Exibindo todos os projetos ativos na APTA

Página Inicial / Busca de Projetos

723 projetos ativos encontrados - pág. 23 de 25

Avaliação quí­mica e sensorial do café produzido pelas gerações F2 e F1RC1 dos cruzamentos envolvendo os mutantes AC e cultivares elite

n° SGP 219

Este projeto tem como objetivo prever a qualidade sensorial e nutricional, neste caso restrita ao conteúdo de teobromina dos grãos crus de cafés de cafeeiros das gerações F2 e F1RC1 dos cruzamentos envolvendo os mutantes AC e cultivares elite. Para a avaliação do potencial da qualidade sensorial da bebida serão empregadas a quantificação de sacarose no grão e análises de seus espectros de infravermelho próximo. E para a análise da qualidade nutricional potencial será quantificado o teor de teobromina.

Ver detalhes do projeto

  Terezinha de Jesus Garcia Salva      IAC

Avaliação de famí­lias de cana-de-açúcar pelo Método do ponto de mérito de famí­lias

n° SGP 217

RESUMO â?? Os programas de melhoramento de cana-de-açúcar buscam desenvolver novos métodos e estratégias de seleção nas fases iniciais. Dentro deste contexto e com o objetivo de ampliar a eficiência dos processos de identificação de genótipos e famí­lias superiores de cana-de-açúcar foi desenvolvido um método denominado Ponto de Mérito de Famí­lia (PMF), que considera as médias e os desvios padrões para cada famí­lia. Esse método de avaliação será aplicado para validar as novas famí­lias de cana de açúcar de inúmeras séries de hibridação do Programa Cana IAC. As avaliações identificarão genótipos que apresentam ganhos para Brix e famí­lias com correlação positiva para TCH e Brix. Quanto aos parâmetros genéticos serão considerados as amplitudes de predição e estimativas da herdabilidade média entre famí­lias para TCH e Brix. Com tais informações será possí­vel explorar eficientemente a seleção entre e dentro das famí­lias. Para a identificação de parentais masculinos em policruzamentos serão utilizados marcadores microssatélites, o que permitirá repetir combinações que provavelmente aumentam as chances de ocorrência de genótipos superiores. A cada ano haverá a possibilidade de aumentar o valor do PMF aplicado para os diversos atributos biométricos e tecnológicos.

Ver detalhes do projeto

  Mauro Alexandre Xavier      IAC

SELEÇÃO DE PROGÊNIES DE HíBRIDOS ENTRE CANA-DE-AÇÚCAR e Saccharum spontaneum VISANDO í? PRODUÇÃO DE BIOENERGIA

n° SGP 216

A necessidade de geração de energia através de fontes renováveis tem levado os programas de melhoramento de cana-de-açúcar a diversificar o perfil dos genótipos atuais, disponibilizando também aqueles com alto potencial em termos de energia primária. Sendo assim, o objetivo desse projeto será avaliar progênies de hí­bridos entre S. spontaneum e cana-de-açúcar, ampliando a variabilidade do banco ativo de germoplasma e identificando genótipos e marcadores moleculares associados À alta produção de biomassa. Para a instalação do primeiro grupo de ensaios serão utilizadas três famí­lias, totalizando mil duzentas e quinze progênies. Serão avaliados: produtividade de colmos e de biomassa (TCH e TBIOH), porcentagem de sobrevivência, incidência de doenças, análise biométrica, análise tecnológica (Brix % caldo, fibra, pol% cana e pureza) e avaliação com marcadores moleculares. Os dados serão analisados via modelos mistos REML/BLUP, em que o REML permite ordenar tanto as famí­lias como os indiví­duos em relação aos atributos avaliados.

Ver detalhes do projeto

  Mauro Alexandre Xavier      IAC

Manejo integrado de Sphenophorus levis, Migdolus fryanus e outras pragas de solo em cana

n° SGP 215

Neste projeto devem ser conduzidos experimentos que permitam uma definição mais adequado dos parâmetros para implantação/melhoria do manejo integrado de pragas de solo. Assim, estão em andamento os seguintes ensaios:

1) avaliação de eficiência de inseticidas aplicados no sulco de plantio para controle de S. levis: em 2015, foram instalados 2 ensaios, sendo cada um em blocos ao acaso e 6 repetições, com parcelas representadas por 6 sulcos de 10m, em espaçamento de 1.5 m. Os tratamentos foram aplicados no sulco de plantio e as avaliações para estimar as populações da praga estão sendo feitas aos 3, 5 e 7 meses de idade da cultura e por acosião da colheita.Na colheita, serão obtidas as produtividades; em 2016, outros 2 ensaios devem ser instalados, seguindo a mesma metodologia, para avaliar a eficência de novos produtos

2)avaliação do efeito de produtos, época e modo de aplicação sobre populações de S. levis e produtividade da soqueira: em 2015/2016, serão conduzidos 5 experimentos, sendo cada um em blocos ao acaso e 6 repetições, com parcelas representadas por 6 sulcos de 50m, em espaçamento de 1.5 m. Os tratamentos foram aplicados cortando a soqueira ou em drenche as avaliações para estimar as populações da praga estão sendo feitas aos 3, 5 e 7 meses de idade da cultura e por acosião da colheita. Na colheita, serão obtidas as produtividades. Em 2015, outros 2 ensaios deveraão serinstalados, utilizando somnete a aplicação em corte na soqueira, para avaliar a eficência de insetcidas no controle em soca.

3)distribuição espacial e temporal de S. levis, visando definir planos da amostragem 4)efeito da variedade sobre populações de S. levis

4) em 2015, está sendo conduzido ensaio no qual a palha foi afastada da linha de cana, para avaliar efeito sobre as populações de S. levis, em compração com área se

Ver detalhes do projeto

  Leila Luci Dinardo-MIranda      IAC

Cruzamentos dialélicos em populações de milho branco com ênfase em produtividade de grãos e rendimento de canjica

n° SGP 211

O milho branco é utilizado na alimentação humana na forma de canjica, farinha e amido. Atualmente, há poucas cultivares de milho branco no mercado, o que torna importante o estudo genético deste tipo de milho para conferir as futuras cultivares maior produtividade, rendimento em canjica e sanidade de grãos. Neste projeto pretende-se efetuar cruzamentos dialélicos entre diferentes populações de milho branco visando a obtenção de estimativas genéticas e de hí­bridos intervarietais promissores para o mercado de milho branco. Serão avaliados em 2011/12 14 hí­bridos intervarietais de milho branco obtidos através de cruzamentos dialélicos parciais (2 x 7) de milho branco. Em 2012/13 serão avaliados os cruzamentos e os parentais de um dialelo completo 6 x 6 (15 hí­bridos e 6 parentais). Os caracteres agronômicos avaliados serão os seguintes: florescimento masculino e feminino, altura da planta e da espiga, acamamento e quebramento do colmo, peso de espigas, peso de grãos, e caracterí­sticas dos grãos quanto a dureza, densidade e sanidade. Também serão avaliadas as caracterí­sticas industriais como: rendimento e qualidade de canjica. Os experimentos serão desenvolvidos nas safras de 2012/13 e 2013/14, no Centro Experimental de Campinas (IAC) e nos Pólos Regionais do Sudoeste Paulista em Tatuí­ e do Nordeste Paulista em Mococa. O delineamento experimental utilizado será o de blocos casualizados com 4 repetições sendo cada parcela constituí­da por seis linhas de 5m espaçadas de 0,80m. Análises de variância individuais e conjuntas serão devidamente efetuadas, considerando-se o modelo fixo sendo as médias comparadas entre si pelo Teste Tukey a5% de probabilidade. O modelo utilizado nas análises dialélicas parciais será o de Miranda Filho e Geraldi (1984), possibilitando estimativas da heterose e de seus componentes e para o dialelo completo será utilizado o modelo de Gardner e Eberhart (1966).

Ver detalhes do projeto

  Maria Elisa Ayres Guidetti Zagatto Paterniani      IAC

Melhoramento Genético da Pereira

n° SGP 193

A produção brasileira de pereiras representa cerca de um oitavo da demanda interna pela fruta, o que representa excelente oportunidade de exploração aos fruticultores. Cultivares europeias não são indicadas para regiões de inverno ameno. Assim, objetiva-se renovar e ampliar o número de acessos existentes, no Centro APTA de Frutas, e estudar o comportamento agronômico desses indivíduos, a fim de indicação de cultivo e/ou para seleção de parentais no respectivo programa de melhoramento genético. A princípio, os acessos serão avaliados quanto à produção e características fisico-químicas das frutas. Os dados serão submetidos à análise de variância e as médias comparadas pelo teste Scott-Knott, a 5% de probabilidade. Em continuidade aos trabalhos, pretende-se desenvolver parcerias com outras unidades da APTA, a exemplo dos Polos Regionais do Centro Norte, Sudoeste e Leste Paulista, buscando estudar tanto acessos quanto possíveis descendências com potencial de cultivo no estado. 

Ver detalhes do projeto

  José Emilio Bettiol Neto      IAC

Leguminosas Diversas: Estudos agronômicos, em sistemas de produção e caracterização e conservação espécies do Banco de Germoplasma do IAC para eventual utilização em programas de melhoramento

n° SGP 185

Desenvolvimento de estudos fitotécnicos em campo e  experimentos de adubação verde intercalar em frutíferas diversas (videira e citros)ou na cana-de-açúcar, na reforma da cana-de-açúcar e de sucessão de culturas, sobretudo em sistema de plantio direto, utilizando principais espécies de adubos verdes eretos e de ciclo anual como tratamentos para avaliação de efeitos na produtividade de culturas graní­feras (milho, feijão, soja), bem como na área de fertilidade de solo e nutrição de leguminosas e acúmulo de nutrientes; avaliação do desenvolvimento de sistema radicular e vegetativo e da severidade de doenças e pragas em diferentes épocas de semeadura. Estudos desenvolvido em campo e em casa de vegetação para caracterização, preservação, multiplicação, armazenamento e conservação de coleção de leguminosas introduzidas (informação da origem) e ou mantidas em banco de germoplasma do Setor de Leguminosas do IAC, para estudos constantes e intercâmbio de material genético diversificado, sobretudo para condições tropicais e que poucas instituições preservam no país; realização de avaliações fenológicas e agronômicas, determinadas e fotografadas, para possível uso como descritores, tais como: aspectos da folha, flor, vagem, semente e, ainda, da duração do ciclo, altura da planta e ou do dossel; rendimento de fitomassa (verde e seca) e grãos; qualidade fisiológica imediatamente após a colheita e durante o armazenamento por até dois anos, em câmara fria e em condição ambiente e em diferentes recipientes; suscetibilidade a doenças e pragas; avaliações fisiológicas (determinação do teor de clorofila); estudos de gessagem em solos de distintas texturas; estudos agrometeorológicos para determinação de parâmetros (temperatura-base, graus-dia) auxiliares ao zoneamento agrícola, otimização da produção e redução dos riscos climáticos 

 

  

Ver detalhes do projeto

  Elaine Bahia Wutke      IAC

Sistema de produção para o feijoeiro em rotação de culturas em plantio direto

n° SGP 184

Desenvolvimento de estudos em condições de campo, nas safras das águas e seca, sob irrigação, em áreas de plantio direto (SPD) recém-implantado, com semeadura anterior de gramí­nea (milho, milheto ou outras) na área total para uniformização. O delineamento experimental será de blocos ao acaso com 4 repetições. Nos experimentos os tratamentos serão sequências de culturas (com gramí­neas e leguminosas adubos verdes) e ou cultivares de feijão, distribuí­dos em parcelas subdivididas. Serão ainda avaliados o doses de sulfato de amônio na semeadura, parcelamento de dose total de nitrogênio (fonte ureia) em cobertura e doses e ou parcelamento de potássio (fonte KCl). Serão avaliados, sempre que possível, o desenvolvimento vegetativo do feijoeiro e de outras culturas da sequência (dados fenológicos, matéria seca, cobertura de solo, leituras SPAD, sistema radicular em profundidade), fertilidade e grau de compactação do solo; incidência de doenças e pragas; rendimento e qualidade fisiológica de grãos.

Ver detalhes do projeto

  Elaine Bahia Wutke      IAC

Introgressão de genes silvestres de Arachis spp. no amendoim cultivado visando resistência a doenças foliares e nematóides

n° SGP 179

Este projeto, iniciado em 2011 com recursos do CNPq, visa explorar a variabilidade de espécies silvestres de amendoim (Arachis spp)no melhoramento do amendoim cultivado (Arachis hypogaea). O germoplasma silvestre de amendoim (Arachis spp.) possui potencial como fonte de resistência À s principais doenças foliares, em ní­veis mais altos do que os encontrados na espécie do amendoim cultivado. A resistência ao nematóide Meloidogyne arenaria também pode ser explorada através de genes silvestres. As etapas realizadas com recursos do CNPq estão encerrando em 2013. A partir de 2014, com recursos da empresa Masterfoods (administrados via Fundag), e em parceria com a Embrapa, as atividades serão direcionadas da seguinte forma: utilizar-se-ão, como fontes de resistência às doenças, anfidiploides oriundos do programa de pré-melhoramento da Embrapa e linhagens intermediárias de melhoramento obtidas como germoplasma do ICRISAT (͍ndia), e oriundas de cruzamentos interespecí­ficos. As atividades também incluem a utilização de germoplasma interespecí­fico oriundo da Georgia (Tifton, USDA) portador de resistência ao nematóide Meloidogyne arenaria, visando a transferência dessa resistência para linhagens e cultivares do programa IAC. Este projeto é multidisciplinar e é conduzido em colaboração com a Embrapa/Recursos Genéticos e UnB (Brasilia) e Polos Regionais de Pindorama e Ribeirão Preto. Nesta etapa do projeto, 3 linhas de trabalho são propostas, todas envolvendo genótipos interespecí­ficos e incluindo na metodologia do melhoramento a seleção assistida por marcadores moleculares: 1) Seleção para resistência ao nematóide Meloidogyne arenaria, a partir de germoplasma hypogaea descendente do cultivar interespecí­fico COAN; 2) Obtenção de linhagens "Alto Oleicas" com acentuada resistência a manchas foliares, a partir de germoplasma introduzido do ICRISAT, e descendente da espécie Arachis cardenasii (fonte da resistência); 3) Introgressão de resistência à mancha preta através de retrocruzamentos e seleção assistida por marcadores moleculares, tendo como fonte de resistência os anfidiploides (A. magna x A. stenosperma) e (A. gregoryi x A. stenosperma).

Ver detalhes do projeto

  Ignácio José de Godoy      IAC

Melhoramento genético do amendoim visando À obtenção de cultivares para o sistema de produção e mercado de São Paulo e de outras regiões brasileiras

n° SGP 178

Fazem parte deste projeto as atividades de melhoramento do amendoim cultivado (Arachis hypogaea)visando a criação e desenvolvimento de cultivares prioritariamente para a cadeia de produção de amendoim para confeitaria,estabelecida no estado de São Paulo. Inclui-se aqui o projeto "Pesquisa e desenvolvimento de cultivares para o estado de São Paulo", financiado por 11 empresas da cadeia de produção, e administrado via Fundag. As atividades atuais deste projeto compreendem dois objetivos ou linhas de pesquisa: a) Obtenção de cultivares rasteiros, portadores da caracterí­stica "Alto Oleico", precoces, semi-precoces ou de crescimento determinado para adaptação às áreas de renovação de cana-de-açúcar; b) Obtenção de cultivares rasteiros, portadores da caracterí­stica "Alto Oleico", de ciclo entre 130 e 140 dias, com produtividade e estabilidade de produção, visando regiões não limitadas quanto ao ciclo da cultura.

Ver detalhes do projeto

  Ignácio José de Godoy      IAC

melhoramento de milho

n° SGP 174

Com objetivos de desenvolver híbridos convencionais de milho de  baixo custo da semente, hí­bridos comerciais foram avaliados para capacidade geral e especifica de combinação para obtenção de hí­bridos intervarietais de sintéticos a curto prazo. A longo prazo,  serão obtidos linhagens das populações parentais  para posterior obtenção de hí­bridos simples. Esse trabalho seriam a repetido com novos hí­bridos comerciais promissores que fossem identificados no trabalho de avaliação regional. Vários hí­bridos foram desenvolvidos e comercialmente esse tipo de cultivar teve boa aceitação pelos produtores e atraiu o interesse de pequenas empresas nacionais de sementes como parceiras na produção de sementes. Em agosto de 2013 foi iniciado um trabalho de obtenção de linhagens e melhoramento da variedade de milho AGS 9010105, originada da variedade AL Bandeirante. Esse trabalho está sendo realizado em parceria com Agro-sena Sementes, que financiará parte do projeto com 36 mil reais, a serem captados até 2015 pela Fundag no projeto IA - 1061 Milho.

Ver detalhes do projeto

  Eduardo Sawazaki      IAC

MELHORAMENTO DE MILHO PIPOCA

n° SGP 173

FORAM AVALIADAS VARIEDADES NACIONAIS E HIBRIDOS EXÓTICOS, PARA SíNTESE DE VARIEDADES MELHORADAS E OBTENÇÃO DE LINHAGENS. nestes últimos anos estamos finalizando 3 hí­bridos triplos, que tem em comum como progenitor um hí­brido simples, o IA 9614. Estamos com vcu pronto para os hí­bridos IA HT 04, IA HT 05 e IA HT 06, sendo todos superiores ao IAC 125, que é comercial. Iniciamos também o desenvolvimento de um hí­brido simples que é muito promissor quanto a qualidade, faltando o desenvolvimento de tecnologia de produção, visando tornar viável a sua utilização comercial.

Ver detalhes do projeto

  Eduardo Sawazaki      IAC

BanGermo: Manejo de Recursos Genéticos e Coleções Cientí­ficas e integração das informações, visando a facilitação na utilização dos dados no melhoramento dos cultivos.

n° SGP 170

Pretende-se contribuir para a avaliação, manutenção e ampliação de bancos de germoplasmas do IAC, tais como o de maracujazeiros  e de árvores e palmeiras ornamentais e de outros usos econômicos - frutíferas, medicinais, aromáticas, etc. - especialmente aquelas pouco estudadas, em relação ao seu cultivo, bem como do Herbário e Sementeca, visando a prospecção e desenvolvimentos novas opções de cultivo. Assim pretende-se avaliar informações pré-existentes de espécies, notadamente nativas, pouco cultivadas e/ou subexploradas economicamente e de seus parentes silvestres, buscando reconhecer as melhores opções. Estudar a distribuição das espécies pré-selecionadas, incluindo a modelagem de distribuição potencial, visando ampliar as possibilidades de localização de diferentes acesso, na natureza e em áreas de cultivo, bem como caracterizá-los em relação aos parâmetros ambientais de distribuição (tipo de solo, amplitude térmica e hídrica de ocorrência). Efetuar coletas para a devida identificação botânica e o depósito no Herbário IAC, como material de referência.  Na medida do possível, e a partir do interesse em potenciais aspecto benéficos para o melhoramento, e eventual exploração econômica, bem como na capacidade de absorção no IAC, será coletado germoplasma (sementes e/ou estacas) para encaminhado para introdução no banco de maracujazeiros, e disponibilização para o melhoramento dos diferentes cultivos. Ainda, tanto quanto possível, serão buscadas parcerias visando a manutenção das coleções, tais como aquela já estabelecida através do INCT Instituto Nacional de Ciência e Tecnologia – Herbário Virtual da Flora e dos Fungos, Edital Chamada Pública MCTI/CNPq/CAPES/FAPs no. 16/2014, processo 465420/2014 - 1, CNPq Institutos de C & T. que teve início em 29 de novembro de 2016 com vigência prevista até 30 de novembro de 2022.

Ver detalhes do projeto

  Luis Carlos Bernacci      IAC

Avaliação regional de linhagens e cultivares de feijoeiro para determinação do valor de cultivo e uso para fins de registro de cultivares.

n° SGP 167

Ensaios de competição de linhagens e cultivares (VCU) serão instalados em Capão Bonito, Tatuí­, Monte Alegre do Sul, Mococa, Pindorama, Votuporanga, Ribeirão Preto, Adamantina, nas cooperativas Holambra II e outros locais a serem determinados conforme a necessidade de testes dos ensaios, com semeadura nas épocas de inverno irrigado (maio/junho), das águas (agosto/setembro) e das seca (janeiro/fevereiro), conforme a tradição de plantio nestas regiões. Os tratamentos (cultivares) serão semeados em blocos ao acaso com três repetições, sendo a parcela constituí­da de quatro linhas de quatro metros, espaçadas em 0,50m e colhidas as duas linhas centrais. As avaliações referentes ao desenvolvimento vegetativo e reprodutivo dos cultivares serão realizadas de acordo com o desenvolvimento das plantas no mí­nimo uma no florescimento e outra próxima a colheita. As avaliações de reação as doenças também serão realizadas nessas épocas, e quando forem necessárias em outras épocas a serem definidas de acordo com a ocorrência das doenças. As avaliações referentes a reação a antracnose também serão realizadas em laboratório com a inoculação do patógeno sobre as cultivares. Todas as observações de produtividade serão analisadas com o auxí­lio de pacotes estatí­sticos e divulgados em dias de campo e publicações especializadas, bem como os resultados de reação a doenças destes materiais genéticos.

Ver detalhes do projeto

  Alisson Fernando Chiorato      IAC

Estruturação de Modelo para Monitoramento do ciclo de vida dos produtos hortí­colas

n° SGP 163

Com a incorporação de novas exigências quanto À sustentabilidade da produção agrícola, tem-se ampliado a visão da cadeia produtiva, para que opere de acordo com as boas práticas, ampliando sua sinergia com o meio ambiente. Nesse âmbito, tem havido maior preocupação em se mensurar os benefí­cios econômicos e, também, os impactos ambientais, relativos ao comportamento cí­clico das culturas em suas áreas de plantio, com relação aos resí­duos produzidos no campo e ao destino dos produtos e subprodutos que não foram comercializados. O objetivo desta proposta é estruturar modelo para monitorar o ciclo de vida dos produtos hortí­colas, com vistas a estabelecer indicadores para a melhoria dos processos de produção e logí­sticos para minimizar seus impactos negativos no meio ambiente e socioeconômico.

Ver detalhes do projeto

  Lilian Cristina Anefalos      IAC

Avaliações Econômica, Social e Ambiental da Geração e Difusão de Tecnologias do Sistema Produtivo do Palmito

n° SGP 162

É imperativo que o setor agrícola seja competitivo para sobreviver em mercados globalizados. Dessa forma, é importante que sejam geradas novas tecnologias visando elevação da produtividade agrícola, minimização dos danos ambientais e promoção da inclusão social de todos os setores envolvidos na cadeia produtiva da horticultura. Para que essas inovações tecnológicas sejam avaliadas continuamente quanto ao seu impacto na sociedade, é necessário desenvolver métodos e indicadores adequados. O objetivo central desta pesquisa será implementar metodologias para avaliação econômica, social e ambiental da geração e difusão de tecnologias hortí­colas no Estado de São Paulo, com o intuito de medir as contribuições tecnológicas do Instituto Agronômico (IAC) e das instituições parceiras. Pretende-se com isso auxiliar o desenvolvimento e disseminação de alternativas tecnológicas para o sistema de produção hortí­cola, iniciando com o estudo da cadeia de palmito.2

Ver detalhes do projeto

  Lilian Cristina Anefalos      IAC

Diagnóstico das perdas de solo em bacias hidrográficas do Estado de São Paulo

n° SGP 156

O problema que se apresenta para a pesquisa se caracteriza pela falta de informações sistematizadas sobre os impactos das atividades agrícolas sobre a base de recursos naturais. Se impõe também a necessidade de análise e interpretação integrada do sentido econômico, social e ecológico dos fenômenos. Assim, tomando o exemplo da erosão dos solos, não é suficiente recompilar dados sobre as danos on site e off site causados pela erosão agrícola do solo. É igualmente importante analisar as causas e conseqí¼ências sociais, econômicas e ecológicas de curto e longo prazos e propor medidas e ações que possam solucionar o problema. O quadro composto por essas três frentes (coleta de dados, simulações e estimativas, análise e interpretação cientí­ficas), mais a avaliação das alternativas poderá fornecer importantes subsí­dios para decisões de planejamento ambiental, de conservação da biodiversidade e da produção agrícola, tanto no âmbito estadual como no municipal. É clara a existência destas alternativas, quer sob a forma de pesquisa, quer sob a forma de experiências práticas. Se faz também necessário a disponibilização dos resultados deste esforço de pesquisa aos mais diferentes segmentos sociais, como as instâncias do Estado, as empresas agrícolas e as organizações de produtores e outros segmentos interessados. Os dados, análises e alternativas sustentáveis, tornados socialmente disponí­veis, poderão apresentar-se como base cientí­fica para a aplicação do planejamento ambiental tanto em escala macro (polí­ticas públicas, zoneamento agroecológico) como em escala micro (bacias hidrográficas, municí­pios, explorações agrícolas).

Ver detalhes do projeto

  Jener Fernando Leite de Moraes      IAC

Adaptabilidade de plantas aromáticas sob cultivo orgânico e/ou convencional, em diversas regiões do país.

n° SGP 154

O uso de extratos e óleos essenciais na indústria de cosméticos e, em particular, no ramo de perfumes remonta À Antigí¼idade. Na China, na índia e no Oriente Médio, as plantas aromáticas, os óleos, as águas perfumadas e preparações cosméticas eram utilizadas na cozinha, em cosméticos, na medicina e nas práticas religiosas. O mercado de produtos farmacêuticos derivados de plantas é um segmento promissor, já que o crescimento do mercado de medicamentos fitoterápicos é da ordem de 15 % ao ano. O setor de cosméticos, higiene pessoal e perfumaria em 2005 foram de 14,5 %. No mercado internacional o Brasil é o décimo maior importador de óleos essenciais e o quarto maior exportador somando US$ 98 bilhões em 2004. Existem ainda muitos óleos já explorados e utilizados pelas indústrias, com origem em outros locais do globo, que poderiam ser produzidos no Brasil com pequenas adaptações no sistema produtivo. Porém a falta de tradição no cultivo da planta e oferta no mercado nacional faz com que as indústrias consumidoras não busquem aqui esses produtos, limitando as opções dos nossos agricultores. O presente trabalho tem como o objetivo, avaliar a adaptação de algumas espécies aromáticas, manjericão (Ocimum basilicum), lavandas (Lavandula dentata, Landula angustifolia e Lavandula officinalis), mentas (Mentha arvensis e Mentha piperita), capim-limão (Cymbopogon citratus e Cymbopogon flexuosus), citronela (Cymbogon winterianos), alecrim (Rosmarinus officinalis) e gerânio (Pelargonio graveolens), em sistema de cultivo convencional, para fins de extração de óleos essenciais, para as condições edafoclimáticas no Estado de São Paulo e outras regiões do país. O projeto será desenvolvido em parceria com um produtores rurais.

Ver detalhes do projeto

  Eliane Gomes Fabri      IAC

Expressão de genes relacionados com a resistência á Pseudomonas syringae pv. garcae em cafeeiros

n° SGP 153

A Mancha aureolada causada pela bactéria Pseudomonas syringae pv. garcae (Amaral et al., 1956) vem sendo detectada com frequência em cafezais de importantes regiões produtoras do estado de São Paulo, provocando danos severos, principalmente em lavouras ainda em formação ou sujeitas a frequentes chuvas de granizo e/ou ventos fortes. A doença vem sendo também constatada no sul e no cerrado mineiro, em alguns casos ocorrendo em alta severidade. A seleção de cafeeiros resistentes À doença se baseia na existência de variabilidade genética para a caracterí­stica. No entanto, são bastante controversas as informações sobre a resistência À Mancha aureolada. Este projeto tem como objetivos: a) o estabelecimento de um método eficaz de avaliação de sintomas provocados por P. s. pv. garcae em mudas jovens de cafeeiros a partir de estudos relacionados À natureza dos isolados, metodologias de inoculação dos mesmos nas plantas e À identificação de variáveis adequadas À mensuração dos danos; b) a identificação de fontes de resistência a P. s. pv. garcae em cafeeiros do banco de germoplasma de Coffea do IAC; c) o estudo da expressão molecular de genes de defesa envolvidos na interação C. arabica - P. s. pv. garcae. Nesse sentido, três linhas de pesquisa serão desenvolvidas, sendo que no primeiro será avaliada a patogenicidade de 10 isolados de P. s. pv. garcae na cultivar Mundo Novo de C. arabica, sendo os isolados oriundos de lavouras de C. arabica atingidas pela doença em diferentes regiões produtoras do Brasil. Será também definido o método ideal de inoculação dos isolados, sendo comparados três diferentes estratégias, ou seja, a aspersão do inóculo, o uso de agulhas múltiplas e a inoculação por picadas com alfinetes. Paralelamente será determinado o método mais apropriado para a avaliação dos sintomas. No segundo experimento, cultivares, variedades botânicas e acessos diversos de C. arabica serão avaliados visando À identificação de fontes de resistência com potencial para a seleção de cultivares resistentes À doença. Finalmente, será estudada também a expressão de genes de resistência através de método de microarray em amostras de folhas de cafeeiros resistentes e suscetí­veis inoculados e não inoculadas com a bactéria e em diferentes perí­odos de incubação da bactéria, a fim de se identificar os genes responsáveis pela resistência e/ou processos biológicos/metabólicos a eles relacionados.

Ver detalhes do projeto

  Oliveiro Guerreiro Filho      IAC

POTENCIAL AGRíCOLA DE BIOCARVAO PROVENIENTE DE BIOMASSAS ALTERNATIVAS

n° SGP 150

Aliar alta produção de alimentos com sustentabilidade ambiental é um dos principais desafios da atualidade. O biocarvão (BC) consiste em um material bastante estável e com propriedades fí­sicas e quí­micas especí­ficas, e pode representar uma ferramenta de grande importância para esse desafio. O BC já vem sendo estudado para algumas finalidades, como para a produção de energia, melhoria da qualidade do solo, entre outros. Nesse contexto, torna-se importante entender a relação entre fonte/produção do BC o que permitirá um estudo para usos mais especí­ficos desse produto. Esse trabalho tem os seguintes objetivos: (i) estudar como a temperatura de pirólise altera a composição quí­mica do biocarvão, comparada à composição quí­mica da biomassa original utilizada; (ii) determinar a disponibilidade de N, P e alguns metais pesados dos biocarvões após aplicação no solo; (iii) Caracterizar a estabilidade do biocarvão após aplicação no solo, quantificando-se o C-CO2 emanado; (iv) quantificar a CTC e a retenção de água dos biocarvões e como tais atributos são afetados no solo após aplicação dos mesmos; (v) determinar o efeito do biocarvão na emissão de N2O de fonte nitrogenada aplicada ao solo; (vi) avaliar processo de ativaçao que aumentem o poder adsortivo do biocarvão; (vii) avaliar o uso do biocarvao na remediaçao de águas subterraneas contaminadas com metais; (viii) viabilizar a reciclagem de residuos agricolas, urbanos ou industrias na forma de biocarvão; (ix) estudar a aplicação de biocarvao e fertilizantes nitrogenados para sua liberação gradual ao solo; (x)  avaliar a eficiência dos biocarvões na mitigação dos efeitos tóxicos de solo contaminado com metais, melhorando os atributos químicos, físicos, físico-químicos e microbiológicos. Dessa forma espera-se gerar alternativas para remediação de áreas contaminadas para que possam ser revegetadas e utilizadas novamente

Ver detalhes do projeto

  Aline Renee Coscione      IAC

Obtenção de genótipos superiores de seringueira (Hevea spp.) adaptado a diferentes regiões edafoclimáticas consideradas área de escape ao mal-das-folhas.

n° SGP 148

O caráter mais importante no melhoramento genético da seringueira Hevea brasiliensis (Willd. ex Adr. de Juss) Muell.-Arg. é a produção do látex. Entretanto, a expressão desse potencial é geralmente influenciada por vários fatores genéticos inerentes À árvore, como vigor, espessura de casca, resistência ao vento, doenças, etc. e por fatores ambientais tais como: práticas de manejo, sistema de sangria, estimulação, densidade de plantio, nutrição, etc. O programa de Melhoramento Genético adotado pelo Instituto Agronômico, compreende três etapas de seleção. Inicialmente, procura-se obter progênies, por via de polinização controlada ou aberta, visando À formação de viveiros de progênies. Aos dois anos e meio com base em avaliações preliminares de produção através de testes precoces, vigor e tolerância a doenças, os ortetes são selecionados e clonados para serem testados em Experimentos de Avaliação de Clones em Pequena Escala (EAPEs). Nessa segunda etapa de seleção, após o primeiro ano de sangria, os clones promissores são multiplicados e passam a ser avaliados em Experimentos de Avaliação em Grande Escala (EAGEs). Com base no exposto o projeto tem como principal objetivo a obtenção de cultivares (clones) superiores de seringueira com alto potencial de produção e vigor, resistentes ao Microcyclus ulei (P. Henn.) v. Arx. para as diferentes regiões do Planalto e litoral do Estado de São Paulo. O projeto compreende 15 experimentos contemplando três grupos distintos. O primeiro relacionado Estudo e Seleção de Progênies, o segundo a Avaliação de Clones em Pequena Escala (EAPEs) e um terceiro a Avaliação de Clones em Grande Escala (EAGEs), a maior parte em andamento em área de escape. Todos envolvem desde a polinização controlada e/ou aberta até a liberação dos cultivares comerciais para recomendações em pequena e grande escala ao nível de produtor.

Ver detalhes do projeto

  Paulo de Souza Gonçalves      IAC

Melhoramento Genético para Obtenção de Clones de Seringueira (Hevea spp.) para o Estado de São Paulo.

n° SGP 147

O caráter mais importante no melhoramento genético da seringueira Hevea brasiliensis (Willd. ex Adr. de Juss) Muell.-Arg. é a produção do látex. Entretanto, a expressão desse potencial é geralmente influenciada por vários fatores genéticos inerentes À árvore, como vigor, espessura de casca, resistência ao vento, doenças, etc. e por fatores ambientais tais como: práticas de manejo, sistema de sangria, estimulação, densidade de plantio, nutrição, etc. O programa de Melhoramento Genético adotado pelo Instituto Agronômico (IAC), compreende três etapas de seleção. Inicialmente, procura-se obter progênies, por via de polinização controlada ou aberta, visando À formação de viveiros de progênies. Aos dois anos e meio com base em avaliações preliminares de produção através de testes precoces, vigor e tolerância a doenças, os ortetes são selecionados e clonados para serem testados em Experimentos de Avaliação de Clones em Pequena Escala (EAPEs). Nessa segunda etapa de seleção, após o primeiro ano de sangria, os clones promissores são multiplicados e passam a ser avaliados em Experimentos de Avaliação em Grande Escala (EAGEs). Com base no exposto o projeto tem como principal objetivo a obtenção de cultivares (clones) superiores de seringueira com alto potencial de produção e vigor, resistentes ao Microcyclus ulei (P. Henn.) v. Arx. para as diferentes regiões do Planalto e litoral do Estado de São Paulo. O projeto compreende 15 experimentos contemplando três grupos distintos. O primeiro relacionado Estudo e Seleção de Progênies, o segundo a Avaliação de Clones em Pequena Escala (EAPEs) e um terceiro a Avaliação de Clones em Grande Escala (EAGEs), a maior parte em andamento no Centro Avançado de Seringueira e Sistemas Agroflorestais do IAC. Todos envolvem desde a polinização controlada e/ou aberta até a liberação do cultivares no MAPA e consequentemente recomendação ao produtor.

Ver detalhes do projeto

  Paulo de Souza Gonçalves      IAC

Manejo e Qualidade do Solo em Sistemas de Agricultura Conservacionista

n° SGP 143

Em áreas de produção agropecuária, sucessivos cultivos com técnicas inadequadas tem como resultado a degradação dos solos, tanto em áreas de cultivos anuais (grãos e hortaliças), como em cultivos perenes (fruteiras), semiperenes (cana-de-açúcar) e pastagens. Problemas de erosão hídrica são frequentes. Para reverter o processo de degradação desses solos, reduzir a compactação do solo, reduzir a erosão e suas consequências, aumentar a produtividade e garantir sustentabilidade às atividades busca-se a introdução de sistemas de agricultura conservacionista, entre eles o sistema plantio direto. Esses sistemas necessitam adaptação às condições de cada realidade local e para isso são necessários estudos de opções de cobertura, opções de rotação de culturas, opções de cultivos rentáveis, produção com baixo uso de insumos, técnicas e equipamentos adequados. O solo é um fator básico para os sistemas de produção agrícola e a qualidade do solo, seja física, química e/ou biológica, pode influenciar positiva ou negativamente a eficiência de um sistema produtivo. A busca por sistemas sustentáveis vem sendo constante nas atividades agrícolas, pecuárias e silviculturais, e a adoção de sistemas que integram essas atividades na mesma área de forma consorciada ou integrada é crescente. Por outro lado, a mecanização de todas as operações e o aumento da intensidade de uso das máquinas nas áreas tem gerado problemas de degradação dos solos, gerando demanda por sistemas de manejo alternativos. Este projeto tem como foco principal a conservação dos recursos naturais e a sustentabilidade da agricultura familiar, através da busca de soluções para problemas de manejo do solo e das culturas enfrentados pelos agricultores. O objetivo é desenvolver os sistemas conservacionistas, através de ensaios que busquem avaliar as alterações no solo decorrentes desses manejos, gerando informações sobre a qualidade do solo sob os diferentes sistemas agrícolas, que possibilitem recomendar adaptações ou inovações tecnológicas.

Ver detalhes do projeto

  Isabella Clerici De Maria      IAC

Estudos e modelos de avaliação e predição de erosão

n° SGP 141

Os modelos de predição de erosão são importantes instrumentos em estudos de polí­tica conservacionista, programas de planejamento ambiental, projetos conservacionistas nas propriedades agrícolas, além de serem importantes ferramentas de ensino e pesquisa. A pesquisa objetiva avaliar a utilização de modelos matemáticos de predição de erosão e sua validação para utilização prática para as condições edafo-climáticas do estado de São Paulo. Para atingir os objetivos propostos são utilizados dados de perdas de terra e de água que vem sendo obtidos por mais de 70 anos pela Seção de Conservação do Solo, em talhões com sistemas coletores de erosão, instalados em quatro estações experimentais e representando diferentes combinações de solo, topografia e clima. Estes dados serão comparados com as predições feitas pelos modelos a partir de dados de atributos fí­sicos, quí­micos e biológicos do solo e de produção das culturas. O principal modelo estudado, que é ainda, o mais utilizado, será a USLE e suas modificações (MUSLE e RUSLE), além dos modelos WEPP, LISEM e SWAT.

Ver detalhes do projeto

  Isabella Clerici De Maria      IAC

Utilização agrícola de lodo de esgoto: avaliações fí­sicas, quí­micas e biológicas de solo, enxurrada e sedimento

n° SGP 140

A aplicação de lodo de esgoto em solos agrícolas pode apresentar benefí­cios do ponto de vista agronômico em função dos efeitos sobre as condições fí­sicas e quí­micas do solo. No entanto, do ponto de vista ambiental, pode apresentar riscos, como a contaminação de águas superficiais com nutrientes, coliformes fecais e metais pesados ou a absorção destes últimos pela cultura.  Assim, este projeto tem por finalidade estudar o efeito da aplicação de lodo de esgoto municipal digerido aerobicamente na produtividade da cultura de milho, na contaminação de águas superficiais por meio da enxurrada e de sedimentos e em propriedades fí­sicas e quí­micas do solo.

Ver detalhes do projeto

  Isabella Clerici De Maria      IAC

Melhoramento de milho visando à obtenção de populações e de novos tipos de hí­bridos para o Estado de São Paulo

n° SGP 137

Novas populações de milho vêm sendo obtidas e selecionadas através de métodos de seleção massal e seleção recorrente entre e dentro de progênies de meios-irmãos. Com a utilização do método de seleção recorrente entre e dentro de progênies de meios irmãos, progênies são avaliadas com ênfase na produtividade, porte, precocidade, caracteres agronômicos, resistência a doenças e, mais recentemente, quanto à tolerância à seca. Cerca de 200 progênies são avaliadas em blocos ao acaso, em Campinas e Mococa. As populações F2 obtidas, juntamente com outras populações F2 oriundas de hí­bridos comerciais, serão ainda cruzadas em esquema dialélico, para obtenção de hí­bridos de populações F2 de milho, tendo-se a vantagem da redução de custos e eliminando-se as etapas de obtenção de linhagens endogâmicas requeridas na produção de hí­bridos simples. Assim, serão obtidos hí­bridos a partir de geração F2 e avaliados quanto a produtividade, tolerância a doenças foliares e outras caraterí­sticas agronômicas, em Campinas e Mococa. Os ensaios serão desenvolvidos sob delineamento de blocos casualizados, com 36 tratamentos, mais duas testemunhas comerciais (IAC 8333 e DKB 350). Estimativas da heterose e de seus componentes serão obtidas, utilizando-se o método de Gardner e Eberhart, bem como o potencial produtivo de novos hí­bridos F2 de milho, para produtores de média tecnologia do Estado de São Paulo.

Ver detalhes do projeto

  Maria Elisa Ayres Guidetti Zagatto Paterniani      IAC

Interação: ví­rus e patógenos similares - agentes vetores - espécies de plantas hospedeiras, a ní­vel biológico, imunológico e molecular (genoma viral).

n° SGP 134

Estão sendo estudadas as viroses, em sua ampla gama de agentes fitopatogênicos, causadores de moléstias causadas por vírus ou agentes de patologia e epidemiologia semelhantes, como a moléstia denominada "Zebra Chip", ou Zebra da Batata-Frita, que tem como agente etiológico o Candidatus Lyberibacter solanacearum  (Ca.L.solanacearum), transmitido por espécies de psilídeos. Além das viroses comuns, são também estudadas as emergentes-exóticas (quarentenária e-ou regulamentadas), principalmente espécies, de importância econômica, representantes das famílias das solanaceas (batata, tomate, beringela, pimentão, fumo-tabaco); Poaceas (cana-de-açucar; milho, sorgo, arroz, trigo) e Malvaceas (algodão). Outras culturas de interesse na bio-energia e florestais (eucalipto, pinus). Nas solanaceas, o projeto vem estudando as variantes dos Potyvirus, particularmente da espécie Potato virus Y (PVY), tais como PVYo, PVYn, PVYntn, PVY n:o, entre outras. Experimentos têm sido conduzidos com foco na busca de conhecimento da interação viros-hospedeira-vetor-meio ambiente, tais como aspectos a ní­vel molecular (genoma viral), epidemiológico (interação virus x vetor x região produtora) e medidas de controle (bio-monitoramento, convivência via pre-munização/raças fracas). Os estudos de epidemiologia das principais viroses tem revelado que o vírus do enrolamento das folhas da batata (PLRV) , cuja importância na rápida degenerescência da batata-semente foi, por decadas (registros de 1960  até fins do século XX) considerado, isoladamente o mais importante, deixou de ter essa grande

Ver detalhes do projeto

  José Alberto Caram de Souza Dias      IAC

Metodologia de produção de batata-semente e diagnose viral.

n° SGP 133

Face À alta diversidade biológica que as condições clima tropical e sub-tropical apresentam no agrosistema, problemas relacionados com doenças de ví­rus no agronegócio de diferentes cultura são geralmente mais complexos na sua epidemiologia e metodologia de controle do que se comparado com a menor diversidade biológica que se verifica em paí­ses de clima temperado. Essa diferença é marcante no cultivo da batata (Solanum tuberosum L.), particularmente no que se refere À degenerescência da batata-semente, devido À s viroses perpetuadas pelo material de propagação vegetativo: tubérculo/batata-semente. Por haver cultivo de batata o ano inteiro e em regiões do Nordeste ao Sul do Brasil e por haver a presença constante, durante o ano inteiro, tanto de plantas hospedeiras de viroses da batata (particularmente das mais comuns, tais como PLRV , PVY, ToYVSV,e mais recentemente o Tomato chlorosis virus - ToCV, do gênero Crinivirus) como de seus respectivos insetos vetores (diferentes gêneros e espécies, tais como afí­deos, mosca-branca, trips, etc). Em decorrência da alta pressão de disseminação de viroses, o Brasil é dependente de renovação anual do estoque básico, livre de ví­rus, adquirido da importação. Paí­ses tradicionais na produção e exportação de batata-semente, bem como nos programas de melhoramento da batata, estão localizados em regiões de clima temperado, como Holanda, Alemanha, França, Suécia, Canadá, Estados Unidos, entre outros, também do Hemisfério Sul, como Chile e Argentina (Patagônia). Nesses paí­ses, a "mãe natureza" favorece a ausência de insetos vetores e de plants hospedeiras (soqueiras) das viroses da batata. Devido ao inverno longo e rigoroso, o "vasio sanitártio" nesses paí­ses é natural, após cada ciclo: uma vez/ano. O desafio de produzir e manter estoques de batata-semente livres de ví­rus no Brasil demanda conhecimento fitotécnico da cultura da batatta e solanaceas virologigamente relacionadas, bem como epidemiológicos das viroses. Nesse projeto, buscamos a ní­vel regional ou nacional esses conhecimentos, pois a produção se localiza em diferentes estados produtores, indo desde Pelotas, RS, À Chapada da Diamantina, BA, e outros do Nordeste: Pernambuco e Paraí­ba. A diversidade de qualificação dos produtores têm sido considerada nesse projeto, que visa gerar tecnologias ao alcance dos diversos ní­veis de produtores. Tecnologias como a do uso de brotos destacados de tubérculos/batata-semente básica e seleção da p

Ver detalhes do projeto

  José Alberto Caram de Souza Dias      IAC

Estudos sobre as doenças da cultura do milho

n° SGP 130

As principais doenças foliares da cultura do milho no Estado de São Paulo têm sido nos últimos anos, as ferrugens (comum, polissora), mancha de Phaeosphaeria, mancha de diplódia e cercosporiose. São instalados aproximadamente 20 ensaios de avaliação de cultivares, distribuí­dos em quatro regiões produtoras de milho no Estado de São Paulo, com 30 cultivares em plantio no Estado de São paulo.  É utilizado o delineamento experimental de blocos ao acaso, com quatro repetições. A parcela experimental é constituí­da de quatro linhas de 5,0m de comprimento, considerando apenas as duas linhas centrais para as avaliações agronômicas. A avaliação de doenças é realizada aos 90 dias após o plantio, nos locais onde sua severidade for suficiente para que haja discriminação das cultivares, quanto À resistência. Essa avaliação é realizada através de uma escala de notas variando de 1 a 9, correspondendo a 0; 1; 2,5; 5; 10; 25; 50; 75 e mais de 75% de área foliar afetada.São também realizados dois experimentos sem e com tratamentos fungicidas: em Capão Bonito e Itararé,  realizando-se três e duas aplicações, respectivamente, dos fungicidas epoxiconazol + Piraclostrobina (0,75 L/ha de Opera), para estudos de eficácia de controle químico das doenças da cultura do milho.  São coletados dados de precipitação e temperatura nos locais onde há uma alta severidade de doença, para estudos de correlação com essa severidade e também com a perda de produtividade. São efetuadas análises de variância  para massa de grãos, severidade de doenças e porcentagem de espigas doentes, considerando-se as devidas transformações de dados e, posteriormente, análise conjunta para locais, dentro das regiões do Estado. A comparação de médias é realizada através do teste de Tukey para massa de grãos e de Scott-Knott para severidade de doenças e porcentagem de espigas doentes.

Ver detalhes do projeto

  Christina Dudienas      IAC

Palmiteiro: melhoramento genético

n° SGP 128

Envolve estudos de variáveis diretas e indiretas para caracterização e avaliação agronômica e molecular de espécies, ecótipos e/ou populações de espécies do gênero Euterpe. Abrange caracterização detalhada das populações em estudo e envolve seleção com base em análise de crescimento e resistência a fatores bióticos e abióticos adversos. O Está sendo realizado um levantamento dos acessos nos bancos de Euterpes (Ubatuba) com objetivo de avaliar esse material visando a produção de polpa para instalação de futuros experimentos.Estes trabalhos estão sendo realizados em parceria com o IPEMA, coleta de materiais, em Ubatuba e os estudos sobre teores de fénois com a ESALQ em Piracicaba.

Ver detalhes do projeto

  Valeria Aparecida Modolo      IAC
  Sobre

O SGP (Sistema de Gestão de Pesquisa) foi implementado em todas as unidades APTA, para centralizar o controle de todos os projetos desenvolvidos sob sua supervisão. [Ler mais]

Endereço APTA – São Paulo

Praça Ramos de Azevedo, 254, 2º andar - República, São Paulo - SP

Fone : (11) 5067-0447 e 5067-0427

  Endereço APTA – Campinas

Avenida Barão de Itapura, 1481 - Botafogo, Campinas - SP

Fone : (19) 2137-8930