Detalhes do projeto SGP 2141

Página Inicial / Busca de Projetos / Detalhes do projeto

Densidade de estocagem do lambari Astyanax altiparanae em viveiros de terra para piscicultura em pequena escala em sistema semi-intensivo.

Coordenador(a): Camila Fernandes Corrêa

Vigência do projeto

01/02/2019 até 28/02/2022

Unidade responsável

DDD, Polo Regional Vale do Ribeira

IP, Centro de Pesquisa de Aquicultura

Área Estratégica

tecnologia da produção

Linha de Pesquisa

Sistemas de produção

 

A região do Vale do Ribeira, ao sul do estado de São Paulo, é conhecida por ter tido importante papel na aquicultura nacional nos anos 90, mas atualmente enfrenta dificuldade para se adequar ao novo cenário de desenvolvimento. Na região existe grande número de pisciculturas de pequeno porte, com mão-de-obra familiar, comércio local ou mesmo de subsistência. A região também é caracterizada por possuir diversas unidades de conservação ambiental, em uma das maiores áreas remanescentes de Mata Atlântica do Brasil.  Nesse cenário o lambari-do-rabo-amarelo, Astyanax altiparanae, vem surgindo como uma espécie nativa alternativa para a piscicultura em pequena escala na região. No Vale do Ribeira existe grande demanda para o uso do lambari como isca para a pesca esportiva, sendo que seu uso na culinária pode ser outro mercado em potencial. As técnicas para obtenção de formas jovens já são conhecidas e existem criações comerciais da espécie em diversas regiões do país. Entretanto, ainda há muitas lacunas em pesquisas científicas sobre as técnicas de criação a serem utilizadas, como a densidade de estocagem de lambaris em criação semi-intensiva em viveiros de terra, sem renovação de água (estático).  Na presente proposta de pesquisa serão avaliadas cinco densidades de estocagem (10, 25, 50, 75 e 100 peixes por m2) na criação do lambari da fase de juvenil (2 g) até o tamanho comercial (8 g), em viveiros de terra de 50 m2. O delineamento experimental será em blocos ao acaso com cinco tratamentos (densidades de estocagem) e quatro blocos (ciclos de produção). O período experimental estimado por ciclo é de 60 a 90 dias. Os peixes serão alimentados com ração comercial duas vezes ao dia. Serão realizadas biometrias a cada 15 dias para ajuste da alimentação em 10% da biomassa ao dia. Serão avaliados os seguintes dados de desempenho produtivo: sobrevivência, peixes produzidos por área, peso final, comprimento final, biomassa produzida por área, ganho em peso, ganho em peso diário, coeficiente de variação do comprimento. Quanto ao aproveitamento alimentar serão avaliados a conversão alimentar, eficiência alimentar, taxa de eficiência proteica e energética, taxa de retenção de proteína e de energia. Ainda serão analisadas a composição centesimal (umidade, proteína, lipídios e matéria mineral) do peixe inteiro e do peixe eviscerado sem escama, além do rendimento de carcaça do peixe eviscerado sem escama. Os parâmetros de qualidade da água serão analisados semanalmente: temperatura máxima e mínima, oxigênio dissolvido, transparência, pH, alcalinidade total, amônia, nitrito e nitrato, nitrogênio total e fósforo total. Os resultados serão divulgados em simpósios e congressos científicos, também serão publicados na forma de artigos técnicos e científicos. Com o presente estudo é esperado contribuir para o desenvolvimento sustentável da criação do lambari-do-rabo-amarelo em pisciculturas de pequena escala no Vale do Ribeira e outras regiões do país, por meio da definição da melhor densidade de estocagem do lambari para um bom desempenho produtivo.

  Sobre

O SGP (Sistema de Gestão de Pesquisa) foi implementado em todas as unidades APTA, para centralizar o controle de todos os projetos desenvolvidos sob sua supervisão. [Ler mais]

Endereço APTA – São Paulo

Praça Ramos de Azevedo, 254, 2º andar - República, São Paulo - SP

Fone : (11) 5067-0447 e 5067-0427

  Endereço APTA – Campinas

Avenida Barão de Itapura, 1481 - Botafogo, Campinas - SP

Fone : (19) 2137-8930