Exibindo todos os projetos ativos na APTA

Página Inicial / Busca de Projetos

702 projetos ativos encontrados - pág. 18 de 24

Avaliação de compostos fenólicos em genótipos de amendoim relacionados a resistência varietal a doenças foliares

n° SGP 567

A cultura do amendoim é severamente atacada por doenças fúngicas da parte aérea, as quais podem reduzir drasticamente a produtividade. A mancha preta (Cercosporidium personatum) e a ferrugem (Puccinia arachidis) são as predominantes e requerem o uso de fungicidas para o seu controle. A resistência varietal é uma das formas mais eficazes e sustentáveis de controle dessas doenças. Embora já se conheçam genótipos de amendoim a serem utilizados como fontes de resistência nos programas de melhoramento, os mecanismos dessa resistência não são conhecidos. Uma das hipóteses seria a produção pela planta de compostos secundários – os compostos fenólicos – que atuariam como uma proteção da planta à essas doenças. Este trabalho tem como objetivo caracterizar linhagens e cultivares de amendoim contrastantes quanto à resistência a doenças, bem como identificar e quantificar compostos fenólicos presentes nas folhas e possivelmente relacionados com  esta resistência.

Ver detalhes do projeto

  Cássia Regina Limonta Carvalho      IAC

APLICAÇÃO DA ESPECTROSCOPIA NO INFRAVERMELHO PRÓXIMO COMO FERRAMENTA PARA AVALIAÇÃO DE CONSTITUINTES QUÍMICOS E MELHORAMENTO GENÉTICO DE MATRIZES AGRÍCOLAS

n° SGP 565

Os melhoristas para desenvolverem suas atividades necessitam ter em mãos coleções de germoplasma da espécie em estudo. Sob a perspectiva agronômica, as coleções das espécies cultivadas são bem conhecidas, visto que o melhoramento convencional de grande parte das espécies tem apresentado grandes avanços tecnológicos ao longo desses últimos 40 anos. Entretanto, do ponto de vista da variabilidade da qualidade química muito pouco se conhece sobre os genótipos dessas espécies cultivadas e tampouco das espécies em melhoramento. Ao aplicarem o processo seletivo convencional de cultivares, geram inúmeras linhagens e repetições de campo, inviabilizando a execução de avaliações químicas dos produtos pelos métodos tradicionais. Essas ações conduzem a perdas no processo de seleção de genes relacionados às características químicas de interesse, cujas propriedades são de grande valia no campo tecnológico e nutricional. A técnica espectroscópica no infravermelho próximo (EIV), associada a quimiometria, tornaram-se métodos analíticos rápidos para quantificar os constituintes determinantes da qualidade dos produtos agrícolas. As quantificações dos componentes químicos como teor de óleo, de ácidos graxos, proteína bruta, umidade, amido, entre outros, podem ser simultâneas e analisadas em segundos, em contrapartida a uma análise convencional que pode prolongar-se por 48 horas ou mais. A função especial do projeto será empregar a EIV como uma ferramenta de resposta rápida na prospecção dos constituintes químicos e oferecer o conhecimento químico a ser usado como instrumento em biotecnologia, visando a geração de matéria-prima de melhor qualidade.

Ver detalhes do projeto

  Cássia Regina Limonta Carvalho      IAC

Avaliação do potencial de eutrofização do cultivo de tilápias em tanques-rede situados em hidrelétricas da Bacia do Alto Paraná.

n° SGP 560

O processo de eutrofização em ecossistemas aquáticos comumente ocorre devido ao incremento de nutrientes na água os quais são assimilados pelo fitoplâncton desencadeando seu crescimento excessivo. O excesso de algas pode ocasionar prejuízos à qualidade da água como: diminuição da transparência da água, falta de oxigênio, floração de cianobactérias entre outros fatores. Nos últimos anos a implantação de tanques-rede em reservatórios situados no Estado de São Paulo tem aumentado. Parte da ração utilizada nesse sistema produtivo é perdida d´água liberando fósforo para a coluna, esse elemento em excesso pode desencadear o processo de eutrofização. Durante um período de 3 anos serão realizadas coletas de água na área de influência de tanques-rede implantados em reservatórios situados na Bacia do Alto Paraná. O objetivo será o de caracterizar a qualidade da água desses locais a partir do levantamento de variáveis físicas, químicas e biológicas da água com vistas à produção ambientalmente sustentável. A presente pesquisa está inserida no Projeto “Improved quality of cultured fish for human consumption”, cujo qual é resultado de uma parceria entre o Brasil e a Dinamarca.

Ver detalhes do projeto

  Cacilda Thais Janson Mercante      IP

Estudo de Lipoxigenases em culturas especiais de soja para consumo humano

n° SGP 558

A produção brasileira de soja,da safra 2014/2015,atingiu 95 milhões de toneladas (CONAB,maio2015),que poderá tornar o Brasil o principal produtor mundial dessa leguminosa, dependendo da próxima safra dos EUA ainda em fase de semeadura. Esta produção destina-se na maior parte à exportação nas formas de grãos, farelo e óleo, e secundariamente ao consumo interno, para ração animal, extração de óleo para consumo da população, produção de biodiesel e consumo “in natura”. O modelo tecnológico predominante de produção de soja apóia-se no uso intensivo de agroquímicos. Nos últimos 17 anos, o uso de sementes transgênicas expandiu-se em todas as regiões produtoras. As denominadas sojas especiais, caracterizadas pela qualidade do sabor superior (leves e adocicadas), apresentam sementes grandes ou  pequenas, com  diferentes tegumentos de coloração amarela, preta, marrom ou verde. Essas sojas especiais podem ser  utilizadas como hortaliças, na forma de brotos, grãos verdes, entre outros caracteres relacionados à composição das sementes como teores de proteína, óleo, ácidos graxos, tocoferóis, isoflavonas, inibidores de tripsina e ácido fítico. Estas cultivares de soja distinguem-se das comumente comercializadas no mercado internacional. Exigem modelo tecnológico diferenciado, como olericultura, típicas de pequenas propriedades de gestão familiar (Carrão-Panizzi,2011). A disponibilidade destas cultivares é interessante para introdução do cultivo de soja em regiões agrícolas com predominância de agricultura familiar, sem tradição de produção de soja convencional e sem riscos de contaminação pela soja transgênica em expansão no país.Para sua difusão são exigidas ações mercadológicas que evidenciem suas carac

Ver detalhes do projeto

  Rose Marry Araújo Gondim Tomaz      IAC

Características da fotossíntese e do metabolismo de carboidratos de espécies vegetais cultivadas em ambiente natural e sob estresse abiótico

n° SGP 556

Várias culturas no Brasil estão sendo submetidas a condições ambientais restritivas de temperatura e/ou de água, que poderão ser ainda agravadas devido às mudanças climáticas globais. A sustentabilidade da produção agrícola depende do suprimento contínuo de variedades com maior tolerância às variações ambientais, além da tolerância às pragas e doenças. Além disso, estudos aprofundados da fisiologia da planta são fundamentais para aprimorar as estratégias de manejo da cultura.  O presente projeto tem por objetivo analisar em espécies vegetais cultivadas aspectos fisiológicos relacionados à fotossíntese e ao metabolismo de carboidratos em condições naturais do Estado de São Paulo e/ou em condições controladas sob estresse hídrico, térmico ou luminoso. As principais culturas abordadas neste projeto são cana-de-açúcar (Saccharum spp.), espécies de citros e palmeiras produtoras de palmito. Em cana-de-açúcar serão quantificados em folhas e colmos os teores de sacarose e as enzimas envolvidas no seu acúmulo, durante períodos distintos do ciclo da cultura. Em laranjeiras ‘Valência’ e limoeiros ‘Lisboa’, expostos às variações sazonais das condições ambientais, serão avaliadas as trocas gasosas e a eficiência do uso do N. Já com relação às palmeiras produtoras de palmito, estamos realizando estudos de trocas gasosas e das relações entre plantas e ambiente de cultivo.


 
Ver detalhes do projeto

  Norma de Magalhães Erismann      IAC

Identificação e controle das principais doenças e distúrbios fisiológicos em fruteiras de clima tropical e sub tropical

n° SGP 554

             A presença de doenças em fruteiras tropicais e sub-tropicais constitui motivo de preocupação para os agricultores, por representar uma ameaça constante à produção agrícola.

            Existe muita dificuldade na identificação de patógenos, com os quais os produtores não estão familiarizados.

             Este projeto visa pricipalmente, identificar e caracterizar as principais doenças, sua distribuição, seus danos e possíveis medidas de controle para doenças no campo e pós-colheita.

Ver detalhes do projeto

  Eduardo Monteiro de Campos Nogueira      IB

Efeito de reguladores de crescimento em condições de indução e não-indução floral artificial na cana-de-açúcar

n° SGP 551

Os reguladores vegetais agem alterando a morfologia e a fisiologia da planta podendo levar a modificações qualitativas e quantitativas na produção. Podem atuar promovendo a diminuição do crescimento da planta, possibilitando incrementos no teor de sacarose, precocidade de maturação, aumento na produtividade com o aumento do número de internódios, inibição da floração e também atuar sobre as enzimas (invertases), que catalisam o acúmulo de sacarose nos colmos. Sua aplicação no sistema de produção da cana-de-açúcar tem proporcionado uma maior flexibilidade no gerenciamento da colheita, altamente relevante para o planejamento da safra, além de propiciar a industrialização de uma matéria-prima de melhor qualidade. Porém, a viabilidade da utilização depende de uma série de fatores, sejam eles climáticos, técnicos, econômicos e, sobretudo, das respostas que cada variedade possa proporcionar a esta prática de cultivo.

O Ethrel® é utilizado em cana-de-açúcar para diversos propósitos destacando o aumento do teor de sacarose antecipando a maturação (maturador), a inibição da floração e mais recentemente ganhos em produtividade (aumento do número de internódios) e também na redução da isoporização em algumas variedades que apresentam indução floral.

Ver detalhes do projeto

  Maximiliano Salles Scarpari      IAC

LEVANTAMENTO, IDENTIFICAÇÃO E CONTROLE DAS PRINCIPAIS DOENÇAS E DISTÚRBIOS FISIOLÓGICOS EM FRUTEIRAS DE CLIMA SUB-TROPICAL.

n° SGP 550

A presença de doenças em fruteiras tropicais e sub-tropicais constitui motivo de preocupação para os agricultores, por representar uma ameaça constante à produção agrícola. Existe

muita dificuldade na identificação de patógenos, com os quais os produtores não estão familiarizados. Este projeto visa pricipalmente, identificar e caracterizar as principais doenças,

sua distribuição, seus danos e possíveis medidas de controle para doenças no campo e pós-colheita.

Ver detalhes do projeto

  Eduardo Monteiro de Campos Nogueira      IB

Melhorias na colheita de material clínico e procedimentos laboratoriais para o isolamento de Leptospira spp.

n° SGP 549

A leptospirose é uma zoonose naturalmente transmissível entre animais vertebrados e o homem  causada por espiroquetas do gênero Leptospira spp, bactérias da ordem Spirochaetales, família Leptospiracea, gênero Leptospira. É evidenciada em todo o mundo , sendo particularmente prevalente em países de clima tropical a subtropical, principalmente nos períodos de altos níveis pluviométricos , devido à grande sobrevivência do gênero Leptospira em ambientes úmidos, o que aumenta o risco de exposição e contaminação de animais susceptíveis .

A leptospirose nos animais de produção está principalmente relacionada aos problemas reprodutivos, com queda da produtividade dos rebanhos acometidos, nascimento de produtos debilitados, natimortos, abortamentos e condenação de vísceras à inspeção veterinária .

A cultura para isolamento do agente é uma técnica específica de diagnóstico. Os meios mais utilizados para isolamento das leptospiras são os de Fletcher (enriquecido com soro de coelho a 10%) e o EMJH (com albumina e Tween 80). Pode-se cultivar sangue, líquor ou urina, conteúdo gástrico de fetos abortados, fragmentos de rins, fígado e baço. As culturas devem ser realizadas imediatamente após o recebimento da amostra, pois a eficácia das técnicas de isolamento pode ser comprometida pela presença de microrganismos contaminantes, que, normalmente, são de rápido crescimento, alterando o meio de cultura e impedindo a multiplicação das leptospiras.  A assepsia e outros cuidados no momento da necropsia e do armazenamento das amostras, além da rapidez no envio do material são de fundamental importância para o diagnóstico.

É necessário utilizar uma combinação de procedimentos que consiga reunir as características de sensibilidade, especificidade, facilidade de aplicaç&

Ver detalhes do projeto

  Vanessa Castro      IB

DESENVOLVIMENTO DE AGROQUÍMICOS COMO INSUMOS PARA A PRODUÇÃO AGRÍCOLA

n° SGP 548

O Brasil destaca-se como o maior consumidor mundial de defensivos agrícolas, em vista de sua imensa área de plantio e de obtermos, em algumas regiões, duas safras e meia por ano, além do fato de predominar ambientes tropicais, que favorecem a proliferação de pragas, doenças e plantas daninhas, o que não acontece na agricultura do hemisfério norte, por ser de clima temperado ou frio. A indústria de defensivos agrícolas busca, cada vez mais, desenvolver moléculas eficientes e de custo menor aos produtores, possibilitando o crescimento sustentável da produção e a qualidade do alimento gerado. Os investimentos em inovação com defensivos agrícolas buscam nova geração de agrotóxicos que tenham o equilíbrio entre a proteção dos cultivos, o aumento da produtividade da lavoura e o menor impacto sobre o ambiente e as pessoas envolvidas no processo. Os novos defensivos que chegam ao mercado promovem avanços em três frentes: reduzem o volume de doses aplicadas, solucionam o problema da resistência e fazem combinações para proteção de lavouras contra duas pragas, usando apenas um produto. Neste contexto, há a necessidade de estudos em estações experimentais credenciadas para avaliar a eficiência e praticabilidade agronômica e fitotoxicicidade dos agroquímicos nas diferentes culturas e alvos biológicos em nossas condições edafoclimáticas.

Ver detalhes do projeto

  Daniel Andrade de Siqueira Franco      IB

MICOPLASMOSES EM ANIMAIS DE PRODUÇÃO

n° SGP 543

Microrganismos do gênero Mycoplasma são considerados causadores de patologias em várias espécies animais economicamente. Os agentes tem distribuição mundial e, do ponto de vista econômico, podem ser disseminados através do comércio internacional de animais, sêmen industrializado, produtos de transferência de embriões, produtos imunobiológicos e demais produtos biológicos utilizados em procedimentos industriais, veterinários, laboratoriais, etc.

Os métodos utilizados para a detecção de Mycoplasma spp. estão restritos a técnicas de isolamento e identificação sorológica das estirpes isoladas (Imunoperoxidase, Imunofluorescência e Elisa), no entanto estes procedimentos são demorados, de difícil observação e dispendiosos. O isolamento bacteriológico permite a detecção de diferentes estirpes de Mycoplasma spp., no entanto, diversas estirpes de Mycoplasma isoladas não podem ser diferenciadas em espécie através desta técnica, já que a morfologia colonial é muito semelhante. O resultado final é considerado positivo para o gênero Mycoplasma, quando não há disponibilidade para tipificação sorológica e/ou molecular das estirpes. Técnicas moleculares, como a PCR (Polimerase Chain Reaction ou Reação em Cadeia pela Polimerase), têm sido um grande avanço para o diagnóstico das micoplasmoses pois, além de detectarem estirpes inviáveis para o isolamento, requerem pequenas quantidades de DNA presentes na amostra clínica a ser

Os agentes infecciosos clássicos, vírus, bactérias, fungos, espiroquetas, protozoários e helmintos estão presentes e são motivos de preocupação na exploração moderna dos animais, principalmente quando se está aumen

Ver detalhes do projeto

  Maristela V. Cardoso      IB

SELEÇÃO DE MATRIZES DE MACAÚBA PARA FORMAÇÃO DE JARDIM DE SEMENTES E PRODUÇÃO DE MUDAS COMERCIAIS VISANDO AO BIODIESEL COM PRESERVAÇÃO DE VARIABILIDADE GENÉTICA

n° SGP 539

Questões energéticas estão pautando a agenda diplomática internacional e, segundo especialistas, caminhamos para um mundo de grande diversificação energética em que a proeminência de qualquer uma das fontes de energia dependerá da geografia, tecnologia, vontade politica e investimentos em pesquisa. A biomassa para produção de energia é uma das principais alternativas energéticas de países com a geografia e dimensão do Brasil. O Plano Paulista de Energia oferece um conjunto de diretrizes e propostas de políticas públicas na área da energia e destaca a macaúba como opção de cultivo no estado de São Paulo, com vistas à ocupação de áreas não adequadas para mecanização ou espaços subutilizados e a necessidade de ampliar a inclusão social em locais como Vale do Paraíba, Vale do Ribeira e Vale do Paranapanema. Diante deste cenário, apresentamos uma proposta de estudo com a macaúba, a palmeira nativa de maior ocorrência no Brasil, estando presente em todas as regiões, inclusive em áreas com déficit hídrico. A elevada produtividade de frutos com altos teores de óleo na polpa e na semente a credenciam como uma das principais alternativas brasileiras para o fornecimento de matéria prima para biodiesel. A grande variabilidade no rendimento e na composição dos ácidos graxos no óleo da polpa da macaúba que temos observado indica que diferentes genótipos podem oferecer ganhos diferenciados e gerar óleos com estruturas químicas distintas. Porém, o interesse comercial por esta espécie aumenta rapidamente, havendo necessidade de disponibilizar materiais para plantio com qualidades agronômicas mínimas que garantam a sua competividade. Além de bons atributos agronômicos, outra preocupação seria o plantio de mudas com ampla base genética como forma de mitigação de adversidades causadas por mudanças climáticas.

Ver detalhes do projeto

  CARLOS AUGUSTO COLOMBO      IAC

AVALIAÇÃO AGRONÔMICA DE VARIEDADES DE VIDEIRA DESTINADAS À ELABORAÇÃO DE VINHOS BRANCOS EM DUAS REGIÕES DE SÃO PAULO

n° SGP 535

O projeto objetiva avaliar o desempenho agronômico de cinco variedades de uvas brancas destinadas à vinificação, enxertados sobre dois porta-enxertos, nas regiões leste e noroeste do estado de São Paulo. Os experimentos estão localizados na área experimental do Centro APTA de Frutas em Jundiaí/SP e no Centro de Seringueira e Sistemas agroflorestais, em Votuporanga/SP. Os tratamentos serão constituídos pela combinação das variedades 'SR 0.501-17', 'Moscato Embrapa', 'Moscatel de Jundiaí', 'BRS Lorena' e 'Madalena' enxertadas sobre os porta-enxertos IAC 766 'Campinas' e IAC 572 ‘Jales’. O delineamento experimental utilizado será em blocos ao acaso com cinco repetições. Em cada área experimental serão avaliadas, em dois ciclos, para cada variedade as variáveis: produtividade em kg planta-1, massa fresca dos ramos, número de cachos por planta, estádios fenológicos, características físicas de cachos e bagas e características químicas do mosto de cada variedade de uva enxertada sobre os dois porta-enxertos. Realizar-se-á a microvinificação das variedades em um ciclo, bem como análises químicas e sensoriais dos vinhos. Com os dados obtidos em cada região, serão realizadas análises de variâncias individuais para cada variedade por região e as diferenças entre as médias dos tratamentos serão verificadas pelo teste Tukey ao nível de 5% de probabilidade. 

Ver detalhes do projeto

  Mara Fernandes Moura      IAC

IDENTIFICAÇÃO DE GENES RELACIONADOS A INDUÇÃO DO FLORESCIMENTO

n° SGP 534

Embora o florescimento é um mecanismo de extrema importância para a cultura da cana-de-açúcar, há poucas informações a respeito dos genes envolvidos na via de indução do florescimento. Este projeto tem como objetivo utilizar ferramentas moleculares para identificar genes envolvidos no processo de induçao ao florescimento em cana-de-açúcar. Os ensaios estão sendo conduzidos em Câmara de Fotoperiodo Autimatizada localizada na Fazenda Experimetal do Centro de Cana.

Ver detalhes do projeto

  Luciana Rossini Pinto      IAC

Estudos fisiológicos em Fusarium sp. de crisântemo e reação de resistência de crisântemos ao complexo Fusarium sp. x Pratylenchus coffeae.

n° SGP 531

O crisântemo, cultivado para flor-de-corte ou para vasos, é hoje uma das ornamentais mais comercializadas no Brasil, principalmente no Estado de São Paulo. Essa planta é hospedeira de inúmeros fitopatógenos, como por exemplo de espécies de Fusarium, que podem causar destruição do sistema radicular, descoloração dos vasos ou podridão no colo das plantas, com conseqüentes sintomas reflexos na parte aérea da planta como o amarelecimento das folhas e murcha. O crisântemo possui, também, grande potencial de produção. No entanto, o plantio desta ornamental, em solos contaminados por Fusarium spp., pode implicar em decréscimo de produtividade ou até mesmo mudança de local de cultivo. No Brasil, em locais de produção desta cultura, não se sabe, ao certo, qual é a real etiologia do fitopatógeno, qual (is) espécie (s) de Fusarium prevalece (m) e qual o comportamento de novas variedades de crisântemo frente a este fitopatógeno e em situações de inoculação combinada do fungo com fitonematóide, no mesmo local. A cultura também pode ser afetada por fitonematóides e esses podem interagir com fungos de solo. Ao penetrarem nas raízes, os fitonematóides causam ferimentos e esses locais servem de porta de entrada para os fungos de solo. Acrescente-se que, há ainda a hipótese dos fitonematóides predisporem fisiologicamente a planta à atuação do fungo. Portanto, o presente projeto tem como objetivo efetuar uma caracterização patogênica, morfológica e molecular de uma população de Fusarium spp., agente causal de murcha ou podridão do colo em crisântemo (Dendranthema sp.) e estudar a resistência de novas variedades de crisântemo, da série ‘Madiba’, à inoculação isolada do Fusarium spp. e combinação do fungo com o fitonematóide Pratylenchus coffeae, visando

Ver detalhes do projeto

  César Júnior Bueno      IB

Controle biológico de Lasiodiplodia theobromae, de videira, com Trichoderma

n° SGP 523

O estado de São Paulo está entre os maiores produtores brasileiro de uva de mesa. A produção, basicamente com a uva Niagara Rosada, destina-se ao consumo in natura. Há poucos estudos realizados com essa variedade, principalmente com relação a pragas e doenças.
Os ramos de Niagara Rosada no estado de São Paulo têm apresentado alta incidência do fungo Lasiodiplodia theobromae devido a não proteção destes ramos podados com fungicidas ou qualquer outro produto. 
A sociedade vem pressionando o campo a diminuir o uso de fungicidas e inseticidas nas culturas. Essa pressão vem abrindo porta para o uso de agentes de controle biológico. O papel dos agentes de controle biológico na agricultura para o manejo de pragas e doenças vem se tornando cada vez mais crucial, em alguns casos, complementando ou substituindo os agroquímicos (TEMPLETON; HEINY, 1989; WHIPS; LUMSDEN, 2001).
Assim sendo, o presente projeto está propondo selecionar isolados de Trichoderma com vistas a futuro controle biológico de Lasiodiplodia theobromae com Trichoderma, em ramos podados da uva Niagara Rosada.

Ver detalhes do projeto

  César Júnior Bueno      IB

Estudo das interações epidemiológicas de fitovírus em horticultura

n° SGP 522

Na maioria dos ecossistemas agrícolas, há escassez de pesquisa relacionada à epidemiologia dos vírus de plantas, principalmente referentes à distribuição temporal e espacial dos insetos vetores em culturas de ciclo curto ou semi-perenes e sua conseqüência na disseminação de diferentes espécies de vírus. A precisa informação da dinâmica populacional dos potenciais vetores de vírus que visitam uma cultura, relacionada à incidência da doença, é fator essencial para se determinar qual espécie de inseto vetor é a mais eficiente na transmissão e disseminação dos vírus. Esta correlação permite estimar o tempo e a extensão das epidemias. Assim, os dados obtidos nos levantamentos relativos à relação vírus/vetor, suprimem a necessidade de realizar testes de eficiência de transmissão de um vetor em condições de laboratório. Este projeto tem como fundamento fornecer subsídios para o entendimento das inter-relações existentes entre os insetos vetores e os vírus frente à pressão exercida no sistema de monocultura, bem como o papel da vegetação espontânea na manutenção da pressão de inóculo de viroses e colonização dos seus respectivos vetores.

Ver detalhes do projeto

  Alexandre Levi Rodrigues Chaves      IB

Estudo da diversidade e interação de plantas invasoras como reservatório de fitovírus em culturas de importância econômica

n° SGP 521

Os vírus, por não serem disseminados de forma livre na natureza, diferentemente dos fungos e bactérias, mantêm inter-relações complexas com suas hospedeiras e seus vetores. No Brasil, devido a riquesa e diversidade florística é registrada  uma considerável da incidência de diferentes espécies de vírus em áreas agrícolas. Este fenômeno esta diretamente relacionado à falta de estudos direcionados ao monitoramento e elucidação das interações vírus/vetor/hospedeiro. Para tanto, estudos de campo associados às atividades laboratoriais, são de extrema importância para traçar estratégias de prevenção e manejo das viroses em areas cultivadas com espécies agrícolas de importâcia econômica. O presente projeto tem como objetivos realizar o levantamento, identificação e incidência de insetos vetores e avaliar suas interações na transmissão e disseminação dos vírus em espécies de olerícolas, ornamentais e espontâneas “arvenses” (plantas reservatórios naturais de vírus próximas a áreas cultivadas). Diante  da localização geográfica e aptidão agrícola do estado de São Paulo, o monitoramento e  levantamento de diversas culturas permitirão  estabelecer estratégias para o controle de diversas espécies de vírus, principalmente aqueles transmitidos por afídeos e tripes.

Ver detalhes do projeto

  Alexandre Levi Rodrigues Chaves      IB

Desempenho e potencial de controle de fungicidas e indutores de resistência no manejo da requeima (Phytophthora infestans) e pinta preta (Alternaria solani) nas culturas de batata e tomate.

n° SGP 519

A ocorrência da requeima (Phytophthora infestans) e da pinta preta (Alternaria spp) está entre os principais fatores limitantes à produção econômica de batata e tomate no Brasil e no mundo. O alto potencial destrutivo dessas doenças, aliado quase sempre a cultivares com baixos níveis de resistência, torna a utilização de fungicidas e indutores uma das principais medidas efeitvas de controle.

A agricultura consciente de seu papel na produção de alimentos seguros, conservação do meio ambiente e na qualidade de vida de seus consumidores e trabalhadores, tem preconizado o uso de fungicidas e indutores de resistencia  dentro de programas multidisciplinares de controle. O conhecimento do potencial de controle desses produtos é fundamental para que estes alcancem melhores resultados, a custo competitivo e baixo impacto ambiental.

Eficácia, modo de ação e resistência a precipitações são fatores que devem ser tecnicamente considerados em programas de manejo que visem a sustentabilidade das cadeias produtivas da batata e tomate. Os resultados a serem obtidos  nesse projeto são de grande importância para produtores, técnicos, associações e cooperativas, pois permitem direcionar e disciplinar o uso de fungicidas e indutores  em função do potencial de controle desses produtos. A possibilidade de integração entre fungicidas e indutores de resistência em misturas ou programas de aplicação no controle da requeima e pinta preta da batata abre perspectivas a um controle conceitualmente mais completo e eficaz.

Ver detalhes do projeto

  Jesus Guerino Tofoli      IB

Ocorrência e caracterização de vírus em plantas ornamentais

n° SGP 518

Considerando-se o crescimento do setor de horticultura ornamental no Brasil, especialmente no estado de São Paulo, pesquisas vêm sendo desenvolvidas pelo GOIB (Grupo de Pesquisa em Ornamentais do Instituto Biológico),  visando a detecção e caracterização de vírus presentes em diferentes culturas de importância econômica. Os estudos são realizados com as principais culturas como: orquideas, petunia, impatiens, gladiolo, rosa, craveiro, primavera, amarilis, alstroemeria, tulipas, etc.

Além da caracterização biológica (transmissão mecânica) e sorológica (DAS- ELISA e ELISA indireto) são realizados estudos moleculares e análises filogenéticas permitindo a disponibilização, no GenBank, de  dezenas de sequencias de nt e aa de  fitovirus. 

Ver detalhes do projeto

  Maria Amelia Vaz Alexandre      IB

Influência da infecção viral na sanidade e nos princípios ativos de plantas medicinais, aromáticas e condimentares

n° SGP 517

O cultivo de plantas medicinais e aromáticas vem crescendo, nos últimos anos e sua produção pode ser uma importante alternativa para a agricultura familiar, gerando renda e empregos. Somente o segmento de fitoterápicos movimenta anualmente, no mundo, cerca de 22 bilhões de dólares. No Brasil, esse segmento responde por cerca de 7% do mercado farmacêutico, ou seja, 400 milhões de dólares/ano, gerando em torno de 100 mil empregos diretos e indiretos. Da mesma forma, pesquisas com espécies com atividade medicinal e condimentar vêm sendo amplamente divulgadas, porém, no que se refere aos problemas fitossanitários, especialmente aqueles causados por vírus são escassas. Com relação aos princípios ativos, que em sua maioria são substâncias do metabolismo secundário, a concentração na planta pode variar de acordo com fatores abióticos (clima, temperatura, fotoperíodo) e bióticos, destacando-se a infecção causada por fitopatógenos. Assim sendo, pretende-se realizar levantamento da ocorrência de vírus em plantas medicinais e condimentares em regiões produtoras de São Paulo e identificá-los por meio de testes biológicos, sorológicos e moleculares. Além disso, para avaliar a influência da infecção viral na concentração do princípio ativo, serão efetuadas extrações a partir de folhas experimentalmente infectadas, de plantas sadias (controle 1) e de plantas cujas folhas foram friccionadas com o tampão de inoculação (controle 2). O método empregado na extração dependerá da classe de metabólitos secundários selecionada e a quantificação será baseada em técnicas cromatográficas e/ou espectrofotométricas. O desenvolvimento deste projeto permitirá o estabelecimento da ocorrência de vírus e de sua relação com a produção de princ

Ver detalhes do projeto

  Lígia Maria lembo Duarte      IB

Extratos vegetais com atividade antiviral

n° SGP 516

O controle de fitoviroses tem sido realizado através da utilização de algumas medidas, como práticas culturais adequadas; combate aos insetos vetores, com inseticidas; erradicação das fontes de vírus, entre outras. Entretanto, nem sempre essas medidas são eficientes, portanto, o estudo de medidas alternativas se faz necessário. Assim sendo, diversas espécies tem sido estudadas por conterem substâncias que inibem a infecção viral. Com base nesses dados, este projeto tem por objetivo selecionar espécies, principalmente as da ordem Caryophyllales, sendo que o efeito do inibidor na replicação do vírus será estudado, realizando-se testes biológicos e serológicos. Além disso, a espécie que induzir porcentagens de inibição superiores a 50% será submetida a purificação da substância inibidora, para posterior produção de antissoro, que será utilizado para estudar o mecanismo de ação de tais substâncias. Esse projeto fornecerá subsídios para obtenção de medida alternativa de controle de fitoviroses, através da utilização de extratos vegetais com atividade inibidora de infecção, com a vantagem desses extratos não serem fitotóxicos, além de serem biodegradáveis e facilmente encontrados na natureza.

Ver detalhes do projeto

  Lígia Maria lembo Duarte      IB

AVALIAÇÃO DE MÉTODOS DE CONTROLE PARA O MANEJO PÓS-COLHEITA DO BOLOR VERDE EM CITROS DE MESA

n° SGP 515

Um dos fatores que contribui para a elevada quantidade de perdas quantitativas e qualitativas em citros é a ocorrência de podridões durante o armazenamento, transporte e comercialização das frutas. Quando permitido, a utilização de fungicidas ainda é a principal medida para o controle de podridões. No entanto, poucos são os produtos registrados para uso em pós-colheita. Além disso, a preocupação mundial com relação à poluição ambiental e aos riscos à saúde promovidos pelos agrotóxicos, somado à resistência de patógenos a fungicidas e a
retirada de alguns produtos do mercado, têm levado ao aumento das pesquisas envolvendo a utilização de agentes alternativos para o controle de doenças. Este projeto será desenvolvido com o objetivo de avaliar os efeitos de agentes alternativos (tratamento térmico, fosfito e quitosana) em associação à refrigeração, no controle de podridões pós-colheita do bolor verde e sobre a qualidade de citros (tangor Murcott, clementina Nules, tangerinas Thomas e Fremont e outros quatro híbridos em avaliação no programa de melhoramento de citros realizado pelo Centro Avançado de Pesquisa Tecnológica do Agronegócio de Citros Sylvio Moreira/IAC). A possibilidade dos agentes induzirem respostas de defesa nas frutas também será investigada. Frutas de diferentes cultivares serão inoculadas através de injeção subcuticular de suspensão de esporos de P. digitatum, tratadas com os agentes alternativos em diferentes concentrações/temperatura e tempos de exposição, e armazenadas sob condições ambiente (25 °C / 80% UR), sendo avaliadas, periodicamente, quanto à incidência e severid

Ver detalhes do projeto

  Patrícia Cia      IAC

Absorção de nutrientes pelo hibrido de tomate Pietra ao longo do ciclo de cultivo

n° SGP 514

Na horticultura, a nutrição e adubação de plantas, dentre outras ferramentas de cultivo, é fundamental para o sucesso de qualquer atividade agrícola. Os estudos de absorção de nutrientes ao longo do ciclo produtivo possibilitam conhecer os perí­odos de maior exigência nutricional e de produção de massa de matéria seca em função da idade da planta, obtendo-se informações seguras quanto as épocas mais convenientes de aplicação de fertilizantes, quer sejam de origem quí­mica ou orgânica. Esse tipo de estudo faz-se essencial devido a constante atualização de cultivares e hí­bridos disponí­veis ao produtor, disponibilizados por empresas públicas e privadas, que cada vez mais apresentam resistência a pragas e doenças, são adaptados a diferentes condições climáticas e aproveitam melhor os insumos disponí­veis, aumentando seu potencial produtivo e precocidade. Consequentemente, com a maior produção de massa vegetal, também se altera a necessidade nutricional dessas plantas. Assim o presente projeto tem o objetivo de determinar a absorção de nutrientes pelo hí­brido de tomate Pietra, através do conhecimento da massa seca e dos teores de macro e micronutrientes nas suas diferentes partes (parte aérea, frutos e raí­zes), durante o seu ciclo produtivo.

Ver detalhes do projeto

  Luis Felipe Villani Purquerio      IAC

Bacteriologia de tilápias do Nilo em tanques-rede no Estado de São Paulo

n° SGP 509

A produção de peixes em água doce, visando alimentação humana, enfrenta inúmeros desafios. Dentre os principais relacionados à sanidade, destaca-se o aumento do risco de infecções bacterianas na produção intensiva e o potencial zoonótico de agentes causadores de doenças nestes sistemas produtivos. Diante destes desafios, o objetivo deste projeto é monitorar, pela microbiologia clássica e molecular, a ocorrência de bactérias em tilápias do Nilo criadas em tanques-rede em reservatórios de hidrelétricas do Estado de São Paulo durante 3 anos, visando caracterizar o problema para propor soluções de incremento na saúde dos peixes. Este projeto é parte do projeto Temático IMPCON – IMProved quality of cultured fish for human CONsumption, uma parceria entre Brasil e Dinamarca, visando melhorar a qualidade da aquicultura de reservatórios de Hidrelétrica no Estado de São Paulo, Brasil e da produção de peixes em sistemas de recirculação na Dinamarca.

Ver detalhes do projeto

  Fabiana Garcia Scaloppi      IP

Detecção de perigos biológicos e de seus fatores de virulência em alimentos de origem animal e vegetal. Avaliação de suas relações com o meio ambiente.

n° SGP 505

As doenças transmitidas por alimentos (DTA) contribuem para uma parcela considerável da morbi-mortalidade geral, enquanto a contaminação dos alimentos por substâncias químicas é um problema cada vez maior em países em desenvolvimento. Estatísticas mostram que as doenças transmitidas por alimentos, sobretudo as de causa microbiana, estão aumentando em todo mundo independente de sua composição racial, grau de desenvolvimento, condição socioeconômica e cultural. Essas doenças são um dos principais fatores que contribuem para os índices de morbidade nos países da América Latina e do Caribe. O Comitê da Food and Agriculture Organization of the United Nations (WHO/FAO) admite que doenças oriundas de alimentos contaminados sejam, provavelmente, o maior problema de saúde no mundo contemporâneo. A campilobacteriose é uma zoonose de distribuição mundial, sendo as espécies Campylobacter jejuni e C. coli, consideradas a etiologia mais comum de diarreia em crianças de países em desenvolvimento e de enterites em regiões industrializadas. Já foram descritos mais de onze fatores de virulência relacionados à estas bactérias, sendo a toxina citoletal distensiva (CDT), como um dos principais fatores de virulência. Sua atividade é codificada pelo complexo de genes cdt, que no caso do C. jejuni e C. coli, consiste de três genes adjacentes denominados cdtA, cdtB e cdtC. No presente estudo, serão isoladas e identificadas estirpes de C. jejuni e C. coli, a partir de amostras de alimentos, representados pelas principais fontes de origem animal e vegetal descritos como possíveis transmissores de Campylobacter spp. para o homem. Será detectada a presença do complexo de genes cdt e, posteriormente, verificada a inter-relação entre as estripes isoladas de origem animal e vegetal. As amostras serão coletadas de diferentes espécies animais e veg

Ver detalhes do projeto

  Eliana Scarcelli Pinheiro      IB

SELEÇÃO DE MICRORGANISMOS ISOLADOS DE TILÁPIA PARA UTILIZAÇÃO COMO PROBIÓTICO EM PEIXES

n° SGP 495

Nos últimos anos têm-se intensificado o número de pesquisas voltadas ao desenvolvimento de alimentos funcionais e de substâncias que promovam o aumento na eficiência alimentar e na taxa de crescimento dos peixes. Dentre os alimentos funcionais, ou seja, alimentos que fornecem a nutrição básica e a melhora da saúde de peixes encontram-se os probióticos. Esses elementos possuem potencial para promover a saúde por meio de mecanismos não previstos pela nutrição convencional. Os probióticos são suplementos alimentares compostos de microorganismos vivos que beneficiam a saúde do hospedeiro, através do equilíbrio da microbiota intestinal. Objetiva-se com este estudo selecionar bactérias probióticas para peixes de água doce, isoladas do intestino e pele de tilápia, Oreochromis niloticus. Serão selecionadas as bactérias, que mostrarem efeitos positivos na capacidade de adesão, capacidade de colonização, e de multiplicação proveniente de material mucoso de pele e de intestino, sobrevivência na presença de bílis e capacidade de inibir os microorganismos patogênicos por meio de substâncias antimicrobianas. Serão realizados também, testes com as possíveis bactérias probióticas em tilápia para confirmar sua aplicabilidade na aquicultura. Estes testes servirão para selecionar uma bactéria com capacidade de proporcionar melhor desempenho zootécnico e melhora do sistema imune. Após a confirmação da bactéria ter potencial para probiótico, será realizado registro (“Patente”) para utilização desta bactéria como probiótica para tilápia. 

Ver detalhes do projeto

  Leonardo Tachibana      IP

Influência das modificações em currais de manejo no comportamento e nos parâmetros sanguíneos em bovinos de corte das raças nelore, caracu e guzerá

n° SGP 494

O Brasil tem passado por um processo de diminuição da população do campo, que vem ocasionando escassez da mão de obra qualificada para o trabalho com bovinos de corte. Por outro lado a maioria dos currais não foi construída a partir dos princípios de bem estar animal. Medidas do comportamento animal, assim como avaliação dos parâmetros sanguíneos cortisol, lactato e glicose são bons indicadores de bem estar animal. O objetivo do projeto de pesquisa é modificar currais já existentes, em fazendas de gado de corte, com vistas a melhorar o bem estar animal, ou seja, avaliar se a modificação nos currais de manejo poderá modificar o comportamento e parâmetros sanguíneos de bovinos nelore ou anelorados, em fazendas de cria ou recria, onde os animais já conhecem o curral e estão acostumados a serem manejados nele. Serão avaliados 100 bovinos nelore, em sete fazendas distintas. Inicialmente os animais serão manejados no curral, na forma usual da fazenda, quando será feira a primeira coleta de sangue e de informações de comportamento. Depois disso o curral sofrerá modificações de forma a facilitar o manejo e novamente os bovinos serão trazidos para o curral para nova coleta de sangue, entre 5 e 6 dias após a primeira coleta. Os princípios utilizados para modificações no curral são: bloquear a visão em determinados pontos, retirada dos cantos em ângulo reto. Também serão eliminados ambientes escuros onde os animais vão entrar, de poças de água ou qualquer reflexo de luz ou contrastes de cores ou pisos escorregadios. Serão avaliados o escore de entrada do animal no tronco, o comportamento durante a contenção para a coleta de sangue, o comportamento na saída do tronco de contenção e a velocidade de saída do tronco e tempo decorrido para os procedimentos. Os parâmetros sanguíneos a serem avaliados são cortisol, lactato e glicose. Os resultados demonstrarão se as mudanças

Ver detalhes do projeto

  Maria Lucia Pereira Lima      IZ

ESTUDO DA PESCA DE PEQUENA ESCALA ATRAVÉS DE ABORDAGENS ETNOECOLÓGICAS E DE DESENVOLVIMENTO SOCIAL E QUALIDADE DE VIDA

n° SGP 493

Objetivos: - Pesquisar, mediante a abordagem etnoecológica, os grupos de pescadores de pequena escala e extrativistas do litoral paulista: aspectos culturais, sociais, produtivos e de gênero; arranjos e mecanismos sociais internos e externos que afetam a comunidade e os pescadores. Estudar a dinâmica da pesca praticada (incluindo técnicas de manejo, instituições locais, regras de uso, territorialismo e o conhecimento ecológico local) e da cadeia produtiva local; transformações do sistema produtivo ao longo do tempo, inovações, perdas de conhecimento/práticas, ingresso/evasão de pescadores na atividade, etc.
- Estudar as condições e a qualidade de vida dos pescadores de pequena escala no litoral paulista, através dos índices IQCV e IQV, considerando as dimensões ambiental, social e econômica, no intuito de definir prioridades de ação pública, para que as políticas públicas voltadas para o setor fiquem mais próximas das necessidades dos pescadores e a fim de inferir sobre as suas perspectivas de sustentabilidade.
- Comparar a visão de agentes interventores (técnicos, intervenientes e extensionistas que atuam junto ao setor pesqueiro artesanal nos municípios/comunidades) sobre as condições de qualidade de vida e desenvolvimento social dos pescadores à visão e percepção dos próprios pescadores ao viverem tais condições;
- Comparar os índices IQCV e IQV aos dados municipais de IDH (Índice de desenvolvimento), com o objetivo de analisar e discutir a qualidade de vida do setor pesqueiro de pequena escala frente ao definido oficialmente para os municípios como um todo.

  Pretende-se estudar os grupos pesqueiros praticantes da pesca de pequena escala e extrativismo em área de manguezal no litoral paulista (para efeito de simplificação, no projeto estarão todos designados como pescadores). Esses grupos serão observados a partir das abordagens da etnoecologia e

Ver detalhes do projeto

  Ingrid Cabral Machado      IP

ESTUDO ETNOECOLÓGICO DA PESCA DE CRUSTÁCEOS EM SISTEMAS ESTUARINOS DO LITORAL CENTRO-SUL PAULISTA

n° SGP 492

 Objetivos: Pesquisar, mediante a abordagem etnoecológica 

1. Os grupos humanos usuários dos recursos pesqueiros crustáceos decápodos nos estuários de Santos-São Vicente e Cananéia: aspectos culturais, sociais, produtivos e de gênero; arranjos e mecanismos sociais internos e externos que afetam a comunidade e os pescadores. 
2. A dinâmica da pesca praticada (incluindo técnicas de manejo, instituições locais, regras de uso, territorialismo e o conhecimento ecológico local) e da cadeia produtiva local; transformações do sistema produtivo ao longo do tempo, inovações, perdas de conhecimento/práticas, ingresso/evasão de pescadores na atividade, etc.
3. Avaliação da atividade produtiva por meio de dados de amostragem e monitoramento da produção pesqueira nos estuários.

   Metas:

O estudo proposto tem por objetivo identificar, por meio de abordagens da Etnoecologia/Ecologia Humana, o conhecimento ecológico local; as regras e práticas de manejo adotadas pelos pescadores e os aspectos relacionados à resiliência, adaptabilidade e sustentabilidade da atividade pesqueira sobre crustáceos decápodos (portunídeos e peneídeos) em sistemas socioecológicos pesqueiros estabelecidos no estuário de Santos-São Vicente.

Ver detalhes do projeto

  Ingrid Cabral Machado      IP
  Sobre

O SGP (Sistema de Gestão de Pesquisa) foi implementado em todas as unidades APTA, para centralizar o controle de todos os projetos desenvolvidos sob sua supervisão. [Ler mais]

Endereço APTA – São Paulo

Praça Ramos de Azevedo, 254, 2º andar - República, São Paulo - SP

Fone : (11) 5067-0447 e 5067-0427

  Endereço APTA – Campinas

Avenida Barão de Itapura, 1481 - Botafogo, Campinas - SP

Fone : (19) 2137-8930