Projetos APTA no Instituto de Pesca

Página Inicial / Busca de Projetos

56 projetos ativos encontrados - pág. 1 de 2

A PESCA DE ROBALOS NA ÁREA ESTUARINA DA BAIXADA SANTISTA

n° SGP 1681

Mesmo com os intensos impactos socioambientais causados pela existência de um polo industrial e portuário, o Complexo Estuarino Santos-São Vicente-Bertioga é importante para algumas comunidades de pescadores profissionais artesanais da Baixada Santista e para a pesca recreativa que nesse ambiente compartilham o uso de alguns recursos, como os robalos Centropomus spp., de elevado valor comercial. Os esforços somados da pesca artesanal e da pesca esportiva que exercem pressão sobre os estoques de robalo demandam que tais sistemas pesqueiros sejam bem conhecidos para adequada gestão do recurso e do território. Este estudo visa contribuir para a caracterização da atividade pesqueira artesanal e recreativa voltadas à pesca do robalo na área referida acima, visando ampliar a compreensão sobre os processos ambientais e produtivos, bem como fornecer subsídios para a gestão pesqueira da área. Para isso, serão realizadas entrevistas que envolvem a caracterização socioeconômica, o conhecimento ecológico local e a percepção dos conflitos e dos impactos da atividade pesqueira sobre este importante recurso.

Ver detalhes do projeto

  Ingrid Cabral Machado      IP

Densidade de estocagem de tilápia em sistema de bioflocos (BFT)

n° SGP 1677

Apesar do sistema de biofloco (BFT) apresentar tecnologia bem desenvolvida para a produção de camarões marinhos no Brasil, a produção de tilápia nesse sistema está em desenvolvimento. Há poucos estudos sobre a influência da densidade de estocagem no desenvolvimento da espécie nas fases iniciais de criação em BFT, principalmente se considerarmos densidades próximas das que são comumente utilizadas em empreendimentos comerciais. Além disso, pelo fato do biofloco ser um recurso alimentar comprovadamente aproveitado pela espécie, não se tem conhecimento da eficácia da reversão sexual em larvas criadas em BFT. Assim, serão avaliadas técnica e economicamente cinco densidades (tratamentos) de estocagem de tilápia nas fases de reversão (2.000, 3.500, 5.000, 6.500 e 8.000 larvas m-3) e alevinagem (625, 900, 1.250, 1.600 e 2.500 ind m-3). O delineamento será inteiramente casualizado, com quatro repetições. Os experimentos serão realizados no Laboratório de Nutrição do Centro do Pescado Continental. O sistema BFT será “in situ”, ou seja, a formação do biofloco se dará no mesmo tanque de produção dos peixes. Os animais serão mantidos em caixas de PVC (volume útil de 270 L), com aeração constante e controle de temperatura e das variáveis limnológicas (oxigênio, amônia, nitrito, nitrato, fósforo, alcalinidade, pH, sólidos sedimentáveis). Ao final do período experimental serão avaliados os parâmetros de desempenho produtivo (incluindo o índice de reversão, na fase larval) para cada tratamento. Será realizada, ainda, a avaliação econômica do sistema.

Ver detalhes do projeto

  Helenice Pereira de Barros      IP

Mapeamento de habitats em áreas de proteção ambiental marinha e combate à pesca fantasma.

n° SGP 1643

O efeito da pesca vai além da retirada de biomassa, também gera os petrechos de pesca perdidos, abandonados ou descartados, conhecidos como petrechos fantasmas, problema recorrente na Área de Proteção Marinha do Litoral Centro no Estado de São Paulo (APAMLC). Os objetivos deste estudo na APAMLC são: mapear e classificar os habitats marinhos por imagens sonar e digitais; detectar, identificar e remover os petrechos fantasmas para reciclagem sustentável; avaliar os impactos causados no ambiente marinho e marcação das redes de arrasto de praia e emalhar para cadastro. No período de abril de 2017 a março de 2019 serão realizadas 10 campanhas para detecção e remoção de petrechos fantasmas por meio de sonar de varredura lateral, veículo operado remotamente (ROV), sistema de aeronave remotamente pilotada - RPAS (drone), câmera subaquática rebocada, mergulho científico e inspeção visual da superfície. Os resultados irão fornecer informações fundamentais para o ordenamento do território e estratégias para o manejo e conservação de recursos pesqueiros, viabilizar uma abordagem ecossistêmica à gestão das atividades humanas para proteger o ambiente marinho e reciclagem dos petrechos fantasmas para produtos poliméricos sustentáveis de alto valor ambiental agregado.

Ver detalhes do projeto

  Luiz Miguel Casarini      IP

PROTOCOLOS DE COLETA DE FEZES DO LAMBARI PARA ESTUDO DE DIGESTIBILIDADE

n° SGP 1639

O lambari-do-rabo-amarelo é uma espécie que está mudando o cenário da piscicultura em viveiros escavados no Estado de São Paulo, especialmente as pequenas propriedades, proporcionando fixação do homem no campo e geração de renda. Dentro do conceito que a alimentação é o fator de maior custo em uma piscicultura, o uso de dietas especificas de melhor qualidade pode ser um ponto importante para um empreendimento economicamente mais sustentável. O conhecimento dos valores digestíveis dos nutrientes, em especial a proteína, dos principais alimentos utilizados nas rações para peixes torna-se imprescindível para a obtenção de melhor desempenho, eficiência nos processos metabólicos e mitigação dos impactos ambientais. Previamente a isso, a metodologia empregada para a coleta de fezes neste tipo de estudo in vivo tem influencia direta na acurácia dos resultados, sendo essencial sua avaliação para padronização de um protocolo experimental, visando maior conteúdo de matéria seca de fezes necessárias para as análises laboratoriais, visto que o lambari é uma espécie de porte pequeno e consequentemente a quantidade de fezes produzida por dia também é pouca. Assim o presente estudo tem-se por objetivo desenhar um protocolo de coleta de fezes e manejo pré-coleta com intuito de obter maior conteúdo de fezes, para posterior estudo de digestibilidade e determinação de exigência dietética de proteína digestível.

Ver detalhes do projeto

  Eduardo Gianini Abimorad      IP

Avaliação dos efeitos do fungicida APROACH PRIMA em girinos de rã-touro (Lithobates catesbeianus) através da análise de biomarcadores

n° SGP 1597

O uso de indicadores biológicos tem aumentado nos últimos anos, com o intuito de investigar a poluição ambiental, sendo que o ambiente aquático apresenta uma grande vulnerabilidade, tendo a agricultura papel de destaque como uma das principais atividades humanas que contribui para o aumento da poluição, devido à utilização de pesticidas. Essas substâncias, dentre os poluentes ambientais, têm recebido recente atenção pelo seu potencial em alterar populações e o dinamismo entre comunidades. Os biomarcadores podem ajudar a avaliar o estado de saúde das populações de anfíbios, atuando como parâmetros finais e subletais da intoxicação. Em virtude da necessidade de estabelecer biomarcadores com maior sensibilidade, precisão e informação rápida após da exposição e ação dos estressores ambientais e particularmente dos pesticidas usados no ambiente, será testada a análise do sistema pigmentar extracutâneo e especificamente nos órgãos hematopoiéticos como baço e fígado, onde residem os melanomacrófagos (MMCs). Os anfíbios anuros ocorrem em todos os continentes, apresentam ampla distribuição geográfica, sendo encontrados em todos os continentes, exceto na Antártica, sendo mais abundantes em países tropicais e a rã-touro é uma espécie já utilizada em ensaios de ecotoxicologia aquática. O Aproach® Prima é um fungicida sistêmico que contém picoxistrobina (do grupo das estrobilurinas, inibidores do fluxo de elétrons da respiração mitocondrial) e ciproconazole (do grupo dos triazóis, inibidores da biossíntese do ergosterol), usado em pulverizações preventivas, para o controle de doenças da parte aérea da cultura do algodão, arroz, café, cana-de-açúcar, milho, soja e trigo. Quanto à sua classificação toxicológica, pertence à classe III, sendo medianamente tóxico e quanto à classificação do potencial de periculosidade ambiental, pertence à classe II, muito perigoso ao meio ambiente, segundo dados da bula do produto. Este produto foi escolhido para realização dos ensaios ecotoxicológicos, em virtude de sua utilização na cultura no arroz inundado, que é a principal cultura da região do Vale do Paraíba e que apresenta grande interface com o ambiente aquático.

 

Ver detalhes do projeto

  Adriana Sacioto Marcantonio      Apta Regional / IP

Efeitos de nanopartículas grafeno associada a metais pesados Cd e Pb, em Oreochromis niloticus e Geophagus iporanguensis em diferentes temperaturas

n° SGP 1568

Nanoecotoxicologia é um tema muito recente e de grande interesse mundial, devido principalmente à falta de estudos conclusivos, que forneçam os mecanismos de interação de sistemas biológicos com nanomateriais, além de dosagens críticas e tempo de exposição. A nanopartícula de TiO2 e os elementos traços cádmio (Cd) e zinco (Zn) são amplamente empregados na indústria e frequentes em regiões poluídas. No entanto, são poucos os estudos que estabelecem as influências dessas substâncias na fisiologia e no metabolismo de peixes e camarões. O projeto tem como objetivo estudar os efeitos subletais do  TiO2 e do seu efeito combinado com Cd e Zn em três diferentes temperaturas (25°C, 20°C e 15°C), sobre o metabolismo de rotina da tilápia do Cará (Gophagus brasiliensi) e do camarão de água doce (Palaemon pandaliformis),  organismos de importância econômica e ecológica. A toxicidade do TiO2 e seu efeito combinado com o Cde Zn sobre o metabolismo será avaliado por meio do consumo de oxigênio, da excreção de amônia, dos parâmetros hematológicos e de biomarcadores enzimáticos e histológicos (método estereológico). A hipótese deste projeto é que com o aumento da temperatura associado com o efeito combinado do TiO2 com o Cd e Zn, haverá consequentemente um aumento da toxicidade, revelada pelo consumo de oxigênio, excreção de amônia, parâmetros hematológicos (peixe), hemolinfático (camarão) e biomarcadores enzimáticos e histológicos. Para isso, será avaliado os efeitos de exposições agudas a diferentes concentrações de TiO2 e de  Cd e Zn (0,001; 0,005; 0,01; 0,05; 0,1; 0,5ppm, 1ppm, 2,5ppm) sobre a CL50 e o metabolismo de rotina, parâmetros hematológicos, hemolinfáticos, estresse oxidativo e alterações histológicas. As taxas metabólicas serão estimadas através de experimentos realizados em cada uma das nove combinações possíveis de três temperaturas (25°C, 20°C e 15°C). Posteriormente será estudado os efeito agudo do TIO2, Cd e Zn nos parâmetros hematológicos, hemolinfáticos e sobre os biomarcadores enzimáticos e histológicosNanoecotoxicologia é um tema muito recente e de grande interesse mundial, devido principalmente à falta de estudos conclusivos, que forneçam os mecanismos de interação de sistemas biológicos com nanomateriais, além de dosagens críticas e tempo de exposição. A nanopartícula de TiO2 e os elementos traços cádmio (Cd) e zinco (Zn) são amplamente empregados na indústria e frequentes em regiões poluídas. No entanto, são poucos os estudos que estabelecem as influências dessas substâncias na fisiologia e no metabolismo de peixes e camarões. O projeto tem como objetivo estudar os efeitos subletais do  TiO2 e do seu efeito combinado com Cd e Zn em três diferentes temperaturas (25°C, 20°C e 15°C), sobre o metabolismo de rotina da tilápia do Cará (Gophagus brasiliensi) e do camarão de água doce (Palaemon pandaliformis),  organismos de importância econômica e ecológica. A toxicidade do TiO2 e seu efeito combinado com o Cde Zn sobre o metabolismo será avaliado por meio do consumo de oxigênio, da excreção de amônia, dos parâmetros hematológicos e de biomarcadores enzimáticos e histológicos (método estereológico). A hipótese deste projeto é que com o aumento da temperatura associado com o efeito combinado do TiO2 com o Cd e Zn, haverá consequentemente um aumento da toxicidade, revelada pelo consumo de oxigênio, excreção de amônia, parâmetros hematológicos (peixe), hemolinfático (camarão) e biomarcadores enzimáticos e histológicos. Para isso, será avaliado os efeitos de exposições agudas a diferentes concentrações de TiO2 e de  Cd e Zn (0,001; 0,005; 0,01; 0,05; 0,1; 0,5ppm, 1ppm, 2,5ppm) sobre a CL50 e o metabolismo de rotina, parâmetros hematológicos, hemolinfáticos, estresse oxidativo e alterações histológicas. As taxas metabólicas serão estimadas através de experimentos realizados em cada uma das nove combinações possíveis de três temperaturas (25°C, 20°C e 15°C). Posteriormente será estudado os efeito agudo do TIO2, Cd e Zn nos parâmetros hematológicos, hemolinfáticos e sobre os biomarcadores enzimáticos e histológicos

Ver detalhes do projeto

  Edison Barbieri      IP

Peixe da Ilha: um novo modelo de produção de peixes marinhos no Brasil"

n° SGP 1553

O atual sistema brasileiro de produção de peixes marinhos ocorre em tanques-rede cujas panagens (redes) são de nylon multifilamento. O multifilamento é um substrato ideal para o desenvolvimento de incrustações biológicas, acarretando diversos problemas econômicos e ambientais à produção. A malha de cobre é eficiente em reduzir as bioincrustações além de reduzir os riscos de escape dos peixes por ocasião das trocas de panagens. Além da falta de equipamentos apropriados, a carência em conhecimento técnico faz com que o monocultivo do bijupirá predomine e o potencial de outras espécies nativas não seja explorado. Uma destas espécies é o olhete, que apresenta elevado valor de mercado no BrasilO objetivo deste projeto é o de desenvolver um modelo de processo produtivo de peixes marinhos (olhete, bijupirá) utilizando tanques-rede de panagens de cobre. Paralelamente, pretende-se avaliar a viabilidade da pré-engorda destas espécies em sistemas de recirculação de água salgada, visando o povoamento dos tanques-rede com animais de maior peso e mais resistentes. Os resultados advindos deste projeto darão origem a uma proposta de inovação que absorvida pela cadeia produtiva ampliará a viabilidade econômica e a sustentabilidade da piscicultura marinha em ambientes costeiros. Como produto final, esperamos ofertar ao mercado um processo inovador de cultivo de duas espécies nativas de alto valor econômico, baseado em metodologias de manejo cientificamente testadas e em um processo produtivo em harmonia com o meio ambiente.

Ver detalhes do projeto

  Eduardo Gomes Sanches      IP

Boas práticas de manejo na produção de juvenis de tilápia do Nilo

n° SGP 1550

Mundialmente, o grande volume de produtos da aquicultura advém de pequenas e médias propriedades e no Brasil, a aquicultura familiar também contribui significativamente para a produção de pescado. No oeste do Estado de São Paulo, os produtores de tilápias em tanques-rede destacam o elevado preço da ração e a falta de qualidade e oferta de juvenis e alevinos de tilápia como os principais problemas do setor. Neste sentido, a produção de juvenis de tilápia do Nilo para abastecer a fase de engorda desta espécie em sistema de tanques-rede representa uma interessante opção de obtenção de renda e diversificação da produção para produtores familiares. Uma maneira de melhorar a eficiência deste sistema é reduzir os gastos com o arraçoamento, que representa o maior custo de produção. Em estudo recente realizado por nosso grupo de pesquisa (Processo Fapesp 2013/18721-6), testamos a inclusão de substratos de bambu para produção de perifiton em tanques-rede e verificamos que, dependendo da biomassa de peixe estocada e do manejo alimentar adotado (com ou sem restrição), a inclusão do substrato pode reduzir até 40% da ração ofertada, diminuindo também o tempo de cultivo em até 55 dias. Em continuidade a este estudo, justificamos a necessidade de avaliar a inclusão de substratos na produção de juvenis de tilápia do Nilo (peso médio de 2 a 40 g), com o objetivo de desenvolver um modelo produtivo: mais eficiente e rentável para que, em pequenos módulos produtivos, pequenos produtores possam obter renda e sustentar a atividade em longo prazo. Um experimento em parcelas subdivididas, com 2 fatores principais (com substrato e sem substrato) e 2 fatores secundários (alimentação com 100% e com 50 % da porção diária recomendada) com 3 repetições será instalado em 6 viveiros escavados com dois hapas em cada um, sendo cada unidade experimental representada por um hapa. Serão avaliados: o desempenho produtivo, a mortalidade acumulada, a sanidade, o conteúdo estomacal, viabilidade técnica e econômica e os serviços ecossistêmicos prestados por este sistema de produção.

Ver detalhes do projeto

  Fabiana Garcia Scaloppi      IP

Comunidade Aquática e Monitoramento da Qualidade da Água da Área de Preservação Ambiental Permanente - APP do Parque Dr. Fernando Costa

n° SGP 1536

~~Estadual Dr. Fernando Costa, acompanhando a qualidade da água através da análise de parâmetros físicos e químicos e, da toxicidade utilizando-se o ensaio com o embrião de peixe Danio rerio. A pesquisa se dará por meio de coletas sazonais de amostras de água, de perifiton, zooplâncton, ictiofauna e registro fotográfico de anfíbios, com vistas à obtenção de informações para geração de um banco de dados das espécies presentes no sistema hídrico existente na APP do parque, visando a elaboração futura de um plano de manejo e recuperação dessa área. Visa também, disseminar as informações levantadas ao público em geral sob a óptica da educação ambiental. Os trabalhos serão realizados com metodologias apropriadas para coleta de organismos em lago, cujos números aferidos servirão de parâmetros para subsidiar estudos mais aprofundados.~~Na cidade de São Paulo, informações acerca de dados científicos e a identificação de espécies aquáticas em parques urbanos são escassas mesmo tratando-se de áreas protegidas pela legislação, como em áreas de proteção permanente - APP. Também é grande a falta de fiscalização e controle do abandono de espécies exóticas e não nativas em ambientes como parque e praças, revelando uma necessidade grande de melhores proposições para educação ambiental e manejo das áreas de conservação do município. O presente trabalho visa minimizar as lacunas nesse segmento, tratando de realizar um levantamento dos organismos da comunidade aquática (perifiton, zooplâncton e ictiofauna) da Área de Preservação Permanente do Parque

Ver detalhes do projeto

  Cíntia Badaró Pedroso      IP

Efeitos in vitro e in vivo de fungicidas no desenvolvimento de Aphanomyces spp. em ovos de Danio rerio

n° SGP 1535

~~Resumo da proposta (até 1.600 caracteres):
O oomiceto mais comum que acomete os peixes é do gênero Saprolegnia spp., porém outros   menos conhecidos causam infecções semelhantes como aqueles pertencentes ao  gênero Aphanomyces ssp. A matéria orgânica proveniente de ovos mortos, excretas e resto de alimentos aliada a baixa qualidade da água constituem os fatores principais para a proliferação desses organismos.  Os oomicetos são conhecidos como mofos aquáticos por serem saprófagos, mas não são mais considerados fungos. Atualmente eles pertencem ao reino Chromista. Após 2004, o filo Oomycota foi designado a este novo reino, devido as  características da substância da parede celular e dos zoósporos, que os diferenciam dos fungos verdadeiros. Os produtos mais utilizados com ação “fungicida” são o peróxido de hidrogênio, formaldeído, azul de metileno, permanganato de potássio, cloreto de sódio e bronopol. O objetivo principal do presente projeto é avaliar a ação fungicida do bronopol, azul de metileno, peróxido de hidrogênio e formol no desenvolvimento das hifas de Aphanomyces spp., em meio de cultura e nos ovos de Danio rerio, verificando-se a eclosão e viabilidade dos mesmos. Os experimentos serão realizados em três etapas. Na etapa I o fungo será isolado, identificado e cultivado em ágar levedura, após a coleta dos mesmos em ovos de D. rerio e na água de cultivo. Na etapa II serão realizados ensaios in vitro, em delineamento experimental inteiramente casualizado com 7 tratamentos (concentrações dos produtos na solução aplicada nos poços) e três repetições, onde serão medidos os halos de inibição das diferentes concentrações dos fungicidas no crescimento das hifas de Aphanomyces ssp., em poços de 5mm de diâmetros feitos em placas de Petri e meio de cultura específico. Na etapa III, serão feitos ensaios in vivo com ovos recém fertilizados de D. rerio oriundos do Laboratório de Criação de Danio rerio pertencente a Unidade Laboratorial de Referência em Patologia de Organismos Aquáticos do Centro de Pesquisa em Aquicultura (CPA), expondo os ovos à concentrações subletais dos fungicidas em placas com 24 poços e 2ml de solução por um período de 96 horas. Os dados dos ensaios in vitro serão submetidos à ANOVA após à análise de normalidade e homogeneidade de variância e, posteriormente, suas médias serão comparadas pelo teste de Tukey. Nos ensaios in vivo, a diferença entre as concentrações testadas será verificada através de estatística paramétrica, visando a determinação da CENO (concentração mais elevada que estatisticamente não teve efeito observado significativo) e CEO (concentração que estatisticamente provocou um efeito observado significativo), utilizando-se o programa estatístico TOXSTAT.
                                                 

Ver detalhes do projeto

  Cíntia Badaró Pedroso      IP

Estudo morfológico e molecular de espécies do filo Oomycota isoladas de cultivo de truta arco-íris (Oncorhynchus mykiss Walbaum) em Campos do Jordão, estado de São Paulo, Brasil

n° SGP 1531

A truta arco-íris (Oncorhynchus mykiss Walbaum), originária da América do Norte e introduzida no Brasil na década de 40, é hoje um exemplo de sucesso na criação de peixes em regiões frias e montanhosas do país. No entanto, problemas com parasitas tem causado preocupação aos piscicultores, pois os patógenos afetam a qualidade do pescado e interferem no sistema de cultivo. Saprolegniose, doença causada por oomicetos do gênero Saprolegnia, é a mais conhecida das parasitoses e está presente principalmente nos ovos de O. mykiss. Representantes de outros gêneros do filo Oomycota também são normalmente registrados como patógenos, tais como AchlyaAphanomyces e Dictyuchus. Em vista disto, o presente projeto foi elaborado com o objetivo de avaliar a riqueza e a diversidade dos representantes do filo Oomycota em truticulturas localizadas em Campos do Jordão, em diferentes fases do cultivo do peixe. Para isto, serão coletadas amostras da água que abastecem os sistemas; dos tanques de criação, nas diferentes fases de desenvolvimento da truta; bem como da água de saída dos tanques. Em laboratório, as amostras serão tratadas pelo método de iscagem múltipla com substratos celulósicos e queratinosos, a fim de se obter o maior número de espécimes. Peixes e ovos sintomáticos serão também analisados por meio de coleta direta do micélio e posterior inoculação em meio de cultura. As espécies serão identificadas por meio de análises morfológicas e moleculares, documentadas, descritas e incorporadas ao acervo do Instituto de Botânica (CCIBt e/ou Herbário SP). As sequências obtidas serão disponibilizadas no banco de dados do GenBank. Este projeto é pioneiro no Brasil considerando o estudo da diversidade de oomicetos em sistema de cultivo de truta, bem como nas diferentes fases de desenvolvimento do peixe, possibilitando assim a detecção dos pontos de entrada dos eventuais patógenos no sistema.
 

Ver detalhes do projeto

  Yara Aiko Tabata      Apta Regional / IP

AVALIAÇÃO MULTIDIMENCIONAL DA SUSTENTABILIDADE DOS SISTEMAS PESQUEIROS MARINHOS E ESTUARINOS DO ESTADO DE SÃO PAULO, BRASIL

n° SGP 1510

A pesca extrativa é uma das mais antigas atividades realizadas pelo homem e apresenta até os dias de hoje grande importância como fonte de renda, emprego e alimento para uma considerável parcela da população, tanto no âmbito nacional, como mundial. O Estado de São Paulo possui o sistema de monitoramento pesqueiro marinho e estuarino mais abrangente do Brasil, com a realização de cerca de 80 mil entrevistas anuais com pescadores ao longo de toda sua costa. Complementarmente também foram realizados recentemente um Censo da Pesca e um Projeto de Caracterização Sócioeconômica da Atividade de Pesca e Aquicultura. Estas iniciativas geraram um grande volume de informações detalhadas sobre a atividade pesqueira no Estado que deve ser sumarizado e analisado de forma a facilitar sua utilização na orientação de políticas públicas e no subsídio à gestão do uso dos recursos pesqueiros. Propõem-se para tal a aplicação do método Rapfish, técnica de avaliação multidisciplinar que permite determinar o estado da sustentabilidade das pescarias por seus aspectos ecológicos, econômicos, éticos, sociais, tecnológicos e institucionais de acordo com os parâmetros indicados pelo Código de Conduta para a Pesca Responsável da Organização.

Ver detalhes do projeto

  Antônio Olinto Ávila da Silva      IP

Avaliação do Mycosorb A+ sobre o desempenho e respostas fisiopatológicas de tilápia-do-Nilo alimentadas com rações contendo micotoxinas.

n° SGP 1369

A pesquisa terá como objetivo avaliar o adsorvente de micotoxinas Mycosorb A+ em rações para tilápia do Nilo e sua ação frente aos possíveis fatores deletérios das micotoxinas presentes no alimento. Atualmente é muito comum a presença de várias micotoxinas em matérias primas utilizadas nas formulações de rações para peixes e pouco se sabe sobre a sua ação no metabolismo nutricional. Serão utilizados seis tratamentos T1: Ração a base de milho com micotoxina natural; T2: Ração a base de milho com micotoxina natural + MA+ 0,75 kg/ton; T3: Ração a base de milho com micotoxina natural + MA+ 1,75 kg/ton; T4: Ração a base de milho com micotoxina natural + Afla 1ppm/Fumo 20 ppm, sem MA+; T5: Ração a base de milho com micotoxina natural + Afla 1ppm/Fumo 20 ppm, 0,75 kg MA+ e T6: Ração a base de milho com micotoxina natural + Afla 1ppm/Fumo 20 ppm, 1,75kg MA+. O delineamento será inteiramente casualisado com seis tratamentos e seis repetições.  Os peixes (peso inicial 50g) serão mantidos em um sistema de recirculação de água composto por caixas em PVC com capacidade para 310L, com controle de temperatura, oxigenação e filtro físico e biológico. As rações serão extrusadas no Instituto de Pesca e ao final do período experimental serão avaliados os parâmetros de desempenho produtivo, histopatologia, bioquimica e hematologia clínica.

Ver detalhes do projeto

  Giovani Sampaio Gonçalves      IP

ESTUDO DA VARIABILIDADE GENÉTICA DE THUNNUS OBESUS E THUNNUS ALALUNGA NO LITORAL SUDESTE E SUL DO BRASIL

n° SGP 1362

Atuns são animais pelágicos pertencentes a família Sconbridae, possuem ampla distribuição mundial devido a grande migração da espécie. São considerados um importante recurso pesqueiro, principalmente na área alimentícia. As espécies de maior valor comercial pertencem ao gênero Thunnus, dentre eles duas espécies analisadas neste estudo: Thunnus obesus, e Thunnus alalunga, popularmente conhecidos como albacora-bandolim e albacora-branca, respectivamente. Considerando a relação direta entre a variabilidade genética de um estoque e sua produtividade total, o presente projeto visa caracterizar a diversidade molecular destas espécies na costa sudeste sul do Brasil, utilizando marcadores moleculares do DNA mitocondrial. Os resultados do presente estudo deverão contribuir com o ordenamento pesqueiro pela delimitação de populações e caracterização de áreas favoráveis à pesca sustentável.

Ver detalhes do projeto

  Alberto Ferreira de Amorim      IP

Desenvolvimento ordenado e potencial da produção da macroalga Kappaphycus alvarezii no Estado de São Paulo para extração do biofertilizante

n° SGP 1353

Resumo

 

A extração dos recursos marinhos passou de uma atividade equilibrada e aceitável a uma dimensão drástica de sobrexplotação. A implantação da atividade do cultivo de algas pode ser uma alternativa viável para mitigar o problema. Esse trabalho tem como objetivo fornecer subsídios técnicos para o desenvolvimento ordenado e responsável da algicultura no Litoral Norte de São Paulo, estudando o efeito do extrato na cultura de alface na agricultura, analisando o potencial e os impactos econômicos da algicultura para a produção de estimulante agrícola propondo o ordenamento espacial das fazendas marinhas de macroalga K. alvarezii utilizando geotecnologias. Serão considerados dados ambientais e tecnológicos da produção de macroalga, a caracterização do sistema produtivo, a situação atual dos cultivos já implantados, a legislação vigente e dados pretéritos de ordenamento. Serão estimados também a viabilidade econômica e o custo da produção, e, por análise prospectiva, serão avaliados cenários considerando-se a produção total de algas para bioestimulante agrícola nas áreas potenciais. Este trabalho poderá contribuir na elaboração de projetos em Políticas Públicas para a implantação de programas que incentivem o desenvolvimento responsável da cadeia produtiva da algicultura contribuindo com a geração de renda e incentivo à implantação de novos cultivos, consolidando a atividade no Litoral Norte de SP.

Palavras-Chave: políticas públicas, ordenamento espacial, maricultura, geotecnologia 

 

 

Ver detalhes do projeto

  Valeria Cress Gelli      IP

Quantificação da diversidade e da abundância relativa de pequenos juvenis de espécies de importância comercial nas margens do estuário do rio Ribeira de Iguape

n° SGP 1342

Os estuários são áreas de extraordinária produtividade e diversidade biológica, que constituem fundamental importância à pesca, por serem áreas de criação para numerosas espécies de interesse comercial. O estuário do rio Ribeira de Iguape é uma área relativamente conservada do ponto de vista de perturbações antrópicas. Portanto, o presente projeto objetiva determinar a composição específica da ictiofauna que ocorre nesse ambiente, quantificar a sua diversidade e a proporção de espécies de interesse comercial, bem como reconhecer as respectivas estruturas de tamanhos e de grupos etários.Os estuários são áreas de extraordinária produtividade e diversidade biológica, que constituem fundamental importância à pesca, por serem áreas de criação para numerosas espécies de interesse comercial. O estuário do rio Ribeira de Iguape é uma área relativamente conservada do ponto de vista de perturbações antrópicas. Portanto, o presente projeto objetiva determinar a composição específica da ictiofauna que ocorre nesse ambiente, quantificar a sua diversidade e a proporção de espécies de interesse comercial, bem como reconhecer as respectivas estruturas de tamanhos e de grupos etários.

Ver detalhes do projeto

  Jocemar Tomasino Mendonça      IP

AVALIAÇÃO DA PESCA NÃO REPORTADA MARINHA E ESTUARINA NA BAIXADA SANTISTA

n° SGP 1339

Como capturas pesqueiras entende-se o que foi retirada da água, ainda que possa não ser descaregado em terra. Dados de capturas pesqueiras são importantes para emprego  em estudos de avaliação de estoques pesqueiros, bem como no dimensionamento de frotas. Entretanto, somente o que é descarregado (desembarcado) é registrado na estatistica oficial, subestimando as reais capturas. Além disso, existem descargas que não são conhecidas e, mesmo apresentando o melhor e mais antigo registro de capturas pesqueiras no país, diversas lacunas ainda persistem quanto ao conhecimento dos desembarques pesqueiros a longo do Estado de São Paulo. Esta proposta objetiva conhecer e estimar as capturas não reportadas da pesca no litoral da Baixada Santista, motivadas seja pela pulverização dos desembarques da pesca artesanal, de subsistência, da descartada a bordo e da recreativa. Serão empregadas diferentes estratégias de coleta de dados para cada tipo de pesca, consideradas as suas características, incluindo a experiência e a colaboração dos atores envolvidos nessas atividades. Este projeto envolve estudantes de graduação (bolsistas de iniciação científica) e de pós-graduação.

Ver detalhes do projeto

  Acácio Ribeiro Gomes Tomás      IP

Avaliação da qualidade ambiental do Estuário de Santos (SP) com base na pesca e comunidades de peixes e crustáceos.

n° SGP 1338

Os estuários são ambientes de extrema importância, seja por seu valor cênico ou relevância ecológica ao ciclo de vida de muitas espécies marinhas e de água-doce. Em contrapartida, estão entre os ambientes mais afetados por conta de atividades antrópicas. Neste contexto, o Estuário de Santos está inserido em uma das áreas mais urbanizadas do litoral paulista, com vasto histórico de degradação ambiental em decorrência da poluição industrial, portuária e doméstica. Ainda assim, várias atividades são praticadas, como a pesca profissional artesanal e amadora, sustentando uma frágil cadeia produtiva. A constante modificação imposta ao Estuário de Santos por distintos tensores antrópicos e formas de uso, além da própria dinâmica natural, cria um cenário preocupante quanto a gestão. Até o momento os estudos sobre comunidades aquáticas têm figurado apenas em licenciamentos ambientais, não havendo referências para comparações temporais ou diagnósticos aprofundados sobre seu estado atual. Diante desta realidade, pretende-se avaliar a integridade ambiental do Estuário de Santos (SP), com base em indicadores biológicos e populacionais da ictio e carcinofauna, como ferramentas para o monitoramento e gestão ambiental. Para isso serão utilizados diferentes métodos de estudo, pautados em suas distintas eficácias e aplicabilidades ao cenário atual deste estuário. Pretende-se, assim, contribuir diretamente para a gestão do uso deste ambiente, identificação das espécies componentes da ictio e carcinofauna, avaliação da importância ecológica das áreas e seu estado de preservação, com vistas à manutenção do equilíbrio ambiental diante da atual política de expansão portuária.

Ver detalhes do projeto

  Marcelo Ricardo de Souza      IP

Efeitos fisiológicos e bioquímicos da substituição do óleo de peixe por óleo de Plukenetia volubilis em juvenis de truta arco-íris Oncorhynchus mykiss

n° SGP 1320

O óleo de peixe (OP), principalmente de origem marinha, pode ser considerado uma excelente fonte de ácidos graxos altamente insaturados (HUFA) de cadeia longa e essencial nos processos fisiológicos e desempenho produtivo em animais.Contudo, devido à escassez deste produto em decorrência da diminuição dos estoques naturais marinhos, esse recurso limitado é considerado insuficiente para o uso contínuo. Alguns teleósteos dulcícolas têm a capacidade de sintetizar HUFA a partir de ácidos graxos essenciais (EFA) encontrados em alguns óleos vegetais. A Plukenetia volubilis, sacha inchi (SI) é uma planta oleaginosa amazônica, recentemente estudada e produzida no Brasil, com alto teor de EFA e de razão n3/n6 equilibrada representando um potencial alternativa ao uso de OP, no entanto, é necessário investigar os benefícios da sua inclusão em dietas para teleósteos. Com base no exposto, o objetivo deste projeto é avaliar as respostas metabólicas da substituição do OP por diferentes níveis de inclusão do óleo de SI (0, 40, 60 e 100%) na dieta de juvenis de truta arco-íris Oncorhynchus mykiss. Serão avaliados os substratos energéticos, as vias enzimáticas envolvidas na síntese de ácidos graxos (FA) e o balanço corporal de FA no oferecimento deste óleo. O experimento será realizado em duas etapas, na primeira, será avaliada a aceitação das dietas pelas trutas e confirmar os níveis de inclusões propostos. Na etapa seguinte, serão utilizados 240 juvenis distribuídos em oito tanques compondo os quatro tratamentos, durante 12 semanas. Serão realizadas biometrias a cada 14 dias para avaliar o crescimento e, aos 45 e 90 dias serão coletados oito peixes de cada tratamento para análise da composição corporal, e oito peixes para avaliação dos índices somáticos, variáveis bioquímicas, metabolismo lipídico, assim como as enzimas de elongação e dessaturação dos ácidos graxos.

Ver detalhes do projeto

  Neuza Sumico Takahashi      IP

ASSEMBLEIAS ICTIOFAUNISTICAS DA ZONA DE ARREBENTAÇÃO EM PRAIAS DE SANTOS E SÃO VICENTE (SP)

n° SGP 1314

O presente estudo pretende determinar as assembleias de organismos, bem como as variações espaço-temporais na zona de arrebentação de praias adjacentes aos canais de acesso ao estuário de Santos e São Vicente, a partir de amostragens diuturnas concomitantemente à obtenção de dados de temperatura e de salinidade, precipitação e fases lunares

Ver detalhes do projeto

  Sergio Luiz dos Santos Tutui      IP

ESTUDO DOS EFEITOS DO CONGELAMENTO SOBRE AS CARACTERÍSTICAS CENTESIMAIS DO PESCADO

n° SGP 1313

O pescado nas apresentações “fresco” e “congelado” são as mais comumente consumidas no país, e sabe-se que o tempo de estocagem e a temperatura são os principais fatores que afetam a perda de qualidade e tempo de vida útil do pescado. Considerando este contexto, o presente estudo pretende estudar os efeitos do processo de congelamento sobre as características centesimais do pescado. Amostras de pescado mantidas sob condições controladas de congelamento (-18º C) serão analisadas após um ano de estocagem, para verificar possíveis perdas nutricionais em função deste processo de industrialização. Serão realizadas análises de umidade, teor de proteína, teor de cinzas e teor de lipídios. As análises serão realizadas em triplicata empregando-se metodologias oficiais. Será verificada a existência de diferença significativa entre os dados obtidos para cada espécie na condição fresco e congelado, utilizando-se teste t.

Ver detalhes do projeto

  Rúbia Yuri Tomita      IP

Diagnóstico da fauna íctica do Reservatório de Três Irmãos (Baixo rio Tietê), no período de 2000-2017: subsídios às medidas de manejo sustentável.

n° SGP 1305

A construção de reservatórios com suas barragens têm alterado de forma drástica o curso dos rios, ao longo dos anos, provocando respostas ambientais diversas, como a sucessão de comunidades e a extinção de espécies. Tais mudanças provocam desequilíbrios na estrutura das comunidades, determinando o desaparecimento ou proliferação de espécies e a instalação de organismos invasores de tal forma que algumas espécies, que ocorrem naturalmente em rios, são eliminadas ou reduzidas em sua abundância, enquanto outras encontram no novo ambiente um habitat favorável e tornam-se abundantes. As populações de peixes atingidas por essas modificações acabam sofrendo profundas alterações na composição específica e na estrutura das comunidades de peixes nativos, sendo que as espécies mais atingidas são as reofílicas, ou seja, aquelas que vivem em águas correntes, e que precisam delas para realizar o seu metabolismo geral, sobretudo para a reprodução (piracema). Este trabalho tem como objetivo fazer um levantamento da fauna ictica presente no reservatório de Três Irmãos, pela pesca experimental, com emprego de redes de espera. Para tanto, serão realizadas amostragens sazonais em quatro pontos no corpo do reservatório, representativos dos ambientes lêntico, de transição e lótico, identificando a fauna em termos quali-quantitativos. Com base nos dados disponíveis em Relatórios Técnicos da CESP, será levantada a fauna íctica passada e comparada aos dados atuais, considerando os mesmos pontos de coleta. Após essa etapa e com base na bibliografia disponível, as principais espécies presentes serão caracterizadas em termos bioecológicos, conhecendo suas variações espaciais e temporais, base para a elaboração de um diagnóstico consistente que poderá subsidiar medidas de manejo sustentáveis no uso múltiplo dos recursos aquáticos para este corpo d’água.

Ver detalhes do projeto

  Paula Maria Gênova de Castro Campanha      IP

IMPLANTAÇÃO DE UM SISTEMA DE CRIAÇÃO DE TILÁPIAS, EM TRÊS DENSIDADES DE ESTOCAGEM, UTILIZANDO TANQUES-REDE DE GRANDE VOLUME ARTICULADADOS COM DISPENSADOR DE RAÇÃO AUTOMATIZADO.

n° SGP 1250

Estima-se que a produção brasileira de peixe pela aquicultura para o ano de 2015 foi de 638 mil toneladas, 10,23% a mais que em 2014. Atualmente, a procura para utilização de tanques-rede de grande volume (TRGV) tem aumentado principalmente nos grandes empreendimentos aquícolas, com intuito de aumentar a escala de produção e diminuir os custos de investimento por metro cúbico. No entanto, a maioria dos TRGV que vem sendo utilizados é de aproximadamente 110 m3. Em meados de 2014, a empresa FISHER, junto com as equipes da APTA Regional e do Instituto de Pesca, iniciou um projeto para o desenvolvimento e teste de um protótipo de TRGV, com 450 m3 de volume útil, de formato cilíndrico, que possui mecanismos próprios para classificação e despesca. Tal projeto foi financiado pela FAPESP (PIPE I - Processo: 14/50170 - 2), obtendo resultados satisfatórios quanto ao seu funcionamento e produção dos peixes. Neste primeiro teste foi utilizada a densidade de estocagem de 20.000 juvenis, considerada abaixo do que vem sendo utilizada na região para TRGV. Com o princípio de otimização de espaço e da melhor biomassa econômica, há a necessidade de testar densidades maiores visando à adequação de manejo e capacidade de suporte local. Assim, o objetivo deste projeto será avaliar três densidades de estocagem (60.000; 80.000 e 100.000 juvenis de tilápia por TRGV), em dois ciclos de produção (verão e inverno) utilizando-se os TRGV com 450 m3, contendo novos componentes como o dispersador de ração automático.

Ver detalhes do projeto

  Celia Maria Doria Frascá Scorvo      Apta Regional / IP

Influência de macro e mesohabitats na distribuição da ictiofauna de rios de água preta da Mata Atlântica

n° SGP 1236

Rios de águas pretas constituem uma importante fração dos ambientes lóticos de Mata Atlântica, porém diversos aspectos relacionados à ictiofauna e sua relação com escalas espaciais como macro e mesohabitats ainda são pouco conhecidos na Região Sudeste do Brasil. O presente projeto visa delimitar os principais macro e mesohabitats de alguns rios de águas pretas localizados no Parque Estadual das Restingas de Bertioga – SP, verificando a influência da escala local sobre a estrutura, composição e aspectos funcionais da ictiofauna. Após uma coleta piloto, serão selecionados até 12 rios na época seca, adaptando-se uma classificação de macro e mesohabitats para os mesmos. Os peixes serão amostrados com pesca elétrica em cada um dos macrohabitats (rios) e mesohabitats delimitados, após caracterização de parâmetros morfológicos dos habitats, e físicos e químicos da água.  Será também analisado o teor de Carbono Orgânico Total (COT) e dissolvido (COD), uma vez que estes ambientes possuem alto teor de ácidos húmicos, que podem estar relacionados à composição e biomassa das comunidades de peixes. Os dados ambientais e da ictiofauna serão agrupados por macro e mesohabitat para cálculo da abundância, biomassa, riqueza e diversidade de Shannon, bem como abundância de grupos funcionais. Os dados serão analisados por meio de uma análise exploratória, incluindo técnicas de análise multivariada como a Análise de Escalonamento Multidimensional Não Métrico (NMDS) e Análise de Correspondência Canônica para correlacionar as espécies e variáveis ambientais. Os dados de COT e COD serão correlacionados à biomassa e abundância através de técnicas lineares e correlações simples. Os resultados obtidos auxiliarão na compreensão dos padrões de distribuição das espécies nestes ecossistemas, permitindo subsidiar programas de monitoramento de corpos d’água, prever e avaliar os efeitos das pressões antrópicas sobre  ecossistemas similares.

Ver detalhes do projeto

  Katharina Eichbaum Esteves      IP

Suplementação de dietas práticas para pacu e tambacu com silagem de resíduo de pescado.

n° SGP 1208

A busca por ingredientes proteicos alternativos à farinha de peixe é tema prioritário da pesquisa mundial em nutrição de peixes. Ao mesmo tempo, o aproveitamento de resíduos gerados no processamento do pescado é fundamental para a preservação do meio ambiente e redução de custos. A presente proposta tem como finalidade utilizar a silagem ácida de pescado, proveniente de resíduos gerados no Vale do Ribeira (região ao sul do Estado de São Paulo), como ingrediente proteico suplementado em dietas práticas para juvenis de pacu e tambacu.

A silagem ácida de pescado visa a manutenção da qualidade nutricional dos resíduos pela sua conservação imediatamente após sua obtenção. A matéria-prima para o preparo da silagem foi obtida das processadoras e pesqueiros da Região do Vale do Ribeira. O resíduo de pescado coletado foi moído e teve a adição de ácido acético comercial para propiciar a hidrólise ácida. O processo foi realizado no Laboratório de Tecnologia do Campus Experimental de Registro - UNESP.

O experimento com a alimentação dos peixes será desenvolvido no Pólo Regional do Vale do Ribeira (APTA, SAA, SP), em Pariquera-Açu, SP. O delineamento experimental será fatorial, com dois grupos de peixes e duas dietas, em triplicata. Os peixes serão juvenis de peixes redondos, uma espécie pura e um híbrido: (1) pacu (Piaractus mesopotamicus); (2) tambacu (Colossoma macropomum x Piaractus mesopotamicus). Os animais serão estocados em 12 tanques-rede de 1m3, alocados em um viveiro escavado de terra de 600m2. As duas dietas experimentais terão como base ingredientes de origem vegetal, sendo que uma delas será suplementada com 5% (na matéra seca) de silagem de resíduo de pescado: (1) dieta base; (2) dieta base + silagem. As dietas práticas (iso-proteicas, iso-energéticas) serão peletizadas e secas em estufa.

O período experimental será de 60 dias. Serão realizadas biometrias dos animais a cada 20 dias, e serão registradas as mortalidades e o consumo de alimento, fornecido na taxa diária de 2% da biomassa ao dia. Também será monitorada diariamente a temperatura da água e semanalmente os demais parâmetros de qualidade da água: oxigênio dissolvido, pH, alcalinidade, transparência e amônia.

As dietas experimentais serão analisadas de acordo com metodologias descritas pela AOAC (1999). Os resultados serão submetidos à análise de variância bifatorial e ao teste de Tukey para comparação de médias, com nível de significância de 5%.

Ver detalhes do projeto

  Camila Fernandes Corrêa      Apta Regional / IP

Uso de bioindicadores para avaliação da qualidade da água na piscicultura

n° SGP 1163

Frente à crescente expansão da aquicultura no Brasil, aumenta também a preocupação com a sustentabilidade da atividade. Na presente proposta, os produtores de tilápia são os principais atores na tomada de decisões sobre a identificação de impactos ambientais oriundos de suas propriedades, como também demandantes da obtenção de estimativas/avaliações usualmente necessárias ao acompanhamento do sistema de produção no contexto da sustentabilidade ambiental. O biomonitoramento de organismos bentônicos constitui uma ferramenta eficaz e de baixo custo na avaliação da qualidade da água em ecossistemas de água doce. A comunidade macrobentônica tem sido utilizada no Brasil como bioindicadora na avaliação da qualidade da água há décadas, porém na aquicultura esta ferramenta ainda é pouco utilizada. No entanto, em países como a Noruega a avaliação da qualidade da água é feita com base em índices bióticos utilizando-se a comunidade bentônica presente em áreas de aquicultura marinha desde 1997. No projeto da rede Aquabrasil foram desenvolvidos e avaliados vários aparatos de coleta em viveiros escavados e avaliada a fauna macrobentônica colonizadora do lago localizado em Monte Alegre do Sul, SP, na APTA Leste Paulista. Ainda no âmbito desse projeto, foram descritos os principais grupos presentes no lago da APTA e atribuídos escores associados à qualidade da água com base em dados da literatura. Estes dados servirão de base para o levantamento e caracterização da fauna a ser identificada na presente proposta. Além disso, o projeto Aquisys (em execução pelo Macroprograma 3) tem como uma das rotinas em desenvolvimento de seu software o uso da fauna macrobentônica na avaliação da qualidade da água em viveiros com tilápia. Assim, busca-se ampliar a área amostral para o alcanço do objetivo principal da presente proposta, que é selecionar um grupo de organismos bioindicadores da qualidade da   água na piscicultura em viveiros escavados com cultivo de tilápia, com base na comunidade de macroinvertebrados bentônicos. Para a coleta destes organismos será utilizado o coletor de substrato artificial já testado em outros projetos anteriores da Embrapa, tais como o Aquabrasil (já encerrado) e o projeto de Validação do sistema AQUISYS (Ideare n. 03.12.03.014.00). A seleção dos grupos bioindicadores se fará por meio de análises estatísticas em conjunto com as variáveis físico-químicas de qualidade da água, sistema de manejo empregado nas propriedades, e dados de literatura sobre os níveis de tolerância conhecidos em relação à poluição orgânica pelos organismos bentônicos. A aplicação desta ferramenta na piscicultura será inédita no contexto da aquicultura brasileira, e elucidará questões ainda pendentes de pesquisas de campo. Por fim, a presente proposta é uma sequência do projeto Aquabrasil, na medida em que busca a ampliação da área de amostragem e por um período maior de acompanhamento (três ciclos de produção de tilápia), permitindo que a metodologia de biomonitoramento proposta seja oferecida aos piscicultores como uma avaliação relativamente rápida e de baixo custo no monitoramento da qualidade da água.

Ver detalhes do projeto

  Celia Maria Doria Frascá Scorvo      Apta Regional / IP

Fontes de ácidos graxos da dieta para a tilápia-do-nilo criada em temperatura ótima e sub-ótima.

n° SGP 1127

A tilápia-do-nilo é uma importante espécie na aquicultura brasileira e mundial e é produzida em diversas regiões e condições climáticas. Entretanto, ainda há lacunas quanto a sua nutrição lipídica, principalmente em condições adversas de temperatura. Estas condições são registradas durante o inverno nas regiões sudeste e sul do Brasil, onde se concentram as maiores produções de tilápias. É sabido que os ácidos graxos têm papel fundamental na manutenção da fluidez e funcionalidade das membranas celulares com efeitos na adaptação dos peixes à variação de temperatura.

Com a finalidade de aprimorar a tecnologia de produção da tilápia foram propostos estudos, com ensaios com animais já realizados na UFSC, em Florianópolis, SC. O presente projeto tem como foco a avaliação do metabolismo de ácidos graxos, pela análise de materiais coletados durante os ensaios realizados, em complementação ao projeto “Ácidos graxos essenciais na dieta da tilápia-do-Nilo em condição ótima e subótima de temperatura”, cadastrado no SIGA (NRP 4047), e ao projeto "Temperatura e fontes de ácidos graxos para tilápia-do-Nilo" com recursos aprovados pelo CNPq e coordenado pela pesquisadora Débora Machado Fracalossi (LABNUTRI, UFSC). A parceria com a APTA será feita pela orientação nas análises químicas, análise dos dados coletados e redação de artigos. A seguir estão descritos os ensaios realizados, dos quais serão utilizados materiais para análise:

(I) Fontes de ácidos graxos na dieta de tilápias criadas em duas temperaturas - Foram testadas cinco fontes lipídicas: (1) óleo de peixe, fonte de n-3 LC-PUFA, além de SFA e MUFA; (2) óleo de linhaça, fonte de n-3 PUFA de 18 carbonos; (3) óleo de girassol, fonte de n-6 PUFA de 18 carbonos; (4) óleo de oliva, fonte de MUFA; e (5) óleo de coco, fonte de SFA. O objetivo deste estudo é selecionar fontes adequadas de ácidos graxos para a alimentação da tilápia-do-nilo criada em temperatura ótima (28°C) e sub-ótima (22°C).

(II) Substituição do óleo de peixe por misturas de óleos vegetais na deita da tilápia-do-nilo em duas temperaturas - Foram avaliadas três dietas com misturas de óleos vegetais (MIX-G, MIX-GL e MIX-L) e uma com óleo de peixe (OP) em juvenis de tilapia-do-nilo em dois ensaios: a 28°C e a 22°C. Nas misturas houve diferentes inclusões dos óleos de linhaça (L) e de girassol (G) sobre uma base de óleo de coco e oliva, o que alterou a proporção de PUFA da série n-3 e n-6.

(III) - Exigência do ácido graxo alfa-linolênico para tilápias em temperatura sub-ótima - Foram testadas cinco dietas com misturas de óleos vegetais (palmiste, oliva, girassol e linhaça) com níveis crescentes de óleo de linhaça e de ácido graxo alfa-linolênico (α-LNA, 18:3n-3), e uma dieta controle com óleo de peixe. Este estudo foi realizado somente a 22°C para estimar a exigência em α-LNA para a tilápia-do-nilo em temperatura sub-ótima, a qual ainda não tinha sido estabelecida.

Os ensaios foram realizados em triplicata com juvenis de tilápia-do-nilo, mantidos em unidades experimentais em sistema de recirculação de água doce e, alimentados até a saciedade aparente com dietas semi-purificadas extrusadas. A partir das amostras já coletadas de peixe inteiro, fígado e fezes, será analisado a digestibilidade de ácidos graxos da dieta, o balanço de ácidos graxos in vivo, a histologia do fígado e, a expressão gênica de desaturases e alongases no fígado. Os dados obtidos serão avaliados estatisticamente por análise de variância ou regressão, considerando o nível de significância de 5%.

Ver detalhes do projeto

  Camila Fernandes Corrêa      Apta Regional / IP

Melhoria da qualidade do peixe cultivado para o consumo humano

n° SGP 1125

Melhorar a sanidade e qualidade dos peixes cultivados em facilidades de piscicultura (reservatórios no estado de São Paulo e sistemas intensivos com recirculação de água na Dinamarca). A sanidade dos peixes será monitorada por abordagens clássicas e moleculares, e aprimorada por modulação de resposta imune inata por bioativos de β-glucanos. Parâmetros de qualidade da água, como comunidades bacterianas, toxinas e micróbios produtores de off-flavour serão relacionados a sanidade e crescimento dos peixes. 

Ver detalhes do projeto

  Gianmarco Silva David      Apta Regional / IP

Avaliação do efeito tóxico e genotóxico causado pela formalina em Danio rerio (Peixe zebra)

n° SGP 1119

Resumo da proposta (até 1.600 caracteres):

Danio rerio ou “zebrafish” é uma espécie de peixe muito estudada mundialmente e popular entre os aquaristas como peixe ornamental. Este organismo é também largamente utilizado em ensaios de toxicidade por ser uma espécie disponível comercialmente em vários países. Entre os diversos poluentes que podem atingir o meio aquático, merecem destaque aqueles comumente utilizados, e que atingem os corpos hídricos com frequência, sendo muitos deles carcinogênicos, genotóxicos e teratogênicos à fauna local. A contaminação ambiental é geralmente composta por uma gama de substâncias, que em contato se misturam formando compostos ainda mais prejudiciais. Dentre estes compostos, a formalina (solução aquosa de formol) é um agente importante de fácil dissolução e amplamente utilizado pela população em geral. Este projeto tem como objetivo principal verificar os possíveis efeitos tóxicos e genotóxicos da formalina e determinar as concentrações letais, subletais e de preferência (teste de evitamento) do D. rerio a este produto, viabilizando seu uso em processos de desinfecção em pisciculturas comerciais de forma segura . Os testes agudos e crônicos serão realizados através de metodologias clássicas propostas pela American Society for Testing and Materials – ASTM, pela American Public Health Association – APHA e Associação Brasileira de Normas Técnicas - ABNT. O teste de micronúcleo será realizado ao longo do teste crônico onde serão coletadas amostras sanguíneas de forma serial às 96, 172 e 288 horas de exposição. A coloração empregada para identificação será a de Fuelgen/Fast Green. Os testes de evitamento serão realizados em um sistema composto por multi compartimentos interligados entre si preenchidos com concentrações subletais de formalina. A taxa de evitamento será calculada como a diferença entre o número de indivíduos esperados por réplica e o número de indivíduos observados. Os resultados deste projeto irão colaborar com a escolha adequada de produtos químicos a serem utilizados em criações comerciais de peixe que utilizam a formalina de forma empírica como produto profilático. efeitos tóxicos e genotóxicos da formalina e determinar as concentrações letais, subletais e de preferência (teste de evitamento) do D. rerio a este produto, viabilizando seu uso em processos de desinfecção em pisciculturas comerciais de forma segura . Os testes agudos e crônicos serão realizados através de metodologias clássicas propostas pela American Society for Testing and Materials – ASTM, pela American Public Health Association – APHA e Associação Brasileira de Normas Técnicas - ABNT. O teste de micronúcleo será realizado ao longo do teste crônico onde serão coletadas amostras sanguíneas de forma serial às 96, 172 e 288 horas de exposição. A coloração empregada para identificação será a de Fuelgen/Fast Green. Os testes de evitamento serão realizados em um sistema composto por multi compartimentos interligados entre si preenchidos com concentrações subletais de formalina. A taxa de evitamento será calculada como a diferença entre o número de indivíduos esperados por réplica e o número de indivíduos observados. Os resultados deste projeto irão colaborar com a escolha adequada de produtos químicos a serem utilizados em criações comerciais de peixe que utilizam a formalina de forma empírica como produto profilático.

 

 

Ver detalhes do projeto

  Cíntia Badaró Pedroso      IP

Bioindicadores bentônicos como ferramenta na avaliação do impacto do rejeito de mineração na região do rio Doce.

n° SGP 1101

O presente estudo tem por objetivo a utilização da comunidade bentônica como bioindicadora da qualidade da água, sendo utilizada como ferramenta para avaliação do impacto ambiental gerado pelo rejeito de mineração na região do rio Doce.O projeto será realisado em parceria com a Universidade Federal de São Carlos (UFSCar). Foi realisada uma expedição em dezembro de 2015 logo após o rompimento da Barragem e uma expedição no período de 29 de março a 7 de abril aonde foram percorridos 17 pontos amostrais desde a nascente do rio doce e seus afluentes, até a foz do rio. Serão coletadas amostras de água, solo, sedimento, Fitplâncton e Zoplâncton e Macrofauna Bentônica, sazonalmente no período de um ano, sendo previstas 4 coletas trimestrais (sem contar com as duas expedições ja realizadas), mas podendo ser prorrogado de acordo com as condições de recuperação do rio, que são imprevisiveis.  Apenas as análises de bentos serão realisadas no Instituto de Pesca e não gerarão custos,  as demais análises serão realisadas na UFSCar. Todas as despesas de Campo serão custeadas pelo GIAIA.

Ver detalhes do projeto

  Luciana Carvalho Bezerra de Menezes      IP
  Sobre

O SGP (Sistema de Gestão de Pesquisa) foi implementado em todas as unidades APTA, para centralizar o controle de todos os projetos desenvolvidos sob sua supervisão. [Ler mais]

Endereço APTA – São Paulo

Praça Ramos de Azevedo, 254, 2º andar - República, São Paulo - SP

Fone : (11) 5067-0447 e 5067-0427

  Endereço APTA – Campinas

Avenida Barão de Itapura, 1481 - Botafogo, Campinas - SP

Fone : (19) 2137-8930