Exibindo todos os projetos ativos na APTA

Página Inicial / Busca de Projetos

849 projetos ativos encontrados - pág. 22 de 29

A FOTOSSíNTESE E A DISTRIBUIÇÃO DE RESERVAS AFETAM A TOLERí?NCIA DE CULTIVARES DE SOJA AO DÉFICIT HíDRICO?

n° SGP 397

A ocorrência de estresse hí­drico pode causar uma série de respostas para a aclimatação da planta, que são caracterí­sticas em cada estádio de desenvolvimento. Situações de estresse hí­drico afetam a fotossí­ntese, o metabolismo e a distribuição de carboidratos nos órgãos da planta. O presente trabalho tem por objetivo compreender as respostas fisiológicas e metabólicas e morfológicas da soja induzidas pela ocorrência de déficit hí­drico durante o perí­odo reprodutivo de duas cultivares de soja (Vmax e M6009RR) em condições de casa-de-vegetação. O experimento será instalado na Centro Experimental Central do Instituto Agronômico, em Campinas, SP em setembro de 2014. O delineamento experimental será em blocos inteiramente casualizados com parcelas subdivididas com 4 tratamentos e quatro repetições. Serão avaliadas duas cultivares de soja sob condição normal de suprimento de água e sob condição de restrição de água (déficit hí­drico) durante os estádios R2 a R5. Serão avaliadas as seguintes variáveis durante e após a floração: altura de plantas, altura de inserção da primeira vagem, número total de vagens por planta, produtividade (kg/ha), massa de 1000 grãos. Também serão avaliados a assimilação de CO2 e fluorescência da clorofila a, potencial de água, teores de clorofila e de nitrogênio na folha. Em três coletas destrutivas, após a floração serão medidos o acúmulo de fitomassa a área foliar e o teor de carboidratos nos pecí­olos, colmos, folhas,. Todos os dados serão submetidos À s análises de variância individuais e conjuntas sendo as médias posteriormente comparadas entre si. Todas as análises serão realizadas através do programa estatí­stico SAM-AGRI. 

Ver detalhes do projeto

  Eduardo Caruso Machado      IAC

Estudo de componentes genéticos envolvidos na resistência a Xylella fastidiosa usando Arabidopsis thaliana como planta modelo

n° SGP 393

A citricultura brasileira responde por um faturamento anual da ordem de 1,5 bilhão de dólares, com exportação de suco concentrado e subprodutos da laranja (pectina, óleo, ração). Entretanto, fatores como a presença de pragas e doenças agrícolas impedem que a produtividade brasileira seja maior. Dentre essas doenças, a clorose variegada dos citros (CVC), causada pela bactéria Xylella fastidiosa, merece destaque por causar danos de aproximadamente 100 milhões de dólares ao ano ao agronegócio da citricultura. Todas as variedades de laranja doce são afetadas pela doença diminuindo fortemente a produção de suco concentrado, principal produto de exportação relacionado ao citros. Sabe-se que programas de melhoramento genético vegetal visando À obtenção de plantas resistentes são de fundamental importância, mas ainda representam um desafio À medida que a citricultura se expande apoiada em baixí­ssima variabilidade genética e na impossibilidade de acompanhar o avanço das pragas e doenças na mesma proporção do crescimento da cultura. A necessidade de ampliação das bases genéticas atuais dos citros impulsiona À continuidade de programas de melhoramento apoiados em ferramentas de biotecnologia, dessa maneira, a utilização de genes com caracterí­sticas desejadas de outros organismos poderia auxiliar no surgimento de novas caracterí­sticas no organismo transformado, como por exemplo, resistência a patógenos. Essa caracterí­stica pode ser adquirida utilizando genes de plantas resistentes. Embora os patógenos apresentem distintas estratégias para infecção, na maioria das vezes os hospedeiros conseguem resistir, devido principalmente ao sistema de imunidade inata. Devido À identificação prévia por transcritoma de genes possivelmente associados À resistência de C. reticulata a X. fastidiosa, torna-se necessário a validação da função desses genes, desta forma, a ideia da proposta é utilizar plantas modelo para estudo funcional de genes de C. reticulata associados a resistência a X. fastidiosa. Como os estudos de genoma funcional usando plantas modelo foi recentemente implementada em nosso grupo de pesquisa, ainda nos confrontamos com desafios quanto À s avaliações fenotí­picas e uso de técnicas da biologia molecular adequadas para os estudos da interação planta-patógeno. Nesse sentido a colaboração com a Dra. Maeli Melotto será de fundamental importância para fomentar essa nova linha de pesquisa.

Ver detalhes do projeto

  Alessandra Alves de Souza      IAC

Introdução e seleção de Zingiberales Ornamentais

n° SGP 391

As espécies tropicais ornamentais têm uma participação importante dentro do comércio de plantas ornamentais, tanto como flores e folhagens para corte como envasadas ou, ainda, como mudas para utilização em paisagismo. No Brasil, apesar da sua potencialidade para o cultivo dessas espécies, a produção ainda é pequena e atende somente o mercado interno. O subprojeto tem como objetivos: introdução e seleção de material básico visando a formação de um banco de germoplasma de espécies de Zingiberales ornamentais, nativas e exóticas; geração de informações sobre a fenologia, propagação, adaptação e cultivo de espécies das famí­lias Heliconiaceae, Costaceae, Strelitziaceae, Musaceae, Lowiaceae, Zingiberaceae, Cannaceae e Marantaceae e fornecimento de material propagativo, das espécies selecionadas, para viveiristas e produtores de plantas ornamentais e intercâmbio com outras instituições de pesquisa.

Ver detalhes do projeto

  Charleston Gonçalves      IAC

Avaliação dos acessos da coleção genética de tuberosas diversas: características qualitativas

n° SGP 389

Entre as plantas de multiplicação vegetativa produtoras de raí­zes, tubérculos e rizomas, há algumas, além da mandioca e batata, que já apresentam importância econômica e social, como a batata-doce, o inhame (cará) e as aráceas (taro e taiobas). Pelas características especí­ficas, seja de ordem nutricional, organoléptica ou culinária encontram-se o jacatupé, tupinambour, araruta e tamoatarana, que poderão ter demandas despertadas e aumentadas ao longo do tempo, senbdo desta forma estratégico sua manutenção. Encontra-se também nesse grupo, os barbascos, os quais representam uma fonte permanente de fitoesteróides - diosgenina, matéria-prima destinada à produção industrial de hormônios sintéticos (estrogenos e progesterona). Este trabalho contempla a manutenção de bancos de germoplasma dessas espécies, propiciando observações preliminares quanto à caracterização dos recursos vegetais e seu comportamento agronômico e a produção de sementes e mudas para atendimento à pesquisa e difusão.

Ver detalhes do projeto

  JOSÉ CARLOS FELTRAN      IAC

Processamento Mí­nimo de Cogumelo Paris (Agaricus bisporus Lange)

n° SGP 388

A conservação de cogumelo Paris (Agaricus bisporus Lange) é crí­tica devido ás suas caracterí­sticas e aos poucos estudos sobre a pós-colheita do produto, em especial dos cogumelos cultivados no Brasil. Os cogumelos Paris continuam a se desenvolver após a colheita e, dentre as alterações pós-colheita, o escurecimento enzimático e descolorações depreciam a qualidade do produto. O uso de refrigeração associado ao tratamento com antioxidantes e atmosfera modificada são métodos a serem investigados para a conservação de cogumelos Paris. Os objetivos do projeto são: caracterizar a pós-colheita de cogumelo de Paris quanto a taxa respiratória e avaliar o efeito da refrigeração, do tratamento com antioxidantes e de atmosferas modificadas sobre a conservação do produto. Serão realizados os seguintes ensaios: 1. Quantificação da taxa respiratória e da produção de etileno de cogumelos Paris armazenados em diferentes temperaturas por meio de cromatografia gasosa; 2. Caracterização fí­sico-quí­mica cor, textura, ph, acidez titulável, sólidos solúveis totais - e perda de massa de cogumelos Paris armazenados em diferentes temperaturas; 3. Aplicação de antioxidantes, ácido cí­trico, ácido ascórbico, cisteí­na e suas combinações para reduzir e/ou inibir o escurecimento enzimático, atribuí­do à enzima tirosinase. Periodicamente os cogumelos serão avaliados quanto a cor e demais caracterí­sticas fí­sico-quí­micas e análises enzimáticas. 4. Ensaio de atmosfera modificada e refrigeração: a seleção do(s) tipo(s) de filme, bem como as temperaturas de armazenamento refrigerado serão definidos a partir dos resultados dos experimentos anteriores.

 

 

 

 

Ver detalhes do projeto

  Silvia Regina de Toledo Valentini      IAC

Construção de uma população segregante com vistas a construção de mapa genômico para cafeeiro

n° SGP 386

Será criada uma população segregante constituida das famí­lias parentais de C. arabica cv. Bourbon Vermelho (P1), C. canephora cv. Robusta 4N (P2), do hí­brido P1 x P2 (F1), de F2 obtida via autofecundação do F1, e, do retrocruzamento de F1 para P1 (RC1), com vistas a servir de base para se construir um futuro mapa genômico para o cafeeiro. Serão obtidas até 500 plantas de cada famí­lia segregante (F2 e RC1), as quais serão plantadas e cultivadas em campo da Estação Experimental de Mococa. Famí­lias não segregantes acham-se plantadas em Campinas.Partindo de plantas existentes C. arabica cv. Bourbon Vermelho ("P1"), C. canephora cv. Robusta ("P2", 1330) e do hí­brido tetraplóide entre ambas ("F1", H2460-10-1), serão criadas as familias F2, via autofecundação do F1, e retrocruzamento para P1 ("RC1"). Deverão ser obtidas pelo menos 500 plantas de cada famí­lia segregante, as quais serão plantadas e cultivadas no campo, em espaçamento largo (4 x 3 m). Caracterí­sticas de interesse agronômico serão observadas em cada planta devidamente identificada, incluindo-se as qualitativas (cor, forma, ou outros detalhes morfológicos) e as quantitativas (crescimento, produção, precocidade, porte, diâmetro da copa, épocas de florescimento, graus de ataque de pragas e doenças, etc.)

Ver detalhes do projeto

  Luis Carlos da Silva Ramos      IAC

Clonagem de plantas especiais de cafeeiros para estudos agronômicos

n° SGP 385

O melhoramento vegetal clássico é longo e de alto custo. Um programa de melhoramento clássico para o cafeeiro que culmine com o lançamento de uma nova variedade com caracterí­sticas mais vantajosas do ponto de vista agronômico, pode demorar até 30 anos. Isso se deve ao fato do ciclo reprodutivo (semente a semente) ser de três anos em média, e ao fato de serem despedidos aproximadamente seis anos para avaliar cada geração selecionada. Outro aspecto a considerar é o número de gerações de seleção que devem ser efetuadas após a obtenção do hí­brido F1, de cinco a oito. Clonar plantas de cafeeiros de alto valor agronômico, cuja propagação sexuada seja desvantajosa, poderá demonstrar uma nova opção para o negócio do café. Exemplo de plantas desse tipo incluem as heterozigotas e altamente segregantes originárias de Arabusta e ascendentes À variedade Icatu e plantas matrizes do tipo Robusta. A clonagem permite a obtenção de populações uniformes a partir de plantas heterozigotas, num tempo relativamente curto. Isso representa uma grande vantagem em relação ao tempo e custo melhoramento clássico. Adicionalmente, permite ainda o aproveitamento da heterose de hí­bridos e de materiais heterozigotos. O banco de germoplasma do IAC dispõe de plantas heterozigotas intermediárias ao programa de melhoramento que gerou a variedade Icatu de C. arabica, que também serão usadas nesse projeto.

Ver detalhes do projeto

  Luis Carlos da Silva Ramos      IAC

Cultivo conservacionista da melancieira em áreas de renovação de canavial

n° SGP 384

A região oeste é um dos principais pólos produtores de melancia do Estado de São Paulo. O cultivo é realizado prioritariamente em áreas de pastagens arrendadas, que cada vez são mais escassas, devido principalmente À grande expansão canavieira na região. Assim, neste contexto é primordial a apresentação de propostas inovadoras que viabilizem a utilização racional da terra tanto para produção de produtos agroenergéticos quanto para a produção de alimentos que garantam a geração de segurança alimentar. Para tal, durante a reforma de canaviais deve-se propor sistemas de produção que aliem a conservação dos recursos ambientais com produção de alimentos. O presente trabalho tem o objetivo de estudar métodos de preparo do solo, bem como doses de nitrogênio apropriadas para instalação e cultivo de melancieira (Citrullus lanatus) em áreas de renovação de canavial. Serão desenvolvidos em dois anos consecutivos, 2013 e 2014 dois experimentos no Pólo Regional do Extremo Oeste, em Andradina-SP. Os tratamentos propostos serão a combinação de diferentes sistemas de manejo do solo (plantio convencional, cultivo mí­nimo e plantio direto) sobre diferentes doses de nitrogênio aplicadas em cobertura (50, 100, 200 e 400 kg N ha-1). O delineamento experimental será em blocos casualizados em esquema de parcelas subdivididas sendo as parcelas os sistemas de manejo de solo e as sub-parcelas as doses de nitrogênio em cobertura com 4 repetições. Estudar-se-á as alterações dos atributos quí­micos e fí­sicos do solo, a massa fresca e seca da palhada da cana sobre o solo, as caracterí­sticas da parte vegetativa da planta (caule + folhas), caracterí­stica quí­micas da parte aérea (parte vegetativa + frutos), a produção de frutos, caracterí­stica fí­sico-quí&a

Ver detalhes do projeto

  Luis Felipe Villani Purquerio      IAC

Desenvolvimento de um banco de dados para gerenciamento do perfil molecular de cultivares comerciais, genitores e acessos selvagens de cana-de-açúcar

n° SGP 383

O gerenciamento eficiente do germoplasma de um Programa de Melhoramento é fundamental para o desenvolvimento de novos cultivares. No Brasil, os programas de melhoramento de cana-de-açúcar têm utilizado marcadores moleculares na caracterização do perfil molecular de seus genótipos, entretanto, não há um banco consolidado com o perfil molecular de cultivares, clones elites e acessos selvagens. O programa de melhoramento genético de cana-de-açúcar do Instituto Agronômico desenvolveu um software capaz de armazenar o perfil molecular de genótipos de cana-de-açúcar gerado por marcadores moleculares, e pelo perfil molecular, identificar um genótipo previamente armazenado no banco. Para a efetiva utilização e aplicação deste software é necessário estabelecer o perfil molecular de genótipos de interesse. O presente projeto tem como objetivo principal iniciar a construção de um banco com o perfil molecular de cultivares de cana-de-açúcar, acessos selvagens e clones elites utilizados como genitores em cruzamentos. Pretende-se também criar um banco de DNA genômico dos genótipos; identificar um conjunto de microssatélites com alto poder discriminatório; estimar a variabilidade genética entre e dentro dos grupos avaliados e desenvolver marcadores do tipo SCAR (sequence characterized amplified regions) derivados de AFLP (Amplified fragment length polymorphism) espécie especí­ficos de S. spontaneum. O desenvolvimento de SCARs permitirá a rápida identificação de hí­bridos verdadeiros provenientes de cruzamentos envolvendo cultivares comerciais e acessos de S. spontaneum auxiliando os Programas de Introgressão Genética para Bioenergia. Destacamos que, até o presente momento, em se tratando de programas públicos de melhoramento, não existe, no Brasil, um banco de perfil molecular de tal natureza para a cana-de-açúcar.

Ver detalhes do projeto

  Luciana Rossini Pinto      IAC

Validação tecnológica de cultivares clonais de cafeeiro arábica

n° SGP 382

O projeto visa a produção de mudas por embriogênese somática de genotipos promissores de cafeeiro arábica . Tais genótipos serão estudados em campo, em testes de competição, quanto ao desempenho agronômico, tecnológico e qualitativo dos grãos. O objetivo principal é identificar pré cultivares com potencial para cultivo em ambientes especí­ficos visando à melhoria da qualidade sensorial de café. Para tanto é necessário a execução de algumas atividades essenciais como a produção de mudas de cafeeiro, a implantação de experimentos em diversos ambientes de produção, as avaliações de desenvolvimento vegetativo, o desempenho agronômico e a qualidade fí­sica e sensorial dos grãos. Trata-se de uma proposta inovadora à medida que se propõe a identificar cultivares com qualidade sensorial diferenciada para cada ambiente de produção, podendo contribuir para encurtar o prazo de lançamento de cultivares clonais.

Ver detalhes do projeto

  Gerson Silva Giomo      IAC

Quantificação e qualificação da produção de água na Bacia Hidrográfica do Piracicaba

n° SGP 381

Poucos ecossistemas no Brasil estão sob degradação semelhante a que ocorre na Mata Atlântica. Dentre estas, o sul de Minas Gerais e os municípios paulistas da UGRHI 5 vem sendo submetidos à degradação predatória e desordenado histórico de ocupação do solo. Isso tem influenciado diretamente a produção de água tendo como reflexo a limitada quantidade e a baixa qualidade de água das nascentes, assim como no fluxo de base dos rios. A atual escassez de água na bacia do PCJ mostra que é cada vez mais urgente mensurar, avaliar e monitorar o que acontece com a água de precipitação que efetivamente contribui com as águas subterrâneas, desenvolvendo metodologia eficiente de mensuração da produção de água, e que possibilite propostas de arranjos e formas de remuneração de PSAs mais apropriados. O Objetivo geral deste projeto é o desenvolvimento de um programa de monitoramento da eficiência das práticas de manejo conservacionistas em microbacias hidrográficas da UGRHI 5. Os objetivos especí­ficos são a) Quantificar e qualificar a evolução da homogeneização hidrológica, da capacidade de produção e promoção da qualidade da água, antes e depois da adoção de diferentes práticas conservacionistas e, b) a partir dela, modelar, prever os resultados e recomendar as mais eficientes práticas conservacionistas em outras microbacias da UGRHI 5­. Metodologicamente, por meio da precisa caracterização do meio fí­sico-hidrológico dos diferentes planos de relevo da microbacia - topo de morro, meia encosta e talvegue, monitorar a evolução das contribuições hí­dricas individuais concebendo um monitoramento integrado que responda como a quantidade e a qualidade evoluiram na produção de água, além de quanto cada plano e prática contribuiu. No final ser&

Ver detalhes do projeto

  Rinaldo de Oliveira Calheiros      IAC

Sustentabilidade na produção de cana-de-açúcar: matérias primas, resíduos agroindustriais e gases de efeito estufa

n° SGP 380

A produção sustentável de cana-de-açúcar é um quesito importante valorizado pela sociedade, em especial para a cana direcionada para a produção de bioenergia. A sustentabilidade na fase agrícola é fortemente influenciada pelas emissões de gases de efeito estufa (GEE) e pelo destino de resí­duos agroindustriais, em especial a vinhaça e a palha. As fontes de matérias prima usadas para a produção de biocombustíveis também têm papel relevante: colmos, palha e novos materiais, como a chamada cana-energia. As emissões de GEE, com destaque para o óxido nitroso (N2O) são originadas principalmente dos fertilizantes nitrogenados usados na cultura. A palha e a vinhaça tem efeito marcante nas emissões desses gases. Além disso, os resí­duos agroindustriais são importantes para a reciclagem de nutrientes e a conservação dos solos, itens relevantes para a sustentabilidade da produção agrícola. O uso e remoção de nutrientes na colheita também influencia a sustentabilidade do sistema. Desse modo, o projeto engloba várias ações direcionadas a estudar: a) as emissões de GEE provenientes de fertilizantes e sua interação com a aplicação de vinhaça e palha; b) as interações e mecanismos microbiológicos associados às emissões de GEE em função do uso de fertilizantes, vinhaça e palha; c) as emissões de GEE a partir de fertilizantes tratados com inibidores de nitrificação; opções de aproveitamento da palha da cana e os efeitos sobre o solo e ciclagem de nutrientes; d) avaliação, em longo prazo, do uso de diferentes fertilizantes nitrogenados na cultura de cana-de-açúcar; e) balanço de nutrientes em cana energia.

Ver detalhes do projeto

  Heitor Cantarella      IAC

Estabelecimento de um procedimento operacional padrão para multiplicação acelerada de cana-de-açúcar em biofábrica.

n° SGP 379

A cultura de tecidos oferece uma oportunidade para produção rápida e em quantidade das variedades de cana-de-açúcar, livres de patógenos. No entanto, o sistema consolidado para multiplicação é baseado na micropropagação convencional, com utilização de grande quantidade de frascos pequenos, com poucas plantas, exigindo intensa utilização de mão-obra qualificada, o que onera o custo final da muda produzida. A tecnologia de multiplicação em sistemas de biorreatores possibilita otimizar o processo de multiplicação, reduzindo-se os aspectos acima apontados, e contribuindo para acelerar a produção de plantas, com baixo custo. No entanto, essa tecnologia não está prontamente disponí­vel para cana, sendo que algumas empresas já a utilizam, mas mantém sigilo das etapas envolvidas. Além disso, até o momento, não existem procedimentos operacionais padrão para multiplicação em larga escala de cana-de-açúcar em biofábrica, sendo que muitos materiais micropropagados apresentam baixa qualidade fitossanitária. Recentemente, um biorreator desenvolvido pela EMBRAPA está sendo aprimorado pela Empresa Tecnal, cuja principal inovação é a substituição de iluminação por lâmpadas fluorescentes por iluminação por LED. O uso de biorreator sobretudo com o uso de luz tipo LED promete revolucionar a produção de cana em biofábrica, por possibilitar ainda mais um aumento na escala de produção, com redução expressiva no custo final da muda. Dessa forma, propomos, no âmbito de um setor público, desenvolver procedimentos operacionais padrão, para as fases de estabelecimento de viveiro, certificação de origem e multiplicação de genótipos de cana em biofábrica, utilizando-se de biorreatores de imersão temporária com iluminação por lâ

Ver detalhes do projeto

  Silvana Aparecida Creste Dias de Souza      IAC

Análise diagnóstica de doenças sistêmicas em cana-de-açucar

n° SGP 378

O Raquitismo-da-soqueira (Leifsonia xyli subsp. xyli) e a escaldadura das folhas (Xanthomonas albilineans) representam as mais importantes doenças bacterianas na cultura da cana-de-açuca. A transmissão dá-se mecanicamente através do corte, quando as lâminas das colheitadeiras ou dos facões cortam uma planta doente e posteriormente, uma planta sadia. Os prejuí­zos são dependentes do genótipo, do ciclo da planta (cana planta é mais tolerante), e da disponibilidade hí­drica, visto que essas bactérias se manifestam em condições de deficiência hí­drica. A transmissão ocorre principalmente pelo uso de mudas infectadas. O controle dá-se pelo uso de mudas sadias, como pela desinfecção das lâminas de corte com calor, amônia quaternária 0,5% ou, etanol 50%. Portanto, é fundamental verificar, antes do plantio, a incidência da bactéria em plantas que serão usadas como mudas. Há vários métodos de diagnóstico da doença, como aqueles baseados em microscopia, em DNA (PCR) e em imunologia. O método imunológico Dot Blot é um dos mais adequados para avaliar o í­ndice de contaminação da doença, visto que é eficiente, rápido e de baixo custo, capaz de identificar plantas contaminadas a partir do momento em que a concentração da bactéria na planta possa atingir o ní­vel de dano na lavoura. Este projeto tem por objetivo avaliar a presença de L. xyli subp. xyli e X. albilineans em mudas provenientes de viveiros para plantio comercial, usndo o método dot blot.

Ver detalhes do projeto

  Silvana Aparecida Creste Dias de Souza      IAC

Caracterização de transcritos de cana-de-açúcar que respondem ao estresse hí­drico visando À obtenção de transgênicos tolerantes À seca

n° SGP 377

Nos últimos anos intensificaram-se as tentativas para a redução do uso de combustí­veis fósseis. Atualmente há um grande apelo mundial para o uso de fontes de energia renováveis, sendo que a cana-de-açúcar (Saccharum sp) se apresenta como uma opção altamente viável. A produtividade de tal cultura é diretamente relacionada com a disponibilidade hí­drica e sabe-se que a seca é o principal estresse responsável pela redução da produtividade no mundo, contabilizando por até 50% das perdas na agricultura. Visando o melhor entendimento dos mecanismos de resposta À seca, foi realizado por nosso grupo de pesquisa um experimento de microarranjo, conduzido no campo, utilizando duas variedades contrastantes de cana-de-açúcar, sensí­vel e tolerante À seca, mantidas sem irrigação por 120 dias. O experimento resultou na identificação de inúmeros genes que têm a expressão aumentada/reduzida, como fatores de transcrição, genes de transdução de sinal, osmoprotetores, aquaporinas e genes hipotéticos. Neste projeto propomos a caracterização do experimento de microarranjo através de RT-PCR em tempo real e localização subcelular através da fusão com a GFP. Os transcritos de maior potencial serão utilizados para transformação de arroz (Oryza sativa), cujo procedimento é de maior facilidade e rapidez. As plantas transgênicas serão analisadas verificando o aumento da tolerância À seca. As construções de maior sucesso em arroz serão utilizadas para transformar cana-de-açúcar. Por fim, os transgênicos de cana-de-açúcar serão avaliados com relação À tolerância À seca e desempenho agronômico. Ao final do processo esperamos obter plantas transgênicas de cana-de-açúcar que apresentem maior tolerância ao déficit hí­drico, atendendo a uma demanda agronômica. Além disso, a análise dos genes escolhidos, principalmente aqueles que não apresentam sua função descrita, ajudará na melhor compreensão do complexo mecanismo de resposta ao estresse, abrindo possibilidades para estudos futuros.

Ver detalhes do projeto

  Silvana Aparecida Creste Dias de Souza      IAC

Melhoramento de sorgo: obtenção de variedades de sorgo graní­feros, vassouras, forrageiros e sacarinos

n° SGP 376

Objetivos: A partir de 2 populações   de sorgo graní­feros, uma formada pela combinação de F2 de híbridos comerciais, e a segunda por  combinação de F2 de hibridos comerciais selecionados para tolerância ao aluminio, estão sendo obtidas linhagens adaptadas ao plantio de segunda safra, selecionadas para tolerância a seca, resistência a doenças e acamamento, e maior produtividade de grãos. Para sorgo vassoura estão foram selecionadas as melhores variedades coletadas enre produtores e estão sendo obtidas  linhagens do cruzamento Tiete x Maschietto anão, de porte mas baixo e com boa resistência a doenças, e com maior produtividade de palha de boa qualidade. Para sorgo forrageiro foram selecioandas progênies S1 dento da variedade santa elisa, visando maior uniformidade e produtividade da variedade. Para sorgo sacarino estão sendo selecionadas linhagens com maior produção e brix dento da variedade sacarina IAC SART . Para o sorgo sacarino estão sendo selecionadas também linhagens de ciclo tardio obtidos da população IAC Santa Elisa x Brandes, com alto teor de açucar.

Ver detalhes do projeto

  Eduardo Sawazaki      IAC

Fertilizantes de liberação controlada em cana-de-açúcar

n° SGP 374

O Brasil destaca-se como o maior produtor mundial de cana-de-açúcar. A produção de cana-de-açúcar a moí­da pela indústria sucroalcooleira, safra 2013/2014 foi de 658,8 milhões de toneladas, com aumento de 11,9% em relação À safra 2012/13, que foi de 588,9 milhões de toneladas, significando um aumento de 69,9 milhões de toneladas maior que na safra anterior. 

Ver detalhes do projeto

  Julio Cesar Garcia      IAC

BALANÇO DE CARBONO E QUALIDADE DA MATÉRIA ORGÂNICA EM SISTEMAS DE INTEGRAÇÃO AGRICULTURA-PECUÁRIA

n° SGP 373

Sistemas agropecuários de produção sustentável, que melhorem a qualidade do solo e da água e reduzam a emissão de gases de efeito estufa, são essenciais na agricultura moderna. Em Votuporanga-SP, no Centro de Seringueira e Sistemas Agroflorestais-IAC/APTA, diversos sistemas de produção estão sendo estudados desde 2009. No entanto, para enriquecimento da pesquisa, faz-se necessário ampliar os estudos, com a avaliação do balanço de C, a contribuição das diferentes espécies no acúmulo e qualidade da MOS e o uso da água sob sistemas de produção em Integração Lavoura-Pecuária-Floresta. Os objetivos especí­ficos são: 1. Avaliar como sistemas de produção podem influenciar o acúmulo de C no solo; 2. Verificar a relação existente entre o acúmulo de MOS e as alterações nos atributos fí­sicos e quí­micos do solo; 3. Avaliar a qualidade da matéria orgânica acumulada no solo; 4. Quantificar o fluxo dos gases CO2 do solo para a atmosfera e realizar o cálculo de sequestro de C; 5. Avaliar a contribuição relativa do sistema radicular da Urochloa brizantha e dos hí­bridos de eucalipto na MOS; 6. Avaliar o efeito do eucalipto na umidade do solo no sistema de ILPF.

Ver detalhes do projeto

  Wander Luis Barbosa Borges      IAC

Desenvolvimento de cultivares de grão-de-bico(Cicer arietinum L.) na região nordeste do Estado de São Paulo

n° SGP 372
Populações(bulk´s) oriundas de cruzamentos naturais ocorridos em Coimbra-MG, em 1994, identificados em 1996, envolvendo a cultivar IAC India-4, do grupo desi, como doadora de pólen, e outras cultivares do grupo kabuli,(ICCV 91306, ICCV-6, ICCV-3, ICCV 91309, ICCV-5, ICCV-14, ICCV 91302), todas originárias do ICRISAT(India), em colaboração com a EPAMIG, em campo experimental da Universidade Federal de Viçosa, foram avançadas por 12 gerações, deverão ser semeadas em campo da Estação Experimental de Mococa com irrigação suplementar para seleção de plantas individuais em 2014. Nos anos 2015 e 2016, progênies deverão ser avaliadas visando eleger linhagens promissoras para obtenção de cultivares adaptadas À s condições agroecológicas do nordeste paulista.
Ver detalhes do projeto

  Nelson Raimundo Braga      IAC

Desenvolvimento de cultivares especiais de soja para consumo humano no Polo Regional Nordeste do Estado de São Paulo

n° SGP 371
Progênies oriundas de cruzamento realizado entre IAC PL-2 e BRS-213 , em casa de vegetação, na unidade de pesquisa de Leguminosas, Centro de Grãos e Fibras, Instituto Agronômico de Campinas(IAC) em 2003, selecionadas na geração F7, em 2010, deverão ser submetidas a avaliações de comportamento agronômico e À caracterização fitoquí­mica. Os ensaios preliminares e finais serão conduzidos em muní­cipios da região nordeste do Estado de São Paulo. Os 3 ensaios preliminares, instalados na Estação Experimental de Mococa, terão delineamento "Lattice" Simples(6X6), com duas repetições, com 36 tratamentos, tendo como padrões as duas parentais utilizadas no cruzamento. As parcelas terão dimensões de 2,40 m X 3,00 m, com 4 linhas de semeadura espaçadas em 0,60 m. O manejo de solo, de pragas e doenças obedecerá critérios convencionais. Nos anos 2014/15 e 2015/16 deverão ser instalados ensaios finais, com agrupamento de progênies pelo critério de ciclo de maturação. As progênies testadas deverão ser caracterizadas quanto À presença de lipoxigenases, teores de proteina e óleo, composição de ácidos graxos, fatores anti-nutricionais, etc.
Ver detalhes do projeto

  Nelson Raimundo Braga      IAC

Estudo funcional de genes associados À defesa de plantas a fitopatógenos: foco no controle de Xylella fastidiosa, agente causal da Clorose Variegada dos Citros

n° SGP 370

A citricultura brasileira responde por um faturamento anual da ordem de 1,5 bilhão de dólares, com exportação de suco concentrado e subprodutos da laranja (pectina, óleo, ração). Entretanto, fatores como a presença de pragas e doenças agrícolas impedem que a produtividade brasileira seja maior. Dentre essas doenças, a clorose variegada dos citros (CVC), causada pela bactéria Xylella fastidiosa, merece destaque por causar danos de aproximadamente 100 milhões de dólares ao ano ao agronegócio da citricultura. Todas as variedades de laranja doce são afetadas pela doença diminuindo fortemente a produção de suco concentrado, principal produto de exportação relacionado ao citros. Sabe-se que programas de melhoramento genético vegetal visando À obtenção de plantas resistentes são de fundamental importância, mas ainda representam um desafio À medida que a citricultura se expande apoiada em baixí­ssima variabilidade genética e na impossibilidade de acompanhar o avanço das pragas e doenças na mesma proporção do crescimento da cultura. A necessidade de ampliação das bases genéticas atuais dos citros impulsiona À continuidade de programas de melhoramento apoiados em ferramentas de biotecnologia, dessa maneira, a utilização de genes com caracterí­sticas desejadas de outros organismos poderia auxiliar no surgimento de novas caracterí­sticas no organismo transformado, como por exemplo, resistência a patógenos. Essa caracterí­stica pode ser adquirida utilizando genes de plantas resistentes. Embora os patógenos apresentem distintas estratégias para infecção, na maioria das vezes os hospedeiros conseguem resistir, devido principalmente ao sistema de imunidade inata. O grande número de receptores presentes na superfí­cie das células vegetais permite que as plantas reconheçam padrões moleculares associados aos patógenos (PAMPs) e desencadeiem as diferentes respostas adaptativas de defesa. Receptor-like kinases (RLKs) constitui uma grande famí­lia de proteí­nas transmembranas capaz de atuar em distintos processos celulares, incluindo o reconhecimento de patógenos nas interações planta-micróbio. O receptor de EF-Tu (EFR) identificado em membros de Brassicaceae representa uma RLK com domí­nio extracelular de repetições ricas em leucina (RLK-LRR) que é capaz de reconhecer estruturas conservadas (epí­topo elf18) da proteí­na EF-Tu de um grupo de bactérias patogênicas e assim desencadear as respostas de imunidade inata.

Ver detalhes do projeto

  Alessandra Alves de Souza      IAC

Absorção de nutrientes pelo hibrido de tomate Totalle ao longo do ciclo de cultivo

n° SGP 369

Na horticultura, a nutrição e adubação de plantas, dentre outras ferramentas de cultivo, é fundamental para o sucesso de qualquer atividade agrícola. Os estudos de absorção de nutrientes ao longo do ciclo produtivo possibilitam conhecer os perí­odos de maior exigência nutricional e de produção de massa de matéria seca em função da idade da planta, obtendo-se informações seguras quanto À s épocas mais convenientes de aplicação de fertilizantes, quer sejam de origem quí­mica ou orgânica. Esse tipo de estudo faz-se essencial devido À constante atualização de cultivares e hí­bridos disponí­veis ao produtor, disponibilizados por empresas públicas e privadas, que cada vez mais apresentam resistência a pragas e doenças, são adaptados a diferentes condições climáticas e aproveitam melhor os insumos disponí­veis, aumentando seu potencial produtivo e precocidade. Consequentemente, com a maior produção de massa vegetal, também se altera a necessidade nutricional dessas plantas. Assim o presente projeto tem o objetivo de determinar a absorção de nutrientes pelo hí­brido de tomate Totalle, através do conhecimento da massa seca e dos teores de macro e micronutrientes nas suas diferentes partes (parte aérea, frutos e raí­zes), durante o seu ciclo produtivo.

Ver detalhes do projeto

  Luis Felipe Villani Purquerio      IAC

Adubação e fertilidade do solo para cana-de-açúcar

n° SGP 367

Objetivos do Projeto: JUSTIFICATIVA: O manejo do solo está intimamente ligado ao aporte de resí­duos e de fitomassa, e o crescimento radicular é possibilitado através de condições ótimas de aeração. O impacto da cobertura do solo e do manejo de condicionadores de solo pode contribuir para o aumento do carbono orgânico total (COT) e da melhoria da fertilidade fí­sica e quí­mica de solos tropicais que tem como caracterí­aticas básicas, cargas dependente de pH, predomí­nio de CTC, minerais de argila 1:1 e friabilidade ao longo do perfil, variando com caracterí­sticas pedogenéticas. No presente caso adotou-se o estudo em Latossolos de textura média-arenosa em torno de 20% de argila, para facilitar a responsividade e melhoria de propriedades quí­micas do solo através da utilização de um condicionador de solo a base ácido húmico e com caracterí­sticas de fluí­do. Os condicionadores de solos apresentam as seguintes vantagens:1) aumentam a CTC do solo;2) melhoram a estrutura fí­sica dos solos;3) favorecem os processos energéticos das plantas;4) melhoram a germinação das sementes;5) melhoram o desenvolvimento radicularHistoricamente a cana-de-açúcar é um dos principais produtos agrícolas do Brasil, sendo cultivada desde a época da colonização. Do seu processo de industrialização obtém-se como produtos o açúcar e o álcool (anidro e hidratado). A cana de açúcar representa no agronegócio brasileiro um papel de destaque, gerando divisas com a exportação na casa de U$$ 7,7 bilhões, criando empregos diretos e indiretos. O setor sucroalcooleiro responde por cerca de 1 milhão de empregos, sendo que 511 mil diretamente envolvidos na produção de cana-de-açúcar e o restante distribuí­do na cadeia do processamento do açúcar e do álcool. As perspectivas para o setor são animadoras, onde a crescente preocupação da população mundial em relação ao meio ambiente, vem exercendo uma pressão para a diminuição da utilização dos combustí­veis fósseis, responsáveis pela maioria dos gases poluentes a atmosfera. A eficiência da adubação fosfato é influenciada por vários fatores dentre eles, tipo do solo, forma de aplicação, fonte etc. O manejo da adubação fosfatada deve favorecer a absorção dos nutrientes diminuindo os processos de fixação pelo solo, consequentemente aumentando o aproveitamento de fósforo pelas plantas (Novais e Smyth, 1999). As doses aplicadas de fósforo nas adubações são bem maiores do que as quantidades exportadas, sendo que a exportação de fósforo pela cana é de 10 a 15% da quantidade do fertilizante aplicado.Em solos tropicais um dos principais fatores para essa baixa eficiência da adubação fosfatada são os altos teores de óxidos e alumí­nio e de ferro que promovem a fixação dos elementos (Rossetto et al., 2008). Com isso, alguns autores (Vitti e Mazza, 2002; Rossetto et al., 2008), recomendam que a melhor forma de aplicação do fósforo em cana de açúcar é em área total, tendo o fósforo melhor distribuí­do na área, obtendo um melhor enraizamento e uma maior parte do solo explorado.A seguir é exposto um exemplo do Ciclo e fracionamento do P no solo: Figura 1. O ciclo do fósforo no solo: Seus componentes e correspondência com as frações estimadas pelo fracionamento de Hedley et al. (1982). Adaptado de Stewart & Sharpley (1987). Hipótese: H0: A Dose intermediária de Kim Coat liberará maiores teores de fósforo no solo, gradativamente e isto refletirá no melhor desempenho de componentes da produção da cana. . Objetivo Geral: Entender a resposta da Planta e ní­veis no solo devido À importância do fósforo para o desenvolvimento, produtividade e longevidade dos canavias.

Ver detalhes do projeto

  Sandro Roberto Brancalião      IAC

Conservação do solo para cana-de-açúcar

n° SGP 366

A cultura da cana-de-açúcar é um dos principais produtos agrícolas do Brasil, sendo cultivada desde a época da colonização. Do seu processo de industrialização obtém-se como produtos o açúcar e o álcool (anidro e hidratado). A cana de açúcar representa no agronegócio brasileiro um papel de destaque, gerando divisas com a exportação na casa de U$$ 7,7 bilhões, criando empregos diretos e indiretos. O setor sucroalcooleiro responde por cerca de 1 milhão de empregos, sendo que 511 mil diretamente envolvidos na produção de cana-de-açúcar e o restante distribuí­do na cadeia do processamento do açúcar e do álcool. As perspectivas para o setor são animadoras, onde a crescente preocupação da população mundial em relação ao meio ambiente, vem exercendo uma pressão para a diminuição da utilização dos combustí­veis fósseis, responsáveis pela maioria dos gases poluentes a atmosfera.A Conservação do solo requer especial tenção quando fala-se de pesquisa com a cultura da cana. Tendo em vista que muitas dúvidas inerentes ao terraceamento ainda são pertinentes em diferentes Ambientes de Produção.

Ver detalhes do projeto

  Sandro Roberto Brancalião      IAC

Fomento as atividades de pesquisa e capacitação em ciência e tecnologia para produção responsável de alimentos

n° SGP 364
A modernização e o aprimoramento tecnológico da agricultura dependem da formação e capacitação técnica profissional de todos os componentes do do agronegócio. Nesse sentido, a qualificação dos recursos humanos é uma das principais etapas a serem devidamente ajustadas e aprimoradas para produção racional do alimento, com adequado usos dos insumos utilizados principalmente À queles utilizados para a proteção de plantas e manejo do mato e responsabilidade ambiental. Objetiva-se de promover atividades de pesquisa agrícola, treinamento e capacitação dos técnicos da SAA/APTA em especial do Instituto Agronômico-IAC, da Basf Agrícola e de outros setores agrícolas transferindo os resultados obtidos na experimentação para o setor produtivo, fomentando a inovação tecnológica. Em uma área de 10 hectares serão desenvolvidos experimentos na área de grãos e fibras envolvendo as culturas de milho, soja, feijão, arroz e algodão e na área de hortaliças com as culturas de tomate, cebola, batata, cenoura, beterraba, couve, entre outras folhosas. O pesquisadores do IAC das respectivas culturas e/ou área técnica participarão dos projetos de pesquisa de acordo com o seu interesse juntamente com a equipe da Basf agrícola formando uma equipe multidisciplinar e interinstitucional.
Ver detalhes do projeto

  PAULO CÉSAR RECO      DGE

Avaliação de cultivares de cana-de-açúcar IAC nos Estados de Veracruz e de Oaxaca - Mexico sob diferentes ambientes de produção e três épocas de colheitas.

n° SGP 363

A canavicultura mexicana está defasada em pelo menos trinta anos em comparação ao apresentado pelo setor sucroenergético brasileiro. Naquele paí­s a produção agrícola está bastante tacanha, apresentado produtividade agrícola em torno de 54 toneladas de colmos por hectare. O mesmo conta com o plantio e cultivo de praticamente duas variedades, as quais estão no mercado a mais de trinta anos. Daí­ houve interesse, por parte de um grupo mexicano, em introduzir genótipos de cana-de-açúcar (Saccharum spp.) do Instituto Agronômico vislumbrando aumentos agroindustriais. Neste sentido, genótipos de cana são introduzidos em áreas de dois Engenhos de açúcar do Mexico, do Grupo Piasa - Engenho Tres Valles, localizado no municí­pio de Tres Valles, Estado de Veracruz e Engenho Adolfo López Mateos, localizado no municí­pio de Tuxtepec, Estado de Oaxaca. O objetivo é a introdução, avaliação e validação, através do Programa Cana IAC, de genótipos que apresentem comportamentos agroindustriais superiores e que proporcionem aumento da produtividade agroindustrial com maior plantel varietal e com alternativas, podendo assim, evitar riscos fitossanitários iminentes, que redunde em colapso para o setor sucroenergético. Anualmente são introduzidos 10 a 15 genótipos, para os quais são estabelecidos ensaios de competições em diferentes ambientes de produção (Favorável e Desfavorável)a serem colhidos em três épocas diferentes (precoce, média e tardia). Para tanto utiliza-se da Matriz de Produção preconizada pelos pesquisadores do Programa Cana IAC.

Ver detalhes do projeto

  Ivan Antônio dos Anjos      IAC

Seleção Assistida Por Marcadores Moleculares visando À resistência À Mancha Angular e Antracnose em Feijoeiro através da técnica de AB-QTL

n° SGP 359

A mancha-angular (ALS) e antracnose são doenças do feijoeiro que podem causar redução na produção e na qualidade dos grãos produzidos, e frente a variabilidade dos patógenos, a resistência duradoura não foi alcançada ainda. Por estudos de nosso grupo, estas doenças mostram padrão quantitativo de resistência genética e vários QTLs devem ser introgredidos para produzir uma resistência. A técnica de AB-QTL (Advanced Backcross QTL Analysis) visa a selecionar, introgredir e mapear simultaneamente os QTLs, via retrocruzamentos, de tal forma a que os efeitos (epistáticos e pleiotrópicos) da combinação dos diferentes QTLs possam ser mensurados, e apenas o QTLs favoráveis sejam transferidos, sem se perder a qualidade do cultivar elite que será utilizado como parental recorrente. Enquanto as outras metodologias de seleção assistida se baseiam em primeiro realizar o mapeamento de QTLs para em seguida se transferir alelos favoráveis, esta técnica propõe que as progênies e/ou linhagens sejam avaliadas fenotipicamente simultaneamente com a introgressão dos QTLs, diminuindo-se o problema do linkage drag e as interações negativas. A seleção fenotípica elimina as progênies com desempenho inferior, mesmo aquelas que possuam os QTLs favoráveis introgredidos, mas que podem ter os seus valores genéticos alterados pelas interações epistáticas, efeitos pleiotrópicos ou pela interação genótipos x ambiente. O objetivo deste projeto é o de utilizar a técnica de AB-QTL para promover um ganho de resistência genética à ALS e ANT no programa de melhoramento do feijoeiro do IAC. Dois programas de retrocruzamentos paralelos serão conduzidos (antracnose - ANT; e mancha angular - ALS). Para ALS, a cultivar IAC Milênio (suscetível, parental recorrente) será cruzada com a cultivar AND 277 (resistente, parental doador), enquanto no programa ANT, a cultivar Pérola (suscetível,

Ver detalhes do projeto

  Luciana Lasry Benchimol Reis      IAC

Caracterização e quantificação de compostos fenólicos em uva (Vitis spp) e produtos derivados.

n° SGP 357

Os compostos fenólicos representam uma das principais classes de metabólitos secundários e são amplamente distribuí­dos no reino vegetal. . Além da importância econômica, por serem utilizados como flavorizantes e corantes de alimentos e bebidas, vários efeitos benéficos á saúde têm sido atribuí­dos aos compostos fenólicos presentes nas frutas, vegetais, chás e vinhos. Em geral, essas ações terapêuticas estão relacionadas com a capacidade antioxidante dos compostos fenólicos, podendo-se citar como exemplos o resveratrol, os flavonóides e antocianinas, cujas classes de substâncias são amplamente encontradas em uva (Vitis spp.) e produtos derivados, dentre eles , o vinho e suco de uva. A incidência de morte devido a acidentes cardiovasculares, câncer, acidente vascular cerebral, arteriosclerose, enfermidades hepáticas, dentre outros, pode ser minimizada através de bons hábitos alimentares. As uvas são consideradas uma das maiores fontes de compostos fenólicos quando comparadas a outras frutas e vegetais da dieta. Porém, a grande diversidade entre as cultivares resulta em uvas com diferentes caracterí­sticas, tanto de sabor quanto de coloração, assim como no conteúdo e o perfil de polifenóis.  A videira é uma espécie exótica, importante na fruticultura brasileira, tanto para o consumo in natura da fruta, como para a fabricação de vinhos e suco.  Considerando a importância econômica e os benefí­cios á saúde, o presente projeto tem por objetivos a caracterização química e a quantificação das antocianinas, fenóis, flavonóides totais, aromas e produtos derivados de uva (vinho, suco e resíduos ) provenientes de diferentes cultivares do banco de germoplasma do Instituto Agronômico e da Embrapa Uva e Vinho e vinícolas.

Ver detalhes do projeto

  Marcia Ortiz Mayo Marques      IAC

Manejo físico do solo para cultivo da cana-de-açúcar

n° SGP 356

O manejo físico do solo, associado a necessidade de incrementar o sistema produtivo, possibilita estudos em relação à qualidade do solo, bem como a adequação de técnicas e potencias tecnologias que sejam ao mesmo tempo conservacionista e adequadas a realidade do produtor.O uso do Sistema Veris em conjunto com a Física do solo, possibilitará tomadas de decisão em termos de subsolagem e é uma ferramenta passível de correlação com outros atributos do solo.A cultura da cana é bastante sensível à compactação do solo, sendo que desta forma recai a necessidade de identificação de talhões, o que pode refletir em economia para Usina em relação a óleo diesel e máquinas, não onerando assim o custo de produção. O objetivo do presente projeto de pesquisa é de acordo com a alocação varietal em diferentes ambientes de produção, criar Zonas Homogêneas (ZH) e posteriormente trabalhar com Zonas de Manejo (ZM), identificando camadas compactadas com o uso de atributos físicos, químicos e Condutividade Elétrica Aparente, especialmente em áreas de soqueira, onde o tráfego após os tratos culturais permite alterações e contribui com esta variabilidade.A metodologia constará da avaliação de atributos físicos em conjunto com o Veris bem como com a avaliação da cultura da cana.Após a coleta de dados com a  alocação destas trincheiras em grade regular realizar-se-á a estatistica descritiva, possibilitando a interpretação do efeito do preparo de solo e da colheita sobre o nível e a distribuição da compactação desta área, refletindo o nível de compactação no desenvolvimento da cana em cortes sucessivos.Espera-se identificar zonas de manejo e qualidade física do solo que possa ser identificada mais facilmente com o Uso de Condutividade Elétrica Aparente, correlacionado -se diretamente com a biometria da cultura da cana a ser realizada.

Ver detalhes do projeto

  Sandro Roberto Brancalião      IAC

Variabilidade espacial de propriedades do solo e da produtividade das culturas em plantio direto e desenvolvimento de um novo programa de interface gráfica gratuita em linguagem C++ para análise geoestatí­stica

n° SGP 355

É sabido que alterações em propriedades do solo devido ao manejo, principalmente em termos fí­sicos, e suas conseqí¼ências na capacidade de produção tem sido objeto de pesquisa no Brasil já por bastante tempo. Entretanto, além da necessidade de regionalização de pesquisa devido aos efeitos edafo-climáticos especí­ficos, há que se considerar também que muitos atributos fí­sicos são dependentes de época de amostragem. A compactação do solo tem sido um problema agrícola de alta importância devido ao seu efeito sobre o a distribuição de raí­zes das plantas e a variedade de fatores que podem causar a sua ocorrência. Entretanto, existe bastante controvérsia na literatura a respeito da avaliação da compactação em si, e do efeito do sistema de preparo do solo nos valores de indicadores de compactação, como densidade do solo e resistência À penetração. É possí­vel que a época de amostragem diferente possa ter afetado os resultados, fato que nem sempre é claro na literatura. Um outro fator é a variabilidade espacial da densidade do solo, a qual, embora normalmente possa ser considerada pequena, pode ser espacialmente organizada. A variabilidade espacial de solos sempre existiu e deve ser considerada toda vez que a amostragem de campo for efetuada. Diretamente relacionada a densidade do solo, está a distribuição de poros, uma vez que normalmente a compactação do solo se desenvolve pela diminuição dos macroporos e conseqí¼ente aumento dos microporos. A condutividade hidráulica fornece informações que permitem caracterizar com segurança o estado atual de qualidade do solo em termos de estrutura e a facilidade do movimento de água no solo. A proposta deste sub-projeto 1 apresenta como objetivo, estudar a variabilidade de propriedades do solo, dos componentes da produção de grãos, e o efeito da sucessão de culturas nos atributos fí­sicos do solo ao longo do tempo com plantio direto. O sub-projeto 2 prevê utilizar todos os dados e análises obtidos no sub-projeto 1 para desenvolvimento de uma interface gráfica gratuita e recursos gráficos adicionais em linguagem de programação C++ para interação com os programas consagrados de linguagem Fortran de geoestatí­stica.

Ver detalhes do projeto

  Sonia Carmela Falci Dechen      IAC
  Sobre

O SGP (Sistema de Gestão de Pesquisa) foi implementado em todas as unidades APTA, para centralizar o controle de todos os projetos desenvolvidos sob sua supervisão. [Ler mais]

Endereço APTA – São Paulo

Praça Ramos de Azevedo, 254, 2º andar - República, São Paulo - SP

Fone : (11) 5067-0447 e 5067-0427

  Endereço APTA – Campinas

Avenida Barão de Itapura, 1481 - Botafogo, Campinas - SP

Fone : (19) 2137-8930