Detalhes do projeto SGP 1513

Página Inicial / Busca de Projetos / Detalhes do projeto

Crescimento compensatório em vieiras Nodipecten nodosus cultivadas em Caraguatatuba, estado de São Paulo.

Coordenador(a): Helcio Luis de Almeida Marques

Vigência do projeto

01/11/2016 até 28/10/2018

Unidade responsável

DDD, Polo Regional Centro Leste

IP, Centro de Pescado Marinho

Área Estratégica

tecnologia da produção

Linha de Pesquisa

Sistemas de produção

 

As vieiras são bivalves pectnídeos de grande valor comercial. No Brasil, a espécie Nodipecten nodosus se destaca por ser a maior vieira conhecida, sendo o estado de Santa Catarina o maior produtor nacional. A produção de juvenis em laboratório já está bem estabelecida, no entanto há necessidade de estudar as densidades de estocagem e o manejo do cultivo, no sentido de maximizar o crescimento e ao mesmo tempo reduzir o custo de produção. Para tal, uma estratégia interessante seria a verificação da existência do crescimento compensatório na espécie, a exemplo do que ocorre em outros organismos aquáticos, com vistas a viabilizar a estocagem em altas densidades na fase de cultivo intermediário e a utilização de altas densidades também durante parte da etapa de crescimento final. Com o presente trabalho pretende-se, em um primeiro experimento, determinar a existência de crescimento compensatório em vieiras estocadas na fase de cultivo intermediário (4 meses) em altas densidades (800, 1600 e 3200 m-2) e posteriormente transferidas para baixas densidades (50 m-2) durante a etapa de crescimento final. Em um segundo experimento será testada a manutenção de altas densidades (600, 400 e 200 animais / m2), durante os dois meses iniciais da fase de crescimento final, com posterior redução para 50 /m2. No tratamento controle (T50) desse experimento, as vieiras serão cultivadas durante toda a fase de crescimento final na densidade de 50/m2. Os dados de crescimento em altura, peso total e peso do músculo adutor serão comparados através de ANOVA. Dados de temperatura, salinidade, transparência, clorofila-a e sólidos em suspensão serão monitorados na água. Uma análise de orçamento parcial verificará a viabilidade econômica desse manejo nas densidades testadas.

  Sobre

O SGP (Sistema de Gestão de Pesquisa) foi implementado em todas as unidades APTA, para centralizar o controle de todos os projetos desenvolvidos sob sua supervisão. [Ler mais]

Endereço APTA – São Paulo

Praça Ramos de Azevedo, 254, 2º andar - República, São Paulo - SP

Fone : (11) 5067-0447 e 5067-0427

  Endereço APTA – Campinas

Avenida Barão de Itapura, 1481 - Botafogo, Campinas - SP

Fone : (19) 2137-8930