Projetos APTA em todas as unidades, todos os centros

Página Inicial / Busca de Projetos

717 projetos ativos encontrados - pág. 20 de 24

Comportamento e desenvolvimento ponderal de bezerros de corte Guzerá e inter-relação com suas mães

n° SGP 468

O sistema de criação de gado a pasto é um dos mais utilizados no Brasil, devido a grande disponibilidade de terras, sendo em sua maioria destinada para aptidão de corte. Em busca de melhores índices de eficiência o sistema extensivo vem passando por modificações que visam à qualidade do pasto, o melhoramento genético do animal, diminuição nos índices de mortalidade, maior eficiência alimentar, maior rentabilidade, melhores condições de sanidade entre outros. Os índices de mortalidade nos bovinos de corte na pré-desmama varia de 4% a 8% de acordo Euclides Filho (2000). Sendo uma taxa alta que acarreta diminuição da entrada de receita e aumento no suporte nutricional para as matrizes gestantes, gerando perdas econômicas e prejuízos no sistema de produção. Acredita-se que a mortalidade pré-desmama é causada por falhas na aquisição de imunidade passiva do bezerro, que é transferida com a ingestão do colostro nas primeiras horas de vida através do contato materno/filial.

            O cuidado parental é a relação da fêmea com suas progênies até que estas consigam desenvolver habilidades que garantam sua segurança, sendo essencial para a sobrevivência do bezerro. Em mamíferos pode se observar o inicio deste cuidado nos processos fisiológicos da gestação, através da ação hormonal e dos neurotransmissores durante a reprodução e tem seu ápice durante o período de amamentação, sendo o principal cuidado parental. Nos bovinos o comportamento materno pode ser percebido visualmente horas antes do parto, quando a vaca se afasta do grupo a procura de abrigo para o parto, diminuindo a ameaça de predadores e o vínculo do bezerro com outros animais do rebanho. A relação da vaca com a cria é de fundamental importância para a sobr

Ver detalhes do projeto

  Maria Lucia Pereira Lima      IZ

Controle reprodutivo de animais doadores de sêmen e de embriões

n° SGP 467

A reprodução animal é um processo complexo, onde herança genética, nutrição, manejo e estado sanitário se interagem de forma a constituírem a base para o desempenho produtivo. Para que a produção seja economicamente competitiva, esforços devem ser direcionados para o aumento da produtividade, que somente será alcançada através da manutenção do equilíbrio de todos esses fatores. O desempenho produtivo economicamente eficiente implica em planejamento de ações, sua execução, monitoramento e controle dos resultados obtidos. Para tanto exige a reformulação de princípios, como por exemplo, um enfoque preventivo ao invés de curativo. Estudos sobre a microbiota de genitália em bovinos, estão mais voltados para as fêmeas, e pouca atenção tem sido dada aos machos. Muitos microrganismos podem utilizar-se na cavidade prepucial de touros.Touros jovens e com prepúcio curto geralmente mostram menor contagem bacteriana no lavado prepucial e sêmen do que reprodutores idosos e com prepúcio penduloso, o que é característico de algumas raças zebuínas  À parte os patógenos naturais, é difícil estabelecer a importância dos oportunistas como potenciais patógenos. Sob certas condições, bactérias podem migrar pelo trato genital causando vesiculite seminal ou epididimite, nos machos e abortamento nas fêmeas. O estudo de microrganismos que interferem na reprodução e na qualidade do sêmen é de suma importância para o mercado interno e internacional.

Ver detalhes do projeto

  Eliana Scarcelli Pinheiro      IB

Fisiologia dos estresses em plantas cultivadas

n° SGP 464

No Brasil, nas últimas décadas, com a expansão do cultivo da cana-de-açúcar, os efeitos da deficiência hídrica sobre a produtividade da cultura têm se tornado cada vez mais evidentes. O uso de irrigação para atenuar o efeito da escassez de água na produção de cana-de-açúcar é uma alternativa ainda pouco utilizada nos países produtores, pois a disponibilidade de água é limitada em algumas regiões e os custos dos equipamentos tornam esse tipo de estratégia muito dispendiosa Dessa forma, para manter a produtividade vegetal sob condições de pouca umidade nos solos tem suscitado, ao longo dos anos, forte interesse dos pesquisadores na identificação de características de ordem fisiológica, bioquímica e molecular durante a adaptação ao estresse que, posteriormente, serão utilizadas na produção de cultivares tolerantes, em programas de melhoramento genético. O experimento será realizado em casa de vegetação, em ambiente semi-controlado, localizada na Faculdade de Ciências Agrárias e Veterinárias, Universidade Estadual Paulista, Jaboticabal - SP. O delineamento experimental utilizado será em blocos inteiramente casualizados, no esquema fatorial 3×2 (três cultivares (C) × duas tensões superficiais (T)), com seis repetições, a fim de se ter um melhor controle das variáveis ambientais dentro da casa de vegetação. Os resultados esperados visam verificar o processo de tolerância e sensibilidade a deficiência hídrica de cultivares de cana-de-açúcar durante o crescimento inicial e comparar o desempenho fisiológico e bioquímico e suas respectivas contribuições para o ajuste osmótico.

Ver detalhes do projeto

  Samira Domingues Carlin Cavallari      IAC

Desenvolvimento Inicial de Seringueira Submetida a Herbicidas

n° SGP 461

O controle de plantas daninhas representa parte significativa do custo de produção da seringueira nos primeiros anos até o fechamento das entrelinhas pelas plantas. A aplicação continuada do glyphosate tem selecionado espécies de plantas daninhas tolerantes, além de poder causar prejuízos a cultura devido a deriva. Estudos para viabilizar outras opções de herbicidas seletivos à cultura da seringueira e que controlem as plantas daninhas remanescentes das aplicações do glyphosate terão grande aplicação na cultura. O 2,4-D muitas vezes é utilizado como opção para aumentar o espectro de ação do glyphosate. Embora esses herbicidas sejam empregados na cultura da seringueira, sua aplicação deve ser dirigida às plantas infestantes evitando o contato, com a planta da seringueira. No Estado de São Paulo são mais de 4000 propriedades com seringueira circundada por diversas culturas como o milho e a soja que utilizam o ghyphosate, muitas vezes associado ao 2,4 D para controle de plantas daninhas, podendo causar danos por deriva à cultura da seringueira. Assim, a definição da tolerância da seringueira à deriva dos herbicidas glyphosate e 2,4-D também deve ser avaliada. Objetiva-se com esse projeto de pesquisa fornecer informações para o manejo integrado de plantas daninhas na cultura da seringueira. Propõe-se, portanto: i - verificar a existência de seletividade dos herbicidas flomioxazina, imazethapyr, fomesafen, carfentrazone ethyl e sulfentrazone para seringueira em fase de implantação; ii - definir a tolerância da seringueira, em fase de implantação, à deriva dos herbicidas glyphosate e 2,4-D e a mistura ghyphosate + 2,4D.

Ver detalhes do projeto

  Rogério Soares de Freitas      IAC

Uso de imagens digitais na avaliação pós-colheita de frutas e hortaliças

n° SGP 458

O desenvolvimento da ciência e tecnologia, em especial o desenvolvimento da tecnologia da informação, tem tornado possível o uso de muitos métodos não destrutivos para a análise de materiais, podendo também ser aplicados em frutas. Atualmente a indústria frutícola necessita de técnicas não destrutivas para a seleção e certificação on-line de frutas e hortaliças de alta qualidade. Uma das técnicas não destrutivas que tem sido estudada na área agrícola é a visão de máquina, cujo escopo é promover a objetividade da classificação dos produtos. Dentro deste contexto, o presente projeto tem como objetivo principal é o uso de imagens digitais para avaliação pós-colheita de frutas e hortaliças. Para tanto, o projeto será dividido em quatro partes: 1) seleção e classificação de frutas e hortaliças quanto ao comprimento, largura, cor através de imagens digitais; 2) identificação e seleção de frutas e hortaliças com defeitos na casca, tais como doenças, manchas e danos mecânicos superficiais através de imagens digitais e multiespectrais; 3) avaliar a evolução de danos mecânicos de impacto e corte em frutas e hortaliças usando-se imagens digitais; 4) avaliar a qualidade pós-colheita durante o armazenamento de frutas e hortaliças através de imagens. 

Ver detalhes do projeto

  Juliana Sanches de Laurentiz      IAC

RESPOSTAS DA LEGUMINOSA-MACROTILOMA A COMBINAÇÕES DE DOSES DE FÓSFORO E CÁLCIO

n° SGP 450

A contribuição das leguminosas forrageiras para a produção animal constitui um caminho na direção da sustentabilidade dos sistemas agropecuários. Dessa forma objetivar-se-á avaliar a interferência das combinações de doses de P e Ca no estabelecimento e crescimento da leguminosa Macrotyloma axillare NO 279. O experimento será instalado em casa de vegetação com solo proveniente de área de pastagem de Brachiaria brizantha cv. Marandu. O delineamento experimental será em blocos ao acaso com quatro repetições. Os tratamentos corresponderão a cinco doses de fósforo) e cinco doses de cálcio combinadas em estudo de superfície de resposta baseado em desenho experimental composto central modificado de um fatorial 52 incompleto. Dessa forma utilizar-se-ão 13 combinações das doses de P e Ca. Serão avaliadas as características nutricionais e produtivas da leguminosa-macrotiloma. Os resultados serão submetidos à análise de variância para as combinações de doses de P e de Ca. Quando essa interação não for significativa efetuar-se-á o estudo de regressão de primeiro e segundo graus para o efeito das doses de P e Ca isoladamente.

Ver detalhes do projeto

  KARINA BATISTA      IZ

ADUBAÇÃO NITROGENADA DE COBERTURA NO CONSÓRCIO DE MILHO SAFRINHA COM CAPIM-RUZIZIENSIS EM SISTEMA PLANTIO DIRETO

n° SGP 449

O consórcio de milho safrinha e o capim-ruziziensis (Urochloa ruziziensis cv. Comum) tem avançado nessa época. Dessa forma objetivar-se-á determinar a influência da adubação nitrogenada de cobertura para o consórcio de milho safrinha com o capim-ruziziensis em sistema de plantio direto. No plantio apenas a linhas do milho safrinha serão adubadas. Enquanto que a adubação de cobertura será realizada nas linhas do milho safrinha e do capim-ruziziensis. Os tratamentos constituir-se-ão de quatro doses de nitrogênio aplicadas em cobertura. O delineamento experimental será o de blocos ao acaso, com quatro repetições. No verão será implantada a leguminosa-crotalária. Serão avaliados: a) Diagnose nutricional das plantas de milho safrinha e capim-ruziziensis; c) Produção de massa seca; d) Concentração de macronutrientes nas plantas consorciadas; e) Parâmetros agronômicos do milho safrinha; f) Atributos químicos do solo e g) Teores de nitrato e amônio no solo. As parcelas serão comparadas pelo teste de média de Tukey e as doses de nitrogênio serão avaliadas por regressão polinomial.

Ver detalhes do projeto

  KARINA BATISTA      IZ

Implantação de sistema silvipastoril com mogno africano em pastos de capim-marandu

n° SGP 447

Sistemas silvipastoris são complexos e únicos, e devem ser estudados com o intuito de otimizar a produção de seus componentes. O objetivo deste trabalho é avaliar a produção do capim-marandu e o desenvolvimento das árvores de mogno africano em cultivo exclusivo (padrões comerciais) e em sistema silvipastoril em pastos de capim-marandu manejados com lotação intermitente ou não pastejados. As árvores de mogno africano serão avaliadas a cada seis meses quanto ao diâmetro, altura total e do primeiro verticilo, e sobrevivência. No capim-marandu serão avaliados acúmulo de forragem e de seus componentes, densidade populacional de perfilhos, índice de área foliar, valor nutricional, estrutura do dossel e desempenho animal. Os tratamentos corresponderão a pastejo com lotação intermitente (altura pré-pastejo de 25 cm e pós-pastejo de 15 cm) ou sem pastejo, em pastos integrados com renques (espaçados de 15 m entre si) de mogno africano formados com três linhas (5 x 5 x 5 m entre árvores) ou uma linha (4 m entre árvores) de árvores, e mogno africano exclusivo (5 x 5 x 5 m entre árvores), em delineamento de blocos completos casualizados com três repetições, em esquema fatorial 2 x 2 (capim-marandu rotacionado e não pastejado com renques de uma e três linhas de mogno africano) com um tratamento adicional (mogno africano exclusivo). Os resultados serão submetidos à análise de variância utilizando-se o PROC MIXED (SAS). Com isso espera-se determinar a condição de manejo que contribua com a produtividade dos pastos, animal e madeireira, auxiliando no entendimento e adoção de sistemas silvipastoris viáveis e lucrativos.

Ver detalhes do projeto

  Alessandra Aparecida Giacomini      IZ

POPULARIZAÇÃO DA CIÊNCIA ATRAVÉS DE OFICINAS DE AVALIAÇÃO DA QUALIDADE DA ÁGUA REALIZADA POR ALUNOS DA REDE PÚBLICA DE ENSINO DE BROTAS/SP.

n° SGP 446

Aumentar o interesse pela ciência entre crianças e adolescentes deve ser um dos objetivos da educação, pois é o meio mais fácil e eficaz de popularização da ciência. Nas escolas públicas existe uma carência de práticas em educação científica. A comunidade científica também tem um papel importante neste tema e deveria procurar diminuir o distanciamento entre a pesquisa e a sociedade. Um programa de monitoramento da qualidade da água foi montado para que os alunos da rede pública de ensino de Brotas/SP façam o monitoramento da qualidade da água. O objetivo deste trabalho é montar um programa de educação ambiental e divulgar a ciência através da determinação de  parâmetros de qualidade da água em rios e córregos da cidade de Brotas/SP por alunos da rede pública de ensino. O programa de monitoramento da qualidade da água irá ser apresentado aos alunos com apresentação do Kit para avaliação dos parâmetros químicos e físicos e visualização dos macroinvertebrados aquáticos, parâmetro biológico a ser avaliado. O programa será realizado em parceria com a Pós Graduação do Instituto Biológico de forma que os alunos do programa coordenem as atividades junto a Secretaria do Meio Ambiente de Brotas.

 

Ver detalhes do projeto

  Eliane Vieira      IB

LEVANTAMENTO SOROEPIDEMIOLOGICO DA NEOSPOROSE E TOXOPLASMOSE EM BOVINOS LEITEIROS CRIADOS EM SISTEMA DE AGRICULTURA FAMILIAR

n° SGP 436

Na região noroeste do Estado de São Paulo, o sistema de produção da agricultura familiar é baseado na bovinocultura de leite, voltada a garantir a subsistência, entretanto por carecer de atendimento técnico nem sempre atingem os índices produtivos desejados e por desconhecimento acerca do manejo sanitário adequado podem comprometer a saúde dos animais e dos indivíduos da comunidade, caso sejam acometidos por agentes zoonóticos.O objetivo da pesquisa foi avaliar a presença de neosporose e toxoplasmose em bovinos leiteiros criados em sistema de agricultura familiar pela técnica de Reação de Imunofluorescência Indireta (RIFI). Do total de 954 soros bovinos, até o momento foram avaliados, 927 soros para neosporose e 385 soros para toxoplasmose bovina, correspondendo, respectivamente, a frequência de 33,98% (315/927) e 20% (77/385) de bovinos reagentes. No total de propriedades amostradas encontrou-se, pelo menos 1 animal reagente para neosporose por propriedade. Por outro lado, a toxoplasmose foi detectada em 40 das 64 amostradas mostrando risco de saúde pública. Pelo questionário epidemiológico a aquisição de animais, criação de outras espécies animais em contato com os bovinos, principalmente cães e gatos podem ter contribído na transmissão de neosporose e toxoplasmose. Histórico de abortamento foi relatado em 22 propriedades, indicando altas taxas da perda do rebanhoe a falta de cuidado no descarte das carcaças possibilitando a transmissão horizontal dessas doenças. Diante da importância do tema, o impacto social e implicação destas enfermidades, as informações obtidas com este projeto visam estabelecer, inclusive, medidas higiênico sanitárias por meio de um processo de conscientização da comunidade-alvo.  

Ver detalhes do projeto

  Liria Hiromi Okuda      IB

Avaliação de produtos sintéticos bioativos no controle da Podridão-Parda (Monilinia fructicola (Wint.) Honey) do pessegueiro

n° SGP 432

A fruticultura é uma atividade de relevância social e econômica em todo o mundo, tanto por fornecer nutrientes essenciais ao ser humano quanto por gerar renda. Ela participa diretamente na econo¬mia brasileira, por meio do valor das exportações e do merca¬do interno.  Uma das frutíferas que vem crescendo em todo o mundo pelo aumento no consumo de frutos in natura e pela sua utilidade para industrialização e comercialização sob forma de sucos e enlatados é o pessegueiro.  Com relação aos fatores relacionados à qualidade do fruto, a podridão parda, causada pelo fungo Monilinia fructicola (Wint.) Honey é a principal doença do pessegueiro no Brasil. Devido à grande quantidade de chuvas durante o desenvolvimento dos frutos, a incidência de podridões têm sido elevada nos últimos anos na cidade de Mogi das Cruzes, localizada na região do alto Tietê, a qual é responsável pela produção de pêssegos que abastece a cidade de São Paulo, provocando uma perda de 46% de frutos. As recomendações para o controle da doença no Brasil são baseadas em tratamentos protetores com a utilização de fungicidas, principalmente durante a floração e nos estágios de pré e pós-colheita. Este tipo de controle, porém, além de causar desequilíbrio ambiental, eleva o custo de produção e, muitas vezes, não oferece um controle eficiente. As demandas públicas para reduzir o uso de agroquímicos e melhorar a saúde ambiental e humana, limita a aplicação pré-colheita de produtos químicos no campo. Estas preocupações, combinado com a falta de tratamentos pós-colheita eficazes contra Monilinia spp. têm estimulado o interesse de pesquisa no desenvolvimento de novos métodos de controle. Portanto, o presente trabalho visa o controle da ocorrência do principal fungo causador de podridões, utilizando produtos sint

Ver detalhes do projeto

  Edlayne Gonçalez      IB

MICOBIOTA, OCRATOXINA A E NÍVEIS DE RESVERATROL EM UVAS NIÁGARA ORGÂNICAS

n° SGP 431

~A preocupação com o meio ambiente e a aquisição de alimentos mais seguros levou as pessoas a questionarem sobre as praticas agrícolas modernas. Desta forma, o cultivo orgânico foi sugerido como uma alternativa aos sistemas de cultivo convencionais a fim de melhorar a qualidade ambiental. Esta prática agrícola exclui o uso de fertilizantes e inseticidas sintéticos, reguladores de crescimento da planta e organismos geneticamente modificados e, portanto é considerada por muitos como uma alternativa mais saudável em relação aos alimentos provenientes de cultivo convencional. No Brasil, as frutas produzidas de forma orgânica são: manga, banana, uva, morango e goiaba. As uvas estão entre os dez alimentos benéficos à saúde, devendo ser consumida com frequência, pois possuem propriedades rejuvenescedoras, diuréticas e depurativas, outras propriedades importantes da fruta são as fibras, flavonoídes e os polifenóis. Entre os polifenóis destaca-se o resveratrol (antioxidante), uma fitoalexina que confere resistência contra os insetos, e sua produção é resultante do estresse da planta devido à exposição da luz ultravioleta e a infecção fúngica. O cultivo de uvas no Brasil ocupa uma área de 81 mil hectares, destacando-se os pólos de frutas Juazeiro/BA e Petrolina/PE, os quais são responsáveis por 95% da produção de uvas finas de mesa. O estado de São Paulo é considerado o maior produtor de uva de mesa, sendo a variedade Niágara rosada responsável por 89% das plantas cultivadas e 49% da produção do estado. Porém o clima do estado de São Paulo favorece ao desenvolvimento de fungos na videira, geralmente, acometendo os ramos, folhas e frutos interferindo na qualidade do produto final. Existe uma grande variedade de fungos que liberam substâncias conhecidas como micotoxinas, muitas delas têm capacidade mutagênica e carcinogênica e outras são tóxicas para os demais ór

Ver detalhes do projeto

  Edlayne Gonçalez      IB

Planeta Inseto

n° SGP 428

O Instituto Biológico, órgão subordinado a Agência Paulista de Tecnologia dos Agronegócios da Secretaria de Agricultura e Abastecimento do estado de São Paulo, abriga em seu Museu a exposição Planeta Inseto desde dezembro de 2010. Possui autorização para manejo e exposição de insetos na categoria de jardim zoológico e tem recebido em média 25 mil pessoas por ano. Possui ISO 9001 para Divulgação Científica e Cultural em Entomologia. Estudos recentes comprovam que os jardins zoológicos e aquários do mundo têm um papel crucial a desempenhar quanto a ajudar as pessoas a compreender como podem proteger animais e os seus habitats naturais. Neste contexto, o Planeta Inseto vem colaborando para que os alunos do ensino fundamental e também ao público em geral tenham uma compreensão maior acerca dos insetos, biodiversidade e sustentabilidade ambiental, controle biológico, insetos de importância médica de forma lúdica e interativa. 

Ver detalhes do projeto

  Harumi Hojo      IB

Manejo de Pragas e Doenças em plantas ornamentais na região da Dutra

n° SGP 427

Mesmo durante a “crise” política e econômica que afeta o país, o brasileiro tem consumido mais flores, gastando em média R$ 26,68 por habitante, segundo o Instituto Brasileiro de Flores (Ibraflor). Com isso, o setor de floricultura deve crescer 8% em 2015, e órgão estima faturamento de R$ 6,1 bilhões. O projeto de manejo de pragas e doenças visa contribuir no diagnóstico de pragas, doenças e virus em ornamentais e recomendar o manejo mais adequado.  Atualmente, contamos com 67 associados com produtores abrangendo as cidades de Guarulhos, Arujá, Itaquaquecetuba, Santa Isabel, Mogi das Cruzes, Biritiba Mirim, Guararema, Jacareí, São José dos Campos e Taubaté, com sua Sede em Arujá, a 50 km da capital paulista (Av. P.L. do Brasil, Km 4.5 – Fazenda Velha – Arujá – SP).

Cerca de 80% destes associados se dedicam à produção de flores em vaso, sendo que, possuem também flores de corte, mudas (forrações), árvores e arbustos para jardins. Dentro de nossos principais produtos estão as orquídeas (gêneros: Cymbidium, Cattleya, Oncidium, Dendrobium, Phalaenopsis e outros gêneros de menor importância quantitativa), hortênsia, antúrio, begônia, ciclâmen, gérbera, entre outros... Segundo dados estatísticos, somos a 3a maior região produtora (em volume) de flores e plantas ornamentais do Estado de São Paulo (atrás da Holambra e da região de Atibaia).

Os problemas com pragas em ornamentais é frequente, sendo o ácaro uma das pragas que mais atacam o cultivo de ornamentais, principalmente em épocas em que a temperatura é alta e a umidade relativa está baixa. 

Ver detalhes do projeto

  Harumi Hojo      IB

Nutrição e adubação com micronutrientes na agricultura

n° SGP 424

A produção agrícola tem apresentado aumentos expressivos no País, mas a produtividade média de várias culturas, ainda é baixa e poderá ser melhorada. Um dos fatores que contribui para essa produtividade é a expansão da agricultura em solos de baixa fertilidade, especialemente devido a deficiência de micronutrientes. Embora a essencialidade dos micronutrientes B, Cu,Cl, Fe, Ni, Mn, Mo e Zn seja comprovada o uso desses elementos nas lavouras brasileiras ainda é negligenciado e frequentemente se observa sintomas de deficiência. Apesar de ter reconhecida importância, trabalhos de pesquisa com micronutrientes ainda são escassos e inconclusivos no Brasil, sendo necessário a realização de mais pesquisas para subsidiar recomendações de adubação mais sunstentáveis. Sendo assim, o objetivo desse projeto é realizar estudos sobre fontes, doses e formas de aplicação de micronutrientes nas principais culturas do Estado de São Paulo. Diante disso, estão sendo conduzidos estudos com  grãos e olericultura, café e cana-de-açúcar. Tem sido realizados estudos com Zn e Ni em soja, visando a biofortificação com Zn e aumento da produtividade de soja com Ni. Ainda na linha de biofortificação tem sido conduzidos estudos com biofortificação de hortaliças. Na cultura do café está sendo conduzido experimentos com fontes e formas de aplicação de B. Na cultura da cana-de-açúcar, em dois locais Altinópolis e Muzambinho-MG, duas importantes regiões produtoras de café.  Está sendo conduzido um programa de estudos sobre a interação de calagem e zinco e efeito de adubações foliares com micronutrientes. Este projeto está sendo conduzido em usinas no estado de São Paulo, e também MG e GO. 

Ver detalhes do projeto

  Estêvão Vicari Mellis      IAC

Bioestimulantes em cana-de-açúcar

n° SGP 418

Avanços devem ser realizados em programas nutricionais no que diz respeito a eficiência de uso pela planta. Os diversos produtos bioestimulantes possuem além dos nutrientes essenciais as plantas, hormonios vegetais que promovem maior crescimento e desenvolvimento das mesmas, melhorando de forma eficiente o uso de fertilizantes pelas plantas.Para tanto, ao associar o aspecto nutricional ao fisiológico, pode-se melhorar de forma significativa essa eficiência de uso, refletindo em maiores produtividades do canavial.

Ver detalhes do projeto

  Julio Cesar Garcia      IAC

AVALIAÇÃO DE CULTIVARES DE FEIJOEIRO UTILIZADO NOS ESTUDOS DE MELHORAMENTO GENÉTICO DO INSTITUTO AGRONÔMICO EM FUNÇÃO DO MANEJO DE ADUBAÇÃO E NUTRIÇÃO VEGETAL

n° SGP 416

No cultivo de qualquer planta, as condições de crescimento e desenvolvimento estão diretamente ligadas à interação do seu caráter genético com o ambiente. Essa interação influencia na variabilidade da produtividade, dependendo do caráter genético e ambiental, possibilitando na medida do possível a expressão do potencial de crescimento, desenvolvimento e de produção, sendo o ambiente o fator mais limitante. Dentre todos os aspectos relacionados ao ambiente, o manejo da adubação e a nutrição de plantas são dois dos fatores mais importantes. Além de poderem ser controlados parcialmente pelo homem, ambos têm ação direta no crescimento e no desenvolvimento da planta, consequentemente, na qualidade do produto final, além de proporcionar maior resistência com relação aos estresses bióticos e abióticos. Uma planta bem equilibrada no seu aspecto nutricional é mais resistente à seca, pragas, doenças, entre outros fatores. O feijão comum (Phaseolus vulgaris, L.) é a leguminosa mais consumida no mundo. No Brasil, é produzido nas mais diversas condições de ambiente e, cultivado em até três épocas durante o ano agrícola. Ás áreas de cultivo no país, normalmente, possuem solos de média a baixa fertilidade, sendo necessária sua correção e adubação, para elevar o seu nível de fertilidade. Por outro lado, o feijoeiro é uma cultura exigente em nutrientes e, dessa forma, as condições edáficas e climáticas dos locais de cultivo devem ser conhecidas e consideras para uma aclimatação e um ótimo desenvolvimento das plantas. Com relação à fertilidade do solo, torna-se de fundamental importância o conhecimento do comportamento das cultivares a essa condição de solo. No sistema de produção, o manejo da adubação

Ver detalhes do projeto

  José Antonio de Fátima Esteves      IAC

Inovações Tecnológicas na Sericicultura

n° SGP 405

O Projeto visa desenvolver e disponibilizar tecnologias aplicadas à Sericicultura, que promovam a redução de custos e o uso racional da mão-de-obra e dos meios de produção, conferindo eficiência produtiva e colocando a atividade como opção rentável e sustentável para o agronegócio familiar no Estado. Desenvolver e disponibilizar tecnologias aplicadas à Sericicultura, que promovam a redução de custos e o uso racional da mão-de-obra e dos meios de produção, conferindo eficiência produtiva e colocando a atividade como opção rentável e sustentável para o agronegócio familiar no Estado. 

O Projeto tem por objetivo desenvolver e disponibilizar tecnologias aplicadas à Sericicultura, que promovam a redução de custos e o uso racional da mão-de-obra e dos meios de produção, conferindo eficiência produtiva e colocando a atividade como opção rentável e sustentável para o agronegócio familiar no Estado.

O Módulo vigente, de Produção da Sericicultura, não atende as necessidades técnicas e sócio-econômicas das regiões sericícolas do Estado de São Paulo, apresentando deficiências quanto à utilização da mão-de-obra e dos meios de produção, baixo controle sanitário e ausência de informações e ferramentas de análise, para uma avaliação eficiente da atividade produtiva.

Pelo presente projeto, conduzido na Unidade de Pesquisa e Desenvolvimento de Gália-APTA/SAA, estão sendo desenvolvidas e disponibilizadas tecnologias aplicadas à sericicultura, abrangendo áreas de produção animal (bicho-da-seda), produção vegetal (amoreira) e sanidade animal. Os estudos visam a reestruturação do módulo de produção sericícola atual, tornando-o mais eficiente e sustentável.

Ver detalhes do projeto

  Antonio José Porto      Apta Regional / IZ

Banco Ativo de Germoplasma (BAG) de amoreira, Morus sp. Introdução, condução, manutenção e estudo do banco de germoplasma de amoreira, Morus sp.

n° SGP 404

A Unidade de Pesquisa e Desenvolvimento/Gália-SP – Agência Paulista de Tecnologia dos Agronegócios/Secretaria de Agricultura e Abastecimento do estado de São Paulo (UPD/Gália – APTA/SAA) abriga uma coleção de cultivares de amoreira (Morus sp.), que compõem um Banco Ativo de Germoplasma de amoreira. Esse banco possui 42 cultivares selecionados pelo Instituto de Zootecnia (APTA/SAA), denominado de cultivares IZ, além de outros acessos obtidos do meio produtivo. A proposta do presente projeto é promover adequada manutenção e condução desses recursos fitogenéticos, introduzir novos acessos e, principalmente, desenvolver estudos que possibilitem o conhecimento mais aprofundado do material genético disponível, o aprimoramento de tecnologias para seu uso como forrageira animal e a utilização dessa planta como fonte de extratos de grande aplicação fitoterápica.

Ver detalhes do projeto

  Antonio José Porto      Apta Regional / IAC

Introdução e seleção de Zingiberales Ornamentais

n° SGP 391

As espécies tropicais ornamentais têm uma participação importante dentro do comércio de plantas ornamentais, tanto como flores e folhagens para corte como envasadas ou, ainda, como mudas para utilização em paisagismo. No Brasil, apesar da sua potencialidade para o cultivo dessas espécies, a produção ainda é pequena e atende somente o mercado interno. O subprojeto tem como objetivos: introdução e seleção de material básico visando a formação de um banco de germoplasma de espécies de Zingiberales ornamentais, nativas e exóticas; geração de informações sobre a fenologia, propagação, adaptação e cultivo de espécies das famí­lias Heliconiaceae, Costaceae, Strelitziaceae, Musaceae, Lowiaceae, Zingiberaceae, Cannaceae e Marantaceae e fornecimento de material propagativo, das espécies selecionadas, para viveiristas e produtores de plantas ornamentais e intercâmbio com outras instituições de pesquisa.

Ver detalhes do projeto

  Charleston Gonçalves      IAC

Avaliação dos acessos da coleção genética de tuberosas diversas: características qualitativas

n° SGP 389

Entre as plantas de multiplicação vegetativa produtoras de raí­zes, tubérculos e rizomas, há algumas, além da mandioca e batata, que já apresentam importância econômica e social, como a batata-doce, o inhame (cará) e as aráceas (taro e taiobas). Pelas características especí­ficas, seja de ordem nutricional, organoléptica ou culinária encontram-se o jacatupé, tupinambour, araruta e tamoatarana, que poderão ter demandas despertadas e aumentadas ao longo do tempo, senbdo desta forma estratégico sua manutenção. Encontra-se também nesse grupo, os barbascos, os quais representam uma fonte permanente de fitoesteróides - diosgenina, matéria-prima destinada à produção industrial de hormônios sintéticos (estrogenos e progesterona). Este trabalho contempla a manutenção de bancos de germoplasma dessas espécies, propiciando observações preliminares quanto à caracterização dos recursos vegetais e seu comportamento agronômico e a produção de sementes e mudas para atendimento à pesquisa e difusão.

Ver detalhes do projeto

  JOSÉ CARLOS FELTRAN      IAC

Construção de uma população segregante com vistas a construção de mapa genômico para cafeeiro

n° SGP 386

Será criada uma população segregante constituida das famí­lias parentais de C. arabica cv. Bourbon Vermelho (P1), C. canephora cv. Robusta 4N (P2), do hí­brido P1 x P2 (F1), de F2 obtida via autofecundação do F1, e, do retrocruzamento de F1 para P1 (RC1), com vistas a servir de base para se construir um futuro mapa genômico para o cafeeiro. Serão obtidas até 500 plantas de cada famí­lia segregante (F2 e RC1), as quais serão plantadas e cultivadas em campo da Estação Experimental de Mococa. Famí­lias não segregantes acham-se plantadas em Campinas.Partindo de plantas existentes C. arabica cv. Bourbon Vermelho ("P1"), C. canephora cv. Robusta ("P2", 1330) e do hí­brido tetraplóide entre ambas ("F1", H2460-10-1), serão criadas as familias F2, via autofecundação do F1, e retrocruzamento para P1 ("RC1"). Deverão ser obtidas pelo menos 500 plantas de cada famí­lia segregante, as quais serão plantadas e cultivadas no campo, em espaçamento largo (4 x 3 m). Caracterí­sticas de interesse agronômico serão observadas em cada planta devidamente identificada, incluindo-se as qualitativas (cor, forma, ou outros detalhes morfológicos) e as quantitativas (crescimento, produção, precocidade, porte, diâmetro da copa, épocas de florescimento, graus de ataque de pragas e doenças, etc.)

Ver detalhes do projeto

  Luis Carlos da Silva Ramos      IAC

Cultivo conservacionista da melancieira em áreas de renovação de canavial

n° SGP 384

A região oeste é um dos principais pólos produtores de melancia do Estado de São Paulo. O cultivo é realizado prioritariamente em áreas de pastagens arrendadas, que cada vez são mais escassas, devido principalmente À grande expansão canavieira na região. Assim, neste contexto é primordial a apresentação de propostas inovadoras que viabilizem a utilização racional da terra tanto para produção de produtos agroenergéticos quanto para a produção de alimentos que garantam a geração de segurança alimentar. Para tal, durante a reforma de canaviais deve-se propor sistemas de produção que aliem a conservação dos recursos ambientais com produção de alimentos. O presente trabalho tem o objetivo de estudar métodos de preparo do solo, bem como doses de nitrogênio apropriadas para instalação e cultivo de melancieira (Citrullus lanatus) em áreas de renovação de canavial. Serão desenvolvidos em dois anos consecutivos, 2015 e 2016 dois experimentos no Pólo Regional do Extremo Oeste, em Andradina-SP. Os tratamentos propostos serão a combinação de diferentes sistemas de manejo do solo (plantio convencional, cultivo mí­nimo e plantio direto) sobre diferentes doses de nitrogênio aplicadas em cobertura (50, 100, 200 e 400 kg N ha-1). O delineamento experimental será em blocos casualizados em esquema de parcelas subdivididas sendo as parcelas os sistemas de manejo de solo e as sub-parcelas as doses de nitrogênio em cobertura com 4 repetições. Estudar-se-á as alterações dos atributos quí­micos e fí­sicos do solo, a massa fresca e seca da palhada da cana sobre o solo, as caracterí­sticas da parte vegetativa da planta (caule + folhas), caracterí­stica quí­micas da parte aérea (parte vegetativa + frutos), a produção de frutos, caracterí­stica fí­sico-quí&a

Ver detalhes do projeto

  Luis Felipe Villani Purquerio      IAC

Desenvolvimento de um banco de dados para gerenciamento do perfil molecular de cultivares comerciais, genitores e acessos selvagens de cana-de-açúcar

n° SGP 383

O gerenciamento eficiente do germoplasma de um Programa de Melhoramento é fundamental para o desenvolvimento de novos cultivares. No Brasil, os programas de melhoramento de cana-de-açúcar têm utilizado marcadores moleculares na caracterização do perfil molecular de seus genótipos, entretanto, não há um banco consolidado com o perfil molecular de cultivares, clones elites e acessos selvagens. O programa de melhoramento genético de cana-de-açúcar do Instituto Agronômico desenvolveu um software capaz de armazenar o perfil molecular de genótipos de cana-de-açúcar gerado por marcadores moleculares, e pelo perfil molecular, identificar um genótipo previamente armazenado no banco. Para a efetiva utilização e aplicação deste software é necessário estabelecer o perfil molecular de genótipos de interesse. O presente projeto tem como objetivo principal iniciar a construção de um banco com o perfil molecular de cultivares de cana-de-açúcar, acessos selvagens e clones elites utilizados como genitores em cruzamentos. Pretende-se também criar um banco de DNA genômico dos genótipos; identificar um conjunto de microssatélites com alto poder discriminatório; estimar a variabilidade genética entre e dentro dos grupos avaliados e desenvolver marcadores do tipo SCAR (sequence characterized amplified regions) derivados de AFLP (Amplified fragment length polymorphism) espécie especí­ficos de S. spontaneum. O desenvolvimento de SCARs permitirá a rápida identificação de hí­bridos verdadeiros provenientes de cruzamentos envolvendo cultivares comerciais e acessos de S. spontaneum auxiliando os Programas de Introgressão Genética para Bioenergia. Destacamos que, até o presente momento, em se tratando de programas públicos de melhoramento, não existe, no Brasil, um banco de perfil molecular de tal natureza para a cana-de-açúcar.

Ver detalhes do projeto

  Luciana Rossini Pinto      IAC

Validação tecnológica de cultivares clonais de cafeeiro arábica

n° SGP 382

O projeto visa a produção de mudas por embriogênese somática de genotipos promissores de cafeeiro arábica . Tais genótipos serão estudados em campo, em testes de competição, quanto ao desempenho agronômico, tecnológico e qualitativo dos grãos. O objetivo principal é identificar pré cultivares com potencial para cultivo em ambientes especí­ficos visando à melhoria da qualidade sensorial de café. Para tanto é necessário a execução de algumas atividades essenciais como a produção de mudas de cafeeiro, a implantação de experimentos em diversos ambientes de produção, as avaliações de desenvolvimento vegetativo, o desempenho agronômico e a qualidade fí­sica e sensorial dos grãos. Trata-se de uma proposta inovadora à medida que se propõe a identificar cultivares com qualidade sensorial diferenciada para cada ambiente de produção, podendo contribuir para encurtar o prazo de lançamento de cultivares clonais.

Ver detalhes do projeto

  Gerson Silva Giomo      IAC

Quantificação e qualificação da produção de água na Bacia Hidrográfica do Piracicaba

n° SGP 381

Poucos ecossistemas no Brasil estão sob degradação semelhante a que ocorre na Mata Atlântica. Dentre estas, o sul de Minas Gerais e os municípios paulistas da UGRHI 5 vem sendo submetidos à degradação predatória e desordenado histórico de ocupação do solo. Isso tem influenciado diretamente a produção de água tendo como reflexo a limitada quantidade e a baixa qualidade de água das nascentes, assim como no fluxo de base dos rios. A atual escassez de água na bacia do PCJ mostra que é cada vez mais urgente mensurar, avaliar e monitorar o que acontece com a água de precipitação que efetivamente contribui com as águas subterrâneas, desenvolvendo metodologia eficiente de mensuração da produção de água, e que possibilite propostas de arranjos e formas de remuneração de PSAs mais apropriados. O Objetivo geral deste projeto é o desenvolvimento de um programa de monitoramento da eficiência das práticas de manejo conservacionistas em microbacias hidrográficas da UGRHI 5. Os objetivos especí­ficos são a) Quantificar e qualificar a evolução da homogeneização hidrológica, da capacidade de produção e promoção da qualidade da água, antes e depois da adoção de diferentes práticas conservacionistas e, b) a partir dela, modelar, prever os resultados e recomendar as mais eficientes práticas conservacionistas em outras microbacias da UGRHI 5­. Metodologicamente, por meio da precisa caracterização do meio fí­sico-hidrológico dos diferentes planos de relevo da microbacia - topo de morro, meia encosta e talvegue, monitorar a evolução das contribuições hí­dricas individuais concebendo um monitoramento integrado que responda como a quantidade e a qualidade evoluiram na produção de água, além de quanto cada plano e prática contribuiu. No final ser&

Ver detalhes do projeto

  Rinaldo de Oliveira Calheiros      IAC

Sustentabilidade na produção de cana-de-açúcar: matérias primas, resíduos agroindustriais e gases de efeito estufa

n° SGP 380

A produção sustentável de cana-de-açúcar é um quesito importante valorizado pela sociedade, em especial para a cana direcionada para a produção de bioenergia. A sustentabilidade na fase agrícola é fortemente influenciada pelas emissões de gases de efeito estufa (GEE) e pelo destino de resí­duos agroindustriais, em especial a vinhaça e a palha. As fontes de matérias prima usadas para a produção de biocombustíveis também têm papel relevante: colmos, palha e novos materiais, como a chamada cana-energia. As emissões de GEE, com destaque para o óxido nitroso (N2O) são originadas principalmente dos fertilizantes nitrogenados usados na cultura. A palha e a vinhaça tem efeito marcante nas emissões desses gases. Além disso, os resí­duos agroindustriais são importantes para a reciclagem de nutrientes e a conservação dos solos, itens relevantes para a sustentabilidade da produção agrícola. O uso e remoção de nutrientes na colheita também influencia a sustentabilidade do sistema. Desse modo, o projeto engloba várias ações direcionadas a estudar: a) as emissões de GEE provenientes de fertilizantes e sua interação com a aplicação de vinhaça e palha; b) as interações e mecanismos microbiológicos associados às emissões de GEE em função do uso de fertilizantes, vinhaça e palha; c) as emissões de GEE a partir de fertilizantes tratados com inibidores de nitrificação; opções de aproveitamento da palha da cana e os efeitos sobre o solo e ciclagem de nutrientes; d) avaliação, em longo prazo, do uso de diferentes fertilizantes nitrogenados na cultura de cana-de-açúcar; e) balanço de nutrientes em cana energia.

Ver detalhes do projeto

  Heitor Cantarella      IAC

Estabelecimento de um procedimento operacional padrão para multiplicação acelerada de cana-de-açúcar em biofábrica.

n° SGP 379

A cultura de tecidos oferece uma oportunidade para produção rápida e em quantidade das variedades de cana-de-açúcar, livres de patógenos. No entanto, o sistema consolidado para multiplicação é baseado na micropropagação convencional, com utilização de grande quantidade de frascos pequenos, com poucas plantas, exigindo intensa utilização de mão-obra qualificada, o que onera o custo final da muda produzida. A tecnologia de multiplicação em sistemas de biorreatores possibilita otimizar o processo de multiplicação, reduzindo-se os aspectos acima apontados, e contribuindo para acelerar a produção de plantas, com baixo custo. No entanto, essa tecnologia não está prontamente disponí­vel para cana, sendo que algumas empresas já a utilizam, mas mantém sigilo das etapas envolvidas. Além disso, até o momento, não existem procedimentos operacionais padrão para multiplicação em larga escala de cana-de-açúcar em biofábrica, sendo que muitos materiais micropropagados apresentam baixa qualidade fitossanitária. Recentemente, um biorreator desenvolvido pela EMBRAPA está sendo aprimorado pela Empresa Tecnal, cuja principal inovação é a substituição de iluminação por lâmpadas fluorescentes por iluminação por LED. O uso de biorreator sobretudo com o uso de luz tipo LED promete revolucionar a produção de cana em biofábrica, por possibilitar ainda mais um aumento na escala de produção, com redução expressiva no custo final da muda. Dessa forma, propomos, no âmbito de um setor público, desenvolver procedimentos operacionais padrão, para as fases de estabelecimento de viveiro, certificação de origem e multiplicação de genótipos de cana em biofábrica, utilizando-se de biorreatores de imersão temporária com iluminação por lâ

Ver detalhes do projeto

  Silvana Aparecida Creste Dias de Souza      IAC

Análise diagnóstica de doenças sistêmicas em cana-de-açucar

n° SGP 378

O Raquitismo-da-soqueira (Leifsonia xyli subsp. xyli) e a escaldadura das folhas (Xanthomonas albilineans) representam as mais importantes doenças bacterianas na cultura da cana-de-açuca. A transmissão dá-se mecanicamente através do corte, quando as lâminas das colheitadeiras ou dos facões cortam uma planta doente e posteriormente, uma planta sadia. Os prejuí­zos são dependentes do genótipo, do ciclo da planta (cana planta é mais tolerante), e da disponibilidade hí­drica, visto que essas bactérias se manifestam em condições de deficiência hí­drica. A transmissão ocorre principalmente pelo uso de mudas infectadas. O controle dá-se pelo uso de mudas sadias, como pela desinfecção das lâminas de corte com calor, amônia quaternária 0,5% ou, etanol 50%. Portanto, é fundamental verificar, antes do plantio, a incidência da bactéria em plantas que serão usadas como mudas. Há vários métodos de diagnóstico da doença, como aqueles baseados em microscopia, em DNA (PCR) e em imunologia. O método imunológico Dot Blot é um dos mais adequados para avaliar o í­ndice de contaminação da doença, visto que é eficiente, rápido e de baixo custo, capaz de identificar plantas contaminadas a partir do momento em que a concentração da bactéria na planta possa atingir o ní­vel de dano na lavoura. Este projeto tem por objetivo avaliar a presença de L. xyli subp. xyli e X. albilineans em mudas provenientes de viveiros para plantio comercial, usndo o método dot blot.

Ver detalhes do projeto

  Silvana Aparecida Creste Dias de Souza      IAC

Melhoramento de sorgo: obtenção de variedades de sorgo graní­feros, vassouras, forrageiros e sacarinos

n° SGP 376

Objetivos: A partir de 2 populações   de sorgo graní­feros, uma formada pela combinação de F2 de híbridos comerciais, e a segunda por  combinação de F2 de hibridos comerciais selecionados para tolerância ao aluminio, estão sendo obtidas linhagens adaptadas ao plantio de segunda safra, selecionadas para tolerância a seca, resistência a doenças e acamamento, e maior produtividade de grãos. Para sorgo vassoura estão foram selecionadas as melhores variedades coletadas enre produtores e estão sendo obtidas  linhagens do cruzamento Tiete x Maschietto anão, de porte mas baixo e com boa resistência a doenças, e com maior produtividade de palha de boa qualidade. Para sorgo forrageiro foram selecioandas progênies S1 dento da variedade santa elisa, visando maior uniformidade e produtividade da variedade. Para sorgo sacarino estão sendo selecionadas linhagens com maior produção e brix dento da variedade sacarina IAC SART . Para o sorgo sacarino estão sendo selecionadas também linhagens de ciclo tardio obtidos da população IAC Santa Elisa x Brandes, com alto teor de açucar.

Ver detalhes do projeto

  Eduardo Sawazaki      IAC
  Sobre

O SGP (Sistema de Gestão de Pesquisa) foi implementado em todas as unidades APTA, para centralizar o controle de todos os projetos desenvolvidos sob sua supervisão. [Ler mais]

Endereço APTA – São Paulo

Praça Ramos de Azevedo, 254, 2º andar - República, São Paulo - SP

Fone : (11) 5067-0447 e 5067-0427

  Endereço APTA – Campinas

Avenida Barão de Itapura, 1481 - Botafogo, Campinas - SP

Fone : (19) 2137-8930