Exibindo todos os projetos ativos na APTA

Página Inicial / Busca de Projetos

846 projetos ativos encontrados - pág. 20 de 29

Desempenho e potencial de controle de fungicidas e indutores de resistência no manejo da requeima (Phytophthora infestans) e pinta preta (Alternaria solani) nas culturas de batata e tomate.

n° SGP 519

A ocorrência da requeima (Phytophthora infestans) e da pinta preta (Alternaria spp) está entre os principais fatores limitantes à produção econômica de batata e tomate no Brasil e no mundo. O alto potencial destrutivo dessas doenças, aliado quase sempre a cultivares com baixos níveis de resistência, torna a utilização de fungicidas e indutores uma das principais medidas efeitvas de controle.

A agricultura consciente de seu papel na produção de alimentos seguros, conservação do meio ambiente e na qualidade de vida de seus consumidores e trabalhadores, tem preconizado o uso de fungicidas e indutores de resistencia  dentro de programas multidisciplinares de controle. O conhecimento do potencial de controle desses produtos é fundamental para que estes alcancem melhores resultados, a custo competitivo e baixo impacto ambiental.

Eficácia, modo de ação e resistência a precipitações são fatores que devem ser tecnicamente considerados em programas de manejo que visem a sustentabilidade das cadeias produtivas da batata e tomate. Os resultados a serem obtidos  nesse projeto são de grande importância para produtores, técnicos, associações e cooperativas, pois permitem direcionar e disciplinar o uso de fungicidas e indutores  em função do potencial de controle desses produtos. A possibilidade de integração entre fungicidas e indutores de resistência em misturas ou programas de aplicação no controle da requeima e pinta preta da batata abre perspectivas a um controle conceitualmente mais completo e eficaz.

Ver detalhes do projeto

  Jesus Guerino Tofoli      IB

Ocorrência e caracterização de vírus em plantas ornamentais

n° SGP 518

Considerando-se o crescimento do setor de horticultura ornamental no Brasil, especialmente no estado de São Paulo, pesquisas vêm sendo desenvolvidas pelo GOIB (Grupo de Pesquisa em Ornamentais do Instituto Biológico),  visando a detecção e caracterização de vírus presentes em diferentes culturas de importância econômica. Os estudos são realizados com as principais culturas como: orquideas, petunia, impatiens, gladiolo, rosa, craveiro, primavera, amarilis, alstroemeria, tulipas, etc.

Além da caracterização biológica (transmissão mecânica) e sorológica (DAS- ELISA e ELISA indireto) são realizados estudos moleculares e análises filogenéticas permitindo a disponibilização, no GenBank, de  dezenas de sequencias de nt e aa de  fitovirus. 

Ver detalhes do projeto

  Maria Amelia Vaz Alexandre      IB

Influência da infecção viral na sanidade e nos princípios ativos de plantas medicinais, aromáticas e condimentares

n° SGP 517

O cultivo de plantas medicinais e aromáticas vem crescendo, nos últimos anos e sua produção pode ser uma importante alternativa para a agricultura familiar, gerando renda e empregos. Somente o segmento de fitoterápicos movimenta anualmente, no mundo, cerca de 22 bilhões de dólares. No Brasil, esse segmento responde por cerca de 7% do mercado farmacêutico, ou seja, 400 milhões de dólares/ano, gerando em torno de 100 mil empregos diretos e indiretos. Da mesma forma, pesquisas com espécies com atividade medicinal e condimentar vêm sendo amplamente divulgadas, porém, no que se refere aos problemas fitossanitários, especialmente aqueles causados por vírus são escassas. Com relação aos princípios ativos, que em sua maioria são substâncias do metabolismo secundário, a concentração na planta pode variar de acordo com fatores abióticos (clima, temperatura, fotoperíodo) e bióticos, destacando-se a infecção causada por fitopatógenos. Assim sendo, pretende-se realizar levantamento da ocorrência de vírus em plantas medicinais e condimentares em regiões produtoras de São Paulo e identificá-los por meio de testes biológicos, sorológicos e moleculares. Além disso, para avaliar a influência da infecção viral na concentração do princípio ativo, serão efetuadas extrações a partir de folhas experimentalmente infectadas, de plantas sadias (controle 1) e de plantas cujas folhas foram friccionadas com o tampão de inoculação (controle 2). O método empregado na extração dependerá da classe de metabólitos secundários selecionada e a quantificação será baseada em técnicas cromatográficas e/ou espectrofotométricas. O desenvolvimento deste projeto permitirá o estabelecimento da ocorrência de vírus e de sua relação com a produção de princ

Ver detalhes do projeto

  Lígia Maria lembo Duarte      IB

Extratos vegetais com atividade antiviral

n° SGP 516

O controle de fitoviroses tem sido realizado através da utilização de algumas medidas, como práticas culturais adequadas; combate aos insetos vetores, com inseticidas; erradicação das fontes de vírus, entre outras. Entretanto, nem sempre essas medidas são eficientes, portanto, o estudo de medidas alternativas se faz necessário. Assim sendo, diversas espécies tem sido estudadas por conterem substâncias que inibem a infecção viral. Com base nesses dados, este projeto tem por objetivo selecionar espécies, principalmente as da ordem Caryophyllales, sendo que o efeito do inibidor na replicação do vírus será estudado, realizando-se testes biológicos e serológicos. Além disso, a espécie que induzir porcentagens de inibição superiores a 50% será submetida a purificação da substância inibidora, para posterior produção de antissoro, que será utilizado para estudar o mecanismo de ação de tais substâncias. Esse projeto fornecerá subsídios para obtenção de medida alternativa de controle de fitoviroses, através da utilização de extratos vegetais com atividade inibidora de infecção, com a vantagem desses extratos não serem fitotóxicos, além de serem biodegradáveis e facilmente encontrados na natureza.

Ver detalhes do projeto

  Lígia Maria lembo Duarte      IB

AVALIAÇÃO DE MÉTODOS DE CONTROLE PARA O MANEJO PÓS-COLHEITA DO BOLOR VERDE EM CITROS DE MESA

n° SGP 515

Um dos fatores que contribui para a elevada quantidade de perdas quantitativas e qualitativas em citros é a ocorrência de podridões durante o armazenamento, transporte e comercialização das frutas. Quando permitido, a utilização de fungicidas ainda é a principal medida para o controle de podridões. No entanto, poucos são os produtos registrados para uso em pós-colheita. Além disso, a preocupação mundial com relação à poluição ambiental e aos riscos à saúde promovidos pelos agrotóxicos, somado à resistência de patógenos a fungicidas e a
retirada de alguns produtos do mercado, têm levado ao aumento das pesquisas envolvendo a utilização de agentes alternativos para o controle de doenças. Este projeto será desenvolvido com o objetivo de avaliar os efeitos de agentes alternativos (tratamento térmico, fosfito e quitosana) em associação à refrigeração, no controle de podridões pós-colheita do bolor verde e sobre a qualidade de citros (tangor Murcott, clementina Nules, tangerinas Thomas e Fremont e outros quatro híbridos em avaliação no programa de melhoramento de citros realizado pelo Centro Avançado de Pesquisa Tecnológica do Agronegócio de Citros Sylvio Moreira/IAC). A possibilidade dos agentes induzirem respostas de defesa nas frutas também será investigada. Frutas de diferentes cultivares serão inoculadas através de injeção subcuticular de suspensão de esporos de P. digitatum, tratadas com os agentes alternativos em diferentes concentrações/temperatura e tempos de exposição, e armazenadas sob condições ambiente (25 °C / 80% UR), sendo avaliadas, periodicamente, quanto à incidência e severid

Ver detalhes do projeto

  Patrícia Cia      IAC

Absorção de nutrientes pelo hibrido de tomate Pietra ao longo do ciclo de cultivo

n° SGP 514

Na horticultura, a nutrição e adubação de plantas, dentre outras ferramentas de cultivo, é fundamental para o sucesso de qualquer atividade agrícola. Os estudos de absorção de nutrientes ao longo do ciclo produtivo possibilitam conhecer os perí­odos de maior exigência nutricional e de produção de massa de matéria seca em função da idade da planta, obtendo-se informações seguras quanto as épocas mais convenientes de aplicação de fertilizantes, quer sejam de origem quí­mica ou orgânica. Esse tipo de estudo faz-se essencial devido a constante atualização de cultivares e hí­bridos disponí­veis ao produtor, disponibilizados por empresas públicas e privadas, que cada vez mais apresentam resistência a pragas e doenças, são adaptados a diferentes condições climáticas e aproveitam melhor os insumos disponí­veis, aumentando seu potencial produtivo e precocidade. Consequentemente, com a maior produção de massa vegetal, também se altera a necessidade nutricional dessas plantas. Assim o presente projeto tem o objetivo de determinar a absorção de nutrientes pelo hí­brido de tomate Pietra, através do conhecimento da massa seca e dos teores de macro e micronutrientes nas suas diferentes partes (parte aérea, frutos e raí­zes), durante o seu ciclo produtivo.

Ver detalhes do projeto

  Luis Felipe Villani Purquerio      IAC

Bacteriologia de tilápias do Nilo em tanques-rede no Estado de São Paulo

n° SGP 509

A produção de peixes em água doce, visando alimentação humana, enfrenta inúmeros desafios. Dentre os principais relacionados à sanidade, destaca-se o aumento do risco de infecções bacterianas na produção intensiva e o potencial zoonótico de agentes causadores de doenças nestes sistemas produtivos. Diante destes desafios, o objetivo deste projeto é monitorar, pela microbiologia clássica e molecular, a ocorrência de bactérias em tilápias do Nilo criadas em tanques-rede em reservatórios de hidrelétricas do Estado de São Paulo durante 3 anos, visando caracterizar o problema para propor soluções de incremento na saúde dos peixes. Este projeto é parte do projeto Temático IMPCON – IMProved quality of cultured fish for human CONsumption, uma parceria entre Brasil e Dinamarca, visando melhorar a qualidade da aquicultura de reservatórios de Hidrelétrica no Estado de São Paulo, Brasil e da produção de peixes em sistemas de recirculação na Dinamarca.

Ver detalhes do projeto

  Fabiana Garcia Scaloppi      IP

Detecção de perigos biológicos e de seus fatores de virulência em alimentos de origem animal e vegetal. Avaliação de suas relações com o meio ambiente.

n° SGP 505

As doenças transmitidas por alimentos (DTA) contribuem para uma parcela considerável da morbi-mortalidade geral, enquanto a contaminação dos alimentos por substâncias químicas é um problema cada vez maior em países em desenvolvimento. Estatísticas mostram que as doenças transmitidas por alimentos, sobretudo as de causa microbiana, estão aumentando em todo mundo independente de sua composição racial, grau de desenvolvimento, condição socioeconômica e cultural. Essas doenças são um dos principais fatores que contribuem para os índices de morbidade nos países da América Latina e do Caribe. O Comitê da Food and Agriculture Organization of the United Nations (WHO/FAO) admite que doenças oriundas de alimentos contaminados sejam, provavelmente, o maior problema de saúde no mundo contemporâneo. A campilobacteriose é uma zoonose de distribuição mundial, sendo as espécies Campylobacter jejuni e C. coli, consideradas a etiologia mais comum de diarreia em crianças de países em desenvolvimento e de enterites em regiões industrializadas. Já foram descritos mais de onze fatores de virulência relacionados à estas bactérias, sendo a toxina citoletal distensiva (CDT), como um dos principais fatores de virulência. Sua atividade é codificada pelo complexo de genes cdt, que no caso do C. jejuni e C. coli, consiste de três genes adjacentes denominados cdtA, cdtB e cdtC. No presente estudo, serão isoladas e identificadas estirpes de C. jejuni e C. coli, a partir de amostras de alimentos, representados pelas principais fontes de origem animal e vegetal descritos como possíveis transmissores de Campylobacter spp. para o homem. Será detectada a presença do complexo de genes cdt e, posteriormente, verificada a inter-relação entre as estripes isoladas de origem animal e vegetal. As amostras serão coletadas de diferentes espécies animais e veg

Ver detalhes do projeto

  Eliana Scarcelli Pinheiro      IB

ESTUDO DE ALTERNATIVAS PARA MELHORIA DA SEGURANÇA NA COLHEITA DE LARANJA

n° SGP 504

A citricultura é uma das principais atividades agrícolas do país. Apesar desta cultura ser bastante tecnificada, a colheita ainda é realizada manualmente.

 A colheita manual é uma atividade que causa grande desconforto físico, baixo rendimento operacional e submete o trabalhador a um alto risco de acidente. A principal causa de acidente esta relacionada à utilização de escadas associada à sacolas pesadas que causam desequilíbrios.

Várias tentativas de colheita mecanizada foram realizadas, mas até agora ainda não se conseguiu um equipamento satisfatório e economicamente viável.

O objetivo deste trabalho é desenhar um modelo de escada que apresente maior segurança e conforto ao trabalhador e possa eliminar o uso da sacola durante a colheita.

Ver detalhes do projeto

  Roberto da Cunha Mello      IAC

DESENVOLVIMENTO DE TECNOLOGIAS DE PRODUÇÃO PARA A MANDIOCA NA REGIÃO DO MÉDIO PARANAPANEMA

n° SGP 496

Projeto com três eixos principais de ações:

Eixo 1 - DIAGNÓSTICO, PROSPECÇÃO E PLANEJAMENTO DOS SISTEMAS DE ALTA PRODUTIVIDADE

Objetivos: a)  levantar os sistemas de produção  (variedades, espaçamento, adubação, herbicidas, tipo de solo, nível de mecanização, etc.)  utilizados pelos atuais fornecedores, e suas motivações, dificuldades e facilidades para futuras inserções tecnológicas; b)  identificar práticas frequentes dos fornecedores que podem ser modificadas para aperfeiçoamento dos sistemas de produção.

Eixo 2 -  SISTEMAS DE ALTA PRODUTIVIDADE

OBJETIVOS: desenvolver e quantificar manejo varietal visando precocidade, uso racional de adubação em diferentes variedades e tipos de solo no primeiro e segundo ciclo com o objetivo de diminuir custos e aumentar o rendimento agrícola e industrial  ( teor de matéria seca ) .

Eixo 3 - Novas Variedades

OBJETIVOS: o IAC dispõe de clones em fase final de avaliação que são resistentes a doenças epidêmicas na região do Médio Paranapanema com alto desempenho agrícola e alto teor de matéria seca. Para disponibilizar esses materiais para agricultores faz-se necessário a avaliação segura e registrada nas Estações Experimentais em tipos de diferentes tipos de ambientes e seu manejo específico. Em Campinas serão realizados os cruzamentos, seleção de seedlings e testes de resistência de bacteriose dos novos clones. 

Ver detalhes do projeto

  JOSÉ CARLOS FELTRAN      IAC

SELEÇÃO DE MICRORGANISMOS ISOLADOS DE TILÁPIA PARA UTILIZAÇÃO COMO PROBIÓTICO EM PEIXES

n° SGP 495

Nos últimos anos têm-se intensificado o número de pesquisas voltadas ao desenvolvimento de alimentos funcionais e de substâncias que promovam o aumento na eficiência alimentar e na taxa de crescimento dos peixes. Dentre os alimentos funcionais, ou seja, alimentos que fornecem a nutrição básica e a melhora da saúde de peixes encontram-se os probióticos. Esses elementos possuem potencial para promover a saúde por meio de mecanismos não previstos pela nutrição convencional. Os probióticos são suplementos alimentares compostos de microorganismos vivos que beneficiam a saúde do hospedeiro, através do equilíbrio da microbiota intestinal. Objetiva-se com este estudo selecionar bactérias probióticas para peixes de água doce, isoladas do intestino e pele de tilápia, Oreochromis niloticus. Serão selecionadas as bactérias, que mostrarem efeitos positivos na capacidade de adesão, capacidade de colonização, e de multiplicação proveniente de material mucoso de pele e de intestino, sobrevivência na presença de bílis e capacidade de inibir os microorganismos patogênicos por meio de substâncias antimicrobianas. Serão realizados também, testes com as possíveis bactérias probióticas em tilápia para confirmar sua aplicabilidade na aquicultura. Estes testes servirão para selecionar uma bactéria com capacidade de proporcionar melhor desempenho zootécnico e melhora do sistema imune. Após a confirmação da bactéria ter potencial para probiótico, será realizado registro (“Patente”) para utilização desta bactéria como probiótica para tilápia. 

Ver detalhes do projeto

  Leonardo Tachibana      IP

Influência das modificações em currais de manejo no comportamento e nos parâmetros sanguíneos em bovinos de corte das raças nelore, caracu e guzerá

n° SGP 494

O Brasil tem passado por um processo de diminuição da população do campo, que vem ocasionando escassez da mão de obra qualificada para o trabalho com bovinos de corte. Por outro lado a maioria dos currais não foi construída a partir dos princípios de bem estar animal. Medidas do comportamento animal, assim como avaliação dos parâmetros sanguíneos cortisol, lactato e glicose são bons indicadores de bem estar animal. O objetivo do projeto de pesquisa é modificar currais já existentes, em fazendas de gado de corte, com vistas a melhorar o bem estar animal, ou seja, avaliar se a modificação nos currais de manejo poderá modificar o comportamento e parâmetros sanguíneos de bovinos nelore ou anelorados, em fazendas de cria ou recria, onde os animais já conhecem o curral e estão acostumados a serem manejados nele. Serão avaliados 100 bovinos nelore, em sete fazendas distintas. Inicialmente os animais serão manejados no curral, na forma usual da fazenda, quando será feira a primeira coleta de sangue e de informações de comportamento. Depois disso o curral sofrerá modificações de forma a facilitar o manejo e novamente os bovinos serão trazidos para o curral para nova coleta de sangue, entre 5 e 6 dias após a primeira coleta. Os princípios utilizados para modificações no curral são: bloquear a visão em determinados pontos, retirada dos cantos em ângulo reto. Também serão eliminados ambientes escuros onde os animais vão entrar, de poças de água ou qualquer reflexo de luz ou contrastes de cores ou pisos escorregadios. Serão avaliados o escore de entrada do animal no tronco, o comportamento durante a contenção para a coleta de sangue, o comportamento na saída do tronco de contenção e a velocidade de saída do tronco e tempo decorrido para os procedimentos. Os parâmetros sanguíneos a serem avaliados são cortisol, lactato e glicose. Os resultados demonstrarão se as mudanças

Ver detalhes do projeto

  Maria Lucia Pereira Lima      IZ

ESTUDO DA PESCA DE PEQUENA ESCALA ATRAVÉS DE ABORDAGENS ETNOECOLÓGICAS E DE DESENVOLVIMENTO SOCIAL E QUALIDADE DE VIDA

n° SGP 493

Objetivos: - Pesquisar, mediante a abordagem etnoecológica, os grupos de pescadores de pequena escala e extrativistas do litoral paulista: aspectos culturais, sociais, produtivos e de gênero; arranjos e mecanismos sociais internos e externos que afetam a comunidade e os pescadores. Estudar a dinâmica da pesca praticada (incluindo técnicas de manejo, instituições locais, regras de uso, territorialismo e o conhecimento ecológico local) e da cadeia produtiva local; transformações do sistema produtivo ao longo do tempo, inovações, perdas de conhecimento/práticas, ingresso/evasão de pescadores na atividade, etc.
- Estudar as condições e a qualidade de vida dos pescadores de pequena escala no litoral paulista, através dos índices IQCV e IQV, considerando as dimensões ambiental, social e econômica, no intuito de definir prioridades de ação pública, para que as políticas públicas voltadas para o setor fiquem mais próximas das necessidades dos pescadores e a fim de inferir sobre as suas perspectivas de sustentabilidade.
- Comparar a visão de agentes interventores (técnicos, intervenientes e extensionistas que atuam junto ao setor pesqueiro artesanal nos municípios/comunidades) sobre as condições de qualidade de vida e desenvolvimento social dos pescadores à visão e percepção dos próprios pescadores ao viverem tais condições;
- Comparar os índices IQCV e IQV aos dados municipais de IDH (Índice de desenvolvimento), com o objetivo de analisar e discutir a qualidade de vida do setor pesqueiro de pequena escala frente ao definido oficialmente para os municípios como um todo.

  Pretende-se estudar os grupos pesqueiros praticantes da pesca de pequena escala e extrativismo em área de manguezal no litoral paulista (para efeito de simplificação, no projeto estarão todos designados como pescadores). Esses grupos serão observados a partir das abordagens da etnoecologia e

Ver detalhes do projeto

  Ingrid Cabral Machado      IP

ESTUDO ETNOECOLÓGICO DA PESCA DE CRUSTÁCEOS EM SISTEMAS ESTUARINOS DO LITORAL CENTRO-SUL PAULISTA

n° SGP 492

 Objetivos: Pesquisar, mediante a abordagem etnoecológica 

1. Os grupos humanos usuários dos recursos pesqueiros crustáceos decápodos nos estuários de Santos-São Vicente e Cananéia: aspectos culturais, sociais, produtivos e de gênero; arranjos e mecanismos sociais internos e externos que afetam a comunidade e os pescadores. 
2. A dinâmica da pesca praticada (incluindo técnicas de manejo, instituições locais, regras de uso, territorialismo e o conhecimento ecológico local) e da cadeia produtiva local; transformações do sistema produtivo ao longo do tempo, inovações, perdas de conhecimento/práticas, ingresso/evasão de pescadores na atividade, etc.
3. Avaliação da atividade produtiva por meio de dados de amostragem e monitoramento da produção pesqueira nos estuários.

   Metas:

O estudo proposto tem por objetivo identificar, por meio de abordagens da Etnoecologia/Ecologia Humana, o conhecimento ecológico local; as regras e práticas de manejo adotadas pelos pescadores e os aspectos relacionados à resiliência, adaptabilidade e sustentabilidade da atividade pesqueira sobre crustáceos decápodos (portunídeos e peneídeos) em sistemas socioecológicos pesqueiros estabelecidos no estuário de Santos-São Vicente.

Ver detalhes do projeto

  Ingrid Cabral Machado      IP

Pegadas Hídricas na Piscicultura

n° SGP 489

Diversos indicadores de sustentabilidade ecológica, econômica e social vêm sendo propostos, nos últimos anos, em estudos relacionados à gestão de recursos hídricos. Mais recentemente, a comunidade científica tem divulgado a importância de se estudar a forma com que a água vem sendo utilizada na produção de bens e processos em geral. Para tanto, existe um novo conceito mundialmente conhecido como “Pegada Hídrica” que visa à determinação do volume de água virtual “escondido” atrás de cada produto ou processo. A Pegada Hídrica de um determinado produto pode ser expressa pelo volume de água “consumido” na produção deste, levando-se em consideração toda a sua cadeia de suprimentos. Alguns produtos alimentícios de origem animal já estão bem estudados neste aspecto. Todavia, não existem dados desta natureza para os produtos originados na cadeia produtiva da aquicultura. No Instituto de Pesca / APTA / SAA – SP existe uma equipe de pesquisadores científicos que vem se organizando para iniciar, de forma pioneira, os primeiros estudos que deverão revelar os valores das Pegadas Hídricas relacionadas à cadeia produtiva da produção de pescado na aquicultura de água doce. Pretende-se, como meta, estabelecer uma tecnologia de avaliação de processos, a fim de auxiliar nos ajustes de conduta e no estabelecimento de “Boas Práticas de Manejo”, bem como fornecer subsídios adequados à governança da atividade dentro de um cenário de responsabilidade na aquicultura. Devido a sua complexidade, os estudos serão realizados em módulos e, neste primeiro momento, a piscicultura foi o segmento eleito para servir de parâmetro de amostragem, mais especificamente a tilapicultura (criação da tilápia Oreochromis niloticus), por se tratar de um dos setores mais organizados dentro da atividade de aquicultura, o que deverá favorecer a meta de determinação.

Ver detalhes do projeto

  Julio Vicente Lombardi      IP

Desenvolvimento e Avaliação de Túnel de Vento de Baixo Custo para Determinação da Deriva na Aplicação de Agrotóxicos

n° SGP 487

A deriva de agrotóxicos, que é o arraste do produto para fora do alvo durante o processo de pulverização, pode ser alterada pelo uso de adjuvantes da pulverização. Da mesma forma que alguns produtos a reduzem, outros podem potencializar, elevando os riscos de contaminação do aplicador e ambiental. Analisar a deriva pela interferência do adjuvante no tamanho de gotas pode não ser o melhor caminho, uma vez que, em função da precisão do sistema utilizado, os resultados de uma mesma amostra podem ser significativamente diferentes. Por outro lado, fatores como o efeito do adjuvante sobre a umectação também podem interferir na deriva mas tal efeito pode não ser evidenciado na amostragem de gotas. Dessa forma, analisar a deriva diretamente, quantificando a quantidade de produto arrastada pelo vento, por exemplo, pode representar melhor a interferência do adjuvante sobre a deriva. Tais estudos são realizados em túneis de vento que, por serem desenvolvidos para estudos bem mais complexos, custam caro e inviabilizam muitas vezes as análises. Desta forma, o objetivo deste trabalho será desenvolver um túnel de vento de baixo custo a ser utilizado na avaliação da derivia proporcionada por adjuvantes da pulverização.

Ver detalhes do projeto

  José Valdemar Gonzalez Maziero      IAC

Subprojeto: Relações vírus/vetor e Variabilidade em populações de Brevipalpus

n° SGP 486

Este subprojeto faz parte de um projeto temático, desenvolvido em colaboração com a Esalq-USP, sob a coordenação do Prof. Dr. E. W. Kitajima, sob o tema "Vírus de plantas transmitidos por Brevipalpus (Acari: Tenuipalpidae)-VTB: levantamento, identificação, caracterização molecular, filogenia; relações vírus/vetor/ hospedeira; biologia, taxonomia e manejo do vetor". O conhecimento das relações entre VTB e seus vetores é 630 importante para se entender a epidemiologia do patossistema. Contudo, tal informação 631 existe apenas para o patossisstema da leprose e é imperativo estendê-la a outros VTB. Para VTB-C há consenso que esta relação é do tipo persistente-circulativo, com períodos de alimentação para aquisição e inoculação relativamente curtos. Para OFV há informações de que há um longo período de latência do vírus no ácaro vetor, sugerindo relações do tipo circulativo-propagativo, e esta informação é corroborada por estudos ao MET, indicando que alguns VTB-N estudados, como CoRSV, ClCSV, CiLV-N além do OFV, multiplicam-se nos tecidos do ácaro vetor. Há necessidade se ampliar os conhecimentos desta relação vírus-vetor a outros VTB e também esclarecer os  mecanismos pelos quais estes vírus superam a barreira do epitélio intestinal e glandular,  para circular ou reproduzir nos tecidos do ácaro, atingindo a seguir o canal estiletar para  ser inoculado na planta hospedeira. Havendo possibilidades, os estudos com EPG  poderão ser estendidos a Brevipalpus de outros patossistemas, como feito preliminarmente com o do LC. Portanto, um dos objetivos e avaliar os tipos de relação vírus-vetor para outros VTB.

Ver detalhes do projeto

  Valdenice Moreira Novelli      IAC

Atividade antiviral de extratos vegetais

n° SGP 485

Nas últimas décadas houve crescimento considerável no uso de produtos naturais com fins medicinais inclusive de uso veterinário. A utilização de substâncias naturais presentes em espécies vegetais pode ser fonte para o desenvolvimento de novos produtos como os antivirais e microbicidas e podem ser utilizados para combater de patógenos de importância no agronegócio. Para isto estuda-se a atividade antiviral de extratos de plantas que interferem em processos durante a replicação do vírus na busca de novos fármacos.  Existem certos vírus que podem ser usados como modelo nos ensaios antivirais, entre eles os herpesvírus, representantes dos vírus de DNA visto que esses vírus causam rápida destruição celular. O efeito citopático, isto é, as alterações morfológicas que os vírus causam na célula hospedeira, é comumente utilizado para avaliar a inibição do vírus por ser facilmente visível em microscópio.

A presente pesquisa estuda diversos extratos vegetais com potencial para inibir os vírus causadores de doenças infecciosas que acometem equinos, bovinos e suínos em bioensaios in vitro pela redução do efeito citopático causado por esses vírus em linhagens celulares. 

Ver detalhes do projeto

  ISABELA CRISTINA SIMONI      IB

Entendendo a biologia das fitobactérias de citros transmitidas por vetores, Xylella fastidiosa e Candidatus Liberibacter spp, como ferramenta para manejo de suas respectivas doenças, CVC e HLB

n° SGP 483

A nossa linha de pesquisa que esta fortemente associada ao entendimento da biologia das fitobactérias de citros transmitidas por vetores em citros, especificamente aos patossistemas CVC e HLB. Estas duas doenças tem se mostrado cada vez mais preocupante dentro do sistema de produção citrícola paulista, sendo o HLB um potencial para outras regiões produtores de citros do Brasil. Contrário a CVC que já se encontra em condições endêmicas nos estados brasileiros que produzem comercialmente laranja doce, o HLB oficialmente esta presente somente nos estados de São Paulo, Paraná e Minas Gerais. 

O aparecimento de novas doenças associadas aos patógenos até então não descritos para uma determinada cultura ou unidade produtora (micro ou macro-regional) tem tornado-se importante nas últimas décadas. Mudanças climáticas, emprego de técnicas de produção agrícola e invasões biológicas dos próprios patógenos tem sido identificadas como responsáveis pelo surgimento de doenças nas mais diversas plantas (Anderson et al., 2004). Somado a isto pode afirmar que a introdução não controlada de materiais vegetais exógenos tem uma grande participação no surgimento destas novas ou até então não descritas doenças. Porém, quando do surgimento de uma nova doença pode admitir que o patossistema onde o hospedeiro preferencial é perene e o patógeno é transmitido naturalmente através de insetos vetores é mais complexo de se manejar. Neste caso, além dos vértices ambiente, patógeno e hospedeiro (planta) classicamente conhecidas,  tem-se o vértice vetor (quarto vértice), que além de ser também um hospedeiro, interage diretamente com a planta e o patógeno.

Um exemplo real para o contexto apresentado no paragrafo anterior, são as doenças de origem bacterianas

Ver detalhes do projeto

  Helvecio Della Coletta Filho      IAC

Avaliação de dietas enriquecidas com coproduto do processamento da amêndoa macadâmia para ovinos: digestibilidade aparente, desempenho, características de carcaça e carne e potencial de mitigação de metano

n° SGP 482

O uso da amêndoa de macadâmia pela indústria é crescente, sendo utilizada para consumo in natura, em alimentos processados, ou para extração de óleo para fins alimentares e para a indústria de cosmético. É rica em óleo com alto teor de ácidos graxos insaturados como os ácidos palmitoléico, oléico, linoléico e linolênico o que também a caracteriza como alimento funcional. Geralmente, o coproduto gerado na extração do óleo não passa por processo de agregação de valor porque são desconhecidas as suas potencialidades nutricionais e econômicas. Considerando a alimentação animal como elo entre a indústria da macadâmia e a pecuária, propomos o estudo da utilização do coproduto resultante do processo de extração de óleo da amêndoa macadâmia na alimentação de cordeiros em terminação visando melhorar o desempenho dos animais, a qualidade de carcaça e carne, e contribuir para o menor impacto ambiental pela redução da emissão de metano entérico, gerando assim, a possibilidade de desenvolvimento de uma rota alternativa para este tipo de material. Para isto serão realizados ensaios de digestibilidade “in vivo” das dietas, assim como, avaliações de parâmetros ruminais dos animais, avaliação do desempenho em confinamento, da qualidade da carcaça e da carne e o potencial de mitigação de metano entérico do coproduto da macadâmia. Os tratamentos propostos serão compostos por diferentes níveis de inclusão (0, 8, 16 e 24 %) deste coproduto no concentrado que será ofertado aos animais. O alimento a ser testado será fornecido pela empresa QueenNut Macadâmia que através do projeto FAPESP (Processo:13/19023-0) tem gerado este tipo de material.

Ver detalhes do projeto

  Ricardo Lopes Dias da Costa      IZ

Integração Lavoura-Pecuária-Silvicultura (ILPS) na Região Noroeste do Estado de São Paulo

n° SGP 481

O projeto tem por objetivo avaliar, no sistema de integração lavoura-pecuária-silvicultura (ILPS) implantado nas condições climáticas e de solo da região Noroeste do Estado de São Paulo:
- produtividade do sistema de rotação com soja e milho;
- desempenho de híbridos de Eucalyptus grandis x Eucalyptus camaldulensis e Eucalyptus urophila x Eucalyptus grandis;
- desempenho da forrageira (Urochloa brizantha (Hochst ex A. Rich.) Stapf. cv. Marandu);
- desempenho zootécnico dos animais (bovinos);
- status sanitário que o sistema proporciona, com relação a endo e ectoparasitoses dos animais;
- resultado econômico do sistema.

Ver detalhes do projeto

  Wander Luis Barbosa Borges      IAC

Épocas de semeadura de plantas de cobertura na Região Noroeste do Estado de São Paulo

n° SGP 480

Estratégias de manejo do solo, rotação de culturas e utilização de espécies de cobertura, que protegem e recuperam a fertilidade do solo, são importantes para uso dos solos sem causar o declínio de sua produtividade e da rentabilidade ao longo dos anos. (Alvarenga, 1996). Porém a formação e manutenção de cobertura morta é um dos principais entraves ao estabelecimento do plantio direto nos trópicos, onde as altas temperaturas, associadas à umidade adequada, promovem a decomposição rápida dos resíduos vegetais; e a cobertura morta, resultante dos restos culturais de culturas anteriores e de plantas daninhas, geralmente é insuficiente para a plena cobertura do solo. (Stone et al., 2006). Com o objetivo de avaliar a melhor época para semeadura de Urochloa ruziziensis, Urochloa brizantha, milheto, capim sudão e um híbrido de sorgo X capim sudão, utilizadas como plantas de cobertura na região Noroeste do Estado de São Paulo, instalou-se este experimento.

Ver detalhes do projeto

  Wander Luis Barbosa Borges      IAC

CONTRIBUIÇÃO DE RAÍZES DE MILHO, SORGO FORRAGEIRO E FORRAGEIRAS NA MATÉRIA ORGÂNICA DO SOLO EM SISTEMAS DE INTEGRAÇÃO LAVOURA-PECUÁRIA

n° SGP 479

Sistemas agropecuários de produção sustentável, que melhorem a qualidade do solo e da água e reduzam a emissão de gases de efeito estufa, são essenciais na agricultura moderna. Em Votuporanga-SP, no Centro Avançado de Pesquisa Tecnológica do Agronegócio de Seringueira e Sistemas Agroflorestais – IAC/APTA, diversos sistemas de produção estão sendo estudados desde 2009. No entanto, para enriquecimento da pesquisa, faz-se necessário ampliar os estudos dos sistemas com integração lavoura-pecuária, como a avaliação de produtividade de matéria seca da cultura do sorgo forrageiro e das forrageiras; da produtividade de grãos; do comprimento e área superficial das raízes; da relação C/N das raízes; da composição isotópica das raízes; da densidade das raízes; da qualidade das raízes. Serão utilizados dez tratamentos: T1 – milho solteiro; T2 – milho em consórcio com Urochloa brizantha cv. Marandu; T3 – milho em consórcio com Urochloa ruziziensis; T4 – milho em consórcio com a forrageira DOW HD794; T5 – milho em consórcio com Panicum maximum cv. Aruana; T6 – sorgo forrageiro solteiro; T7 – sorgo forrageiro em consórcio com Urochloa brizantha cv. Marandu; T8 – sorgo forrageiro em consórcio com Urochloa ruziziensis; T9 – sorgo forrageiro em consórcio com a forrageira DOW HD794; T10 – sorgo forrageiro em consórcio com Panicum maximum cv. Aruana, cultivados nas safras 2014/2015 e 2015/1016. A cultura do milho será utilizada para produção de grãos e o sorgo forrageiro será utilizado para ensilagem. O delineamento experimental será em blocos casualizados, com quatro repetições. Os resultados serão submetidos à análise de variância e as médias comparada

Ver detalhes do projeto

  Wander Luis Barbosa Borges      IAC

Caracterização protéica e Quantificação de isoflavonas agliconas em leguminosas do banco de germoplasma do IZ

n° SGP 477

Quantificar isoflavonas agliconas: daidzeína, genisteína e gliciteína em diferentes leguminosas, armazenadas em banco de germoplasma do Instituto de Zootecnia de Nova Odessa, utilizando SDS-PAGE e anticorpos policlonais, levando em conta diversos processamentos das sementes, utilizando como parâmetro a soja comercial (Glycine max).

As isoflavonas são também conhecidas como fitoestrogênios e são compostos basicamente fenólicos presentes principalmente em leguminosas, das quais a mais estudada é a soja (Glycine max) ( CALLOU, 2009). Na planta, as isoflvonas possuem diversas funções, entre elas a de proteção contra patógenos, resistência a artrópodes e nematóides e efeito anti-bacteriano. Estudos associam o teor de isoflavonas a viscosidade das sementes. As isoflavonas na soja desenvolvem-se durante o enchimento do grão (JUSTEN, 2007).Este trabalho propõe estabelecer o perfil proteico de espécies de legumonisas do banco de germoplasma do IZ e quantificar as agliconas por imunoensaios

Ver detalhes do projeto

  Keila Maria Roncato Duarte      IZ

DOMÍNIO TECNOLÓGICO SOBRE OS PROCESSOS DE DESFOLHA MECANIZADA SEMI-AUTOMATICA DA VIDEIRA E DETERMINAÇÃO DE IMPACTOS SOBRE O SISTEMA PRODUTIVO

n° SGP 476

Dentre as muitas práticas de manejo da vitivinicultura, que afetam o perfil de polifenóis e a sanidade da uva, o aumento da exposição dos cachos da videira, feito através da retirada seletiva folhas é aceito como uma ferramenta robusta para influenciar a concentração daquelas substâncias (qualidade da uva) e mitigar a incidência de fitopatologias. Por outro lado, a atividade vitivinícola é tradicional, sendo a mão-de-obra, hoje, escassa. Portanto, propõe-se neste projeto o domínio tecnológico sobre os processos hidráulicos-mecânicos para a desfolha mecânica semiautomática da videira, com o desenvolvimento de protótipo capaz de realizar aquela operação, nas condições de solo-planta de vinhedos brasileiros. Conjuntamente será feita a determinação dos impactos iniciais da introdução da desfolha mecanizada sobre os componentes do rendimento e composição da uva de suco e vinho.

Ver detalhes do projeto

  ANTONIO ODAIR SANTOS      IAC

Produção de anticorpos policlonais.

n° SGP 475

Estão disponíveis na agropecuária kits para diagnóstico das mais diferentes doenças tanto em plantas quanto em animais. Tais kits são baseados em testes chamados ELISA ou EIA ou RIA, onde os anticorpos reconhecem o antígeno e esta ligação é revelada por um sistema enzimático (ou seja, coloração) ou por radioemissão (contagem de radioisótopos aprisionados na reação), respectivamente. A facilidade de manipulação de animais como coelhos e galinhas permite que a produção de anticorpos policlonais atinja escala industrial na produção e comercialização de kits, o que possibilita inúmeros projetos e aplicações na agropecuária.Este projeto propoe : aplicação direta de kits comerciais para problemas de segurança alimentar na agropecuária, treinamento de pessoal através de cursos, desenvolvimento de anticorpos aplicados a pesquisa em conjunto com pesquisadores da APTA e Universidades.

Ver detalhes do projeto

  Keila Maria Roncato Duarte      Apta Regional

CARACTERIZAÇÃO DO BEM-ESTAR DE EQUINOS UTILIZADOS NO MANEJO DE BOVINOS DE CORTE

n° SGP 474

O objetivo deste estudo é avaliar o bem-estar de equinos utilizados durante as rotinas de manejo de bovinos de corte, contemplando os seguintes objetivos específicos: i) caracterizar as rotinas de manejo a que os equinos são submetidos; ii) desenvolver e validar indicadores comportamentais e fisiológicos de bem-estar de equinos submetidos a rotinas de trabalho em fazendas de bovinos de corte; iii) identificar dentre os manejos usuais, aqueles que colocam o bem-estar dos equinos em risco; iv) desenvolver um guia de boas práticas de manejo para orientar sobre a melhor forma de uso de equinos no manejo de bovinos de corte. Serão avaliados quatorze equinos, clinicamente hígidos, utilizados no trabalho de campo para manejo diário de bovinos de corte de Institutos de Zootecnia em Colina e Sertãozinho/SP e em fazendas comerciais. Serão avaliados indicadores de bem-estar animal baseados no ambiente e nos animais, dentre eles indicadores fisiológicos (frequências cardíaca e respiratória, tugor cutâneo, tempo de preenchimento capilar, dosagens séricas de cortisol, lactato, creatina quinase, amino aspartatotransferase e proteína plasmática total, além de leucometria diferencial, hemograma e termografia infravermelha da região orbital), de saúde (escore de condição corporal, anormalidades na arcaria dentária, sinais de lesões corporais, situação dos cascos, sinais de prurido na base da cauda, presença de ectoparasitas, corrimento nasal e ocular, lesões na cavidade bucal e na superfície corporal), de conforto (temperatura, umidade relativa do ar, condições de alojamento e de trabalho) e comportamentais (avaliação qualitativa do comportamento, das expressões faciais e corporais). Os resultados serão analisados por meio de análises multivariadas, de correspondência múltipla e de fatores com o objetivo de estabelecer um índice para classificar o bem-estar dos equinos em função das rotinas do manejoO objetivo deste estudo &

Ver detalhes do projeto

  Maria Lucia Pereira Lima      IZ

Mapeamento citogenético de genes relacionados à tolerância e resistência ao alumínio em trigo duro

n° SGP 473

Estudos demonstram que a tolerância ao alumínio em plantas é controlada por vários genes e a maior parte desses genes que conferem tolerância ao Al+3 (alumínio), estão presentes no trigo comum e ausentes no trigo duro. O Projeto tem como objetivo identificar sequencias genéticas (sequencias de DNA) presentes no trigo comum que estejam relacionadas com a tolerância ao alumínio.  A partir do conhecimento destas sequencias será efetuado o reconhecimento das mesmas, através de mapeamento citogenético comparativo, em linhagens disponíveis de trigo duro.  Estas acessos de trigo duro, disponíveis no banco de germoplasma de grãos do IAC, a serem utilizados para a realização da pesquisa são linhagens de trigo duro que já apresentam tolerância ao alumínio e são provenientes de linhagens criadas a partir de substituição cromossômica. 

Ver detalhes do projeto

  Ceci­lia Alzira Ferreira Pinto Maglio      IAC

MICRORGANISMOS BENÉFICOS ASSOCIADOS A PLANTAS CULTIVADAS E A MICROBIOTA EDÁFICA DO SOLO

n° SGP 472

1-Harnessing the rhizosphere microbiome to enhance plant productivity

- Cooperation CNPq (Brazil) – NWO (Netherlands) – Projeto no   456420/2013-4

  • Coordenadora brasileira – Adriana Parada Dias da Silveira
  • Coordenadora holandesa – Eiko Kuramae

Em Bio-Based economia, materiais vegetais são recursos essenciais para novas aplicações industriais e sustentáveis. Para garantir a produção de biomassa suficiente, há a necessidade da adição de fertilizantes minerais no solo. Entretanto, intensa fertilização pode ocasionar lixiviação e perda de nutrientes, redução da biodiversidade, aumento na emissão de gases de efeito estufa, aquecimento global e mudanças no pH do solo, levando à degradação ambiental. Um dos principais desafios é intensificar métodos de produção agrícola de uma forma que minimizam os efeitos ambientais negativos dos fertilizantes. Portanto, há uma necessidade urgente de novas estratégias que otimizam o crescimento da planta e minimizam os fatores abióticos e bióticos que afetam negativamente o crescimento e qualidade da planta. O microbioma planta, ou seja, as comunidades microbianas associadas à planta, abriga vários gêneros de fungos e bactérias que têm efeitos benéficos sobre seu crescimento e sanidade. Vários gêneros de bactérias promovem o crescimento das plantas e induzem resistência sistêmica contra patógenos e insetos. Estudos baseados em técnicas 'omics' recentemente revelaram que rizobactérias causam substanciais mudanças na expressão de genes específicos da planta.

O manejo de produção de cana no Brasil está sendo desenvolvido de forma sustentável pela reciclagem de palha e vinhaça (subprodutos da indústria do etanol), que combinados permitem a diminuição no emprego de fertilizantes minerais adicionados no solo. Além disso, já foi demonstrado que o uso de bactérias benéficas, tais como as bactérias promotoras de crescimento de plantas (BPCPs) obtidas de cana-de-açúcar, promovem aumento no crescimento e sanidade das plantas, em condições controladas. No entanto, pesquisas mais detalhadas sobre o efeito dessas BPCPs em diferentes solos com diversas comunidades microbianas são necessárias, para que possam ser usadas como inoculantes em larga escala. Portanto, a presente proposta visa: (i) determinar o efeito de diferentes composições de comunidade microbiana do solo no crescimento da cana inoculada com PGPB, (ii) identificar genes de PGPB envolvidos na promoção do crescimento das plantas, (iii) identificar as características da planta e genes envolvidos na promoção de crescimento induzida por PGPB. O projeto proposto trará maiores esclarecimentos sobre os mecanismos, as características e os genes envolvidos nas interacções PGPB-planta.

 

            Subprojetos relacionados:

 

1.1- Promoção de crescimento de cana-de-açúcar por bactérias endofíticas

 

Aluna: Raquel de Paula Freitas – doutoranda PGIAC – bolsista CAPES

 

Objetivos: 1- avaliar os isolados de bactérias endofíticas quanto à promoção do crescimento das plantas e sobrevivência de plântulas micropropagadas ou MPB de variedades de cana-de-açúcar, analisando aspectos fisiológicos/bioquímicos da interação planta-bactéria; 2 - analisar a expressão de genes relacionados ao metabolismo do nitrogênio e promoção de crescimento; 3- avaliar o efeito da inoculação dos isolados bacterianos na diversidade das comunidades bacterianas rizosférica e endofítica; 4- relacionar as respostas da planta e a diversidade das comunidades bacterianas, para entender os possíveis mecanismos da interação estabelecida e seus efeitos.

 

 

1.2- Relação cana – bactérias endofíticas sob condição de excesso de Al no solo: alterações do transcriptoma da planta e da diversidade genética e funcional das comunidades bacterianas endofítica e rizosférica.

Aluna: Elaine Labanca – doutoranda PGIAC – bolsista CAPES

Objetivos: Pelo uso de técnicas de biologia molecular determinar: 1- mecanismos de interação na fase inicial da relação cana-endofítico, em uma condição de estresse – excesso de Al no solo, pela análise do transcriptoma da planta; 2-o impacto da interação sobre as comunidades microbianas da rizosfera e endofitica, pela análise da diversidade genética e funcional.

 

1.3- Relação cana – bactérias endofíticas: indução de resistência a Colletotrichum falcatum e Xanthomonas albilineans e alteração na comunidade bacteriana endofítica.

Aluna: Lenise Rossetto – mestranda da PGIAC

Objetivos: 1- selecionar entre os isolados de bactérias endofíticas promotores de crescimento de plantas de cana, os que demonstram antagonismo a Colletotrichum falcatum e Xanthomonas albilineans in vitro; 2- avaliar se os isolados são capazes de induzir resistência a esses patógenos ou se atuam diretamente no controle das doenças, por outros mecanismos; 3- determinar o efeito da inoculação de isolados de bactérias endofíticas e de patógenos nas comunidades bacterianas endofítica e rizosférica e sua relação com a resposta obtida na interação planta-microrganismos (benéfico e patogênico).

 

1.4- Utilização de microrganismos benéficos na produção de mudas de cana-de-açúcar pelo sistema MPB

Aluna: Gabrielle Maria Fonseca Pierangeli – Iniciação Científica – CNPq/PIBIT

Objetivos: 1- avaliar o efeito da inoculação de diferentes micro-organismos (fungo micorrízico arbuscular - FMA, bactérias promotoras do crescimento de plantas – rizosféricas e endofíticas - BPCPs) no desenvolvimento de mudas de cana-de-açúcar obtidas pelo processo MPB (mudas pré- brotadas); 2- determinar o efeito da inoculação dos microrganismos benéficos (FMA e BPCPs) nas comunidades bacterianas endofítica e rizosférica e sua relação com a resposta obtida na interação planta-micro-organismos benéficos.

 

1.5- Interação bactéria promotora do crescimento de planta, microbiota nativa e cana-de-açúcar

Aluno: Matheus Cipriano – pós-doutorando – FUNDAG

Objetivos: 1- determinar o efeito do inoculante à base de bactéria endofítica na composição da comunidade microbiana da rizosfera e endofítica e no crescimento e aspectos bioquímicos e fisiológicos da muda de cana-de-açúcar (MBP e micropropagada) e 2- identificar as características das plantas e genes expressos na comunidade microbiana envolvidos na promoção de crescimento induzido pelas BPCPs.

 

2- Avaliação de atributos microbiológicos em sistemas de preparo do solo para a cultura da cana-de-açúcar

Aluno: Guilherme Murillo Lanzi – mestrando PGIAC

Os vários sistemas de preparo do solo, especialmente os convencionais de manejos intensivos, tornaram-se práticas comuns, que visam o aumento da produção da cana de açúcar. Entretanto, essa forma de explorar o solo revela a sua degradação ao longo dos anos de cultivo, acelerando a perda da matéria orgânica e de nutrientes, diminuindo a atividade da microbiota, interferindo na qualidade do solo, o que condiciona esses sistemas de produção como insustentáveis.

Os sistemas de preparo do solo interferem na qualidade do solo, alterando seus atributos físicos, químicos e biológicos, os quais influenciam diretamente na infiltração e drenagem dá água, nos processos de mineralização da matéria orgânica, ciclagem de nutrientes e na erosão, afetando a absorção de nutrientes e crescimento da planta, implicando em um aumento ou diminuição da produtividade da cultura. Contudo, a microbiota do solo é fortemente influenciada por fatores abióticos, como os sistemas de manejo do solo e da cultura, podendo acarretar uma expressiva alteração na diversidade genética das comunidades microbianas inseridas nos diversos grupos funcionais, tanto na atividade quanto na biomassa dessa microbiota, e até mesmo nas interações entre planta e microrganismo.

Considerando a expansão da cultura da cana-de-açúcar no estado de São Paulo, é relevante que seja realizada pesquisa com a finalidade de avaliar os impactos ocasionados pela cultura em diferentes solos e manejos, por meio dos indicadores físicos, químicos e biológicos que facilitam estabelecer índices de qualidade do solo relacionados à produtividade da cana. Estudos que avaliem os efeitos dos sistemas de preparo do solo sobre os atributos biológicos, específicos da cultura de cana-de-açúcar, que fundamentam os índices de qualidade do solo, implicando em medidas de controle dos sistemas, manejo e conservação do solo. Há vários indicadores de qualidade do solo, mas entre eles os microbiológicos são avaliados como os mais sensíveis e influenciados pelas relações entre as atividade e diversidade microbianas, qualidade do solo e vegetação e sustentabilidade do ecossistema. Os índices de qualidade do solo por meio dos indicadores biológicos podem mensurar a situação e a condição de “saúde” e conservação dos solos. Os sistemas de preparo como o de subsolagem profunda (penta) podem melhorar os índices de qualidade do solo ou piorar ao longo dos anos de cultivo, devido ao maquinário ser mais pesado e favorecer a compactação do solo, influenciando nos atributos físicos do solo e, consequentemente, nos microbiológicos e químicos.

Objetivos: 1-  avaliar os efeitos dos diferentes sistemas de preparo do solo da cultura de cana-de-açúcar nos atributos microbiológicos, tais como na biomassa e atividade microbianas, na micorrização da planta e no número e diversidade de bactérias endofíticas e rizosféricas; 2- relacionar os atributos microbiológicos do solo com os físicos e químicos para estabelecer índices de qualidade do solo sob cultivo de cana-de-açúcar; 3- determinar o efeito do manejo do solo e da cultura sobre a comunidade bacteriana do solo, pela análise da diversidade genética e funcional.

Este subprojeto faz parte do projeto: “Desenvolvimento radicular e atributos físicos, químicos e biológicos em sistemas de preparo do solo para a cana-de-açúcar”, coordenado pela Sonia Carmela Falci Dechen, do setor de Conservação do Solo.

2.1- Avaliação de microrganismos benéficos associados à cana-de-açúcar em diferentes manejos da cultura.

Aluna: Mayra Kisch – iniciação científica – FUNDAG

Objetivo: 1- avaliar os efeitos de diferentes manejos da cultura de cana-de-açúcar na micorrização da planta e na abundância de bactérias endofíticas e rizosféricas; 2- relacionar tais micro-organismos benéficos com o desenvolvimento do sistema radicular.

 

Ver detalhes do projeto

  Adriana Parada Dias da Silveira      IAC

Manejo da água no sistema de produção de mudas pre brotadas de cana de açucar

n° SGP 470

O cultivo com adoção de mudas pré-brotadas no cultivo da cana-de-açúcar envolve a etapa de produção de mudas pré-brotadas (MPB) em fases distintas (brotação, aclimatação 1 e 2) e plantio e produção em condições de campo. A irrigação é necessária nas etapas de produção de mudas e além disto, para o bom desempenho do sistema de produção, é importante o conhecimento da disponibilidade hídrica do solo, clima, região e época do ano associado a cultivar adotada. Desta forma, para gerar informações importantes relacionadas ao uso eficiente da água no sistema de plantio com mudas MPB, bem como após o corte da cana para rebrota, há necessidade de pesquisas com objetivo de avaliar estratégias de manejo da irrigação para promover aumento da qualidade das mudas do sistema MPB, estratégias para rustificação de mudas aplicados na aclimatação fase 2 bem como avaliar o desempenho das mudas no campo com diferentes disponibilidades de água no solo, associados a diferentes cultivares, épocas de produção de mudas, épocas de plantio e tipos de solo, bem como avaliar o desempenho de momento de irrigação após o corte da cana para proporcionar maior produtividade e longevidade do canavial plantado com MPB de cana. Inicialmente serão implantados experimentos no sistema de produção de mudas em estufas e rustificação antes do plantio. Na fase de produção de mudas, os tratamentos constarão de diferentes lâminas de irrigação em relação a demanda climática em diferentes cultivares. A qualidade das mudas para cada cultivar será avaliada com base na produção de massa seca da parre áerea e radicular das mudas. No experimento de campo serâo avaliados o perfilhamento, o crescimento radicular e a produtividade de cada cultivar em função da disponibilidade de água no solo. Além deste contexto no momento de plantio das mudas também serão avaliadas o momento de aplicação de irrigação após o corte da cana que foi originalmente plantada com mudas de MPB.

Ver detalhes do projeto

  Regina Célia de Matos Pires      IAC
  Sobre

O SGP (Sistema de Gestão de Pesquisa) foi implementado em todas as unidades APTA, para centralizar o controle de todos os projetos desenvolvidos sob sua supervisão. [Ler mais]

Endereço APTA – São Paulo

Praça Ramos de Azevedo, 254, 2º andar - República, São Paulo - SP

Fone : (11) 5067-0447 e 5067-0427

  Endereço APTA – Campinas

Avenida Barão de Itapura, 1481 - Botafogo, Campinas - SP

Fone : (19) 2137-8930