Detalhes do projeto SGP 1547

Página Inicial / Busca de Projetos / Detalhes do projeto

Metarhizium anisopliae (Metsch.) Sorokin formulado em microescleródios e pó molhável, no manejo da cigarrinha-das-raízes (Hemiptera: Cercopidae) em pastagem

Coordenador(a): Marcelo Francisco Arantes Pereira

Vigência do projeto

01/12/2016 até 28/12/2017

Unidade responsável

IB, Centro de Sanidade Vegetal

Área Estratégica

entomologia

Linha de Pesquisa

Sanidade Vegetal

 

As cigarrinhas das raízes (Hemiptera: Cercopidae) são consideradas as principais pragas das pastagens, causando danos em cerca de 10 milhões de hectares de gramíneas, com prejuízos de até 90% nas pastagens. As principais espécies de cigarrinhas que atacam as pastagens são: Deois flavopicta, D. schach, Zulia entreriana e Mahanarva fimbriolata, sendo as três primeiras as mais importantes para o Centro-Sul, especialmente em pastagens de Urochloa (syn. Brachiaria) decumbens.

O controle biológico, com o fungo Metarhizium anisopliae é uma alternativa cada vez mais recomendada para o manejo da população de cigarrinhas, reduzindo-a a níveis de danos não econômicos. A recomendação de dosagem de M. anisopliae pode variar de 50 a 500g de conídios puros ha-1, sendo aplicado no início da estação chuvosa, devendo-se reaplicar visando melhores condições para atuação do fungo sobre as ninfas e adultos do inseto. Ainda, fungo entomopatogênico deve ser aplicado em pastagens com 25 a 40 cm de altura, com o objetivo de evitar a ação indesejável da radiação ultravioleta. A condição climática também é indispensável, com umidade relativa do ar acima de 60% e temperaturas de 25 a 27oC.

Entretanto, propõe-se o desenvolvimento desta pesquisa com o objetivo de avaliar a eficiência agronômica de bioinseticida a base do fungo M. anisopliae formulado em microescleródios e pó molhável, nas doses de 1,0 e 2,0 kg p.c. ha-1, no controle de ninfas de cigarrinhas das raízes.

Para tanto, será conduzido um experimento em pastagem de U. decumbens com histórico de ocorrência da cigarrinha-das-raízes, na região Noroeste do Estado de São Paulo, no período de dezembro de 2016 a abril de 2017.

O delineamento experimental será em blocos casualizados com seis tratamentos e quatro repetições. As unidades experimentais serão constituídas por área de oito metros de largura e dez metros de comprimento, totalizando 80m2.

Previamente, será efetuada amostragem para detecção de infestação e distribuição populacional da cigarrinha-das-raízes na pastagem. Posteriormente, ponderando a infestação de ninfas de cigarrinhas na área experimental, será realizada a aplicação dos produtos. Para o bioinseticida formulado em microescleródios, a aplicação deverá ser efetuada por atomizador costal motorizado, enquanto que para o bioinseticida na formulação pó molhável e o inseticida padrão tiametoxam + lambdacialotrina será utilizado pulverizador pressurizado a CO2, com barra equipada com quatro pontas de pulverização do tipo leque (XR 11003), espaçadas de 0,50m, sob pressão constante de 2,0 bar e volume de calda de 300 L ha-1.

A aplicação será conduzida no período da tarde (anoitecer), evitando radiação solar, ou seja, considerando condições climáticas (umidade relativa e temperatura) favoráveis à aplicabilidade de fungos entomopatogênicos, as quais deverão ser registradas na ocasião da aplicação.

O produto tiametoxam + lambdacialotrina (Engeo Pleno®), devidamente registrado para o controle de cigarrinha-das-pastagens, será utilizado como padrão de controle, ponderando recomendação técnica.

Em caso de reinfestação do inseto-praga na área experimental, poderá ser efetuada a reaplicação dos defensivos.

Para avaliação populacional da cigarrinha-das-raízes serão realizadas contagens quinzenais de ninfas em ponto amostral de 0,25 x 0,25m (0,0625m2) por parcela, aos 0, 15, 30, 45, 60, 75 e 90 dias após a primeira aplicação.

Os dados obtidos serão extrapolados para população de ninfas m2-1 e, submetidos à análise de variância pelo teste F e comparação de médias pelo teste de Duncan (P ≤ 0,05), utilizando o programa AgroEstat.

A porcentagem de eficiência dos defensivos no controle da cigarrinha das raízes em pastagem de U. decumbens, em relação à área sem aplicação de defensivo (testemunha), será calculada pela fórmula de Abbott (1925).

  Sobre

O SGP (Sistema de Gestão de Pesquisa) foi implementado em todas as unidades APTA, para centralizar o controle de todos os projetos desenvolvidos sob sua supervisão. [Ler mais]

Endereço APTA – São Paulo

Praça Ramos de Azevedo, 254, 2º andar - República, São Paulo - SP

Fone : (11) 5067-0447 e 5067-0427

  Endereço APTA – Campinas

Avenida Barão de Itapura, 1481 - Botafogo, Campinas - SP

Fone : (19) 2137-8930