Projetos APTA no Departamento de Descentralização do Desenvolvimento, Polo Regional Centro Oeste

Página Inicial / Busca de Projetos

9 projetos ativos encontrados - pág. 1 de 1

Mancha alvo do pepineiro (Cucumis sativus L.): aspectos epidemiológicos e controle

n° SGP 2097

Corynespora cassicola é o agente causal da mancha alvo em folhas de várias espécies cultivadas, destacando-se a cultura do pepino, onde relatos de danos em condições de cultivo em estufa têm sido muito frequentes. Devido à dificuldade no manejo da doença, relacionado à falta de informações sobre a resistência de cultivares e a ausência de defensivos registrados para a doença em pepino no Brasil, os objetivos deste trabalho serão avaliar a agressividade de isolados de C. cassiicola em genótipos de pepino; a reação de diferentes genótipos de pepino a isolados de C. cassiicola, por parâmetros epidemiológicos da doença (período de incubação, período latente, frequência de infecção, diâmetro de lesão, severidade e produção de conídios por área de lesão) e respostas bioquímicas dos genótipos em função da doença (enzimas quitinases, polifenoloxidases e peroxidases e concentração dos compostos fenólicos solúveis totais); verificar o efeito de fungicidas in vitro sobre C. cassiicola e in vivo no controle da mancha alvo do pepino e avaliar o efeito de produtos alternativos a base de quitosana, fosfito e silício no controle da doença. Os experimentos de detecção do agente causal e de sensibilidade in vitro a fungicidas serão realizados em laboratório e os experimentos de patogenicidade dos isolados de C. cassiicola em pepino, de reação de genótipos de pepino a mancha alvo e de controle in vivo da doença serão realizados em casa-de-vegetação.

Ver detalhes do projeto

  Ivan Herman Fischer      Apta Regional / IAC

Experimento: AVALIAÇÃO DE VARIEDADES DE CAFÉ (Coffea arabica L.) NA REGIÃO CENTRO OESTE PAULISTA

n° SGP 2002

O café é uma bebida apreciada no mundo todo, com elevada demanda. Apesar de existirem inúmeras cultivares plantadas comercialmente, é fundamental o estudo do comportamento destes genótipos para aumentar a lista de recomendações para os cafeicultores regionais. Para que este processo seja efetivo, os campos de avaliações regionais são imprescindíveis, pois demonstra a adaptabilidade do material genético às condições de clima, solo e manejo do local. Este projeto propõe o estudo de 21 cultivares (Obatã IAC 1669-20, Ouro Verde, Ouro Verde H5010-5, IAC 125 RN, Ouro Verde IAC Ourama, Catuaí Vermelho IAC 144, Catuaí IAC 62, Tupi IAC 4093, Topázio MG 1190, Paraíso MG H419-1, Pau Brasil MG 1, Araponga MG 1, IAPAR 59, IPR 98, IPR 99, IPR 100, IPR 102, IPR 103, IPR 106, IPR 107 e IAPAR 77028-33-8-11-3), todas enxertadas. As cultivares Obatã IAC 1669-20, IPR 100 e IAC 125 RN também serão avaliadas não enxertadas, na tentativa de monitoramento da incidência de nematóides na área. Desse modo, o experimento é formado por 24 tratamentos, e será instalado na Fazenda Recreio, Vera Cruz, São Paulo. Serão avaliadas por um período de 6 anos características de desenvolvimento de plantas, produção e fenologia. Outras características, como incidência de pragas/doenças e aspectos relacionados à colheita, também serão observadas nas cultivares. Também será realizado um estudo de rentabilidade para as cultivares avaliadas. O projeto tem como objetivo analisar adaptabilidade, características agronômicas e produtividade de cultivares de porte baixo, em sistema de cultivo irrigado (gotejamento), na região Centro Oeste do Estado de São Paulo.

Ver detalhes do projeto

  Adriana Novais Martins      Apta Regional / IAC

Sustentabilidade:do campo à mesa

n° SGP 1840

A presença de agricultores familiares é bastante significativa na região de Bauru/SP, principalmente na produção de olerícolas. Dentre os principais entraves encontrados na etapa de comercialização da produção destacam-se as dificuldades de obter volume, variedade, frequência e qualidade dos produtos. Em 2016 foi inaugurada uma cozinha comunitária, pela prefeitura de Bauru/SP, que visa oferecer refeições adequadas, saudáveis, nutricionalmente balanceadas, para atender prioritariamente pessoas em vulnerabilidade social. A rede de cooperação da equipe do projeto será responsável em buscar melhorias nas condições de produção agrícola, minimizar o problema de comercialização e desenvolver pesquisa para a segurança alimentar. O objetivo geral do projeto é auxiliar na sustentabilidade da cozinha comunitária, instalada em Bauru, através do desenvolvimento de metodologia de políticas públicas para aquisição de alimentos de produtores rurais da agricultura familiar local.

Ver detalhes do projeto

  Maria Cecília de Arruda      Apta Regional / IAC

Inovações Tecnológicas Aplicadas a Cultura da Mandioca no Centro Oeste Paulista

n° SGP 1742

O presente Projeto de Pesquisa  será conduzido na Unidade de Pesquisa e Desenvolvimento/Gália-APTA/SAA, tendo como objetivo geral desenvolver, testar e disponibilizar tecnologias aplicadas à cultura da mandioca, com ênfase na região Centro Oeste do estado. Como objetivos específicos visa:  Promover experimentos de competição e validar clones elites de mandioca de indústria do programa de melhoramento genético de mandioca de indústria do Centro de Horticultura, do Instituto Agronômico de Campinas, Da Agência Paulista de Tecnologias do Agronegócio, da Secretaria de Agricultura e Abastecimento do governo do estado de São Paulo; promover alterações nos sistemas de produção, visando a construção de ambientes conservacionistas e de baixo impacto ambiental; estruturar um sistema de produção de baculovirus de mandioca; testar a viabilidade e eficiência do uso de biofertilizantes na cultura da mandioca e disponibilizar ao meio produtivo, por meio de eventos e publicações, os conhecimentos obtidos. 

Ver detalhes do projeto

  Antonio José Porto      Apta Regional / IAC

Sustentabilidade da agricultura familiar no Centro Oeste paulista

n° SGP 1006

A sustentabilidade da atividade agrícola é o objetivo para a agricultura familiar. Para atingir a sustentabilidade, a propriedade rural necessita desenvolver diversas funções, como questões socioambientais e melhorias na gestão da atividade econômica. A proposta do projeto é auxiliar a demanda da região para garantir a sustentabilidade da agricultura familiar paulista, principalmente na cadeia da olericultura e da fruticultura na região Centro Oeste do estado de São Paulo. A metodologia será revisão bibliográfica de dados secundários em seus aspectos históricos, sociais, econômicos e políticas. As informações coletadas serão a base da formulação indicadores determinantes nessa atividade econômica. O resultado esperado do projeto proporciona uma ferramenta para melhorar as condições na renda da agricultura familiar para permanência do homem no campo.

Ver detalhes do projeto

  Raquel Nakazato Pinotti      Apta Regional / IEA

USO RACIONAL DA ÁGUA NA FRUTICULTURA IRRIGADA DA REGIÃO CENTRO OESTE PAULISTA

n° SGP 970

A adoção de técnicas de irrigação vem de encontro ao conceito de manejo otimizado das lavouras. Entretanto, os benefícios estão atrelados ao correto manejo do sistema. Dentre estes benefícios, pode-se citar: aumento da produtividade e qualidade do produto agrícola; maximiza o uso da água racionalizando a sua utilização; diminui as perdas de nutrientes por lixiviação; otimiza o armazenamento de água no perfil do solo; minimiza problemas com encharcamento do solo; otimiza a absorção dos nutrientes pelas plantas.

No manejo de um sistema de irrigação deve-se levar em consideração a fase fenológica de cada cultura, pois as exigências hídricas são distintas. A setorização dos projetos de irrigação permite este manejo, fornecendo águia na quantidade, local e fase correta de cada lavoura.

A utilização de sistemas de irrigação localizada na fruticultura pode ser considerada uma tecnologia de relação custo: benefício extremamente atraente ao produtor rural, uma vez que o aumento da produtividade e qualidade dos frutos aumentam a rentabilidade pagando o investimento rapidamente.

A existência de uma área experimental de agricultura sustentável, com infraestrutura para o desenvolvimento da agricultura irrigada, e de pesquisadores de diferentes instituições atuando de maneira integrada, possibilitará a geração de tecnologias apropriadas e o treinamento de técnicos e produtores da região e, conseqüentemente, a rápida adoção das tecnologias e o retorno dos investimentos públicos.

Os resultados a serem alcançados com a realização deste projeto irão preencher uma importante lacuna no conhecimento necessário para o correto manejo de pomares irrigados na região do Planalto Paulista, especialmente em relação ao estresse hídrico, associado ao monitoramento fitossanitário das culturas. O conhecimento a ser gerado subsidiará a elaboração de recomendações para as culturas, buscando incrementar seu rendimento e retorno econômico nas condições do Planalto, com base no manejo adequado da irrigação e escolha do material genético mais adaptado para a região.

Ver detalhes do projeto

  Adriana Novais Martins      Apta Regional / IAC

Experimento: AVALIAÇÃO DE GENÓTIPOS DE BANANEIRA (Musa sp.)

n° SGP 773
A banana é uma das frutas mais consumidas no mundo. No Brasil é produzida em todos os estados. A demanda pela fruta é muito grande, tanto para o consumo in natura, como para a agroindústria. Apesar de existirem inúmeros tipos de bananeiras, um número muito reduzido é plantado comercialmente. É fundamental o estudo de novos genótipos para aumentar a lista de recomendações para os bananicultores. Para que este processo seja efetivo, os campos de avaliações regionais são imprescindíveis, pois demonstra a adaptabilidade do material genético às condições de clima, solo e manejo do local. Neste trabalho pretende-se avaliar 8 genótipos de bananeiras (FHIA 17, FHIA 18, Thap Maeo, Princesa, Platina, TM 2803, PC 0101 e PA 9401) nos municípios de Lupércio e Palmital, no Estado de São Paulo. As duas regiões apresentam características distintas, tanto em termos de solo como de clima. Serão avaliados altura das plantas quando da emissão da inflorescência (m), circunferência do pseudocaule (cm), número de folhas vivas na floração e na colheita, número de dias para emissão da inflorescência, número de dias de formação do cacho, massa do cacho (kg) e, número de pencas por cacho. Durante todo o processo de avaliação, a incidência de pragas e doenças será monitorada. Também serão registrados os dados meteorológicos de cada local. Ao final das avaliações espera-se selecionar ao menos um genótipo potencial para ser incorporado às recomendações regionais de modo a ampliar as opções dos produtores rurais. Além disso, será realizada a apresentação dos resultados na forma de dias de campo e publicações técnicas e científicas.
Ver detalhes do projeto

  Adriana Novais Martins      Apta Regional / IAC

Inovações Tecnológicas na Sericicultura

n° SGP 405

O Projeto visa desenvolver e disponibilizar tecnologias aplicadas à Sericicultura, que promovam a redução de custos e o uso racional da mão-de-obra e dos meios de produção, conferindo eficiência produtiva e colocando a atividade como opção rentável e sustentável para o agronegócio familiar no Estado. Desenvolver e disponibilizar tecnologias aplicadas à Sericicultura, que promovam a redução de custos e o uso racional da mão-de-obra e dos meios de produção, conferindo eficiência produtiva e colocando a atividade como opção rentável e sustentável para o agronegócio familiar no Estado. 

O Projeto tem por objetivo desenvolver e disponibilizar tecnologias aplicadas à Sericicultura, que promovam a redução de custos e o uso racional da mão-de-obra e dos meios de produção, conferindo eficiência produtiva e colocando a atividade como opção rentável e sustentável para o agronegócio familiar no Estado.

O Módulo vigente, de Produção da Sericicultura, não atende as necessidades técnicas e sócio-econômicas das regiões sericícolas do Estado de São Paulo, apresentando deficiências quanto à utilização da mão-de-obra e dos meios de produção, baixo controle sanitário e ausência de informações e ferramentas de análise, para uma avaliação eficiente da atividade produtiva.

Pelo presente projeto, conduzido na Unidade de Pesquisa e Desenvolvimento de Gália-APTA/SAA, estão sendo desenvolvidas e disponibilizadas tecnologias aplicadas à sericicultura, abrangendo áreas de produção animal (bicho-da-seda), produção vegetal (amoreira) e sanidade animal. Os estudos visam a reestruturação do módulo de produção sericícola atual, tornando-o mais eficiente e sustentável.

Ver detalhes do projeto

  Antonio José Porto      Apta Regional / IZ

Banco Ativo de Germoplasma (BAG) de amoreira, Morus sp. Introdução, condução, manutenção e estudo do banco de germoplasma de amoreira, Morus sp.

n° SGP 404

A Unidade de Pesquisa e Desenvolvimento/Gália-SP – Agência Paulista de Tecnologia dos Agronegócios/Secretaria de Agricultura e Abastecimento do estado de São Paulo (UPD/Gália – APTA/SAA) abriga uma coleção de cultivares de amoreira (Morus sp.), que compõem um Banco Ativo de Germoplasma de amoreira. Esse banco possui 42 cultivares selecionados pelo Instituto de Zootecnia (APTA/SAA), denominado de cultivares IZ, além de outros acessos obtidos do meio produtivo. A proposta do presente projeto é promover adequada manutenção e condução desses recursos fitogenéticos, introduzir novos acessos e, principalmente, desenvolver estudos que possibilitem o conhecimento mais aprofundado do material genético disponível, o aprimoramento de tecnologias para seu uso como forrageira animal e a utilização dessa planta como fonte de extratos de grande aplicação fitoterápica.

Ver detalhes do projeto

  Antonio José Porto      Apta Regional / IAC
  Sobre

O SGP (Sistema de Gestão de Pesquisa) foi implementado em todas as unidades APTA, para centralizar o controle de todos os projetos desenvolvidos sob sua supervisão. [Ler mais]

Endereço APTA – São Paulo

Praça Ramos de Azevedo, 254, 2º andar - República, São Paulo - SP

Fone : (11) 5067-0447 e 5067-0427

  Endereço APTA – Campinas

Avenida Barão de Itapura, 1481 - Botafogo, Campinas - SP

Fone : (19) 2137-8930