de 9,1% relativamente ao ano anterior, variação atribuída ao desempenho de algumas lavouras, notadamente no caso do milho, algodão herbáceo e laranja. O relatório ressalta também desempenho positivo da Pecuária e da Produção Florestal (IBGE, 2017.).
 O Ministério da Agricultura Pecuária e Abastecimento (MAPA), divulgou em 14/11/20117, o valor bruto da produção agropecuária (VBP) para 2017, a partir de informações de outubro, está estimado em R$ 533,5 bilhões, 1,6% acima do obtido em 2016. Segundo o estudo, as lavouras apresentaram um aumento real de 5,5% enquanto a pecuária acusou redução de 5,8% em seu VBP no mesmo período. Destacando-se a mandioca com aumento real de 88,2%, o algodão (73,56%), a uva (50,7%), cana-de-açúcar (30,6%), milho (14,2%) e laranja (7%). Basicamente em função de aumento de preços. Ao mesmo tempo em sentido contrário destacam-se a batata com redução de VBP de 49% e a cebola com menos 47,5%.                 

____________________
http://www.agricultura.gov.br/noticias/valor-da-producao-de-2017-e-de-r-533-5-bilhoes
https://agenciadenoticias.ibge.gov.br/agencia-sala-de-imprensa/2013-agencia-de-noticias/releases/18458-pib-varia-0-1-em-relacao-ao-2-tri-e-chega-a-r-1-641-trilhao.html

 As estatísticas evidenciam a importância da agropecuária para a economia do país. Desde sua criação é missão do Instituto de Economia Agrícola desenvolver pesquisas com o objetivo de resolver os problemas econômicos da agricultura, seja no âmbito da produção, da distribuição, do consumo, da exploração dos recursos naturais de forma sustentável, daí a justificativa de um projeto que estude sistematicamente as cadeias produtivas.
A análise econômica dos mercados reveste-se de grande importância e é imprescindível que ela seja feita para subsidiar as ações dos diversos atores de uma cadeia produtiva, notadamente para aqueles agentes produtores, distribuidores entre outros elos e por fim para o próprio Estado na busca do cumprimento de suas ações reguladoras e normatizadoras, bem como nas intervenções necessárias para a execução dos programas de governo, na formulação e estabelecimento de políticas públicas, principalmente, em perseguição ao desenvolvimento sócio-econômico. A origem dos objetivos e métodos decorre da necessidade de cumprir a missão do Instituto de Economia Agrícola.
 Para proceder às análises dos mercados é importante que se faça um acompanhamento sistemático da conjuntura econômica, e, no caso em questão da conjuntura agrícola, é preciso estar atento às peculiaridades do setor e de cada uma das cadeias produtivas. SERIGATI, 2013 cita algumas das especificidades: produtos mais homogêneos, produção dispersa, (número de produtores e regiões), mercados mais competitivos preços mais flexíveis (choques, clima e sazonalidade), mercados internacionais, caráter irreprodutível do fator de produção terra, menor elasticidade renda da demanda, oferta inelástica no curto prazo e oferta elástica no médio prazo.


 

Ver detalhes do projeto

  José Roberto da Silva      IEA

REAÇÃO DE PORTA ENXERTOS DE NOGUEIRA MACADAMIA (MACADAMIA INTEGRIFOLIA), AOS NEMATOIDES DAS GALHAS (MELOIDOGYNE SPP) E AO DAS LESÕES RADICULARES (PRATYLENCHUS BRACHYURUS)

n° SGP 1013

O objetivo desse trabalho será avaliar a resistência de variedades de nogueira macadâmia (Macadamia integrifolia), a nematoides das galhas (Meloidogyne spp), e ao das lesões radiculares (Pratylenchus brachyurus). Serão utilizados sete (7) cultivares de nogueira macadamia (Macadamia integrifolia): HAES 344, HAES 660, HAES 816 e IAC 10-14, IAC 4-12B, IAC 9-20 e IAC 4-20. As sementes serão coletadas no município de DOIS CORREGOS – SP, germinadas em caixas de madeira, com areia estéril. Após a germinação, as mudas serão transplantadas, uma por vaso, para recipientes de polietileno, contendo 2000 ml de solo autoclavado, na proporção de 1:2:1 (solo:areia:matéria orgânica). Cada planta será inoculada com 5.000 ovos, e eventuais juvenis de segundo estádio (Pi), da população dos nematoides Meloidogyne enterolobii, Meloidogyne javanica, Meloidogyne incógnita, raça 2, M. paranaensis, M. exigua e Pratylenchus brachuyrus, provenientes de populações puras, mantidas em tomateiros ‘Rutgers’, processadas segundo o método de extração proposto por Hussey & Baker (1973), modificado por Bonetti & Ferraz (1981). O tomateiro ‘Rutgers’ também será utilizado como padrão de viabilidade do inóculo. O delineamento experimental será inteiramente casualizado com sete tratamentos e cinco repetições. A avaliação do índice de galhas, índice de massas de ovos e fator de reprodução do nematoide (FR=PF/PI) será realizada 60 dias após a inoculação. O sistema radicular de cada parcela será pesado, colorido com Floxine B, para a coloração das massas de ovos externas, as quais serão contadas e relacionadas com escala de notas de 0 a 5, assim como as galhas presentes. Em seguida, será processado, pelo método de trituração no liquidificador, peneiramento e centrifugação para a obtenção do fator de reprodução (Pf/Pi). 

Ver detalhes do projeto

  Maria José De Marchi Garcia      Apta Regional / IB

Sustentabilidade da agricultura familiar no Centro Oeste paulista

n° SGP 1006

A sustentabilidade da atividade agrícola é o objetivo para a agricultura familiar. Para atingir a sustentabilidade, a propriedade rural necessita desenvolver diversas funções, como questões socioambientais e melhorias na gestão da atividade econômica. A proposta do projeto é auxiliar a demanda da região para garantir a sustentabilidade da agricultura familiar paulista, principalmente na cadeia da olericultura e da fruticultura na região Centro Oeste do estado de São Paulo. A metodologia será revisão bibliográfica de dados secundários em seus aspectos históricos, sociais, econômicos e políticas. As informações coletadas serão a base da formulação indicadores determinantes nessa atividade econômica. O resultado esperado do projeto proporciona uma ferramenta para melhorar as condições na renda da agricultura familiar para permanência do homem no campo.

Ver detalhes do projeto

  Raquel Nakazato Pinotti      Apta Regional / IEA

Análise do Valor da Produção Agropecuária no Estado de São Paulo, 2015 a 2019

n° SGP 1003

~~A pesquisa visa atender a demandas sistemáticas de instituições públicas e privadas por informações oficiais sobre o valor da produção da agricultura, da pecuária, da silvicultura e da pesca, no Estado de São Paulo, de acordo com a disposição da Lei Agrícola vigente no País. Especificamente, procura-se aprimorar os sistemas de levantamenrto de dados básicos de produção e preços e incluir novos itens na lista dos produtos, cujos valores são calculados. Pretende-se desagregar o valor total do Estado por região (Escritório de Desenvolvimento Rural – EDR e Região Administrativa – RA). Serão feitas análises da conjuntura das safras e dos mercados dos principais produtos isoladamente e em agrupamentos, visando identificar as causas das variações das duas fontes de crescimento do valor da produção agropecuária (quantidades e preços). 
    

Ver detalhes do projeto

  José Roberto da Silva      IEA

Turnip mosaic virus: levantamento, identificação, caracterização biológica e molecular, e aspectos epidemiológicos dos isolados brasileiros que infectam brassicas

n° SGP 1002

O Turnip mosaic virus (TuMV, Potyvirus) está entre os principais vírus que causam danos a diversas culturas de importância econômica, principalmente Brassicaceae, tais como: couve, couve-flor, couve-brócolo, repolho (Brassica oleracea), nabo (B. rapa), mostarda-de-folha (B. juncea), canola (B. napus) e rabanete (Raphanus sativus). O TuMV tem ampla distribuição mundial, amplo círculo de hospedeiros, e consequentemente, grande diversidade genética, tendo sido classificado em diferentes estirpes e patotipos. Isolados de TuMV já foram caracterizados em diversos países da Europa, Ásia, América do Norte, África e Oceania. Porém, ainda pouco se conhece sobre a diversidade genética desse vírus em países da América do Sul, principalmente no Brasil, onde relatos esporádicos da sua ocorrência foram reportados. O presente projeto tem os seguintes objetivos: (i) realizar levantamento da incidência do TuMV, no Brasil, por meio de coletas em campos de produção de espécies de Brassicaceae, principalmente couve, couve-flor, repolho, couve-brócolo, nabo, canola e rabanete, além de coletas de espécies espontâneas [B. juncea (mostarda-de-folha), Coronopus didymus (mentruz), Lepidium virginicum (mastruz), Raphanus raphanistrum (nabiça), R. sativus (rabanete selvagem) e Sinapsis arvensis (mostarda-branca)], potenciais reservatórios do TuMV; (ii) caracterização biológica dos isolados de TuMV obtidos nas coletas, por meio de inoculação mecânica em plantas indicadoras e diferenciadoras (linhagens de B. napus) com o objetivo de avaliar se os isolados brasileiros de TuMV são capazes de quebrar a resistência de genes de Brassica spp.; (iii) caracterização molecular dos isolados de TuMV por meio do sequenciamento da porção genômica correspondente à capa proteica (CP), além do sequenciamento completo do genoma de pelo menos três isolados brasileiros de TuMV; (iv) avaliação da associação de plantas da vegetação espontânea, principalmente da família Brassicaceae, com a manutenção da fonte de inoculo do TuMV nas áreas de cultivo de Brassica spp.; (v) avaliação da eficiência de transmissão de espécies de afídeos como vetores do TuMV.

Ver detalhes do projeto

  Marcelo Eiras      IB

PROSPECÇÃO DE FUNGICIDAS PARA O CONTROLE DE Saprolegnia sp E SEGURANÇA CLÍNICA EM PACU (Piaractus mesopotamicus)

n° SGP 999

Os fungos oomicetos Saprolegnia sp. são de especial atenção na aquicultura pois são patógenos secundários e aumentam a severidade das doenças bacterianas e parasitárias causando altas taxas de mortalidade. Os fármacos utilizados no controle dos fungos não possuem registro sendo a prospecção de moléculas fundamental para a aquicultura. Assim, os objetivos deste projeto de pesquisa são: avaliar a toxicidade aguda (CL50;48h) do cetoconazol, fluconazol e itraconazol para o pacu, Piaractus mesopotamicus; avaliar a eficácia dos fungicidas no controle de Saprolegnia sp. in vitro; avaliar a eficácia in vivo, do fungicida que demonstrar melhor eficácia in vitro e avaliar as possíveis alterações histopatológicas e hematológicas em pacu, após o tratamento in vivo. Nos ensaios de toxicidade aguda os peixes serão expostos a concentrações nominais dos fungicidas e será determinada a CL50;48h. Nos ensaios in vitro o fungo será cultivado em ágar levedura 2%, acrescido de antibióticos e submetido á identificação morfológica. Após a homogeneização e solidificação do ágar, um disco de 9mm de diâmetro do cultivo do oomiceto será semeado na posição central da placa e incubada em estufa bacteriológica a 25°C. Os fungicidas serão testados nas concentrações 0, 10, 50, 100, 1000, 5000 e 10000 mg.L-1. Para o ensaio in vivo, o fungicida que demonstrar a melhor eficácia in vitro será testado no controle de Saprolegnia sp em pacu em microcosmo (caixas de 60 litros). Para isso os peixes serão distribuídos conforme os tratamentos: controle sadio (CS), controle sadio exposto ao fungicida na forma de tratamento (CEx), controle infestado sem tratamento (CIn) e os peixes infestados e tratados com o fungicida (Tr). O fungicida será testado na forma de banho terapêutico, com aplicação diária e uma hora de exposição e adicionado na ração, com sete dias de administração a 2,5% do peso corporal/dia. Ao final do tratamento serão coletadas amostras de brânquias, fígado, rim e sangue para análises histopatológicas e hematológicas.

Ver detalhes do projeto

  Maria José Tavares Ranzani de Paiva      IP

NUTRIÇÃO, CONTROLE PRODUTIVO, SANITÁRIO E REPRODUTIVO DE BÚFALAS LEITEIRAS

n° SGP 998

O crescente interesse dos bubalinocultores no desenvolvimento da cadeia produtiva, aliado ao aumento dos rebanhos, fez com que a espécie bubalina tenha se tornado uma fonte viável de produção de proteínas de origem animal. Isto se deve à fácil adaptação dos búfalos a diferentes regiões do mundo. A população bubalina mundial cresceu 24,6% nos últimos 10 anos e, atualmente, é estimada em aproximadamente 195 milhões de cabeças, das quais 110 milhões encontram-se na Índia. No Brasil, no mesmo período, a população bubalina aumentou 13,1%, o que demonstra a adaptabilidade da espécie às nossas condições e as possibilidades futuras da bubalinocultura como atividade emergente no país.

Entretanto, como ocorre nas demais espécies de interesse zootécnico, o crescimento do rebanho bubalino deve estar associado a ajustes finos nas propriedades, que viabilizem o controle da produtividade – o que possibilita a identificação dos indivíduos que possuem mérito genético – e, consequentemente, à multiplicação e à distribuição dos animais melhoradores. Se assim conduzida, a bubalinocultura - que atualmente responde por 13,3% da produção mundial de leite – tende a se tornar uma atividade econômica cada vez mais atraente sob os pontos de vista econômicos e sociais.

Nesse contexto, o presente projeto tem como meta implementar melhorias na Unidade de Pesquisa e Desenvolvimento de Registro e, desta forma, torná-la Unidade Modelo e Difusora de Tecnologia para a Região do Vale do Ribeira. Dessa forma, o bubalinocultor poderá se espelhar na Unidade e assim, aumentar a produtividade de seu rebanho, com conseqüente aumento nas suas condições sócio-econômicas. O pequeno produtor quando bem remunerado, consegue empregar toda a família na atividade e gerar empregos para a população. Dessa forma, ele, sua família e seus funcionários passam a ser incluídos na sociedade e a viver de maneira digna. 

Ver detalhes do projeto

  NELCIO ANTONIO TONIZZA DE CARVALHO      Apta Regional / IZ

Tratamentos associados ao protocolo Ovsynch para superar o anestro sazonal de búfalas leiteiras.

n° SGP 997

A sazonalidade reprodutiva em bubalinos é caracterizada por alterações comportamentais, endócrinas e reprodutivas que ocorrem em períodos distintos do ano. Durante a estação reprodutiva desfavorável, a prevalência de dias mais longos suprime o comportamento estral e a ovulação, limitando a eficiência reprodutiva, especialmente em relação aos programas de inseminação artificial. Para superar o anestro sazonal de búfalas leiteiras, o projeto proposto consiste de dois experimentos. No primeiro exp., serão utilizadas 27 fêmeas bubalinas distribuídas em um de três grupos (GC, GM e GP4). Nas búfalas do GM serão inseridos implantes de melatonina no D -20. No D0, as fêmeas de todos os grupos receberão a administração intramuscular (im) de GnRH e, além disso, nas búfalas do GP4, será inserido um dispositivo intravaginal de P4, que permanecerá por 7 dias. No D7, todas as fêmeas receberão uma dose im de PGF2α. Dois dias após, mais uma aplicação de GnRH será efetuada em todos os animais. Serão realizadas avaliações ultrassonográficas para verificar a presença de CL, de folículos ≥ 8mm (FL), para mensurar o diâmetro (ø) do FL, para aferir a taxa de ovulação ao 1º GnRH e ao final do protocolo e também para avaliar o ø e a % de CL. No exp. 2, 225 búfalas serão submetidas aos mesmos tratamentos descritos no exp. 1, com as seguintes diferenças: 16h após o 2º GnRH, todas as fêmeas serão inseminadas. No D20, as búfalas serão submetidas à monta natural, para a cobertura no retorno ao estro. Serão realizadas também avaliações ultrassonográficas para verificar a presença de CL, de FL, para mensurar o ø do FL, para aferir as taxas de ovulação ao 1o GnRH e ao final do protocolo, para avaliar o ø e a % de CL, para o diagnóstico de gestação e para quantificar as perdas gestacionais e a taxa de prenhez por monta natural. Espera-se que tanto os dispositivos intravaginais de P4 quanto os implantes subcutâneos de melatonina quando associados ao protocolo Ovsynch, possibilitem o reestabelecimento da atividade cíclica ovariana, com satisfatórias taxas de ovulação e de prenhez à IATF e à monta natural, possibilitando a desestacionalização dos partos.

Ver detalhes do projeto

  NELCIO ANTONIO TONIZZA DE CARVALHO      Apta Regional / IZ

Resultados de pesquisa e desenvolvimento do IAC: proposição de método de avaliação de resultados e impactos multidimensionais.

n° SGP 994

Este projeto apresenta uma proposição de método de avaliação de resultados e impactos de tecnologias agrícolas desenvolvidas pelo Instituto Agronômico (IAC) com a finalidade de orientar programas IAC de pesquisa e prestar contas à sociedade. Será utilizado como piloto o caso do Programa de melhoramento genético do maracujá. Será necessária a construção de um grupo de indicadores para avaliação da diversidade dos resultados de P&D do IAC e de outro grupo específico do produto - as tecnologias IAC maracujá. As especificidades trazidas pelos diferentes centros de pesquisa como também a ampla relação de resultados de P&D do IAC representam a diversidade e a complexidade da organização. Isso demonstra o desafio de proposição de método de avaliação de impactos de seus resultados, método este que deve permitir adaptação/customização à diversidade dos resultados de P&D do IAC. Para o Instituto o desenvolvimento de métodos de avaliação de resultados e impactos é uma inovação organizacional de grande importância, considerando que o IAC não possui métodos desse tipo institucionalizados.

Ver detalhes do projeto

  Luiza Maria Capanema Bezerra      IAC
  Sobre

O SGP (Sistema de Gestão de Pesquisa) foi implementado em todas as unidades APTA, para centralizar o controle de todos os projetos desenvolvidos sob sua supervisão. [Ler mais]

Endereço APTA – São Paulo

Praça Ramos de Azevedo, 254, 2º andar - República, São Paulo - SP

Fone : (11) 5067-0447 e 5067-0427

  Endereço APTA – Campinas

Avenida Barão de Itapura, 1481 - Botafogo, Campinas - SP

Fone : (19) 2137-8930