Detalhes do projeto SGP 2138

Página Inicial / Busca de Projetos / Detalhes do projeto

Lambari Deuterodon iguape Eigenmann, 1907 como espécie nativa alternativa para aquicultura em áreas protegidas

Coordenador(a): Marcelo Barbosa Henriques

Vigência do projeto

01/02/2019 até 28/01/2021

Unidade responsável

IP, Centro de Pescado Marinho

Área Estratégica

sustentabilidade ambiental

Linha de Pesquisa

Políticas Públicas e Desenvolvimento

 

O lambari Deuterodon iguape é uma espécie endêmica de pequenos rios e riachos costeiros do estado de São Paulo. Suas possibilidades de mercado para o litoral paulista são consideradas mais amplas em relação às demais regiões, já que estudos recentes identificaram, além da possibilidade de venda como isca-viva para pesca esportiva local,  outros canais adicionais de comercialização da espécie para consumo humano, a partir de diversos equipamentos de comercialização, tais como: peixarias, bares, restaurantes, quiosques de praia, havendo inclusive demanda para utilização como peixe forrageiro em lojas de aquariofilia e aquários públicos da região. O projeto de pesquisa abordando esta espécie será dividido em quatro experimentos distintos, cujo os objetivos são: 1) Complementar o conhecimento disponível sobre a fisiologia e os fatores de produção do lambari D. iguape através do desenvolvimento de um modelo matemático que otimize a densidade ideal de estocagem em sistemas de recirculação, além da realização de um estudo econômico; 2) Determinar os efeitos subletais da espécie ao defensivo agrícola Triazol, comumente utilizado na região para a pulverização na bananicultura, através de testes de CL50, análise de toxidade no plâncton, estudo do metabolismo de rotina, comportamento natatório e parâmetros histológicos; 3) Realizar a larvicultura dessa espécie de lambari em águas oligohalinas (5, 10 e 15 g/L) para verificar a sobrevivência e posteriormente o aumento de sua resistência quando empregado como isca viva na pesca esportiva estuarina na comparação com o lambari não aclimatado; 4) Avaliar a eficiência de sua utilização como isca-viva na pesca do robalo em ambiente estuarino quando comparado a isca artificial através de testes de pescaria realizados em região estuarina.

  Sobre

O SGP (Sistema de Gestão de Pesquisa) foi implementado em todas as unidades APTA, para centralizar o controle de todos os projetos desenvolvidos sob sua supervisão. [Ler mais]

Endereço APTA – São Paulo

Praça Ramos de Azevedo, 254, 2º andar - República, São Paulo - SP

Fone : (11) 5067-0447 e 5067-0427

  Endereço APTA – Campinas

Avenida Barão de Itapura, 1481 - Botafogo, Campinas - SP

Fone : (19) 2137-8930