Projetos APTA em todas as unidades, todos os centros

Página Inicial / Busca de Projetos

846 projetos ativos encontrados - pág. 19 de 29

Desenvolvimento e qualidade nutricional de mudas de seringueira, sob as novas normas de produção

n° SGP 578

O sistema de produção de mudas de seringueira passou por uma grande mudança de paradigma com o advento da produção em bancadas suspensas, conforme preconizado pela Instrução Normativa (IN) n. 29, de 05 de agosto de 2009, do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento e pela Resolução 154 de 22 de novembro de 2013 da Secretaria de Agricultura e Abastecimento do Estado de São Paulo (SAA/SP). A normatização e fiscalização deste novo sistema de produção possibilitarão melhor qualidade fitossanitária e genética das mudas, alicerce fundamental no processo de expansão da heveicultura, com garantia de produtividade. A literatura é escassa em trabalhos sobre nutrição por fertirrigação e substratos em porta-enxertos clonais de seringueira no novo sistema de produção. Portanto, buscando gerar informações aplicáveis ao setor produtivo, esta proposta prevê a execução de três experimentos que contemplam a etapa de enxertia e formação inicial das mudas, com manejo via fertirrigação. O primeiro experimento objetiva determinar a extração e acúmulo de nutrientes e analisar o crescimento das plantas; no segundo experimento avaliar a viabilidade do uso de três tipos de substratos e no terceiro experimento avaliar cinco porta-enxertos clonais de seringueira. 

Ver detalhes do projeto

  Erivaldo José Scaloppi Junior      IAC

Clones de seringueira para látex e madeira

n° SGP 577

Os esforços da Secretaria de Agricultura e Abastecimento com a introdução de clones de seringueira na década de 50, possibilitaram que São Paulo seja hoje o principal Estado produtor de borracha natural do Brasil. Atualmente o parque heveícola encontra-se na condição de monocultivo, ou seja, em situação extremamente preocupante em termos fitossanitários. Além de a borracha natural ser fonte renovável de matéria-prima, a cultura da seringueira gera benefícios sociais pela inclusão do homem ao meio rural e agrega os benefícios próprios do cultivo florestal, como o fornecimento de madeira, outra matéria-prima estratégica para o desenvolvimento de um país. O ciclo de melhoramento da seringueira é longo e com diferentes etapas de experimentos que são avaliados no Centro de Seringueira e Sistemas Agroflorestais, APTA/SAA, Votuporanga-SP. O presente projeto tem por objetivo geral avaliar novos clones de seringueira com dupla aptidão de produção: látex e madeira. A estratégia abrange pesquisa e difusão dos resultados, na incumbência de alterar o panorama heveícola, incrementar a produção brasileira de borracha natural e madeira, gerar divisas, benefícios sociais e ambientais.

Ver detalhes do projeto

  Erivaldo José Scaloppi Junior      IAC

Otimização do processo de desenvolvimento de produtos panificados (cookies, pães e bolos) com melhor qualidade nutricional incorporando farinha de feijão-caupi biofortificados.

n° SGP 571

A Embrapa Meio-Norte é referência nacional no desenvolvimento de cultivares de feijão-caupi, e a partir de 2008 lançou no mercado sementes biofortificadas em ferro e zinco. Poucos foram os trabalhos realizados utilizando feijão-caupi como ingrediente em produtos panificados, e destes, utilizaram um pré-processo de descorticamento por hidratação. Economicamente, o descorticamento mecânico é mais promissor devido ao alto rendimento, entretanto, nenhuma pesquisa foi realizada utilizando a farinha obtida por esse processo. Não houve também, trabalhos cientificos publicados sobre a otimização do processo de produção de alimentos panificados, que em termos nutricionais, visa trazer benefícios nutricionais, por melhorar a quantidade e qualidade proteíca, e por utilizar cultivares biofortificadas em ferro e zinco, minimizando problemas de desnutrição da população.

 

Ver detalhes do projeto

  Elizabeth Harumi Nabeshima      ITAL

Banhos terapêuticos com óleos essenciais para o controle de parasitoses e bacterioses de tilápias do Nilo

n° SGP 570

Este estudo constitui-se um dos sub-projetos vinculados ao projeto intitulado Fitoquímicos como agentes antiestresse, imunoestimulante, antibacteriano e antiparasitário na criação de tambaqui (Colossoma macropomum), cachara (Pseudoplatystoma reticulatum) e tilápia (Oreochromis niloticus), do Macroprograma 2 da EMBRAPA. O objetivo é avaliar a eficácia de banhos terapêuticos com óleo essencial de Lippia sidoides e Mentha x piperita no controle de tricodinídeos e de bacterioses em tilápias do Nilo. A partir de resultados in vitro da eficácia dos óleos contra os parasitos e bactérias e dos testes toxicológicos, serão determinadas as concentrações de óleos a serem testadas nos ensaios in vivo. Os ensaios serão conduzidos em ambiente controlado e a avaliação da eficácia dos óleos será realizada através da contagem dos parasitos para determinação da Intensidade Média de infestação, Prevalência e Abundância Média, e da sobrevivência dos peixes frente ao desafio com as bactérias selecionadas.

Ver detalhes do projeto

  Fabiana Garcia Scaloppi      IP

Manejo de Nematoides de Galha na Cultura do Quiabo

n° SGP 569

O quiabeiro é uma planta altamente suscetível ao parasitismo de nematoides de galha (Meloidogyne spp.) e por eles, severamente danificado. Observam-se sistema radicular com galhas e inoperante, queda drástica do vigor da planta, diminuição do tempo de colheita e do número de frutos, com menor tamanho, restrição do uso do solo quando o quiabeiro é cultivado em local infestado por esses parasitos. A estratégia adotada pelo produtor, atualmente, quando reconhece a infestação na lavoura, é a rotação de áreas de cultivo. Cultiva-se por um ciclo o quiabo, em seguida uma cultura para aproveitar o excesso de fertilizantes no solo, como a abóbora e, na sequência, um longo ciclo pastoril. Entretanto, em alguns locais, mesmo após uma década de pasto, ainda assim, segundo informações dos produtores da região de Piacatu, o nematoide volta a infestar e causar prejuízos à cultura do quiabo. Nos casos onde o produtor não tem a opção de rotação de áreas, o que é comum nessa região, típica de agricultura familiar, a única saída é mudar a cultura, o que gera transtornos econômicos e, consequentemente, sociais. Para agravar a situação, não há um genótipo ou cultivar resistente a fim de ser introduzido num programa de manejo ou como fonte para melhoramento genético.  Assim, diante desse quadro, o objetivo desse projeto é pesquisar sistemas de manejo da cultura envolvendo rotação e consorciação de adubos verdes resistentes e seleção de genótipos de quiabeiros com tolerância ou baixos níveis de suscetibilidade aos nematoides de galha. As pesquisas serão realizadas em propriedades rurais na região de Piacatu, principal produtora de quiabo no Estado de São Paulo. Estão previstos experimentos de rotação e consorciação do quiabeiro com diferentes espécies de crotalárias. Outros estudos serão desenvolvidos em casa de vegetação do Laboratório de Nematologia, Centro de Fitossanidade (IAC), visando caracterizar genótipos de quiabeiro tolerantes ou com baixos níveis de suscetibilidade aos nematoides de galha (Meloidogyne incognita e M. javanica).

Ver detalhes do projeto

  Carlos Eduardo Rossi      IAC

Melhoramento genético de Lippia alba para rendimento e qualidade de óleos essenciais

n° SGP 568

Resumo e Principais Resultados da Pesquisa

Público-alvo: Agricultura familiar, Agricultura Orgânica

Matéria-prima vegetal: indústrias de fragrâncias, aromas, cosméticos, fitoterápicos, biodefensivos e antioxidantes

Objetivo final: Divulgar no site do IAC, um “banco” inédito de compostos químicos naturais (CROMATOGRAMAS) de Lippia alba para o setor industrial como matéria-prima no desenvolvimento de produtos com inovação tecnológica. 

O gênero Lippia alba foi primeiramente descrito em 1753, por Linnaeu e reúne cerca de 200 espécies e três centros de diversidade, sendo o Brasil o maior deles com 111 espécies. De ocorrência generalizada na Mata Atlântica, possui inúmeras aplicações nas áreas de cosméticos, fragrâncias, aromas, antioxidantes, fitoterápicos, biodefensivos e matéria-prima na síntese de vitamina A e caroteno.

O projeto de melhoramento genético de L. alba iniciou no ano de 2005 a partir de introduções de acessos (estacas) do Banco de Germoplasma da UNESP, Botucatu. A partir destas introduções foram identificadas plantas com variações de compostos químicos e morfologia foliar dentro dos próprios acessos, evidenciando que o material recebido não seria oriundo de plantas individuais. A seleção de plantas diferentes dentro dos acessos gerou, então, vinte clones experimentais pertencentes a cinco quimiótipos (linalol: IAC 1 a IAC 8, mirceno/cânfora: IAC 9 a IAC11, limoneno/carvona: IAC 12 a IAC 15, citral: IAC 16 a IAC 19 e mirceno: IAC 20:). Estes clones foram avaliados em seis experimentos em tr&

Ver detalhes do projeto

  WALTER JOSÉ SIQUEIRA      IAC

Avaliação de compostos fenólicos em genótipos de amendoim relacionados a resistência varietal a doenças foliares

n° SGP 567

A cultura do amendoim é severamente atacada por doenças fúngicas da parte aérea, as quais podem reduzir drasticamente a produtividade. A mancha preta (Cercosporidium personatum) e a ferrugem (Puccinia arachidis) são as predominantes e requerem o uso de fungicidas para o seu controle. A resistência varietal é uma das formas mais eficazes e sustentáveis de controle dessas doenças. Embora já se conheçam genótipos de amendoim a serem utilizados como fontes de resistência nos programas de melhoramento, os mecanismos dessa resistência não são conhecidos. Uma das hipóteses seria a produção pela planta de compostos secundários – os compostos fenólicos – que atuariam como uma proteção da planta à essas doenças. Este trabalho tem como objetivo caracterizar linhagens e cultivares de amendoim contrastantes quanto à resistência a doenças, bem como identificar e quantificar compostos fenólicos presentes nas folhas e possivelmente relacionados com  esta resistência.

Ver detalhes do projeto

  Cássia Regina Limonta Carvalho      IAC

APLICAÇÃO DA ESPECTROSCOPIA NO INFRAVERMELHO PRÓXIMO COMO FERRAMENTA PARA AVALIAÇÃO DE CONSTITUINTES QUÍMICOS E MELHORAMENTO GENÉTICO DE MATRIZES AGRÍCOLAS

n° SGP 565

Os melhoristas para desenvolverem suas atividades necessitam ter em mãos coleções de germoplasma da espécie em estudo. Sob a perspectiva agronômica, as coleções das espécies cultivadas são bem conhecidas, visto que o melhoramento convencional de grande parte das espécies tem apresentado grandes avanços tecnológicos ao longo desses últimos 40 anos. Entretanto, do ponto de vista da variabilidade da qualidade química muito pouco se conhece sobre os genótipos dessas espécies cultivadas e tampouco das espécies em melhoramento. Ao aplicarem o processo seletivo convencional de cultivares, geram inúmeras linhagens e repetições de campo, inviabilizando a execução de avaliações químicas dos produtos pelos métodos tradicionais. Essas ações conduzem a perdas no processo de seleção de genes relacionados às características químicas de interesse, cujas propriedades são de grande valia no campo tecnológico e nutricional. A técnica espectroscópica no infravermelho próximo (EIV), associada a quimiometria, tornaram-se métodos analíticos rápidos para quantificar os constituintes determinantes da qualidade dos produtos agrícolas. As quantificações dos componentes químicos como teor de óleo, de ácidos graxos, proteína bruta, umidade, amido, entre outros, podem ser simultâneas e analisadas em segundos, em contrapartida a uma análise convencional que pode prolongar-se por 48 horas ou mais. A função especial do projeto será empregar a EIV como uma ferramenta de resposta rápida na prospecção dos constituintes químicos e oferecer o conhecimento químico a ser usado como instrumento em biotecnologia, visando a geração de matéria-prima de melhor qualidade.

Ver detalhes do projeto

  Cássia Regina Limonta Carvalho      IAC

EFEITO DA ADUBAÇÃO POTÁSSICA NA PÓS-COLHEITA DE TOMATES ?PIZZADORO? E ?TOTALLE? CULTIVADOS EM AMBIENTE PROTEGIDO

n° SGP 564

O tomateiro, pela sua importância nacional, é uma das hortaliças que mais demanda pesquisas e adequações tecnológicas. A obtenção de frutos com qualidade depende, entre outros fatores, do correto fornecimento de água e nutrientes, sendo que o potássio é o que exerce a maior influencia nos atributos de qualidade que influenciam a preferencia do consumidor. O projeto visa estudar o efeito de diferentes doses de potássio, fornecidas via fertirrigação, na qualidade do fruto do tomateiro ‘Pizzadoro’ e ‘Totalle’. Na primeira etapa será realizado o acompanhamento do crescimento e coloração dos frutos em campo dos dois híbridos visando caracterizar o padrão de crescimento e maturação. Na segunda serão avaliadas as características físico-químicas durante a pós-colheita dos frutos visando avaliar a qualidade e potencial de conservação dos hibridos estudadas. Para tanto, os frutos serão colhidos em dois estádios de amadurecimento (pintando e vermelho) e avaliados durante o armazenamento a 25ºC quanto às características físico-químicas de qualidade. As doses correspondentes a cada tratamento serão de 0,0; 187,8; 375,7; 563,6 e 751,4 kg ha-1 de K2O fornecidas via fertirrigação. O delineamento experimental será o de blocos casualizados em esquema de parcela subdividida, com quatro repetições, totalizando 40 parcelas: 5 doses de potássio x 2 híbridos x 4 blocos (repetições). Cada subparcela será composta de 8 plantas. Os dados coletados serão submetidos à análise de variância e a comparação de média será pelo teste de Tukey a 5%. A análise de regressão será efetuada para observar o efeito dos tratamentos durante o armazenamento.

Ver detalhes do projeto

  Ilana Urbano Bron      IAC

Avaliação do potencial de eutrofização do cultivo de tilápias em tanques-rede situados em hidrelétricas da Bacia do Alto Paraná.

n° SGP 560

O processo de eutrofização em ecossistemas aquáticos comumente ocorre devido ao incremento de nutrientes na água os quais são assimilados pelo fitoplâncton desencadeando seu crescimento excessivo. O excesso de algas pode ocasionar prejuízos à qualidade da água como: diminuição da transparência da água, falta de oxigênio, floração de cianobactérias entre outros fatores. Nos últimos anos a implantação de tanques-rede em reservatórios situados no Estado de São Paulo tem aumentado. Parte da ração utilizada nesse sistema produtivo é perdida d´água liberando fósforo para a coluna, esse elemento em excesso pode desencadear o processo de eutrofização. Durante um período de 3 anos serão realizadas coletas de água na área de influência de tanques-rede implantados em reservatórios situados na Bacia do Alto Paraná. O objetivo será o de caracterizar a qualidade da água desses locais a partir do levantamento de variáveis físicas, químicas e biológicas da água com vistas à produção ambientalmente sustentável. A presente pesquisa está inserida no Projeto “Improved quality of cultured fish for human consumption”, cujo qual é resultado de uma parceria entre o Brasil e a Dinamarca.

Ver detalhes do projeto

  Cacilda Thais Janson Mercante      IP

Estudo de Lipoxigenases em culturas especiais de soja para consumo humano

n° SGP 558

A produção brasileira de soja,da safra 2014/2015,atingiu 95 milhões de toneladas (CONAB,maio2015),que poderá tornar o Brasil o principal produtor mundial dessa leguminosa, dependendo da próxima safra dos EUA ainda em fase de semeadura. Esta produção destina-se na maior parte à exportação nas formas de grãos, farelo e óleo, e secundariamente ao consumo interno, para ração animal, extração de óleo para consumo da população, produção de biodiesel e consumo “in natura”. O modelo tecnológico predominante de produção de soja apóia-se no uso intensivo de agroquímicos. Nos últimos 17 anos, o uso de sementes transgênicas expandiu-se em todas as regiões produtoras. As denominadas sojas especiais, caracterizadas pela qualidade do sabor superior (leves e adocicadas), apresentam sementes grandes ou  pequenas, com  diferentes tegumentos de coloração amarela, preta, marrom ou verde. Essas sojas especiais podem ser  utilizadas como hortaliças, na forma de brotos, grãos verdes, entre outros caracteres relacionados à composição das sementes como teores de proteína, óleo, ácidos graxos, tocoferóis, isoflavonas, inibidores de tripsina e ácido fítico. Estas cultivares de soja distinguem-se das comumente comercializadas no mercado internacional. Exigem modelo tecnológico diferenciado, como olericultura, típicas de pequenas propriedades de gestão familiar (Carrão-Panizzi,2011). A disponibilidade destas cultivares é interessante para introdução do cultivo de soja em regiões agrícolas com predominância de agricultura familiar, sem tradição de produção de soja convencional e sem riscos de contaminação pela soja transgênica em expansão no país.Para sua difusão são exigidas ações mercadológicas que evidenciem suas carac

Ver detalhes do projeto

  Rose Marry Araújo Gondim Tomaz      IAC

Características da fotossíntese e do metabolismo de carboidratos de espécies vegetais cultivadas em ambiente natural e sob estresse abiótico

n° SGP 556

Várias culturas no Brasil estão sendo submetidas a condições ambientais restritivas de temperatura e/ou de água, que poderão ser ainda agravadas devido às mudanças climáticas globais. A sustentabilidade da produção agrícola depende do suprimento contínuo de variedades com maior tolerância às variações ambientais, além da tolerância às pragas e doenças. Além disso, estudos aprofundados da fisiologia da planta são fundamentais para aprimorar as estratégias de manejo da cultura.  O presente projeto tem por objetivo analisar em espécies vegetais cultivadas aspectos fisiológicos relacionados à fotossíntese e ao metabolismo de carboidratos em condições naturais do Estado de São Paulo e/ou em condições controladas sob estresse hídrico, térmico ou luminoso. As principais culturas abordadas neste projeto são cana-de-açúcar (Saccharum spp.), espécies de citros e palmeiras produtoras de palmito. Em cana-de-açúcar serão quantificados em folhas e colmos os teores de sacarose e as enzimas envolvidas no seu acúmulo, durante períodos distintos do ciclo da cultura. Em laranjeiras ‘Valência’ e limoeiros ‘Lisboa’, expostos às variações sazonais das condições ambientais, serão avaliadas as trocas gasosas e a eficiência do uso do N. Já com relação às palmeiras produtoras de palmito, estamos realizando estudos de trocas gasosas e das relações entre plantas e ambiente de cultivo.


 
Ver detalhes do projeto

  Norma de Magalhães Erismann      IAC

Transformação dos genes PR-1 de cacau com domínios quinase em Arabidopsis e tomate

n° SGP 555

As doenças vegetais são grandes causadoras de perdas econômicas na agricultura. A fim de buscarmos novas alternativas para o combate de patógenos, faz-se necessário o entendimento dos mecanismos de defesa vegetal e das proteínas produzidas pelas plantas durante o ataque de microrganismos. Apesar dos diversos estudos indicando a participação das proteínas PR-1 nos mecanismos de defesa vegetal, pouco se sabe sobre sua atividade. Alguns estudos indicaram que tais proteínas têm capacidade inibitória sobre alguns fungos e oomicetos, entretanto não se sabe exatamente qual é a atividade exercida por essas proteínas. Proteínas da superfamília SCP/TAPS, da qual proteínas PR-1 fazem parte, teriam atividade proteolítica e de ligação a esteróides. Esse projeto propõe a caracterização da atividade de duas novas proteínas PR-1 de cacau (TcPR-1f e TcPR-1g) com características de receptores quinase através da transformação de Arabidopsis thaliana e tomate e posterior teste de avaliação de resistência contra patógenos dessas espécies.  O projeto tem como objetivos  a amplificação dos genes TcPR-1f e TcPR-1g e clonagem em vetores de transformação de plantas, a superexpressão dos genes in planta através de transformação de Arabidopsis thaliana e tomate via Agrobaterium tumefaciens, a avaliação da presença dos transgenes via PCR e Southern Blot e ensaios de avaliação de resistência com patógenos de Arabidopsis e tomate.

Ver detalhes do projeto

  Jorge Maurí­cio Costa Mondego      IAC

Identificação e controle das principais doenças e distúrbios fisiológicos em fruteiras de clima tropical e sub tropical

n° SGP 554

             A presença de doenças em fruteiras tropicais e sub-tropicais constitui motivo de preocupação para os agricultores, por representar uma ameaça constante à produção agrícola.

            Existe muita dificuldade na identificação de patógenos, com os quais os produtores não estão familiarizados.

             Este projeto visa pricipalmente, identificar e caracterizar as principais doenças, sua distribuição, seus danos e possíveis medidas de controle para doenças no campo e pós-colheita.

Ver detalhes do projeto

  Eduardo Monteiro de Campos Nogueira      IB

LEVANTAMENTO, IDENTIFICAÇÃO E CONTROLE DAS PRINCIPAIS DOENÇAS E DISTÚRBIOS FISIOLÓGICOS EM FRUTEIRAS DE CLIMA SUB-TROPICAL.

n° SGP 550

A presença de doenças em fruteiras tropicais e sub-tropicais constitui motivo de preocupação para os agricultores, por representar uma ameaça constante à produção agrícola. Existe

muita dificuldade na identificação de patógenos, com os quais os produtores não estão familiarizados. Este projeto visa pricipalmente, identificar e caracterizar as principais doenças,

sua distribuição, seus danos e possíveis medidas de controle para doenças no campo e pós-colheita.

Ver detalhes do projeto

  Eduardo Monteiro de Campos Nogueira      IB

Melhorias na colheita de material clínico e procedimentos laboratoriais para o isolamento de Leptospira spp.

n° SGP 549

A leptospirose é uma zoonose naturalmente transmissível entre animais vertebrados e o homem  causada por espiroquetas do gênero Leptospira spp, bactérias da ordem Spirochaetales, família Leptospiracea, gênero Leptospira. É evidenciada em todo o mundo , sendo particularmente prevalente em países de clima tropical a subtropical, principalmente nos períodos de altos níveis pluviométricos , devido à grande sobrevivência do gênero Leptospira em ambientes úmidos, o que aumenta o risco de exposição e contaminação de animais susceptíveis .

A leptospirose nos animais de produção está principalmente relacionada aos problemas reprodutivos, com queda da produtividade dos rebanhos acometidos, nascimento de produtos debilitados, natimortos, abortamentos e condenação de vísceras à inspeção veterinária .

A cultura para isolamento do agente é uma técnica específica de diagnóstico. Os meios mais utilizados para isolamento das leptospiras são os de Fletcher (enriquecido com soro de coelho a 10%) e o EMJH (com albumina e Tween 80). Pode-se cultivar sangue, líquor ou urina, conteúdo gástrico de fetos abortados, fragmentos de rins, fígado e baço. As culturas devem ser realizadas imediatamente após o recebimento da amostra, pois a eficácia das técnicas de isolamento pode ser comprometida pela presença de microrganismos contaminantes, que, normalmente, são de rápido crescimento, alterando o meio de cultura e impedindo a multiplicação das leptospiras.  A assepsia e outros cuidados no momento da necropsia e do armazenamento das amostras, além da rapidez no envio do material são de fundamental importância para o diagnóstico.

É necessário utilizar uma combinação de procedimentos que consiga reunir as características de sensibilidade, especificidade, facilidade de aplicaç&

Ver detalhes do projeto

  Vanessa Castro      IB

DESENVOLVIMENTO DE AGROQUÍMICOS COMO INSUMOS PARA A PRODUÇÃO AGRÍCOLA

n° SGP 548

O Brasil destaca-se como o maior consumidor mundial de defensivos agrícolas, em vista de sua imensa área de plantio e de obtermos, em algumas regiões, duas safras e meia por ano, além do fato de predominar ambientes tropicais, que favorecem a proliferação de pragas, doenças e plantas daninhas, o que não acontece na agricultura do hemisfério norte, por ser de clima temperado ou frio. A indústria de defensivos agrícolas busca, cada vez mais, desenvolver moléculas eficientes e de custo menor aos produtores, possibilitando o crescimento sustentável da produção e a qualidade do alimento gerado. Os investimentos em inovação com defensivos agrícolas buscam nova geração de agrotóxicos que tenham o equilíbrio entre a proteção dos cultivos, o aumento da produtividade da lavoura e o menor impacto sobre o ambiente e as pessoas envolvidas no processo. Os novos defensivos que chegam ao mercado promovem avanços em três frentes: reduzem o volume de doses aplicadas, solucionam o problema da resistência e fazem combinações para proteção de lavouras contra duas pragas, usando apenas um produto. Neste contexto, há a necessidade de estudos em estações experimentais credenciadas para avaliar a eficiência e praticabilidade agronômica e fitotoxicicidade dos agroquímicos nas diferentes culturas e alvos biológicos em nossas condições edafoclimáticas.

Ver detalhes do projeto

  Daniel Andrade de Siqueira Franco      IB

MICOPLASMOSES EM ANIMAIS DE PRODUÇÃO

n° SGP 543

Microrganismos do gênero Mycoplasma são considerados causadores de patologias em várias espécies animais economicamente. Os agentes tem distribuição mundial e, do ponto de vista econômico, podem ser disseminados através do comércio internacional de animais, sêmen industrializado, produtos de transferência de embriões, produtos imunobiológicos e demais produtos biológicos utilizados em procedimentos industriais, veterinários, laboratoriais, etc.

Os métodos utilizados para a detecção de Mycoplasma spp. estão restritos a técnicas de isolamento e identificação sorológica das estirpes isoladas (Imunoperoxidase, Imunofluorescência e Elisa), no entanto estes procedimentos são demorados, de difícil observação e dispendiosos. O isolamento bacteriológico permite a detecção de diferentes estirpes de Mycoplasma spp., no entanto, diversas estirpes de Mycoplasma isoladas não podem ser diferenciadas em espécie através desta técnica, já que a morfologia colonial é muito semelhante. O resultado final é considerado positivo para o gênero Mycoplasma, quando não há disponibilidade para tipificação sorológica e/ou molecular das estirpes. Técnicas moleculares, como a PCR (Polimerase Chain Reaction ou Reação em Cadeia pela Polimerase), têm sido um grande avanço para o diagnóstico das micoplasmoses pois, além de detectarem estirpes inviáveis para o isolamento, requerem pequenas quantidades de DNA presentes na amostra clínica a ser

Os agentes infecciosos clássicos, vírus, bactérias, fungos, espiroquetas, protozoários e helmintos estão presentes e são motivos de preocupação na exploração moderna dos animais, principalmente quando se está aumen

Ver detalhes do projeto

  Maristela V. Cardoso      IB

SELEÇÃO DE MATRIZES DE MACAÚBA PARA FORMAÇÃO DE JARDIM DE SEMENTES E PRODUÇÃO DE MUDAS COMERCIAIS VISANDO AO BIODIESEL COM PRESERVAÇÃO DE VARIABILIDADE GENÉTICA

n° SGP 539

Questões energéticas estão pautando a agenda diplomática internacional e, segundo especialistas, caminhamos para um mundo de grande diversificação energética em que a proeminência de qualquer uma das fontes de energia dependerá da geografia, tecnologia, vontade politica e investimentos em pesquisa. A biomassa para produção de energia é uma das principais alternativas energéticas de países com a geografia e dimensão do Brasil. O Plano Paulista de Energia oferece um conjunto de diretrizes e propostas de políticas públicas na área da energia e destaca a macaúba como opção de cultivo no estado de São Paulo, com vistas à ocupação de áreas não adequadas para mecanização ou espaços subutilizados e a necessidade de ampliar a inclusão social em locais como Vale do Paraíba, Vale do Ribeira e Vale do Paranapanema. Diante deste cenário, apresentamos uma proposta de estudo com a macaúba, a palmeira nativa de maior ocorrência no Brasil, estando presente em todas as regiões, inclusive em áreas com déficit hídrico. A elevada produtividade de frutos com altos teores de óleo na polpa e na semente a credenciam como uma das principais alternativas brasileiras para o fornecimento de matéria prima para biodiesel. A grande variabilidade no rendimento e na composição dos ácidos graxos no óleo da polpa da macaúba que temos observado indica que diferentes genótipos podem oferecer ganhos diferenciados e gerar óleos com estruturas químicas distintas. Porém, o interesse comercial por esta espécie aumenta rapidamente, havendo necessidade de disponibilizar materiais para plantio com qualidades agronômicas mínimas que garantam a sua competividade. Além de bons atributos agronômicos, outra preocupação seria o plantio de mudas com ampla base genética como forma de mitigação de adversidades causadas por mudanças climá

Ver detalhes do projeto

  CARLOS AUGUSTO COLOMBO      IAC

AVALIAÇÃO AGRONÔMICA DE VARIEDADES DE VIDEIRA DESTINADAS À ELABORAÇÃO DE VINHOS BRANCOS EM DUAS REGIÕES DE SÃO PAULO

n° SGP 535

O projeto objetiva avaliar o desempenho agronômico de cinco variedades de uvas brancas destinadas à vinificação, enxertados sobre dois porta-enxertos, nas regiões leste e noroeste do estado de São Paulo. Os experimentos estão localizados na área experimental do Centro APTA de Frutas em Jundiaí/SP e no Centro de Seringueira e Sistemas agroflorestais, em Votuporanga/SP. Os tratamentos serão constituídos pela combinação das variedades 'SR 0.501-17', 'Moscato Embrapa', 'Moscatel de Jundiaí', 'BRS Lorena' e 'Madalena' enxertadas sobre os porta-enxertos IAC 766 'Campinas' e IAC 572 ‘Jales’. O delineamento experimental utilizado será em blocos ao acaso com cinco repetições. Em cada área experimental serão avaliadas, em dois ciclos, para cada variedade as variáveis: produtividade em kg planta-1, massa fresca dos ramos, número de cachos por planta, estádios fenológicos, características físicas de cachos e bagas e características químicas do mosto de cada variedade de uva enxertada sobre os dois porta-enxertos. Realizar-se-á a microvinificação das variedades em um ciclo, bem como análises químicas e sensoriais dos vinhos. Com os dados obtidos em cada região, serão realizadas análises de variâncias individuais para cada variedade por região e as diferenças entre as médias dos tratamentos serão verificadas pelo teste Tukey ao nível de 5% de probabilidade. 

Ver detalhes do projeto

  Mara Fernandes Moura      IAC

IDENTIFICAÇÃO DE GENES RELACIONADOS A INDUÇÃO DO FLORESCIMENTO

n° SGP 534

Embora o florescimento é um mecanismo de extrema importância para a cultura da cana-de-açúcar, há poucas informações a respeito dos genes envolvidos na via de indução do florescimento. Este projeto tem como objetivo utilizar ferramentas moleculares para identificar genes envolvidos no processo de induçao ao florescimento em cana-de-açúcar. Os ensaios estão sendo conduzidos em Câmara de Fotoperiodo Autimatizada localizada na Fazenda Experimetal do Centro de Cana.

Ver detalhes do projeto

  Luciana Rossini Pinto      IAC

Eficiência agronômica de fontes sulfato e oxi-carbonato dos micronutrientes Cobre, Manganês, e Zinco em plantas de café e citros

n° SGP 532

O objetivo geral do projeto é gerar informações, de acordo com as exigências do MAPA, que validem a eficiência agronômica de fonte de micronutrientes insolúveis aplicadas via foliar em plantas de café e de citros. O objetivo específico da pesquisa é estudar a eficiência de fertilizantes foliares com fontes oxi-carbonatos (de cobre, manganês e zinco), que apesar de terem baixa solubilidade em água, estão em micropartículas  o aumenta e eficiência agronômica e compará-las com fontes solúveis em água, como sulfato no desenvolvimento de plantas de café e citros.

Ver detalhes do projeto

  Rodrigo Marcelli Boaretto      IAC

Estudos fisiológicos em Fusarium sp. de crisântemo e reação de resistência de crisântemos ao complexo Fusarium sp. x Pratylenchus coffeae.

n° SGP 531

O crisântemo, cultivado para flor-de-corte ou para vasos, é hoje uma das ornamentais mais comercializadas no Brasil, principalmente no Estado de São Paulo. Essa planta é hospedeira de inúmeros fitopatógenos, como por exemplo de espécies de Fusarium, que podem causar destruição do sistema radicular, descoloração dos vasos ou podridão no colo das plantas, com conseqüentes sintomas reflexos na parte aérea da planta como o amarelecimento das folhas e murcha. O crisântemo possui, também, grande potencial de produção. No entanto, o plantio desta ornamental, em solos contaminados por Fusarium spp., pode implicar em decréscimo de produtividade ou até mesmo mudança de local de cultivo. No Brasil, em locais de produção desta cultura, não se sabe, ao certo, qual é a real etiologia do fitopatógeno, qual (is) espécie (s) de Fusarium prevalece (m) e qual o comportamento de novas variedades de crisântemo frente a este fitopatógeno e em situações de inoculação combinada do fungo com fitonematóide, no mesmo local. A cultura também pode ser afetada por fitonematóides e esses podem interagir com fungos de solo. Ao penetrarem nas raízes, os fitonematóides causam ferimentos e esses locais servem de porta de entrada para os fungos de solo. Acrescente-se que, há ainda a hipótese dos fitonematóides predisporem fisiologicamente a planta à atuação do fungo. Portanto, o presente projeto tem como objetivo efetuar uma caracterização patogênica, morfológica e molecular de uma população de Fusarium spp., agente causal de murcha ou podridão do colo em crisântemo (Dendranthema sp.) e estudar a resistência de novas variedades de crisântemo, da série ‘Madiba’, à inoculação isolada do Fusarium spp. e combinação do fungo com o fitonematóide Pratylenchus coffeae, visando

Ver detalhes do projeto

  César Júnior Bueno      IB

EFEITO DO SUPRIMENTO DE MOLIBDÊNIO E NITROGÊNIO EM CITRUS

n° SGP 529

O trabalho está baseado nas hipóteses que: (i) a disponibilização de Mo proporciona maior assimilação do nitrato nas plantas e assim maior crescimento; (ii) o Mo não apresenta mobilidade no floema suficiente para suprir a demanda da nitrato redutase nos órgãos que não receberem o nutriente; (iii) a aplicação via solo de Mo aumenta a eficiência das fontes de fertilizantes nitrogenadas.

O objetivo da presente proposta será avaliar: (i) o suprimento de doses de Mo aplicado em folhas de laranjeiras com diferentes suprimentos de N; (ii) a mobilidade do Mo na laranjeira quando aplicado nas folhas; e (iii) o suprimento de Mo via solo, interfere na eficiência de uso de diferentes fontes nitrogenadas em plantas jovens de citros.

Ver detalhes do projeto

  Rodrigo Marcelli Boaretto      IAC

Avaliação de resistência ao Cancro Cítrico de variedade de laranjeiras, tangerineiras e híbridos em campo

n° SGP 527

O cancro cítrico, causado pela bactéria Xanthomonas citri subsp. citri (ex Hasse) Shaad et al. 2006 tem sua origem na Ásia, de onde se espalhou por  muitas partes do mundo. No Brasil a doença foi registrada pela primeira vez em 1957, no município paulista de Presidente Prudente, tendo sido mantida sobre controle nas grandes regiões produtoras do Estado por várias décadas. Dados divulgados recentemente indicam o aumento do número de talhões contaminados, chegando a incidência no Estado de São Paulo a 1,39% dos pomares tem pelo menos uma planta contaminada, nível nunca antes detectado. Neste contexto, a convivência com a doença, envolvendo o uso de quebra ventos e aplicação de produtos cúpricos, como é realizado atualmente no estado do Paraná, pode ser em breve uma realidade também para o estado de São Paulo, sendo a utilização de variedades menos suscetíveis a alternativa mais econômica e de menor impacto ambiental para seu controle. Neste sentido, esta pesquisa envolverá a avaliação em condições de manejo convencional para o cancro cítrico em condições endêmicas da doença, de 76 laranjeiras e híbridos do BAG Citros IAC, abordando também a comparação de métodos de avaliação da reação dos genótipos à bactéria em folhas e frutos. Visando a determinação do potencial dos materiais para incorporação no sistema de produção comercial de citros, serão também avaliadas características dos frutos para aproveitamento industrial e mercado in natura. O pomar experimental foi instalado em dezembro de 2012 na Unidade de Difusão de Tecnologia – UDT da Cocamar em Guairaçá, estado do Paraná e, além de genótipos de potencial para maior tolerância ao cancro prospectados em pesquisa anterior, incorpora também nov

Ver detalhes do projeto

  Sérgio Alves de Carvalho      IAC

Genômica comparativa de três isolados de Pseudomonas putida detectados em diferentes ambientes de plantas de Coffea arabica e avaliação do potencial de promoção de crescimento no cafeeiro

n° SGP 525

Pseudomonas putida é uma espécie bacteriana com capacidade de colonizar uma grande gama de ambientes. P. putida é conhecida principalmente por ser uma bactéria benéfica aos vegetais. A produção de auxinas e sideróforos por essas bactérias melhoram o desenvolvimento vegetal conferindo um ganho na produção e dando maior proteção contra possíveis patógenos. Durante as anotações do banco de ESTs de C. arabica detectamos uma grande quantidade de sequências de Pseudomonas no banco, o que nos sugeriu que tais Pseudomonas habitavam o cafeeiro. Através de isolamentos das folhas (filosfera), rizosfera e do ambiente interno das raízes (endófitos de raiz) de C. arabica foram conseguidos cinco isolados distintos de P. putida. Esses isolados foram testados preliminarmente quanto à produção de auxinas, sideróforos, resistência à cafeína e resistência a estresse hídrico. Foi encontrada correlação entre os resultados fisiológicos e os ambientes onde cada bactéria foi isolada. Este projeto pretende verificar as diferenças genômicas entre os isolados, correlacionando-as com os dados fisiológicos preliminares que serão repetidos e expandidos durante o projeto. Para tal, três isolados, cada um detectado em um nicho diferente, terão seus DNAs sequenciados e analisados comparativamente. Tal abordagem, que vem sendo nomeada como análise ‘pan-genômica’, visa ao entendimento do porque organismos da mesma espécie compartilhando um mesmo hospedeiro exibem comportamentos ecológicos e fisiológicos distintos. Além disso, esses isolados serão inoculados em sementes do cafeeiro e dados de crescimento das plantas serão catalogados e correlacionados com a fisiologia bacteriana e com os dados genômicos. Este tipo de conhecimento permitirá melhor explorar as potencialidades destes organi

Ver detalhes do projeto

  Jorge Maurí­cio Costa Mondego      IAC

Controle biológico de Lasiodiplodia theobromae, de videira, com Trichoderma

n° SGP 523

O estado de São Paulo está entre os maiores produtores brasileiro de uva de mesa. A produção, basicamente com a uva Niagara Rosada, destina-se ao consumo in natura. Há poucos estudos realizados com essa variedade, principalmente com relação a pragas e doenças.
Os ramos de Niagara Rosada no estado de São Paulo têm apresentado alta incidência do fungo Lasiodiplodia theobromae devido a não proteção destes ramos podados com fungicidas ou qualquer outro produto. 
A sociedade vem pressionando o campo a diminuir o uso de fungicidas e inseticidas nas culturas. Essa pressão vem abrindo porta para o uso de agentes de controle biológico. O papel dos agentes de controle biológico na agricultura para o manejo de pragas e doenças vem se tornando cada vez mais crucial, em alguns casos, complementando ou substituindo os agroquímicos (TEMPLETON; HEINY, 1989; WHIPS; LUMSDEN, 2001).
Assim sendo, o presente projeto está propondo selecionar isolados de Trichoderma com vistas a futuro controle biológico de Lasiodiplodia theobromae com Trichoderma, em ramos podados da uva Niagara Rosada.

Ver detalhes do projeto

  César Júnior Bueno      IB

Estudo das interações epidemiológicas de fitovírus em horticultura

n° SGP 522

Na maioria dos ecossistemas agrícolas, há escassez de pesquisa relacionada à epidemiologia dos vírus de plantas, principalmente referentes à distribuição temporal e espacial dos insetos vetores em culturas de ciclo curto ou semi-perenes e sua conseqüência na disseminação de diferentes espécies de vírus. A precisa informação da dinâmica populacional dos potenciais vetores de vírus que visitam uma cultura, relacionada à incidência da doença, é fator essencial para se determinar qual espécie de inseto vetor é a mais eficiente na transmissão e disseminação dos vírus. Esta correlação permite estimar o tempo e a extensão das epidemias. Assim, os dados obtidos nos levantamentos relativos à relação vírus/vetor, suprimem a necessidade de realizar testes de eficiência de transmissão de um vetor em condições de laboratório. Este projeto tem como fundamento fornecer subsídios para o entendimento das inter-relações existentes entre os insetos vetores e os vírus frente à pressão exercida no sistema de monocultura, bem como o papel da vegetação espontânea na manutenção da pressão de inóculo de viroses e colonização dos seus respectivos vetores.

Ver detalhes do projeto

  Alexandre Levi Rodrigues Chaves      IB

Estudo da diversidade e interação de plantas invasoras como reservatório de fitovírus em culturas de importância econômica

n° SGP 521

Os vírus, por não serem disseminados de forma livre na natureza, diferentemente dos fungos e bactérias, mantêm inter-relações complexas com suas hospedeiras e seus vetores. No Brasil, devido a riquesa e diversidade florística é registrada  uma considerável da incidência de diferentes espécies de vírus em áreas agrícolas. Este fenômeno esta diretamente relacionado à falta de estudos direcionados ao monitoramento e elucidação das interações vírus/vetor/hospedeiro. Para tanto, estudos de campo associados às atividades laboratoriais, são de extrema importância para traçar estratégias de prevenção e manejo das viroses em areas cultivadas com espécies agrícolas de importâcia econômica. O presente projeto tem como objetivos realizar o levantamento, identificação e incidência de insetos vetores e avaliar suas interações na transmissão e disseminação dos vírus em espécies de olerícolas, ornamentais e espontâneas “arvenses” (plantas reservatórios naturais de vírus próximas a áreas cultivadas). Diante  da localização geográfica e aptidão agrícola do estado de São Paulo, o monitoramento e  levantamento de diversas culturas permitirão  estabelecer estratégias para o controle de diversas espécies de vírus, principalmente aqueles transmitidos por afídeos e tripes.

Ver detalhes do projeto

  Alexandre Levi Rodrigues Chaves      IB

Atualização dos sistemas de produção e do custo de produção de cana-de-açúcar dos fornecedores do Estado de São Paulo - fase 3

n° SGP 520

A análise econômica de qualquer atividade produtiva serve de balizamento e orientação, no sentido de permitir ao produtor e demais agentes envolvidos informações importantes no processo de tomada de decisão. Contribui, ademais, para norteamento na concepção e elaboração de políticas públicas destinadas ao setor.        Destacam-se, na análise econômica, estudos que permitem estimar os custos de produção e a rentabilidade de sistemas produtivos, especialmente aqueles que têm importância social, econômica e ambiental. Nesse contexto insere-se a cultura de cana-de-açúcar e nesse sentido, o objetivo do projeto é de acompanhar os sistemas de produção da cultura de cana-de-açúcar no Estado de São Paulo em nível de fornecedores. Pretende-se manter atualizadas as matrizes de coeficientes técnicos e de exigências físicas de fatores de produção levantadas pelo IEA em 2009 e em 2011 em parceria com a Orplana e estimar os custos de produção para os diferentes sistemas de produção nas regiões produtoras do estado. Deverão ser realizadas reuniões com técnicos e fornecedores nas regiões pré-determinadas quando da realização do primeiro levantamento em 2009 e do segundo levantamento em 2011, serão avaliadas as operações realizadas, coeficiente técnicos, sistemas de produção e equipamentos utilizados através da metodologia de levantamento de coeficientes técnicos utilizado pelo IEA junto aos produtores fornecedores. Os dados obtidos servirão para atualização do banco de dados obtidos em levantamento anterior e reavaliar e elencar novas técnicas e sistemas, além de avaliar a representatividade das regiões pré-estabelecidas. 

Ver detalhes do projeto

  Marli Dias Mascarenhas Oliveira      IEA
  Sobre

O SGP (Sistema de Gestão de Pesquisa) foi implementado em todas as unidades APTA, para centralizar o controle de todos os projetos desenvolvidos sob sua supervisão. [Ler mais]

Endereço APTA – São Paulo

Praça Ramos de Azevedo, 254, 2º andar - República, São Paulo - SP

Fone : (11) 5067-0447 e 5067-0427

  Endereço APTA – Campinas

Avenida Barão de Itapura, 1481 - Botafogo, Campinas - SP

Fone : (19) 2137-8930