Exibindo todos os projetos ativos na APTA

Página Inicial / Busca de Projetos

849 projetos ativos encontrados - pág. 25 de 29

Rede Social do Café: difusão e transferência de tecnologias para o setor cafeeiro

n° SGP 249

É inegável a importância da computação, da internet e por fim das redes sociais no cotidiano das pessoas neste século XXI. As redes sociais são estruturas sociais compostas por pessoas ou organizações, conectadas por um ou vários tipos de relações, que partilham valores e objetivos comuns. O conceito de mí­dias sociais (social media) trata a produção de conteúdos de forma descentralizada e sem o controle editorial de grandes grupos, representando a produção de muitos para muitos. Neste contexto, em 2006, o sistema agroindustrial do café inovou ao criar uma rede de colaboração, conhecimento e negócios denominada â??Rede Cafés do Brasilâ?, na Plataforma Peabirus. Nesta rede, uma das comunidades, a Manejo da Lavoura Cafeeira, hoje denominada Rede Social do Café (www.redesocialdocafe.com.br) destacou-se, passando a ser considerada uma das grandes inovações em comunicação e articulação para o setor cafeeiro. Por meio de uma articulação de diferentes entidades de C & T no âmbito do Consórcio Pesquisa Café, o presente projeto tem por objetivo estimular e ampliar a comunicação dialógica via Rede Social do Café por pesquisadores, extensionistas, cafeicultores e demais atores do sistema agroindustrial do café. Pretende-se com esta proposta consolidar o modelo de comunicação inovador entre os diversos agentes que compõe os segmentos do agronegócio café, destacado por ter como diferencial a troca dinâmica de informações que visam incentivar a incorporação das tecnologias geradas pela pesquisa e colocar a cadeia produtiva do café dentro do moderno contexto da sociedade da informação.

Ver detalhes do projeto

  Sérgio Parreiras Pereira      IAC

Ensaio de Proficiência IAC para Laboratórios de Análise de Solo para Fins Agrícolas

n° SGP 247

O Programa de Controle de Qualidade teve iní­cio em 1984, após o lançamento, em 1983, dos métodos de análise de solo do sistema IAC. Esses incluem a extração de P (e também de Ca, Mg e K) pela resina de troca iônica, a determinação do pH em CaCl2 e de H+Al indiretamente, por meio da leitura de pH de solo na solução tampão SMP. Atualmente o Programa conta com a participação de 120 laboratórios de 12 estados brasileiros e dois paí­ses da América do Sul. Anualmente, o Programa distribui 20 amostras de solos para os laboratórios participantes. Esses as analisam e enviam o resultado via Internet (http://lab.iac.sp.gov.br). Após análises estatí­sticas, os laboratórios recebem uma avaliação de seus resultados (bimensal). No final do ano é feita uma avaliação geral. Aqueles que têm desempenho satisfatório recebem um "selo" indicando a proficiência para os ensaios testados durante o ano.

Ver detalhes do projeto

  Heitor Cantarella      IAC

Demanda do cafeeiro por nutrientes nos estádios fenológicos e eficiência fertilizante de fontes de nitrogênio e potássio na produção e qualidade do café fertirrigado

n° SGP 246

Os produtores de café têm adotado diversas tecnologias a fim de melhorar a produtividade e, consequentemente a margem de lucro da atividade. Nos últimos anos, a fertirrigação aparece como uma das alternativas mais promissoras e representa hoje quase 10% da cafeicultura brasileira. Esta técnica, associada À irrigação localizada, vem sendo cada vez mais utilizada pelos cafeicultores, devido principalmente aos aumentos de produtividade e a economia de água e fertilizantes. Além da necessidade de se aumentar a produção de café o mercado externo tornou-se bastante exigente no que se refere À qualidade da bebida, que define o valor final do produto. Diversos fatores interferem diretamente na qualidade da bebida, entre eles destaca-se o manejo da adubação. Trabalhos mais recentes têm demonstrado que o maior desafio da fertirrigação em solos tropicais é a acidificação, cuja intensidade pode comprometer a sustentabilidade do sistema. Portanto, a escolha dos fertilizantes a serem aplicados através da água de irrigação, deve ser feita com muito critério não considerando apenas o custo dos produtos, mas também suas caracterí­sticas como o í­ndice salino e reação no solo. Estudos sobre o manejo da fertirrigação na cafeicultura brasileira são escassos, existem poucas informações sobre o emprego desta técnica e seus efeitos no solo e na planta.

Ver detalhes do projeto

  JOSE ANTONIO QUAGGIO      IAC

Micronutrientes em cana-de-acúcar: Doses, fontes de nutrientes e modo de aplicação

n° SGP 245

A agroindústria sucro-alcooleira desempenha papel importante na economia do Brasil, colocando o paí­s em posição de destaque internacional em programas de substituição de combustí­veis fósseis. A produtividade agrícola da cana-de-açúcar tem apresentado aumentos expressivos no Paí­s, mas a produtividade média de 80 t ha-1, ainda é baixa e poderá ser melhorada. Um dos fatores que contribui para essa baixa produtividade é a expansão da cultura em solos de baixa fertilidade, especialmente no Estado de São Paulo e regiões de cerrado. Esses solos exigem manejo mais aprimorado da fertilidade para se obter produções economicamente viáveis. Além disso, o cultivo de cana continuado em áreas tradicionais das unidades de produção, tem levado ao empobrecimento do solo em micronutrientes, devido a remoção contí­nua com as colheitas e também pela erosão do solo. Portanto, além de calagem, adubação NPK, os micronutrientes estão se tornando a cada dia mais necessários À produtividade da cana

Ver detalhes do projeto

  JOSE ANTONIO QUAGGIO      IAC

Levantamento da fertilidade do solo e do estado nutricional das principais culturas de interesse econômico

n° SGP 244

A fertilidade do solo e estado nutricional das dez principais culturas de interesse econômico do Estado de São Paulo, estão obtidos através de amostras enviadas por agricultores paulistas para cinco laboratórios credenciados. Utilizando-se as informações de análise de solo determina-se a fertilidade do solo por região ou cultura. Utilizou-se o banco de dados do Projeto LUPA da SAA para obter informações sobre área cultivada por cultura nas quarenta regiões da CATI. Está sendo elaborado também relatórios de demanda por calcário e fertilizantes em todas essas regiões.

Ver detalhes do projeto

  JOSE ANTONIO QUAGGIO      IAC

Fertirrigação vs adubação sólida

n° SGP 243
A área irrigada na citricultura paulista cresceu de modo acelerado devido distribuição irregular de chuvas nos últimos anos, alcançando em 2003, cerca de 60 mil hectares, que representa 8% da área cultivada. A irrigação na citricultura ganhou mais importância após o aparecimento da Morte Súbita do Citros (MSC) uma nova doença detectada em 2001, cujo agente causal mais provável é um variante do Ví­rus da Tristeza do Citros (CTV), para qual o porta-enxerto de limão Cravo é sensí­vel. Isso obrigará a substituição desse porta-enxerto, que representa 90% do parque citrí­cola, por outros menos tolerantes a seca tornando a irrigação quase obrigatória nas principais regiões de produção. O sistema de irrigação localizada com fertirrigação tem sido o mais empregado pelos citricultores, e isso aumentará a demanda por recomendações sobre o manejo dessa pratica. A experiência em fertirrigação na citricultura mundial está localizada em clima mediterrânico em solos originados de substrato calcário, nos quais a acidificação é apontada como uma das vantagens da fertirrigação. Por outro lado, nas condições de solos tropicais a acidificação tem sido um ponto de estrangulamento, pois poderá comprometer a sustentabilidade do sistema de fertirrigação. Tem-se que desenvolver tecnologia própria para as nossas condições, pois existe pouca informação disponí­vel na literatura nacional sobre a eficiência desse método de aplicação de fertilizantes em relação À adubação convencional sólida. Portanto, pretende-se com esse projeto de pesquisa para a dissertação de mestrado avaliar a dinâmica de í­ons no perfil do solo, quantificar as perdas de nutrientes por lixiviação e seus efeitos sobre a acidez do solo nos diferentes sistemas de manejo da adubação dos citros num ensaio de longa duração já em andamento desde 2002.
Ver detalhes do projeto

  JOSE ANTONIO QUAGGIO      IAC

Adubação e qualidade dos produtos

n° SGP 241

As indústrias de suco concentrado de laranja, vêm a cada dia, propondo alterações no modo de remuneração dos frutos cí­tricos, deixando de pagar apenas pelo peso do fruto, mas também pelo teor de sólidos solúveis. De um modo geral, a literatura internacional, mostra que plantas cí­tricas bem adubadas produzem frutos com baixos teores de sólidos. Superfí­cies de resposta ajustadas aos resultados dos ensaios de adubação de citros em produção, mostraram é possí­vel compatibilizar a adubação para máxima produtividade com pequena perda de sólidos solúveis nos frutos. A industria de cafés vem crescendo a demanda por cafés de qualidade com remuneração diferenciadas para cafés de qualidade superior. A nutrição é fator fundamental na melhoria da qualidade da bebida do café.

Ver detalhes do projeto

  JOSE ANTONIO QUAGGIO      IAC

MICROPROPAGAÇÃO E PRODUÇÃO DE MUDAS DE PHALAENOPSIS A PARTIR DE MATRIZES INFECTADAS POR CYMBIDIUM MOSAIC VIRUS (CymMV) E ODONTOGLOSSUM RING SPOT VIRUS (ORSV): ENSAIOS IN VITRO E EM CASA DE VEGETAÇÃO

n° SGP 238

O interesse na produção de Phalaenopsis vem aumentando concomitantemente À procura pelo mercado externo. A partir de 2000 o cultivo de Phalaenopsis tem ocupado parcelas cada vez mais significativas do mercado nacional. O faturamento através do Veiling Holambra aumentou consideravelmente no começo dos anos 2000, dobrando o número de vasos produzidos, o que gerou um aumento do faturamento em R$ 4.9 milhões. Nos últimos 12 meses, o aumento em número de vasos produzidos no Brasil foi de 36,7%, alcançando 395.229 unidades.

A produção e comercialização de orquídeas têm sofrido significativo aumento em todo o mundo, inclusive no Brasil, principalmente orquídeas do gênero Phalaenopsis. Entre as dificuldades enfrentadas está a ocorrência de viroses, as quais afetam a qualidade das plantas e flores. Dentro desse contexto, este projeto visa obter mudas livres de vírus, através da micropropagação de segmentos da haste floral infectados e o posterior desenvolvimento das mudas até o primeiro florescimento, estudando cada etapa individualmente. O projeto é composto por subprojetos.

 

SUBPROJETO 1: Obtenção de plântulas livres de vírus, in vitro, pela adição de antiviral (ribavirina). Os primeiros experimentos mostraram que nas concentrações de 30, 40 e 50 ppm, o antiviral foi eficiente e não foi prejudicial ao cultivo in vitro. Não se regeneraram plântulas livres de vírus espontaneamente, ou seja, sem o acréscimo de ribavirina. Em dosagem acima de 50 ppm (75 e 100), não houve desinfestação. Apesar de não terem sido obtidos plântulas livres dos dois vírus foi possível obter plântulas livres de um ou de outro vírus, indicando que houve uma diminuição na carga viral.

SUBPROJETO 2: Na natureza, uma das características importantes das orquídeas é a sua associação simbiótica com fungos micorrízicos, o que contribui com o seu crescimento e nutrição. Por outro lado, é possível germinar e cultivar sementes in vitro, de maneira assimbiótica, a partir de meios nutritivos que contêm sacarose e sais minerais. Porém, a multiplicação assexuada a partir de matrizes infestadas é responsável pela disseminação de viroses, principalmente CymMV e ORSV, sendo que na natureza, com a associação de micorrizas, a incidência de viroses é inexpressiva. O objetivo deste trabalho é detectar e quantificar as respostas observadas em plântulas de orquídeas Blc Dona Emilia semi-alba após serem ou não micorrizadas e infectadas ou não por vírus CymMV e ORSV. Para isso, raízes de orquídeas serão coletadas, isoladas as micorrizas e as mesmas serão cultivadas in vitro. Após, plântulas serão micorrizadas e após um período, as mesmas serão infestadas artificialmente com CymMV e ORSV. As análises realizadas serão: PCR quantitativo e qualitativo para a detectção e quantificação dos vírus; biometria visando mensurar o crescimento; eletroforese das PR-proteínas e dosagem das fitoalexinas para confirmar possíveis altarações no sistema imunológico da orquídea.

 

Ver detalhes do projeto

  Giulio Cesare Stancato      IAC

Eficiência de uso de fertilizantes

n° SGP 237

Fertilizantes são insumos largamente utilizados na agricultura. Há um número crescente de fontes de nutrientes para as plantas, com diferentes desempenhos devido a reações com o solo, perdas para o ambiente etc. Formulações que aumentem a eficiência de uso de fertilizantes são de grande interesse não só do ponto de vista ambiental quanto econômico. Há grande demanda por estudos na área. O IAC desenvolve pesquisas sobre o tema há muito tempo. Entre os trabalhos de interesse recente estão formulações com inibidores ou recobertas com polí­meros para evitar perdas e liberar os nutrientes gradualmente para as culturas. Técnicas convencionais de manejo de fertilizantes no campo e uso adequado de fontes convencionais também são importante ferramentas para o aumento da eficiência desses insumos. Esta linha de pesquisa engloba diversos projetos especí­ficos, especialmente com fertilizantes nitrogenados. Em 2017, um projeto em colaboração com a FCA Unesp de Botucatu e a Universidade de Nottingham, na Inglaterra, financiado pela FAPESP e BBSRC, foi iniciado, contando com um aluno de doutorado no IAC. Esse projeto visa estudar a eficiência de uso de N em sistemas agrícolas, em especial aqueles em que culturas de cobertura são plantadas juntamente com o milho.

Ver detalhes do projeto

  Heitor Cantarella      IAC

Geoprocessamento aplicado a cartografia digital de solos e ambientes de produção de cana-de-açúcar

n° SGP 236

A cartografia de solos é imprescindí­vel ao planejamento agropecuário. Por meio dela tem-se a indicação precisa da localização e distribuição espacial das diferentes classes de solo e esse conhecimento possibilita o planejamento de todas as atividades de produção, desde o preparo, adubação e manejo do solo, até a alocação de variedades com caracterí­sticas especí­ficas para cada classe de solo de forma a alcançar os melhores í­ndices agronômicos e econômicos, respeitando as limitações ambientais. No caso da cultura da cana-de-açúcar, a definição dos ambientes de produção depende diretamente do conhecimento da classe de solo, e o manejo e a alocação de cada variedade podem ser melhor definidos e gerenciados, num sistema de informação, quando se agrega nesse sistema o mapa pedológico da propriedade agrícola. O objetivo deste projeto é aplicar o geoprocessamento à cartografia digital de solos para gerar mapas pedológicos aplicados na determinação de ambientes de produção de cana-de-açúcar, com base na interpretação digital da fisiografia de solo e amostragens de campo orientadas. Como resultados espera-se maior eficiência e rapidez no mapeamento de solo para áreas cultivadas com cana-de-açúcar e o desenvolvimento de novos produtos métodos de mapeamento digitais georeferenciados para planejamento do uso de solos.

Ver detalhes do projeto

  Jener Fernando Leite de Moraes      IAC

Estabelecimento de protocolos analí­ticos para caracterização quí­mica e fí­sica de insumos de base orgânica

n° SGP 235

Esse projeto já vem sendo desenvolvido há vários anos. No momento estão sendo avaliados procedimentos analí­ticos para determinação dos teores de metais tóxicos e contaminantes em amostras de Fertilizantes orgânicos, organominerais, substrato para plantas e condicionadores de solo. O objetivo principal é subsidiar o ministério da agricultura, pecuária e abastecimento (MAPA) a implementação de métodos oficiais para normatização desses insumos.

Ver detalhes do projeto

  Mônica Ferreira de Abreu      IAC

Avaliação de métodos de análise para nutrientes e elementos tóxicos em amostras de interesse agronômico

n° SGP 234

Este projeto já vem sendo desenvolvido há vários anos e vem sendo implementados novos métodos de análise de acordo com a demanda de equipamentos disponí­veis e metodologias oficiais de análise. Atualmente estão sendo avaliadas novas metodologias para implantação em rotina no laboratório do IAC bem como nos laboratórios participantes do Ensaio de Proficiência que utiliza os Métodos IAC de Análise de Solo. Uma da metodologias se trata da aplicação da extração usando resina trocadora de í­ons para determinar o teor disponí­vel de micronutrientes em amostras de solo.  A determinação dos elementos será feita por técnicas modernas de análise como espectrometria de plasma induzido (ICP-OES).

Outra metodologia que vem sendo avaliada é o uso da análise por infravermelho próximo (NIR), apesar de ser uma técnica de análise com fundamentos bem consagrados, a mesma necessita ser calibrada por meio de métodos analíticos tradicionais. No entanto esta metodologia tem grande potencial em substituir grande parte dos métodos convencionais de análises em rotina, sem perder a qualidade dos resultados. As maiores vantagens desta técnica em relação aos métodos convencionais são:  análise de diferentes constituintes, tempo curto de análise (menor que um minuto), menor necessidade de mão-de-obra, menor custo por não empregar insumos, nem produtos químicos ou reagentes. E a melhor alternativa para uso em rotina é a análise de matéria orgânica no solo, evitando assim o uso do reagente dicromato que é altamente tóxico e necessita de um tratamento do resíduo gerado na reação, que envolve mão-de-obra qualificada e custo elevado. Para isto serão testados dois tipos de equipamentos comerciais, um automatizado de baixo custo e um equipamento sofisticado de maior custo. Pela versatilidade deste tipo de espectrometria de NIR, outros atributos do solo, bem como outras matrizes como, por exemplo, tecido vegetal serão avaliados.

 

Ver detalhes do projeto

  Mônica Ferreira de Abreu      IAC

Variação estacional de alguns parâmetros fisiológicos em palmeiras produtoras de palmito

n° SGP 232

As palmeiras produtoras de palmito, notadamente a pupunheira (Bactris gasipaes Kunth) , começou a despertar a atenção das instituições brasileiras de pesquisa, desde o iní­cio da década de 70. A partir de 1988, seu cultivo para palmito no Brasil teve expansão considerável, assumindo caráter empresarial, com crescente interesse por parte dos produtores. A pupunheira, palmeira amazônica,  em sua região de origem está submetida a condições climáticas, praticamente constantes durante o ano, enquanto no Estado de São Paulo, a espécie está sendo cultivada em latitude superior a 21°S, o que condiciona variação estacional no clima, especialmente na temperatura e precipitação pluviométrica, com possí­veis consequências no padrão fisiológico das plantas, parecendo necessário conhecê-las, a fim de se poder avaliar seus efeitos no desenvolvimento da cultura e portanto na produção. Essa necessidade fez com que fosse concebido este projeto com a finalidade de se conhecer, em duas regiões do Estado de São Paulo (Campinas e vale do Ribeira), as variações estacionais de trocas gasosas em pupunheira. Em 2014 e 2015 medidas de trocas gasosas foram também iniciadas para a palmeira gariroba, no CEC, Campinas. Com respeito a perspectivas futuras, todas as medidas relacionadas a trocas gasosas serão executadas nas pupunheiras recém plantadas no Polo Regional do Vale do Ribeira em Pariquera-Açu, de projeto coordenado pela pesquisadora Valéria Modolo. Os resultados serão importantes uma vez que essas medidas nunca foram executadas no Vale do Ribeira e poderão ser correlacionados com todas as avliações realizadas por Modolo nas progênies que compóes o experimento.

Ver detalhes do projeto

  Maria Luiza Sant'Anna Tucci      IAC

Sistema de Produção de Palmeiras Produtoras de Palmito

n° SGP 231

 A concepção do experimento foi devida a consulta de engenheiros agrônomos do EDR Mogi-mirim/CATI, sobre a possibilidade de se cultivar cacau em sua região, recebida no Centro de Horticultura. Foi então idealizado um experimento em forma de sistema agroflorestal com um hectare plantado com pupunheiras, bananeiras e cacaueiros. Progênies selecionadas de pupunheira sserão conduzidas de forma a produzir sementes, e comporão o sombreamento permanente das plantas de cacau, mudas de cacaueiro foram formadas a partir de sementes  de seleção local, e cultivares de bananeiras escolhidos pela CATI. As bananeiras comporão o sombreamento temporário dos cacaueiros e serão retiradas na época conveniente. O experimento, na realidade um campo de experimentação regional. Os cacaueiros, no momento com três anos de idade já estão florescendo e frutificando.

Ver detalhes do projeto

  Maria Luiza Sant'Anna Tucci      IAC

Caracterização da qualidade e identificação de linhagens de Bourbon Amarelo aptas á produção de cafés especiais

n° SGP 229

A demanda por cafés especiais vem crescendo em proporções maiores do que os cafés comuns, indicando a preferência dos consumidores por cafés que possuam melhores atributos de qualidade. No mercado de cafés especiais, quanto mais exótico, distinto e raro for um determinado café e, logicamente, quanto melhor for a sua qualidade de bebida, maior será o preço desse café, podendo obter ágios de preço que variam entre 20 e 100% acima dos cafés comuns, o que representa excelente oportunidade para agregação de valor e aumento da competitividade da cafeicultura brasileira. Considerando que a constituição genética das cultivares de café arábica é um dos fatores determinantes da qualidade fí­sica e sensorial do café, desde que as condições ambientais sejam favoráveis ao desenvolvimento normal das plantas, cafeicultores de diversas regiões produtoras do Brasil estão voltando a plantar café Bourbon, cultivar que vem tendo destaque no mercado mundial de cafés especiais por sua excepcional qualidade de bebida, com aroma floral e achocolatado, acidez cí­trica balanceada e sabor adocicado. Para atender a crescente demanda por cafés especiais, algumas instituições brasileiras estão intensificando suas ações de pesquisa focadas na avaliação do desempenho qualitativo de cultivares de café arábica, tendo em vista conhecer as alterações qualitativas decorrentes da interação Genótipo í? Ambiente. Nesse projeto será utilizado o café proveniente de experimento instalado no municí­pio de São Sebastião da Grama, estado de São Paulo, com altitude acima de 1.100 metros. Serão utilizadas técnicas modernas de análise sensorial para caracterização e descrição do perfil sensorial de cada cultivar, com ênfase na manifestação de sabores e aromas. O objetivo p

Ver detalhes do projeto

  Gerson Silva Giomo      IAC

Novas espécies e usos de óleos essenciais e metabólitos de plantas aromáticas e medicinais

n° SGP 228

Óleos extraí­dos de grãos de café e óleos essenciais de plantas aromáticas apresentam excelente potencial para o controle de agentes causais (fungos, bactérias e nematóides) de doenças de plantas e de insetos pragas. As propriedades fí­sicas dos óleos obtidos por prensagem de grãos, cru ou torrado, têm caracterí­sticas que permitem sua aplicação em outros seguimentos importantes além da indústria de aromas e cosméticos. Esses óleos podem ser aplicados diretamente ou associados a outros princí­pios ativos. Esse trabalho definirá a potencialidade e eficiência do uso desses óleos no controle de problemas fitossanitários. Os óleos apresentam ação biocida e bioestática, sendo, portanto de grande utilidade para o controle de doenças e pragas de plantas desenvolvidas em condições de campo e condições controladas. Além disso, por não apresentar toxicidade humana pode ser utilizado para o controle de doenças e pragas em pós-colheita. Associado a isso os óleos de café podem ser misturados tanto a princí­pios ativos de fungicidas e inseticidas e de agentes microbianos de controle biológico. Também poderá ser utilizado isoladamente. Os óleos poderão ser utilizados tanto em agricultura orgânica, quanto convencional. Se tornando um agente de proteção fitopatológica de lavouras.

Ver detalhes do projeto

  Nilson Borlina Maia      IAC

Avaliação de acessos de urucuzeiros e desenvolvimento tecnológico para a cultura do urucum

n° SGP 226

Este trabalho tem como objetivos avaliar 63 acessos de Bixa orellana L. pertencentes ao Banco de germoplasma de urucuzeiros do Instituto Agronômico - IAC/APTA e relacionar algumas dessas caracterí­sticas morfológicas e moleculares, tais como cor das flores, formato das cachopas (frutos do tipo cápsulas) e cor das cachopas, com os teores de bixina, de lipídeos, geranilgeraniol e tocotrienol. O pigmento produzido pelo urucum e que se localiza no arilo das sementes. Desta forma, a hipótese é verificar se há algum marcador morfológico que se relacione com os melhores teores de bixina, auxiliando o trabalho de seleção e melhoramento de plantas. Um fator importante para as empresas produtoras de corantes, que buscam junto aos produtores e as instituições de pesquisa e ensino, materiais de urucum cada vez mais produtivos e com alto teor de bixina.A planta do urucum é um arbusto de rápido crescimento, que alcança de 4 a 6 metros de altura, de aspecto robusto com flores vistosas cuja cor depende da variedade (Pineda, 2003). Os frutos ou cachopas são cápsulas de duas partes, que contém de 30 a 45 sementes, podendo ser ovóides, cordiformes, esféricos e, em alguns casos, achatados. As cachopas podem chegar a até 5 cm de largura, glabas ou pilosas e sua coloração varia do verde ao vermelho intenso. O cultivo perene tem boas perspectivas em programas agrícolas, principalmente destinados a pequenos e médios produtores (Mazzani, 2000). Mazzani analisou 10 variedades diferentes de urucum em uma coleção instalada na Venezuela e concluiu que o grau de diferença existente entre as plantas é dependente de sua procedência. Estas análises revelam que estes recursos podem ser utilizados como fonte de germoplasma para trabalhos de melhoramento. Existe uma extensa variedade genética no urucum que são conhecidas com denominações como focinho de rato, cabeça de moleque, peruana, bico de pato, amarela, Wagner e Piave, entre outras. 

Ver detalhes do projeto

  Eliane Gomes Fabri      IAC

Caracterização de atributos fí­sicos, quí­micos e sensoriais relacionados á qualidade de linhagens de cafeeiro Bourbon Amarelo (Coffea arabica L.) sob diferentes formas de processamento pós-colheita

n° SGP 223

Estudos recentes indicam a eminência de faltar cafés especiais para atender a demanda do mercado internacional em curto prazo. Para aumentar a produção de cafés de melhor qualidade tem sido feito investimentos em técnicas de produção, em técnicas de processamento pós-colheita e uso de cultivares com maior potencial qualitativo. No mercado de cafés especiais a cultivar Bourbon Amarelo é reconhecida por produzir cafés de elevada qualidade sensorial, destacando-se pelo sabor, aroma, doçura e acidez. Como são existem informações técnico-cientí­ficas que comprovem essa constatação, este plano de ação foi elaborado para estudar caracterí­sticas fí­sicas, quí­micas e sensoriais dos grãos de diversas linhagens de Bourbon Amarelo em seleção no Programa de Melhoramento Genético do IAC, tendo como objetivo principal descrever o perfil sensorial do café sob diferentes formas de processamento. Estudos dessa natureza são raros e inéditos no Brasil, uma vez que tais linhagens nunca foram estudadas e ou selecionadas com o enfoque explí­cito da qualidade, com ênfase no perfil sensorial e caracterí­sticas fí­sico-quí­micas dos grãos. Ao término desses estudos espera-se identificar genótipos com caracterí­sticas sensoriais distintas, fornecendo ampla base de informações para a seleção de linhagens de Bourbon Amarelo com elevada qualidade de bebida. As melhores linhagens poderão constituir novas cultivares que irão proporcionar aumento no volume de produção de cafés especiais em diversas regiões brasileiras, contribuindo para aumentar a competitividade e sustentabilidade da cafeicultura nacional.

Ver detalhes do projeto

  Gerson Silva Giomo      IAC

Seleção de cultivares resistentes e estudo de mecanismos de defesa envolvidos na relação cafeeiro-bicho-mineiro

n° SGP 222

O projeto se relaciona ao desenvolvimento de cultivares de C. arabica com resistência ao bicho-mineiro e com caracterí­sticas agronômicas superiores, como produção elevada de frutos, bom vigor vegetativo, porte reduzido e baixa porcentagem de frutos chochos e sementes do tipo concha. Como as primeiras hibridações do programa de melhoramento foram realizadas com cultivares resistentes a ferrugem e a espécie C. racemosa, doadora dos genes de resistência ao inseto, tem maturação precoce de frutos e tolerância a seca, supõe-se também que genótipos portadores dessas caracterí­sticas possam ser selecionados. Ensaios de progênies localizados nas principais regiões produtoras de São Paulo e Minas Gerais serão avaliados e plantas de interesse serão selecionadas para o avanço de gerações. Estudos relacionados À expressão da resistência serão também postos em prática com objetivo de melhor conhecer a relação inseto/planta.

Ver detalhes do projeto

  Oliveiro Guerreiro Filho      IAC

Gestão de recursos genéticos de Coffea do Instituto Agronômico de Campinas

n° SGP 221

O Brasil é o principal produtor e exportador mundial de café, planta oriunda especialmente do continente africano e introduzida no paí­s apenas em 1727. A principal espécie cultivada no Brasil é C. arabica. As cultivares brasileiras desta espécie, apesar de altamente produtivas, são altamente relacionadas e consequentemente a base genética das cultivares utilizado no Brasil é bastante estreita. Assim, ganhos no melhoramento são cada vez mais difí­ceis de serem obtidos. O projeto proposto se relaciona À gestão - introdução, manutenção, caracterização e utilização - de germoplasma diverso de Coffea visando sua utilização no desenvolvimento de cultivares de café arábica.

Ver detalhes do projeto

  Oliveiro Guerreiro Filho      IAC

Avaliação quí­mica e sensorial do café produzido pelas gerações F2 e F1RC1 dos cruzamentos envolvendo os mutantes AC e cultivares elite

n° SGP 219

Este projeto tem como objetivo prever a qualidade sensorial e nutricional, neste caso restrita ao conteúdo de teobromina dos grãos crus de cafés de cafeeiros das gerações F2 e F1RC1 dos cruzamentos envolvendo os mutantes AC e cultivares elite. Para a avaliação do potencial da qualidade sensorial da bebida serão empregadas a quantificação de sacarose no grão e análises de seus espectros de infravermelho próximo. E para a análise da qualidade nutricional potencial será quantificado o teor de teobromina.

Ver detalhes do projeto

  Terezinha de Jesus Garcia Salva      IAC

Relação entre o desenvolvimento da cana de açúcar e as variáveis climáticas

n° SGP 218

ï?? Implementar a rede de estações meteorológicas automatizadas instalando unidades , conforme necessidade apresentada por parceiros ï?? Desenvolvimento de um WEB site para receber as informações e gerar produtos e informações agrometeorologicas de suporte ao Setor Sucro-alcooleiro , englobando as unidades , e também as que compõem a rede do CIIAGRO/IAC-FUNDAG de interesse de empresas parceiras ï?? Quando necessário uma palestra para uso corretos das informações e manejo dos dados meteorológicos ï?? assessoria técnica para suporte e instalação do sistema

Ver detalhes do projeto

  Orivaldo Brunini      IAC

Avaliação de famí­lias de cana-de-açúcar pelo Método do ponto de mérito de famí­lias

n° SGP 217

RESUMO â?? Os programas de melhoramento de cana-de-açúcar buscam desenvolver novos métodos e estratégias de seleção nas fases iniciais. Dentro deste contexto e com o objetivo de ampliar a eficiência dos processos de identificação de genótipos e famí­lias superiores de cana-de-açúcar foi desenvolvido um método denominado Ponto de Mérito de Famí­lia (PMF), que considera as médias e os desvios padrões para cada famí­lia. Esse método de avaliação será aplicado para validar as novas famí­lias de cana de açúcar de inúmeras séries de hibridação do Programa Cana IAC. As avaliações identificarão genótipos que apresentam ganhos para Brix e famí­lias com correlação positiva para TCH e Brix. Quanto aos parâmetros genéticos serão considerados as amplitudes de predição e estimativas da herdabilidade média entre famí­lias para TCH e Brix. Com tais informações será possí­vel explorar eficientemente a seleção entre e dentro das famí­lias. Para a identificação de parentais masculinos em policruzamentos serão utilizados marcadores microssatélites, o que permitirá repetir combinações que provavelmente aumentam as chances de ocorrência de genótipos superiores. A cada ano haverá a possibilidade de aumentar o valor do PMF aplicado para os diversos atributos biométricos e tecnológicos.

Ver detalhes do projeto

  Mauro Alexandre Xavier      IAC

SELEÇÃO DE PROGÊNIES DE HíBRIDOS ENTRE CANA-DE-AÇÚCAR e Saccharum spontaneum VISANDO í? PRODUÇÃO DE BIOENERGIA

n° SGP 216

A necessidade de geração de energia através de fontes renováveis tem levado os programas de melhoramento de cana-de-açúcar a diversificar o perfil dos genótipos atuais, disponibilizando também aqueles com alto potencial em termos de energia primária. Sendo assim, o objetivo desse projeto será avaliar progênies de hí­bridos entre S. spontaneum e cana-de-açúcar, ampliando a variabilidade do banco ativo de germoplasma e identificando genótipos e marcadores moleculares associados À alta produção de biomassa. Para a instalação do primeiro grupo de ensaios serão utilizadas três famí­lias, totalizando mil duzentas e quinze progênies. Serão avaliados: produtividade de colmos e de biomassa (TCH e TBIOH), porcentagem de sobrevivência, incidência de doenças, análise biométrica, análise tecnológica (Brix % caldo, fibra, pol% cana e pureza) e avaliação com marcadores moleculares. Os dados serão analisados via modelos mistos REML/BLUP, em que o REML permite ordenar tanto as famí­lias como os indiví­duos em relação aos atributos avaliados.

Ver detalhes do projeto

  Mauro Alexandre Xavier      IAC

Manejo integrado de Sphenophorus levis, Migdolus fryanus e outras pragas de solo em cana

n° SGP 215

Neste projeto devem ser conduzidos experimentos que permitam uma definição mais adequado dos parâmetros para implantação/melhoria do manejo integrado de pragas de solo. Assim, estão em andamento os seguintes ensaios:

1) avaliação de eficiência de inseticidas aplicados no sulco de plantio para controle de S. levis: em 2015, foram instalados 2 ensaios, sendo cada um em blocos ao acaso e 6 repetições, com parcelas representadas por 6 sulcos de 10m, em espaçamento de 1.5 m. Os tratamentos foram aplicados no sulco de plantio e as avaliações para estimar as populações da praga estão sendo feitas aos 3, 5 e 7 meses de idade da cultura e por acosião da colheita.Na colheita, serão obtidas as produtividades; em 2016, outros 2 ensaios devem ser instalados, seguindo a mesma metodologia, para avaliar a eficência de novos produtos

2)avaliação do efeito de produtos, época e modo de aplicação sobre populações de S. levis e produtividade da soqueira: em 2015/2016, serão conduzidos 5 experimentos, sendo cada um em blocos ao acaso e 6 repetições, com parcelas representadas por 6 sulcos de 50m, em espaçamento de 1.5 m. Os tratamentos foram aplicados cortando a soqueira ou em drenche as avaliações para estimar as populações da praga estão sendo feitas aos 3, 5 e 7 meses de idade da cultura e por acosião da colheita. Na colheita, serão obtidas as produtividades. Em 2015, outros 2 ensaios deveraão serinstalados, utilizando somnete a aplicação em corte na soqueira, para avaliar a eficência de insetcidas no controle em soca.

3)distribuição espacial e temporal de S. levis, visando definir planos da amostragem 4)efeito da variedade sobre populações de S. levis

4) em 2015, está sendo conduzido ensaio no qual a palha foi afastada da linha de cana, para avaliar efeito sobre as populações de S. levis, em compração com área se

Ver detalhes do projeto

  Leila Luci Dinardo-MIranda      IAC

Análise de populações de Candidatus Liberibacter sp presentes em plantas com HLB através da amplificação de regiões genomicas repetitivas - SSR

n° SGP 213

Desde o final da década de 1980 a citricultura do estado de São Paulo, responsável por cerca de 90% da produção brasileira, tem enfrentado uma série de problemas de ordem fitossanitária, sendo a ocorrência do HLB a mais recente. Após 8 anos de sua constatação oficial em uma propriedade do municí­pio de Araraquara (região Central do estado de São Paulo), a espécies asiática de Liberibacter (Candidatus Liberibacter asiaticus - LAS) é o agente causal do HLB prevalente em todas as regiões citrí­colas de São Paulo. Neste perí­odo de constatação do HLB nas Américas (Brasil e USA) muito se avançou no conhecimento do patógeno, inclusive tendo o genoma de LAS totalmente seqí¼enciado o que tem possibilitado identificar genes e regiões genômicas de interesse para estudos de diagnósticos e diversidade. Destas regiões genômicas, aquelas que contemplam sequencias de DNA repetitivo tem sido usadas como â??hotspotâ? para estimar a diversidade genética nos organismos onde estão presentes. No Brasil e especificamente em São Paulo, apesar destes 8 anos da doença em nossas condições é total o desconhecimento sobre a diversidade genética presente nas populações de Lib. asiaticus. Portanto, este projeto tem como objetivo amplificar regiões genômicas repetitivas (Single Sequence Repeats â?? SSR) de isolados de plantas com HLB coletas de plantas de diferentes localidades ao longo de todo o estado de São Paulo e outras regiões no Brasil. Do mesmo modo coleções de isolados de diferentes espécies e variedades cí­tricas presentes em uma mesma localidade serão analisadas. Isolados de outras regiões do mundo (América Central, USA e ísia) onde a doença é descrita serão também analisados para fins de comparação. Pretende-se com este projeto ter um retrato da diversidade genética de Lib. asiaticus ao ní­vel de Brasil com objetivo de vislumbrar uma potencial quebra de resistência derivado do patogeno a variedades ou eventos de transformação já obtidos e em vias de obtenção pelos programas de melhoramento plantas cí­tricas resistentes ou tolerantes a bactéria do HLB.

Ver detalhes do projeto

  Helvecio Della Coletta Filho      IAC

Cruzamentos dialélicos em populações de milho branco com ênfase em produtividade de grãos e rendimento de canjica

n° SGP 211

O milho branco é utilizado na alimentação humana na forma de canjica, farinha e amido. Atualmente, há poucas cultivares de milho branco no mercado, o que torna importante o estudo genético deste tipo de milho para conferir as futuras cultivares maior produtividade, rendimento em canjica e sanidade de grãos. Neste projeto pretende-se efetuar cruzamentos dialélicos entre diferentes populações de milho branco visando a obtenção de estimativas genéticas e de hí­bridos intervarietais promissores para o mercado de milho branco. Serão avaliados em 2011/12 14 hí­bridos intervarietais de milho branco obtidos através de cruzamentos dialélicos parciais (2 x 7) de milho branco. Em 2012/13 serão avaliados os cruzamentos e os parentais de um dialelo completo 6 x 6 (15 hí­bridos e 6 parentais). Os caracteres agronômicos avaliados serão os seguintes: florescimento masculino e feminino, altura da planta e da espiga, acamamento e quebramento do colmo, peso de espigas, peso de grãos, e caracterí­sticas dos grãos quanto a dureza, densidade e sanidade. Também serão avaliadas as caracterí­sticas industriais como: rendimento e qualidade de canjica. Os experimentos serão desenvolvidos nas safras de 2012/13 e 2013/14, no Centro Experimental de Campinas (IAC) e nos Pólos Regionais do Sudoeste Paulista em Tatuí­ e do Nordeste Paulista em Mococa. O delineamento experimental utilizado será o de blocos casualizados com 4 repetições sendo cada parcela constituí­da por seis linhas de 5m espaçadas de 0,80m. Análises de variância individuais e conjuntas serão devidamente efetuadas, considerando-se o modelo fixo sendo as médias comparadas entre si pelo Teste Tukey a5% de probabilidade. O modelo utilizado nas análises dialélicas parciais será o de Miranda Filho e Geraldi (1984), possibilitando estimativas da heterose e de seus componentes e para o dialelo completo será utilizado o modelo de Gardner e Eberhart (1966).

Ver detalhes do projeto

  Maria Elisa Ayres Guidetti Zagatto Paterniani      IAC

Estudo comparativo do genoma e transcriptoma de Phyllosticta citricarpa (teleomorfo Guignardia citricarpa) agente da mancha preta dos citros e de Phyllosticta capitalensis.

n° SGP 207

A mancha preta dos citros (MPC), também conhecida como pinta preta dos citros, é uma das mais importantes doenças do atual momento da citricultura paulista. Causada pelo fungo Phyllosticta citricarpa (teleomorfo Guignardia citricarpa), a MPC afeta quase todas as variedades de citros danificando a aparência externa dos frutos, aumentando a queda e constituindo-se em mais uma barreira fitossanitária À s exportações de fruta in natura. O pouco ou nenhum conhecimento sobre os mecanismos de patogenicidade do fungo, bem como suas interações com seus hospedeiros, aliada À constatação de que o controle quí­mico pode levar À seleção de estirpes mais resistentes a fungicidas revelam a necessidade de maiores estudos sobre o genoma do patógeno. A espécie patogênica está frequentemente associada À outra espécie endofí­tica não patogênica, Phyllosticta capitalensis, até recentemente classificado como Guignardia mangifera, e morfologicamente semelhante a P. citricarpa. Pretende-se com esse projeto, através de sequenciamento de nova geração (RNA-seq) e PCR quantitativo em tempo real (RTq-PCR), comparar o padrão de expressão global de genes expressos tanto de P. citricarpa quanto de P. capitalensis, assim como de genes espécie especí­ficos, respectivamente. Pretende-se ainda estruturar a base de dados de transcriptoma de ambas as espécies. As informações geradas poderão ampliar o entendimento dos mecanismos de patogenicidade e poderão contribuir na elaboração de novas estratégias de manejo e controle de MPC.

Ver detalhes do projeto

  Marcos Antonio Machado      IAC

Avaliação de transcriptomas e de genes candidatos potenciais para uso em sistema de RNAi em fungos patogênicos de citros

n° SGP 206

O Brasil é destaque na produção de frutas cí­tricas, especialmente laranjas, sendo o maior produtor e exportador de suco da fruta. A União Européia é o principal mercado importador do produto brasileiro. No entanto, prejuí­zos nas exportações da fruta ocorrem por doenças que são quarentenárias A1 nos mercados internacionais de destino, uma dessas é a Mancha Preta dos Citros, causada pelo fungo Phyllosticta citricarpa (Guignardia citricarpa), que promove a depreciação visual da fruta. Graves prejuí­zos na produção de frutos cí­tricos são causados pelo fungo Colletotrichum acutatum, um dos causadores da podridão floral, além de provocar queda prematura dos frutos. Extensa quantidade de trabalhos vem sendo desenvolvidos no estudo e controle desses fitopatógenos. Uma abordagem atual e promissora de estudo é a análise de expressão gênica por knockout ou knockdown, via RNA de interfência (RNAi). Esses podem ser encontrados a partir da análise do transcriptoma do organismo em estudo, ou via silenciamento de genes envolvidos com caracterí­sticas fenotí­picas, causados por inserção de sequências em regiões gênicas expressas. Dessa forma, a utilização de ferramentas com RNAi são de extrema importância no auxí­lio de estudos de mecanismos envolvidos na patogenicidade de fungos fitopatógenos. Com isso, neste trabalho, objetiva-se a investigação da maquinaria de RNAi no transcriptoma desses fungos. Assim como, a produção de bibliotecas de transformantes randômicos de patogenicidade, e construção e validação de um sistema de transformação para avaliação da expressão de genes candidatos para estudos com RNAi em ambos os fungos.

Ver detalhes do projeto

  Marcos Antonio Machado      IAC

Avaliação de expressão de genes candidatos em sistema de RNA interferente (RNAi) em Diaphorina citri (Kuwayama) (Hemiptera:Psyllidae), vetor do huanglongbing dos citros.

n° SGP 205

O psilí­deo Diaphorina citri (Kuwayama) tornou-se nos últimos anos um dos mais importantes vetores na cultura de citros, em função dos crescentes prejuí­zos causados À s plantas pela transmissão das bactérias Candidatus Liberibacter americanus e Candidatus Liberibacter asiaticus, agentes causais do huanglongbing (HLB) dos citros. O manejo do HLB é baseado no uso de mudas sadias, na erradicação de plantas infectadas e no controle quí­mico do vetor, principalmente pelo controle quí­mico. No entanto, o uso contí­nuo e intenso de inseticidas é problemático, não só pelos custos financieiros, mas ambientais que o uso excessivo acarreta. Uma das promessas de novas tecnologias, como o silenciamento gênico por RNA de interferência (iRNA), tem sido seu uso no controle de pragas e vetores, reduzindo assim os altos custos no desenvolvimento de novas moléculas e tornando o controle mais eficiência e especí­fico. Trabalhos recentes mostram resultados efetivos utilizando a RNAi para silenciamento de genes vitais À manutenção da homeostase celular e sí­ntese de quitina. Desse modo, este trabalho tem como objetivo analisar a regulação da expressão gênica, mortalidade e/ou alterações fenotí­picas de Diaphorina citri em resposta a RNAi para genes alvos especí­ficos. Após seleção e amplificação dos genes alvos, suas sequências serão confirmadas para a subsequente produção dos RNAs dupla-fita (dsRNA) por transcrição in vitro. Posteriormente serão realizados testes in vivo para incorporação de dsRNAs em diferentes concentrações via alimentação e aspersão. A alteração da expressão quantitativa e temporal dos genes será confirmada por PCR quantitativo.

Ver detalhes do projeto

  Marcos Antonio Machado      IAC
  Sobre

O SGP (Sistema de Gestão de Pesquisa) foi implementado em todas as unidades APTA, para centralizar o controle de todos os projetos desenvolvidos sob sua supervisão. [Ler mais]

Endereço APTA – São Paulo

Praça Ramos de Azevedo, 254, 2º andar - República, São Paulo - SP

Fone : (11) 5067-0447 e 5067-0427

  Endereço APTA – Campinas

Avenida Barão de Itapura, 1481 - Botafogo, Campinas - SP

Fone : (19) 2137-8930