Projetos APTA no Departamento de Descentralização do Desenvolvimento, todos os centros

Página Inicial / Busca de Projetos

163 projetos ativos encontrados - pág. 6 de 6

Características do trato genital e qualidade ovocitária de vacas Nelore longevas

n° SGP 774

Nos bovinos, existe uma lacuna de informação sobre como a senilidade afeta a fisiologia reprodutiva e a qualidade dos gametas. O maior entrave na realização de estudos sobre a influencia da idade na reprodução dos bovinos deriva da  dificuldade de encontrar material experimental adequado, visto que as fazendas comercias descartam seus animais antes de atingir 14 anos. Alguns criadores conservam animais senis por motivos de estimação ou interesse econômico, sendo muitos deles destinados à produção de embriões por meio de superovulação e coleta de embriões ou, mais frequentemente, coleta de  oócitos, fecundação e desenvolvimento in vitro (FIV).  Excepcionalmente, instituições de pesquisa em produção animal, como a APTA, conservam essa categoria de animais como estoque de material genético ou como residuo de programas de melhoramento. Considerando que muitos desses animais encontram-se ainda ciclando e produzindo, os mesmos são um material valioso para realizar estudos sobre a influencia da idade na fisiologia reprodutiva e na viabilidade de gametas e embriões. A presente propsota objetiva:

-           Caracterizar a condição ovariana e uterina de vacas longevas Bos taurus indicus

-           Estabelecer a população folicular e a qualidade ovocitária de vacas longevas Bos taurus indicus

-           Caracterizar a composição proteica e expressão genica do útero, liquido folicular e ovocitos

-           Avaliar se a longevidade resulta em aumento da incidência de anomalias cromossômicas dos descendentes

Ver detalhes do projeto

  Rafael Herrera Alvarez      Apta Regional / IZ

AVALIAÇÃO DE GENÓTIPOS DE BANANEIRA (Musa sp.)

n° SGP 773
A banana é uma das frutas mais consumidas no mundo. No Brasil é produzida em todos os estados. A demanda pela fruta é muito grande, tanto para o consumo in natura, como para a agroindústria. Apesar de existirem inúmeros tipos de bananeiras, um número muito reduzido é plantado comercialmente. É fundamental o estudo de novos genótipos para aumentar a lista de recomendações para os bananicultores. Para que este processo seja efetivo, os campos de avaliações regionais são imprescindíveis, pois demonstra a adaptabilidade do material genético às condições de clima, solo e manejo do local. Neste trabalho pretende-se avaliar 8 genótipos de bananeiras (FHIA 17, FHIA 18, Thap Maeo, Princesa, Platina, TM 2803, PC 0101 e PA 9401) nos municípios de Lupércio e Palmital, no Estado de São Paulo. As duas regiões apresentam características distintas, tanto em termos de solo como de clima. Serão avaliados altura das plantas quando da emissão da inflorescência (m), circunferência do pseudocaule (cm), número de folhas vivas na floração e na colheita, número de dias para emissão da inflorescência, número de dias de formação do cacho, massa do cacho (kg) e, número de pencas por cacho. Durante todo o processo de avaliação, a incidência de pragas e doenças será monitorada. Também serão registrados os dados meteorológicos de cada local. Ao final das avaliações espera-se selecionar ao menos um genótipo potencial para ser incorporado às recomendações regionais de modo a ampliar as opções dos produtores rurais. Além disso, será realizada a apresentação dos resultados na forma de dias de campo e publicações técnicas e científicas.
Ver detalhes do projeto

  Adriana Novais Martins      Apta Regional / IAC

Produção de parte aérea de mandioca em sistema de cultivo adensado.

n° SGP 762

 Mandioca cultivada especificamente para produção de parte aérea para utilização como volumoso para ruminantes com plantio adensado vêm ganhando destaque em alguns estados brasileiros do Nordeste e Centro Oeste onde o principal objetivo da exploração é a produção de forragem de qualidade para vacas de leite, com resultados na produtividade e no maior aproveitamento da área. No entanto, estudos efetuados com a mandioca nesse sistema de cultivo ainda são escassos e insuficientes. Assim, será conduzido um experimento para avaliar o potencial de produção de matéria verde e seca da parte aérea de três cultivares de mandioca em quatro densidades de plantio e três épocas de corte na região do Médio Paranapanema. Os cultivares avaliados serão o IAC 12; o IAC 14 e o IAC 90, plantados a 5 cm de profundidade, com manivas de 20 cm de comprimento com densidades de 74.074; 37.037 e 22.220 plantas.ha-1. A parte aérea será colhida a 20 cm do solo nem três épocas distintas: segunda quinzena de janeiro; primeira quinzena de março e segunda quinzena de abril, ou seja, aos 7; 9 e 11 meses após plantio, em três anos consecutivos. O delineamento experimental utilizado será o de blocos ao acaso, com quatro repetições. Os parâmetros avaliados serão o número médio de hastes por planta, altura de planta, altura de primeira ramificação e diâmetro de hastes, a 10 cm do solo e serão realizadas análises químico-bromatológicas de proteína bruta (PB), extrato etéreo (EE), cinzas (MM) e lignina (LIG) de acordo com Silva e Queiróz (2004) e determinação da fibra em detergente neutro (FDN) e fibra em detergente ácido (FDA), além dos teores de cianeto.

Ver detalhes do projeto

  Márcia Marise de Freitas Cação Rodrigues      Apta Regional / IAC

Avaliação do efeito de diferentes doses de nitrogênio na fase de formação do cafeeiro cv Obatã sob fertirrigação

n° SGP 757

A irrigação tem sido nos últimos 10 anos de grande importância para a garantia de produtividade nas mais diversas regiões cafeeiras. Tanto nas regiões tradicionais, como o sul de Minas Gerais e o Nordeste de São Paulo, como nas novas fronteiras cafeeiras,como o Triângulo Mineiro e Alto Paranaíba, a irrigação tem permitido a obtenção de excelentes resultados técnicos e econômicos. Cerca de 10% da cafeicultura nacional já é iirrigada, representando 21% da produção nacional de café, o que demonstra a superioridade das lavouras irrigadas em relação às de sequeiro, em especial pelos seguintes motivos: menor idade das lavouras, maior densidade de plantas e irrigação, permitindo uma maior segurança em anos de déficit hídrico mais pronunciado. Um dos grandes gargalos existentes na cafeicultura irrigada é o referente ao fornecimento de nutrientes via água de irrigação, técnica denominada fertirrigação. Se a irrigação já é novidade para grande parte dos produtores de café, a aplicação conjunta de fertilizantes na água de irrigação carece de muitos estudos, principalmente objetivando a definição de doses, épocas de aplicação, distribuição dos elementos no solo, lixiviação de nutrientes, fertirrigação orgânica e viabilidade econômica da prática. O presente estudo objetiva avaliar diferentes doses de nitrogênio aplicadas de forma convencional e em fertirrigação durante a fase de formação do cafeeiro e primeiras produções.

Ver detalhes do projeto

  Jane Maria de Carvalho Silveira      Apta Regional / IAC

Caracterização de acessos de goiabeira para resistência a pragas e doenças e aptidão comercial para possibilidade de uso em sistema orgânico de produção

n° SGP 705

O Brasil é um dos maiores produtores mundiais de goiaba, com destaque para o estado de São Paulo. A goiaba é apreciada pelo seu aroma e sabor característico, além do alto valor alimentício. Os objetivos deste projeto são: avaliar o comportamento de acessos de goiaba conduzidos de maneira orgânica, com relação à resistência a pragas e doenças, desenvolvimento vegetativo, produção e características dos frutos; verificar a flutuação populacional de insetos praga na região em estudo. O experimento será desenvolvido na Apta Regional Centro Norte, em Pindorama – SP. Serão avaliados 86 acessos, com 15 anos de idade. Serão realizadas podas de frutificação. O monitoramento de pragas será realizado durante todo o período do experimento. Após as podas, serão avaliados os estádios fenológicos dos acessos de goiabeira, para caracterização dos mesmos. A colheita será realizada manualmente, no estádio “de vez”. A produção será calculada pela contagem do número de frutos por planta e pelo seu peso em kg. Nas plantas que não tiveram os frutos ensacados será avaliado o ataque de mosca-das-frutas. Para a avaliação das características físicas dos frutos, serão feitas as seguintes avaliações: massa do fruto; comprimento e largura do fruto; firmeza da polpa; coloração da casca de da polpa; número de sementes. Para a avaliação das características químicas dos frutos, serão realizadas as seguintes avaliações: sólidos solúveis (SS); acidez titulável (AT); pH; ratio; e ácido ascórbico. Será feita a caracterização das doenças pós-colheita dos frutos. Os dados serão analisados por análise de variância, segundo o modelo de blocos casualizados, e as médias comparadas pelo teste de Tukey, ao nível de 5% de probabilidade.

Ver detalhes do projeto

  Juliana Altafin Galli      Apta Regional / IAC

Produção e qualidade de batata-doce propagada por miniestaca em bandeja.

n° SGP 703

Tradicionalmente o mais utilizado no plantio da batata-doce são as ramas maduras ou velhas por ser mais econômica e fácil, porém com período alongado até a colheita e menor produtividade. Não é considerado o melhor sistema pelo alto risco de surgimento de doenças e pragas no novo cultivo, e menor desenvolvimento vegetativo que ramas novas (FILGUEIRA, 2008; PERESSIN; FELTRAN, 2014).

Visto que a implantação da cultura da batata-doce ocorre por meio do uso de material vegetativo, Brune, Silva e Franco (2006) relataram que o uso de segmentos de ramas não enraizados pode resultar em estande final inadequado. Neste aspecto, torna-se necessário o replantio quando ocorrer menos de 85% de ramas brotadas.

Na olericultura é comum a utilização de bandejas de poliestireno expandido em diversas espécies multiplicadas por sementes. A produção de mudas em bandejas favorece um controle maior dos tratos culturais às plântulas, visto que a atividade é desenvolvida sob ambiente protegido; além de proporcionar elevada taxa de sobrevivência após o transplante e maior uniformidade no campo (REGHIN et al., 2007; GOLLA, 2010).                   

A nova tecnologia, que utiliza ramas sadias, em especial sem viroses, pode resultar no dobro de produtividade e na redução do ciclo da cultura, como tem ocorrido em lavouras de batata-doce da região atendida pelo Polo Alta Sorocabana (MONTES, 2012; RÓS, 2014). Contudo, existem poucas pesquisas com a utilização de bandeja para a propagação vegetativa da batata-doce.

Diante do exposto, o objetivo do presente trabalho será avaliar a produção e a qualidade de batata doce proveniente da propagação de diferentes tipos de mudas em bandeja plástica.

Ver detalhes do projeto

  MAURÍCIO DOMINGUEZ NASSER      Apta Regional / IAC

Avaliação de cultivares de sorgo para silagem no Estado de São Paulo

n° SGP 697

O objetivo deste trabalho é quantificar a produtividade e a qualidade nutricional de cultivares de sorgo granífero, biomassa e forrageiro para a produção de massa para ensilagem no Estado de São Paulo, juntamente com o Departamento de Zootecnia da USP/ESALQ, com o apoio de Empresas de Pesquisa e Produção de Sementes e o IAC/APTA. Serão instalados três ensaios (Birigui, Pindorama e Votuporanga), durante dois anos consecutivos em período de safra (outubro a dezembro), em delineamento experimental de blocos ao acaso com 4 repetições, em parcelas de 4 linhas de 10 metros e 80 cm de espaçamento, visando população final de 130 mil plantas/ha. O manejo de semeadura, adubação e controle de pragas e doenças será feito conforme recomendações técnicas para a cultura. Serão avaliados de 8 a 12 cultivares por safra. A colheita para silagem será feita com base no teor de matéria seca das plantas inteiras entre 30 a 35%. Haverá o fracionamento das plantas e quantificação de suas partes (colmo, panícula, grãos) e análise de qualidade nutricional no colmo e na planta inteira (proteína bruta, fibra em detergente neutro, fibra em detergente ácido, proteína, amido e digestibilidade in vitro da MS. Serão feitas análises individuais e conjuntas dos parâmetros agronômicos e de valor nutritivo.

Ver detalhes do projeto

  Solidete de Fátima Paziani      Apta Regional / IAC

Avaliação de cultivares de milho para silagem no Estado de São Paulo

n° SGP 694

O  objetivo deste trabalho é identificar as cultivares de milho adaptadas à produção de forragem para ensilagem em cinco localidades do Estado de São Paulo (Andradina, Mococa, Pindorama, Tatuí e Votuporanga), juntamente com o Departamento de Zootecnia da USP/ESALQ, com o apoio de Empresas de Pesquisa e Produção de Sementes e o IAC. Serão semeados 5 ensaios por ano no período de outubro a dezembro, em delineamento experimental de blocos ao acaso com 4 repetições, em parcelas de 4 linhas de 10 metros, 80 cm de espaçamento e população de 62.500 planta/ha. As adubações de semeadura e de cobertura serão feitas conforme a recomendo pelo Boletins técnicos do IAC nº 100 e 200. Quando necessário, efetuar-se-á o controle da lagarta-do-cartucho (Spodoptera frugiperda) mediante pulverizações com inseticida. A colheita para silagem será feita com teor e matéria seca (MS) das plantas inteiras entre 32 e 36%. Uma amostra de dez plantas por parcela será picada e seca em estufa para determinar o teor de matéria seca e, por meio do NIRS, o valor nutritivo da planta: proteína bruta, matéria mineral, extrato etéreo, fibra em detergente neutro, fibra em detergente ácido, proteína, amido e digestibilidade verdadeira in vitro da MS. Outras 10 plantas serão fracionadas e suas partes secas e quantificadas (colmo, espiga, grão). Efetuar-se-á análises individuais e conjuntas dos parâmetros agronômicos e de valor nutritivo. Com os dados de produção de massa seca por hectare e digestibilidade da MS obterá a produtividade de matéria seca digestível por hectare. Os dados obtidos serão divulgados em reunião de divulgação a ser divulgada, em artigos técnicos e científicos e também no site http://zeamays.hospedagemdesites.ws/silagem/

Ver detalhes do projeto

  Solidete de Fátima Paziani      Apta Regional / IAC

PÓS COLHEITA DE JABUTICABA

n° SGP 686

Como outras frutas tropicais, a jabuticaba apresenta curto período de comercialização após a colheita conseqüentemente, são necessários estudos sobre técnicas de conservação visando estender sua vida útil sem afetar a qualidade. Dessa forma, o  objetivo deste trabalho é avaliar o efeito de embalagens na qualidade pós-colheita e vida-útil de jabuticabas ‘Sabará’ durante o armazenamento sob refrigeração e à temperatura ambiente, visando prolongar seu período de armazenamento. Os frutos serão colhidos no estádio maduro, no pomar da APTA /UPD Tietê e transportados rapidamente para o Laboratório de Agregação de Valor da APTA/ Polo Regional Centro Sul / Piracicaba.  Os frutos selecionados serão lavados e submetidos ao tratamento com cloro na forma de DICLORO S-TRIAZINATRIONA SÓDICA DIIDRATADA (pó) e depois divididos em cinco lotes (frutos acondicionados em bandejas de polietileno plásticas não revestidas com filmes plásticos, que corresponde ao grupo controle; frutos acondicionados em saquinhos de polietileno, aberto; frutos acondicionados em saquinhos de polietileno, selados á vácuo; frutos em embalagens plásticas, com tampas perfuradas; frutos em bandejas de poliestireno, revestidas externamente com filme plástico de PVC esticável e autoaderente). E serão armazenados à temperatura de 11±1°C com 98%UR em câmara fria, e em condições ambiente (26,5 a 28,3°C, 53,7 a 68,3%UR). Serão realziadas as seguintes análises: perda de massa fresca; aparência e coloração visual; acidez total titulável (ATT); pH; ratio; vitamina C; Açúcares totais e redutores (%) e Fitopalógicas. O delineamento experimental utilizado será inteiramente casualizado,  fatorial 5 x 2 , com 3 repetiçoes. E as médias obtidas em cada tratamento serão comparadas com o valor inicial através do teste de Tukey, ao nível de 5% de probabilidade.

Ver detalhes do projeto

  Celina Maria Henrique      Apta Regional / IAC

Avaliação da eficiência agronômica da co-inoculação nos parâmetros de nodulação e componentes de produtividade de soja.

n° SGP 681

Em 2014, no Brasil foi confirmada a eficiência agronômica da co-inoculação de soja com bactérias do gênero Bradyrizobium nas sementes e Azospirillum brasilense no sulco de semeadura, em detrimento da tecnologia tradicional de inoculação e re-inoculação anual com somente Bradyrhizobium. Neste sentido, o presente projeto tem por objetivo avaliar a eficiência da co-inoculação utilizando formulação de produto em fase de teste contendo as diferentes bactérias já supracitadas, em diferentes doses e formas de aplicação (semente e sulco de semeadura). Para isso, serão instalados dois experimentos na safra 2015/2016, sendo um em campo e outro em casa-de-vegetação pertencente ao Polo Regional da Alta Mogiana, Colina-SP visando maior ratificação dos resultados.

Ver detalhes do projeto

  Ivana Marino Bárbaro Torneli      Apta Regional / IAC

Estudo da espécie Lithobates catesbeianus como organismo alternativo para testes teratogênicos

n° SGP 679

 O FETAX (Frog embryo teratogenesis assay – Xenopus) normatizado pela ASTM E 1439–98 (2012) é um bioensaio usado para determinar o potencial teratogênico de produtos químicos em embriões de Xenopus laevis. Embora tenha sido projetada para esta espécie, a norma permite o uso de espécies alternativas. O objetivo deste trabalho é adaptar o protocolo FETAX para Lithobates catesbeianus (espécie amplamente distribuída pelo Brasil). Com a padronização de protocolo específico para a espécie escolhida, o teste poderá ser implantado em outros laboratórios e instituições de pesquisa. Este ensaio pode ser uma excelente ferramenta na avaliação de produtos para fins regulatórios e no monitoramento de ambientes impactados. A primeira etapa visa aprimorar a técnica de indução à ovulação. 32 fêmeas, selecionadas previamente, serão divididas em quatro grupos para os seguintes tratamentos: apenas LHRHa, pimozida, risperidona e metoclopramida associados ao LHRHa. Posteriormente, o desenvolvimento dos ovos será avaliado, determinando o tempo de exposição e as faixas de sensibilidade à 6-aminonicotinamida (controle positivo indicada no protocolo), à ciclofosfamida e ao cloreto de sódio, seguindo recomendações da norma, adaptadas para a espécie. 

Ver detalhes do projeto

  Adriana Sacioto Marcantonio      Apta Regional / IP

Produção de anticorpos policlonais.

n° SGP 475

Estão disponíveis na agropecuária kits para diagnóstico das mais diferentes doenças tanto em plantas quanto em animais. Tais kits são baseados em testes chamados ELISA ou EIA ou RIA, onde os anticorpos reconhecem o antígeno e esta ligação é revelada por um sistema enzimático (ou seja, coloração) ou por radioemissão (contagem de radioisótopos aprisionados na reação), respectivamente. A facilidade de manipulação de animais como coelhos e galinhas permite que a produção de anticorpos policlonais atinja escala industrial na produção e comercialização de kits, o que possibilita inúmeros projetos e aplicações na agropecuária.Este projeto propoe : aplicação direta de kits comerciais para problemas de segurança alimentar na agropecuária, treinamento de pessoal através de cursos, desenvolvimento de anticorpos aplicados a pesquisa em conjunto com pesquisadores da APTA e Universidades.

Ver detalhes do projeto

  Keila Maria Roncato Duarte      Apta Regional

Banco Ativo de Germoplasma (BAG) de amoreira, Morus sp. Introdução, condução, manutenção e estudo do banco de germoplasma de amoreira, Morus sp.

n° SGP 404

A Unidade de Pesquisa e Desenvolvimento/Gália-SP – Agência Paulista de Tecnologia dos Agronegócios/Secretaria de Agricultura e Abastecimento do estado de São Paulo (UPD/Gália – APTA/SAA) abriga uma coleção de cultivares de amoreira (Morus sp.), que compõem um Banco Ativo de Germoplasma de amoreira. Esse banco possui 42 cultivares selecionados pelo Instituto de Zootecnia (APTA/SAA), denominado de cultivares IZ, além de outros acessos obtidos do meio produtivo. A proposta do presente projeto é promover adequada manutenção e condução desses recursos fitogenéticos, introduzir novos acessos e, principalmente, desenvolver estudos que possibilitem o conhecimento mais aprofundado do material genético disponível, o aprimoramento de tecnologias para seu uso como forrageira animal e a utilização dessa planta como fonte de extratos de grande aplicação fitoterápica.

Ver detalhes do projeto

  Antonio José Porto      Apta Regional / IAC
  Sobre

O SGP (Sistema de Gestão de Pesquisa) foi implementado em todas as unidades APTA, para centralizar o controle de todos os projetos desenvolvidos sob sua supervisão. [Ler mais]

Endereço APTA – São Paulo

Praça Ramos de Azevedo, 254, 2º andar - República, São Paulo - SP

Fone : (11) 5067-0447 e 5067-0427

  Endereço APTA – Campinas

Avenida Barão de Itapura, 1481 - Botafogo, Campinas - SP

Fone : (19) 2137-8930