Exibindo todos os projetos ativos na APTA

Página Inicial / Busca de Projetos

701 projetos ativos encontrados - pág. 5 de 24

ANÁLISE DO DESEMPENHO PRODUTIVO DE DUAS LINHAGENS DE LAMBARIS DO GÊNERO AstyanaxBAIRD& GIRARD, 1854 (TELEOSTEI: CHARACIFORMES: CHARACIDAE)

n° SGP 1886

O sistema de cultivo em tanques escavados em terra ou viveiros tem sido empregado há muito tempo. Porém, a piscicultura desenvolvida em tanques-rede é uma modalidade que vem apresentando forte crescimento nos últimos anos (MPA, 2015).A criação de peixes confinados em tanques-rede visa à produção com alta produtividade e no menor tempo possível, pois permite uma densidade volumétrica muito maior que as outras modalidades. Neste sistema, há economia de água, o manejo é mais fácil e os custos são menores. Outra vantagem é que os tanques-rede também podem ser colocados dentro de viveiros escavados de forma a otimizar o restante do espaço para a produção de outras espécies consorciadas, maximizando a produtividade total e os lucros.

O suporte financeiro para realização das pesquisas científicas será feito pelo Prof. Dr. Miguel Petrere Junior ligado a Universidade Federal de São Carlos, Centro de Ciências e Tecnologias para a Sustentabilidade, Campus Sorocaba, Programa de Pós-Graduação em Planejamento e Uso de Recursos Renováveis, mediante a termo de compromisso anexo.

 

Ver detalhes do projeto

  Sergio Henrique Canello Schalch      Apta Regional / IP

Avaliação da densidade larval e manutenção de mexilhão-dourado em laboratório

n° SGP 1885

O mexilhão-dourado é uma espécie originária da Ásia com características de espécie invasora. No Brasil, sua dispersão estende-se pelos ecossistemas aquáticos das regiões sul, sudeste, centro-oeste e nordeste. Nos tanques-rede instalados em reservatórios, as larvas do molusco se fixam às telas e as colônias formadas causam a oclusão das malhas, reduzindo a oxigenação e a eliminação de resíduos, portanto, a qualidade da água e a capacidade de suporte das estruturas de cultivo. A limpeza frequente dos tanques-rede incrustados promove impactos econômicos. Objetiva-se nesse trabalho identificar os picos de reprodução do mexilhão-dourado, por meio da determinação da densidade de larvas do tipo D (véliger de charneira reta, umbonada e plantígrada) presentes na coluna d’água de piscicultura localizada no reservatório Chavantes, rio Paranapanema (SP/PR). Mensalmente, entre janeiro e dezembro de 2018, serão coletadas quatro amostras de plâncton na profundidade de 1,5 a 2,0 m da coluna d’água, utilizando-se bomba de sucção e rede com abertura de 40 µm de abertura. Serão filtrados 1000 litros de água, concentrados em frascos de 150 mL, aos quais será adicionado álcool 70% para fixação das larvas. Em laboratório, a determinação da densidade e a identificação dos estágios larvais serão realizadas sob microscópio estereoscópico modelo EK4.2SB/ST (80X). Paralelamente, em campo, serão determinados temperatura, pH, condutividade elétrica, turbidez e oxigênio dissolvido a cada 0,5 metro da coluna d’água com o equipamento multiparamétrico da marca Horiba modelo U-52 e coletadas amostras na superfície para determinação de clorofila-a. Pretende-se ampliar o conhecimento sobre os picos reprodutivos e os estágios larvais do mexilhão-dourado em nossas condições para subsidiar estudos futuros e ações de mitigação do impacto dessa bioinvasão nas pisciculturas.

Ver detalhes do projeto

  DAERCY MARIA MONTEIRO DE REZENDE AYROZA      IP

Resistência de ácaros fitófagos (Tetranychus urticae) e predadores (Phytoseiulus macropilis) a acaricidas e estratégias de manejo de ácaros-praga com uso de ácaros predadores (Phytoseiidae) em ornamentais e citros

n° SGP 1884

Um dos fatores que dificultam a produção e a comercialização de diversas culturas agrícolas de importância econômica no Brasil é o ataque de diversas espécies de ácaros-praga, com destaque para os ácaros das famílias Tetranychidae (ex.: Tetranychus, Panonychus) e Tenuipalpidae (ex.: Brevipalpus). O ácaro-rajado, Tetranychus urticae Koch (Acari: Tetranychidae), causa sérios prejuízos em diversas culturas, incluindo morango, mamão, pêssego, uva, feijão, algodão, rosa, crisântemo, gérbera, orquídea, entre outras, no País. Os ácaros Brevipalpus spp. (Acari: Tenuipalpidae) são considerados pragas-chave de culturas como citros, café, diversas fruteiras e ornamentais, e estão associados à transmissão de várias viroses, incluindo o vírus da leprose dos citros (Citrus leprosis virus - CiLV) e o da mancha angular do cafeeiro (Coffee ringspot virus - CoRSV). Os ácaros predadores da família Phytoseiidae são considerados os principais inimigos naturais de ácaros-praga de importância agrícola. Um dos sérios problemas enfrentados pelos agricultores tem sido a dificuldade para o controle de ácaros-praga através do uso de agroquímicos. O desequilíbrio biológico causado pela eliminação de inimigos naturais e o rápido desenvolvimento de resistência dessas pragas aos acaricidas estão entre as principais razões para essa dificuldade de controle. O objetivo geral do projeto é obter subsídios para o estabelecimento de programas de manejo de ácaros-praga (Tetranychidae, Tenuipalpidae) em diversas culturas, com ênfase em ornamentais e citros. Os objetivos específicos são: 1) estudar a resistência de T. urticae a acaricidas, em várias culturas de importância econômica; 2) estudar a resistência de ácaros predadores, principalmente Phytoseiulus macropilis (Banks), a acaricidas (incluindo estudos de caracterização bioquímica e molecular da resistência, com análise de transcriptoma em linhagens S e R de P. macropilis); 3) avaliar o efeito de agroquímicos, produtos naturais (extratos de plantas) e entomopatógenos (fungos, bactérias) sobre ácaros fitófagos (T. urticae, Brevipalpus yothersi, Brevipalpus papayensis) e predadores (Neoseiulus transversus, Neoseiulus californicus, Euseius citrifolius); 4) avaliar estratégias de manejo de ácaros-praga nas culturas de gérbera, orquídea e citros, incluindo a liberação de ácaros predadores (Phytoseiidae) para o controle biológico de ácaros-praga.

 

Ver detalhes do projeto

  Mário Eidi Sato      IB

Ácaros associados a cultura da macadâmia no estado de São Paulo

n° SGP 1883

Os levantamentos serão conduzidos na região de Dois Corregos, Bocaina, Campinas, Ribeirão Preto SP e Guaxupé MG.  Serao amostrados Folhas e inflorescencia a cada dois meses durante o período de 4 anos. As amostras serão avaliadas no laboratório de Acarologia do Centro Experimental Central do Instituto Biologico em Campinas SP. Os ácaros predadores e pragas serao quantificados e identificados pelo Doutor Andre L. Matioli.

Ver detalhes do projeto

  Andre Luis Matioli      IB

AVALIAÇÃO DE CULTIVARES HÍBRIDOS DE Brachiaria spp. PARA DETERMINAÇÃO DO VALOR DE CULTIVO E USO

n° SGP 1877

Definir e enfatizar o tipo de contribuição que cultivares híbridos de Brachiaria possam apresentar à agricultura nacional ou regional, que justifique sua inscrição no RNC (Registro Nacional de Cultivares), através da descrição da existência de características especiais (maior produtividade, maior ganho de peso por ha acumulado por período, maior ganho médio diário por período, maior taxa de lotação média por período, resistência a pragas, doenças ou condição ambiental adversa) comparativamente a cultivar testemunha, em ensaios de Valor de Cultivo e Uso (VCU) segundo a Instrução Normativa no23, de 30 de julho de 2008 (Diário Oficial da União, 2008).

Ver detalhes do projeto

  Waldssimiler Teixeira de Mattos      IZ

Eficiencia agronômica de fontes alternativas de nutrientes de plantas

n° SGP 1876

Em um mundo preocupado com indicadores ambinetais a reutilização de materiais como fonte de nutrientes de planta é uma alternativa de reciclagem e otimização dos sistemas de produção agrícola. Esta prática devolve ao solo nutrientes de plantas exportados pelas culturas e produzindo biomassa e outros produtos. Ampla variedade de materiais organicos e inorgânicos podem conter quantidades consideráveis de nutrientes de planta que podem ser utilizados para suprir parte da demanda das culturas. Seu uso entretanto precisa ser estudado para evitar que haja depauperamento da qualidade do solo com a adição de elementos potencialmente tóxicos no agroecossistema. Devem ser monitorados os atributos do solo e da planta para verificar a viabilidade de uso dessas fontes alternativas de nutrientes e comparar os resultados de produção com uma fonte conhecida do(s) nutriente(es) fornecido(s) o que viabiliza também a estimativa da eficiencia agronômica da fonte alternativa de nutrientes.

Com relação ao solo, serão quantiifcados os teores de carbono orgânico, CTC, pH, Condutividade elétrica, metais pesados (Cu, Fe, Mn, Zn, Ni, Cd, Pb, Cr) , fosforo disponível, potássio e formas de nitrogênio (nitrato e amonio).

Nas plantas serão quantificados os teores de nutrientes nas folhas, produção de biomassa, produção de grãos e relação entre produto colhido/biomassa produzida - indice de colheita. Outros parametros de planta relativos especificamente a determinadas culturas também podem ser quantificados.

Os dados obtidos serão analisados por estatisica descritiva, analise de variância (ANOVA) ou por estatistica não-paramétrica (se necessário) com uso de comparação multipla de médias, contrastes ortogonais ou regressão. Adicionalmente poderão ser utilizados testes multivariados, p.ex. componentes principais para seleção de variáveis de maior signficancia na composição da variância total dos dados.

Ver detalhes do projeto

  Marcio Koiti Chiba      IAC

Estudo do teor total, bioacessibilidade e estimativa de ingestão de alumínio em alimentos infantis

n° SGP 1870

O alumínio é o terceiro elemento em abundância na crosta terrestre (8%) e o primeiro entre os metais. Pode ser encontrado em medicamentos, bebidas e alimentos como resultado de sua ocorrência natural no ambiente, contaminação por fontes industriais, ou ainda devido à sua ampla utilização como componentes de aditivos alimentares. Trabalhos recentes têm relatado a presença de alumínio em alimentos infantis e revelam que quando ingerido pode se acumular na mucosa intestinal podendo afetar o sistema reprodutivo e o desenvolvimento cerebral. Devido a esta possibilidade de contaminação, serão realizados ensaios de bioacessibilidade in vitro do alumínio presente em alimentos destinados a lactentes para a avaliação da fração dialisável deste contaminante inorgânico no trato gastrointestinal. A ingestão deste contaminante através da dieta também será avaliada de forma a verificar a segurança dos alimentos infantis disponíveis comercialmente. As concentrações de alumínio serão determinadas através da técnica de espectrometria de emissão atômica com fonte de plasma indutivamente acoplado (ICP OES) e os ensaios de bioacessibilidade baseados em métodos de diálise por membrana. Este estudo é inédito no país e de grande importância para a saúde pública visto que o contaminante inorgânico alumínio possui caráter acumulativo podendo ser tóxico aos recém-nascidos e às crianças.

 

 

 

Ver detalhes do projeto

  Marcelo Antonio Morgano      ITAL

Estruturas e dimensões do agronegócio no PIB Paulista e seus recortes regionais

n° SGP 1864

O Instituto de Economia Agrícola (IEA) e a Fundação Sistema Estadual de Análise de Dados (SEADE) se propõem a construir e calcular o Produto Interno Bruto (PIB), integrado ao Sistema de Contas Regionais, sobre o agronegócio no Estado de São Paulo.  Os resultados alcançados serão passíveis de comparação e o intervalo de apresentação de resultados e de análise mais curtos, pois a dinâmica econômica de setores e de regiões exige essas ações. A proposta metodológica para o cálculo do PIB do agronegócio paulista tem como referência as normas e conceitos utilizados pelo IBGE e órgãos estaduais de estatística, nos cálculos das contas nacionais e regionais.

Ver detalhes do projeto

  Denise Viani Caser      IEA

AVALIAÇÃO DA QUALIDADE PÓS-COLHEITA DE UVA NIAGARA ROSADA DA REGIÃO DE JUNDIAHY PARA OBTENÇÃO DO CERTIFICADO DE INDICAÇÃO DE PROCEDÊNCIA

n° SGP 1862

 

1. Justificativa

A uva Niagara Branca é uma variedade originária dos Estados Unidos da América (EUA), pertencente à espécie Vitis labrusca. Teve origem em 1868 a partir do cruzamento das variedades Labrusca concord x cassady e continua sendo cultivada nos EUA, Canadá, Nova Zelândia e Brasil (Rocha et al., 2006).

No Brasil, a variedade Niagara Branca foi introduzida em 1894, disseminando-se na região de Jundiahy. Em 1933 surge em Jundiahy, no então bairro de Louveira, por mutação somática em um pé de Niagara Branca, a Niagara Rosada que, em menos de dez anos, conduziu radical transformação na estrutura vitícola paulista. Houve então declínio da produção de Niagara Branca, substituída aceleradamente pela sua mutação Rosada e foi estabelecido, em conseqüência, o perfil do vinhedo paulista, o maior centro produtor de uva de mesa do Brasil. O desenvolvimento da produção de uva no Estado de São Paulo contou com a influência da colonização italiana, dos seus costumes, seus conhecimentos técnicos tradicionais sobre o manejo das videiras e do trabalho em família.

Já em 1940, a região de Jundiahy foi denominada “como a mais importante região vitícola do Estado de São Paulo, por possuir a maior área plantada de uva do Estado e ser a principal fornecedora do produto para os mercados de São Paulo, Rio de Janeiro e interior do Estado de São Paulo”. A área cultivada com uva Niagara Rosada representava 42,3% do total do Estado, sendo o então distrito de Louveira o mais importante (Homem de Melo, 1945). Após mais de 70 anos, a região continua sendo a maior produtora de uva Niagara Rosada, comercializada em todo o Brasil (Rocha et al., 2006).A região histórica de Jundiahy reúne os municípios de Jundiaí, Louveira, Vinhedo, Itatiba, Jarinu, Morungaba, Itupeva, Varzea Paulista e Campo Limpo Paulista.

Nessa região a Niagara Rosada é cultivada por agricultores familiares em pequenas propriedades, onde residem e trabalham, tendo no cultivo da uva sua principal fonte de renda.

No município de Jundiaí, a grande maioria do produtores possuem pequenas propriedades, em 90% dos casos as áreas são de até 20 ha, com a particularidade da metade ser de apenas até 5 ha. O cultivo da uva está concentrado nesses menores estratos, em 73,30% dos casos. No município de Louveira, 320 hectares são cultivados com frutas, sendo 210 hectares de uva Niagara Rosada. São 98 produtores de frutas, sendo que 77 desses cultivam Niagara Rosada exclusivamente ou em consórcio com outras frutas. A produção estimada de uva Niagara Rosada é de 3.950.000Kg/ano, que corresponde a um faturamento de R$ 13.825.000,00 (dados de 2016, Informações da Prefeitura Municipal de Louveira).

A partir da década de 90, houve redução da área cultivada com uva Niagara Rosada e outras frutas na região em função da expansão imobiliária, que tem gerado aumento do preço da terra e dos conflitos nas áreas rurais e periurbanas em função da emergência de outros usos do espaço rural; expansão industrial, que tem contribuído para a escassez de mão de obra especializada no desenvolvimento dos tratos culturais da videira e, consequentemente, aumento dos custos de produção; ausência de estratégias de mercado, fator que contribui para perdas de oportunidades; falta assistência técnica pública, aspecto que favorece o uso indiscriminado de defensivos agrícolas e fertilizantes, contribuindo para a realização de gastos desnecessários e aumento dos custos de produção (Verdi et al., 2012).

Em 2016, a Prefeitura Municipal de Louveira relata que “o município de Louveira já teve mais de 1.000 ha cultivados com uvas. Em 2004 o número oficial era de 670 ha. Em 2014 caiu drasticamente para 360 ha e hoje Louveira não chega aos 300 ha de uvas e temos a certeza que na região de Campinas esses números tem a mesma proporção, sendo até maior em alguns municípios.” (informação da Prefeitura Municipal de Louveira referente a 2016.)

Frente a esse cenário, o Instituto Agronômico de Campinas, a EMBRAPA Monitoramento por Satélte, além Câmara Setorial da Uva e do Vinho do Estado de São Paulo; da ETEC Benedito Storani; do SEBRAE; das Prefeituras e das Associações de Produtores Rurais dos municípios de Jundiaí e de Louveira mobilizaram-se para obter a Indicação de Procedência para a Uva Niagara Rosada. Por meio dessa ação, “o setor vitícola espera obter um diferencial para esse tradicional produto, que aliado a uma eficiente promoção comercial, deverá agregar valor a fruta, incentivando a expansão de seu cultivo sustentável em pequenas unidades de produção agrícola, gerando empregos, renda, incrementando a atividade turística no meio rural e contribuindo para manutenção e para recuperação da paisagem vitícola em torno dos centros urbanos característicos da região, fatos que resultarão em melhor qualidade de vida para toda população.”( Ofício 02-2016 – CSUV/SP, anexo).

“O certificado de Indicação Geográfica (IG) é conferido a produtos ou serviços que são característicos do seu local de origem, tem reputação e identidade própria e se diferenciam de outros similares disponíveis no mercado. Apresentam qualidades únicas que guardam uma relação direta com o local onde é produzido. São produtos que apresentam uma qualidade única em função de recursos naturais como solo, vegetação, clima e saber fazer (know-how ou savoir-faire). O Instituto Nacional de Propriedade Industrial - INPI é a instituição que concede o registro e emite o certificado”(http://www.agricultura.gov.br/desenvolvimento-sustentavel/indicacao-geografica). 

2.      OBJETIVOS:

Contribuir com conhecimento científico em pós-colheita para que os produtores de Uva Niagara Rosada de Jundiahy obtenham o certificado de Indicação de Procedência junto ao INPI e MAPA.

Avaliar a qualidade pós-colheita de uva Niagara Rosada produzida por produtores vinculados ao Programa de Indicação de Procedência da Uva Niagara Rosada de Jundiahy.

 

3.      MATERIAL E METODOS:

 

3.1   MATERIAL:  cachos de uva Niagara Rosada produzidas por produtores que integram o Programa de Indicação Geográfica da Uva Niagara Rosada de Jundiahy.

 

3.2   MÉTODOS:

As análises serão realizadas de acordo com a INSTRUÇÃO NORMATIVA/SARC Nº 001, DE 01 DE FEVEREIRO DE 2002/ MAPA.

As uvas serão analisadas quanto a:

1. Massa do cacho

2. Formação do cacho

3. Coloração das bagas

4. Ausência de pruína

5. Coloração do engaço

6. Degrana

7. Incidência de podridões

8. Limpeza do cacho

9. Danos profundos e superficiais

10. Teor de sólidos solúveis (o Brix)

11. Acidez Titulável

 

A partir dos resultados será feita a avaliação das uvas analisadas quanto ao atendimento dos requisitos de qualidade definidos pelo Regulamento de Uso do Programa de Indicação Geográfica da Uva Niagara Rosada de Jundihay. 

O Laboratório de pós-colheita do IAC/ Centro de Ecofisiologia e Biofísica tem como atribuições:

·        Definir o cronograma de análises

·        Realizar as análises descritas no presente plano de trabalho

·        Emitir relatórios com os resultados das análises e avaliações segundo os requisitos do Regulamento de Uso do Programa de Indicação Geográfica da Uva Niagara Rosada de Jundiahy. 

Ver detalhes do projeto

  Silvia Regina de Toledo Valentini      IAC

APLICAÇÃO DE CALCÁRIO, GESSO AGRÍCOLA E CAL HIDRATADA AGRÍCOLA EM SISTEMA AGROPASTORIL

n° SGP 1851

A incorporação de calcário a grandes profundidades é prática excessivamente onerosa, não sendo viável do ponto de vista econômico, e há dúvidas quanto às dosagens de gesso agrícola em função da classificação textural do solo. O trabalho terá como objetivo avaliar os aspectos agronômicos da cultura da soja e do milho, a massa de matéria seca da forrageira, e as alterações químicas de um Latossolo cultivado em sistema agropastoril sob o uso de calcário, gesso agrícola e cal hidratada agrícola. O delineamento experimental será em blocos casualizados, com quatro repetições. Os resultados serão submetidos à análise de variância e as médias comparadas pelo teste de Tukey (p < 0,05).

Ver detalhes do projeto

  Wander Luis Barbosa Borges      IAC

Desenvolvimento de variedades transgênicas de cana-energia

n° SGP 1850

A cana-energia surgiu como uma alternativa para a produção de etanol. A biomassa lignocelulósica da cana-energia fornece matéria prima para a produção de etanol de segunda geração (2G), ou etanol celulósico, e cogeração de energia. Desta forma vem sendo desenvolvidas, em programas de melhoramento genético tradicional, cultivares de cana com características específicas para a produção de biomassa. Atualmente a transgenia é considerada uma ferramenta de grande valia para o melhoramento de cana. Dentre as características do processo de transgenia, podemos destacar principalmente a inserção direta de genes de interesse, permitindo assim a aquisição de uma característica desejada sem que haja a cotransferência de características indesejadas a partir dos parentais, como ocorre no processo de melhoramento tradicional. Dentre as principais características de interesse econômico a serem inseridas na cana, destacam-se o aumento na qualidade e na produtividade da biomassa, a resistência/tolerância a herbicidas, a resistência a estresses bióticos (insetos, pragas e fungos) e abióticos (salinidade, frio e seca). O objetivo do presente projeto é o desenvolvimento de cultivares de cana-energia transgênicas que apresentam genes envolvidos com o aumento e qualidade da biomassa. Os genes de interesse são relacionados a síntese de componentes da parede celular e foram previamente identificados em projetos anteriores. Este projeto contribuirá para a capacitação de recursos humanos e o desenvolvimento de uma plataforma de produção em grande escala de plantas de cana transgênica que poderão ser utilizados no Programa Cana do Centro de Cana/IAC.

Ver detalhes do projeto

  Silvana Aparecida Creste Dias de Souza      IAC

Rações suplementadas com minerais orgânicos e inorgânicos para tilápia do Nilo, Oreochromis niloticus durante a fase reprodutiva

n° SGP 1849

Estudos com microminerais têm sido desenvolvidos com a finalidade de garantir melhor absorção desses nutrientes no trato intestinal dos peixes, sem entrar no processo de competição iônica, normalmente determinada pela presença de maior concentração de íons minerais. Esse estudo tem por objetivo avaliar a substituição de minerais (selênio, zinco, ferro, cobre e manganês) inorgânicos por suas formas orgânicas em diferentes percentuais (0; 33; 66 e 100%) em rações para diferentes fases de desenvolvimento durante o ciclo de vida da tilápia do Nilo (Fase 1. Juvenil; Fase 2. Reprodutora na 1º Maturação Gonadal; Fase 2.1 – Larval). As rações serão formuladas de acordo com as exigências nutricionais de cada fase, com distinção apenas no percentual e formas de minerais a serem suplementados em cada, sendo: T1 - 0% minerais (controle), T2 – 33% minerais orgânicos, T3 – 66% de minerais orgânicos, T4 100% de minerais orgânicos e T5 100% minerais inorgânicos. Nas distintas fases serão avaliados parâmetros zootécnicos, reprodutivos, enzimáticos, histológicos, sanguíneos e concentração de minerais em vértebra, carcaça e ovos. Os resultados serão submetidos às análises estatísticas que melhor se ajustarem ao modelo experimental. Espera-se com o desenvolvimento do presente trabalho atender a demanda existente da iniciativa privada de uma ração suplementada com minerais adequadas, aumentando a produção de ovos e larvas, proporcionando melhorias no desenvolvimento dos animais, consequentemente, otimizando custo e benefício.

Ver detalhes do projeto

  Giovani Sampaio Gonçalves      IP

Influência da embalagem em desenvolvimento de alimentos inovadores: estabilidade de chocolate ao leite adicionado de fibras higrosccópicas

n° SGP 1848

O objetivo geral desse trabalho é avaliar qual tipo de a embalagem é mais adequada para o acondicionamento de um chocolate funcional contendo fibras higroscópicas.

Especificamente, os objetivos são de:

• Incorporar fibras em chocolate visando a obtenção de um produto com alegação de “’fonte de fibras’’ ou “alto conteúdo de fibras”.

• Avaliar o melhor tipo de embalagem para preservação das características adequadas do chocolate, contendo fibras higroscópicas, minimizando a interação do produto com o ambiente externo (absorção de umidade).

Ver detalhes do projeto

  Rosa Maria Vercelino Alves      ITAL

Sustentabilidade:do campo à mesa

n° SGP 1840

A presença de agricultores familiares é bastante significativa na região de Bauru/SP, principalmente na produção de olerícolas. Dentre os principais entraves encontrados na etapa de comercialização da produção destacam-se as dificuldades de obter volume, variedade, frequência e qualidade dos produtos. Em 2016 foi inaugurada uma cozinha comunitária, pela prefeitura de Bauru/SP, que visa oferecer refeições adequadas, saudáveis, nutricionalmente balanceadas, para atender prioritariamente pessoas em vulnerabilidade social. A rede de cooperação da equipe do projeto será responsável em buscar melhorias nas condições de produção agrícola, minimizar o problema de comercialização e desenvolver pesquisa para a segurança alimentar. O objetivo geral do projeto é auxiliar na sustentabilidade da cozinha comunitária, instalada em Bauru, através do desenvolvimento de metodologia de políticas públicas para aquisição de alimentos de produtores rurais da agricultura familiar local.

Ver detalhes do projeto

  Maria Cecília de Arruda Palharini      Apta Regional / IAC

Avaliação da produção de aflatoxinas em duas cultivares de amendoim com alto teor de ácido oleico produzidos no Estado de São Paulo

n° SGP 1839

O Estado de São Paulo se destaca como maior produtor nacional de amendoim e nos últimos anos apresentou grandes mudanças no cultivar plantado e consequente aumento na produtividade. Atualmente, os cultivares com alto teor de ácido oleico tem chamado atenção devido a sua resistência às diversas doenças e maior estabilidade à oxidação lipídica, aumentando assim, sua vida de prateleira. Devido às características de produção do amendoim, esta cultura é susceptível à infecção por fungos produtores de aflatoxinas, metabólitos secundários carcinogênicos ao homem. Apesar do conhecimento deste problema, a disponibilidade de fungos aflatoxigênicos no solo e o contato direto com o amendoim somado a fatores climáticos como temperatura e umidade, facilitam a infecção e consequente produção desta toxina, dificultando o controle. Nestas condições, serão analisadas duas cultivares de amendoim com alto teor de ácido oleico que são as principais cultivares plantadas no Estado de São Paulo, a fim de avaliar a susceptibilidade à infecção de fungos produtores de aflatoxinas bem com a produção desta toxina. A regulamentação técnica sobre a presença de aflatoxinas no amendoim será de acordo com a RDC 7/2011 (ANVISA, 2011).       

Ver detalhes do projeto

  Marta Hiromi Taniwaki      ITAL

Determinação de hidrocarbonetos saturados e aromáticos de óleos minerais (MOSH e MOAH) em embalagens cartonadas de alimentos

n° SGP 1830

O óleo mineral é compostos por hidrocarbonetos saturados (MOSH) e aromáticos (MOAH) e está presente em tintas de impressão usadas em embalagens de alimentos e principalmente na impressão de jornal. As embalagens cartonadas feitas de material reciclado podem conter porções significativas de óleo mineral. Os MOSH consistem em alcanos lineares ou ramificados e ciclo-acanos substituídos com grupos alquila, enquanto que os MOAH incluem principalmente hidrocarbonetos poli-aromáticos substituídos com alquila. As principais fontes de hidrocarbonetos de óleo mineral (MOH) em alimentos são embalagens de  alimentos e aditivos, auxiliares de processamento e lubrificantes. Os MOSH de C16 a C35 podem se acumular e causar microgranulomas em vários tecidos incluindo linfonodos, baço e fígado. Os MOAH com três ou mais anéis aromáticos não alquilados ou alquilados podem ser mutagênicos e carcinogênicos e, portanto, são potencialmente preocupantes. Como ainda não existem estudos sobre a presença e quantiade de MOH em materiais de contato com alimentos no Brasil. Esse trabalho tem como objetivo principal estabelecer um método de determinação de MOH, baseado no método de BfR, 2012 que usa um  cartucho de extração em fase sólida de nitrato de prata/sílica gel para a pré-separaão e GC-FID para a quantificação de MOSH e MOAH, a fim de monitorar a presença destas substâncias em cartões reciclados e aparas pré e pós-consumo.

Ver detalhes do projeto

  Marisa Padula      ITAL

Determinação dos teores de isocianatos residuais em embalagens flexíveis laminadas destinadas para contato com alimentos

n° SGP 1829

Os isocianatos são componentes de adesivos poliuretânicos, que são amplamente utilizados na produção de embalagens flexíveis multicamadas laminadas. Existe uma preocupação com relação ao teor residual destas substâncias presentes em embalagens destinadas para alimenos porque, dependendo de algumas variáveis é possível que ocorra a formação de aminas primárias aromáticas, que são compostos com potencial carcinogênico. Desse modo, os regulamentos de materiais plásticos para contato com alimentos da ANVISA, do MERCOSUL e Europeu estabelecem o limite máximo de 1 mg de isocianatos/kg de material (BRASIL, 2012; COMISSÃO EUROPÉIA, 2011; GRUPO MERCADO COMUM, 2012). 

Assim, o trabalho consiste na implantação de uma metodologia, já estabelecida na norma EN-13130-8:2004, para determinação do teor residual de isocianatos em materiais, artigos e embalagens. Com o método implementado (e se necessário, validado), são feitas determinações do teor residual de isocianatos em embalagens flexíveis laminadas disponíveis comercialmente, as quais serão compradas em supermercados e em estruturas recém-fabricadas, que serão solicitadas à convertedores de embalagens (parceiros). Caso sejam identificados, isocianatos nestas estruturas recém-fabricadas, estas ficarão estocadas por um tempo determinado e serão novamente reavaliadas para confirmar se estes componente serão consumidos.  

 

 

 

Ver detalhes do projeto

  Marisa Padula      ITAL

Crescimento máximo da linhagem de tilápia (Oreochromis niloticus) Supreme GST cultivada em temperaturas diferentes

n° SGP 1826

Objetiva-se avaliar as curvas de crescimento máximo da linhagem de tilápia Genomar Supreme GST (Oreochromis niloticus) cultivada em diferentes temperaturas. Um conjunto de dados de peso em função da idade será ajustado em diferentes modelos de crescimento. O experimento será realizado no Polo Alta Sorocabana - Agência Paulista de Tecnologia dos Agronegócios (APTA), em Presidente Prudente - SP, localizado em 22º11' de latitude Sul, 51º23' de longitude Oeste e 458,3 m de altitude. Alevinos de tilápia de proximadamente 1,5 g serão cultivados em três sistemas de recirculação de água contendo tanques de 0,5 m³, a densidade de 40 peixes / m³. Os sistemas serão fornecidos com controle de temperatura, filtro e tratamento de ultravioleta. A temperatura da água dos sistemas de recirculação será mantida a 22, 26 e 30 ºC. Os peixes serão alimentados “ad libitum” três vezes ao dia com mesma ração comercial específica para cada fase de crescimento. Ao longo do crescimento, serão pesados dez peixes de cada tanque no início e aos 30, 60, 90, 120, 150 e 180 dias de cultivo depois de passar por um período de jejum de 12 horas. Serão determinados a sobrevivência, ganho de peso, conversão alimentar e homogeneidade dos lotes em cada período. O modelo exponencial de crescimento também será ajustado para a determinação e comparação das taxas de crescimento. Será utilizado o delineamento experimental inteiramente casualizado, com 3 tratamentos e quatro repetições (tanques). O estudo do crescimento será realizado ajustando todos os dados do peso do peixe para o modelo exponencial, dado por y= Aekx, e modelo de Gompertz dado por y = Aexp(-Be-kx). Adicionalmente serão determinadas as taxas de crescimento absoluta e relativa e o peso e idade à inflexão. Os parâmetros das curvas para cada linhagem serão comparados por seus intervalos de confiança a 95% de probabilidade.

Ver detalhes do projeto

  Vander Bruno dos Santos      IP

AVALIAÇÃO DE B. Brizantha SOB CONDIÇÕES EDAFOCLIMÁTICAS COM SUPLEMENTAÇÃO DE NITROGÊNIO E POTÁSSIO

n° SGP 1825

            A elevação potencial genético de forrageiras tropicais é um aspecto importante para o sistema de produção de animais em pastejo, porém existe a grande necessidade de técnicas de adubação e o conhecimento sobre a ecofisiologia das espécies forrageiras tropicais mediante as pertubações ambientais, para direcionar e orientar práticas sustentáveis de manejo. A definição de estratégias que permitam maior eficiência no manejo de pastagens tropicais, através de um maior aproveitamento do potencial de produção das plantas forrageiras, requer a compreensão de seu comportamento morfofisiológico e resposta à adubação, minimizando o processo de degradação da pastagem em uso. A obtenção dessas informações é fundamental para se definir o momento mais oportuno para a entrada e saída dos animais em qualquer situação de pastejo, especialmente em sistemas de lotações intermitentes e a altura e/ou a melhor disponibilidade de forragem, relacionando o melhor balanço possível entre os desempenhos produtivos da planta forrageira e do animal.

            Além desses aspectos, espera-se: diminuição na estacionalidade da produção de forragens e aumento na produtividade de animais em pastejo. Relevantes informações podem ser atribuídas, sendo: o potencial para propiciar benefícios ao meio ambiente, diminuindo os riscos de contaminação do lençol freático com uso inadequado de fertilizantes, o que pode ocorrer quando se utiliza níveis muito elevados de adubos potássicos e nitrogenados; a redução da poluição ambiental, causada pela redução da produção de metano, que se observa, quando os animais são alimentados com forragem de melhor qualidade.

Ver detalhes do projeto

  Andréia Luciane Moreira      Apta Regional / IZ

Estudo para estabelecer correlação entre o tamanho e formato de grânulos de produtos modelo, obtidos por aglomeração com vapor, com as propriedades de reconstituição de pós em líquidos.

n° SGP 1823

O processo de aglomeração permite transformar um alimento em pó fino em grânulos, com a modificação da sua estrutura física, sendo que as características dos aglomerados obtidos dependem do tipo de processo que é utilizado, das condições operacionais, dos ingredientes constituintes da formulação e da proporção entre estes. As modificações na estrutura física do pó que ocorrem devido ao processo de aglomeração com vapor são principalmente no tamanho e no formato dos grânulos, sendo possível caracterizá-las através da análise morfológica. Portanto, pretende-se neste projeto de pesquisa, caracterizar a forma e o tamanho dos grânulos de produtos modelo em pó (base carboidrato, proteína e gordura), obtidos em aglomeração com vapor, correlacionando-os com as propriedades de reconstituição de pós em líquidos. 

 

Ver detalhes do projeto

  Fernanda Zaratini Vissotto      ITAL

Aceleração da fase de decomposição de processo de compostagem de lodos de esgoto e agroindustriais visando o uso dos compostos na agricultura

n° SGP 1822

Após longo e custoso processo de tratamento de efluentes sanitários, agroindustriais e das atividades pecuárias como a bovinocultura e suinocultura, o lodo gerado é invariavelmente destinado a aterros, pois normalmente não atende normas para uso direto em solos agrícolas, necessitando de pós-tratamento para sua melhoria. Há tecnologias importadas como a secagem térmica e incineração que utilizam altas temperaturas, elevados gastos energéticos, e geram gases tóxicos que necessitam de tratamentos. Há perdas de matéria orgânica, carbono, nitrogênio e enxofre que empobrecem o resíduo para uso agrícola. O lodo seco/incinerado é encaminhado a aterros sanitários. Alternativa para o pós-tratamento seria o processo de compostagem tradicional, que é muito eficiente, produzindo compostos de alta qualidade para agricultura. Contudo, o processo demanda enormes áreas de pátio, especialmente na fase de decomposição que consome metade do prazo para produção do composto, que é de 120 dias. Há custos operacionais com máquinas/operadores para condução do processo, e exposição de funcionários a riscos de contaminação. Neste cenário, foi desenvolvida e está sendo comercializada a máquina recicladora de lixo 5Ecos, aceleradora de compostagem. Restos de alimentos e hortifrutis processados em 24h resultam em produto cuja caracterização física assemelha-se a composto orgânico, com teores de água de 5-15%, eliminando vetores como insetos e facilitando seu manuseio e transporte. Contudo, a caracterização química dos compostos e testes de germinação mostra a impossibilidade de seu uso como substrato de planta, composto ou condicionador de solos. O desafio desta proposta é preencher essa lacuna no mercado brasileiro, no que concerne ao pós-tratamento de resíduos sólidos, desenvolvendo um protocolo para realizar a fase de decomposição de resíduos inteiramente dentro do equipamento, cujas características de construção assemelhasse a reator aeróbio, e gerar compostos orgânicos, reciclando nutrientes e reduzindo custos com fertilizantes químicos na produção agrícola. A fase de humificação da compostagem poderá ser conduzida no equipamento e/ou em pilhas no campo, demandando áreas menores de pátio e baixos custos operacionais. Para tanto serão confrontados 03 cenários de compostagem: (i) máquina recicladora 5Ecos; (ii) pilhas no campo; (iii) ensaio de respirometria no laboratório. Os ensaios serão conduzidos concomitantemente, utilizando 03 lodos (esgoto, agroindustrial e suinocultura) e 02 materiais estruturantes (poda de árvore de cidade triturada e bagacilho/maravalha), que serão balanceados com relação C/N em torno de 30/1 e teor de água de 50%, totalizando 36 tratamentos. Dados de temperatura e umidade serão coletados diariamente norteando o revolvimento e irrigação dos materiais, além do monitoramento constante dos teores de matéria orgânica, C, N-total, N-NO3-, N-NH4+, e demais nutrientes de plantas, metais pesados, coliformes termotolerantes, Salmonella sp, ovos de helmintos e cistos de protozoários, e grau de humificação. Vencidos os desafios tecnológicos e científicos da proposta, tais parâmetros diários compilados servirão como banco de dados para Fase II da proposta, que visará automação total da máquina e reformulação do processo, por meio de software que coordene a detecção de temperatura e umidade por meio de sensores, a coleta instantânea de amostras, e determinações automáticas dos elementos que balizam a compostagem por meio de técnicas fotônicas.

Ver detalhes do projeto

  Edna Ivani Bertoncini      Apta Regional / IAC

PRODUÇÃO DE FLOCOS DE JABUTICABA POR DRUM DRYING: DESEMPENHO DE DIFERENTES COADJUVANTES DE PROCESSO E ESTABILIDADE

n° SGP 1821

A jabuticabeira (Myrciaria sp.) é uma árvore frutífera brasileira de origem subtropical e nativa do Bioma Mata Atlântica, e seu fruto pode ser consumido in natura ou através de geleias, vinhos, vinagre, licores, entre outros. A fruta é altamente perecível, ocasionando dificuldades para sua comercialização em escala industrial. A secagem é uma forma de aumentar a estabilidade do alimento, garantindo qualidade sensorial e nutricional, facilitando a posterior aplicação em diversos tipos de alimentos. O processo de drum drying é uma alternativa para a desidratação de polpas de frutas, pois além de ser rentável, utiliza menores quantidades de agentes carreadores, quando comparado ao processo de spray drying, comercialmente mais empregado. O drum drying pode resultar em pós, ou flocos, com boa qualidade, e com alta retenção de nutrientes. Até onde se sabe, não há estudos sobre a aplicação da tecnologia para polpa de jabuticaba, nem tampouco sobre a estabilidade dos pós/flocos obtidos. Estudos que empregam frutas tipicamente brasileiras são de relevância técnica, visto que impulsionam seu consumo e valorizam seu comércio. Assim, o objetivo do estudo será avaliar o desempenho de diferentes coadjuvantes no processo, como a do amido regular de milho e o da fécula de mandioca, de drum drying de polpa de jabuticaba, avaliando a estabilidade dos flocos obtidos em diferentes condições de armazenamento.

Ver detalhes do projeto

  Silvia Pimentel Marconi Germer      ITAL

Influência da adição de fibra alimentar de frutas sobre as propriedades físicas e sensoriais de panetones utilizando fermento natural com cepas selecionadas

n° SGP 1806

O panetone é um produto fermentando que possui uma formulação complexa, rica em açúcares, gorduras e aditivos sintéticos, que são adicionadas para garantir sua estabilidade ao longo da vida-de-prateleira. O fermento natural ou massa ácida demonstra ser um importante aliado para ser utilizado nos produtos de panificação fermentados, pois promove modificações bioquímicas da rede de glúten através da ação microbiana e enzimática, tendo como resultado a alteração da reologia da massa, da formação de aroma e sabor agradável e diferenciado. Neste contexto, as fibras alimentares poderiam ser importantes aliados funcionais, tecnológicos e sensoriais neste tipo de produto. O objetivo deste estudo será estudar o efeito combinado da adição de massa ácida e fibras oriundas da indústria processadora de frutas quanto às propriedades reológicas e de textura do produto final.

 

Ver detalhes do projeto

  Elizabeth Harumi Nabeshima      ITAL

Caracterização dos recursos genéticos do lambari Astyanax sp: Conservação e uso destes recursos para o desenvolvimento de um piscicultura da espécie.

n° SGP 1796

As espécies de “lambari foram escolhidas por serem um conjunto de espécies com grande valor comercial e poderem servir de espécie modelo, devido ao seu pequeno porte e ciclo reprodutivo rápido, com possibilidade de se desenvolver uma metodologia de melhoramento genético em pisciculturas de médio porte utilizando a mesma densidade utilizada em produção. Serão julgadas as possíveis populações encontradas na região, seja avaliando com questionários os produtores, observando a origem dos seus reprodutores e as possíveis características selecionáveis dentro de um programa de melhoramento que interessam para o produtor, ou coletando novos exemplares com pescadores locais. Após esse primeiro ensaio serão determinados quais amostragem deverão ser aproveitadas para a avaliação genética, onde serão empregadas ferramentas moleculares (DNA mitocondrial e microssatélites) para se analisar a variabilidade genética e estrutura populacional. Na avaliação da diversidade genética e polimorfismo dos loci será utilizado o sequenciador DNA Analyser 4300 da LiCor. Os resultados podem indicar se as populações analisadas possuem variabilidade genética e se podem ser utilizadas em conjunto na formação de famílias num programa de melhoramento genético. A estruturação genética será avaliada dentro e entre populações, assim quanto informativo são os microssatélites para essas populações. As espécies de “lambari foram escolhidas por serem um conjunto de espécies com grande valor comercial e poderem servir de espécie modelo, devido ao seu pequeno porte e ciclo reprodutivo rápido, com possibilidade de se desenvolver uma metodologia de melhoramento genético em pisciculturas de médio porte utilizando a mesma densidade utilizada em produção. Serão julgadas as possíveis populações encontradas na região, seja avaliando com questionários os produtores, observando a origem dos seus reprodutores e as possíveis características selecionáveis dentro de um programa de melhoramento que interessam para o produtor, ou coletando novos exemplares com pescadores locais. Após esse primeiro ensaio serão determinados quais amostragem deverão ser aproveitadas para a avaliação genética, onde serão empregadas ferramentas moleculares (DNA mitocondrial e microssatélites) para se analisar a variabilidade genética e estrutura populacional. Na avaliação da diversidade genética e polimorfismo dos loci será utilizado o sequenciador DNA Analyser 4300 da LiCor. Os resultados podem indicar se as populações analisadas possuem variabilidade genética e se podem ser utilizadas em conjunto na formação de famílias num programa de melhoramento genético. A estruturação genética será avaliada dentro e entre populações, assim quanto informativo são os microssatélites para essas populações. 

Ver detalhes do projeto

  Fernando Stopato da Fonseca      IP

Fungos em micotoxinas em páprica

n° SGP 1794

A páprica é um condimento obtido através da secagem e trituração de frutos maduros dos pimentões da espécie Capsicum annuum. A produção dessa espécie de pimentão no Brasil ainda é pequena, devido ao desconhecimento de sua existência e a pequena utilização na culinária, sendo quase toda a produção exportada. Estudos já apontaram a presença de fungos toxigênicos e micotoxinas em amostras de pimentões e em amostras de páprica. As micotoxinas são toxinas produzidas por algumas espécies de fungos filamentosos, que podem causar danos à saúde humana e animal, e sendo encontradas em uma variedade de alimentos. Na páprica, as principais micotoxinas encontradas são a ocratoxina A, produzida principalmente por Aspergillus niger e A. carbonarius, e as aflatoxinas, produzidas por A. flavus e A. parasiticus. O objetivo desse projeto será isolar e identificar os fungos toxigênicos encontrados nas amostras de páprica comercializadas no estado de São Paulo, bem como avaliar a presença de ocratoxina A e aflatoxinas nas amostras.

Ver detalhes do projeto

  Beatriz Thie Iamanaka      ITAL

Semeadura Direta de Leguminosas Adubos Verdes na Entrelinha da Soqueira de Cana Crua

n° SGP 1791

Técnica conhecida e praticada há muitas décadas fora do Brasil, o cultivo intercalar é uma possibilidade de otimizar o uso da terra, dentre outras vantagens. No Brasil foi objeto de estudo no início da década de 80, porém não alcançou expressão em escala comercial. Atualmente, em virtude dos impactos da colheita mecanizada (pisoteio de soqueiras, compactação e surgimento de novas pragas), a longevidade das soqueiras vem diminuindo em muitas regiões demandando a reforma antes do tempo, prática de alto custo e que atrasa o fluxo de matéria-prima nas unidades industriais. O cultivo intercalar de leguminosas adubos verdes em soqueira pode ser uma alternativa para atenuar os impactos da colheita mecanizada. Nesse sentido, pesquisas em campo serão instaladas em delineamento experimental blocos casualizados com os tratamentos arranjados em faixas, tendo como tratamentos cinco espécies (Crotalaria spectabilis, Crotalaria ochroleuca, Crotalaria breviflora, Lupinus albus, Cajanus cajan) com e sem nitrogênio em cobertura, além da testemunha. Estão previstos dois experimentos, sendo um em Latossolo Vermelho distrófico (Usina São Martinho) e um sobre Argissolo Vermelho Amarelo (COFCO Agri, Catanduva). Estão previstas avaliações dos atributos do solo (física e fertildade), crescimento do sistema radicular da cana-de-açúcar, acúmulo de biomassa e nutrientes na cana e nas espécies de leguminosas, bem como as características agronômicas e tecnológicas da cana-de-açúcar. Preferencialmente serão utilizadas soqueiras com mais de três cortes.

Ver detalhes do projeto

  Denizart Bolonhezi      IAC

Estudo do efeito isolado e da interação de Meloidogyne incognita, Pratylenchus brachyurus e P. jaehni em três genótipos de cafeeiros.

n° SGP 1787

Objetivo geral

 

Os objetivos principais do projeto são estudar as interações de diferentes densidades populacionais de nematoides das lesões P. brachyurus e P. jaehni  e ácaros no desenvolvimento de cafeeiros. Também, será estudada o efeito da infestação conjunta de P. brachyurus, P. jaehni  e M. incognita em diferentes genótipos de cafeeiros.Objetivos específicos

 

1) plano de gestão do projeto

2) Estudar a interação da infestação conjunta de nematoides das lesões radiculares (P. brachyurus e P. jaehni) e ácaros em C. arabica e C. canephora

2.1) estudo da interação da infestação conjunta de diferentes níveis populacionais de  P. brachyurus e P. jaehni  e ácaros em C. arabica Catuaí Vermelho.

2.2) estudo da interação da infestação conjunta de diferentes níveis populacionais de  P. brachyurus e P. jaehni  e ácaros em genótipo comercial de C. canephora .

 

3) Estudar o efeito da infestação isolada e conjunta de P. brachyurus, P. jaehni e M. incognita em três genótipos de cafeeiros.

3.1) efeito da infestação isolada e conjunta de P. brachyurus, P. jaehni e M. incognita em cafeeiro com porta enxerto C. canephora cv. Apoatã enxertado com C. arábica cv. Catuaí Vermelho

3.2) efeito da infestação isolada e conjunta de P. brachyurus, P. jaehni e M. incognita em C. arábica cv. Catuaí Vermelho

3.3) efeito da infestação isolada e conjunta de P. brachyurus, P. jaehni e M. incognita em clone de genótipo 

Ver detalhes do projeto

  Roberto Kazuhiro Kubo      IB

Monitoramento das espécies marinhas associadas aos costões rochosos e capturadas na Baia de Santos

n° SGP 1784

A Baía de Santos, entrada para o maior porto da América Latina, compartilha a pesca com o tráfego intenso de navios, operações de dragagem e a limpeza de casco dos navios, causando preocupação devido à potencialidade de acidentes ambientais e da susceptibilidade às espécies invasoras. Os objetivos deste estudo são: monitorar as espécies associadas aos costões rochosos na Baía de Santos que são capturadas pela atividade extrativista, mexilhão Perna perna, o gastrópode Stramonita haemastoma (saquaritá); equinodermes ouriços-do-mar Echinometra lucunter (ouriço-do-mar-preto ou pindá) e Lytechinus variegatus (ouriço-do-mar-verde) e Holothuria sp (pepinos-do-mar); indicar os pontos críticos de controle; caracterizar as práticas de captura, manuseio do produto e a obtenção dos parâmetros de qualidade microbiológica, física e química. A aquisição de imagens de alta resolução será bimensal por câmeras especiais pelo sistema de aeronave remotamente pilotada no mediolitoral e por mergulhos científicos a partir do infralitoral. Disponibilizam imagens de alta qualidade, aplicáveis no método do fotoquadrat para estimativas das densidades populacionais e também para o dimensionamento das faixas de dominância e extrativa dessas áreas.  Amostras serão coletadas anualmente e analisadas para a caracterização nutricional e higiênico-sanitária do pescado capturado, verificação dos principais pontos críticos de controle e análises microbiológicas para pesquisa de Samonella sp, Staphylococcus aureus, Bacillus cereus, Clostridium perfringens, Vibrio e Coliformes totais.

Ver detalhes do projeto

  Luiz Miguel Casarini      IP

Embalagens celulósicas para alimentos: avaliação da conformidade em relação aos ftalatos, metais e migração para alimentos

n° SGP 1782

As embalagens celulósicas são amplamente usadas como embalagem de alimentos, sendo predominantemente de uso único (descartáveis). O aumento do interesse público pela conservação dos recursos naturais e também por questões econômicas, levou ao aumento do uso de papel, papel ondulado e cartão reciclados. O regulamento técnico do Mercosul, Resolução GMC nº 40/15, publicado no Brasil pela ANVISA (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) como Resolução RDC nº 88/16 aprovou o uso de fibras recicladas no material celulósico para contato com alimentos, porém a embalagem deve cumprir com os limites máximos para migração específica de algumas substâncias químicas, entre elas os ftalatos DBP, DIBP e DEHP e os metais As, Cr, Cd, Pb e Hg.  A segurança dos materiais celulósicos reciclados para uso em contato com alimentos está diretamente relacionada com a habilidade dos contaminantes da etapa pós-consumo serem absorvidos pelo material reciclado e posteriormente liberados pelo material de embalagem e absorvidos pelo alimento. Assim, este projeto tem por objetivo estudar a migração dos plastificantes DBP, DIBP e DEHP, que são empregados em tintas utilizadas na impressão de embalagens celulósicas comercializadas no mercado brasileiro e DIPN, substância oriunda da reciclagem de papel autocopiativo identificada em diversos estudos internacionais, bem como a migração dos elementos As e Cr e a extração em água de Cd, Pb e Hg. Desse modo, se as aparas de papel utilizadas no processo de reciclagem apresentarem concentrações reduzidas dos plastificantes utilizados nas tintas de impressão e dos metais, as embalagens feitas com fibras celulósicas recicladas devem apresentar migração específica inferior ao limite máximo estabelecido na legislação. Assim, tem-se a garantia de que os plastificantes e os metais não irão migrar para o produto alimentício e ser indevidamente ingeridos pelos consumidores. Além disso, amostras comerciais de alimentos normalmente acondicionados em embalagens celulósicas serão avaliadas quanto à migração das substâncias químicas em estudo.

Ver detalhes do projeto

  Leda Coltro      ITAL

Monitoramento limnológico de área aquícola com sistema de criação de tilápia em tanques-rede de grande volume, no reservatório de Água Vermelha em Riolândia, SP

n° SGP 1778

A aquicultura tem tido grande desenvolvimento nas últimas décadas, e é mais uma atividade humana a competir com inúmeras outras pelo recurso água. Com o crescimento desta atividade, e consequentemente, o incremento da procura e uso da água, os aquicultores estão se tornando alvos preferidos dos órgãos de controle ambiental, comprovadamente pela imposição de regras, leis e exigências, tanto no aspecto do uso do terreno, uso/reuso e despejo das águas, escolha, introdução e translocação de espécies exóticas ou nativas, como também no aspecto sanitário do produto obtido. O melhoramento das atividades piscícolas depende diretamente do entendimento da dinâmica da água das áreas aquícolas, por meio da caracterização limnológica, propiciando conhecimentos que poderão gerar tecnologias de manejo adequado, garantindo a sustentabilidade do cultivo em tanques-rede. O objetivo deste experimento será avaliar a qualidade da água da produção de tilápia de um sistema de criação de tilápias, em três densidades de estocagem, utilizando tanques-rede de grande volume articulados com dispensador de ração automatizado no reservatório de Água Vermelha.

Ver detalhes do projeto

  Daniela Castellani      IP
  Sobre

O SGP (Sistema de Gestão de Pesquisa) foi implementado em todas as unidades APTA, para centralizar o controle de todos os projetos desenvolvidos sob sua supervisão. [Ler mais]

Endereço APTA – São Paulo

Praça Ramos de Azevedo, 254, 2º andar - República, São Paulo - SP

Fone : (11) 5067-0447 e 5067-0427

  Endereço APTA – Campinas

Avenida Barão de Itapura, 1481 - Botafogo, Campinas - SP

Fone : (19) 2137-8930