Projetos APTA no Departamento de Descentralização do Desenvolvimento, todos os centros

Página Inicial / Busca de Projetos

163 projetos ativos encontrados - pág. 3 de 6

ECOAGRICULTURAS - Cultivando Águas e Boas Práticas no Litoral Norte

n° SGP 1153

O Projeto “Ecoagriculturas – cultivando águas e boas práticas do litoral norte” tem a duração de 24 meses e está localizado na UGRHI 03 – Litoral Norte, nos municípios de Ubatuba, Caraguatatuba, São Sebastião e Ilhabela, Corredor de Biodiversidade da Serra do Mar, visando “integrar as ações e experiências em agroecologia na UGRHI-LN 03, com objetivos específicos de desenvolver estratégias de boas práticas de manejo das atividades agropecuárias para aproveitamento racional e proteção dos recursos hídricos”.  Os principais 200 beneficiários diretos são agricultores, proprietários rurais, gestores e técnicos dos órgãos públicos e membros de colegiados e da sociedade civil atuantes na temática.

A proposta foi elaborada de forma democrática e participativa por representantes do GT Agroecologia do CBHLN, da Rede de Sementes do Litoral Norte e membros da sociedade civil, engajados em construir e fortalecer um trabalho regional e coletivo de boas práticas de agroecologia; redirecionando as práticas de agricultura tradicional para evitar o uso intensivo de agrotóxicos e manejo inadequado do solo e dos recursos hídricos. A melhor ecoeficiência das unidades produtivas rurais do litoral norte ajudará a restaurar a condição ambiental das propriedades e, dessa forma, a proteção dos recursos hídricos, além de promover a segurança alimentar e a geração de renda local. 

Como estratégia para alcançar os resultados esperados, foi desenhado um fluxograma sequencial de ações que propiciem a gestão e construção participativa do início ao fim, impactando também na capacitação contínua e permanente dos envolvidos durante o processo; bem como no fortalecimento coletivo e a mobilização dos envolvidos para o compartilhamento de boas práticas, as quais potencializam as metas do Plano de Bacia e áreas afins.

Os principais produtos e benefícios são: 01 análise situacional participativa de boas práticas existentes na região (vide descritivo no documento como “Boas Práticas Agrícolas/Agropecuárias - BPA”), como um marco zero para atuais e futuras ações de planejamento, o qual também norteará 01 Plano de Trabalho Participativo para o percurso do projeto e sugestões de conteúdos para 06 Encontros de Fortalecimento Regional e 04 Capacitações Temáticas com intercâmbios (vivências práticas) entre os proprietários e municípios. Além de melhorar a qualidade da capacidade técnica dos agricultores e demais beneficiários, o envolvimento direto dos beneficiados torna viável a elaboração de Planejamento Integral de 20 Propriedades/posse e a escolha e implantação prática de pelo menos 04 unidades de adaptação tecnológica de práticas visando a transição agroecológica para o aumento da ecoeficiência de unidades produtivas da zona rural. De acordo com as demandas levantadas no Planejamento Integral das propriedades serão escolhidas práticas para melhorar a gestão da unidade, além de estratégias para conservação e proteção da biodiversidade, do solo e da água. As unidades de adaptação tecnológica serão acompanhadas para evoluírem e se tornarem uma referência para a difusão de práticas que facilitem a transição agroecológica na região.

Para as estratégias de comunicação integrada e compartilhamento das boas práticas estão previstos 01 Fórum Regional, 01 Documento Final com diretrizes e encaminhamentos, bem como o uso de sites e redes sociais do proponente e parceiros para difusão.

Ver detalhes do projeto

  ISABEL FERNANDES PINTO VIEGAS      Apta Regional / IEA

Avaliação e caracterização da resistência de germoplasma silvestres de Arachis spp. a Enneothrips flavens (Thysanoptera: Thripidae) e Stegasta bosquella (Lepidoptera: Gelechiidae) e cruzamentos visando a introgressão de genes de resistência no amendoim cu

n° SGP 1146

A cultura do amendoim vem ganhando importância no Brasil. A atual cadeia de produção abastece o mercado interno e está ganhando competitividade no mercado internacional. A expansão e sustentabilidade desse agronegócio passam pela sua evolução tecnológica. Um dos principais gargalos da cultura é a sua dependência de agroquímicos para o controle de pragas e doenças. O tripes (Enneothrips flavens) e a lagarta do pescoço vermelho (Stegasta bosquella) são pragas-chave da cultura na região Centro-Sul do país. Assim, a resistência a esses agentes bióticos é um dos principais objetivos dos programas de melhoramento genético. O gênero Arachis é nativo da América do Sul, inclusive do Brasil, e compreende mais de 80 espécies já identificadas e conservadas em coleções. Trabalhos têm mostrado que diversas dessas espécies possuem alta resistência às pragas, mas as tentativas de cruzamentos entre essas espécies (diploides, na grande maioria) e o amendoim cultivado (alotetraploide) têm sido prejudicadas por essa incompatibilidade devida à diferença de ploidia. Pesquisas realizadas em passado recente mostram a viabilidade de sucesso nesses cruzamentos através de anfidiploides. Estes são produtos do cruzamento de duas espécies diploides de genomas diferentes (A e B) gerando um híbrido AB que, após tratamento com colchicina, torna-se um alotetraploide (AABB) semelhante ao genoma da espécie cultivada. Assim, com esta estratégia, este projeto propõe realizar a experimentação para avaliação fenotípica e identificação do germoplasma resistente (as espécies avaliadas e os anfidiploides gerados pelo programa). Inclui também a realização de retrocruzamentos dos parentais silvestres resistentes com genitores hypogaea recorrentes (cultivares e linhagem de alto desempenho agronômico) visando à recuperação das características agronômicas do material comercial. O desenvolvimento de linhagens intermediárias de melhoramento (germoplasma melhorado), portadoras de alta resistência a esses agentes bióticos, é o resultado que se espera deste projeto, durante sua vigência.

Ver detalhes do projeto

  Marcos Doniseti Michelotto      Apta Regional / IAC

Desempenho e saúde de bezerros suplementados com virginiamicina e complexo vitamínico mineral.

n° SGP 1143

O objetivo do trabalho foi de verificar o desempenho e a saúde de bezerros em aleitamento com a utilização de um probiotico chamado virginiamicina. A virginiamicina tem seu uso comprovado como eficaz e de custo baixo na nutrição animal podendo melhorar a conversão alimentar e a saúde intestinal dos animais, com isso a possibilidade de aumentar a taxa de produtividade das bezerras nesta fase da produção leiteira. O experimento foi realizado na Fazenda Experimental APTA Regional Centro Leste situada em Ribeirão Preto – SP, utilizando 27 bezerros da raça Jersey, machos e fêmeas, em delineamento em blocos casualizados (idade de nascimento) no período de idade de 0 a 60 dias de vida nos seguintes tratamentos: CONTROLE (COMPLEXO VITAMINA E MINERAIS NO LEITE), VIRGINIAMICINA + COMPLEXO VITAMINA E MINERAIS NO LEITE, VIRGINIAMICINA + COMPLEXO VITAMINA E MINERAIS NO RÚMEN. A suplementação foi calculada para que cada animal receba 0,02 kg com 1000mg de virginiamicina por dia durante o período experimental. Foi avaliado parâmetros de desempenho e sanguíneos ao nascimento, aos 30 e 60 dias de vida experimentais. Para o desempenho todos os animais foram pesados com o uso de uma balança eletrônica, medidos a altura da cernelha, o perímetro torácico e o comprimento corporal com o uso de uma fita métrica. O sangue foi colhido da jugular dos animais nas mesmas datas de pesagem e analisado para hemograma completo contendo. Todos os dados já foram compilados e se encontram em análise estatística.

Ver detalhes do projeto

  Márcia Saladini Vieira Salles      Apta Regional / IZ

Monitoramento e Diagnóstico da Qualidade do Leite de Produtores Rurais da região Nordeste do Estado de São Paulo

n° SGP 1141

A atividade leiteira tem grande participação na agricultura familiar, pois é considerada uma boa fonte de renda mensal e esta participação pode ser comprovada pela grande porcentagem da parcela de leite produzida no país estar relacionada a agricultura familiar. Contudo, atualmente não basta produzir leite, mas sim, produzir leite com qualidade. Qualidade esta referenciada pela instrução normativa do governo federal, mas principalmente pela exigência pelas indústrias em qualidade mínima para a sua maximização de produção e aumento de exportações. A exigência feita pela indústria tem como ponto mais forte o pagamento por qualidade. Assim sendo a melhoria da qualidade por parte dos produtores é de fundamental importância. E para atingir a qualidade, parte do princípio de aplicar tecnologias, no caso da produção de leite, que visem melhorar qualidade do leite e assim dar suporte a sustentabilidade da atividade leiteira. A transferência de tecnologia permite levar o conhecimento científico para a sociedade na forma de serviços, produtos e processos. Assim sendo, o presente estudo tem como objetivo fazer a junção da transferência de tecnologia para a atividade leiteira de agricultores familiares visando à melhoria da qualidade do leite através de diagnósticos, treinamentos e acompanhamento das tecnologias treinadas e divulgadas para os produtores rurais. Este experimento será realizado com 50 propriedades para identificação do perfil dos produtores da região de Ribeirão Preto, junto com o programa da CATI LEITE/ SAA/SP. Identificados os produtores, será realizado o treinamento na forma de cursos teórico-práticos de acordo com suas necessidades para melhoria da qualidade do leite. No momento do treinamento, serão realizados testes teóricos para quantificação do conhecimento técnico do tema do treinamento e sobre qualidade do leite. Todos os 50 produtores serão acompanhados e avaliados mensalmente durante 18 meses através de visitas técnicas dos assistentes técnicos e estagiários. Serão realizadas visitas técnicas para coleta de dados e amostras de leite para acompanhamento da qualidade do leite e do uso das técnicas abordadas nos cursos. Ao final de 18 meses, todos os produtores serão questionados novamente quanto ao conhecimento técnico e melhoria da qualidade do leite e apresentado o resultado da qualidade do leite. Com isso, o presente projeto espera poder identificar o perfil dos produtores da região, avaliar o beneficio de treinamento e acompanhamento (assistência técnica) para melhoria da qualidade do leite e por fim, verificar quais características das propriedades/produtores favoreceram a melhoria da qualidade do leite e se houve transferência de conhecimento técnico.

Ver detalhes do projeto

  Luiz Carlos Roma Junior      Apta Regional / IZ

Avaliação hematológica de bezerros Jerseys na fase de aleitamento

n° SGP 1140

O presente trabalho de iniciação científica tem como objetivo avaliar valores hematológicos de 52 bezerros, entre machos e fêmeas, nos períodos de 7, 30 e 60 dias de vida, para avaliar a evolução hematológica dos animais. A coleta de sangue foi realizada na jugular dos animais para a realização das análises de hemograma completo contendo: Série Vermelha (eritrócitos, hemoglobina, hematócrito), serie plaquetária, serie leucocitária, e proteínas totais. A avaliação se deu em máquinas POQ 100 IV e confirmação em lâminas. Obteve-se valores médios nos períodos de 7, 30 e 60 dias de vida de eritrócito (milhões/mm?), 7,47, 10,14 e 10,22 respectivamente; hemoglobina (g/dL), 9,17, 12,91 e 12,47; hematócrito (%), 28,39, 39,41 e 37,85; VCM (fL), 37,85, 38,99 e 38,34; HCM (pg), 12,27, 12,79 e 12,56; CHCM (g/dL), 32,44, 32,46 e 32,37; leucócitos (mm?) 8,48, 10,16 e 10,51; segmentados 47,77, 28,00 e 23,24; eosinófilos 0,45, 0,83 e 0,69; linfócitos 49,05, 68,32 e 72,94; monócitos 2,60, 2,83 e 3,14. 

Ver detalhes do projeto

  Márcia Saladini Vieira Salles      Apta Regional / IZ

CUSTO DE PRODUÇÃO E RENTABILIDADE ECONÔMICA DA FRUTICULTURA NA REGIÃO DE MARÍLIA/SP

n° SGP 1130

Identificar e estimar o custo de produção e rentabilidade econômica da fruticultura na região de Marília.

Ver detalhes do projeto

  Fernanda de Paiva Badiz Furlaneto      Apta Regional / IEA

Fontes de ácidos graxos da dieta para a tilápia-do-nilo criada em temperatura ótima e sub-ótima.

n° SGP 1127

A tilápia-do-nilo é uma importante espécie na aquicultura brasileira e mundial e é produzida em diversas regiões e condições climáticas. Entretanto, ainda há lacunas quanto a sua nutrição lipídica, principalmente em condições adversas de temperatura. Estas condições são registradas durante o inverno nas regiões sudeste e sul do Brasil, onde se concentram as maiores produções de tilápias. É sabido que os ácidos graxos têm papel fundamental na manutenção da fluidez e funcionalidade das membranas celulares com efeitos na adaptação dos peixes à variação de temperatura.

Com a finalidade de aprimorar a tecnologia de produção da tilápia foram propostos estudos, com ensaios com animais já realizados na UFSC, em Florianópolis, SC. O presente projeto tem como foco a avaliação do metabolismo de ácidos graxos, pela análise de materiais coletados durante os ensaios realizados, em complementação ao projeto “Ácidos graxos essenciais na dieta da tilápia-do-Nilo em condição ótima e subótima de temperatura”, cadastrado no SIGA (NRP 4047), e ao projeto "Temperatura e fontes de ácidos graxos para tilápia-do-Nilo" com recursos aprovados pelo CNPq e coordenado pela pesquisadora Débora Machado Fracalossi (LABNUTRI, UFSC). A parceria com a APTA será feita pela orientação nas análises químicas, análise dos dados coletados e redação de artigos. A seguir estão descritos os ensaios realizados, dos quais serão utilizados materiais para análise:

(I) Fontes de ácidos graxos na dieta de tilápias criadas em duas temperaturas - Foram testadas cinco fontes lipídicas: (1) óleo de peixe, fonte de n-3 LC-PUFA, além de SFA e MUFA; (2) óleo de linhaça, fonte de n-3 PUFA de 18 carbonos; (3) óleo de girassol, fonte de n-6 PUFA de 18 carbonos; (4) óleo de oliva, fonte de MUFA; e (5) óleo de coco, fonte de SFA. O objetivo deste estudo é selecionar fontes adequadas de ácidos graxos para a alimentação da tilápia-do-nilo criada em temperatura ótima (28°C) e sub-ótima (22°C).

(II) Substituição do óleo de peixe por misturas de óleos vegetais na deita da tilápia-do-nilo em duas temperaturas - Foram avaliadas três dietas com misturas de óleos vegetais (MIX-G, MIX-GL e MIX-L) e uma com óleo de peixe (OP) em juvenis de tilapia-do-nilo em dois ensaios: a 28°C e a 22°C. Nas misturas houve diferentes inclusões dos óleos de linhaça (L) e de girassol (G) sobre uma base de óleo de coco e oliva, o que alterou a proporção de PUFA da série n-3 e n-6.

(III) - Exigência do ácido graxo alfa-linolênico para tilápias em temperatura sub-ótima - Foram testadas cinco dietas com misturas de óleos vegetais (palmiste, oliva, girassol e linhaça) com níveis crescentes de óleo de linhaça e de ácido graxo alfa-linolênico (α-LNA, 18:3n-3), e uma dieta controle com óleo de peixe. Este estudo foi realizado somente a 22°C para estimar a exigência em α-LNA para a tilápia-do-nilo em temperatura sub-ótima, a qual ainda não tinha sido estabelecida.

Os ensaios foram realizados em triplicata com juvenis de tilápia-do-nilo, mantidos em unidades experimentais em sistema de recirculação de água doce e, alimentados até a saciedade aparente com dietas semi-purificadas extrusadas. A partir das amostras já coletadas de peixe inteiro, fígado e fezes, será analisado a digestibilidade de ácidos graxos da dieta, o balanço de ácidos graxos in vivo, a histologia do fígado e, a expressão gênica de desaturases e alongases no fígado. Os dados obtidos serão avaliados estatisticamente por análise de variância ou regressão, considerando o nível de significância de 5%.

Ver detalhes do projeto

  Camila Fernandes Corrêa      Apta Regional / IP

Melhoria da qualidade do peixe cultivado para o consumo humano

n° SGP 1125

Melhorar a sanidade e qualidade dos peixes cultivados em facilidades de piscicultura (reservatórios no estado de São Paulo e sistemas intensivos com recirculação de água na Dinamarca). A sanidade dos peixes será monitorada por abordagens clássicas e moleculares, e aprimorada por modulação de resposta imune inata por bioativos de β-glucanos. Parâmetros de qualidade da água, como comunidades bacterianas, toxinas e micróbios produtores de off-flavour serão relacionados a sanidade e crescimento dos peixes. 

Ver detalhes do projeto

  Gianmarco Silva David      Apta Regional / IP

AVALIAÇÃO DO FLUXO SANGUÍNEO FOLICULAR E LUTEAL E ESTUDO DA TERMOGRAFIA VULVAR SUPERFICIAL EM BÚFALAS DA RAÇA MURRAH SUBMETIDAS A PROTOCOLO HORMONAL COM E SEM eCG

n° SGP 1124

A ultrassonografia doppler e a termografia digital superficial são tecnologias de recente uso na Medicina Veterinária utilizadas de maneira não invasiva. Estas são ferramentas de auxilio diagnóstico por imagem que auxiliam no estudo dos fenômenos envolvidos durante o ciclo estral, foliculogênese, ovulação, luteogênese, luteólise e as alterações que estas geram na irrigação sanguínea das estruturas ovarias assim como na temperatura corporal e vulvar, podendo ser por resposta fisiológica à ação hormonal. Sendo de grande importância o estudo destes eventos fisiológicos visando melhorar a fertilidade do rebanho bubalino brasileiro. Objetiva-se avaliar as alterações morfológicas e de fluxo sanguíneo que ocorrem nas estruturas ovarianas, além de caracterizar as variações de temperatura corporal e da vulva acompanhados por variações nas concentrações hormonais durante o protocolo hormonal com e sem eCG em búfalas da raça Murrah. Serão selecionadas 20 búfalas em lactação que terão a ovulação sincronizada, utilizando o protocolo hormonal com e sem eCG. Após o 9° dia será realizado acompanhamento diário por ultrassonografia transretal modo B e modo Doppler, visando acompanhar a dinâmica folicular, ovulação, luteogênese e luteólise. A irrigação será mensurada primeiramente de forma subjetiva e posteriormente será realizada a análise objetiva da irrigação das estruturas utilizando “software”. As termografias da vulva, mufla e olho, serão realizadas diariamente anteriormente a ultrassonografia, entre 5:30h e 8:00h, após o maior folículo atingir 8,5 mm de diâmetro a termografia passará a ser realizada 2 x ao dia, durante todas as fases do ciclo estral. Os termogramas serão armazenados no cartão de memória e analisados com auxílio de “software”. Após, será aferida a temperatura retal com termômetro clínico digital. Serão colhidas amostras de 10 mL de sangue, diariamente para a dosagem das concentrações plasmáticas de progesterona e estradiol. Os dados serão submetidos à análise de variância por meio do procedimento do General Linear Models (GLM) do pacote estatístico Statistical Analysis System (SAS, 2009). As médias serão comparadas pelo teste de Tukey a 5%. Serão determinados coeficientes de correlações entre as variáveis estudadas.

Ver detalhes do projeto

  NELCIO ANTONIO TONIZZA DE CARVALHO      Apta Regional / IZ

Qualidade e composição do leite de vacas mestiças em lactação mantidas em pasto de capim Tanzânia e diferentes fontes de proteína no concentrado

n° SGP 1123

Pensando na importância do leite na alimentação humana com um custo acessível a todas as classes sociais, o presente trabalho quer demonstrar que manipulando a dieta animal e alterando a composição do leite, este produto fique com um melhor perfil de nutrientes capaz de melhorar a nutrição e a saúde humana. Para isto 16 vacas mestiças Holandês x Gir, em sistema de pastejo rotacionado, provenientes do rebanho leiteiro do Polo Regional da Alta Mogiana serão agrupadas em blocos homogêneos e distribuídas em um delineamento experimental Quadrado Latino 4 x 4, por um período experimental de 84 dias, nos seguintes tratamentos: FAl – concentrado com 16,0% de PB na MS originário do farelo de algodão; FG – concentrado com 16,0% de PB na MS originário do farelo de girassol; FS – concentrado com 16,0% de PB na MS originário do farelo de soja; FAm – concentrado com 16,0% de PB na MS originário do farelo de amendoim. Será avaliada a produção, a composição do leite bem como o perfil de ácidos graxos no leite. Espera-se melhorar a qualidade da composição do leite com um custo de produção mais baixo e que este promova a saudabilidade. 

Ver detalhes do projeto

  Márcia Saladini Vieira Salles      Apta Regional / IZ

Desempenho, qualidade da carcaça e da carne de novilhos Nelore, recebendo óleo de linhaça protegido durante diferentes períodos do confinamento.

n° SGP 1120

Esse projeto de pesquisa será desenvolvido com o objetivo de avaliar diferentes períodos de fornecimento do óleo de linhaça protegido da degradação ruminal, durante o confinamento, para novilhos Nelore, e os efeitos sobre o desempenho animal durante a terminação, característica da carcaça e qualidade da carne. Para isso, vinte e oito novilhos Nelore com 18 meses de idade e 400 kg de peso corporal inicial serão confinados em baias individuais durante 105 dias de período experimental (três subperíodos de 35 dias cada um), após 28 dias de adaptação ao manejo e alimentos. Os animais serão distribuídos em blocos pelo peso e sorteados para um dos seguintes tratamentos: dieta controle; ou a dieta com adição de óleo de linhaça protegido fornecido durante todo o período experimental, durante os dois últimos subperíodos ou durante o último subperíodo. A dieta experimental será composta por 60% de concentrado, sendo a silagem de milho utilizada como volumoso exclusivo. Os alimentos serão oferecidos duas vezes ao dia, permitindo-se uma sobra ao redor de 10%. Os animais serão pesados no início e final de cada subperíodo, após jejum de 15 horas. Ao final do confinamento, os animais serão abatidos em frigorífico comercial. Serão tomadas medidas para avaliação das características da carcaça como peso, rendimento, comprimento, largura, área de olho de lombo, espessura de gordura de cobertura, quebra de resfriamento, pH, temperatura e proporção do dianteiro, ponta de agulha e traseiro especial. A partir de um corte entre a 9a e a 13a costelas, serão retiradas amostras para determinação da cor da carne e da gordura, composição química, pH, capacidade de retenção de água, perdas, força de cisalhamento, avaliação sensorial, colesterol, composição e proporção entre os ácidos graxos, ácido linoléico conjugado e relação n-6:n-3. Serão também utilizadas amostras de carne que serão maturadas por 7 e 14 dias, e feitas as mesmas determinações da carne não maturada. Os resultados serão analisados estatisticamente considerando-se blocos inteiramente casualizados, com quatro tratamentos e sete repetições.

Ver detalhes do projeto

  Wignez Henrique      Apta Regional / IZ

Determinação das exigências de energia e proteína para mantença de cordeiros de diferentes grupos genéticos.

n° SGP 1118

Este plano de ação visa determinar as exigências de energia e proteína líquidas para mantença de cordeiros puros das raças Dorper (D), Texel (T), Ile de France (I) e Santa Inês (S) e cruzadas ½ D + ½ S (DS), ½ T + ½ S (TS) e ½ I + ½ S (IS), nascidas em 2013. Serão utilizadas vinte e quatro machos de cada grupo genético, desmamadas aos 90 dias de idade. Os animais serão mantidos confinados em baias individuais durante 28 dias para adaptação às baias e à dieta, formulada de acordo com as exigências preconizadas pelo NRC (2007) para ganhos estimados entre 200 e 250 g/dia. Após esse período e 16 horas de jejum, seis animais de cada um desses grupos genéticos serão abatidos e será determinada a composição do corpo vazio, constituindo a linha base.
 Os outros dezoito animais de cada grupo genético serão mantidos confinados, recebendo a mesma dieta, em três níveis de ingestão de matéria seca com seis animais em cada grupo, sendo alimentação ad libitum, com restrição de 75% e com restrição de 60%, até que os animais do grupo alimentado ad libitum atinjam em média 35 kg de peso corporal. Depois disso, todos os animais serão mantidos em jejum por 16 horas e abatidos, para posterior determinação da composição química do corpo vazio.
 Antes do abate, os animais que tiverem produção de lã serão tosquiados. Todos os animais serão abatidos por insensibilização e será feita a sangria pela secção das veias jugulares e artérias carótidas, com colheita total do sangue. Será feita a separação da pele, da cabeça, das patas e das vísceras. Das vísceras, o trato digestivo será limpo e lavado, a bexiga será esvaziada e o líquido biliar será eliminado. As carcaças serão pesadas e separadas em suas metades, sendo utilizada a meia-carcaça esquerda para as análises. Todos esses tecidos (sangue, cabeça + patas, pele, vísceras, carcaça e lã) serão pesados, moídos, homogeneizados, amostrados e determinados o teores de matéria seca por liofilização. As amostras secas serão enviadas para o laboratório para determinação dos teores de proteína, extrato etéreo e minerais, para cálculo da composição química do corpo vazio.
 Será calculada a correlação entre peso da carcaça e peso do corpo vazio e com a composição corporal inicial (linha base) e final será possível determinar as exigências de energia e de proteína para para mantença de cordeiros dos diferentes grupos genéticos. Após análise da normalidade de distribuição e da homeocedasticidade das variâncias, os resultados serão submetidos à análise de variância para comparação entre os grupos genéticos.
 

Ver detalhes do projeto

  Wignez Henrique      Apta Regional / IZ

Fibras musculares e qualidade de diferentes cortes cárneos oriundos de fêmeas Nelore e Nelore x Santa Gertrudis contemporâneas terminadas em pastagem.

n° SGP 1116

A qualidade da carne está diretamente relacionada com as características das fibras musculares (tipo, número e área) e, dependendo da localização e função do músculo no animal, estas características podem diferir. Assim, objetiva-se neste trabalho correlacionar os tipos de fibras musculares com a maciez e a composição em ácidos graxos de diferentes cortes cárneos, bem como comparar as características da carcaça, peso e rendimento dos cortes primários e secundários de novilhas contemporâneas de diferentes composições genéticas. Para isso, serão utilizadas 32 fêmeas com aproximadamente 24 meses de idade, sendo 16 da raça Nelore e 16 cruzadas Nelore x Santa Gertrudis, sendo todas elas contemporâneas, do mesmo rebanho, filhas de touros do Programa de Melhoramento Genético do Instituto de Zootecnia de Sertãozinho, SP, e que foram manejadas exclusivamente em pastagens durante toda a vida, recebendo apenas sal mineral. Todos os animais serão abatidos no mesmo dia, sendo que o critério utilizado será o peso médio das fêmeas Nelore (450 kg de peso corporal). Atingido este ponto, os animais serão pesados após jejum completo por 16 horas e abatidos em frigorífico comercial, seguindo os procedimentos padrões. Serão tomadas medidas para avaliação das características da carcaça como comprimento, largura, pH, temperatura, peso e rendimento. Após 24 horas de resfriamento das carcaças, serão novamente tomadas as mesmas medidas, além da área de olho de lombo, espessura de gordura de cobertura, peso e rendimento dos cortes primários e secundários. Serão também retirados da carcaça os músculos Biceps femoris, Longissimus, Semitendinosus, Superficial pectoral e Triceps brachii para determinação da cor da carne, pH, capacidade de retenção de água, perdas por cozimento, força de cisalhamento, composição química, colesterol,  ácido linoleico conjugado, composição em ácidos graxos e das fibras musculares. Também serão realizadas as somatórias e relações entre os ácidos graxos, além do cálculo dos índices de qualidade dos ácidos e atividade enzimática nos músculos. Para a análise estatística dos resultados, será considerado um delineamento inteiramente casualizado, em esquema fatorial com dois grupos genéticos e cinco músculos, sendo os resultados analisados pelo SAS (versão 9.2), considerando-se o peso de abate dos animais como covariável. Serão avaliadas as interações entre os fatores e feitos os desdobramentos para aquelas que forem significativas. As composições das fibras musculares dos cinco músculos serão correlacionadas com todas as outras características estudadas, utilizado correlação simples de Pearson, pelo procedimento CORR.

Ver detalhes do projeto

  Wignez Henrique      Apta Regional / IZ

Avaliação da Sustentabilidade de Sistemas de Produção da Cana-de-açúcar no Estado de São Paulo: Uma proposta metodológica e de modelo conceitual ? SustenAgro

n° SGP 1112

A sustentabilidade atualmente figura como item fundamental para conferir competitividade às cadeias agropecuárias. E quanto mais competitiva a cadeia, maiores são as barreiras não tarifárias impostas pelos competidores nacionais e internacionais. Cada vez mais clientes, consumidores, governos, legislação, comércio internacional e mídia exercem fortes pressões sobre os elos das cadeias de produção agropecuária. Para reagir a essas pressões, devem-se lançar mãos de ferramentas atualmente disponíveis como: implementação de sistemas de gestão de qualidade no campo, boas práticas agrícolas, organização das propriedades e dos elos da cadeia, busca por certificação e rastreabilidade. Essas ferramentas servem para reunir evidências de que os processos estão seguindo normas e regras compatíveis com os requisitos da sustentabilidade. Assim torna-se possível a transposição de barreiras não tarifárias e com isso o suprimento da demanda dos clientes finais, cada vez mais preocupados com a origem dos produtos que adquirem. O presente projeto tem por objetivo desenvolver uma Metodologia, intitulada Método SustenAgro, para a avaliação da sustentabilidade de sistemas de produção com grande expressividade para a agricultura nacional: a priori a cana-de-açúcar. Para testar a sua aplicabilidade para a avaliação da sustentabilidade de modo geral serão realizados testes para sua aplicação nos sistemas de produção mais representativos de cana-de-açúcar no estado de São Paulo.

Ver detalhes do projeto

  Sérgio Alves Torquato      Apta Regional / IEA

Avaliação da prevalência e combate da brucelose e tuberculose em bovinos de corte da Fazenda do Estado, PRDTA do Extremo Oeste

n° SGP 1111

A brucelose e tuberculose bovinas, enfermidades de caráter crônico, causadas pelas bactérias Brucella abortus e Mycobacterium bovis, respectivamente, constituem um importante problema de sanidade animal provocando prejuízos econômicos na exploração pecuária devido às perdas diretas na produção e na reprodução, além das restrições impostas à comercialização de produtos de propriedades, regiões ou países onde não são controladas. Além disso ambas as enfermidades são infecções naturalmente transmitidas dos animais ao homem podendo determinar infecções crônicas de difícil tratamento e ocasionalmente fatais. No Brasil, o Programa Nacional de Controle e Erradicação da Brucelose e Tuberculose Animal (PNCEBT) foi estabelecido com o propósito de padronizar e garantir a qualidade das ações profiláticas, de diagnóstico, de saneamento de rebanhos e vigilância sanitária ativa relacionadas ao combate da brucelose e tuberculose de bovinos e bubalinos. (A Instrução Normativa Ministerial nº 2/2001 instituiu e a Instrução Normativa SDA nº 6/2004 aprovou o regulamento técnico). O diagnóstico da situação real da ocorrência destas enfermidades, seu impacto na produtividade e a avaliação de medidas racionais de controle carecem de resultados científicos que possam ser transferidos na forma de ações executáveis em nível de propriedade rural. O projeto proposto pretende verificar anualmente a prevalência das enfermidades no rebanho pertencente ao do PRDTA Extremo Oeste, do Departamento de Descentralização do Desenvolvimento, da Agência Paulista de Tecnologia dos Agronegócios (APTA), da Secretaria de Agricultura e Abastecimento do Estado de São Paulo, e diante das informações obtidas desenvolver programa sanitário para o controle e/ou erradicação das enfermidades. Os testes sorodiagnósticos para brucelose e a realização e interpretação do teste tuberculínico estão descritos no Regulamento Técnico do Programa Nacional de Controle e Erradicação da Brucelose e Tuberculose Animal (BRASIL, 2001).

Ver detalhes do projeto

  Vera Cláudia Magalhães Curci      Apta Regional / IB

RNA-seq para identificação e validação de genes diferencialmente expressos relacionados ao comportamento higiênico em abelhas Apis mellifera africanizadas

n° SGP 1107

Além de defesas mecânicas, fisiológicas e imunológicas individuais que insetos sociais como as abelhas A. mellifera apresentam contra patógenos, existem alguns comportamentos de grupo que podem limitar que doenças se estabeleçam em tais organismos, dentre os quais o comportamento higiênico - mais recentemente considerado uma das formas de “imunidade social”. O comportamento higiênico em abelhas Apis mellifera pode ser definido como a habilidade que as abelhas apresentam para detectar e desopercular células contendo crias doentes ou mortas e removê-las do ninho e vem sendo considerado importante mecanismo de defesa natural a diversas doenças já há algumas décadas. Assim, a resistência a doenças em abelhas A. mellifera é uma característica que está diretamente relacionada com o comportamento higiênico ou de limpeza da colônia, uma vez que, quanto menos foco de infecção existe na colônia, mais sadias estão as abelhas. Embora estudado há anos, há ainda questões a serem esclarecidas quanto à determinação do comportamento higiênico em abelhas e técnicas moleculares modernas como estudo de transcriptoma  pode ser ferramenta bastante útil na otimização da busca de tais conhecimentos, uma vez que tal característica comportamental pode apresentar plasticidade etária, além de ser altamente poligênica.

Constata-se que falta à apicultura brasileira, a exemplo de outros países, investimentos voltados para programas de melhoramento genético nesta área da ciência, cujo embasamento conta hoje com poderosas ferramentas genômicas, que podem garantir o sucesso de tais programas, com economia de tempo e de mão de obra de tais testes em campo. Especificamente no caso de comportamento higiênico, pode ser possível a identificação de alguns locos específicos e, assim, se efetuar a seleção assistida por marcadores, que pode ser o passo inicial para o desenvolvimento de novos estudos que, no futuro, possibilitem a implementação da seleção genômica nessa espécie. Saliente-se ainda a importância de buscarmos alternativas para obtenção de linhagens de abelhas resistentes a doenças como estratégia que se opõe ao uso de medicamentos, garantindo assim a isenção de resíduos em produtos apícolas e aumento de efetivo de polinizadores. Fica claro a importância de estudos que aprofundem os conhecimentos da base genética que desencadeia tal comportamento, buscando, por meio de ferramentas genômicas, a obtenção de linhagens resistentes. Este trabalho tem como objetivos identificar, de forma inédita, genes relacionados ao comportamento higiênico em abelhas A. mellifera por meio de técnica de RNA-seq, evidenciando a validação da técnica por meio de qRT-PCR e análise de expressão de tais genes em tecido específico, a despeito das diferenças de tecnologias, as quais podem ser complementares. Pretende-se ainda disponibilizar os conhecimentos gerados para aplicação à seleção assistida por marcadores, contribuindo para elevação de produtividade dos apicultores não apenas do Estado de São Paulo, mas de todo o país, por meio de disponibilização e difusão por parte de Instituição Pública de Pesquisa de São Paulo, de rainhas selecionadas e melhoradas para característica de resistência a doenças, de forma a evitar o uso de quimioterápicos e seus resíduos em produtos apícolas ou gerar resistência pelas abelhas.

OBS: 1) Bolsa a ser pleiteada junto à Fapesp após anuência Institucional para o período de seis meses, de agosto de 2016 a janeiro de 2017: modalidade BPE (Bolsa de Pesquisa no Exterior); todos os insumos e custos analíticos envolvidos na pesquisa serão viabilizados pelos colaboradores. 

2) Todo o processo seletivo já foi finalizado e aprovado junto à Iowa State University (ISU), conforme documentos anexados, incluindo emissão do documento DS 2019 (certificado de elegibilidade e clearance para o visto J1)  para agendamento da entrevista junto ao Consulado Americano, além do SEVIS I-901 do Departamento de Segurança Americano (taxas já pagas pela ISU, vide anexo), bem como atendimento à fluência na língua inglesa (Declaração de entrevista oral anexa).

Ver detalhes do projeto

  Érica Weinstein Teixeira      Apta Regional / IZ

Avaliação do valor econômico de matrizes suínas de diferentes genótipos

n° SGP 1093

A evolução na produção e na produtividade suinícola das últimas décadas está fortemente vinculada aos avanços no melhoramento genético, na nutrição e na sanidade. O alto padrão exigido para a carne suína impulsiona os cientistas e a indústria para trabalharem concomitantemente com o objetivo do aprimoramento dos sistemas produtivos e das tecnologias envolvidas na produção, bem como a melhoria nos padrões de abate do animal, atendendo assim tanto a demanda tecnológica do complexo agroindustrial quanto às exigências dos consumidores.

Fatores genéticos e não genéticos influenciam a qualidade da carne. Entre os não genéticos, podem ser citadas as condições da granja, do transporte, do abate e do processamento (DE VRIES et al., 2000). A importância dos fatores genéticos pode ser verificada através de diferenças substanciais de herdabilidade entre e dentro de raças. A herdabilidade para a maioria das características da carne suína varia de 0,15 a 0,50 (SELLIER, 1998).

O tipo de produto que se deseja obter com a produção de suínos, ou seja, o mercado consumidor alvo é quem direciona a escolha do material genético que será usado, porque determinados genes herdados contribuem para a qualidade dos produtos obtidos após o abate, devendo-se, por isso, considerar as diferenças genéticas existentes entre raças, reprodutores e linhagens disponíveis no mercado.

Neste contexto a utilização de reprodutores de alto valor genético tem contribuído para o atendimento desta demanda por melhores animais que atendam às necessidades de qualidade de consumidores, tanto frigoríficos, entreposto de carnes e indústrias processadoras quanto do consumidor final. A utilização de suínos comerciais de alto potencial genético é importante para a obtenção de progênies que apresentem carcaças magras, com maior quantidade e qualidade da carne.

Ver detalhes do projeto

  SIMONE RAYMUNDO DE OLIVEIRA      Apta Regional / IZ

INDICADORES DE SUSTENTABILIDADE EM TRÊS SISTEMAS DE PRODUÇÃO DO CAMARÃO-DA-AMAZÔNIA Macrobrachium amazonicum PARA O MERCADO DE ISCAS VIVAS

n° SGP 1092

O presente trabalho objetiva avaliar o desempenho produtivo e a sustentabilidade econômica e ambiental de três sistemas de produção (tanques-rede em monocultivo, tanques de polietileno “in door”, e viveiro em mono e policultivo com lambaris Astyanax altiparanae) de camarões de água doce Macrobrachium amazonicum direcionados para o mercado de iscas vivas, por meio de três experimentos a serem realizados em três anos consecutivos. Em cada sistema serão testados diferentes tratamentos para avaliação do mais eficiente para cada um. No primeiro experimento, 15 tanques-rede com 200 L de volume serão colocados em um viveiro de 40 m2 em monocultivo, sendo povoados na densidade de 80 PL / m2 de tanque-rede contendo substratos para aumentar a área útil utilizada pelos camarões. Os tratamentos testados consistirão na porcentagem de substrato a ser adicionado em relação à área já disponível nos tanques-rede (fundo e paredes): a) aumento de 90% na área de substrato disponível; b) aumento de 150% e c) aumento de 180%. No segundo experimento, 15 tanques de polietileno de 500 L cada serão povoados com PLs de M. amazonicum na densidade de 80 PL / m2, considerando a área do fundo dos tanques. Os tratamentos testados serão: a) cultivo com renovação de água na proporção de 10% ao dia; b) cultivo com renovação de água na proporção de 20% ao dia; c) cultivo em água recirculante com filtro biológico externo. No terceiro experimento, 15 viveiros com 16 m2 e 1 m de profundidade média cada serão povoados com PLs na densidade de 80 / m2. Os tratamentos testados serão: a) monocultivo; b) policultivo com lambaris em tanques-rede na densidade de 25 peixes / m3 (400 peixes / viveiro); c) policultivo na densidade de 50 peixes / m3 (800 peixes / viveiro). O desempenho produtivo dos camarões e dos lambaris será avaliado pelos principais indicadores zootécnicos (sobrevivência, peso e comprimento médios individuais, biomassa, taxa de crescimento específico - SGR e taxa de eficiência alimentar aparente - FCE). A comparação estatística será feita através de ANOVA seguida do teste de Tukey ou, caso necessário, através de uma análise não paramétrica. A viabilidade econômica será determinada pelos indicadores mais comuns usados na análise econômica de projetos zootécnicos: Período de Retorno de Capital (PRC), Valor Presente Líquido (VPL), Taxa Interna de Retorno (TIR), Relação Benefício Custo (RBC) e Ponto de Equilíbrio (PE). Os indicadores de sustentabilidade ambiental a serem comparados entre os três sistemas serão o uso dos principais recursos naturais (nitrogênio, fósforo, água e espaço) utilizados para a produção de camarões e, no caso do experimento 3, camarões e lambaris.

 

Ver detalhes do projeto

  Helcio Luis de Almeida Marques      Apta Regional / IP

AVALIAÇÃO QUANTITATIVA DO POTENCIAL DA SERICINA COMO ANTIMICROBIANO CONTRA STAPHYLOCOCCUS AUREUS E ANTISSÉPTICO NA SUPERFÍCIE DOS TETOS DE VACAS LEITEIRAS NO PÓS-DIPPING.

n° SGP 1079

O mercado consumidor, da maioria dos países, está muito preocupado com resíduos de medicamentos químicos e agroquímicos encontrados no leite, utilizados para o tratamento e prevenção de mastite. O objetivo deste trabalho será investigar o potencial antibacteriano de um produto natural, a sericina, obtido por degomagem de casulo de bicho-da-seda sobre as cepas de Staphylococcus aureus, bem como determinar seu potencial antisséptico para uso na superfície de tetos da glândula mamária. As amostras de casulo serão produzidas na Unidade de Pesquisa e Desenvolvimento – Gália (UPD/Gália), do Polo Regional de Desenvolvimento Tecnológico dos Agronegócios do Centro Oeste (PRDTA/Centro Oeste) e a sericina será isolada no Laboratório de Bioquímica de Proteínas e Peptídeo,   da área de Sanidade Animal do Instituto Biológico. No laboratório de bacteriologia animal do PRDTA/ Centro Oeste será utilizada uma cepa padrão de S.aureus ATCC 25923 e Escherichia coli 25922 para se testar a possível ação antimicrobiana inibitória da sericina  através da formação de  halos de inibição em  mm. A busca de uma alternativa para produzir alimentos livres de produtos químicos colocará  em destaque a sericina como uma alternativa ecológica para o manejo de higiene pré e pós-imersão dos tetos de bovinos leiteiros. Essa técnica poderá ser útil e viável para prevenção da mastite bovina e, também, como estratégias para minimizar a disseminação de resistência antimicrobiana, através do uso de um produto orgânico na produção de leite, o que para a saúde pública e animal é uma prioridade em escala internacional.

Ver detalhes do projeto

  Luiz Florêncio Franco Margatho      Apta Regional / IB

Determinação das exigências de energia e proteína para ganho de peso de ovinos de diferentes grupos genéticos

n° SGP 1077

Serão determinadas as exigências de energia e proteína líquidas para ganho de peso de borregas puras das raças Dorper (D), Texel (T), Ile de France (I) e Santa Inês (S) e cruzadas ½ D + ½ S (DS), ½ T + ½ S (TS) e ½ I + ½ S (IS), da Fase I (Tabela 1), nascidas em 2013. Serão utilizadas vinte e quatro fêmeas de cada grupo genético, desmamadas aos 90 dias de idade e confinadas. Após período de adaptação de 28 dias os animais da linha base serão abatidos e os demais alimentados em três diferentes níveis de ingestão até o  peso médio de 35kg, quando serão abatidos para posterior determinação da composição química do corpo vazio de todos os animais. Com esses dados serão realizados os cálculos da exigênica nutricional.

Esse projeto faz parte do Projeto Temático Fapesp: "Estratégias de cruzamento e de manejo para otimizar o desempenho materno e reprodutivo de ovelhas de corte, para a produção de carne e de couro ovinos de qualidade, na região Sudeste" coordenado por Dr. Maurício Mello de Alencar - Embrapa Pecuária Sudeste, dentro do Plano de Ação 7: “Determinação das exigências nutricionais para mantença e ganho de peso de borregas de diferentes grupos genéticos”. Vide comprovante anexo. As atividades desse projeto não ocupa mais que 20% do meu tempo.

Ver detalhes do projeto

  Gabriela Aferri      Apta Regional / IZ

INDICADORES DE SUSTENTABILIDADE NO POLICULTIVO DE CAMARÕES DE ÁGUA DOCE MacrobrachiumrosenbergiiE LAMBARIS Astianaxaltiparanae

n° SGP 1073

O projeto será desenvolvido em dois anos consecutivos no Setor de Aquicultura do Polo Regional do Vale do Paraíba – APTA Regional, Pindamonhangaba (SP), utilizando 16 viveiros com 16 m2 cada.O objetivo será avaliar o desempenho produtivo e a sustentabilidade econômica e ambiental de dois sistemas de produção de camarões de água doce Macrobrachium rosenbergii em policultivo com lambaris Astyanax altiparanae.No Sistema 1 (primeiro ano do projeto), os lambaris serão confinados em tanques rede (TR) e os camarões serão cultivados livremente nos viveiros, nos seguintestratamentos:  A - Monocultivo de lambaris em TR na densidade de 50m-3 de viveiro; B – Monocultivo de camarões no viveiro, na densidade de 10m-2 de viveiro; C - Policultivo de lambaris em TR a 50 m-3 e camarões livres a 10 m-2 e D – Policultivo de lambaris em TR a 25m-3 e camarões livres a 10 m-2. No Sistema 2 (segundo ano do projeto), os lambaris e os camarões serão cultivados livremente no viveiro, nos seguintes tratamentos: A - Monocultivo de lambaris na densidade de 50 m-3 de viveiro; B – Monocultivo de camarões na densidade de 10 m-2 de viveiro; C - Policultivo de lambaris a 50 m-3 e camarões a 10 m-2 e D – Policultivo de lambaris a 25 m-3 e camarões a 10 m-2. Cada experimento terá a duração de 150 dias eserá utilizada uma ANOVA para testar os indicadores propostos. Os parâmetros zootécnicos a serem avaliados serão: sobrevivência, peso e comprimento médios individuais, biomassa, taxa de crescimento específico (SGR) e taxa de eficiência alimentar aparente (FCE). A sustentabilidade ambiental será medida pelaquantidade e eficiência do uso dos recursos nitrogênio, fósforo, água e espaço, além da avaliação sanitária dos animais cultivados.A sustentabilidade econômica será avaliada pelos indicadores econômicoscomumente utilizados na literatura para essa finalidade.

Ver detalhes do projeto

  Sergio Henrique Canello Schalch      Apta Regional / IP

Efeitos de imunossupressores sobre a eficiência de transplantes de células germinativas

n° SGP 1072
A técnica de reprodutores substitutos permite a geração de gametas alógenos pelo transplante de células germinativas indiferenciadas de um doador para as gônadas de uma espécie hospedeira distinta. Esta ferramenta pode ser aplicada para conservação de espécies ameaçadas de extinção ou na produção de espécies comerciais que demandam muito tempo e esforço para produção. Proles já foram obtidas a partir de transplantes de células germinativas em reprodutores substitutos alogênicos e xenogênicos, no entanto, as baixas taxas de gametas derivados do animal doador tem limitado o estabelecimento deste método como uma tecnologia de produção eficiente com aplicação numa escala comercial. Acredita-se que um processo de rejeição, não só em adultos, mas também em embriões, que possuem sistema imunológico imaturo, seja responsável por essa baixa eficiência e que, portanto, estaria restringindo a colonização, proliferação e diferenciação das células germinativas transplantadas. A imunossupressão no organismo hospedeiro, muito utilizada em transplantes de órgãos ou tecidos em humanos, poderia ser uma forma de aumentar a eficiência na colonização das células transplantadas. A utilização de drogas imunossupressoras levaria à redução ou bloqueio de mecanismos de ativação ou proliferação de células do sistema imunológico, evitando dessa forma a rejeição imunológica no organismo hospedeiro. No entanto as drogas imunossupressoras geralmente utilizadas no controle da rejeição de transplantes de órgãos, no tratamento de doenças autoimunes ou no tratamento de câncer possuem diversos efeitos colaterais que podem causar danos teciduais se utilizadas em altas doses. Em peixes, estudos sobre os efeitos destas drogas é escasso e quando disponível está limitado a pouquíssimas espécies. Baseado nas considerações acima descritas, este trabalho visa avaliar o efeito da utilização de drogas imunossupressoras sobre a eficiência dos transplantes de células germinativas usando dois salmonídeos como modelo. Para tanto será verificado inicialmente (1) as alterações sobre mecanismos de resposta na imunidade e gametogênese. Em seguida (2) serão avaliados os efeitos da imunossupressão sobre a colonização, proliferação e diferenciação das células germinativas transplantadas.
OBS: Projeto submetido ao CNPq chamada Universal 01-2016 – FAIXA B – Até R$ 60.000,00
Ver detalhes do projeto

  Yara Aiko Tabata      Apta Regional / IP

Avaliação de cultivares de pêssego sob irrigação na região do Médio Paranapanema.

n° SGP 1047

A fruticultura destaca-se com uma das alternativas que permite obter uma rentabilidade maior para o produtor rural vis-à-vis as culturas da cana-de-açúcar, soja e milho, contribuindo para a sua manutenção no campo. Entretanto, ainda são poucas as informações técnicas acerca do desempenho de frutíferas de clima temperado na região. Será implantado um experimento com pêssego em condição de irrigação localizada por gotejamento. Para tanto, serão plantadas 5 cultivares, enxertadas sobre o porta-enxerto Okinawa, no espaçamento de 5,0m x 3,0m. O delineamento experimental será em blocos casualizados completos, com 5 cultivares e 4 repetições, perfazendo um total de 20 parcelas. A dimensão das parcelas será de 5m de largura por 12m de comprimento, com 4 plantas por parcela. Serão instalados 3 tensiômetros para monitoramento semanal da umidade do solo, nas profundidades de 20cm, 40cm e 60cm. Dados de radiação solar, velocidade do vento, temperatura, umidade do ar e precipitação, coletados por meio da estação meteorológica automática instalada na área, serão utilizados no cálculo da evapotranspiração de referência por Penman-Monteith e no cálculo do balanço de água no solo, conforme Allen et al. (1998). Serão realizadas análises de fertilidade química do solo nas camadas de 0-20, 20-40 e 40-60 cm antes e após a implantação do experimento. A correção do solo, as adubações e as práticas culturais seguirão as recomendações do IAC. Serão realizadas avaliações periódicas no experimento quanto a: Crescimento e fenologia; Produção e rendimento de polpa do primeiro ano; Desenvolvimento vegetativo; O primeiro ano será destinado à formação, condução e acompanhamento. A partir do segundo ano começa a fase produtiva, quando serão avaliados dados relacionados à produção, qualidade de frutos e monitoramento de doenças. A partir das primeiras colheitas, será realizada análise sócio-econômica das atividades, ressaltando custo de produção, rentabilidade e a viabilidade do sistema de irrigação empregado.

Ver detalhes do projeto

  SERGIO DONÁ      Apta Regional / IAC

Condução de maracujazeiro amarelo pé-franco e enxertado

n° SGP 1044

CONDUÇÃO DE MARACUJAZEIRO-AMARELO PÉ FRANCO E ENXERTADO

Caracterização do problema:

O Brasil destaca-se como o principal produtor mundial de maracujá, entretanto, a nossa produtividade é baixa, em torno de 14,84 t/ha, devido principalmente a ocorrência de problemas fitossanitários, práticas inadequadas de calagem e adubação e manejo inadequado da lavoura.

A morte prematura de plantas, provocada pela associação de fungos de solo, nematóides e bactéria, tem-se constituído em um dos principais problemas para a cultura no Brasil. Uma das alternativas para o controle desse problema é a utilização de porta-enxertos resistentes (CHAVES et al, 2004, SILVA et al., 2005, CAVICHIOLI et al., 2009). Várias espécies de passifloras nativas vêm apresentando resistência a essas doenças (CHAVES et al., 2004), destacando-se entre elas o Passiflora gibertii (OLIVEIRA et al., 1984, RONCATTO et al., 2004, CAVICHIOLI et al., 2009).

Plantas enxertadas têm desenvolvimento diferente de plantas pé-franco (CAVICHIOLI et al., 2011). Assim, a condução da planta é um importante fator a ser considerado em um sistema de produção, podendo interferir na eficiência técnica e econômica de uma cultura. As práticas culturais realizadas na cultura do maracujazeiro são de fundamental importância para que a planta evidencie aumento de produtividade e melhor qualidade de fruto. Por se tratar de uma planta trepadeira, o maracujazeiro necessita de suporte para proporcionar a boa distribuição dos ramos e garantir a produção de frutos (Lima et al., 2002).

Nos sistemas comerciais são utilizados a espaldeira vertical com mourões e estacas de 2,5 de comprimento, espaçados de 4 a 6 m e com 1 ou 2 fios de arame liso. Na formação da lavoura recomenda-se deixar apenas o ramo mais vigoroso, eliminando-se todos os ramos laterais, que será conduzido por um tutor até o fio de arame (Lima et al., 2002). Posteriormente, esses brotos deverão ser despontados para forçar o desenvolvimento das gemas laterais que formarão os ramos produtivos.

Objetivo

 Considerando que o uso da enxertia tem apresentado resultados satisfatórios no cultivo do maracujazeiro, mas por tratar-se de uma prática relativamente recente na cultura, que ainda está muito pouco incorporada nos plantios comerciais, devido a falta de informações como taxas de pegamento, vigor e desenvolvimento das plantas no campo e tolerância às doenças dos porta-enxertos este trabalho tem por objetivo avaliar diferentes sistemas de condução sobre o desenvolvimento e a produtividade de plantas de maracujazeiro-amarelo pé franco e enxertadas.

Metodologia

Serão realizados dois experimentos, um utilizando-se plantas enxertadas e outro com plantas sem enxerto (pé-franco). O experimento nº 1 foi instalado no mês de outubro de 2015 e está sendo conduzido em uma propriedade na Estrada 14, município de Adamantina. O experimento 2 (plantas enxertadas) será conduzido no município de Pracinha-SP,  na região da Nova Alta Paulista, no período de 2016 a 2018. Serão utilizados plantas de maracujazeiro-amarelo (Passiflora edulis Sims) enxertadas sobre o maracujazeiro-de-veado (Passiflora gibertii N.E. Brown), adotando-se o delineamento estatístico em blocos ao acaso, com quatro tratamentos e seis repetições. Será adotada a enxertia hipocotiledonar por garfagem tipo fenda cheia. Os tratamentos serão constituídos de diferentes conduções dos ramos secundários: T1 - Eliminação do ponteiro e condução de dois ramos secundários, T2 - Eliminação do ponteiro e condução de um ramo secundário, T3 - Dobramento do ponteiro e condução com um ramo secundário e T4 - Dobramento do ponteiro e condução com dois ramos secundários. Serão avaliados o comprimento dos ramos secundários, o número de ramos terciários, número de frutos, diâmetro longitudinal de frutos, diâmetro transversal de frutos, massa de frutos e produtividade.

Palavras-chave: maracujazeiro amarelo, enxertia, condução, morte prematura de plantas.

 

Ver detalhes do projeto

  José Carlos Cavichioli      Apta Regional / IAC

Avaliação de diferentes porta-enxertos na videira niagara rosada cultivada na região do Médio Paranapanema.

n° SGP 1042

 Na região do Médio Paranapanema a estrutura fundiária regional concentra-se nos estratos de até 100ha, e a maioria das pequenas propriedades rurais da região tem no cultivo da soja e/ou milho a base principal de suas atividades, o que não favorece a escala de produção que constitui-se num fator preponderante para a viabilidade desse tipo de empreendimento agrícola. Isso requer, portanto, que se desenvolvam alternativas para diversificação do setor agrícola regional. A fruticultura destaca-se como uma das alternativas que permite obter uma rentabilidade maior para o produtor rural entretanto, ainda são poucas as informações técnicas acerca do desempenho de frutíferas de clima temperado na região.. Será implantado um experimento com porta-enxertos de uva, em condição de irrigação localizada por gotejamento. O experimento será implantado com copa de uva niagara, enxertada em 5 porta-enxertos diferentes, no espaçamento de 2,5m x 1,0m. O delineamento experimental será em blocos casualizados completos, com 5 tratamentos (porta-enxertos) e 8 repetições, perfazendo um total de 40 parcelas. Serão realizadas avaliações periódicas quanto a: Crescimento e fenologia; Desenvolvimento vegetativo; O primeiro ano será destinado à formação, condução e acompanhamento do parreiral. A partir do segundo ano começa a fase produtiva, quando serão avaliados dados relacionados à produção, qualidade de frutos e monitoramento de doenças. A partir das primeiras colheitas, será realizada análise sócio-econômica das atividades, ressaltando custo de produção, rentabilidade e a viabilidade do sistema de irrigação empregado.

Ver detalhes do projeto

  SERGIO DONÁ      Apta Regional / IAC

Manejo ecológico de plantas de cobertura para o controle da vegetação espontânea em plantio direto de hortaliças

n° SGP 1040

O manejo conservacionista do solo para o cultivo de lavouras comerciais envolve métodos de revolvimento mínimo do solo ou plantio direto, manutenção permanente de cobertura do solo e rotação de culturas, medidas tais que proporcionam diversos benefícios ambientais, reduzem custos de produção e melhoram a fertilidade do solo e o rendimento das culturas. As plantas de cobertura são tradicionalmente utilizadas para rotação de cultura e formação de palha no solo para realização de plantio direto com qualidade. Um momento importante para o sucesso do plantio direto é o instante do acamamento da planta de cobertura para formação de palha na superfície. Usualmente, nesse momento, o agricultor faz uso de herbicidas para matar a planta de cobertura. Entretanto, observa-se aumento considerável de produtores que querem eliminar, ou mesmo reduzir o uso de insumos químicos em suas lavouras, fato que leva a necessidade de geração de tecnologias para matar as plantas de cobertura sem uso de herbicidas. Dessa forma a proposta do projeto é de avaliar espécies de plantas de cobertura, tanto de primavera/verão quanto de outono/inverno, factíveis de morte com ação do ‘rolo faca’ sem necessidade de herbicida. Para termos contraste no experimento, os tratamentos também receberão aplicação do herbicida glifosato após o acamamento das plantas de cobertura. Contudo, tanto para o experimento de primavera/verão quanto para o de outono/inverno o delineamento experimental será de blocos casualizados e os tratamentos estarão delineados em parcela subdividida com fator principal as plantas de cobertura (5) e secundário com e sem a aplicação de herbicida (2) em quatro repetições. Para isso, estudar-se-á a eficiência dessas espécies em vigor de crescimento, controle por competição com o estabelecimento e crescimento da vegetação espontânea, produção de massa seca para a formação da palha na superfície do solo e o estabelecimento e a interferência da vegetação espontânea no cultivo das hortaliças. Dessa maneira, disponibilizaríamos tecnologia ecológica para formação de palha na superfície do solo e controle da vegetação espontânea para o cultivo de hortaliças em plantio direto sem uso de herbicidas.         

Ver detalhes do projeto

  Roberto Botelho Ferraz Branco      Apta Regional / IAC

PRODUTIVIDADE DE MILHO EM SISTEMA INTEGRADO DE PRODUÇÃO AGROPECUÁRIA

n° SGP 1037

Como maneira de intensificar o uso das terras com maior rendimento por área o sistema agrossilvipastoril, tem sido empregado nas propriedades rurais no sudoeste paulista, associando as árvores aos cultivos agrícolas para produção simultânea de culturas florestais e agrícolas e também pastagens. A integração de árvores e cultivos agrícolas pode resultar numa utilização mais eficiente de água, nutrientes e radiação solar do que, geralmente, é possível em monocultivos florestais ou agrícolas (BENE et al., 1977). A cultura do milho devido á simplicidade de condução e amplitude de utilização diante de diversidades climáticas é particularmente uma cultura interessante para a formação de sistemas consorciados com florestas. No Brasil a cultura do milho (zea mays) é de grande importância para o agronegócio, sendo base de sustentação para a pequena propriedade, e é considerada no complexo agroindustrial um dos principais insumos existentes. Adotar sistemas como silviagrícola, melhora a capitalização do pequeno produtor podendo o mesmo aproveitar o tempo, devido á diversidade de culturas envolvidas no sistema.

Ver detalhes do projeto

  CRISTINA MARIA PACHECO BARBOSA      Apta Regional / IZ

ALTERNATIVAS PARA AMPLIAÇÃO DA RENDA DA CAFEICULTURA NO ESTADO DE SÃO PAULO: CONSÓRCIO DE CAFEEIRO ARÁBICA (Coffea arabica L.) E NOGUEIRA-MACADÂMIA (Macadamia integrifolia Maiden & Betche)

n° SGP 1034

Anualmente, aproximadamente 7.000 hectares de cafeeiro são erradicados no Estado de São Paulo. O consórcio do café (Coffea arabica L.) com nogueira-macadâmia (Macadamia integrifolia Maiden & Betche) tem se mostrado benéfico à cultura, como redução na incidência de ventos e na temperatura máxima do ar. Esse sistema produtivo permite ao agricultor uma renda adicional proveniente da segunda cultura, o que o torna favorável. Assim, áreas ocupadas por cafezais com prognóstico de erradicação podem oferecer oportunidade de instalação de cultivos consorciados, provisórios ou permanentes, ampliando a renda dos produtores no Estado. Entretanto, não existem estudos de como se pode promover essa implantação do consórcio em lavouras de café pré-existentes. Quando plantados ao mesmo tempo, considerando o uso de colheitas manuais, o consórcio de café com a nogueira-macadâmia se mostrou economicamente mais eficiente que os cultivos solteiros, nos anos iniciais, oferecendo uma alternativa de ampliação de renda, principalmente aos pequenos cafeicultores. Contudo, nos últimos anos, até mesmo os pequenos produtores necessitaram mecanizar suas colheitas. Nesse aspecto, abriu-se uma lacuna sobre estudos da viabilidade do consórcio de café com a nogueira-macadâmia em sistemas totalmente mecanizados. Para elucidar as questões abordadas, instalaram-se dois experimentos. O experimento I foi instalado em julho de 2015, no município de Dois Córregos-SP, em uma área com cultivos de café solteiro e consorciado com nogueira-macadâmia, de 9 anos de idade. O experimento é conduzido totalmente em condição irrigada, é composto por seis tratamentos, mais testemunha, ou seja, café consorciado com seis variedades de nogueira-macadâmia (IAC 9-20, IAC 4-12B, IAC 4-20, HAES 660, HAES 816, e HAES 344) e café solteiro, instalado em delineamento inteiramente casualizados, com cinco repetições. Esse tem o objetivo de avaliar se o sistema consorciado, em fase adulta, oferece vantagens fitotécnicas econômicas sobre o cultivo solteiro, nas condições de colheita mecanizada. E também, avaliar qual dentre as variedades de nogueira-macadâmia tem características mais desejáveis ao consórcio em cultivo totalmente mecanizado, em idade “adulta”. O experimento II foi instalado em outubro de 2014 no município de Gália-SP, com o objetivo de estudar formas de substituição de lavouras de café ineficientes por cultivos consorciados de café-macadâmia viáveis. Nesse, o delineamento foi o de blocos casualizado, com 4 repetições e 6 tratamentos: 1 – eliminação de um cafeeiro e plantio da nogueira-macadâmia em sua cova; 2 – plantio da nogueira-macadâmia entre dois cafeeiros recepados, a 40 cm; 3 – plantio da nogueira-macadâmia entre dois cafeeiros esqueletados, a 30 cm; 4 – plantio da nogueira-macadâmia entre dois cafeeiros que não sofrerão interferência; 5 – nogueira-macadâmia solteira, plantada em área de café erradicado e 6 – café solteiro. Em ambos os experimentos serão avaliados: altura da planta, diâmetro da copa e diâmetro do tronco das plantas de macadâmia, número de nozes por planta, produção de nozes por planta e produção de amêndoas por área nas nogueiras-macadâmia e altura, diâmetro do tronco e produtividade dos cafeeiros. Os dados serão analisados com o auxílio do programa estatístico SAS (2003) e as médias comparadas pelo teste de Tukey a 5% de probabilidade. Em ambos os experimentos, todos os valores de entrada e saída de recursos serão registrados e, considerando-se os custos de produção e receitas brutas obtidas, far-se-á um comparativo entre as receitas líquidas, apurando-se o tratamento de maior viabilidade.Anualmente, aproximadamente 7.000 hectares de cafeeiro são erradicados no Estado de São Paulo. O consórcio do café (Coffea arabica L.) com nogueira-macadâmia (Macadamia integrifolia Maiden & Betche) tem se mostrado benéfico à cultura, como redução na incidência de ventos e na temperatura máxima do ar. Esse sistema produtivo permite ao agricultor uma renda adicional proveniente da segunda cultura, o que o torna favorável. Assim, áreas ocupadas por cafezais com prognóstico de erradicação podem oferecer oportunidade de instalação de cultivos consorciados, provisórios ou permanentes, ampliando a renda dos produtores no Estado. Entretanto, não existem estudos de como se pode promover essa implantação do consórcio em lavouras de café pré-existentes. Quando plantados ao mesmo tempo, considerando o uso de colheitas manuais, o consórcio de café com a nogueira-macadâmia se mostrou economicamente mais eficiente que os cultivos solteiros, nos anos iniciais, oferecendo uma alternativa de ampliação de renda, principalmente aos pequenos cafeicultores. Contudo, nos últimos anos, até mesmo os pequenos produtores necessitaram mecanizar suas colheitas. Nesse aspecto, abriu-se uma lacuna sobre estudos da viabilidade do consórcio de café com a nogueira-macadâmia em sistemas totalmente mecanizados. Para elucidar as questões abordadas, instalaram-se dois experimentos. O experimento I foi instalado em julho de 2015, no município de Dois Córregos-SP, em uma área com cultivos de café solteiro e consorciado com nogueira-macadâmia, de 9 anos de idade. O experimento é conduzido totalmente em condição irrigada, é composto por seis tratamentos, mais testemunha, ou seja, café consorciado com seis variedades de nogueira-macadâmia (IAC 9-20, IAC 4-12B, IAC 4-20, HAES 660, HAES 816, e HAES 344) e café solteiro, instalado em delineamento inteiramente casualizados, com cinco repetições. Esse tem o objetivo de avaliar se o sistema consorciado, em fase adulta, oferece vantagens fitotécnicas econômicas sobre o cultivo solteiro, nas condições de colheita mecanizada. E também, avaliar qual dentre as variedades de nogueira-macadâmia tem características mais desejáveis ao consórcio em cultivo totalmente mecanizado, em idade “adulta”. O experimento II foi instalado em outubro de 2014 no município de Gália-SP, com o objetivo de estudar formas de substituição de lavouras de café ineficientes por cultivos consorciados de café-macadâmia viáveis. Nesse, o delineamento foi o de blocos casualizado, com 4 repetições e 6 tratamentos: 1 – eliminação de um cafeeiro e plantio da nogueira-macadâmia em sua cova; 2 – plantio da nogueira-macadâmia entre dois cafeeiros recepados, a 40 cm; 3 – plantio da nogueira-macadâmia entre dois cafeeiros esqueletados, a 30 cm; 4 – plantio da nogueira-macadâmia entre dois cafeeiros que não sofrerão interferência; 5 – nogueira-macadâmia solteira, plantada em área de café erradicado e 6 – café solteiro. Em ambos os experimentos serão avaliados: altura da planta, diâmetro da copa e diâmetro do tronco das plantas de macadâmia, número de nozes por planta, produção de nozes por planta e produção de amêndoas por área nas nogueiras-macadâmia e altura, diâmetro do tronco e produtividade dos cafeeiros. Os dados serão analisados com o auxílio do programa estatístico SAS (2003) e as médias comparadas pelo teste de Tukey a 5% de probabilidade. Em ambos os experimentos, todos os valores de entrada e saída de recursos serão registrados e, considerando-se os custos de produção e receitas brutas obtidas, far-se-á um comparativo entre as receitas líquidas, apurando-se o tratamento de maior viabilidade.

Ver detalhes do projeto

  Marcos José Perdoná      Apta Regional / IAC

Avaliação da eficácia do herbicida EXP3825 70%WG na dessecação pré-colheita da batata

n° SGP 1031

Dentre os problemas de manejo na colheita e pré-colheita da batata, as perdas provocadas pela infestação das plantas daninhas, o esfolamento da pele dos tubérculos, entre outros aspectos indesejáveis à qualidade, são fatores que exigem do produtor estratégias de manejo adequado. Neste contexto, a dessecação pré-colheita é uma das práticas de manejo essencial na produção comercial de batata-consumo, pois resulta na padronização comercial dos tubérculos quanto ao tamanho, coloração e firmeza da pele, o que confere resistência a danos mecânicos durante a colheita, transporte e beneficiamento, maior durabilidade e tempo de prateleira, permitindo maior planejamento da colheita, a fim de obter melhores preços durante a comercialização. A dessecação pré-colheita das ramas é normalmente realizada com herbicidas, utilizando-se produtos com forte ação de contato, que matam rapidamente os tecidos verdes, provocando a descoloração das folhas e o rompimento das membranas celulares horas após aplicação. A dessecação pode atuar positivamente de forma indireta na cultura impedindo a passagem de vírus das ramas e folhas para os tubérculos em áreas destinadas à produção de semente, diminuindo o contágio dos tubérculos por fungos e bactérias e uniformizando a maturação. Ressalta-se que nem todos os produtos são registrados para esta modalidade de aplicação, bem como promovem os rendimentos de colheita e proporcionam maior qualidade da batata. O presente projeto de pesquisa tem como objetivo avaliar a eficácia do herbicida EXP3825 70%WG na dessecação pré-colheita da batata e na qualidade dos tubérculos.

 

Ver detalhes do projeto

  Sally Blat      Apta Regional / IAC

Produtividade de mandioca em função do uso de calcário e adubo orgânico

n° SGP 1028

A cultura da mandioca extrai grande quantidade de nutrientes do solo e, em função disso, a presença de nutrientes em quantidades adequadas no solo favorece sua produtividade. A correção do solo e a adubação são importantes para elevação da produtividade da cultura e manutenção da fertilidade do solo. Assim, neste trabalho objetivou-se avaliar a influência do uso de calcário e de esterco de galinha poedeira sobre a produtividade e características morfológicas de raízes de mandioca, bem como sua influência sobre propriedades químicas e físicas do solo. O delineamento experimental será em blocos ao acaso e serão avaliadas produtividade e características morfológicas de raízes de mandioca (massa fresca individual, diâmetro e comprimento de raiz), bem como seus efeitos sobre propriedades químicas e físicas do solo. 

Ver detalhes do projeto

  Amarílis Beraldo Rós      Apta Regional / IAC
  Sobre

O SGP (Sistema de Gestão de Pesquisa) foi implementado em todas as unidades APTA, para centralizar o controle de todos os projetos desenvolvidos sob sua supervisão. [Ler mais]

Endereço APTA – São Paulo

Praça Ramos de Azevedo, 254, 2º andar - República, São Paulo - SP

Fone : (11) 5067-0447 e 5067-0427

  Endereço APTA – Campinas

Avenida Barão de Itapura, 1481 - Botafogo, Campinas - SP

Fone : (19) 2137-8930