Projetos APTA em todas as unidades, todos os centros

Página Inicial / Busca de Projetos

702 projetos ativos encontrados - pág. 19 de 24

Pegadas Hídricas na Piscicultura

n° SGP 489

Diversos indicadores de sustentabilidade ecológica, econômica e social vêm sendo propostos, nos últimos anos, em estudos relacionados à gestão de recursos hídricos. Mais recentemente, a comunidade científica tem divulgado a importância de se estudar a forma com que a água vem sendo utilizada na produção de bens e processos em geral. Para tanto, existe um novo conceito mundialmente conhecido como “Pegada Hídrica” que visa à determinação do volume de água virtual “escondido” atrás de cada produto ou processo. A Pegada Hídrica de um determinado produto pode ser expressa pelo volume de água “consumido” na produção deste, levando-se em consideração toda a sua cadeia de suprimentos. Alguns produtos alimentícios de origem animal já estão bem estudados neste aspecto. Todavia, não existem dados desta natureza para os produtos originados na cadeia produtiva da aquicultura. No Instituto de Pesca / APTA / SAA – SP existe uma equipe de pesquisadores científicos que vem se organizando para iniciar, de forma pioneira, os primeiros estudos que deverão revelar os valores das Pegadas Hídricas relacionadas à cadeia produtiva da produção de pescado na aquicultura de água doce. Pretende-se, como meta, estabelecer uma tecnologia de avaliação de processos, a fim de auxiliar nos ajustes de conduta e no estabelecimento de “Boas Práticas de Manejo”, bem como fornecer subsídios adequados à governança da atividade dentro de um cenário de responsabilidade na aquicultura. Devido a sua complexidade, os estudos serão realizados em módulos e, neste primeiro momento, a piscicultura foi o segmento eleito para servir de parâmetro de amostragem, mais especificamente a tilapicultura (criação da tilápia Oreochromis niloticus), por se tratar de um dos setores mais organizados dentro da atividade de aquicultura, o que deverá favorecer a meta de determinação.

Ver detalhes do projeto

  Julio Vicente Lombardi      IP

Subprojeto: Relações vírus/vetor e Variabilidade em populações de Brevipalpus

n° SGP 486

Este subprojeto faz parte de um projeto temático, desenvolvido em colaboração com a Esalq-USP, sob a coordenação do Prof. Dr. E. W. Kitajima, sob o tema "Vírus de plantas transmitidos por Brevipalpus (Acari: Tenuipalpidae)-VTB: levantamento, identificação, caracterização molecular, filogenia; relações vírus/vetor/ hospedeira; biologia, taxonomia e manejo do vetor". O conhecimento das relações entre VTB e seus vetores é 630 importante para se entender a epidemiologia do patossistema. Contudo, tal informação 631 existe apenas para o patossisstema da leprose e é imperativo estendê-la a outros VTB. Para VTB-C há consenso que esta relação é do tipo persistente-circulativo, com períodos de alimentação para aquisição e inoculação relativamente curtos. Para OFV há informações de que há um longo período de latência do vírus no ácaro vetor, sugerindo relações do tipo circulativo-propagativo, e esta informação é corroborada por estudos ao MET, indicando que alguns VTB-N estudados, como CoRSV, ClCSV, CiLV-N além do OFV, multiplicam-se nos tecidos do ácaro vetor. Há necessidade se ampliar os conhecimentos desta relação vírus-vetor a outros VTB e também esclarecer os  mecanismos pelos quais estes vírus superam a barreira do epitélio intestinal e glandular,  para circular ou reproduzir nos tecidos do ácaro, atingindo a seguir o canal estiletar para  ser inoculado na planta hospedeira. Havendo possibilidades, os estudos com EPG  poderão ser estendidos a Brevipalpus de outros patossistemas, como feito preliminarmente com o do LC. Portanto, um dos objetivos e avaliar os tipos de relação vírus-vetor para outros VTB.

Ver detalhes do projeto

  Valdenice Moreira Novelli      IAC

Atividade antiviral de extratos vegetais

n° SGP 485

Nas últimas décadas houve crescimento considerável no uso de produtos naturais com fins medicinais inclusive de uso veterinário. A utilização de substâncias naturais presentes em espécies vegetais pode ser fonte para o desenvolvimento de novos produtos como os antivirais e microbicidas e podem ser utilizados para combater de patógenos de importância no agronegócio. Para isto estuda-se a atividade antiviral de extratos de plantas que interferem em processos durante a replicação do vírus na busca de novos fármacos.  Existem certos vírus que podem ser usados como modelo nos ensaios antivirais, entre eles os herpesvírus, representantes dos vírus de DNA visto que esses vírus causam rápida destruição celular. O efeito citopático, isto é, as alterações morfológicas que os vírus causam na célula hospedeira, é comumente utilizado para avaliar a inibição do vírus por ser facilmente visível em microscópio.

A presente pesquisa estuda diversos extratos vegetais com potencial para inibir os vírus causadores de doenças infecciosas que acometem equinos, bovinos e suínos em bioensaios in vitro pela redução do efeito citopático causado por esses vírus em linhagens celulares. 

Ver detalhes do projeto

  ISABELA CRISTINA SIMONI      IB

Entendendo a biologia das fitobactérias de citros transmitidas por vetores, Xylella fastidiosa e Candidatus Liberibacter spp, como ferramenta para manejo de suas respectivas doenças, CVC e HLB

n° SGP 483

A nossa linha de pesquisa que esta fortemente associada ao entendimento da biologia das fitobactérias de citros transmitidas por vetores em citros, especificamente aos patossistemas CVC e HLB. Estas duas doenças tem se mostrado cada vez mais preocupante dentro do sistema de produção citrícola paulista, sendo o HLB um potencial para outras regiões produtores de citros do Brasil. Contrário a CVC que já se encontra em condições endêmicas nos estados brasileiros que produzem comercialmente laranja doce, o HLB oficialmente esta presente somente nos estados de São Paulo, Paraná e Minas Gerais. 

O aparecimento de novas doenças associadas aos patógenos até então não descritos para uma determinada cultura ou unidade produtora (micro ou macro-regional) tem tornado-se importante nas últimas décadas. Mudanças climáticas, emprego de técnicas de produção agrícola e invasões biológicas dos próprios patógenos tem sido identificadas como responsáveis pelo surgimento de doenças nas mais diversas plantas (Anderson et al., 2004). Somado a isto pode afirmar que a introdução não controlada de materiais vegetais exógenos tem uma grande participação no surgimento destas novas ou até então não descritas doenças. Porém, quando do surgimento de uma nova doença pode admitir que o patossistema onde o hospedeiro preferencial é perene e o patógeno é transmitido naturalmente através de insetos vetores é mais complexo de se manejar. Neste caso, além dos vértices ambiente, patógeno e hospedeiro (planta) classicamente conhecidas,  tem-se o vértice vetor (quarto vértice), que além de ser também um hospedeiro, interage diretamente com a planta e o patógeno.

Um exemplo real para o contexto apresentado no paragrafo anterior, são as doenças de origem bacterianas

Ver detalhes do projeto

  Helvecio Della Coletta Filho      IAC

Avaliação de dietas enriquecidas com coproduto do processamento da amêndoa macadâmia para ovinos: digestibilidade aparente, desempenho, características de carcaça e carne e potencial de mitigação de metano

n° SGP 482

O uso da amêndoa de macadâmia pela indústria é crescente, sendo utilizada para consumo in natura, em alimentos processados, ou para extração de óleo para fins alimentares e para a indústria de cosmético. É rica em óleo com alto teor de ácidos graxos insaturados como os ácidos palmitoléico, oléico, linoléico e linolênico o que também a caracteriza como alimento funcional. Geralmente, o coproduto gerado na extração do óleo não passa por processo de agregação de valor porque são desconhecidas as suas potencialidades nutricionais e econômicas. Considerando a alimentação animal como elo entre a indústria da macadâmia e a pecuária, propomos o estudo da utilização do coproduto resultante do processo de extração de óleo da amêndoa macadâmia na alimentação de cordeiros em terminação visando melhorar o desempenho dos animais, a qualidade de carcaça e carne, e contribuir para o menor impacto ambiental pela redução da emissão de metano entérico, gerando assim, a possibilidade de desenvolvimento de uma rota alternativa para este tipo de material. Para isto serão realizados ensaios de digestibilidade “in vivo” das dietas, assim como, avaliações de parâmetros ruminais dos animais, avaliação do desempenho em confinamento, da qualidade da carcaça e da carne e o potencial de mitigação de metano entérico do coproduto da macadâmia. Os tratamentos propostos serão compostos por diferentes níveis de inclusão (0, 8, 16 e 24 %) deste coproduto no concentrado que será ofertado aos animais. O alimento a ser testado será fornecido pela empresa QueenNut Macadâmia que através do projeto FAPESP (Processo:13/19023-0) tem gerado este tipo de material.

Ver detalhes do projeto

  Ricardo Lopes Dias da Costa      IZ

Integração Lavoura-Pecuária-Silvicultura (ILPS) na Região Noroeste do Estado de São Paulo

n° SGP 481

O projeto tem por objetivo avaliar, no sistema de integração lavoura-pecuária-silvicultura (ILPS) implantado nas condições climáticas e de solo da região Noroeste do Estado de São Paulo:
- produtividade do sistema de rotação com soja e milho;
- desempenho de híbridos de Eucalyptus grandis x Eucalyptus camaldulensis e Eucalyptus urophila x Eucalyptus grandis;
- desempenho da forrageira (Urochloa brizantha (Hochst ex A. Rich.) Stapf. cv. Marandu);
- desempenho zootécnico dos animais (bovinos);
- status sanitário que o sistema proporciona, com relação a endo e ectoparasitoses dos animais;
- resultado econômico do sistema.

Ver detalhes do projeto

  Wander Luis Barbosa Borges      IAC

Caracterização protéica e Quantificação de isoflavonas agliconas em cultivares de soja

n° SGP 477

Quantificar isoflavonas agliconas: daidzeína, genisteína e gliciteína em diferentes leguminosas, armazenadas em banco de germoplasma do Instituto de Zootecnia de Nova Odessa, utilizando SDS-PAGE e anticorpos policlonais, levando em conta diversos processamentos das sementes, utilizando como parâmetro a soja comercial (Glycine max).

As isoflavonas são também conhecidas como fitoestrogênios e são compostos basicamente fenólicos presentes principalmente em leguminosas, das quais a mais estudada é a soja (Glycine max) ( CALLOU, 2009). Na planta, as isoflvonas possuem diversas funções, entre elas a de proteção contra patógenos, resistência a artrópodes e nematóides e efeito anti-bacteriano. Estudos associam o teor de isoflavonas a viscosidade das sementes. As isoflavonas na soja desenvolvem-se durante o enchimento do grão (JUSTEN, 2007).Este trabalho propõe estabelecer o perfil proteico de espécies de legumonisas do banco de germoplasma do IZ e quantificar as agliconas por imunoensaios

Ver detalhes do projeto

  Keila Maria Roncato Duarte      Apta Regional / APTA

DOMÍNIO TECNOLÓGICO SOBRE OS PROCESSOS DE DESFOLHA MECANIZADA SEMI-AUTOMATICA DA VIDEIRA E DETERMINAÇÃO DE IMPACTOS SOBRE O SISTEMA PRODUTIVO

n° SGP 476

Dentre as muitas práticas de manejo da vitivinicultura, que afetam o perfil de polifenóis e a sanidade da uva, o aumento da exposição dos cachos da videira, feito através da retirada seletiva folhas é aceito como uma ferramenta robusta para influenciar a concentração daquelas substâncias (qualidade da uva) e mitigar a incidência de fitopatologias. Por outro lado, a atividade vitivinícola é tradicional, sendo a mão-de-obra, hoje, escassa. Portanto, propõe-se neste projeto o domínio tecnológico sobre os processos hidráulicos-mecânicos para a desfolha mecânica semiautomática da videira, com o desenvolvimento de protótipo capaz de realizar aquela operação, nas condições de solo-planta de vinhedos brasileiros. Conjuntamente será feita a determinação dos impactos iniciais da introdução da desfolha mecanizada sobre os componentes do rendimento e composição da uva de suco e vinho.

Ver detalhes do projeto

  ANTONIO ODAIR SANTOS      IAC

Produção de anticorpos policlonais.

n° SGP 475

Estão disponíveis na agropecuária kits para diagnóstico das mais diferentes doenças tanto em plantas quanto em animais. Tais kits são baseados em testes chamados ELISA ou EIA ou RIA, onde os anticorpos reconhecem o antígeno e esta ligação é revelada por um sistema enzimático (ou seja, coloração) ou por radioemissão (contagem de radioisótopos aprisionados na reação), respectivamente. A facilidade de manipulação de animais como coelhos e galinhas permite que a produção de anticorpos policlonais atinja escala industrial na produção e comercialização de kits, o que possibilita inúmeros projetos e aplicações na agropecuária.Este projeto propoe : aplicação direta de kits comerciais para problemas de segurança alimentar na agropecuária, treinamento de pessoal através de cursos, desenvolvimento de anticorpos aplicados a pesquisa em conjunto com pesquisadores da APTA e Universidades.

Ver detalhes do projeto

  Keila Maria Roncato Duarte      Apta Regional

CARACTERIZAÇÃO DO BEM-ESTAR DE EQUINOS UTILIZADOS NO MANEJO DE BOVINOS DE CORTE

n° SGP 474

O objetivo deste estudo é avaliar o bem-estar de equinos utilizados durante as rotinas de manejo de bovinos de corte, contemplando os seguintes objetivos específicos: i) caracterizar as rotinas de manejo a que os equinos são submetidos; ii) desenvolver e validar indicadores comportamentais e fisiológicos de bem-estar de equinos submetidos a rotinas de trabalho em fazendas de bovinos de corte; iii) identificar dentre os manejos usuais, aqueles que colocam o bem-estar dos equinos em risco; iv) desenvolver um guia de boas práticas de manejo para orientar sobre a melhor forma de uso de equinos no manejo de bovinos de corte. Serão avaliados quatorze equinos, clinicamente hígidos, utilizados no trabalho de campo para manejo diário de bovinos de corte de Institutos de Zootecnia em Colina e Sertãozinho/SP e em fazendas comerciais. Serão avaliados indicadores de bem-estar animal baseados no ambiente e nos animais, dentre eles indicadores fisiológicos (frequências cardíaca e respiratória, tugor cutâneo, tempo de preenchimento capilar, dosagens séricas de cortisol, lactato, creatina quinase, amino aspartatotransferase e proteína plasmática total, além de leucometria diferencial, hemograma e termografia infravermelha da região orbital), de saúde (escore de condição corporal, anormalidades na arcaria dentária, sinais de lesões corporais, situação dos cascos, sinais de prurido na base da cauda, presença de ectoparasitas, corrimento nasal e ocular, lesões na cavidade bucal e na superfície corporal), de conforto (temperatura, umidade relativa do ar, condições de alojamento e de trabalho) e comportamentais (avaliação qualitativa do comportamento, das expressões faciais e corporais). Os resultados serão analisados por meio de análises multivariadas, de correspondência múltipla e de fatores com o objetivo de estabelecer um índice para classificar o bem-estar dos equinos em função das rotinas do manejoO objetivo deste estudo &

Ver detalhes do projeto

  Maria Lucia Pereira Lima      IZ

MICRORGANISMOS BENÉFICOS ASSOCIADOS A PLANTAS CULTIVADAS E A MICROBIOTA EDÁFICA DO SOLO

n° SGP 472

1-Harnessing the rhizosphere microbiome to enhance plant productivity

- Cooperation CNPq (Brazil) – NWO (Netherlands) – Projeto no   456420/2013-4

  • Coordenadora brasileira – Adriana Parada Dias da Silveira
  • Coordenadora holandesa – Eiko Kuramae

Em Bio-Based economia, materiais vegetais são recursos essenciais para novas aplicações industriais e sustentáveis. Para garantir a produção de biomassa suficiente, há a necessidade da adição de fertilizantes minerais no solo. Entretanto, intensa fertilização pode ocasionar lixiviação e perda de nutrientes, redução da biodiversidade, aumento na emissão de gases de efeito estufa, aquecimento global e mudanças no pH do solo, levando à degradação ambiental. Um dos principais desafios é intensificar métodos de produção agrícola de uma forma que minimizam os efeitos ambientais negativos dos fertilizantes. Portanto, há uma necessidade urgente de novas estratégias que otimizam o crescimento da planta e minimizam os fatores abióticos e bióticos que afetam negativamente o crescimento e qualidade da planta. O microbioma planta, ou seja, as comunidades microbianas associadas à planta, abriga vários gêneros de fungos e bactérias que têm efeitos benéficos sobre seu crescimento e sanidade. Vários gêneros de bactérias promovem o crescimento das plantas e induzem resistência sistêmica contra patógenos e insetos. Estudos baseados em técnicas 'omics' recentemente revelaram que rizobactérias causam substanciais mudanças na expressão de genes específicos da planta.

O manejo de produção de cana no Brasil está sendo desenvolvido de forma sustentável pela reciclagem de palha e vinhaça (subprodutos da indústria do etanol), que combinados permitem a diminuição no emprego de fertilizantes minerais adicionados no solo. Além disso, já foi demonstrado que o uso de bactérias benéficas, tais como as bactérias promotoras de crescimento de plantas (BPCPs) obtidas de cana-de-açúcar, promovem aumento no crescimento e sanidade das plantas, em condições controladas. No entanto, pesquisas mais detalhadas sobre o efeito dessas BPCPs em diferentes solos com diversas comunidades microbianas são necessárias, para que possam ser usadas como inoculantes em larga escala. Portanto, a presente proposta visa: (i) determinar o efeito de diferentes composições de comunidade microbiana do solo no crescimento da cana inoculada com PGPB, (ii) identificar genes de PGPB envolvidos na promoção do crescimento das plantas, (iii) identificar as características da planta e genes envolvidos na promoção de crescimento induzida por PGPB. O projeto proposto trará maiores esclarecimentos sobre os mecanismos, as características e os genes envolvidos nas interacções PGPB-planta.

 

            Subprojetos relacionados:

 

1.1- Promoção de crescimento de cana-de-açúcar por bactérias endofíticas

 

Aluna: Raquel de Paula Freitas – doutoranda PGIAC – bolsista CAPES

 

Objetivos: 1- avaliar os isolados de bactérias endofíticas quanto à promoção do crescimento das plantas e sobrevivência de plântulas micropropagadas ou MPB de variedades de cana-de-açúcar, analisando aspectos fisiológicos/bioquímicos da interação planta-bactéria; 2 - analisar a expressão de genes relacionados ao metabolismo do nitrogênio e promoção de crescimento; 3- avaliar o efeito da inoculação dos isolados bacterianos na diversidade das comunidades bacterianas rizosférica e endofítica; 4- relacionar as respostas da planta e a diversidade das comunidades bacterianas, para entender os possíveis mecanismos da interação estabelecida e seus efeitos.

 

 

1.2- Relação cana – bactérias endofíticas sob condição de excesso de Al no solo: alterações do transcriptoma da planta e da diversidade genética e funcional das comunidades bacterianas endofítica e rizosférica.

Aluna: Elaine Labanca – doutoranda PGIAC – bolsista CAPES

Objetivos: Pelo uso de técnicas de biologia molecular determinar: 1- mecanismos de interação na fase inicial da relação cana-endofítico, em uma condição de estresse – excesso de Al no solo, pela análise do transcriptoma da planta; 2-o impacto da interação sobre as comunidades microbianas da rizosfera e endofitica, pela análise da diversidade genética e funcional.

 

1.3- Relação cana – bactérias endofíticas: indução de resistência a Colletotrichum falcatum e Xanthomonas albilineans e alteração na comunidade bacteriana endofítica.

Aluna: Lenise Rossetto – mestranda da PGIAC

Objetivos: 1- selecionar entre os isolados de bactérias endofíticas promotores de crescimento de plantas de cana, os que demonstram antagonismo a Colletotrichum falcatum e Xanthomonas albilineans in vitro; 2- avaliar se os isolados são capazes de induzir resistência a esses patógenos ou se atuam diretamente no controle das doenças, por outros mecanismos; 3- determinar o efeito da inoculação de isolados de bactérias endofíticas e de patógenos nas comunidades bacterianas endofítica e rizosférica e sua relação com a resposta obtida na interação planta-microrganismos (benéfico e patogênico).

 

1.4- Utilização de microrganismos benéficos na produção de mudas de cana-de-açúcar pelo sistema MPB

Aluna: Gabrielle Maria Fonseca Pierangeli – Iniciação Científica – CNPq/PIBIT

Objetivos: 1- avaliar o efeito da inoculação de diferentes micro-organismos (fungo micorrízico arbuscular - FMA, bactérias promotoras do crescimento de plantas – rizosféricas e endofíticas - BPCPs) no desenvolvimento de mudas de cana-de-açúcar obtidas pelo processo MPB (mudas pré- brotadas); 2- determinar o efeito da inoculação dos microrganismos benéficos (FMA e BPCPs) nas comunidades bacterianas endofítica e rizosférica e sua relação com a resposta obtida na interação planta-micro-organismos benéficos.

 

1.5- Interação bactéria promotora do crescimento de planta, microbiota nativa e cana-de-açúcar

Aluno: Matheus Cipriano – pós-doutorando – FUNDAG

Objetivos: 1- determinar o efeito do inoculante à base de bactéria endofítica na composição da comunidade microbiana da rizosfera e endofítica e no crescimento e aspectos bioquímicos e fisiológicos da muda de cana-de-açúcar (MBP e micropropagada) e 2- identificar as características das plantas e genes expressos na comunidade microbiana envolvidos na promoção de crescimento induzido pelas BPCPs.

 

2- Avaliação de atributos microbiológicos em sistemas de preparo do solo para a cultura da cana-de-açúcar

Aluno: Guilherme Murillo Lanzi – mestrando PGIAC

Os vários sistemas de preparo do solo, especialmente os convencionais de manejos intensivos, tornaram-se práticas comuns, que visam o aumento da produção da cana de açúcar. Entretanto, essa forma de explorar o solo revela a sua degradação ao longo dos anos de cultivo, acelerando a perda da matéria orgânica e de nutrientes, diminuindo a atividade da microbiota, interferindo na qualidade do solo, o que condiciona esses sistemas de produção como insustentáveis.

Os sistemas de preparo do solo interferem na qualidade do solo, alterando seus atributos físicos, químicos e biológicos, os quais influenciam diretamente na infiltração e drenagem dá água, nos processos de mineralização da matéria orgânica, ciclagem de nutrientes e na erosão, afetando a absorção de nutrientes e crescimento da planta, implicando em um aumento ou diminuição da produtividade da cultura. Contudo, a microbiota do solo é fortemente influenciada por fatores abióticos, como os sistemas de manejo do solo e da cultura, podendo acarretar uma expressiva alteração na diversidade genética das comunidades microbianas inseridas nos diversos grupos funcionais, tanto na atividade quanto na biomassa dessa microbiota, e até mesmo nas interações entre planta e microrganismo.

Considerando a expansão da cultura da cana-de-açúcar no estado de São Paulo, é relevante que seja realizada pesquisa com a finalidade de avaliar os impactos ocasionados pela cultura em diferentes solos e manejos, por meio dos indicadores físicos, químicos e biológicos que facilitam estabelecer índices de qualidade do solo relacionados à produtividade da cana. Estudos que avaliem os efeitos dos sistemas de preparo do solo sobre os atributos biológicos, específicos da cultura de cana-de-açúcar, que fundamentam os índices de qualidade do solo, implicando em medidas de controle dos sistemas, manejo e conservação do solo. Há vários indicadores de qualidade do solo, mas entre eles os microbiológicos são avaliados como os mais sensíveis e influenciados pelas relações entre as atividade e diversidade microbianas, qualidade do solo e vegetação e sustentabilidade do ecossistema. Os índices de qualidade do solo por meio dos indicadores biológicos podem mensurar a situação e a condição de “saúde” e conservação dos solos. Os sistemas de preparo como o de subsolagem profunda (penta) podem melhorar os índices de qualidade do solo ou piorar ao longo dos anos de cultivo, devido ao maquinário ser mais pesado e favorecer a compactação do solo, influenciando nos atributos físicos do solo e, consequentemente, nos microbiológicos e químicos.

Objetivos: 1-  avaliar os efeitos dos diferentes sistemas de preparo do solo da cultura de cana-de-açúcar nos atributos microbiológicos, tais como na biomassa e atividade microbianas, na micorrização da planta e no número e diversidade de bactérias endofíticas e rizosféricas; 2- relacionar os atributos microbiológicos do solo com os físicos e químicos para estabelecer índices de qualidade do solo sob cultivo de cana-de-açúcar; 3- determinar o efeito do manejo do solo e da cultura sobre a comunidade bacteriana do solo, pela análise da diversidade genética e funcional.

Este subprojeto faz parte do projeto: “Desenvolvimento radicular e atributos físicos, químicos e biológicos em sistemas de preparo do solo para a cana-de-açúcar”, coordenado pela Sonia Carmela Falci Dechen, do setor de Conservação do Solo.

2.1- Avaliação de microrganismos benéficos associados à cana-de-açúcar em diferentes manejos da cultura.

Aluna: Mayra Kisch – iniciação científica – FUNDAG

Objetivo: 1- avaliar os efeitos de diferentes manejos da cultura de cana-de-açúcar na micorrização da planta e na abundância de bactérias endofíticas e rizosféricas; 2- relacionar tais micro-organismos benéficos com o desenvolvimento do sistema radicular.

 

Ver detalhes do projeto

  Adriana Parada Dias da Silveira      IAC

Manejo da água no sistema de produção de mudas pre brotadas de cana de açucar

n° SGP 470

O cultivo com adoção de mudas pré-brotadas no cultivo da cana-de-açúcar envolve a etapa de produção de mudas pré-brotadas (MPB) em fases distintas (brotação, aclimatação 1 e 2) e plantio e produção em condições de campo. A irrigação é necessária nas etapas de produção de mudas e além disto, para o bom desempenho do sistema de produção, é importante o conhecimento da disponibilidade hídrica do solo, clima, região e época do ano associado a cultivar adotada. Desta forma, para gerar informações importantes relacionadas ao uso eficiente da água no sistema de plantio com mudas MPB, bem como após o corte da cana para rebrota, há necessidade de pesquisas com objetivo de avaliar estratégias de manejo da irrigação para promover aumento da qualidade das mudas do sistema MPB, estratégias para rustificação de mudas aplicados na aclimatação fase 2 bem como avaliar o desempenho das mudas no campo com diferentes disponibilidades de água no solo, associados a diferentes cultivares, épocas de produção de mudas, épocas de plantio e tipos de solo, bem como avaliar o desempenho de momento de irrigação após o corte da cana para proporcionar maior produtividade e longevidade do canavial plantado com MPB de cana. Inicialmente serão implantados experimentos no sistema de produção de mudas em estufas e rustificação antes do plantio. Na fase de produção de mudas, os tratamentos constarão de diferentes lâminas de irrigação em relação a demanda climática em diferentes cultivares. A qualidade das mudas para cada cultivar será avaliada com base na produção de massa seca da parre áerea e radicular das mudas. No experimento de campo serâo avaliados o perfilhamento, o crescimento radicular e a produtividade de cada cultivar em função da disponibilidade de água no solo. Além deste contexto no momento de plantio das mudas também serão avaliadas o momento de aplicação de irrigação após o corte da cana que foi originalmente plantada com mudas de MPB.

Ver detalhes do projeto

  Regina Célia de Matos Pires      IAC

Comportamento e desenvolvimento ponderal de bezerros de corte Guzerá e inter-relação com suas mães

n° SGP 468

O sistema de criação de gado a pasto é um dos mais utilizados no Brasil, devido a grande disponibilidade de terras, sendo em sua maioria destinada para aptidão de corte. Em busca de melhores índices de eficiência o sistema extensivo vem passando por modificações que visam à qualidade do pasto, o melhoramento genético do animal, diminuição nos índices de mortalidade, maior eficiência alimentar, maior rentabilidade, melhores condições de sanidade entre outros. Os índices de mortalidade nos bovinos de corte na pré-desmama varia de 4% a 8% de acordo Euclides Filho (2000). Sendo uma taxa alta que acarreta diminuição da entrada de receita e aumento no suporte nutricional para as matrizes gestantes, gerando perdas econômicas e prejuízos no sistema de produção. Acredita-se que a mortalidade pré-desmama é causada por falhas na aquisição de imunidade passiva do bezerro, que é transferida com a ingestão do colostro nas primeiras horas de vida através do contato materno/filial.

            O cuidado parental é a relação da fêmea com suas progênies até que estas consigam desenvolver habilidades que garantam sua segurança, sendo essencial para a sobrevivência do bezerro. Em mamíferos pode se observar o inicio deste cuidado nos processos fisiológicos da gestação, através da ação hormonal e dos neurotransmissores durante a reprodução e tem seu ápice durante o período de amamentação, sendo o principal cuidado parental. Nos bovinos o comportamento materno pode ser percebido visualmente horas antes do parto, quando a vaca se afasta do grupo a procura de abrigo para o parto, diminuindo a ameaça de predadores e o vínculo do bezerro com outros animais do rebanho. A relação da vaca com a cria é de fundamental importância para a sobr

Ver detalhes do projeto

  Maria Lucia Pereira Lima      IZ

Controle reprodutivo de animais doadores de sêmen e de embriões

n° SGP 467

A reprodução animal é um processo complexo, onde herança genética, nutrição, manejo e estado sanitário se interagem de forma a constituírem a base para o desempenho produtivo. Para que a produção seja economicamente competitiva, esforços devem ser direcionados para o aumento da produtividade, que somente será alcançada através da manutenção do equilíbrio de todos esses fatores. O desempenho produtivo economicamente eficiente implica em planejamento de ações, sua execução, monitoramento e controle dos resultados obtidos. Para tanto exige a reformulação de princípios, como por exemplo, um enfoque preventivo ao invés de curativo. Estudos sobre a microbiota de genitália em bovinos, estão mais voltados para as fêmeas, e pouca atenção tem sido dada aos machos. Muitos microrganismos podem utilizar-se na cavidade prepucial de touros.Touros jovens e com prepúcio curto geralmente mostram menor contagem bacteriana no lavado prepucial e sêmen do que reprodutores idosos e com prepúcio penduloso, o que é característico de algumas raças zebuínas  À parte os patógenos naturais, é difícil estabelecer a importância dos oportunistas como potenciais patógenos. Sob certas condições, bactérias podem migrar pelo trato genital causando vesiculite seminal ou epididimite, nos machos e abortamento nas fêmeas. O estudo de microrganismos que interferem na reprodução e na qualidade do sêmen é de suma importância para o mercado interno e internacional.

Ver detalhes do projeto

  Eliana Scarcelli Pinheiro      IB

Fisiologia dos estresses em plantas cultivadas

n° SGP 464

No Brasil, nas últimas décadas, com a expansão do cultivo da cana-de-açúcar, os efeitos da deficiência hídrica sobre a produtividade da cultura têm se tornado cada vez mais evidentes. O uso de irrigação para atenuar o efeito da escassez de água na produção de cana-de-açúcar é uma alternativa ainda pouco utilizada nos países produtores, pois a disponibilidade de água é limitada em algumas regiões e os custos dos equipamentos tornam esse tipo de estratégia muito dispendiosa Dessa forma, para manter a produtividade vegetal sob condições de pouca umidade nos solos tem suscitado, ao longo dos anos, forte interesse dos pesquisadores na identificação de características de ordem fisiológica, bioquímica e molecular durante a adaptação ao estresse que, posteriormente, serão utilizadas na produção de cultivares tolerantes, em programas de melhoramento genético. O experimento será realizado em casa de vegetação, em ambiente semi-controlado, localizada na Faculdade de Ciências Agrárias e Veterinárias, Universidade Estadual Paulista, Jaboticabal - SP. O delineamento experimental utilizado será em blocos inteiramente casualizados, no esquema fatorial 3×2 (três cultivares (C) × duas tensões superficiais (T)), com seis repetições, a fim de se ter um melhor controle das variáveis ambientais dentro da casa de vegetação. Os resultados esperados visam verificar o processo de tolerância e sensibilidade a deficiência hídrica de cultivares de cana-de-açúcar durante o crescimento inicial e comparar o desempenho fisiológico e bioquímico e suas respectivas contribuições para o ajuste osmótico.

Ver detalhes do projeto

  Samira Domingues Carlin Cavallari      IAC

Desenvolvimento Inicial de Seringueira Submetida a Herbicidas

n° SGP 461

O controle de plantas daninhas representa parte significativa do custo de produção da seringueira nos primeiros anos até o fechamento das entrelinhas pelas plantas. A aplicação continuada do glyphosate tem selecionado espécies de plantas daninhas tolerantes, além de poder causar prejuízos a cultura devido a deriva. Estudos para viabilizar outras opções de herbicidas seletivos à cultura da seringueira e que controlem as plantas daninhas remanescentes das aplicações do glyphosate terão grande aplicação na cultura. O 2,4-D muitas vezes é utilizado como opção para aumentar o espectro de ação do glyphosate. Embora esses herbicidas sejam empregados na cultura da seringueira, sua aplicação deve ser dirigida às plantas infestantes evitando o contato, com a planta da seringueira. No Estado de São Paulo são mais de 4000 propriedades com seringueira circundada por diversas culturas como o milho e a soja que utilizam o ghyphosate, muitas vezes associado ao 2,4 D para controle de plantas daninhas, podendo causar danos por deriva à cultura da seringueira. Assim, a definição da tolerância da seringueira à deriva dos herbicidas glyphosate e 2,4-D também deve ser avaliada. Objetiva-se com esse projeto de pesquisa fornecer informações para o manejo integrado de plantas daninhas na cultura da seringueira. Propõe-se, portanto: i - verificar a existência de seletividade dos herbicidas flomioxazina, imazethapyr, fomesafen, carfentrazone ethyl e sulfentrazone para seringueira em fase de implantação; ii - definir a tolerância da seringueira, em fase de implantação, à deriva dos herbicidas glyphosate e 2,4-D e a mistura ghyphosate + 2,4D.

Ver detalhes do projeto

  Rogério Soares de Freitas      IAC

Uso de imagens digitais na avaliação pós-colheita de frutas e hortaliças

n° SGP 458

O desenvolvimento da ciência e tecnologia, em especial o desenvolvimento da tecnologia da informação, tem tornado possível o uso de muitos métodos não destrutivos para a análise de materiais, podendo também ser aplicados em frutas. Atualmente a indústria frutícola necessita de técnicas não destrutivas para a seleção e certificação on-line de frutas e hortaliças de alta qualidade. Uma das técnicas não destrutivas que tem sido estudada na área agrícola é a visão de máquina, cujo escopo é promover a objetividade da classificação dos produtos. Dentro deste contexto, o presente projeto tem como objetivo principal é o uso de imagens digitais para avaliação pós-colheita de frutas e hortaliças. Para tanto, o projeto será dividido em quatro partes: 1) seleção e classificação de frutas e hortaliças quanto ao comprimento, largura, cor através de imagens digitais; 2) identificação e seleção de frutas e hortaliças com defeitos na casca, tais como doenças, manchas e danos mecânicos superficiais através de imagens digitais e multiespectrais; 3) avaliar a evolução de danos mecânicos de impacto e corte em frutas e hortaliças usando-se imagens digitais; 4) avaliar a qualidade pós-colheita durante o armazenamento de frutas e hortaliças através de imagens. 

Ver detalhes do projeto

  Juliana Sanches de Laurentiz      IAC

RESPOSTAS DA LEGUMINOSA-MACROTILOMA A COMBINAÇÕES DE DOSES DE FÓSFORO E CÁLCIO

n° SGP 450

A contribuição das leguminosas forrageiras para a produção animal constitui um caminho na direção da sustentabilidade dos sistemas agropecuários. Dessa forma objetivar-se-á avaliar a interferência das combinações de doses de P e Ca no estabelecimento e crescimento da leguminosa Macrotyloma axillare NO 279. O experimento será instalado em casa de vegetação com solo proveniente de área de pastagem de Brachiaria brizantha cv. Marandu. O delineamento experimental será em blocos ao acaso com quatro repetições. Os tratamentos corresponderão a cinco doses de fósforo) e cinco doses de cálcio combinadas em estudo de superfície de resposta baseado em desenho experimental composto central modificado de um fatorial 52 incompleto. Dessa forma utilizar-se-ão 13 combinações das doses de P e Ca. Serão avaliadas as características nutricionais e produtivas da leguminosa-macrotiloma. Os resultados serão submetidos à análise de variância para as combinações de doses de P e de Ca. Quando essa interação não for significativa efetuar-se-á o estudo de regressão de primeiro e segundo graus para o efeito das doses de P e Ca isoladamente.

Ver detalhes do projeto

  KARINA BATISTA      IZ

ADUBAÇÃO NITROGENADA DE COBERTURA NO CONSÓRCIO DE MILHO SAFRINHA COM CAPIM-RUZIZIENSIS EM SISTEMA PLANTIO DIRETO

n° SGP 449

O consórcio de milho safrinha e o capim-ruziziensis (Urochloa ruziziensis cv. Comum) tem avançado nessa época. Dessa forma objetivar-se-á determinar a influência da adubação nitrogenada de cobertura para o consórcio de milho safrinha com o capim-ruziziensis em sistema de plantio direto. No plantio apenas a linhas do milho safrinha serão adubadas. Enquanto que a adubação de cobertura será realizada nas linhas do milho safrinha e do capim-ruziziensis. Os tratamentos constituir-se-ão de quatro doses de nitrogênio aplicadas em cobertura. O delineamento experimental será o de blocos ao acaso, com quatro repetições. No verão será implantada a leguminosa-crotalária. Serão avaliados: a) Diagnose nutricional das plantas de milho safrinha e capim-ruziziensis; c) Produção de massa seca; d) Concentração de macronutrientes nas plantas consorciadas; e) Parâmetros agronômicos do milho safrinha; f) Atributos químicos do solo e g) Teores de nitrato e amônio no solo. As parcelas serão comparadas pelo teste de média de Tukey e as doses de nitrogênio serão avaliadas por regressão polinomial.

Ver detalhes do projeto

  KARINA BATISTA      IZ

Avaliação in vitro da citotoxicidade e do potencial terapêutico de extratos de plantas brasileiras e suas aplicações na agropecuária

n° SGP 448

Esse projeto visa a utilização dos recursos vegetais brasileiros na descoberta de novos fármacos antivirais. A busca de novos agentes antivirais a partir de compostos naturais vem crescendo significativamente, inclusive no Brasil, não só pela diversidade de espécies existentes, mas para combater a resistência viral e pelo grande número de efeitos adversos causados por medicamentos sintéticos. As pesquisas nesta área têm propiciado a descoberta de potentes inibidores de crescimento viral in vitro e a identificação de novos compostos bioativos. Muitas das doenças virais animais não possuem tratamento apropriado e eficiente e assim à pesquisa de antivirais de extratos de vegetais brasileiros propiciarão novos conhecimentos e estratégias de tratamento à essas patogenias virais. Vale destacar  o grande impacto dessas viroses no agronegócio visto que são doenças que interferem no comércio internacional e assim a descoberta de métodos alternativos do controle dessas enfermidades é de grande valia. Os dados gerados deste estudo além de fornecerem elementos para a valorização da biomassa brasileira podem gerar possível produção de patentes. 

Ver detalhes do projeto

  Maria Judite Bittencourt Fernandes      IB

Implantação de sistema silvipastoril com mogno africano em pastos de capim-marandu

n° SGP 447

Sistemas silvipastoris são complexos e únicos, e devem ser estudados com o intuito de otimizar a produção de seus componentes. O objetivo deste trabalho é avaliar a produção do capim-marandu e o desenvolvimento das árvores de mogno africano em cultivo exclusivo (padrões comerciais) e em sistema silvipastoril em pastos de capim-marandu manejados com lotação intermitente ou não pastejados. As árvores de mogno africano serão avaliadas a cada seis meses quanto ao diâmetro, altura total e do primeiro verticilo, e sobrevivência. No capim-marandu serão avaliados acúmulo de forragem e de seus componentes, densidade populacional de perfilhos, índice de área foliar, valor nutricional, estrutura do dossel e desempenho animal. Os tratamentos corresponderão a pastejo com lotação intermitente (altura pré-pastejo de 25 cm e pós-pastejo de 15 cm) ou sem pastejo, em pastos integrados com renques (espaçados de 15 m entre si) de mogno africano formados com três linhas (5 x 5 x 5 m entre árvores) ou uma linha (4 m entre árvores) de árvores, e mogno africano exclusivo (5 x 5 x 5 m entre árvores), em delineamento de blocos completos casualizados com três repetições, em esquema fatorial 2 x 2 (capim-marandu rotacionado e não pastejado com renques de uma e três linhas de mogno africano) com um tratamento adicional (mogno africano exclusivo). Os resultados serão submetidos à análise de variância utilizando-se o PROC MIXED (SAS). Com isso espera-se determinar a condição de manejo que contribua com a produtividade dos pastos, animal e madeireira, auxiliando no entendimento e adoção de sistemas silvipastoris viáveis e lucrativos.

Ver detalhes do projeto

  Alessandra Aparecida Giacomini      IZ

POPULARIZAÇÃO DA CIÊNCIA ATRAVÉS DE OFICINAS DE AVALIAÇÃO DA QUALIDADE DA ÁGUA REALIZADA POR ALUNOS DA REDE PÚBLICA DE ENSINO DE BROTAS/SP.

n° SGP 446

Aumentar o interesse pela ciência entre crianças e adolescentes deve ser um dos objetivos da educação, pois é o meio mais fácil e eficaz de popularização da ciência. Nas escolas públicas existe uma carência de práticas em educação científica. A comunidade científica também tem um papel importante neste tema e deveria procurar diminuir o distanciamento entre a pesquisa e a sociedade. Um programa de monitoramento da qualidade da água foi montado para que os alunos da rede pública de ensino de Brotas/SP façam o monitoramento da qualidade da água. O objetivo deste trabalho é montar um programa de educação ambiental e divulgar a ciência através da determinação de  parâmetros de qualidade da água em rios e córregos da cidade de Brotas/SP por alunos da rede pública de ensino. O programa de monitoramento da qualidade da água irá ser apresentado aos alunos com apresentação do Kit para avaliação dos parâmetros químicos e físicos e visualização dos macroinvertebrados aquáticos, parâmetro biológico a ser avaliado. O programa será realizado em parceria com a Pós Graduação do Instituto Biológico de forma que os alunos do programa coordenem as atividades junto a Secretaria do Meio Ambiente de Brotas.

 

Ver detalhes do projeto

  Eliane Vieira      IB

Eficiência na transformação de alimentos em carne de qualidade por bovinos jovens da raça Nelore

n° SGP 441

 Certas medidas de eficiência alimentar, por serem altamente correlacionadas ao ganho de peso, podem, se usadas como critério de seleção em programas de melhoramento genético, resultar em aumento substancial do consumo de alimentos pelo rebanho. O consumo alimentar residual (CAR), que, por definição, é independente do peso e da taxa de crescimento dos animais, é uma alternativa para a seleção de animais mais eficientes. O CAR é afetado por todo o metabolismo do animal e, por isso, as relações entre essa característica e crescimento, composição corporal, capacidade de digestão dos alimentos e outras bases fisiológicas têm sido pesquisadas. O presente projeto será realizado com o objetivo de aumentar o conhecimento sobre CAR, principalmente quanto à capacidade de digestão dos alimentos pelos animais, composição corporal, características de carcaça e qualidade de carne, para sua consideração em programas nacionais de melhoramento genético da raça Nelore. Assim, serão coletadas informações de consumo alimentar individual em diferentes dietas, desempenho, digestibilidade, emissão de metano entérico, composição corporal, características de carcaça e qualidade de carne em machos Nelore, gerando conhecimento sobre a eficiência na utilização de alimentos pelos animais em diferentes fases da vida, alimentados com diferentes dietas. O conhecimento gerado fornecerá subsídios para que o CAR possa ser recomendado como critério de seleção em zebuínos na busca do aumento da eficiência de produção de carne.

Ver detalhes do projeto

  Sarah Figueiredo Martins Bonilha      IZ

LEVANTAMENTO SOROEPIDEMIOLOGICO DA NEOSPOROSE E TOXOPLASMOSE EM BOVINOS LEITEIROS CRIADOS EM SISTEMA DE AGRICULTURA FAMILIAR

n° SGP 436

Na região noroeste do Estado de São Paulo, o sistema de produção da agricultura familiar é baseado na bovinocultura de leite, voltada a garantir a subsistência, entretanto por carecer de atendimento técnico nem sempre atingem os índices produtivos desejados e por desconhecimento acerca do manejo sanitário adequado podem comprometer a saúde dos animais e dos indivíduos da comunidade, caso sejam acometidos por agentes zoonóticos.O objetivo da pesquisa foi avaliar a presença de neosporose e toxoplasmose em bovinos leiteiros criados em sistema de agricultura familiar pela técnica de Reação de Imunofluorescência Indireta (RIFI). Do total de 954 soros bovinos, até o momento foram avaliados, 927 soros para neosporose e 385 soros para toxoplasmose bovina, correspondendo, respectivamente, a frequência de 33,98% (315/927) e 20% (77/385) de bovinos reagentes. No total de propriedades amostradas encontrou-se, pelo menos 1 animal reagente para neosporose por propriedade. Por outro lado, a toxoplasmose foi detectada em 40 das 64 amostradas mostrando risco de saúde pública. Pelo questionário epidemiológico a aquisição de animais, criação de outras espécies animais em contato com os bovinos, principalmente cães e gatos podem ter contribído na transmissão de neosporose e toxoplasmose. Histórico de abortamento foi relatado em 22 propriedades, indicando altas taxas da perda do rebanhoe a falta de cuidado no descarte das carcaças possibilitando a transmissão horizontal dessas doenças. Diante da importância do tema, o impacto social e implicação destas enfermidades, as informações obtidas com este projeto visam estabelecer, inclusive, medidas higiênico sanitárias por meio de um processo de conscientização da comunidade-alvo.  

Ver detalhes do projeto

  Liria Hiromi Okuda      IB

VALORES ECONÔMICOS PARA CARACTERÍSTICAS PRODUTIVAS, DE CARCAÇA E DA QUALIDADE DA CARNE, UTILIZADAS NA SELEÇÃO DE BOVINOS DA RAÇA ANGUS

n° SGP 433

Atualmente vem sendo muito discutida a importância de sistemas de produção mais eficientes e sustentáveis. Neste novo contexto, o interesse pela raça Angus aumentou muito, principalmente pela qualidade de sua carne, considerada excelente, devido à elevada deposição de gordura subcutânea e uniforme distribuição de gordura intramuscular, que confere à carne maciez, sabor, textura e suculência, atraindo o interesse no mercado interno e externo. O produtor de carne está usando cada vez sêmen da raça Angus com o objetivo de produzir animais cruzados para serem abatidos. Desta forma, os produtores de animais Angus (fornecedores de sêmen e reprodutores da raça Angus) precisam selecionar seus animais com base em critérios econômicos importantes para os sistemas que estes animais serão utilizados. Assim este projeto propõe o desenvolvimento de modelos bioeconômicos para características produtivas, de carcaça e da qualidade da carne de importância econômica em bovinos da raça Angus, para fins de definição de índices de seleção econômicos levando em consideração as circunstâncias de rebanhos comerciais. A seleção baseada em índices de seleção pode conduzir a ganhos satisfatórios em todos os caracteres simultaneamente e pode também maximizar o ganho em termos econômicos, aumentando a eficiência do processo seletivo.

Palavras Chave: características de crescimento, ganho genético, herdabilidade, modelos bioeconômicos.

Ver detalhes do projeto

  CLAUDIA CRISTINA PARO DE PAZ      IZ

Avaliação de produtos sintéticos bioativos no controle da Podridão-Parda (Monilinia fructicola (Wint.) Honey) do pessegueiro

n° SGP 432

A fruticultura é uma atividade de relevância social e econômica em todo o mundo, tanto por fornecer nutrientes essenciais ao ser humano quanto por gerar renda. Ela participa diretamente na econo¬mia brasileira, por meio do valor das exportações e do merca¬do interno.  Uma das frutíferas que vem crescendo em todo o mundo pelo aumento no consumo de frutos in natura e pela sua utilidade para industrialização e comercialização sob forma de sucos e enlatados é o pessegueiro.  Com relação aos fatores relacionados à qualidade do fruto, a podridão parda, causada pelo fungo Monilinia fructicola (Wint.) Honey é a principal doença do pessegueiro no Brasil. Devido à grande quantidade de chuvas durante o desenvolvimento dos frutos, a incidência de podridões têm sido elevada nos últimos anos na cidade de Mogi das Cruzes, localizada na região do alto Tietê, a qual é responsável pela produção de pêssegos que abastece a cidade de São Paulo, provocando uma perda de 46% de frutos. As recomendações para o controle da doença no Brasil são baseadas em tratamentos protetores com a utilização de fungicidas, principalmente durante a floração e nos estágios de pré e pós-colheita. Este tipo de controle, porém, além de causar desequilíbrio ambiental, eleva o custo de produção e, muitas vezes, não oferece um controle eficiente. As demandas públicas para reduzir o uso de agroquímicos e melhorar a saúde ambiental e humana, limita a aplicação pré-colheita de produtos químicos no campo. Estas preocupações, combinado com a falta de tratamentos pós-colheita eficazes contra Monilinia spp. têm estimulado o interesse de pesquisa no desenvolvimento de novos métodos de controle. Portanto, o presente trabalho visa o controle da ocorrência do principal fungo causador de podridões, utilizando produtos sint

Ver detalhes do projeto

  Edlayne Gonçalez      IB

MICOBIOTA, OCRATOXINA A E NÍVEIS DE RESVERATROL EM UVAS NIÁGARA ORGÂNICAS

n° SGP 431

~A preocupação com o meio ambiente e a aquisição de alimentos mais seguros levou as pessoas a questionarem sobre as praticas agrícolas modernas. Desta forma, o cultivo orgânico foi sugerido como uma alternativa aos sistemas de cultivo convencionais a fim de melhorar a qualidade ambiental. Esta prática agrícola exclui o uso de fertilizantes e inseticidas sintéticos, reguladores de crescimento da planta e organismos geneticamente modificados e, portanto é considerada por muitos como uma alternativa mais saudável em relação aos alimentos provenientes de cultivo convencional. No Brasil, as frutas produzidas de forma orgânica são: manga, banana, uva, morango e goiaba. As uvas estão entre os dez alimentos benéficos à saúde, devendo ser consumida com frequência, pois possuem propriedades rejuvenescedoras, diuréticas e depurativas, outras propriedades importantes da fruta são as fibras, flavonoídes e os polifenóis. Entre os polifenóis destaca-se o resveratrol (antioxidante), uma fitoalexina que confere resistência contra os insetos, e sua produção é resultante do estresse da planta devido à exposição da luz ultravioleta e a infecção fúngica. O cultivo de uvas no Brasil ocupa uma área de 81 mil hectares, destacando-se os pólos de frutas Juazeiro/BA e Petrolina/PE, os quais são responsáveis por 95% da produção de uvas finas de mesa. O estado de São Paulo é considerado o maior produtor de uva de mesa, sendo a variedade Niágara rosada responsável por 89% das plantas cultivadas e 49% da produção do estado. Porém o clima do estado de São Paulo favorece ao desenvolvimento de fungos na videira, geralmente, acometendo os ramos, folhas e frutos interferindo na qualidade do produto final. Existe uma grande variedade de fungos que liberam substâncias conhecidas como micotoxinas, muitas delas têm capacidade mutagênica e carcinogênica e outras são tóxicas para os demais ór

Ver detalhes do projeto

  Edlayne Gonçalez      IB

Efeito da adição de monensina e óleo funcional no desempnho e na emissão de metano em bovinos Nelore em terminação com dietas de forragem de baixo teor de fibra

n° SGP 430

O uso de dietas com elevados teores de concentrados é uma prática comum de manejo alimentar para animais em terminação, necessária para aproveitar o máximo do ganho compensatório sem prejudicar a saúde dos animais. Apesar disso, o elevado custo com a alimentação nesse sistema impõe a adoção de novas tecnologias para se manter competitivo no mercado. Além de as possíveis consequências metabólicas de dietas com elevado teor de carboidratos não fibrosos, como acidose ruminal e redução da vida produtiva dos animais, bem como a viabilidade econômica, ainda ser questionável, principalmente, em países com condições favoráveis à utilização de pastagens, como o Brasil. Nesse contexto, os aditivos são utilizados como manipuladores da fermentação ruminal por meio da seleção de bactérias gram-negativas, o que favorece a menor ocorrência de distúrbios metabólicos e contribui no desempenho animal. No Brasil, como mais de 72% dos animais confinados são Nelore ou de origem zebuína e devido à insuficiente informação na literatura sobre o valor energético de volumosos utilizados na dieta dos zebuínos, o objetivo do presente estudo é estabelecer o nível mínimo adequado de FDN proveniente da forragem (FDNf) em dietas de terminação para Bos taurus indicus, com adição de monensina ou óleo funcional como aditivo alternativo e avaliar o comportamento ingestivo, digestibilidade, parâmetros ruminais, o desempenho animal,  características  de carcaça e emissão de  metano  entérico,  minimizando  as  perdas energéticas em forma de metano, aumentando assim, a sustentabilidade da cadeia de produção de carne  através  da nutrição  animal.

Ver detalhes do projeto

  Renata Helena Branco Arnandes      IZ

Planeta Inseto

n° SGP 428

O Instituto Biológico, órgão subordinado a Agência Paulista de Tecnologia dos Agronegócios da Secretaria de Agricultura e Abastecimento do estado de São Paulo, abriga em seu Museu a exposição Planeta Inseto desde dezembro de 2010. Possui autorização para manejo e exposição de insetos na categoria de jardim zoológico e tem recebido em média 25 mil pessoas por ano. Possui ISO 9001 para Divulgação Científica e Cultural em Entomologia. Estudos recentes comprovam que os jardins zoológicos e aquários do mundo têm um papel crucial a desempenhar quanto a ajudar as pessoas a compreender como podem proteger animais e os seus habitats naturais. Neste contexto, o Planeta Inseto vem colaborando para que os alunos do ensino fundamental e também ao público em geral tenham uma compreensão maior acerca dos insetos, biodiversidade e sustentabilidade ambiental, controle biológico, insetos de importância médica de forma lúdica e interativa. 

Ver detalhes do projeto

  Harumi Hojo      IB

Manejo de Pragas e Doenças em plantas ornamentais na região da Dutra

n° SGP 427

Mesmo durante a “crise” política e econômica que afeta o país, o brasileiro tem consumido mais flores, gastando em média R$ 26,68 por habitante, segundo o Instituto Brasileiro de Flores (Ibraflor). Com isso, o setor de floricultura deve crescer 8% em 2015, e órgão estima faturamento de R$ 6,1 bilhões. O projeto de manejo de pragas e doenças visa contribuir no diagnóstico de pragas, doenças e virus em ornamentais e recomendar o manejo mais adequado.  Atualmente, contamos com 67 associados com produtores abrangendo as cidades de Guarulhos, Arujá, Itaquaquecetuba, Santa Isabel, Mogi das Cruzes, Biritiba Mirim, Guararema, Jacareí, São José dos Campos e Taubaté, com sua Sede em Arujá, a 50 km da capital paulista (Av. P.L. do Brasil, Km 4.5 – Fazenda Velha – Arujá – SP).

Cerca de 80% destes associados se dedicam à produção de flores em vaso, sendo que, possuem também flores de corte, mudas (forrações), árvores e arbustos para jardins. Dentro de nossos principais produtos estão as orquídeas (gêneros: Cymbidium, Cattleya, Oncidium, Dendrobium, Phalaenopsis e outros gêneros de menor importância quantitativa), hortênsia, antúrio, begônia, ciclâmen, gérbera, entre outros... Segundo dados estatísticos, somos a 3a maior região produtora (em volume) de flores e plantas ornamentais do Estado de São Paulo (atrás da Holambra e da região de Atibaia).

Os problemas com pragas em ornamentais é frequente, sendo o ácaro uma das pragas que mais atacam o cultivo de ornamentais, principalmente em épocas em que a temperatura é alta e a umidade relativa está baixa. 

Ver detalhes do projeto

  Harumi Hojo      IB
  Sobre

O SGP (Sistema de Gestão de Pesquisa) foi implementado em todas as unidades APTA, para centralizar o controle de todos os projetos desenvolvidos sob sua supervisão. [Ler mais]

Endereço APTA – São Paulo

Praça Ramos de Azevedo, 254, 2º andar - República, São Paulo - SP

Fone : (11) 5067-0447 e 5067-0427

  Endereço APTA – Campinas

Avenida Barão de Itapura, 1481 - Botafogo, Campinas - SP

Fone : (19) 2137-8930